sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Relatório e Contas 2018-19 (três anos depois...)

Faz amanhã, 12 de outubro, três anos. Fernando Gomes, responsável financeiro da SAD do FC Porto, assumiu, mediante a apresentação de custos com pessoal de 75,8 milhões de euros, que era altura de «conter e tomar um novo rumo». A folha salarial atingiu custos incomportáveis para qualquer clube português e, sobretudo, para um clube que viria a ser visado pelo incumprimento do fair-play financeiro da UEFA. Por isso, foi altura de traçar um plano:

Jornal O Jogo, 12-10-2016
Fernando Gomes traçou e assumiu o plano e os objetivos. A folha salarial do FC Porto tinha ultrapassado os 75 milhões de euros. Era, por isso, intenção da SAD fazer com que ela fosse reduzida em 20 milhões de euros, passando o FC Porto a ter assim custos com pessoal na ordem dos 55 milhões de euros. «Três anos», foi o prazo traçado por Fernando Gomes e pela SAD. Cumpridos esses três anos, eis os resultados.

Relatório e Contas da FC Porto, SAD, 2018-19
A conclusão é óbvia. Não só a SAD não conseguiu reduzir a folha salarial em 20 milhões de euros como quase a conseguia aumentar nesse valor. Ao invés dos estimados 55 milhões de euros, o FC Porto fechou a época 2018-19 com custos com pessoal de 91,64 milhões de euros, os mais altos da história da SAD.

Fernando Gomes, aqui citado pelo JN, tem uma justificação: «Deveu-se, sobretudo, a três situações. As rescisões de contrato com os jogadores Bueno e o Bazoer, ao ajustamento dos contratos pela conquista do campeonato da época passada e os prémios extraordinários face à passagem da fase de grupos da Liga dos Campeões».

Portanto, rescindir o contrato de dois jogadores, um deles que até estava apenas emprestado, passar a fase de grupos da Liga dos Campeões (e a chegada aos quartos-de-final, certamente também considerada) e a revisão dos contratos pela conquista do Campeonato justificam este abismal aumento? Nada que surpreenda, tenho em conta que já tinha sido esta a linha de orientação de Fernando Gomes na apresentação das contas da época passada: ««Tínhamos previsto reduzir os Custos com Pessoal e eles subiram por uma questão muito simples: como fomos campeões nacionais, tivemos de pagar prémios ao plantel e à equipa técnica. Isso representou um encargo adicional de 6 milhões de euros, mas ainda bem que o tivemos». 

Apresentar as contas da SAD portista aparenta ser uma das tarefas mais fáceis no universo financeiro. Não se cumprem metas ou objetivos? Ou se culpa o insucesso desportivo (a não-qualificação para a Champions terá o devido impacto na apresentação do orçamento 2019-20), ou culpa-se o sucesso desportivo («pagámos mais do que o previsto porque tivemos que pagar prémios»). Não esquecer que o FC Porto, à partida, prepara cada época a pensar em ser campeão nacional e em passar a fase de grupos da Liga dos Campeões. Chegar ao final da temporada e alegar a surpresa de ter que ter pago prémios por rendimento desportivo, quando este já estaria orçamentado, é um tanto ambíguo. 


Aguardamos a publicação do Relatório e Contas completo da época 2018-19 para a devida e mais profunda análise. Ficam, para já, os principais tópicos dos Proveitos e Despesas Operacionais.

No orçamento de 2018-19, a SAD estimava custos de 135 milhões de euros (sem incluir despesas com transações de passes). Os custos atingiram os 150 milhões de euros, essencialmente pelo aumento nas despesas com pessoal e por mais uma subida nos FSE. 

Em relação aos Proveitos Operacionais, estamos perante os maiores da história da SAD, muito graças ao rendimento de Sérgio Conceição e dos jogadores na Liga dos Campeões 2018-19. O FC Porto estimava proveitos de 156 milhões de euros, mas os resultados atingiram os 176 milhões. Só as receitas na UEFA significaram um encaixe de 80 milhões de euros, mas o R&C apresenta uma alínea que não estava prevista no Orçamento: «Outras Prestações de Serviços», que acrescentaram 8,5 milhões de euros às contas. 

Conforme esperado depois da boa campanha da Champions e das excelentes vendas de Felipe e Éder Militão, o FC Porto terminou a época financeira 2018-19 com lucro, que ascendeu a 9,47 milhões de euros (há um ano, a SAD estimava 1,5 milhões de lucro).

O passivo e o ativo sofreram ambos reduções.  O ativo total líquido caiu em 52,75 milhões de euros, um pouco menos do que o passivo (-56 milhões), «que se situa agora nos 408,1 milhões, essencialmente devido à diminuição do valor global dos empréstimos», especifica a SAD. Este saldo significa capitais próprios negativos de 34,8 milhões de euros, o que mantém a SAD numa situação de falência técnica. A análise ao R&C será aprofundada quando o resultado completo for disponibilizado na CMVM.

23 comentários:

  1. Por favor, nunca acabem. O Porto caminha a passos largos para o abismo. As sanguessugas aumentam de número e tamanho e vão cercando o clube a cada ano que passa...
    Vocês são uma peça fundamental para que exista uma viragem neste paradigma. É necessário alertar os sócios. É necessário consciencializar os sócios para, em AG, pormos em causa cada uma destas pessoas. Exigir respostas, demissões, mudanças. Assim, vamos rumo a uma "operação coração" em meia dúzia de anos... ou pior.

    ResponderEliminar
  2. Este Fernando Gomes, por onde passou as coisas nunca correram bem, porque é q agora havia ser diferente... Ainda estou por perceber como foi parar ao FCP.

    ResponderEliminar
  3. A. Em 30/6/15 (o 1º balanço apresentado após a incorporação do estádio na SAD o valor do passivo era de 276 milhões de euros. Em 30/6/19 o passivo aumentou para 408 milhões. Mais 132 milhões. Um aumento de 48%. Em 4 anos.

    B. Em 30/6/14 (ano em que Dr Fernando Gomes assumiu funções na SAD as receitas da SAD (antes de mais valias de jogadores e de receitas de UEFA) eram de 60 milhões de euros e os custos totais da SAD eram 137 milhões, ou seja, para chegar ao final do anos sem prejuízo, a SAD precisava de obter (entre vendas de jogadores e receitas da UEFA) 67 milhões de euros.

    C. Em 30/6/19 as receitas da SAD (antes de mais valias de jogadores e de receitas de UEFA) eram de 92 milhões de euros e os custos totais da SAD eram 210 milhões, ou seja, para chegar ao final do anos sem prejuízo, a SAD precisava de obter (entre vendas de jogadores e receitas da UEFA) 118 milhões de euros.

    D. Resulta de B. e C. que (em resultado do aumento de custos de 73 milhões de euros/53% em 4 anos) houve um aumento de 51 milhões de euros /76% no montante que é preciso obter de receitas “não certas” para não se registar prejuízos.

    E. Nos últimos 5 anos o Porto conseguiu 2 dos 20 títulos nacionais em disputa

    Em resumo descalabro financeiro e desportivo.

    Ninguém assume responsabilidades?

    Dr Fernando Gomes? Sr Pinto da Costa?

    ResponderEliminar
  4. Sinceramente.
    Levar as maos ao ceu e rezar incessantemente, para que haja algu extraordinario e rolem cabecas na SAD.
    Mais 4 anos e podera ser tarde muito tarde.

    ResponderEliminar
  5. Desde que este senhor se encontra no poder que o passivo do clube duplicou senão fosse a ida á Champions tinha sido ainda mais desastroso, não fosse este senhor um dos amigos de Pedro Pinho que está a levar o FCP á ruina!

    ResponderEliminar
  6. https://twitter.com/Joosanchez6/status/1184894222320709634?s=19

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Depois do ultimo anuncio... ficamos assim a saber que 250M dos 457M ja foram adiantadas em menos de 2 anos de contrato... com este merceeiro as coisas nao se afiguram facies!

    ResponderEliminar
  9. @TribunaldoDragão, foste silenciado? 🤔

    ResponderEliminar
  10. Também gostava de saber, estaria a tornar-se demasiado incómodo?

    ResponderEliminar
  11. YES! The Moussa incident against Vitoria Guimares simply states that Portugal is an extremely racist and xenophobic country! They were the first to start the Global Slave Trade in 1441, and black people are treated as 5th rate citizens and live in Slums in portugal! Please boycott portuguese products, don't travel there, unless you love being a racist and xenophobe! Racism is serious and we all NEED to do our part to stop this in soccer. Porto should be fined and suspended for this!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. The IRONY of this comment is that you are being xenophobe for wanting Portugal to be boycotted.
      At least be have shred of decency and show your face and name, you clueless coward.

      Eliminar
  12. Interessante exercicio de cidanania e amor ao clube, contra o esquecimento e promessas vazias. Pena que nao existam mais a pensar pela sua propria cabeça, talvez tudo fosse muito diferente (em qualquer clube).

    ResponderEliminar
  13. Continua a silêncio por aqui? Não se passa nada?

    ResponderEliminar
  14. Aconteça o que acontecer, seguimos fortes!! Prometo novidades!!

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.