domingo, 21 de outubro de 2018

O orçamento do FC Porto para 2018-19

Começamos por uma curta viagem ao passado. Na apresentação das contas de 2015-16, Fernando Gomes, responsável financeiro da SAD, afirmou: «Os custos têm subido de forma abrupta. A SAD quer conter e tomar um novo rumo».

Um novo rumo, dizia Fernando Gomes, que definiu os seus objetivos: «Inflacionámos os salários para além do razoável. Em 2013/14 os salários do plantel eram de cerca de 40 milhões de euros e hoje são de 75. Entendemos que devemos conter e reduzir».

O administrador da SAD definiu, por isso, um plano: no espaço de 3 anos, a folha salarial do FC Porto iria baixar para 55 milhões de euros. Foi isto que Fernando Gomes traçou como objetivo, realçando que, numa primeira fase, o plano passava por «reduzir 20 milhões em salários nos próximos dois anos».

Os objetivos de Fernando Gomes (jornal O Jogo, 12-10-2016)

Cumpridas as épocas de 2016-17 e 2017-18, é tempo de observar o orçamento da SAD para a época 2018-19. O tal em que Fernando Gomes apontava para uma grande redução salarial e que baixaria os custos com o plantel para os 55 milhões de euros. 

O FC Porto terá, nesta época, a folha salarial mais alta da sua história, ultrapassando pela primeira vez os 80 milhões de euros. Depois da época de contenção que foi a mais cara da história do FC Porto, a folha salarial é elevada para os valores mais altos de sempre.


Os custos operacionais do FC Porto ascenderão, assim, aos 135,5 milhões de euros, cerca de dois milhões acima dos resultados de 2017-18. A folha salarial do plantel chega aos 81,7 milhões de euros quando, segundo as expetativas de Fernando Gomes, deveria nesta altura estar a caminho dos 55 milhões de euros - a não ser que esteja a contar com uma debandada em junho para baixar a folha salarial abruptamente. E continuamos sem descobrir onde é que está a poupança de 20,8 milhões de euros que o administrador diz ter sido feita com a «limpeza» do plantel da época passada. 

Os Fornecimentos e Serviços Externos, por sua vez, continuam na casa dos 43 milhões de euros, mantendo esta rubrica praticamente inalterada e sem perspetivas de descida. 

Em relação aos Proveitos Operacionais, a SAD estima os mais altos de sempre: 156,7 milhões de euros, essencialmente graças ao enorme aumento dos prémios da UEFA, com receitas de 67,15 milhões de euros (está novamente previsto o apuramento para os oitavos-de-final da Champions), e ao novo contrato de direitos televisivos - é a primeira vez em que entra oficialmente no exercício o contrato com a Altice, por isso as receitas televisivas rompem a barreira dos 40 milhões.


É de recordar que o contrato com a Altice ascende a 457,5 milhões de euros, por um período de 10 anos, e tecnicamente entrava em vigor apenas a 1 de julho. Mas a SAD já antecipou - e muito - dezenas de milhões de receitas deste acordo.

Há um ano, a SAD já tinha antecipado mais de 90 milhões de euros, através de vários contratos de factoring com empresas de crédito estrangeiras. No entanto, o R&C da época 2017-18 revelou que, em abril/maio, a SAD antecipou uma enorme fatia dessas receitas com mais dois contratos de factoring: nada mais, nada menos do que 111 milhões de euros - 11 milhões com a Star Fund e 100 milhões de euros com a Sagasta. Esta operação, de resto, é a principal responsável por o passivo da SAD ter disparado para os valores mais altos de sempre: 464 milhões de euros. Quando estes contratos de factoring terminarem (o acordo com a Sagasta termina em 2023), os valores envolvidos serão eliminados do passivo.

O Tribunal do Dragão, na análise do R&C de 2016-17

Importa reconhecer que antecipar receitas é uma prática corrente e natural em clubes de futebol, em que há despesas contínuas e mensais mas as receitas não são geradas da mesma forma. Mas coloquem simplesmente isto em perspetiva: o FC Porto já «antecipou» mais de 200 milhões de euros de um contrato de direitos televisivos que, tecnicamente, teve o seu início oficial apenas em julho.

Um contrato de 457,5 milhões de euros, a 10 anos, que oficialmente entrou em vigor há menos de 4 meses e do qual a SAD já «puxou» cerca de 200 milhões de euros. Há momentos em que nem vale a pena acrescentar mais nada e basta espelhar apenas os números, que falam por si. Mas em 2016 Fernando Gomes explicara para onde seria canalizada a receita dos direitos televisivos: «De resto, a ideia é que este dinheiro não vá para reforços, porque para isso o FC Porto gera recursos suficientes. Iremos baixar custos, pagar dívida e ter uma gestão mais sã». Confere?

Ainda nas Receitas, a SAD confirma que as receitas de gestão e exploração do Corporate Hospitality passam a ser consideradas na Publicidade e Sponsorização, mantendo-se assim na casa dos 22-23 milhões de euros, à imagem das duas últimas épocas. De realçar ainda que a SAD aponta para as maiores receitas de bilheteira no Dragão, com uma verba estimada em 9,3 milhões de euros. 

O grande crescimento dos Proveitos Operacionais permite que após várias épocas de enormes buracos, a SAD estime finalmente resultados positivos sem custos com passes. Nas últimas quatro épocas, por exemplo, a SAD orçamentou sempre prejuízos operacionais, que foram dos 18 aos 25 milhões de euros. Mas desta vez, pelo grande crescimento nas receitas, a expetativa é de um resultado favorável de 21 milhões de euros. É certo que a qualificação para a Liga dos Campeões é o que pode ditar a diferença entre um lucro de 20 milhões ou um prejuízo do mesmo valor, e não nos podemos esquecer que há 3 equipas a jogarem declaradamente para um lugar, mas enfim vemos perspetivas de bons resultados operacionais.

Mas chega? Não, não para 2018-19. Pois apesar de ter proveitos operacionais superiores a 150 milhões de euros, a SAD necessita de fazer 34,6 milhões de euros em proveitos com transferências. De recordar que o R&C de 2017-18 não incluía, ainda, as compras de Mbemba e Militão, e que as vendas do FC Porto no exercício de 2018-19 praticamente resumem-se, para já, a Layún, Gonçalo Paciência e João Carlos Teixeira. Portanto, estamos a falar na necessidade de, entre receitas operacionais e resultados com transações de jogadores, «fazer» mais de 185 milhões de euros para pagar a época 2018-19.

Tudo isto para, em junho, terminar a época 2018-19 com um lucro de 1,575 milhões de euros. É esta a proposta da SAD que vai a Assembleia Geral a 8 de novembro.

7 comentários:

  1. Um clube a chegar ao Abismo, COMO É POSSIVEL GASTAR MAIS DE 80 MILHÕES EM MASSA SALARIAL com este plantel, COMO????????? Isto é doentio, deixa-me doente. Nem falo dos 40 e tal milhões em serviços externos, nojento...

    ResponderEliminar
  2. percebo a argumentaçao, entao nao querem que ganhemos campeonatos, entao arranjem um treinador que aposte em jogadores jovens e leonardo jardim esta livre, entao nao renovem com maxi que e carissimo ou ate com cassillas idem e ja agora para que pagar altos salarios a brahimi? e ate a herrera , mante los no plantel por capricho de SC? porque nao foi marega? Nao servem bazoer, oliver, jpap pedro, mbemba, o def esquerdo internacional A do brasil, nao serviram paulinho, evwerton, warris, janko, leite, galeno, andre pereira, gonçalo paciencia, diogo costa, queiros, mas afinal quem serve a SC? hernani? fabiano? corona? NO FUNDO FORMADO E LANÇADO E POTENCIADO POR SC QUEM VAMOS NOS VENDER? Telles ja ca estava, marega ja ca estava, filipe ja ca estava, espera ........... o hernani ou o fabiano. SC FOI UM TREINADOR DE CHICOTADA, FOI NECESSARIO PARA DAR A CHICOTADA PARA GANHARMOS MAS NAO CONSEGUE POTENCIAR NINGUEM.
    Nao vai haver uma assembleia geral para aprovar o orçamento? vai , entao e la ir e apresentar as duvidas, explicar aos socios que as contas estao mal feitas. Basta ver o estado da B, com treinadores de faz de conta, um um gajo porreiro e o adjunto um filosofo que ja tinha destruido mais ou menos os juniores A, onde estao os novos jogadores da formaçao para serem vendidos? Se aparecesse um ou dois ja seria muito bom. ENTAO PORQUE FICARMOS PREOCUPADOS SE HERRERA, BRAHIMI, MAXI, CASILLAS, CORONA ACABAREM OS CONTRATOS E SAIREM? sERA QUE sc LANÇARA DIOGO COSTA, LEITE, QUEIROS, OLIVER, BAZOER, OU SERA QUE SAI PORQUE PERCEBERA MAIS UMA VEZ QUE NAO CONSEGUE ELE MONTAR UMA EQUIPA ? Porra afinal de contas porque nao deixamos ganhar sempre os lampioes, o tetra, o penta, o hexa, o etc? eles e que sabem gerir aquilo, sabem quem lançou o ricardo? foi o vitoria.
    CONFRONTEM A SAD, FAÇAM NOS PERCEBER QUE AFINAL ATE HA MUITA GENTE QUE SABE FAZER CONTAS E INTERPRETAR OS BALANÇOS SE CALHAR NAO TEM E TOMATES PARA DIRIGIR UM CLUBE COMO O PORTO.

    ResponderEliminar
  3. Mas seria de esperar algo melhor de quem se arroga aumentar o próprio salário antes de dar provas de boa gestão (retoma a resultados económicos positivos)?

    Os accionistas têm a palavra.

    ResponderEliminar
  4. Gestão financeira a todos os pontos desastrosa. Uma palhaçada pegada e querem continuar a enganar os sócios.

    Manuel Silva

    ResponderEliminar
  5. Cuidado. Estamos a caminhar para o abismo.
    Sem sangue não se fazer morcelas.
    Eu já vivi dezanove anos a vê-los ganhar. Não quero que isto se repita. Lembro o nosso Penta, as nossas vitórias europeias e mundiais.
    Com esta gestão estamos no fim.
    Reconheçamos muito mérito a Pinto da Costa pelo seu passado.
    Mas há que saber sair.
    E é a altura.
    Mesmo para bem dele e para a sua imagem

    ResponderEliminar
  6. Além do grande problema que são as contas são também problemas as pessoas que gerem essas mesmas contas sem serem verdadeiros gestores. Um pouco à semelhança do bes e outros iguais. É o mesmo que termos um padeiro à frente de uma oficina de automóveis.com todo o respeito que tenho pelos padeiros.

    ResponderEliminar
  7. @ Vidente Mor

    Mas qual apostem em jovens ou o sei lá o quê...

    A única coisa que quero saber é onde é que gastamos os 81M€...

    Benfica tem o mesmo que nós e mais uma equipa sub-23 e ainda tem mais profundidade de plantel e gasta por volta dos 60M€ e nós com dois coxos e meio gastamos 81M€?!?!?

    Basta olhar para o nosso plantel e ver quem é quem não é perneta... Jogadores "a sério" temos: Casillas, Maxi, Militão, Alex Telles, Mbemba, Filipe, Óliver, Herrera, Danilo, Otávio, Sérgio Oliveira, Grahimi, Marega, Corona, Adian Lopez, Aboubakar e Soares... e adicionar Bazoer e Jorge, visto que é um suponhamos orçamental.

    19 Jogadores... vamos tirar 11M€ para o resto e para B's e Sub 19's.

    Sobram 70M€... Quer dizer que cada um destes jogadores recebe 3,7M€ em média, por época?!?!?!?

    Ah e tal 11M€ é pouco para o resto... só se forem a brincar não? Pagar mais de 11M€ em ordenados por Hernânis, João Pedros e uma série de B's e meia dúzia de Sub-19, só se fosse para rir.

    E ainda tivemos Casillas e Maxi e reduzirem ordenados e muito para cá ficarem e mesmo assim conseguimos aumentar as despesas... fantástico!

    Portanto... se estas contas estiverem certas é meter o administrador e o gajo que negoceia contratos na RUA! Por clara incompetência e por "roubar" os cofres do clube!


    Se estas contas estiverem erradas é meter os dois na RUA pois alguém andar a desviar muito dinheiro do clube pois está à vista de todos que é IMPOSSÍVEL gastarmos 81M€ nesta coisa que chamamos de plantel onde temos 19 jogadores decentes.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.