quarta-feira, 22 de abril de 2015

Uma boa Champions, uma eliminatória normal, um mau jogo

Não é um dia feliz para ser portista. Isto porque somos os únicos adeptos de futebol que não podem desfrutar daquilo que o Bayern Munique fez, em particular nos primeiros 45 minutos. Podemos apontar os muitos erros cometidos por Lopetegui e os jogadores na primeira parte - oh, se podemos! -, mas tudo se resume a isto: eles não deram hipóteses. O Bayern deu um banho de bola. Desafio alguém a mostrar 45 minutos melhores do que estes por parte de uma equipa esta época.

Todos os ingredientes jogavam a seu favor e o Bayern foi letal. Cada tiro, cada melro. Não somos brasileiros, mas como no Mundial 2014 lá estava a língua portuguesa a ser trucidada pela alemã em 45 minutos. Não nos deram hipóteses. O Bayern fez hoje aquilo que o FC Porto não o deixou fazer na primeira mão. A única surpresa (ou a única contrariedade à lógica) foi não o ter feito no Dragão.

A lei do (muito) mais forte
O Bayern tem plantel, treinador e projecto assumidamente construído e com provas dadas para ganhar a Liga dos Campeões. Para o FC Porto, pensar em algo mais do que os 1/8 já seria ir além das expectativas e objectivos traçados. Perder uma eliminatória por 3 golos nestas circunstâncias é normal. Não temos que estar conformados ou satisfeitos, que não estamos, temos que aceitar a superioridade de quem é, em condições normais, melhor do que nós. Ou que tem armas muito melhores do que as nossas.

Desde o momento em que saiu a bolinha do sorteio que tínhamos um objectivo: lutar, disputar a eliminatória, orgulhar e dignificar o clube. Na primeira mão fizemos tudo isso com nota máxima. Nos primeiros 45 minutos da segunda mão, não fizemos nada disso, porque o Bayern foi muito, muito melhor do que nós. E na segunda parte, já o conseguimos (o Bayern não precisava de fazer muito mais, mas ninguém faz 90 minutos daquilo que o Bayern fez no primeiro tempo). Aquele remate do Jackson, do qual nenhum portista se vai esquecer, era o momento do se... Mas foi também o momento que mostra que o FC Porto, mesmo perdendo por 5-0 ao intervalo, ainda estava lá para tentar bater o pé ao Bayern.

Não é uma vitória moral. É cumprir com aquilo que estava ao nosso alcance: lutar, fazer tremer um Bayern de argumentos superiores em toda a linha, brindar os adeptos com momentos de alegria e orgulho durante a eliminatória e terminar a época com objectivos cumpridos na Liga dos Campeões, financeira e desportivamente. É difícil pedir mais do que isto.

Fizemos uma boa Liga dos Campeões, onde fomos eliminados numa eliminatória «normal», fazendo um mau jogo na segunda mão. Ao 12º jogo o FC Porto caiu na Europa. Quando voltarem a ouvir falar de um clube português que vá aos 1/4 da Champions invicto, por favor avisem. Orgulho no percurso da equipa. Lutámos pela eliminatória e pelo golo que nos fizesse acreditar até aos 86 minutos, altura em que Marcano é expulso e Xabi Alonso dá a estocada final. O trabalho que começou em agosto, quando ainda nem bilhete para a Champions tínhamos, não pode ser avaliado com base no que se passou entre os 14 e os 40 minutos de um único jogo, logo contra a equipa com mais argumentos para ser campeã europeia.





Jackson Martínez (+) - O que faz um jogador de uma equipa que está a perder por 5-0, arrisca levar mais e sabe que, aconteça o que acontecer, no fim da época vai ganhar muito mais dinheiro para outro lado? Jackson honrou o símbolo que levava ao peito e a braçadeira no braço. Acaba a segunda parte completamente rebentado, a lutar contra tudo e contra todos, disputando cada bola como se o apuramento dele dependesse. Não pensou um único segundo no Benfica, nem no risco de se lesionar. Foi até aos limites, provando não só o grande ponta-de-lança que é, como também o grande líder e capitão. Este senhor tem lugar no museu. É um dos nossos 5 maiores goleadores de sempre na Liga dos Campeões e ficará na história do clube.

Rúben Neves (+) - Lançar um miúdo de 18 anos para um jogo dos 1/4 da Liga dos Campeões quando a sua equipa está a perder por 5-0? Se nos dissessem isso no início da época, achávamos um ato de loucura. Neste caso foi um ato de lucidez. O Bayern baixou obviamente o ritmo, não só porque quis e podia, mas também porque era impossível repetir o que fez na primeira parte. Mas quando o FC Porto chega ao intervalo, tem 36% de posse. Acaba a partida com 47%, muito graças à entrada de Rúben Neves. 85% de eficácia de passe (Evandro teve 100%, mas jogou menos e não arriscou tanto), agressividade na recuperação e saída de bola, critério e inteligência, determinação em ajudar o FC Porto a fazer um, dois golos. Nota para Ricardo. Já não havia muito a fazer defensivamente, então ajudou o ataque (mais que Quaresma e Brahimi) e esteve no lance do golo.





Toda a primeira parte (-) - O Bayern foi demolidor, e dava a ideia que estava num dia em que ia atropelar fosse quem estivesse do outro lado. Mas isso não invalida o demérito que o FC Porto teve na estratégia e na abordagem de jogo. Lopetegui entendeu apostar em Reyes. O FC Porto já ganhou uma Taça UEFA a jogar com Ricardo Costa a lateral e já defrontou o Barcelona com Aloíso na esquerda, não é por aí. O problema foi a forma como (não) se defendeu. «Laterais» a fechar demasiado por dentro, Quaresma e Brahimi muito mal a fechar os flancos e a defender, e um amadorismo no jogo aéreo que faz corar qualquer equipa (aos 27 minutos estamos a perder por 3-0, por três lances perdidos no jogo aéreo). Fabiano, Maicon, Marcano, Indi e Casemiro foram incapazes de lidar com este vendaval. Era difícil de o fazer, mas também nunca se demonstraram preparados para o enfrentar. A estratégia falhou redondamente.

O FC Porto cumpriu e superou as expectativas que estavam definidas para a Liga dos Campeões. Tentou ao máximo ir mais além, não conseguiu. Agora é tempo de pensar no Benfica, e tentar virar uma eliminatória onde estamos a perder por 2-0. Só não levantamos a cabeça porque para isso ela teria que baixar primeiro.

52 comentários:

  1. Concordo com tudo. E também penso que a aposta em Reyes, na teoria foi a melhor. Ricardo não tem poder físico, nem rotinas defensivas. Mas, Reyes está numa forma deplorável. Contudo, avaliar seja quem for por estes 45', é injusto. Esteve tudo mal! Até Marcano que tem vindo a acumular exibições muito seguras e aceitáveis, esteve como se viu.
    O único elemento do onze titular que, na minha opinião, não merece o lugar que tem, continua a ser Fabiano. Não me baseando só no jogo de hoje, porque seria injusto. Mas, o que é certo é que ele durante, talvez, 90% dos jogos não é praticamente posto à prova. E quando o é, é o que se vê. Transmite-me uma insegurança imensa, não tem nenhuma qualidade a cima da média! Hélton é superior em tudo. Continuo a achar que, depois de ter chegado da lesão, lhe deveria ter sido dada a titularidade novamente. Simplesmente porque é melhor. Não importa a idade.
    Posto isto, gostava de saber a opinião do tribunal sobre o Fabiano e também se acha que ele vai ser o dono das redes no próximo ano.
    Obrigado pelas suas análises tão sóbrias,
    Cumprimentos portistas,
    DS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo 10000000% com a sua analise do Fabiano, já à muito tempo que o digo que não é guarda redes para o Porto, não podemos passar de varios anos de um dos melhores guarda redes do Porto para um guarda redes mediano.

      Jozef

      Eliminar
    2. Penso exactamente igual. Chegou ao fim da linha Fabiano a titular, existem erros que são grosseiros e uma insegurança constante cada vez que necessitamos dele. Para uma equipa que luta por títulos é inadmissível. E não digo isto só pela ressaca do jogo de ontem.

      Eliminar
    3. Totalmente de acordo. Acho que ninguém tem na memória uma boa defesa do Fabiano ou uma exibição de encher o olho. E ninguém tem porque as poucas que lá vão entram mesmo...

      Não precisamos de um super guarda redes...mas precisamos de um guarda redes que por vezes nos valha pontos e vitórias. Fabiano não vale, ponto final.

      Eliminar
    4. Fabiano é o maior ponto fraco do FCP. Nao sabe sair dos postes, e com os pés é um perigo eminente, sobre pressao falha incrivelmente... o golo de Muller é inadmissivel, mas o golo de Lima no drgao depois d um lancamento do Maxi é absurdo.... o homem tem 2 metros e nao sai dos postes!!! Estou farto de gritar aos quatro ventos, a miseria de guarda redes que ali esta!
      MAs... Lopetegui tambem era guarda redes, e tambem era alto, e tambem era um pessimo guarda redes...talvez ache que só precisava de alguém que insistisse nele! ... espero q o Helton jogue na Luz.

      Eliminar
    5. Tenho a certeza que se o Helton tivesse sido titular , algum daqueles golos não tinha entrado . Concordo consigo

      Eliminar
    6. Infelizmente concordo. Já de algum tempo a esta parte que Fabiano não transmite segurança ou confiança. Um guarda redes com quase 2 metros com imensas debilidades no jogo aéreo e controlo da sua área e que, devido à sua envergadura, não é propriamente rápido, ágil ou bom com os pés. Deu pena ver Hélton no banco, o capitão que ainda é o melhor guarda redes no plantel.

      Espero também ver o futuro de Reyes definido. Como central ou trinco, é preciso ser aposta ou então sair. Já leva 2 épocas no clube e parece pior do que quando cá chegou. Quintero v2.0

      A equipa que jogou no Dragão sabendo que nada tinha a perder acusou a pressão, sentiu que desta vez tinha muito a perder. Os primeiros 45 minutos do Bayern foram muito bons, mas para muito disso contribuíram os nossos. Sem construção, sem objectivos, sem eficácia defensiva ou ofensiva.
      Globalmente, houveram erros que não se admitem, mas foram individualmente colectivos. Ou seja, Quaresma permite Bernat cruzar com todo o espaço e Maicon permite ao Thiago cabecear dentro da pequena área. Não consigo destacar um só jogador como terrível porque praticamente todos naquela primeira parte meteram água. E que derrame...

      ... à excepção de Jackson, único ponto que me deixou preocupado. Ver Jackson a cambalear aos 70 minutos provocou-me um calafrio, sabendo que vem de lesão, que a eliminatória estava irremediavalmente perdida e que jogamos o campeonato no domingo. É de facto um jogador de eleição a todos os níveis. O exemplo de profissionalismo do colombiano deve ser enaltecido e ensinado no balneário durante muito tempo. Um jogador à Porto, com muito orgulho nosso.


      AA

      Eliminar
    7. Subscrevo os vossos comentários, tinha dito que não voltava a bater na mesma tecla mas depois deste jogo com o Bayern é impossível não voltar a falar de Fabiano.

      Se por um lado não é o único culpado da derrota, convém não minimizar a sua responsabilidade, porque dos 6 golos que sofreu, 3 deles poderia tê-los evitado (2ª, 3ª e 4ª). Demasiado mau para um guarda-redes de equipa grande, sobretudo quando estamos a falar da Champions.

      Além disso, convém também não esquecer a sua responsabilidade no campeonato. O único jogo que de momento está a fazer diferença pontual entre Porto e Benfica foi o jogo entre os dois no Dragão, em que perdemos por 2-0 e o Fabiano podia ter feito melhor em ambos os golos. Repito, em ambos!

      A baliza é de resto a única falha que aponto a Lopetegui durante toda a época. Não sei se foi o clube que não teve condições financeiras para contratar um guarda-redes melhor do que Andrés Fernandez para concorrer com Fabiano, mas pelo menos desde que Helton regressou deixou de haver desculpa para manter este guarda-redes. Há pouco tempo Lopetegui teve uma oportunidade de ouro para corrigir o erro (expulsão de Fabiano com Helton a assumir os 2 jogos seguintes na perfeição). Lopetegui não aproveitou e fez Fabiano regressar à baliza. O resultado está aí.

      Na próxima época, antes de se pensar em pontas-de-lança ou laterais direitos, pense-se em investir num guarda-redes de qualidade. Nenhuma grande equipa ganha troféus se não tiver um grande guarda-redes na baliza! Com Fabiano, vamos continuar a sofrer golos de cada vez que a bola vai à baliza. Assim fica difícil!

      Eliminar
    8. Cada vez que revejo a exibição do Helton frente ao Braga para a Taça da Liga, fico com a ideia que com o Fabiano tínhamos sido goleados. Enquanto que não há nenhum jogo em que pense "Com o Helton tínhamos sofrido este golo, ainda bem que jogou o Fabiano!" Nunca me aconteceu.
      Penso que o motivo pelo qual Fabiano seja aposta é a idade dele e do seu concorrente direto. O Porto está a querer mostrar o jogador para o vender, sendo que Helton já não vai dar retorno financeiro. Mas está visto que nunca vai ser uma venda avultada, por isso, para ir para algum Besiktas desta vida que vá no final desta época.
      Repito, para não ser mal interpretado, este jogo foi só um colmatar da minha opinião, não o culpo pela derrota. Se jogasse o Helton provavelmente também não tínhamos passado. Mas só o olhar do Fabiano transmite-me medo, pânico, insegurança! Enquanto que só a postura de Hélton transmite madures, inteligência, calma, coesão com a equipa.
      Mesmo assim, não acho que Lopetegui vá dar a titularidade a Hélton na Luz. Porque para os críticos, ele iria estar a culpar Fabiano pela derrota na Alemanha.
      Meus amigos, rezem para que o Benfica não remate muito e que os nossos jogadores estejam inspirados e com o fator sorte do nosso lado!

      Eliminar
  2. Não creio que se possa afirmar que as expectativas foram superadas, foram isso sim cumpridas. A realidade do FC Porto na Liga dos Campeões é chegar aos 4ºs final (com um sorteio simpático nos 8ºs final) - outras equipas nem a isto poderão ambicionar -, superar esta fase, sim, é ultrapassar as expectativas, mas face ao quadro do que é hoje em dia esta competição, podemos ficar satisfeitos por chegar a esta fase e muito bom seria consegui-lo todos os anos.
    De resto, face a um 6-1, é o colectivo que falha e julgo poder dizer-se que é Lopetegui que falha na sua abordagem: ao contrário do que afirmou, a equipa NÃO estava preparada para tudo, nem sequer reproduzir a opção de fechar os espaços interiores como na 1ªa mão ao ser obrigado a recorrer a jogadores sem rotinas na posição (Reyes) e sem proporcionar um apoio competente na organização ofensiva da equipa (Indi). Demorou 45 minutos e cinco golos a perceber o erro face a um 442 do Bayern Munique que colocava dois elementos em cada flanco a dar largura, demasiado para Brahimi e Quarema conseguirem suster.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Em termos ofensivos, as alas estavam mancas. Em termos defensivos, pareceu-me que Reyes e Indi tinham ordens para ir fechar ao meio sendo Quaresma e Brahimi a encarregarem-se de fechar a linha. À primeira falha de um deles (Quaresma fica a ver o homem tirar o cruzamento) deu logo golo. O resto foi o que se viu.

      Eliminar
  3. O jogo do Fabiano tem vindo a me irritar constantemente. Não consegue defender uma unica bola, não se faz ao lances de forma satisfatória e tem sempre uma abordagem deficiente a cruzamentos e remates. O jogo estaria perdido após ao primeiro golo, onde Reyes defende como central e não como lateral (Bernat cruza perto da bandeirola de canto e Reyes ta perto da pequena área.). Não percebo o porque de não ter apostado no Ricardo logo de inicio (só porque fez um fez um mau jogo contra a Académica não quer dizer que seja um mau lateral) e é pena que o Lopetegui tenha deixado os tomates no Porto porque o Porto nunca iria defender o resultado de 2 golos. Nota positiva para Jackson mais uma vez e espero que ele esteja a ensinar bem o Aboubakar o que é ser um jogador a Porto, porque de outra forma vamos passar um mau bocado no inicio da proxima época.

    Uma ultima nota, Lopetegui tem de decidir ainda esta época o que vai ser o Ricardo da época 2015/2016. Se vai ser um miúdo para se apostar a jogar de inicio ou se vai apostar noutro espanhol/brasileiro e esperar que seja algo decente. Mas o jogo de ontem não deve ter dado muita confiança ao Ricardo, após ser descartado do segundo jogo mais importante da época, apostando num jogador que nunca jogou a defesa direito na vida!

    ResponderEliminar
  4. "Por muito que não queiram, sei que muitos de vocês não querem, esta equipa vai erguer-se. Vai erguer-se, podem acreditar. No futebol o 'rewind' não funciona, o Bayern de Munique é uma equipa fortíssima".

    Julen Lopetegui
    (fonte: ojogo)

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  5. concordo so com o titulo. Nao posso ter paninhos quentes, esta epoca nao ganhamos nada e na luz se as coisas correm mal nos primeiros 20 minutos vai ser uma desgraça. Nestes jogos veem se a dimensao do treinador e dos jogadores e percebe se que nao e elevada, jogadores pouco intensos e pouco agressivos, oliver nao tem hipoteses do atl de simeone e ele sabe disso, reys uma desgraça, herrera nao tem vida para jogos destes, quaresma o costume, brahimi nunca sera aquilo que preconizam ou zavam, o treinador nao soube abordar este jogo, bastava aguentar 20 a 30 minutos e passavamos. Nao se pode nao ganhar a nacionais, maritimos, e por ai e querer ganhar ou perder por poucos com bayernes. Muito sinceramente seria um milagre safarmo nos, muita coisa tera de ser revista para a proxima epoca, nao me parece que com Buenos, marcanos , angels e outros que vem de clubes medios e sem ambiçoes e ja com idade se consiga seja o que for. Temos de ser um pouco realistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fizeste-me rir. Só te vou dizer um facto, Gotze e Neuer foram mais caros que todo o plantel do Porto. Não achas que tinham mais que obrigação de nos trucidar?
      De certeza que no fim da primeira mão elogias-te o treinador, agora já não vale nada.

      Eliminar
  6. Hoje o Machado já veio falar... curiosamente na primeira eliminatória ficou calado. Ele que, como treinador principal, nunca fez nada de relevante na Europa do futebol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema nao é o machado falar. Nao é ele seguranente que liga para as radios. O problema é as radios ligarem precisamente para ele so nas derrotas, porque nas vitorias das duas uma: ou nao lhe ligam ou ele nao atende.

      Eliminar
    2. Concordo consigo. As rádios ligam-lhe e também lhe terão ligado na vitória do FCPorto, só que nesse dia estava indisponível. Eu percebo que o machado esteja triste com o nosso Presidente, mas paciência tem limites.

      Eliminar
  7. Infelizmente não fiquei surpreendido. A atitude de ontem também aconteceu há uma semana, após o segundo golo. Parecia que estávamos ali a pedir desculpa; que achavámos que não pertenciamos ali. E o ambiente à volta do jogo ajudou a isso: vejam lá se se aguentam! Não foi: vamos lá fazer o mesmo; foi: vamos lá tentar safar-nos. E o treinador, com o seu onze ainda ajudou mais a isso: falta de atitude e ambição. E no campo foi um desastre. Quando o Quaresma tem que defender na nossa área durante os primeiros dez minutos está tudo dito. Outra notas: Fabiano não serve. Jackson: uau, uau, uau. No ano passado achei que não esteve presente nalguns jogos, mas neste momento não tenho dúvidas que é um dos melhores do mundo. Brahimi: péssimo. Também não é jogador para o Porto. Luís F.

    ResponderEliminar
  8. a estratégia foi desastrosa... eu tinha dito que brahimi e o quaresma não podiam jogar este jogo... foram 2 jogadores a menos.

    além disso dos 4 centrais nenhum esteve em jogo. Foi tudo muito mau a defender. E se não tínhamos muitos argumentos para defender, porque razão não jogou o hernani? Porque não colocámos jogadores rápidos na frente? Se iamos passar muito tempo a despejar bolas, porque não meter o gajo mais rápido em campo para as disputar?

    ResponderEliminar
  9. Fomos brutalmente atropelados. Simplesmente nao conseguiamos fazer 3 passes. Possivelmente se lopetegui faz a entrada do neves (ele pu a entrada de outro medio) ao 2-0 ou ao 3-0 talvez as coisas ficassem mais equilibradas.
    Temos que aceitar que eram e sao e continuarão a ser uma equipa melhor que a nossa e fortissima candidata.
    Agora ha domingo um jogo que se o resultado nao for outro que nao a nossa vitoria é o adeus ao titulo.

    ResponderEliminar
  10. Resta nos o consolo de saber que o Porto marcou mais golos ao Bayern do que a associação recreativa e cultural do Alto dos Moinhos na fase de grupos.

    ResponderEliminar
  11. Se calhar sou só eu, mas não acham que o Lopetegui justifica, de alguma forma, o F antes do nome?
    Vamos por partes e fazer uma comparação que me faz questionar a coerência de alguns.
    A 5 de março de 2014, Paulo Fonseca deixava o comando técnico do FC Porto.
    Notas da sua passagem:
    Conquista da Supertaça;
    Sai à 21.ª jornada, a 9 pontos do primeiro (os mesmos a que Lopetegui poderia ter ficado a meio da época, não fosse o Paços, curiosamente treinado por Paulo Fonseca, a ganhar, nos últimos minutos, ao Benfica);
    Deixa a equipa nas meias da Taça da Liga;
    Deixa a equipa nas meias da Taça de Portugal;
    Deixa a equipa nos oitavos da Liga Europa (perde contra o Atlético na Champions - vice-campeão europeu - com muito azar);
    Por tudo isto, Paulo Fonseca era uma nódoa.

    Lopetegui, como já disse, poderia ter ficado a 9, não ficou sabe lá bem como. Pode vir a ganhar o campeonato, in extremis, certo. Mas este plantel era para ser campeão há muito. Quanto à Champions, falemos também quando uma equipa apanhar sorteios tão fáceis como os nossos (BATE, Bilbao, Shakhtar, tudo colossos). Fez o normal consoante o sorteio. Caso calhasse um Mónaco era sua obrigação vencer e chegar às meias-finais, daí que não percebo tanto entusiasmo com a Champions.
    No campeonato, já vi o melhor e o pior deste Porto, mas destaco um dado curioso: O FC Porto nunca deu a volta a um resultado.

    Por tudo isto, acho absurdo considerar-se o Paulo Fonseca um treinador a roçar o ridículo e o Lopetegui um mestre da arte.

    Vamos a uma análise de plantel (do lado esquerdo o de 2013/14, do lado direito 2014/15).
    Helton > Fabiano
    Danilo = Danilo
    Otamendi ~ Marcano
    Mangala ~ Maicon
    Alex Sandro = Alex Sandro
    Fernando > Casemiro
    Lucho < Óliver
    Herrera = Herrera
    Licá << Brahimi
    Jackson = Jackson
    Varela << Tello
    Carlos Eduardo < Evandro
    Defour < Rúben Neves
    Metade da época sem um extremo suplente, até à chegada do Quaresma;

    ( > - superior a; = - mesmo jogador; < - inferior a; ~ - semelhante a;)
    Feita a análise, facilmente se percebe que este plantel, maioritariamente constituído por desejos do Lopetegui, é superior ao do Fonseca (será que teve um dizer na construção do plantel? É que nem laterais suplentes tinha), acima de tudo no nível de opções. O plantel do Paulo era bastante curto e isso sentiu-se quando os jogadores rebentaram fisicamente.
    Não digo que o Paulo seja superior ao Lopetegui ou vice-versa, mas não percebo o endeusamento de um e o ódio que se tem pelo outro.
    Como se diz aqui na net, just my two cents

    Gostaria, se possível, que comentasse isto, TdD, afinal é sempre bom trocar ideias com quem as tem e sabe expor. Um abraço e parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estão "ela por ela"...a diferença é que o Lopetegui fala espanhol. São muitos momentos decisivos e muitas falhas nesses momentos. É um perdedor. Se não ganha na Luz só tem um caminho a seguir...

      Não é o "salvador" que muita gente quer tentar fazer. É um treinador banal que se não ganhar nada tem de ser chamado às responsabilidade como todos os outros que por cá passam sem ganhar...

      Eliminar
    2. Epá, não digas asneiras e não sejas extremista. Com Paulo Fonseca o Porto não jogava um cu à bola. O Lopetegui é um EXCELENTE treinador e só não vê isso quem não percebe nada de futebol ou aquele típico adepto para quem toda a gente facilmente passa de bestial a besta. Todos ganham e TODOS perdem, incluindo Bayerns, Barcelonas, Real Madrids, etc. ninguém foge à regra. Nem sempre se está lá em cima e nem sempre se sai vitorioso e tanto na vitória não é correcta a postura do "a nossa equipa é só maquinas e o treinador é o maior" como na derrota não é a postura do "o treinador é um fraco e os jogadores não dão uma pa caixa". O Bayern não levou 4 o ano passado do Real? O Barcelona não levou 7 no conjunto da eliminatória com o Bayern? O Real não apanhou 5 com um dos supostos melhores treinadores do mundo (Mourinho) do melhor Barcelona da história e no ano a seguir ganhou o campeonato a esse mesmo Barcelona?

      Claro que há quem se mantém fiel à sua opinião independentemente da situação, há gente que sempre apoiou e gostou (como eu) do Lopetegui como há gente que sempre o criticou desde o início. Mas depois há aqueles que num jogo ele é o maior e no jogo a seguir já não percebe nada e não é treinador pó Porto, ou é o Brahimi num jogo que é um fora de série e no jogo a seguir já é só fogo de vista. Falo disto relativamente aos adeptos do Porto como aos adeptos de qualquer outro clube, sim porque para muita gente o Jorge Jesus num fim de semana é o mestre da tática e no fim de semana a seguir já não sabe o que anda lá a fazer.

      Vejam se percebem de uma vez por todas que todos os jogadores (e treinadores) têm jogos bons e jogos maus, e com a experiência a sua consistência vai evoluindo (ou não, claro que há casos e casos mas não vamos entrar por aí). Nem todas as equipas têm Ronaldos e Messis.

      Concordo contigo num aspecto, o Paulo Fonseca não é o bicho que fizeram dele porque de facto o plantel do Porto o ano passado estava muito desfalcado e penso que o principal problema dele foi que não conseguiu adaptar-se ao salto de uma equipa do nível do Paços que luta por manter-se numa boa posição na tabela para uma equipa como o Porto que luta em todas as frentes. Mas sinceramente, o Lopetegui meteu o Porto a jogar um futebol atrativo, levou-nos longe na Champions (não interessa o grupo nem os sorteios, fez bem o trabalho dele outros que tão sempre a atirar essa posta de pescada para o ar se calhar mesmo no nosso grupo enterravam-se à bruta), já demonstrou que vai ser importante para evoluir jovens e trazer jogadores das camadas para a equipa A (que é algo que os adeptos já se queixam há algum tempo), sabe gerir egos e puxar por jogadores que muitos já consideravam perdidos (Quaresma), e sabe meter a equipa a jogar à bola e em equipa.

      Se já cometemos erros graves? Pá cometemos, olha toca a todos, apesar de tudo é importante não esquecer que o treinador fez isto tudo num clube novo, num campeonato novo, num país novo, com muitos jogadores novos na equipa (e jovens). Nem todos podem ser um Mourinho ou um Villas-Boas.

      Por fim, quero realçar que a nossa equipa está longe de ser perfeita, até porque nenhuma o é mas também é verdade que já tivemos algum azar ao longo desta época e em relação ao campeonato nem vás por aí porque, casualmente ou não, sabemos bem como é que o Benfica neste momento ainda não perdeu mais pontos e como é que nós perdemos alguns deles.

      Desculpa se fui incorrecto ou agressivo contigo na forma como abordei o teu comentário mas no fundo este comentário serve para toda a gente e não apenas para ti porque já não és o primeiro que vejo a fazer uma análise dessas e sinceramente acho que as pessoas têm de perder um bocado essa mania de treinador de bancada como se pelo que se vê em campo se soubesse o que se passa lá dentro. Os treinadores e os jogadores são humanos e erram como toda a gente.

      Saudações portistas

      Eliminar
    3. Anónimo das 18:37:

      Vou começar pelo fim: Não acho que tenhas sido agressivo ou incorreto comigo. Tens a tua opinião e és livre de a dar, desde que respeites os outros e aceites a opinião do outro.

      A minha opinião do Lopetegui é que é um bom treinador, mas não é o Deus ou Salvador, pegando nas palavras do Pedro, que querem fazer. Porquê? Porque falhou SEMPRE nos momentos decisivos.
      Falhou para a Taça de Portugal, falhou contra o Benfica, falhou na Madeira (3x), falhou em Munique (não aceito que o Porto sofre 5 golos em 25 minutos), etc. Além disso, no sábado correu um risco tremendo: suponhamos que corria mal (e houve momentos para isso), de quem seria a culpa de praticamente matar o campeonato ali? Um treinador que fez os pedidos que ele fez e treina uma equipa com o orçamento do FC Porto, tem de apresentar resultados. No caso do Real de Mourinho, na primeira época, ganhou a Copa do Rei e levou a equipa às meias da Champions (já por lá não andavam há uns quantos anos).

      O FC Porto arrisca-se a terminar a época sem nenhuma final e sem nenhum título. Jogar bem é relativo; Temos jogos muito bons, como temos jogos terríveis (Madeira, à cabeça). Esse tem sido o problema deste Porto, a meu ver: a falta de consistência e a incapacidade para reagir a adversidade (nunca virou um jogo, por exemplo). Eu acredito que um campeão, ao fim de 34 jogos, é justo. Pode não jogar melhor, mas é mais regular. Falar de colinho e tudo isso perde sentido se o FC Porto ficar a 6 domingo (ou seja, se não ganharmos nenhum clássico).

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Comparar plantéis é o mesmo que comparar o jogador X com o Y para dizer quem é o melhor jogador, portanto, a única coisa a dizer sobre esse aspecto é que não é comparável. Depois, faltou aí a questão do próprio Paulo Fonseca ter reconhecido que não estava bem preparado para lidar com a realidade FC Porto, nem soube lidar com a pressão do balneário. O clube quis promover demasiado depressa um treinador sem preparação e o treinador iludiu-se com a promoção repentina. Adiante ! Para esta época entrou muito jogador novo e não é nada fácil "colar" tanta gente nova, dar coesão à equipa, mais difícil ainda quando o próprio treinador precisa de tempo para identificar e identificar-se com a cultura do clube. Certo, o adepto quer resultados e quer que sejam imediatos, mas não é assim que funciona. E depois convém reconhecer que nem o FC Porto é tão bom como mostrou no 3-1 ao Bayern, nem é tão mau como mostrou no 1-6: um jogo, ou um par de jogos, não é o reflexo de uma época. E no próximo Domingo, se não ganhar, também não acaba o mundo: as derrotas mostram-nos o que pode e deve ser melhorado; as vitórias escondem o perigo de que tudo está bem.

      Eliminar
    5. Pessoalmente acho tanto o Lopetegui como o Paulo Fonseca bons treinadores para a nossa realizado. Acho claramente que o Paulo teve azar na época que chegou pois com o competente Vitor Pereira começou-se a pensar que se podia fazer omeletes sem ovos e o resultado foi o que foi.

      A critica que faço ao nosso actual treinador é falhar nos momentos em que não pode, por muito que se fale aquele jogo na madeira não era para perder pontos.

      Eliminar
    6. Meus caros,

      Queria adicionar o meu comentário a este "thread", para dizer que concordo totalmente com o Anónimo das 18.37h. Não quero com isto dizer que não perceba as tuas críticas, Anónimo das 20.31h (pessoal, que tal usarmos nomes, nem que seja pseudónimos, que assim se torna complicado!), mas acho que muitas vezes há quem se esqueça do facto de que temos uma equipa jovem, renovada e com um treinador também ele novo (e com pouca experiência a nível de clubes).

      Podemos, é claro, considerar a aposta em Lopetegui arriscada (pela falta de experiência em clubes), mas nesse caso considero a aposta ganha. Gosto do treinador pelo discurso que tem, pelo trabalho feito (o FC Porto joga bom futebol, geralmente) e pela atenção que mostra ter a longo prazo, no que ao desenvolvimento de jogadores diz respeito.

      Discordo de quem acha que ele tem falhado em todos os jogos decisivos. Ganhámos os jogos quase todos do ciclo infernal que tivemos no início do ano (incluindo a vitória sobre os lagartos), e o jogo na Alemanha só foi decisivo devido ao grande jogo que fizemos na semana passada. Se tivessemos levado uma tareia, estaria o Lopetegui a ser acusado de ter falhado nesse jogo decisivo! Mas não, jogámos muito bem contra uma das melhores equipas do mundo, e parte do mérito tem de ser dado à estratégia do Lopetegui e à preparação que ele fez, certo?

      É óbvio que o jogo em Munique correu mal. Faltavam-nos 2 jogadores importantíssimos não só na manobra defensiva como ofensiva (sim, ao Bayern também faltavam jogadores, mas temos de entender a importância relativa das ausências), e houve erros cometidos por todos (treinador e jogadores). Mas não é razão para pôr tudo em causa!

      O Lopetegui tem um projecto a médio prazo, e mais importante que isso, é um projecto que faz sentido (pelo menos o que conhecemos dele). Não podemos estar a reconstruir tudo cada ano. O Lopetegui merece absolutamente continuar, e não tenho dúvidas de que continuará.

      Não me vou alongar mais, espero ter adicionado algo de útil à discussão.

      Abraço a todos,

      Ralph

      Eliminar
    7. O FCPorto tem jogado bem. Claro que um plantel novo implica algum tempo tempo de adaptação e isso só se consegue com trabalho, muito trabalho. Vi que ao longo da época a equipa foi crescendo e evoluindo, o que revela que o trabalho da equipa técnica está a produzir efeitos.
      Se na taça de Portugal e na taça da Liga a eliminação é culpa nossa (FCPorto), no campeonato podíamos estar com 10 ou mais pontos de avanço e só não estamos por causa das arbitragens. O jornal AS (de espanha) já comentou os escandalos desta época em Portugal...

      Eliminar
  12. Sinceramente , preferia ter perdido o primeiro jogo por 1 a zero e o segundo por 2 a zero , ao que vi em Munique . Pareciam um grupo de amadores a jogarem , na primeira parte. Essa história do Bayern joga muito e por isso se desculpa , não pega comigo. Vi erros a mais , treinador incluído , para profissionais . Só para dar um exemplo ,o primeiro golo sofrido , é ridículo. Acho que uma equipa dos regionais tinha feito o mesmo que eles , nessa jogada......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A escrever isso, até parece benfiquista ou sportinguista. Preferia ter perdido? preferia que o FC Porto não tivesse lutado como lutou. Não podemos ganhar sempre. O Bayern foi muito superior e nós acabamos por não conseguir jogar bem. Quando à experiência de Liga dos Campeões, a diferença entre os jogadores do FC Porto e os do Bayern era enorme. Enfim...

      Eliminar
  13. Concordo com o tema geral da crónica, como aliás de todas que O Tribunal do Dragão nos tem apresentado, contudo sobre este jogo faltou falar da mudança completa de estratégia e de abordagem ao jogo. O FC Porto encostou-se à sua área desde o primeiro minuto e não pressionou minimamente a saída de bola do Bayern, algo em que nos temos notabilizado. Àparte de jogar Reyes ou Ricardo (o mais indicado na minha opinião, apesar das evidentes limitações), o aspecto que mais me desagradou foi ver que Lopetegui optou por dizer aos jogadores "Vamos jogar de forma completamente diferente daquilo que temos feito até agora, não vamos pressionar a saída de bola, vamos encostar-nos à nossa área e esperar pelas investidas do Bayern.. e sim, isso também é para ti, Jackson". Mais que perder por 6-1, o que custou mais foi ver o treinador alterar tudo aquilo que tem dito ser a identidade da equipa. Podíamos ter perdido na mesma 6-1 mas a jogar à Porto e cair de pé, dando os parabéns ao Bayern pela sua superioridade, demonstra que Lopetegui (tal como todo o plantel) necessita de mais experiência e de crescer.

    ResponderEliminar
  14. Calma portistas... Vamos ter calma e falar menos. Dizer que o treinador não arriscou? Arriscou até demais! Um trinco só para todos eles?? Casimiro E Rui Neves já era pouco... Oliver e Brahimi para defender? Só por brincadeira. REYES?? Alguém recorda uma boa exibição de Reyes?? Ricardo desanimado? Não vi. Vi um Ricardo à Porto. Jackson? Fantástico! Maicon ? Coitado... Fabiano? Simplesmente não dá para mais... Mas realmente aconteceu um resultado muito mau...mas 6-1 ou 2-0 o resultado é o mesmo ...saímos de cabeça erguida. Super dragões ? Bem no aeroporto mas no estádio são uma desgraça (no dragão fazem melhor os de guimarães...) Enfim Foi bonito mas acabou por este ano. Tenho pena de não ter visto o jogo dos benfas (mas não tenho a memória TV)

    ResponderEliminar
  15. Não houve erros de Lopetegui.

    A aposta em Reyes é válida como também seria se Ricardo fosse o escolhido.

    O que falhou foi a incapacidade da equipa jogar em bloco, deixando muito espaço entre linhas onde Xabi Alonso, Thiago Alcântara, Lahm, Gotze e Muller aproveitaram (no Dragão o bloco funcionou mesmo quando o Bayern pressionou e conseguiu o golo) para dominar.

    Outro aspecto é a incapacidade´goleadora do Porto quando empurrou o Bayern para as linhas mais recuadas, só conseguiu marcar um golo (o 3º por Jackson, já que os dois primeiros golos resultam de erros na saída de bola), quando o Bayern empurrou o Porto marcou 5 golos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. exactamente, sobretudo o jogo de ontem resulta da forma como Guardiola pensa em transformar tudo o que fizemos bem no 1º jogo num problema para nós no 2º. se não fosse contra nós achava deliciosa a forma como o Xabi, engolido pelo Jackson na 1ª mão, muda o seu jogo na 2ª e serve para arrastá-lo para zonas inúteis e abrir linhas de passe directas dos centrais para o meio-campo atacante do Bayern.

      e claro, a forma como exploraram os problemas nos flancos... aliás está tudo muito bem explicado aqui (infelizmente em alemão)
      http://spielverlagerung.de/2015/04/22/bayern-findet-den-faden/

      conclusão? não fomos iguais a nós próprios na 2ª mão porque... não mudámos o suficiente. era preciso ser mais activo e colocar novos problemas ao Bayern do que aqueles que não tinham sido capaz de resolver há uma semana.

      Eliminar
    2. A incapacidade teria que ser óbvia, qualquer equipa que está a perder 5-0 não tem capacidade de fazer grande coisa. Fizeram-se correcções, a equipa conseguiu ter mais bola, mas basicamente foi mais por o Bayern baixar as linhas e o ritmo de jogo do que por mérito do FC Porto.

      Eliminar
  16. Boa tarde caros Portistas;

    Antes de mais acho que o FCP fez uma Champions de grande nivel, porém, este jogo foi péssimo, mas contra a melhor equipa do mundo, mesmo com as suas baixas.

    O Lopetegui e a equipa na semana passada eram fantasticos e hoje continuam a ser. As coisas não mudam apenas com um resultado e é importante aferir o que se vai passar em Lisboa no próximo domingo.

    Dito isto, faço uma análise fria de de dor ao que se passou em Munique:

    1º O FCP entrou muito defensivo e como tal era impossivel outro desfecho! Com uma vantagem de 2 golos nunca poderiamos ter iniciado o jogo assim.

    2º O Lopetegui falhou em vários pontos fundamentais. Não deveriamos ter jogado com 4 centrais. Seria preferivel até jogar com um esquema de 3 2 4 1 do que aquilo que fizemos. Ao não por nenhum lateral de raiz cortou de todo o jogo ofensivo, uma vez que Quaresma e Brahimi só recebiam bolas no nosso meio campo defensivo. Não concordo com o TD quando diz que eles defenderam mal. Acho até que o Quaresma defendeu bastante e esteve muito esforçado no capitulo defensivo. Acho também, embora seja sempre o 1º a defender o nº7, que não deveria ter jogado de inicio. Não era jogo para ele, talvez só para entrar no fim.
    Repare-se, o Bayern jogou sem extremos, ou com extremos falsos, de modo que deveriamos ter preenchido o meio campo com 4 ou 5 jogadores em vez de jogarmos no nosso 4 3 3 que tanto precisa de laterais de qualidade. O Bayern jogou com 5 jogadores na zona média\centro e o FCP com 3, isso aliado á nossa débil defesa foi a morte do artista. Faria sentido ter deixado o Quaresma de fora e ter apostado em Evandro no miolo.
    Para mim existiram muitas falhas taticas, mas enganamos quem? O Bayern é melhor e mereceu. Acredito que poderiamos ter passado, mas depois do jogo todos dizemos o que queremos. Somos todos os melhores treinadores.

    3º O Fabiano não tem qualidade para o FCP. O Maicon parece que tem 2 tijolos nos pés. Parece um central de distrital. É vender na 1a oportunidade. Marcano é muito melhor do que mostrou, mas também não acho que tenha qualidade para titular no FCP.

    4º Não achei grande culpa do Reyes. Fez o que pode e não teve culpa descarada e direta em nenhum dos golos. Ricardo entrou bem, talvez tivesse sido boa solução de inicio.

    5º Herrera muito fraco. Indi acho que foi o melhor dos defesas, mas não tinha capacidade para sair a jogar pelo flanco. Limitações óbvias.

    Siga pra frente, domingo temos jogo e é pra ganhar. Para o ano há mais Champions

    Joel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Bayern não jogou sem extremos, nem com extremos falsos, jogou em 442, com um lateral e um extremo bastante ofensivos, precisamente porque era nas alas onde o FC Porto tinha menos jogadores (os laterais fechavam ao meio e só ficava Quaresma e Brahimi contra os respectivos lateral e extremo do Bayern). O 1º golo é o melhor exemplo disto: Reyes fecha por dentro, Quaresma sai à marcação à zona ao Goetze e depois já não tem pernas para acompanhar Bernat.

      Eliminar
  17. Na minha opinião o Lopetegui esteve mal. Uma coisa é o Ricardo Costa como lateral contra o Celtic (com muita rotina do lugar e de primeira equipa), outra coisa é uma linha defensiva de quatro defesas centrais contra o Bayern, sendo que o Reyes só tem jogado praticamente na equipa B e na taça da liga. Com quatro centrais o Porto absorveu a pressão toda e não conseguiu desembaraçar-se dela, ou seja, não teve laterais que conseguissem jogar com os colegas, subir no terreno e obrigar a equipa adversária a recuar. Claro que o problema não é só do treinador, porque para a direita ele tinha o Ricardo ou outra invenção qualquer que eu acredito que poderia ser o Herrera, mas na esquerda nem o Angel tinha inscrito. E não tinha por culpa dele mas também porque os substitutos do Danilo e do Alexsandro são jogadores em quem ele não confia totalmente (o Bayern só tem titulares praticamente). Se calhar depois do jogo de ontem vai passar a contar mais com o Ricardo e com o Ruben Neves, mas são precisas hecatombes para estes jogadores terem oportunidades já que não são sequer votos de confiança, são soluções de recurso quando tudo está perdido para dar descanso à equipa principal. Voto de confiança teve o Reyes e foi mais um jogador queimado por um treinador, como o Jesualdo queimou o NAC contra o Arsenal ou o António Oliveira tinha queimado o João Costa contra o Man United. Tudo bem que o Bayern joga muito, a forma como passam, cruzam e rematam de primeira com uma velocidade incrível não é só talento, é muita confiança fruto de muito treino e o Porto deve fazer o mesmo, jogar decidindo rápido e executando bem, e para isso é preciso treinar, treinar e treinar para se adquirir confiança na decisão e execução, mas tudo o que aconteceu ontem não se explica só com o poderio do Bayern. O Porto entregou os pontos, isso foi evidente. O Porto não entrou em campo para jogar futebol, entrou para não deixar o Bayern jogar. Mas o Porto não é bom nisso, isso não é o Porto. E contra equipas amedrontadas o Bayern não perdoa.

    ResponderEliminar
  18. Portistas, só queria fazer aqui um apelo. Vejo aqui muita discussão sobre o Lopetegui, o Paulo Fonseca, uns a pedirem a cabeça do treinador e outros a defenderem-no e eu queria dizer o seguinte. Na generalidade os Portistas têm tratado muito mal os treinadores que passam no Porto. O Vítor Pereira deu-nos duas grandes alegrias e foi sempre mal tratado porque "não fez nada" na Europa. Tinha sido campeão, é um grande Portista e muita gente pedia um novo treinador ao fim de dois anos. Agora o Lopetegui pode não ganhar nada mas fez um grande percurso na Europa, bom para os cofres do clube, e agora alguns dizem que o Paulo Fonseca era melhor quando o homem o ano passado já não aguentava a pressão dos adeptos e pediu para ir embora umas três vezes. Acho que muitos Portistas têm de se refrear neste aspecto porque senão nunca nenhum treinador nos vai satisfazer nem nenhum treinador vai ficar satisfeito no Porto. Não podemos ter Villas-Boas todos os anos e eu como Portista nem quero. O Villas Boas estava na cadeira de sonho e pôs-se a andar no final do 1º ano. O Vítor Pereira e outros treinadores sem sucessos tão meteóricos deram-nos estabilidade e títulos. Quem nos diz que o Vitor Pereira não faria um brilharete no seu 3º ou 4º ano? Nunca iremos saber porque não temos paciência para esperar. Nem com títulos já nos contentamos. Queremos mais e mais. O Lopetegui este ano deu dinheiro ao clube e prestigio Europeu só abalado com o jogo de ontem. Mesmo que não ganhe nada este ano, construiu uma equipa. Fez asneiras mas de certo vai aprender com elas. É por terminar a época sem títulos que vamos decapitar mais um treinador e um projecto? Quem sabe o que o próximo ano nos reserva?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O André saiu, segundo me chegou aos ouvidos, porque outros int€r€ss€s se levantaram e a SAD portista até queria que saísse, nunca houve uma zanga entre eles. Prova disso é que, meses depois, AVB e Pinto da Costa (o mesmo que deixou de falar para o filho durante anos) estavam a dar-se bem, na gala dos Dragões D'Ouro. O TdD pode confirmar alguma coisa?
      O Lopetegui construiu uma equipa que se vai desfazer para o ano (Óliver, Danilo, Jackson, Helton saem - e vamos ver se fica por aqui). Se o dinheiro é tudo que interessa, como portista, então apostamos só na Champions (ser campeão aqui pouco vale) e chegamos sempre aos quartos. Dinheiro e prestígio adquiridos (a não ser que não apanhemos Basileias e apareçam logo tubarões). Ter mandado o VP embora foi um enormíssimo erro, como hoje é reconhecido.

      Eliminar
    2. Sim. Se a aposta do treinador for por jogadores sem rotina de primeira equipa e que nem na B convence (=Diego Reyes) não nos vai esperar grande coisa.
      O que está em causa aqui é o treinador fazer uma aposta num jogador que (evidentemente, bastava ter visto o jogo contra a Académica) não tinha condições nenhumas para jogar na Champions.

      Eliminar
    3. Anónimo 1, segundo palavras do Pinto da Costa, o Villas-Boas teve uma proposta do Chelsea e teve receio que a 2ª época não lhe corresse tão bem na Champions e depois já ninguém o quisesse e por isso saiu. O PdC disse inclusive que lhe propôs pagar o mesmo que o Chelsea e mesmo assim o AVB não quis ficar. O Villas-Boas nunca desmentiu isto. Não condeno o AVB pela decisão que tomou porque é uma questão de ambição profissional, de querer ir atrás do sucesso uma vez que já nem se tratava de dinheiro só, e desde que saiu do Porto foi só mesmo isso que ele ganhou, dinheiro. Condeno o AVB por andar um ano a falar da cadeira de sonho a enganar os adeptos, quando na verdade o seu sonho era sempre conseguir mais e mais, mas fora do Porto, só para si. Mesmo o Mourinho que não é Portista ficou dois anos e meio no Porto e deu mais títulos ao clube do que o AVB. E acima de tudo não teve medo de ficar e não ganhar nada porque confiava no clube, na estrutura, em si próprio e nos jogadores. O AVB tinha medo de não ganhar nada no 2º ano porque não confiava em si próprio, nas suas capacidades, e depois viu-se porque é que não confiava, porque de facto desde que saiu do Porto não ganhou nada, só agora vai ser campeão pelo Zenit. Se calhar o AVB estava certo, aquela era a sua cadeira de sonho, a cadeira que o podia transformar num segundo Pedroto, e por isso mesmo nunca a devia ter largado, pelo menos tão cedo.

      Eliminar
  19. Boa leitura, mais uma vez, parabéns.
    Não são muitas as vezes que tenho oportunidade de cá vir colocar a minha opinião, apesar de sempre ler o blog, uma vez mais nas horas difíceis à que dar o corpo ao manifesto, e perante as críticas habituais (estou para ver quem encaixara se tivermos uma derrota no domingo), aproveito para dar os parabéns à equipa e em participar ao treinador pela illusion que nos proporcionaram.
    Agora, como diz o nosso Quaresma, à que levantar a cabeça e mostrar que somos uma grande equipa, os vermelhos têm que pagar a fatura.
    força Porto

    ResponderEliminar
  20. Contra Barcelona, Munique e outras equipas deste nivel e de evitar jogar em 4.3.3........sobretudo fora de casa.

    E claro nao inventar defesas direito e optar por guarda redes experiente e de classe.

    O Mourinho quando venceu a LC com o FCP ate jogou em 4.5.1......

    ResponderEliminar
  21. Lopetegui deve continuar.

    Estabilidade precisa se.

    ResponderEliminar
  22. É das poucas vezes que não estou totalmente de acordo com o texto. O Porto perdeu porque fez o que sempre faz quando joga a 2ª mão fora - teve medo. A entrada do Reyes para o lugar do Danilo foi um claro sinal à equipa que o objectivo era não perder por muitos...mas defender nesses casos nunca foi salvação para ninguém.
    Aconteceu com Jesualdo Ferreira no jogo com o Arsenal (em circunstâncias idênticas), aconteceu com Vitor Pereira no jogo com o City (se bem que este em piores condições para discutir a eliminatória à partida) e aconteceu agora com Lopetegui. Depois de grandes exibições em casa o Porto foi jogar fora com a mentalidade errada e o resultado foi sempre o mesmo - as maiores goleadas europeias do nosso clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Durante cerca dos 10 minutos iniciais do jogo, o FCPorto tenta fazer uma pressão alta (e sublinhe-se o tentar), a partir daqui a equipa recua / é empurrada, intranquiliza-se talvez com a bola ao poste e, estrategicamente, Lopetegui não tem capacidade de resposta para a largura de jogo do Bayern. Mandar a equipa para frente, pressionar mais alto, nunca seria suficiente.

      Eliminar
  23. o FCP precisa de estabilidade a partir de agora
    Tivemos sorte no caminho ate aos quartos, quase ate as meias, mas no geral foi bem positivo

    a reflexao que se pede e' a nivel interno, onde em condicoes normais ja tinhamos o campeonato no bolso
    demasiados fundos e negociatas ao barulho teem dado cabo do "ser Porto", qualquer badameco da america do sul com 17/18 anos, chega aqui para "dar o salto"... se querem dar saltos vao pra ginastica, o FCP quer gajos que honrem e sintam a camisola. Bem sei que o dinheiro que chega dos milionarios europeus deixam qualquer um maluco, mas nao ha lugar pra todos, por isso que se fique com os que queiram ficar!

    despachamos o otamendi e rolando por esquemas da SAD, 2 centrais que eram de caras! titulares neste equipa, compramos 10 ou 12 ! GR e apenas um (Gudino) podera ser qualquer coisa! (ja agora, que se aposte de vez neste, e nao me venham com o "e' novo ainda")

    quanto a domingo, e' ganhar...aqueles meninos estao b-o-r-r-a-d-o-s de medo porque sabem que podem pagar a grande a factura

    agora se voltam a entrar em campo a medo...pro ano ha mais

    ResponderEliminar
  24. Boa Tarde Portistas,
    Lopetegui era genial depois do jogo no Dragão. O plantel fabuloso. Depois do escandaloso seis a um de Munique as opiniões passam para o sentido oposto. Lopetegui afinal não serve, Pinto da Costa volta a estar desactualizado e só temos três ou quatro jogadores,curiosamente os que vão ser vendidos ou voltar à sua base, como Oliver. "Levamos" seis e o Porto não pode ficar indiferente a uma goleada humilhante mas vai levantar-se seguramente. Recordemos que o grande Porto de Pedroto levou seis do AEK, justamente na altura em que o clube se erguia para se tornar mundial, depois de dezanove anos sem ganhar nada. Estamos a construir uma equipa que nos irá dar grandes alegrias. Há que dar tempo ao tempo e sem perder o sentido crítico evitar colocar tudo e todos em causa, como às vezes acontece. Não esqueçamos que lutamos contra o "colinho" dos rivais e que perdemos com uma equipa que trucida qualquer uma. Podemos e devemos exigir tudo ao nosso Porto mas não milagres. O campeonato ainda não está perdido mas, se não viermos a ganhar nada este ano, paciência pois há muita coisa boa feita. Cumprimentos

    ResponderEliminar
  25. O "colinho" acabou com o nosso empate no Nacional. A partir daí quem falar de colinho está a imitar aquilo que tanto criticámos aos adversários que é queixar-se de tudo e todos sem olhar para os próprios erros.

    Estivemos fora da luta e tivemos a oportunidade para reentrar e, como sempre com Lopetegui, falhamos na altura decisiva. O jogo de domingo é apenas para cumprir calendário...

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.