quinta-feira, 16 de abril de 2015

O Inferno de Dante

Sempre preparados
Copo meio cheio ou meio vazio? Não foi Xabi Alonso que perdeu aquela bola. Foi Jackson que a recuperou. Também não foi Dante a perder a bola. Foi Quaresma a recuperá-la. Como é que uma equipa fortíssima, com a maior percentagem de passes certos na Champions, com 9 jogadores titulares que já ganharam Liga dos Campeões/Mundial (os únicos 2 que não o fizeram são Bernat, o jogador mais utilizado por Guardiola, e Lewandowski, um dos melhores pontas-de-lança do mundo e o segundo melhor em campo no Dragão) consegue sofrer dois golos daquela forma em 10 minutos? Simples: mérito do FC Porto.

Nunca o Bayern ou Guardiola levaram com uma pressão tão grande como a de hoje do FC Porto. O Bayern está habituado a jogar contra equipas recuadas, que dão espaço na primeira fase de construção, que só pensam em sair para o contra-ataque quando o Bayern perder a bola ou falhar um passe. O FC Porto não esperou por isso. Forçou o Bayern a perder a bola, forçou o Bayern a falhar passes, e reduziu alguns dos melhores avançados do mundo a muito pouco ofensivamente (tiveram mais bola e mais ataques, mas não foram mais perigosos).

Agora querem fazer de Dante e Boateng, titularíssimos na segunda defesa menos batida das Ligas europeias (a melhor é o FC Porto!), pernetas que caíram por cá de pára-quedas? Erraram porque o FC Porto os forçou a isso. Por isso é que erraram hoje e não noutros jogos da Liga dos Campeões ou da Bundesliga. Lopetegui e os seus foram premiados pela audácia, desinibição, coragem e determinação em representar o FC Porto ao mais alto nível. Uma verdadeira exibição à Porto, onde ninguém se encolheu, todos sabiam o que fazer e quiseram sempre mais do que o Bayern.

O Bayern fez quase 600 passes, o FC Porto nem metade disso. Mas a equipa soube agarrar-se à qualidade e utilidade em detrimento da quantidade. Porque se há uma bola e o Bayern em campo, normalmente essa bola é para o Bayern. Soubemos mantê-la longe das zonas de perigo e fomos lá buscá-la nas 3 vezes em que precisámos para marcar. Lopetegui e os jogadores estiveram sempre preparados, fazendo jus ao mote da temporada.

E agora, como escreveu Dante Alighieri, depois do inferno vem o purgatório (que será Munique), e só depois podemos pensar em chegar ao paraíso. Uma equipa que tenha dois golos de vantagem em Munique só tem uma coisa garantida: vai levar massacre, vai ter que sofrer, vai ter que estar preparada para ir buscar a bola ao fundo das redes e metê-la no meio-campo, vai ter que levar bolada, vai ter que se superar em todos os capítulos. Vamos pensar nisso depois de ganhar à Académica, ok?





Preparação e resposta (+) - A vitória não começa em erros do Bayern, começa no plano de jogo do FC Porto: forçá-los a errar. Assim foi. Guardiola ensinou um médio (Fàbregas) a jogar a avançado, mas Lopetegui tem em Jackson um avançado que sabe jogar como médio. Isto levou a que a equipa tivesse sempre o meio-campo equilibrado e depois contasse com o talento que recheia os flancos para sair para o ataque, além da insanidade que foi a pressão no corredor central. Alguém se lembra de um lance de Müller, Götze ou Lewandowski que tenha ficado na retina? O FC Porto esteve preparadíssimo a todos os níveis para vencer. Essa era a vitória que se exigia. A outra, o 3-1, foi um regalo.

Quaresma, sete anos depois (+) - Quando Quaresma se isola, traz à memória o FC Porto-Schalke 04, mas agora não havia Farias ali ao lado para reclamar a bola. «Dass, não faças como em 2008, faz como em Londres, ao Cech, trivela nisso!» E assim o fez. Esqueçam os dois golos: o momento, já perto do fim, em que vai até ao limite fazer um corte acrobático, que o rebenta todo, e que o leva a pedir substituição a Lopetegui (alguma vez o tinham visto pedir substituição antes?) é o que define a sua exibição: estava disposto a tudo para que o FC Porto ganhasse e dedicou-se até ao limite. Aquela braçadeira que perdeu, por culpa própria, no início da época pode regressar ao braço, por mérito próprio, na próxima pré-época.

Os tais dedos (+) - Guardiola queixou-se que faltavam mãos ao Bayern e dedos ao FC Porto. Um segredo que ninguém se preocupou em descobrir quando diziam que o pobre Bayern ia jogar com remendos: Guardiola contou com os seus 10 jogadores mais utilizados em campo. O FC Porto, apenas com 9 dos 10 mais. Pobre Bayern, tão desfalcado. Adiante. A defesa fechou mal e falhou o corte no golo do Bayern, mas globalmente fez um jogo bastante positivo. Bom entendimento entre Maicon e Martins Indi (quantas bolas ganhou Lewandowski de cabeça?), Danilo e Alex competentes a defender e perigosos a atacar (Danilo hoje mais conservador). Alex Sandro anda a pedir a renovação...

Casemiro, não há maior elogio que este: fez lembrar Fernando contra o Zenit em 2013. Que animal! Óliver esteve sublime a organizar e distribuir jogo, sempre rápido a reagir à perda. Herrera foi essencial para manter sempre os equilíbrios e dar velocidade pela zona central. Brahimi teve que se adaptar a jogar em zonas mais recuadas, mas guardou bem a bola, desequilibrou quando pôde e arrastou sempre 2 jogadores com ele. Boa entrada de Rúben Neves.

O trunfo (+) - Fez lembrar o regresso de Derlei à Corunha, em 2004. Regresso em pleno de Jackson, um segredo bem guardado no Olival. Que enormíssima exibição, do mais completo ponta-de-lança que o FC Porto alguma vez teve. Jackson faz tudo. Não há função que não consiga desempenhar. E fá-lo com o bónus de que (quase) tudo o que faz, faz bem,  com uma exibição que deve ter feito Lewandowksi corar de vergonha. Aboubakar no banco e Gonçalo na bancada não tinham outro remédio que não fosse aplaudir. Top. Admire e aprendam.





Então... (-) - Meus senhores. Ganharam por 3-1 a uma equipa que: tem um orçamento que ronda os 400 milhões de euros; é treinada por um treinador top, que ganhou 2 Champions, 3 Mundiais de Clubes e marcou uma geração no futebol internacional; tem 6 campeões do mundo no 11 e uma carrada de campeões europeus; tem o estatuto e o peso que leva a que não se expulse um guarda-redes que faz falta sobre um jogador isolado aos 2 minutos; é uma equipa alemã, e a final da Champions vai jogar-se em Berlim; foi a 3 das últimas 5 finais da Champions; está a passear na Bundesliga e só tem que pensar na Champions; em 22 jogos nunca tinha perdido com clubes portugueses em eliminatórias; e que foi largos períodos dominada e massacrada pelo FC Porto, que não vai às meias-finais há 11 anos, joga com plantel e treinador novos esta época, está sob enorme pressão no campeonato e ainda luta contra os ostracismo que não conhece fronteiras.

A eliminatória ainda é uma incógnita. Mas o jogo, por si só, hoje merece ser recordado como um dos grandes triunfos da história do FC Porto. Como em Viena, 90 minutos que honram os pergaminhos do clube e que merecem espaço entre eles. Em 180 minutos é mais difícil? Talvez. Mas de Viena ao Dragão foram 180 minutos em que todos se renderam ao que se passou: o FC Porto foi melhor do que o Bayern e desfez a lógica do futebol. Um divino orgulho onde muitos esperariam uma Divina Comédia.


49 comentários:

  1. Enorme jogo e enorme vitória! Espero que consigamos manter para a 2ª mão!

    TdD, o Tello está mesmo lesionado? É que hoje eu voltei a ouvir o rumor que ele foi dispensado por não ter estar em condições a nível psicológico dado o estado de saúde do pai!

    ResponderEliminar
  2. Brilhante! Parabéns pelo texto! Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Tiro-lhe o chapéu a mais um excelente texto, ao nível da nossa exibição.
    A segunda mão é neste momento menos importante do que o jogo com a Académica, resta ao Porto manter a concentração no auge para essa partida e depois sim, pensar no confronto com os alemães outra vez.
    Como ponto negativo destacaria as ausências dos dois laterais na segunda mão, mas todos suaram a camisola e deixaram tudo em campo.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  4. É esperada a mesma atitude dia 26 no nosso salão de festas perante a Associação recreativa e cultural do Alto dos Moinhos. E claro está saber sofrer em Munique na próxima terça-feira.

    ResponderEliminar
  5. Só tenho a dizer que tive pena não poder ir ao Dragão ver o jogo, talvez a melhor exibição que vi do Porto desde as épocas do Mourinho a vontade que a equipa teve em se superar a ela própria foi fantástica.
    Futebol espectáculo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes sempre fazê-lo no próximo Sábado, um jogo dificílimo devido ao calendário e ao cansaço, onde o Porto irá precisar dos seus adeptos ao melhor nível.

      Eliminar
    2. Por acaso até vou ver o jogo, vou a poucos no dragão pois as despesas são muitas para quem vem de Lisboa mas desta vez calhou bem!

      Espero uma vitória claro

      Eliminar
    3. É assim mesmo :)

      Julgo que existe uma modalidade de sócio correspondente, bem mais em conta para quem está longe!

      Eliminar
    4. Sim sou socio nessa modalidade, mesmo assim a viagem até ai é fica um bocado cara...mas como se costuma dizer quem corre por gosto não cansa, de vez em quando faço o esforço :)

      Eliminar
  6. A eliminatória não ficou nem mais fácil, nem mais díficil. Está a meio neste momento. Jogo memorável, mas temos de o repetir em Munique para chegarmos às meias. Entretanto durante 6 dias somos a equipa que vergou a melhor equipa do mundo da actualidade.

    ResponderEliminar
  7. Uma enorme exibição de todos e a todos os níveis! Lopetegui a mostrar que não é nenhum leigo e que estudou muito bem o jogo. Impressionante a motivação individual e coletiva da equipa.
    De todos os destaques individuais que o tribunal fez, realço ainda mais um pouco a excelente exibição de Casemiro! Cresce a cada jogo que passa, incrível. Varreu tudo que pode, e nem sequer ficou nervoso ou inseguro aquando da sanção do cartão que sofreu!
    Agora falta a outra metade do jogo, desta vez com duas baixas importantes, mas como demonstramos hoje, tudo é possível!

    ResponderEliminar
  8. Hernani no micro ondas... é o jogador mais rápido do futebol português. No jogo da 2ª mão, ele e jackson terão as chaves da eliminatória. Não vai sobrar mais ninguém para atacar.

    Quaresma e Brahimi ficam fora do 11.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Porto deverá entrar com respeito, tal como o fez ontem, mas nunca descaracterizado e com postura defensiva, isso seria a sentença de morte.

      Eliminar
  9. Fantástico como é apanágio deste blog!
    Um orgulho este Porto!
    E esta vitória á dos Portistas e não dos Portugueses!
    VAI PORTO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epa, não é que não me custe, mas é isso mesmo! Subscrevo. Aliás, com a permissão do TdD, escrevo: http://atascadosilva.blogspot.pt/2015/04/a-razao-da-fe-com-um-ponto-previo.html
      Somos Porto!

      Eliminar
  10. Estive lá e foi brilhante sentir aquele poder vindo do relvado.
    E se os alemães que estiveram lá deram uma força incrível, imagino em Munique!
    Muita força psicológica vai ser necessária. Acredito até ao fim.

    Fantástica exibição de Jackson, Casemiro e Oliver. E se não sou um fervoroso adepto do Quaresma, ontem mostrou o quanto posso estar enganado... Aos 80 minutos estava ele a cortar um lance de cabeça, depois de um cruzamento do Rafinha. Brilhante.

    Não sei se o que se passa com Herrera, mas ele parecia muito frustrado por vezes... :|

    ResponderEliminar
  11. Foi um enormissimo resultado. É daqueles jogos que toda a gente gosta, que toda a gente está ansiosa e em que toda a gente sofre. Sofremos sempre pelo nosso FCP e estamos sempre com ele nas vitórias e nas derrotas, mas são jogos como estes que nos fazem fanáticos.
    Este jogo foi uma poesia jogada, descrita a cada jogada como um verso bem desenhado. Foi perfeito? Não. Podemos fazer melhor. Se a nossa equipa tivesse a experiencia que permitisse "congelar" o jogo não teriamos sofrido o golo e provavelmente teriamos marcado mais 1 ou 2.
    É aproveitar este sabor de vitória que ainda sentimos no palato, pois em Munique vamos sofrer, mas nunca nos podemos acobardar. Somos PORTO e lutamos sempre para ganhar, seja contar os Bayerns destas vidas ou contra os United's, Reais ou Barças de outras!
    Neste momento não me interessa o que dizem. Demérito da equipa que pagou o estádio um estádio de 346 milhoes em 10 anos? Uma equipa que está recheada do bom do melhor em termos de jogadores, que os paga e lhes paga a peso de ouro? Coitadinhos do nós, o povinho na luta contra o burgo! O burgo não precisa de desculpas, precisa é de humildade e do trabalho que o povo tem para lhes poder ganhar! É isto que nos faz PORTO! Ultrapassar todas as adversidades e acreditar sempre que quando a bola começa a rolar somos todos iguais!
    O mais dificil vem ai, corremos o risco de ser esmagados, mas a nossa Champions já está ganha há muito! Não temos nada a perder e eu acredito em nós! PORTO

    Nota: Evolução fantastica do Quaresma, quem o queria mandar embora no inicio da época? Está uma animal defensivo, quem diria? Se tivesse 21\22 anos estaria no topo do mundo, mas hoje aos 31 nada o impede também de estar! Partilho da lembrança do falhanço do Quaresma contra o Shalke, penso que passou pela cabeça de muita gente naquela altura.

    Nota 2: Jackson é um portento. Melhor avançado que já vi no nosso FCP. Super completo. Porém, o melhor PL tem que ser sempre o eterno Jardel. A marcar golos era único e deu por mim a pensar naquele canto do Casemiro.. "Se fosse o Jardel estava lá dentro"

    Joel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esquece lá o Jardel..
      Era unico a marcar, mas muito incompleto e limitava a tactica.
      Para jogos Europeus muito melhor o Jacko
      ..para o Campeonato que jogamos à vontade, sim , Jardel o melhor!

      Eliminar
    2. Exactamente, se o Jardel fosse tão bom não teria ido parar ao Galatasaray e regressado ao futebol Português. Com o Jardel a equipa tinha de ter um estilo de jogo a pensar nele (bolas longas e cruzamentos para a área) e defensivamente e na construção de jogo o Porto jogava sempre com 10. Teve bem em Milão, lembro-me que também teve bem em Munique precisamente contra o Bayern quando viu um golo seu ser mal anulado o que deu a passagem ao Bayern, mas na verdade é um avançado para ter no banco e mandar para campo nos últimos minutos de um jogo para o chuveirinho, nada mais.

      Eliminar
    3. Eh pá oh Paulo Monteiro, desculpe lá mas eram tempos diferentes (o que mudou o futebol desde então!), com modelos radicalmente diferentes.

      O Jackson não tem (nem nunca vai ter) capacidade de finalização, posicionamento e movimentação dentro da área que tinha o Jardel. Na altura era dos melhores avançados do mundo dentro da área, que ninguém duvide disso.

      Jackson e Jardel são como agua para o vinho, não se confundam por ambos funcionarem como ponta-de-lança num 4-3-3.

      Eliminar
    4. O Jardel era um enorme ponta de lança...os golos falam por ele. Todas as grandes equipas sofreram dissabores com ele, quer a nível nacional, quer internacional. O problema do Jardel foi outro, infelizmente (como tantos outros jogadores mais ou menos famosos também já tiveram). Como o Jardel nunca terá a capacidade de jogar como o Jackson, o Jackson nunca chegará aos calcanhares do Jardel em termos de finalização.

      Eliminar
    5. São sem dúvida dois tipos de ponta-de-lança muito diferentes. O Jardel era super letal naquilo que era o seu forte: ponta de lança de área, finalizador, cabeceador. Mas era só isso mesmo. Ás vezes mal conseguia usar a sua estatura para guardar a bola e permitir a desmarcação dos colegas. O Jackson é um ponta de lança completo. Vale mais do que pelos golos que marca, isso é evidente. É capaz de fazer um passe largo, pressionar a defesa, guardar a bola, driblar um adversário, romper em velocidade. Não serve a equipa só pelos golos que marca. Ontem até bolas roubou na defesa. O Jardel foi um grande jogador no Porto, era o abono do Porto pelos golos que marcava, mas se se desse a escolher entre ele e o Jackson a qualquer equipa, não tenho dúvidas de qual seria a resposta da maioria delas. Poucas são as equipas onde o Jackson não tem lugar no 11 neste momento.

      Eliminar
    6. Desculpem lá, mas o Jardel para ficar no banco e entrar para o chuveirinho? O jardel foi o avançado mais eficaz e letal que o Porto já teve, acho que 4 épocas sempre a um nível fabuloso. E sempre a marcar nos jogos grandes.
      Quando a bola saia dos pés do Drulovic já se estava a festejar.

      Eliminar
    7. Sim, foi o avançado mais eficaz, mas uma coisa não invalida a outra. Dito assim até parece ridículo, mas a verdade é esta mesmo: o Jardel hoje em dia no futebol moderno, em qualquer EQUIPA DE TOPO, seria um jogador para entrar nos minutos finais para o chuveirinho com o resultado desfavorável. E mesmo naquela altura já era um pouco assim. Ele marcava tantos golos e nunca conseguiu jogar num grande Europeu, e não foi por causa da droga porque ele ainda foi para a Turquia, depois jogou no Sporting em grande nível, teve muito tempo para se impor e afirmar ao mais alto nível e nem na selecção brasileira o conseguiu. Volto a dizer, um avançado excelente, um goleador exímio, não se confunda as coisas, mas um jogador que limita o estilo de jogo da equipa. Um jogador que serve para os intentos de equipa média alta, não uma equipa de topo. Queremos todos que o Porto seja um grande Europeu não queremos? Pelo menos que ande lá perto, não é? Então precisamos de PL como o Jackson e não como o Jardel. Nada disto invalida que não tenhamos gratidão ao Jardel nem guardemos a sua passagem pelo Porto com um carinho especial.Mas não conheço nenhuma equipa de topo que faça do futebol directo a sua principal (e por vezes única) arma, que prescinda de um avançado centro que tenha outras valências para além de finalizar. O Jardel contra o Bayern não roubava a bola que o Jackson roubou ao Xabi Alonso por exemplo, não teria pressionado a linha defensiva do Bayern como fez o Jackson, não teria recuado e funcionado como médio muitas vezes na construção de jogo, e tudo isso foi fundamental para a vitória do Porto. Agora, contra a Académica? Aí sim, o Jardel dava um jeitaço.

      Eliminar
    8. Respeito a sua opinião Paulo Monteiro, como é evidente, mas discordo da mesma. O Jardel era um ponta de lança que fazia 30/40 por época (4 épocas 130 golos). Muito poucos pontas de lança se podem gabar de uma média assim. A missão principal de um ponta de lança será sempre marcar golos, será sempre o principal critério de avaliação, e nisso o Jardel era fenomenal. Não estou aqui a tentar menosprezar o Jackson, nem nada que se pareça, porque para mim é um jogador fantástico e sem duvida que esta no top 10 dos mais desejados. No entanto, Super Mário Jardel será sempre Super Mário Jardel.

      Eliminar
    9. Reparem.. Eu disse melhor avançado de que já vi no FCP, JACKSON! Melhor Ponta de lança que vi no FCP: JARDEL. São coisas que parecem iguais, mas são bastante distintas. O Jackson é um jogador de fino recorte, com uma qualidade tecnica e com um sentido de coletivo gigante. Para mim, nem falcão está ao seu nivel, mas também já digo isso há muito tempo.
      Por sua vez, Jardel foi o melhor finalizador que alguma vez tivemos. Se me arranjarem nos próximos anos ou nos tempos passados recentes um PL que marcava 36 ou 40 golos numa época de 34 jogos para o campeonato........ Nisso nem há questão. Jardel era um finalizador nato e a tatica embora similar o modelo de jogo era completamente diferente. Jardel precisava de uma equipa a jogar para ele, mas marcava 30 ou 40 golos no campeonato, o Jackson joga para a equipa e marca 20 golos por época no campeonato. Ninguem tem dúvidas que o Jackson é um jogador muito mais completo e competitivo que o Jardel, mas como finalizador ele era único e temos que ser muito gratos. Não confundam as coisas. Já agora, o Jardel no galatasaray ganhou umas coisinhas.. Voltou para Portugal e ganhou no SCP.. as razões para a sua carreira não ter sido top são sobejamente conhecidas. Sou romantico, Jardel é eterno, seu carisma é único.

      Joel

      Eliminar
  12. Parabéns pela crónica, reflete na perfeição a grande alegria e orgulho que todos sentimos por esta vitória (e respetiva exibição).

    O meu principal destaque vai para a preparação do jogo, ou seja, para Lopetegui. Encontrou a estratégia certa para fazer tremer o Bayern, fazer do Xabi Alonso, do Dante, do Neuer e muitos outros jogadores banais que andam aos papeis. A estratégia de "esconder" Jackson até ao dia de jogo: brilhante!

    Vamos passar mau bocado lá, mas é possível e tenho confiança que voltaremos a fazer história. As baixas de Danilo e Alex Sandro complicam, mas no caso do lado esquerdo, pode não ser má ideia jogar com Indi porque com o Bayern atirado todo ao ataque como um cão raivoso, Maicon e Marcano vão precisar de ajuda. Do lado direito estamos pior, porque Ricardo não é defesa de origem e em Munique vai ter de defender muito mais do que atacar.

    Euforias de Champions à parte, preocupa-me um pouco o jogo com a Académica. Se queremos ter hipóteses em Munique não podemos rebentar os jogadores com a Académica, por outro lado também não podemos perder pontos para o Benfica. Felizmente temos um grande treinador e que inspira toda a confiança para enfrentar estes desafios. Vamos em frente.

    SOMOS PORTO!

    ResponderEliminar

  13. deixem-nos sonhar.
    e é só: deixem-nos sonhar.

    ainda estou num sonho bom. e confiante, independentemente do que possa vir a acontecer.

    abr@ço forte
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  14. Tdd não querendo fazer de si meu criado pode me dizer qual é o conteúdo de um artigo de opinião escrito hoje num certo jornal desportivo sulista por parte de uma certa pessoa pseudo intelectual de futebol, artigo esse sobre colinhos? É que fiquei confuso com o título. Será que anda atrás de colinho?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luis Claro, escreve o titulo do artigo e o nome dessa criatura que o artigo vai-te aparecer num blog benfiquista. Não é nada de especial. Ela está picada com o Miguel Sousa Tavares (e possivelmente com outros Portistas) por não ter dado o mérito ao Benfica na vitória frente à Académica, pelos vistos disse que foi a Académica que facilitou nesse jogo e agora veio dizer o mesmo sobre o Bayern como se tivesse sido o Bayern que ofereceu a vitória ao Porto. Onde ela falha é em perceber que o Bayern não foi jogar ao Dragão com 5 defesas nem a jogar atrás do meio campo. O Porto é que teve de ter arte e engenho para conseguir sair do seu meio campo. Quem não percebe de futebol precipita-se e faz estas comparações ridículas.

      Eliminar
    2. Afinal as minhas dúvidas dissiparam se. É mesmo uma pseudo intelectual. Obrigado pelo esclarecimento.

      Eliminar
  15. Portistas: somos gente feliz com lágrimas!!!!

    ResponderEliminar
  16. Para mim a eliminatória já foi ganha. Aliás, ficou ganha logo naqueles primeiros minutos de jogo. O Porto defendeu a sua honra e era só isso que se exigia. Agora, mesmo que a gente perca em Munique por dois, ficará para a história que este embate não foi um passeio para o Bayern.

    Admitamos, não vai ser fácil, Dois dos mais combativos elementos da defesa Portista não vão estar em Munique e o jogo de Munique vai passar acima de tudo por defender. Mesmo que em vez do Bayern sejamos nós a marcar a abrir em Munique (também há a hipótese de ninguém marcar a abrir o que seria boom na mesma), vamos levar com uma avalanche atacante e aí exige-se a destreza e experiência de Danilo e Alexsandro, não só a defender como a desenvencilharem-se da pressão e saírem a jogar ou lançarem contra-ataques. Não me acredito que o Lopetegui vá colocar o Ricardo no lugar do Danilo, é uma aposta de risco e um tiro no escuro a nível europeu que pode acabar em desastre. Ou vai jogar com uma linha de três centrais (duvido, quem é que jogaria na esquerda nesse caso tendo em conta que é preciso conservar um central no banco que é Reyes?) ou colocar o Indi na esquerda e o Herrera na direita e para o meio campo entra o Evandro, esta a hipótese mais provável para mim.

    É difícil mas é possível, o Porto só tem de fazer o que fez no jogo de ontem, embora com certeza vamos ver um Bayern já precavido na saída de bola a jogar muito mais para Neuer para evitar a pressão ofensiva do Porto com este a optar a maior parte das vezes em jogar directo na frente. Mas agora vem a Académica e o Danilo e o Alexsandro têm de ganhar aquilo sozinhos. ;) Portooooo!

    ResponderEliminar
  17. PRognosticos para as laterais?

    Martins indi é obvio... mas e o outro lado?

    Ricardo confesso que depois do seu ultimo jogo me da receio... num jogo desta importancia e em que talvez sejamos empurrados para a defesa (lembro-me de meia duzia de cortes pela linha de fundo do Danilo e fico a pensar se o Ricardo sabe fazer dessas)...
    O Reyes talvez? Ele pode ser central e pode ser trinco...o que indicia alguma capacidade de adaptaçao e alguma velocidade
    Mas ficar a jogar com 4 centrais na defesa tambem nao lembra ao diabo...

    enfim... claramente um problema serio

    ResponderEliminar
  18. Resultado e exibição que nem merecem mais comentários, o jogo falou por si. Fomos enormes, todos juntos, mas a equipa esteve exemplar. Entrega, estratégia, coragem, raça, calma, eficácia... Enfim, estão de parabéns e que façam mais jogos deste nível, que nos permitam sonhar com mais na Champions e no campeonato.

    Agora à parte... Quem viu ontem o Pós-Jogo na SIC Noticias? Análise incrível, acho que se pudessem anulavam os golos do Porto... Acho sinceramente de muito mau gosto compararem o discurso de Lopetegui (após 3-1 ao Bayern nos 1/4 de final, em que o Bayern foi claramente dominado, apesar de ser equipa de top 3 mundial, com menos 2 ou 3 titulares) com um de Jesus (após EMPATE, na FASE DE GRUPOS, ante um Barcelona também top 3 mundial que POUPOU PROPOSITADAMENTE quase a equipa titular inteira). Por um lado acho triste, porque raramente vemos na TV bons comentadores de futebol (ainda mais se falarmos do Porto), por outro acho lindo assumirem (factualmente) que os dois episódios estão ao mesmo nível, bem como o discurso dos treinadores, comprovando (subconscientemente?) que de facto podemos falar de feitos equiaráveis, tendo em conta que o SLB está a jogar pior e é muito mais fraco a nível europeu que o Porto. A nível interno lá se vão safando, com uma abordagem eficiente ajudada, por vezes, por alguém que muitas das vezes não consta no 11 adversário (ausentes que nem têm contrato com o Benfica, arbitragens estranhas, etc...).

    Conclusão, acabei por preferir ver o Pós Jogo na TVI24, com o Vitor Baia :)

    SOMOS PORTO!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portista que é portista, vê o pós-jogo no Porto Canal

      Eliminar
  19. Acho que no ponto machadês podia incluir-se a única falha do Danilo em todo o jogo, que levou ao amarelo. De resto, um jogo quase perfeito.
    No lance do golo do Bayern parece-me que o Maicon podia ter feito algo mais, mas o jogo foi tão intenso que é daqueles lances que até perdoo com facilidade.

    De resto, eu que sou um dos maiores "atacantes", que jogaço do Casemiro. Não fosse tão mau com bola (é algo bipolar, tanto pode fazer um passe à Ruben Neves de pé esquerdo e trivela a cair redonda no pé do colega, como pode dar 5 ou 6 pontapés de baliza seguidos ao adversário) e seria um caso sério.

    Ainda assim, duas notas importantes deste jogo para mim: Quaresma! Que bom é ver o rapazito fazer uma série de jogos a excelente nível. É bem diferente daquilo que vinha fazendo, que era um jogo bom e 2 a jogar às escondidas.
    A outra, e o Quaresma que me desculpe, é para aquele que para mim foi o homem do jogo: Oliver. Ele, sozinho, deu posse de bola ao Porto. E quando digo posse de bola não é aquela que o Brahimi dava, a meter-se em rodriguinhos e prestes a perder a bola em frente à área. É dar posse de bola com o resto da equipa, virar o jogo, aparecer à frente, aparecer atrás. Fez tudo e fez bem. Adoro.

    Mais uma vez, um bom trabalho da vossa parte, continuação de bom trabalho!

    ResponderEliminar
  20. Épico, um jogo para recordar durante anos! Falta-nos a 2ªmão mas vamos continuar a alimentar este sonho até ao ultimo suspiro!

    ResponderEliminar
  21. Pouco me interessa, nesta altura, como isto vai acabar, interessa é falar na glória, no orgulho, no sentimento em ser Porto que é do tamanho do mundo. Nestes momentos, por respeito á equipa, não gosto de individualizar os meninos, mas Quaresma pelo que ontem ficou a representar para este clube e Martinez pela confirmação de estarmos perante um verdadeiro fora-de-série, merecem o destaque. Sábado, Académica, Duarte Gomes, ritmo lento, por favor, ajude a encher o Dragão apoiando a nossa canalhada, devemos-lhes isso!

    ResponderEliminar
  22. o momento do Bayern é mesmo mau uma vez que o médico com 38 anos de casa bateu com a porta. A casa está a arder e há que aproveitar!

    ResponderEliminar
  23. Parabéns ao blogue, brilhante, como sempre. Cuidado com o Duarte Gomes, que vem cá encomendado para tirar do jogo da Luz os que puder. Assobiá-lo desde o início do jogo pode ser uma boa tática... é passar a palavra . Obrigado + 1vez
    Carlos.

    ResponderEliminar
  24. Li recentemente um comentário que me relembrou, e este jogo veio reforçar, uma teoria: não terá alguma da desmotivação da equipa no campeonato a ver com o facto de que eles notam (porque toda a gente nota, mas eles sentem-no na pele e deve-lhes ser bem mais difícil de digerir) que a dualidade de critérios torna as coisas absurdamente mais difíceis? Pode-se dizer que isso é algo a que todos as equipas do Porto deveriam estar habituadas, mas como estamos fartos de saber dos 14 jogadores mais utilizados este ano, só 7 é que transitaram, e acomodaram-se a tal coisa tem o seu quê de complicado...Claro que sobranceria e outras coisas também têm relevo, mas acho que este factor há-de desempenhar o seu papel.

    J. Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. creio que sim, obviamente os jogadores notam a dualidade e isso pode ser desmotivante.
      aliás, estão tão habituados ao prejuízo que já nem se dão ao trabalho de protestar, como foi o recente caso do golo anulado ao Brahimi.

      Eliminar
    2. A desmotivação no jogo contra o Nacional quando podiam inverter essa dualidade deitam por terra essa teoria.

      Eliminar
  25. Caro Miguel,
    Sabes me dizer quanto valeu a vitoria de ontem em termos financeiros?

    Obrigado

    ResponderEliminar
  26. Penso que o Lopetegui fica bem de boné.

    Agora é preparar o complicadissimo jogo com o Académica. Já está tudo tratado pelo outro lado. Académica na máxima força e o recadeiro para amarelar os jogadores portistas...
    É a excelência do futebol de ataque...

    Abraços a todos os portistas

    ResponderEliminar
  27. Portistas,

    É a primeira vê que escrevo aqui mas sou leitor assíduo...

    Alguns considerandos:

    Mas acham mesmo que o Bayern vai entrar a maluco no jogo???
    Eles após este jogo estão escaldados... Tao com medo.. Vão atacar é certo mas não a maluco pois arriscam a levar mais dois ou três.... E s marcarmos um golo eles para passar terao que marcar quatro!!!!

    Para mim vamo jogar com o Indy e com o Ricardo... Já sei, teve um jogo infeliz mas, não é apanágio do Tegui de matar um jogador após uma exibição menos boa... E vai ser por ali que vamos ganhar o jogo!

    Para sábado, lá estarei e, ao contrário do que aqui já li, não pouparia ninguém.... Entrava a todo o gás e, com a nossa ajuda, depois d estarmos a ganhar por 2... Aí sim trocava e metia os demais... Não podemos poupar pois este é ainda mais importante que o Bayern!!!!

    Cuidado com o D Gomes... K vem com a lição estudada....

    Nota: se analisarmos bem até temos que agradecer a estes FDP dos árbitros... Somos roubados (como no caso do vermelho ao Neuer) e é "normal" para nos... Já não discutimos e, muito menos perdemos a cabeça... Heheheheehe

    Abraços e ate sábado!!!

    ResponderEliminar
  28. mais episódios... o incêndio chegou à sala das máquinas e o controlo é precário.

    9 em cada 10 jogos os alemães não nos dão qualquer hipótese... mas desta vez é diferente.

    Que se fod... o jogo da académica. TEMOS DE APROVEITAR ESTE AMBIENTE!

    http://www.marca.com/2015/04/17/futbol/futbol_internacional/bundesliga/1429264776.html?cid=SMBOSO34503&s_kw=facebookCM&t=960824667

    ResponderEliminar
  29. Grande vitória, e grande, grande alegria. Estou um pouco menos eufórico com a exibiçao; após os dois golos, e sem grande razao para isso, entregámos demasiado o jogo. Um respeito ao adversário que nao gosto de ver no Porto Na segunda parte, gostei bastante mais; e aí sim foi um jogo à Porto. Grande jogo do Jackson. Grande jogo do Quaresma. E péssimo jogo do Brahimi, nalguns lances a roçar a displicência de maus profissional.Luís F

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.