quarta-feira, 4 de maio de 2016

Ilusão 611 e a mala da hipocrisia

O FC Porto não personalizou a resposta às críticas, mas sentiu-as. Assim se explica a reação após Rui Moreira ter criticado o projeto Visão 611, cinco anos após o mesmo ter sido enterrado, e ter visado Antero Henrique. 

Críticas do baú
Para começar, saúde-se o facto do FC Porto ter, cinco anos depois, apresentado uma espécie de balanço do Visão 611. O pequeno Thumber saiu defraudado na filosofia que deu a conhecer ao mundo, mas basicamente a SAD emitiu um pequeno comunicado a defender que o projeto foi um sucesso.

Rui Moreira, face ao cargo que ocupa na cidade, faz com que as suas críticas tenham um mediatismo superior. Mas há que enquadrá-las. Quantos dos problemas do FC Porto se podem relacionar com o falhanço do Visão 611? Faz sentido lamentar agora um projeto enterrado há 5 anos? Na essência, parece claro que o FC Porto falhou por completo nos pressupostos do projeto, que visavam aumentar a quantidade de jogadores da formação na equipa A; contrariamente, desde o encerramento do projeto os gastos com contratações dispararam, nasceu a moda dos contratos de scouting, os erros de casting acumularem-se e a eficácia de contratações tem deixado muito a desejar, além da crescente influência/dependência dos fundos nas movimentações do FC Porto no mercado.

O que mais surpreende é que, há 15 dias, Rui Moreira votou na reeleição de Pinto da Costa para a presidência do FC Porto, tendo deixado uma mensagem de confiança. Mas não sabemos se não riscou o nome de Antero Henrique do boletim. Se o fez, estas críticas já fariam mais sentido - até porque há uma grande facção de adeptos que dizem confiar em Pinto da Costa, mas não nos seus parceiros do Conselho de Administração. Algo que não faz muito sentido, diga-se: como é que podemos confiar em alguém se esse alguém vai confiar nas pessoas erradas?

De qualquer forma, bastou Rui Moreira falar no Visão 611 para meter o seu balanço em discussão. O FC Porto nunca fez um balanço a propósito do projeto, e este comunicado na SAD ignora aquilo que eram as bases do projeto.

Nas análises já aqui feitas ao Visão 611, foi destacada a eficiência de o clube ter facilitado a ponte clube-escola, a modernização do modus operandi (mesmo que em muitos casos isto sejam planos teóricos que não produzem efeitos na prática) e a aposta especializada nos treinos (não treinar apenas um plantel: treinar defesas, treinar médios, treinar avançados). Isto foram os pontos positivos do Visão 611. Mas naquilo que interessava, o projeto foi um falhanço completo.

A importância desconhecida
O FC Porto previa ter, a partir de 2011, 6 jogadores da formação na equipa A. Como o clube fez uma época memorável em 2010-11, ninguém se incomodou com a ausência de jogadores da formação. Mas não foi cumprida a premissa mínima de qualquer projeto de formação: meter miúdos na equipa A.

No comunicado, o FC Porto associa a conquista da Liga Europa ao sucesso do Visão 611. Um disparate. A não ser que os jogos que Ukra fez contra o Genk e o Rapid Viena (Castro jogou  21 minutos contra as duas equipas, depois foi emprestado em janeiro) tenham sido decisivos rumo a Dublin. Não parece de todo ter sido o caso. Mas na defesa ao Visão 611, há quem amplie o seu propósito a todo o mercado, e assim defenda que contratações como Sapunaru, Guarín ou James foram da responsabilidade do Visão 611. Uma tentativa de defender o seu sucesso.

O FC Porto não passou a apostar mais na formação desde o encerramento do 611. Reparem que na última época antes do início do projeto, o FC Porto utilizou Hélder Barbosa, Postiga, Bruno Alves, Ivanildo, Hugo Almeida e Ricardo Costa. 6 jogadores da formação, que era quanto o projeto visava incluir a partir de 2011. Já em 2011-12... Kadú jogou 8 minutos na Taça de Portugal. Só isto.

«O impacto do projeto Visão 611 pode ainda ser percetível nas dezenas de jogadores formados pelo FC Porto e que se encontram a disputar os campeonatos profissionais portugueses». Como disse? Mas o FC Porto criou este projeto de formação para meter jogadores na equipa A ou para andar a fornecer jogadores ao Rio Ave, ao Paços de Ferreira ou ao Vitória de Setúbal?

Em 2009, o FC Porto apresentou no Vitalis Park as duas equipas de sub-13 e sub-14 que iriam ser a bandeira para os próximos anos. Da equipa de sub-13 não sobra ninguém no clube. Na equipa de sub-14 contam-se pelos dedos os sobreviventes: Andorinha, Diogo Verdasca (se o Visão 611 tivesse sido um sucesso tão grande, se calhar tinha sido ele a jogar nestes últimos meses; aliás, o FC Porto sempre teve uma grande escola de centrais, mas nos últimos 10 anos não formou nenhum central para se afirmar na equipa A), Rui Moreira (ironicamente, um homónimo do presidente da CM Porto) e Rúben Macedo.

Entretanto, quando Rúben Neves apareceu na equipa A e Lopetegui deu alguns minutos a Gonçalo Paciência, tentou retirar-se o 611 da gaveta, ao recordar o Projeto de Jogador de Elite. Faltou só dizer que quando Pepijn Lijnders saiu para o Liverpool, o projeto morreu. É um facto que esta vertente de treino ajudou a desenvolver alguns dos nossos jogadores (Rafa, Podstawski, Rui Moreira, Graça, Leandro, Macedo, Sérgio Ribeiro, Bruno Costa, Rui Pedro, entre duas dezenas de jogadores). Falta saber se isso vai ter impacto na equipa A, que é o que interessa. Mas com a saída de Pepijn, viu-se que era mais um projeto de um homem do que um projeto de um clube. 

Revolução sem proveito
Além disso, é difícil identificar que jogadores formados do FC Porto durante o projeto Visão 611 estão a brilhar nas «principais ligas europeias». A sério, ajudem. Já para não falar que o FC Porto não fez nenhuma grande venda com jogadores da formação durante esse período. Tendo como referência as despesas inerentes a contratações/negociações de jogadores como Kayembé, Djim ou Abdoulaye, o dinheiro gerado com a venda de jogadores saídos da formação do FC Porto cobre sequer o dinheiro gasto em jogadores estrangeiros que nunca chegam a ser opção válida de equipa A?

Aquando da apresentação do projeto, Antero Henrique garantiu também a existência de uma «equipa sombra», que o FC Porto tinha como referência antes de cada ataque ao mercado. Neste momento, alguém acredita na existência, ou utilização, dessa «equipa sombra»? E quais são os custos da elaboração de uma equipa sombra? Implicam contratos de scouting?

Como grande curiosidade, este texto da «revolução chamada Visão 611», muito elogioso para com o FC Porto e publicado em 2009, é da autoria de Francisco J. Marques, agora mais conhecido entre os portistas pelos textos do Dragões Diário, e na altura explicava que o projeto ia muito além da formação, pois também estava implicado no modelo de compra-valorização-venda. Mas há a destacar este excerto: «Em 2006 houve uma mudança radical na forma de trabalhar e os resultados só devem começar a surgir na plenitude dentro de seis, sete anos». Se tomarmos como referência os sete anos, desde 2013 o FC Porto não voltou a ganhar títulos e desde então atravessa uma das maiores crises desportivas da sua história.

Concluindo, e pegando nas críticas de Rui Moreira: é tudo culpa do projeto Visão 611? Não, certamente não. Mas se o Visão 611 visava ser solução para alguma coisa, deixa muito a desejar. 

PS: As malas é que estão a dar. De todo este barulho que não leva a lado algum, Carlos Pereira, presidente do Marítimo, deixou uma afirmação muito sugestiva: «Isto pode virar-se contra o Benfica». Ele sabe porque é que afirmou isso. O Benfica também. E o Sporting também. O Benfica sabe porque é que tanto questionou o choro do Arnold. E sabe porque é que mandatou Pedro Guerra para falar das malas para o Vitória de Guimarães: porque não há vergonhosa, escrúpulos e reina a hipocrisia para os lados da Luz. E o Sporting também sabe porque é que pode estar tranquilo neste assunto: porque do outro lado não há moral para falar. 

E com isto, na óptica do FC Porto para a época 2015-16, os adeptos questionam: o que é possível fazer com vista a punir os eventuais incentivos oferecidos por Benfica e Sporting para perderem pontos contra os respetivos adversários?

Se estivéssemos a falar de uma competição sob tutela da FPF, haveria matérias para as duas equipas perderem pontos:


Mas o que acontece numa competição que é da responsabilidade da Liga?


Eis a nossa liga. No campeonato português, o máximo que pode acontecer a um clube que oferece ilícitos a clubes terceiros é pagar uma multazita. Não perdem pontos, não são suspensos, não são desqualificados. Nada. O máximo que acontece é pagarem uma multa. Quem tem dinheiro para meter por baixo da mesa para motivar os adversários, também tem dinheiro para pagar multas de 25 mil euros. Peaners. Aliás, reparem bem: Pedro Guerra disse que foram oferecidos 350 mil euros ao Vitória de Guimarães (o Sporting não ajudou o José Pina a descobrir quanto oferece o Benfica? Então, Bruno?). A multa máxima prevista nos regulamentos é de 25,5 mil euros. Ou seja, pagar a multa por oferecer incentivos é quase 14 vezes mais barato do que o próprio incentivo do Sporting. Sai mais barato do que pagar IVA. Eis o nosso futebol.

Por isso, isto é uma discussão de manifesta inutilidade, porque o próprio Regulamento Disciplinar da Liga não oferece consequências graves a quem recorrer ao jogo da mala. Irão Pedro Proença, presidente da Liga, José Fontelas Gomes, novo presidente do CA, e José Manuel Meirim, o novo presidente do CD, propor alterações a este nível? Esperem deitados, porque sentados causaria dores no cóccix. O futebol português não tem interesse em punir as equipas que oferecem e aceitem incentivos. Vá-se lá saber porquê. 

14 comentários:

  1. "ma discussão de manifesta inutilidade" pode ser que passem a punir com perda de pontos.
    "O futebol português não tem interesse em punir as equipas que oferecem e aceitem incentivos. " segundo a lógica dos mouros isso só favorecia pinto da costa não é?

    ResponderEliminar
  2. Mais uma vez muito bem o TdD.
    A resposta do Porto mais uma vez foi ridícula. Quer pela oportunidade, são sempre rápidos a defender a honra dos administradores e familiares, e nunca se preocupam de defender a honra do Porto.
    Quer pelo conteúdo, que como nos têm habituado recentemente é mais um camião de areia para os olhos..

    ResponderEliminar
  3. Boa Tarde

    sobre o jogo da Mala, algo que foi inventado por um benfiquista na RR e que agora serve para classificar aquilo que se passa na segunda circular onde parece que vale tudo para atingir um fim.

    os regulamentos das competições da liga pelos vistos são feitos para poderem ser violados quando lhes dá jeito, pois sabem que a punição que podem ter não os inibe de o fazer.

    agora se pensam que é só incentivos monetários que oferecem estão muito bem enganados, pois isto vai muito para além disso e tem a ver com contratações de jogadores em que depois podem colocar lá o tal "BONUS", promessas de protecção arbitral, promessas de empréstimos de jogadores etc.

    seria interessante ouvir os ex.jogadores Fernando Mendes, Jorge Amaral, Vitor Baia e Paulo Futre sobre isso dos incentivos.

    segundo alguns deles afirmam que existe clubes a pagar aos adversários do FcPorto para perder pontos e que aconteceu logo na primeira jornada deste campeonato.

    se existiu isso, então está explicado porque é que eles contra nós até comem a relva e ficam todos indignados como aconteceu com o Norton de Matos no Dragão. Aqui nesse jogo não houve poupanças...

    depois quem nos garante a nós que também não à incentivos par acertos clubes fazer poupanças e facilitar vitórias? o Belenenses foi goleado em casa por um clube e no fim era vê-los todos contentes e a elogiar o adversário.

    quero isto dizer que quem aceita o tal incentivo "Mala" para empatar ou vencer outros, também o pode aceitar para facilitar quem lhes pediu o outro favor nos seus jogos. Afinal já ficaram comprometidos ao aceitarem o incentivo que é ilegal para vencer rivais de outros.

    agora esse dinheiro da "Mala" a ser dado como incentivo é crime, porque não é tributado e saí pela a porta do cavalo e aí o MP devia mandar investigar.

    no meio disto tudo o FcPorto é que foi comido de cebolada...

    saudações portistas

    10TiMoFTe

    ResponderEliminar
  4. Projecto 611 foi um autentico fracasso...

    Nem vale a pena falar disso...

    Infelizmente vir alguêm do FCPORTO em 2016 a defender esse projecto só nos leva, a nós adeptos, a questioner o quanto estarão eles na cupula longe da Realidade...

    Triste, muito triste...


    A mala se tivesse o FCPORTO ao barulho já dava pena para perda de pontos, mesmo que a liga dissesse o contrário...

    Nem que fosse só a comunicação social Portuguesa, a mesma que vai lavando esta operação Matriosca dos russos em Leiria e que pasme-se, tem o Benfica e Sporting implicados...

    Mas nem parece...

    Estamos num periodo onde a Democracia está podre, mas ninguem faz nada...

    Gil Lopes

    ResponderEliminar
  5. A defesa do projecto Visão 611 provou mais uma vez que para a actual administração do clube, os adeptos que criticam são os inimigos. Bons adeptos são aqueles que ficam calados e deixam as coisas continuar, pois tudo é um mar de rosas. Ataques dos rivais, isso nada diz a esta direcção, pois eles não são os inimigos. Até me admira esta defesa não ter feito nenhum ataque pessoal a Rui Moreira.
    A justificação deste projecto só pode ser levado como uma brincadeira de quem não tinha mais nada para escrever, principalmente a parte «O impacto do projeto Visão 611 pode ainda ser percetível nas dezenas de jogadores formados pelo FC Porto e que se encontram a disputar os campeonatos profissionais portugueses». esta deve ter sido a frase mais bem escrita no mundo da comédia futebolística.

    Em relação às malas, isso sempre ouve e sempre irá haver de parte a parte, ainda muito recentemente houve rumores que um dos nossos rivais andava a pagar os salários em atraso dos seus adversários. O mais curioso disto tudo, foi na segunda-feira, no programa Prolongamento, Pedro Guerra ter afirmado de fonte segura que sabia que Sérgio Conceição tinha dito na PALESTRA aos jogadores o tal suborno do Sporting. Como é que ele sabe? As palestras são à porta fechada, e no corredor desse mesmo balneário só é autorizado membros dessa equipa. A pergunta que toda a gente deveria colocar é como é que Pedro Guerra tem a certeza. Será que o Benfica tem escutas no balneário adversário? Para mim é a única razão possível, até porque duvido que alguém ligado ao Guimarães fosse a correr contar a alguém do Benfica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escuta? Isso é disparate! Não é difícil adivinhar que há jogadores que ouvindo o que SC disse, com princípios éticos ou pouco diferentes, terão reagido e contado o que se passou. A globalização também existe em Guimarães e dentro do país.

      Eliminar
  6. Mesmo que as penalizações fossem pesadas é muito difícil provar alguma coisa.

    ResponderEliminar
  7. Estes comunicados do FCP a responder aos seus próprios adeptos, são no mínimo ridículos, mais uma vez atirando areia para os olhos dos adeptos com argumentos sem fundamento algum, pelo menos desta vez não se lembraram de instaurar nenhum processo. A verdade é que a necessidade de contratar é enorme, porque como é sabido, os Comissionistas facturam mais com novas contratações do que com jogadores oriundos das camadas jovens. Não se compreende contratações tipo Kayembe ou Bolat a não ser alimentar outros interesses que não os do clube.

    ResponderEliminar
  8. Porque os suspeitos são sempre os mesmos e por isso já criam regulamentos já feitos à medida para que não haja impunidade severa. Fosse o FC Porto e era rasgar regulamentos e impor "novas" impunidades.

    Gostava mesmo que o Visão 611 fosse visto por outros olhos e feito por com melhor convicção.
    Porque aos jovens talentos que já tivemos e temos nas equipas B's seria importante rever esse projecto, não era tarde demais até porque como as coisas andam era um vantagem que nos beneficiava e muito.

    ResponderEliminar
  9. Não entendi bem a picadela de Rui Moreira e ainda menos a podia aceitar depois de o ter visto muito agarradinho a Pinto da Costa durante o dia das últimas eleições no Clube.Foi deselegante e para mim acabou/destruiu com a imagem de isenção de Rui Moreira. Estará já a ensaiar e preparar um hipotético caminho em direcção ao Dragão?...Mesmo assim, não havia necessidade. Os homens têm muito que aprender na forma como se comportam.

    ResponderEliminar
  10. O SLB tem acesso as palestras dos adversarios? ISto é muito grave, demaisado grave para o FCP não o usar a seu favor. Eles têm de voltar a ter medo! A ter vergonha! A CS não vai ligar bolha, vai apagar isto dos reistos. Mas o FCP não o pode fazer, tem de o usar para preparar a proxima epoca. E acho que deve ser pela voz do nosso presidente e não do Dragoes Diario! O nosso presidente têm de falar sobre isto! Tem de lembrar o assunto o maior número de vezes possível! Não pode deixar cair no esquecimento!!

    ResponderEliminar
  11. Bom dia TdD!
    Quanto ao fracasso Total do projeto 611 penso não haver duvidas. Foi mais uma forma de o nosso Porto gastar milhões, não ter qualquer resultado prático visivel, e o mais grave os amigos do Sr Antero sacarem o produto desse projecto para Rio Ave, Pacos de Ferreire, etc...!
    Quanto a isso , zero duvidas. Fracasso total com um responsvel: Antero H.
    O mais grave de tudo isto , é que passados anos , e quando já toda a gente sabe e sabia disso mesmo, apenas porque Rui Moreira publica no facebook 1 frase, o clube sai em defesa do menino com comunicados , explicações e mais que tudo com a máquina mediatica de propaganda nos jornais ao serviço do Sr Antero a tentar defender o ... Indefensável!
    O grave não está nos erros passados... O que lá vai , lá vai! E mesmo que nos queiram atirar com areia para os olhos com artigos encomendados pelo sr Antero nos mesmos jornais de sempre, nós portistas, já lhe descobrimos todos a careca!
    O grave está no facto dele lá continuar no presente e , continuar no futuro!
    E se duvidas ouvesse quem manda mesmo no Porto actual, é só ver e reparar no tempo que o Porto demora a defender-se a si como instituição, ou
    Mesmo o Presidente enquanto lider. Pura e simplesmente ou nada fazem, ou só no limite dos limites! Já quando se toca no nome do Sr Antero, mesmo sem ser ofensivo, com uma simples frase, disparam comunicados e artigos dos amigos do Sr Antero. Continuamos rumo ao buraco negro.... A banda a passar , e o visionario do projeto 611 a fazer o mesmo de sempre... Como diz o povo " mudam as moscas, mas ..."

    ResponderEliminar
  12. Já que estamos numa de preparar a próxima época, deixo aqui este vídeo para os adeptos do Porto começarem já a preparar a próxima época.

    Assobiem a direção, apoiem os jogadores: https://www.youtube.com/watch?v=UbCpKgm4G2U

    ResponderEliminar
  13. Absolutamente vergonhoso o que se passa no nosso clube. Noticia de hoje do Jogo. http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=5162521

    Mais encomendado que isto era difícil. Haja vergonha.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.