domingo, 29 de maio de 2016

Moncho López, o treinador à Porto

Nas discussões sobre o sucessor de José Peseiro, vemos muitos adeptos pensarem em nomes, em vez de pensarem em perfis - e depois sim, enquadrar nomes no perfil definido. Posto isto, o melhor treinador possível para o FC Porto seria este: um Moncho López do futebol.

Não é pelo título: é por todo o percurso percorrido até chegar a este inesperado título. Quando o FC Porto optou por fazer reset na modalidade, Moncho López já levava três anos de clube, tendo ido sempre à final do campeonato nacional e vencido o título em 2011. 

Com apenas dois anos de clube, já levava seis troféus e dizia isto: «He interiorizado lo que es ser del Oporto». E nada o demoveu dessa dedicação. Que outro treinador estrangeiro, em Portugal, decide meter a tocar antes dos jogos a Pronúncia do Norte ou o Porto Sentido, como Moncho fazia antes dos jogos com o Benfica? «São estimulantes para nós. A última, acompanhada pelo vídeo com imagens da cidade do Porto, ajuda-me muito a concentrar e a relaxar.» Mais do que entender o clube, Moncho López entende a cidade, a região, a mística. Entende o que é a rivalidade com Lisboa, clube, cidade e treinador. Moncho sabe o que sente cada portista. 

No ano em que o FC Porto (lamentavelmente) suspendeu a equipa sénior, anunciando que ia reduzir drasticamente o orçamento para a modalidade, Moncho López tinha uma proposta mais vantajosa financeiramente do estrangeiro. Mas deixou claro que pretendia ficar no FC Porto. Renovou por três anos e acreditou no projeto Dragon Force. «É uma responsabilidade maior e uma motivação extra», dizia. 

OJOGO, 20-08-2012
JN, 20-08-2012
Onde muitos veriam reunidas circunstâncias para fazer as malas e ir embora, Moncho López viu a oportunidade para fazer história: recomeçar das cinzas e relançar a equipa profissional do FC Porto, rumo ao regresso à Primeira Divisão. Fez ainda melhor, com o título conquistado no ano do regresso. 

Uma palavra para a atmosfera do Dragão Caixa. Quem sente que a mística e a paixão pelo FC Porto estão em vias de extinção só precisa de ver um jogo no pavilhão. Há questões que se levantam com os bilhetes, mas os adeptos do FC Porto têm tido a capacidade de transformar sempre o Dragão Caixa num mini-inferno para quem o visita. Aqui nunca são apenas 5, 6 ou 7 jogadores: são (quase) sempre mais de dois mil, todos a puxar para o mesmo lado. Transportar essa atmosfera para uns metros ali ao lado seria um dos melhores reforços da próxima época.

A concluir, é claro que não há romantismos: não podemos dizer que este título se deve totalmente às bases do Dragon Force. Afinal, do projeto inicial, restam apenas dois jogadores, Pedro Bastos e João Galina. Nenhum clube ganha títulos com jogadores da formação, por isso é impossível imaginar este título sem a contribuição de nomes que vão desde Troy DeVries a Tinsley. Outros foram recrutados ainda na Proliga, como Miguel Queirós, e embora não tenham começado no projeto de 2012 foram parte integrante destes últimos 4 anos. 

Mas quando temos um treinador que entende o clube, os adeptos, a mística e a cidade, qualquer processo de integração se torna facilitado. E nunca descurando o mais importante de tudo: a competência. A avaliação por um treinador deve começar por aí, pelas suas valias técnico-táticas. Com Moncho López, temos tudo. Tem contrato por mais 4 anos, mas só se pode desejar que continue por muitos, muitos mais.

PS: Não podemos esquecer o quão importante foi Carlos Lisboa enquanto combustível para o FC Porto. Recordemos as sábias e eternas palavras de Moncho López. «Estive presente em fases finais de Campeonatos da Europa, em Jogos Olímpicos, competições internacionais de clubes, ganhei muitas finais, também perdi muitas, mas sempre vi o treinador campeão a levar a mão ao peito, ao coração, mostrar carinho aos seus adeptos, porque é aí que se sente o clube. Levar os dedos àquela parte... cada um sente o clube onde quer.»


PS2: No dia da apresentação de Moncho López, a 19 de maio de 2009, o presidente do FC Porto disse isto ao treinador. «Espero que este seja o primeiro de muitos contratos. Pode estar seguro que está num clube que lhe dará todas as condições e dirigentes do melhor que há em Portugal. Este é um projecto novo que procura um novo rumo». Não podemos desejar nada mais do que ouvir Pinto da Costa dizer, na próxima semana, exatamente as mesmas palavras ao futuro treinador da equipa principal de futebol do FC Porto. 

21 comentários:

  1. Excelente artigo, que fala sobre aquilo que na minha opinião falta a este blog: uma maior cobertura das nossas modalidades que tantas alegrias nos têm dado.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. O exemplo de que sentir o Porto não depende da nacionalidade. Depende de perceber de que raça foi feita a história este clube, perceber o que diferencia o Porto dos outros clubes e, em cima disso, ter muito carácter, ser sério e profissional, trabalhar muito e querer ganhar muito mais do que querem os outros.
    O Moncho é um excelente exemplo do que é um Portista

    ResponderEliminar
  3. Subscrevo tudo o que foi dito, em especial o PS2

    "PS2: No dia da apresentação de Moncho López, a 19 de maio de 2009, o presidente do FC Porto disse isto ao treinador. «Espero que este seja o primeiro de muitos contratos. Pode estar seguro que está num clube que lhe dará todas as condições e dirigentes do melhor que há em Portugal. Este é um projecto novo que procura um novo rumo». Não podemos desejar nada mais do que ouvir Pinto da Costa dizer, na próxima semana, exatamente as mesmas palavras ao futuro treinador da equipa principal de futebol do FC Porto."

    Existe neste momento oportunidade de com um bom treinador no Futebol, com bons jogadores á Porto de fazer algo parecido, se me perguntarem se eu quero ser Campeão já para o ano, claro que sim, quero mais que tudo.

    Mas se isso implicar investimentos absurdos (fora da nossa carteira) em vez de investimento sustentado (mescla de jogadores da casa com um ou outro realmente bom), então prefiro não o ser...

    Nesta altura temos de ter os pés bem assentes no chão, com benfica (88 pontos), sporting (86 pontos) a partirem á nossa frente, uns porque controlam a arbitragem em Portugal, outros porque têm um bom treinador (de campo) á frente da equipa...
    E obviamente ambos são de Lisboa, logo toda a Comunicação Social lhes faz o trabalho ao denegrir sempre que podem o trabalho feito a norte...

    Logo temos de ser nós a renascer, é preciso é ter os pés bem assentes no chão e faze-lo com um Projecto com Cabeça, Tronco e Membros (Presidente, Treinador, jogadores e adeptos a remarem todos no mesmo sentido)...

    De preferência sem assobios aos nossos, como se vê no Dragão Caixa, onde as modalidades são apoiadas do principio ao fim...

    Gil Lopes

    ResponderEliminar
  4. Treinador com o perfil do Moncho para o futebol, dos portugueses, só vejo dois: Paulo Sousa e André Villas Boas. Se o segundo vai mesmo tirar um ano sabático, sobra Paulo Sousa: evoluído técnica e taticamente, discreto, culto e fiel às suas ideias, que se enquadram perfeitamente no que é o modelo de jogo cultural do FC Porto. Não me parece que Marco Silva ou Leonardo Jardim possuam estas características, visto que são treinadores com modelos de jogo mais voltados para o contra ataque. Dos estrangeiros sobra Jorge Sampaoli que tem um perfil que se pode enquadra no nosso clube.

    Jorge Fernandes

    ResponderEliminar
  5. Peço desculpa da minha opinião, mas depois deste artigo tão bem elaborado,voltar a afirmar-se que um dos desejados treinadores é AVB,uma pessoa que depois da afirmação da Cadeira de Sonho,abandona o Clube,é fazer tábua rasa de tudo aquilo que se afirma no artigo e se deseja para quem dirigirá o leme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ele não abandonou, saiu por uma mega proposta milionária, e o clube lucrou uns milhoesitos com a sua saída, portanto, há que saber enquadrar as coisas

      Eliminar
  6. NES????

    PdC atirou a toalha ao chão definitiva e irreversivelmente. Para grande desgosto meu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. disponível não há melhor.
      no rio ave jogou a final da taça e posicionou-o nas competições europeias
      fez um grande trabalho no valencia, com bom futebol.
      conhece bem o clube e o campeonato nacional.
      a melhor escolha possível.

      Eliminar
  7. A ser verdade que o novo treinador é NES, então estamos conversados quanto ao futuro do clube enquanto estes senhores estiverem na SAD.

    ResponderEliminar
  8. Resta questionar o porquê do "reset" em 2011, nunca entendi e custa-me crer que fosse apenas por falta de dinheiro para salários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. foi para testar o reset que há que fazer no futebol

      Eliminar
  9. A quem? Ao Nuno e espírito santo? Pelo amor de deus. Não brinquem com coisas sérias. E muito menos connosco adeptos, simpatizantes e sócios. Pinto da costa poderá estar a dar um tiro no pé com esta contratação a confirmar se a mesma, tiro este desta vez muito sério e trave. Um concelho ao ANTERO Henrique. Que aceite o convite de Mourinho. se aceitar não corre o risco de sair pela porta pequena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também deve ser da opinião que peseiro é que era bom, cajuda, manuel José ou arranjo-lhe um melhor, o professor neca!

      o nuno é a melhor escolha, conhece bem o clube, sabe o que é vencer pelo clube, conhece bem o campeonato, tem experiência europeia, não precisa de estrelas milionárias para fazer um bom plantel e jogar bom futebol veja-se o que fez no rio ave. fez um grande trabalho no valencia, 4lugar a um ponto do atlético, foi despedido na segunda época por politiquices internas do clube, veja-se onde terminou na classificação depois deste sair

      Eliminar
  10. A possível contratação de Nuno Espiro Santo (jogador da lista de Jorge Mendes) penso que deve ser a brincar, porque o FC Porto ainda não bateu no chão…. Espero que seja uma brincadeira de mau gosto…. Somente isso.

    ResponderEliminar
  11. Que tal uma petição do género " Escolha você o treinador. Agora tem a oportunidade do seu treinador favorito trabalhar durante 30 segundos o Grande FC Porto. Para isso basta assinar a petição em anexo e o seu desejo será satisfeito. Em ultimo caso, se o eleito nada mostrar nos 30 segundos, você poderá sempre estropiá-lo e será você a substitui-lo no comando tecnico. Não deixe de aproveitar esta única e extravagante oportunidade."
    Isto sim é que é democracia, com debate a rodos. Viva o FC Porto e viva a demencia dos pseudos livres pensadores cujo pináculo é esse intelectual do tiro ao prato e do fumo com pouco tabaco chamado Miguel Sousa Tavares. Fui.

    ResponderEliminar
  12. Acredito que o NES possa ser o nosso Moncho López do futebol. É um bom treinador, sabe o que é ser porto, conhece bem os cantos á casa,e é um treinador motivador com um discurso forte. Apesar de não ser o treinador que eu escolhia para o nosso porto, acredito seriamente que o Nuno vai ter sucesso e vai conseguir trazer a mística de volta.

    ResponderEliminar
  13. NES a ser o escolhido é totalmente uma opção "de consenso" na SAD. Nem aquece nem arrefece. Para mim é um treinador razoável e alguém que viveu momentos dificeis no FC Porto e conhece as exigencias (por vezes absurdas de alguns quadrantes) dos adeptos portistas.
    Eu tenho esta ideia que ex-GRs nunca dão treinadores de sucesso - apenas me lembro de Preud'Homme que tem vencido campeonatos na Bélgica - e para mim isso é um handicap.
    Obviamente eu preferia Leonardo Jardim, mas sendo NES o 'protégé' de Jorge Mendes, entendo que tenha uma plataforma privilegiada para subir à "Cadeira de Sonho".

    ResponderEliminar
  14. Excelente artigo. Deveriam cobrir mais as modalidades.
    Moncho é fantástico.

    ResponderEliminar
  15. Bom dia.

    Aguardo a sua análise crítica ao R&C último e ao condicionamento que a crise financeira que afecta o clube determina a escolha do treinador e a total dependencia da Gestifute e seus negócios.

    Abraço e desejo que continuemos a lutar juntos contra a gestão danosa que está a ser efectuada no nosso clube.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.