sexta-feira, 27 de maio de 2016

Análise 2015-16: os guarda-redes

Podemos regressar ao início da época e a uma frase d'O Tribunal do Dragão que na altura gerou alguma discórdia: a de que «desportivamente, Iker Casillas não faria uma grande diferença no FC Porto».

Esta afirmação resultou em muita confusão em alguns leitores. «Então Casillas não é melhor do que Fabiano!?» Sim, claro que é. «Então como é que desportivamente não vai fazer diferença!?» Simples, entendendo o que é o papel de um guarda-redes do FC Porto no campeonato português.

Casillas, 35 anos
Voltemos por um momento a 2014-15. No espaço de 6 meses, o FC Porto perdeu primeiro Helton, por lesão, e depois Otamendi, Fernando e Mangala. E mesmo com o contestado Fabiano nas balizas, conseguiu sofrer apenas 13 golos, sendo a melhor defesa de toda a Europa.

Este ano, já sem o contestado Fabiano mas com o ícone Casillas na baliza, o FC Porto sofreu 30 golos. Mais do dobro da época passada (tema debatido aqui), e a terceira pior defesa da história do clube numa liga a 34 jornadas. Quando O Tribunal do Dragão opinou que, desportivamente, Casillas ou Fabiano na baliza não fariam muita diferença, foi precisamente a pensar nisto: porque o modelo de jogo e os defesas do FC Porto têm tanta ou mais influência do que o guarda-redes.

O FC Porto já teve grandes guarda-redes, já ganhou muitos títulos. Mas houve algum título que tivéssemos ganho sobretudo graças a um guarda-redes?

Há quem diga que o FC Porto sofria poucos golos devido a uma posse de bola estéril de Lopetegui. Os mitos nunca resistem aos números: com José Peseiro (e com o agravamento de o mercado de janeiro ter deixado o plantel pior do que estava) a equipa piorou objetivamente em tudo. Não marca mais golos, sofre mais do dobro, remata menos, permite que os adversários rematem mais, cria menos ocasiões de golo e falha mais passes. Ora a tal posse de bola estéril, além de permitir que o FC Porto atacasse e marcasse mais, dava uma segurança defensiva que o FC Porto nunca teve com José Peseiro. Aliás, em dezembro Casillas até era o guarda-redes menos batido das ligas europeias. No mês seguinte começou a derrocada, com a troca de treinadores e o enfraquecimento do plantel, e a partir daí foi sempre a descer.

Que culpas se podem enquadrar aqui em Casillas? Poucas. Porque fez o que por norma os guarda-redes do FC Porto fazem no campeonato: ajuda a ganhar alguns jogos e comete erros que custam alguns pontos. Foi brilhante contra o Benfica e o Tondela, mas errou em Guimarães ou na Champions.

Desportivamente, Casillas pouco mudou porque há poucas coisas que um guarda-redes do FC Porto possa mudar. Para um guarda-redes, há uma diferença entre uma equipa com um meio-campo sólido e outra exposta a qualquer transição rápida; há uma diferença entre ter Otamendi e Mangala à frente e ter jogadores mais inexperientes e/ou limitados.

O impacto de Casillas seria sempre mais mediático e comercial do que desportivo. É claramente um bom guarda-redes, grandíssimo profissional (a maior surpresa para todos os que trabalham com ele), mas nunca iria ser por ele que o FC Porto ganharia o campeonato. Nem por Helton, nem por Baía, nem por Mlynarczyk, nem por Zé Beto, nem por Américo.

Iker Casillas é um guarda-redes como todos os outros, com qualidades e defeitos, e que ao longo de toda a carreira sempre fez sobressair as suas qualidades. Mas é, de facto, um guarda-redes muitíssimo caro para aquilo que rende desportivamente. E é por isso que, quando o R&C da época for publicado, é importante perceber se Casillas é um guarda-redes que de facto se paga a si próprio.

Ao que tudo indica vai continuar no FC Porto. Casillas e o clube já admitiram avançar para o ano de opção no contrato, até 2018, mas isso ainda não foi oficializado. Até porque o Real Madrid só comparticipa o salário de Casillas até 2017 (se Casillas fizer a época 2017-18 no FC Porto, o salário será na íntegra pago pela SAD), logo o salário teria que ser drasticamente reduzido para ficar no FC Porto.

Em Casillas vs. Emirates, vimos que a contratação de Casillas estava a ser muito benéfica financeiramente, mas é importante calcular os números finais no R&C. Até porque um clube que tem um guarda-redes com salário anual bruto de cerca de 5M€ não pode abdicar de um investimento num bom treinador, nem pode andar com a equipa coxa durante toda a época. A manta tem que dar para cobrir ombros e pés. E quando avaliamos um jogador como Marega em mais de 4M€, então a manta devia dar para cobrir Dragão, Aliados e a Ponte do Freixo. 

A primeira época de Casillas no FC Porto não deixa saudades, devido à ausência de títulos. Oxalá as coisas mudem no próximo ano, de preferência sem sofrer outra vez 30 golos. Nunca esquecendo que é o guarda-redes quem fica com os golos sofridos, mas nem Lev Yashin ou Vítor Baía conseguiriam sobreviver a tanta asneira na defesa esta época. O Casillas da Luz é um guarda-redes que ajuda a ganhar campeonatos, mas o FC Porto nunca ganhará campeonatos se precisar que o guarda-redes faça tantas defesas como as que fez nesse jogo.

A melhor forma de proteger a baliza não é ter um guarda-redes que defende tudo: é fazer com que o guarda-redes tenha que defender o menos possível.

Helton, 38 anos
E agora Helton, o capitão. Todos sabem que Helton, embora seja um jogador acarinhado e carismático, não tem um feitio fácil, pois detesta ser suplente (quem não detesta?). Esteve irrepreensível na Taça de Portugal... até à final, onde sofreu os primeiros 2 golos, não ficando bem na fotografia. Aos 38 anos, Helton dificilmente tirará o lugar a Casillas em 2016-17 - nenhum clube tem Casillas se não for para jogar. Tem mais um ano de contrato, por isso coloca-se a questão: uma última época como (mais que provável) suplente ou o adeus antecipado?

Helton tem um lugar cativo na história do FC Porto. Foram 18 títulos neste clube. Tudo dependerá do entendimento entre as partes. Quando ou se Helton quiser, seria certamente uma mais-valia integrá-lo nos quadros técnicos do clube. Mas se ainda entender que está em condições para jogar ao mais alto nível, está no seu direito.

José Sá, 23 anos
José Sá, conforme esperado, não chegou a jogar na equipa A, tendo sido apenas utilizado na equipa B. Tem que ser emprestado para, pela primeira vez na sua carreira, fazer uma época completa como titular de primeira liga.

José Sá já vai para o seu 5º ano de sénior e ainda não fez uma época completa e regular numa primeira liga. No FC Porto, a não ser que lhe seja garantido o lugar de 2º guarda-redes (com titularidade nas Taças e esporadicamente na B), não faz sentido continuar. Foi uma contratação, não um reforço

Raúl Gudiño teve a sua primeira experiência na primeira liga, pouco positiva. Deu dois ou três frangos que o marcaram no União da Madeira. Ainda assim, este foi apenas o seu primeiro ano de sénior, e a margem de evolução continua toda cá.

Gudiño, 20 anos
Ter um bom treinador de guarda-redes é essencial (Bruno Freitas, o treinador do União, teve como expoente máximo da sua carreira profissional a titularidade no Ribeira Brava). Já não vai contar como jogador formado no FC Porto, devido a este empréstimo, pelo que agora deve continuar a procurar-se um enquadramento de primeira liga (o Chaves já o pediu).

Na temática dos guarda-redes, deseja-se ainda que a nova equipa técnica inclua um treinador de guarda-redes de provas dadas, habituado a trabalhar com diversos guarda-redes, desde jovens, que precisam de evoluir, a mais experientes, que precisam de manter a forma física. Nada pode ser descurado.

Os guarda-redes ligados ao clube, mas que não iniciaram a época no FC Porto, serão analisados no post destinado aos emprestados.

Pergunta(s): Quem deve ser o número um e o 2º guarda-redes para 2016-17?

23 comentários:

  1. O Casillas (caro) e Helton (velho) são dispensáveis.
    Eu ficava com o Gudiño e contratava o Marafona (SC.Braga) e o Mika (Boavista).

    Luís (O do José Peseiro)

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito do Casillas. Acho que se vê e verá no próximo ano grande influencia dele no balneário. Cria bom ambiente, é o primeiro a motivar e dar o exemplo. Mas é caro. Havendo hipótese de sair, deixaria-o sair. Helton poderia continuar como um ícone, embora ache que Helton não tem o perfil típico de Guarda-Redes veterano. Não é o Hilário que Mourinho foi buscar ao Nacional. Apostaria tudo em Gudino para titular. Mesmo aos 20 anos. é nessa idade que os grandes Guarda-Redes agarram a posição. E mesmo que haja plano de potenciar e vender gudino, ele tem de pegar já.

    José Sá seria segundo e Helton o mais velho, ou então faria regressar Ricardo. Sempre uma posiçãpo dificil saber que se é suplente.

    Resumo, Gudino//Sá a dispotar a titularidade, sendo que a meu ver Gudino partiria com avanço, Helton/Ricardo como Gr mais velho a trazer experiencia.

    ResponderEliminar
  3. Acho que o GR é do mais fácil de gerir para a próxima época, casillas a titular, José Sá como numero 2, emprestar gudino, João costa na B e Hélton seria o adeus mas como disse deveria ficar ligado ao clube

    ResponderEliminar
  4. Para mim Helton a treinador de GR, Casillas para América e ainda tentar sacar algum dinheiro ali.
    José Sá titular "à força" com Fabiano e Ricardo no plantel (para entrar nas contas da Europa).

    ResponderEliminar
  5. Com Casillas, Helton, Sá, Gudino, Fabiano, Andrés Fernandez ou ainda o Ricardo Nunes, vislumbramos 7 G Redes vinculados ao FC Porto, as opções são variadas, e desajustado será contratar mais um G Redes, porque se há posição em que há excesso de alternativas é justamente a baliza!

    Registos comparativos Fabiano/Casillas com Lopetegui:

    1ª volta de 14/15, Fabiano sofreu 9 golos!
    1ª volta de 15/16, Casillas sofreu 10 golos!

    Observo registos muito semelhantes, todavia, concordo, com Casillas o registo de golos sofridos não iria baixar, relativamente à temporada anterior!

    Quais os três nomes para a baliza do FC Porto, para a próxima temporada? Pessoalmente, Casillas, Helton e Sá, com Helton e Sá a alternarem o banco, e com o Sá a jogar na B. Recordo que no ultimo Europeu sub 21, o Sá foi uma das boas surpresas desse Europeu, e foi eleito dos melhores G Redes desse Torneio, acredito que será um reforço no médio prazo. O emprestimo do Gudino para a Madeira, abortou que na proxima temporada seja inscrito como formado localmente na UEFA (não entendo a razão, porque não foi ponderado esse importante detalhe), e será ajustado seguir para Chaves e jogar (sim, deu 3/4 frangos no U Madeira, precisa de recuperar a confiança perdida). Fabiano, e A Fernandez podem gerar algum encaixe mesmo residual, o Ricardo Nunes, continuará emprestado até ao final do seu contrato!

    1 abraço,

    PT

    P.S. no legado do Presidente Pinto da Costa, a baliza sempre foi uma posiçao com excesso de opções, por exemplo, no 1º Campeonato conquistado como Presidente do FC Porto, em 1984/85, recordo os G Redes desse Plantel : Zé Beto, Barradas, Borota, Matos e Silvino (o pequeno Silvino que brilhou em Espinho com Quinito), eram então 5 G Redes nesse Plantel do FC Porto de Artur Jorge!

    ResponderEliminar
  6. nº1 Casillas
    nº2 qualquer meco que esteja por lá e não se saiba o que fazer a ele
    nº3 alguém da B apenas para fazer número

    ResponderEliminar
  7. 1º: Casillas, porque é uma inevitabilidade
    2º: José Sá, acredito na sua capacidade

    ResponderEliminar
  8. O guarda-redes no FCP pode não ser a peça essencial para ganhar títulos, mas que ajuda muito, ajuda.
    Quem não se lembra do fantasma do Baía, onde Krajl, Wosniak ou Erickson não são nomes dos quais tenhamos particulares boas recordações. E os sucessores Rui Correia e Ovchinikov, apesar de melhores, decerto não entrarão em nenhum compêndio de memórias. Resumindo no séc XXI, a baliza portista pertence a praticamente 2 nomes: Vítor Baía e Helton!
    Como tal, já nos esquecemos do que é ter um mau guarda-redes como o foi Krajl.

    Fabiano teve um jogo miserável em Munique, mas não é mau de todo. Não se pode avaliar redes pelas fotografias vistosas, mas pela segurança que incute à defesa. E as suas características são positivas e equilibradas proporcionalmente.

    Casillas, é caro, mas é o melhor guarda-redes que tivemos após Baía e claramente superior aos restantes do plantel. É experiente e top mundial entre postes. As saídas a cruzamentos são o seu calcanhar de Aquiles. Se queremos uma época 2016/17 para ganhar títulos, na minha opinião deveríamos ter os melhores. Como tal, Casillas é um nome para manter.
    Nos 2º e 3os apostaria em Fabiano e José Sá. Gudino seria para rodar e Helton deveria pensar na reforma.

    ResponderEliminar
  9. Olá amigos Portistas.

    a minha escolha é Casillas e para suplente Andrés Fernandez, jogou a época toda no Granada, logo faz todo sentido.Mas atenção que são preciso portugueses na Lista para a Champions.

    Claude Puel irá decidir

    Saudações Portistas

    11DruL0Vic

    ResponderEliminar
  10. Para mim o Helton deveria passar para treinador de GR.

    Idealmente faria uma ultima época a acumular ambas as funções, e permitia ao Gudino e ao José Sá serem emprestados a um clube da 1ª liga para jogarem a titulares. Depois e para a época de 17/18 regressaria para 2º ou 1º GR's.

    Outra opção era a reforma de Helton, passando a treinador de GR ou algures na estrutura e a volta de um dos muitos GRs que temos emprestados, sendo que temos que terminar contrato com 2 ou 3 dos mesmos obrigatoriamente (venda ou rescisão).

    Para a Equipa B penso que o Diogo Costa tem de ser já considerado para alguns(muitos) jogos e mesmo com 17 anos, deveria ser já aposta. João Costa ficaria a rodar a baliza com o Diogo.

    ResponderEliminar
  11. Caro Tribunal,

    De forma muito simples, o que gostava de ver: José Sá e Gudino. Por esta ordem.
    O que eu acho que vai ser: Casillas e Helton.

    Um abraço,

    Porta 26, em blogporta26.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Iker e José Sá a suplente (mas já com algumas oportunidades para jogos do campeonato para ir rodando).
    Gudino emprestar a um clube.
    Helton permance como treinador de GK? Tudo o resto vender especialmente Fábiano e Andres Fernandez.

    Gostava de ver André Moreira (do Atlético que esteve emprestado ao União da Madeira) a representar o clube quando Iker sair.

    ResponderEliminar
  13. Tendo em conta tudo o que foi dito, penso que a utilizacao optima seria:

    Titular - Casillas
    Suplente - Jose Sa

    Terceiro GR e titular da B: Diogo Costa

    Helton com reforma antecipada (mas integracao na estrutura do clube) e Gudino emprestado.

    ResponderEliminar
  14. Fabiano Titukar,José Sá no banco. Emprestar o Gudino e despachar o resto.
    Helton podia ser integrado nos quadros do clube.

    ResponderEliminar
  15. Embora esteja muito agradecido a Helton por todos estes anos, não concordo com a sua continuidade. Não considero que ele tenha estado bem nos jogos anteriores na taça. Com o Gil Vicente ainda inventou tal e qual na final. Acho que o que ele já deu ao clube não pode ficar manchado por más exibições, por isso acho que o melhor é ir embora.

    Ficaria com Casillas a titular e José Sá a suplente. Gudino seria para emprestar.

    Abraços

    ResponderEliminar
  16. Casillas e Gudino no plantel A.
    José Sa emprestado, Helton passa para a equipa técnica e restantes é para despachar.

    Possivelmente será a última época de Casillas no FCP, então seria importantíssimo passar toda a sua experiência ao jovem Gudino.
    Certamente terá mais possibilidades de evoluir treinando com uma lenda diariamente e jogando nas taças, do que ser titular num clube de fundo tabela.
    1 ano para Preparar a sucessão a Casillas.

    ResponderEliminar
  17. Na realidade Casillas tem mais um ano de contrato com o FC Porto, portanto será o 1º GR.
    Depois Helton, pode anunciar o fim da carreira porque já não dá para manter um jogador que tem estado desmotivado |acho| e também pelo que ele já fez aqui nós só podemos estar agradecidos, incluindo eu, mas ninguém pode durar para sempre. Eu sei é a dura realidade.
    Portanto, confio mais no Gudiño para 2º GR, pelo que já provou aqui ter muito potencial.
    José Sá poderia ser emprestado, a um Vitória, ou então ganhar experiência lá fora.

    ResponderEliminar
  18. Casillas e Fabiano, com o terceiro guarda-redes da B, eventualmente o João Costa
    José Sá e Gudiño emprestados a equipas da primeira liga onde haja "garantias" de jogarem e competirem ambos pela baliza do Porto de 2017/18.
    Helton treinador de guarda-redes das camadas jovens para evoluir até se fixar na equipa principal

    ResponderEliminar
  19. Ruben Alves no Braga...

    Foi nosso internacional Junior A e não ficou!

    Mais um no Braga que vai render uns milhoes.

    Aquela dupla de centrais Andre Pinto e Ricardo Ferreira (ex juniores do FCP) é bem melhor que as que nós apresentamos.

    E Ricardo Ferreira vai render.

    ResponderEliminar
  20. Temos 10 GR em contrato, 6 ou 7 tem q deixar devpesar nos encargos!!! Ficar com Casillas e Jose Sá e não comprem mais GR.Helton despede-se com homenagem no 1. Jogo da época.

    ResponderEliminar
  21. Casillas titular, Helton reforma a integrar talvez a equipa técnica da B e Sá suplente, Gudiño na primeira liga com garantia de titular! Na B João Costa. Casillas dá mais que garantias... venha o tópico de centrais!

    ResponderEliminar

  22. Gudiño cometeu erros graves no União da Madeira, deve continuar a rodar e mostrar mais potencial.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.