quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Em Roma sê Porto

Já era difícil, agora tornou-se ainda mais. Não foi um problema de falta de empenho, de todo. Antes de falta de eficácia, cabeça e bastante clarividência em alguns momentos do jogo. O caudal ofensivo esteve lá, mas houve demasiada precipitação, tanto que em mais de 60 minutos a jogar contra 10 o FC Porto só marcou de penalty. E numa segunda parte que até foi bem conseguida, além do penalty (não esquecendo outro que ficou por marcar), o FC Porto só fez mais um remate na direção da baliza adversária. A parra foi vasta, a uva nem tanto e ainda não se percebe muito bem o que pretende Nuno Espírito Santo semear e colher, sabendo que os terrenos que tem à disposição não são os mais férteis. Os ventos de Roma ameaçam levar tudo. Pensemos nisso depois de vencer o Estoril.





Movimentações de André Silva
André Silva (+) - André contra o mundo. Se é certo que não foi particularmente incisivo no remate (apenas 2 em 8 à baliza), André Silva garante uma coisa que, por exemplo, Aboubakar não conseguia fazer: presença permanente. O FC Porto sente sempre que André Silva está ali. Sente sempre que há uma referência para segurar a bola, para vir buscar jogo, para atacar o espaço na grande área. É um ponta-de-lança completo, desinibido. Estreou-se na Europa com um golo, aos 20 anos. Fernando Gomes tinha 22. Não errou um único passe (15/15), arrancou 5 faltas e correu todo o meio-campo adversário, nunca tendo deixado de marcar presença na grande área, ligeiramente descaído para a direita. Vejam o heat map. Será muito difícil ir à Champions, mas se o FC Porto tiver hipóteses de ir as mesmas passarão muito por André Silva.

Movimentações de Otávio
Otávio (+) - Outro menino em estreia em noites de Champions. Também contribuiu para muito desacerto nos remates (1/6, capítulo a melhorar), mas foi sempre a gota de criatividade e capacidade individual no FC Porto. Foi o mais solicitado durante toda a partida (tocou 80 vezes na bola), meteu 5 bolas em zona de finalização e foi dos poucos a ter capacidade para, num rasgo, abrir a defesa da Roma. Está a acrescentar - e a disfarçar - muitas coisas neste arranque de época, e é cada vez mais claro que faz a diferença em zonas interiores. Quando, ou se, chegar um extremo ao plantel, desviá-lo para ser o homem mais adiantado do meio-campo será um passo natural.




Não foi discreto, foi péssimo (-) - Nuno analisou que o FC Porto teve «20 minutos discretos». Não foram discretos. Na verdade deram bem nas vistas, de tão maus que foram. O FC Porto iniciou a partida como uma equipa incapaz de assumir o jogo, de construir uma jogada, de fazer circular a bola. A pressa de meter a bola na frente era tanta que o chutão para André Silva chegava a ser irrisório. O FC Porto quer ser uma equipa de transição rápida, mas isto não é transição rápida, isto é dar a bola ao adversário e não perceber que tem que ter calma para construir, calma para perceber que para jogar em transição rápida é preciso ter espaço; e por vezes é preciso criar esse espaço antes de isso acontecer. Este trio de meio-campo - melhor, a organização deste trio - dificilmente durará muitos jogos (Herrera não pode jogar tão atrás, André não pode jogar tão à frente), ainda que o FC Porto tenha esboçado um 4x4x2. O FC Porto chega aos 35 minutos com 30% de posse de bola. Nunca vimos uma equipa vir ao Dragão ter tanta posse de bola aos 35 minutos. Dirão que isso, por si só, não ganha jogos. Mas a verdade é que a Roma massacrou durante todo esse período e, não fosse a expulsão de Vermaelen, as coisas poderiam ter ficado ainda mais feias. 

Chuta, cruza, chuta, cruza (-) - O FC Porto teve oportunidades para ganhar o jogo. Atacou muito (67 vezes), mas muitas vezes sem nexo. Os remates de fora da grande área (13) quase nunca levaram perigo. O FC Porto teve sempre dificuldades em entrar ou aproximar-se da grande área em progressão. Na segunda parte, a equipa descobriu espaço nos corredores, mas os jogadores poucas vezes conseguiam ir à linha, optando por cruzar ainda com alguma distância. O FC Porto fez 30 cruzamentos na partida, 22 dos quais na segunda parte, mas há limites para André Silva; e o FC Porto perdeu muito com a saída de Adrián López, cujas movimentações estavam a beneficiar André Silva (e o espanhol teve ações importantes no ataque). O mais irónico é que, a determinada altura, o FC Porto está sempre a meter bolas na grande área e faltava lá mais alguém para ganhar nas alturas, para bater os centrais. Depoitre, Aboubakar e Gonçalo Paciência, por diferentes razões, não deram um contributo que podia ter sido útil. 

A tradição (-) - 13 minutos de competições europeias 2016-17 e o FC Porto já tem um lance para o Watts da Eurosport. Casillas tremeu (depois salvou várias vezes o FC Porto), Alex Telles salvou, mas os fantasmas da época anterior continuam: o FC Porto treme pela mais pequena coisa na defesa. O autogolo de Felipe é um infortuito, mas em 2 jogos são já 2 golos sofridos em pontapés de canto. Na transição defensiva, o FC Porto está demasiadas vezes exposto e desequilibrado, sendo lento a recuperar. Na Roma, a maioria dos jogadores do seu 11 seriam titulares no FC Porto, o que diz muito da sua qualidade, mas uma vez mais o FC Porto sofre mais por erros próprios do que por imposição do adversário. Marcano vai sendo o melhor elemento da defesa. Isso se calhar diz muito.

O banco (-) - Nuno Espírito Santo não tem culpa da escassez de opções no banco. É inaceitável que um jogador valioso como Brahimi, o principal desequilibrador do FC Porto, não conte para o playoff da Champions. Para os mais esquecidos, foi muito graças ao argelino que o FC Porto passou o playoff de 2014-15. Para que raio foi Brahimi apresentado, então? Para não desvalorizar o ativo da Doyen? Para quê, se depois não conta para jogos importantes? Outrora o FC Porto vendia jogadores depois de eles darem o seu importante contributo à equipa; agora não só os jogadores não saem como não dão o seu contributo. No meio de tudo isto, Nuno fica com opções curtas para ir à Champions. A jogar contra 10, com a Roma completamente encostada às cordas, o FC Porto não teve opções para dar companhia a André Silva; e então que faz o FC Porto quando tem hipóteses de matar a eliminatória? Tira o jogador mais criativo da equipa (Otávio) e mete Evandro. Isto não é um FC Porto que explorou todas as suas opções para ganhar. Também porque, na verdade, não havia muito por onde escolher. Uma eliminatória começa a perder-se assim. E a culpa não foi de Nuno, nem de Felipe, nem de Herrera, nem de Depoitre. 

Duas notas. Rúben Neves não é o primeiro, nem o último jogador que está para entrar, mas depois o treinador muda de ideias. Não sabemos o que se passou durante a semana. Não sabemos se Rúben treinou sempre com os titulares, ia jogar de início e depois, em cima da hora, Nuno mudou de ideias; não sabemos o que lhe disse Nuno ao intervalo; nem sabemos o que levou Nuno a mudar de ideias. O treinador diz que num minuto as coisas mudam, e só ele saberá o que é, aos seus olhos, mudou naquele momento. Mas Rúben Neves, naquele momento, não foi o Rúben profissional; foi o Rúben adepto. Queria ver o FC Porto ganhar, queria ajudar, e deixou-se levar pela emoção. Está a viver uma nova realidade, pois saiu um treinador que favorecia as suas caraterísticas (Lopetegui) e tem tentado, nos últimos meses, encaixar em dinâmicas diferentes. Mas Rúben tem que ser mais rijo. A sua oportunidade vai chegar novamente. Rúben Neves não está aqui de passagem. É presente e futuro do FC Porto. Teve uma quebra, assumiu-o e vai fortalecer-se. À Porto.

A titularidade de Adrián López, que curiosamente foi relevada antecipadamente na TSF, por João Ricardo Pateiro, que também já tinha confirmado Nuno Espírito Santo como treinador do FC Porto atempadamente. Qual é o primeiro dado a retirar desta titularidade? É que Adrián tem que ser titular frente ao Estoril. Nenhum adepto do FC Porto admitirá que isto tenha sido uma titularidade à Cristian Rodríguez vs Barcelona na Supertaça Europeia, com a intenção de valorizar o jogador para uma venda. Por isso, a opção de Nuno visa recuperar o jogador, recuperar o ativo. E assim é, agora há que mantê-la.

Não valerá de nada Adrián ter jogado de início frente à Roma para agora voltar para o banco. Se é para recuperar o jogador, vamos recuperá-lo, mantendo uma aposta fixa. Por exemplo, teria sido demasiado fácil atirar André Silva para o banco depois das suas dificuldades iniciais até chegar ao primeiro golo pelo FC Porto. Mas José Peseiro, com a sorte de não haver uma alternativa a garantir mais, manteve a aposta em André Silva e os resultados estão à vista. Adrián teve ações interessantes frente à Roma, não foi de todo a tábua rasa que chegámos a ver em 2014-15, e é um ativo caro no plantel. Por isso, se é para recuperar o jogador, que se tenha a certeza que o FC Porto fez tudo o que era possível. Passar da titularidade para o banco ou para a bancada seria um sinal de que a titularidade de Adrián visava a sua valorização no mercado, e não a sua reintegração no FC Porto. Ninguém admitiria isso. Por isso, vamos Adrián, de início contra o Estoril. 

E esta é para calar os críticos, que dizem que o FC Porto não dá oportunidades aos jogadores da equipa B. Adrián López, há um mês, estava na equipa B e agora foi titular no play-off da Champions. Tomem lá!

33 comentários:

  1. Não posso votar no Marcano para melhor em campo? Gostei muito do jogo que fez (como já o tinha feito em Vila do Conde)

    ResponderEliminar
  2. também reparei nisso de a TSF ter "adivinhado" a titularidade do Adrian, é uma inaceitável fuga (?) de informação.

    ResponderEliminar
  3. Só 2 notas:

    - Não foi muita parra e pouca uva. Tivemos várias oportunidades de golo (2 penaltis, passe de Herrera para Otávio falhar isolado, pelo menos 2 oportunidades de golo desperdiçadas pelo AS, golo bem anulado por fora de jogo), apenas faltou eficácia.

    - A titularidade de Adrian tem de se manter para recuperar o jogador? Discordo. Nuno achou que neste encontro faria sentido jogar com 2 avançados, contra o Estoril pode ter uma ideia diferente, e a titularidade de Adrian depende disso.

    ResponderEliminar
  4. Adrien titular frente ao Estoril por alma de quem? Faz todo sentido Adrian a titular se jogarmos em 4-4-2, mas também faz sentido descansar jogadores e até voltar ao 4-3-3 e em qualquer destes casos Adrian no banco não choca ninguém.

    ResponderEliminar
  5. É uma vergonha a direção ainda não ter resolvido a situação de Brahimi e Aboubakar, chegarmos aos play-off da champions e não termos o plantel devidamente reforçado, quase fechado. O Otávio joga sempre como extremo porque não há mais ninguém em condições para aquele lugar, enfim, nem parece o FC Porto.
    Saiu-nos a fava no sorteio mas com a inépcia da direção não dá para exigir nada ao treinador. Que faça o melhor que puder.

    ResponderEliminar
  6. Não está nada fácil...
    Faltou cabeça e inteligência no meio campo para pensar o jogo e não confundir, contra ataque com chaviote para a frente!...
    Octávio, J Teixeira, A André, Herrera, Evandro, R Neves e S Oliveira, estará aqui esse pensador do nosso futebol?

    Brahimi, concordo que se venda o atleta mas de facto é uma postura dificil de perceber enquanto não aparecer ninguém...

    E como tenho repetido sempre nos comentários, o R Carvalho caía que nem ginjas nesta defesa, experiência e tranquilidade que o centro precisa... um atleta a custo zero para durar uma época enquanto o Filipe se adapta e procuramos outras opções!

    Vai ser muito difícil mas, já vi improvaveis mais impossiveis a acontecer! :)

    ResponderEliminar
  7. o que me fica do jogo são precisamente os primeiros 30 minutos, aqueles onde jogamos contra 11, com o resultado em 0-0, onde a Roma vulgarizou-nos fazendo-nos até passar por momentos patéticos.
    Agora depois de a Roma marcar e entregar a iniciativa do jogo como que a dizer "já fizemos a nossa parte", depois de a Roma estar a jogar com 10 e ter entregue completamente 3/4 do campo...essa parte do jogo é bastante discutível. A verdade é que apesar de tudo, corremos, suamos, tivemos vontade de inverter as coisas, registo isso, mas falta qualidade, faltam soluções, falta banco!!! É inacreditável numa eliminatória desta importância não termos um PL no banco, o ataque estar entregue a um miúdo de 20 anos, cheio de potencial é verdade, mas apenas um miúdo como se viu em vários lances onde pensou ser o Maradona...ver o banco de suplentes do nosso clube ontem foi...constrangedor! Há aspetos onde posso questionar as opções do NES, mas comparando com a gestão que tem sido feita pela SAD nem sequer é relevante questionar se o Otávio deve jogar pelo meio ou pela ala, ou se o Adrian foi boa ou má opção...mas o que é isto?! Nesta altura não ter um plantel fechado, não ter pelo menos precavido as necessidades mais básicas para fazer face a esta eliminatória que quer queiramos quer não é de enorme importância?! Sou só eu que me lembro da última entrevista de PdC no porto canal? das promessas em tom de ameaças que deram alguma esperança num futuro melhor e agora ver isto?!?! Anda tudo maluco?? Não há dinheiro? e porquê? Noutros tempos também não houve mas o que nunca faltaram foi soluções!!! Todo o respeito e toda a admiração do mundo por aquele que jamais alguém irá suplantar, agradeço do fundo do coração tudo o que me permitiu festejar até hoje, não peço que se demita, peço apenas que faça uma reflexão, séria, que seja capaz de perceber se tem ou não tem condições de continuar a liderar o clube, algo tem de mudar, não sei o quê, não estou lá dentro para saber o que se passa, mas estes últimos 6 anos têm sido de desculpas atrás de desculpas, erros atrás de erros, ausencia de comunicação, uma passividade no mercado alarmante e digo 6 anos incluindo os 2 títulos ganhos pelo VP porque já aí se via que as coisas não estavam bem, mas as vitórias ajudam a esconder muita coisa. O que se tem visto acima de tudo nestes últimos 2 anos é impensável, chegam a ser erros anedóticos, contratações de marega, suk, agora este belga que nem para jogar ontem deu...enfim!
    Parabéns a nós todos que ontem mais um vez lá estivemos, a ganhar ou a perder...sim porque não é perder que custa, também dói é verdade, mas o que custa mesmo é ver esta incompetência toda e esta passividade de quem manda!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O desinvestimento e contencao tem de se notar, claro. O que nao quer dizer que a medio prazo nao estejamos melhores.

      Eliminar
  8. O autogolo do Felipe não é um infortúnio, é falta de escola. Das primeiras coisas que se aprendem quando se começa a jogar à bola é a não defender completamente virado para a baliza. Com outro tipo de postura (e de abordagem), a bola batia mas não ia para a baliza.

    Quanto ao jogo, é esperar para que alguém vá para a rua em Roma. E mesmo assim não sei... Otávio é genial, espero que tenhamos opção de comprar o resto do passe do miúdo porque este não engana. Agora é notório que as alas têm mesmo que ser reforçadas urgentemente, e enquanto isso é mais que óbvio que uma equipa com tamanha falta de qualidade, não se pode dar ao luxo de desperdiçar um jogador como Brahimi.

    E para piorar, o problema do Porto está no miolo. Temos três titulares lentos a decidir, a circular e sem uma pinga de criatividade. Não temos alguém que faça uma tabela, que descubra uma linha de passe, que dê fluidez ao jogo, nada. É tudo tão lento e feito em esforço que é impossível melhorar com estes três jogadores. Venha pelo menos o Óliver, ou comece-se a jogar com quem realmente tem futebol nos pés... e na cabeça.

    ResponderEliminar
  9. o porto jogou muito bem tirando os 20 minutos que nao fora o infortunio de filipe tinha dado para ganhar a vontade. Com mais um def central e dois medios a serio e o campeonato sera limpar o cu a crianças. Continuam la os cancros que ninguem quer, herrera, abou, brhaimi, evandro, layun e mais um ou dois, paciencia tem lugar na equipa e nao se faz aquilo ao rneves, foi assim que nuno perdeu o balneario e o publico em valencia. Mandem embora mesmo ao desbarato os cancros, e contratem mais 3 jogadores mesmo bons , nao tem dinheiro ? apostem em jogadores nossos como paciencia, rafa e outros. Teles e um grande jogador. Nao gosto de jogadoir mexicano, passivo, contemplativo, acomodado, pouco raçudo como o povo a que pertencem. Temos chances so nao arrumamos a eleminatoria porque faltou experiencia europeia aos jogadores em campo, mas a epoca vai ser risonha, so nao ve quem nao quiser.

    ResponderEliminar
  10. Tanta ironia para explicar tanta coisa...
    Para bom entendedor, meia palavra basta!
    Infelizmente assim vai o nosso clube.
    Obrigado pelas suas crónicas.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  11. Nas notícias da TSF às 17h, não só confirmaram a titularidade como disseram "...confirmada pelo próprio Adrian". Isto sim, é mais estranho.

    ResponderEliminar
  12. O facto do Rúben Neves ter chorado só comprova que ele é ser humano e tem sentimentos. Mais nada. Para mim é um não assunto. Siga!

    ResponderEliminar
  13. bom jogo tirando 20 minutos. Os cancros continuam ca (herreraa, layun, evandro, brahimi, abou, e mais um ou dois ), ninguem lhes pega nem e borla se calhar. Precisamos ha anos de 2 medios a serio esse o grande problema do porto. Descobrimos um otavio mas faltam ainda dois, andre2 nao tem intensidade, serve para ajudar quando esta em excelente forma fisica mas pouco mais. Sem azarv e arbitro tinhamos a eleminatoria na mao com uma equipa com pouca experiencia europeia e de champions. TEMOS GRUPO, TEMOS VONTADE, senao tem dinheiro tem paciencia que tem lugar nos 24 e rafa podendo avançar teles um grande jogador. A roma tem equipa para 30 minutos, temos muitas chamces de passar. Nao podem acontecer e casos como rneves e paciencia soi assim que nuno perdeu o grupo e o publico em valencia, falta ainda algo a nuno mas ja tem um grupo coeso e com juizo e mais dois ,medios o campeonato sera limpar o cu a meninos.

    ResponderEliminar
  14. Somos Porto!!
    Bem até aí somos todos, mas depois existem aqueles que são mais emocionais, outros mais racionais e outros que são uma mistura dos dois anteriores.
    À medida que a idade avança acho que cada vez me insiro mais no terceiro perfil. Somos Porto com toda a paixão que o clube nos merece e com toda inteligência que o clube precisa.
    Criticar por criticar, aborrece-me um bocado, até porque, desde o Maniche (que veio de onde veio e nos mostrou todo aquela categoria futebolística), que me custa bastante criticar e não dar o beneficio da dúvida.
    Vejam lá que ainda acredito que o Adrian Lopez nos vai qualificar para a fase de grupos e fazer render todo o dinheiro (até agora mal) investido. Lá está, a paixão leva-me a ser um sonhador.
    Mas pronto, depois lá vem o meu outro lado, e ponho-me a pensar, onde estava o outro avançado que ontem precisávamos, para sairmos na frente da eliminatória, até porque jogamos sensivelmente 1 hora (55 min.) com mais um (claro que se o processo ofensivo estivesse melhor definido e afinado daria para esconder esse detalhe).
    Adiante…
    Temos o Abouba que não sai, nem joga!! E alternativas ao abouba!?
    Depoitre, claro!! Mas este, que bem falta fez ontem, principalmente devido à sua capacidade física (desgasta uma defesa e mesmo não marcando, massacra o adversário), não podia jogar!! Sinceramente é isto que me deixa f.., agastado. É aqui, ao nível da organização/gestão interna, que antes de eu conseguir censurar, precisava de entender, para onde vamos!!
    Então vejamos, o Depoitre veio como alternativa ao Aboubakar. Certo.
    Mas o Aboubakar ainda não saiu. Ok.
    Então não se pode dizer que é pelo Aboubakar ter saído que o Depoitre veio. Ok.
    E o Porto não fez nenhuma venda que lhe permitisse SÓ agora ir buscar o Depoitre.
    Ou seja, se é ponto assente que Aboubakar não contava para as contas do NES e/ou da SAD, e se não houve encaixe financeiro nenhum, porque é que o Depoitre (podia ser outro qualquer) não veio mais cedo e ainda por cima evitar que chegasse com jogos disputados em pré-eliminatórias por outros clubes!!!
    E já que erraram redondamente no timing, e uma vez que Aboubakar ainda cá está, porque é que o Porto foi a jogo nesta eliminatória sem inscrever pelo menos o avançado que ainda temos no plantel!!??
    É que agora na 2ª mão, não é preciso defender o resultado, é preciso marcar golos. E não é que com o André Silva não estejamos a dar conta do recado, mas se contássemos com mais presença na área as probabilidades eram maiores. E não é preciso ganhar, é preciso é marcar golos e quantos mais melhor (empate a dois golos já nos permite passar).
    Mas como tudo na vida, é preciso ver o lado positivo da coisa se as coisas correrem mal na 3ª feira.
    Por momentos esqueci-me qual era, mas já me lembrei. Se não houver milhões da champions também não há mamões.
    Vai ser preciso contenção porque não haverá guito para comprar (caro) e dar comissões. E também não estou a ver nenhuma venda milionária.
    Como contenção orçamental não tem que ser sinónimo de falta de reforços de qualidade no plantel, teremos que ser muito mais eficientes a ir ao mercado porque senão para o ano o filme pode-se repetir. Mais um aninho sem ser campeão e pior do que isso, em terceiro lugar, seria uma desgraça.
    Para a semana é preciso ter muito mais garra e objetividade, mas também os pés bem assentes na terra, e perceber que enquanto foram 11 contra 11 (em nossa casa) a coisa tava feia.
    Somos e seremos sempre Porto, mas há coisas que têm que mudar.
    Abraço
    Bruno Moreira

    ResponderEliminar
  15. No próximo jogo o ataque tem de ser composto por Corona A.Silva Adrian e sai o André A e o Otávio vai para número 10

    ResponderEliminar
  16. Parabéns pelo excelente artigo, não visualizei o jogo todo infelizmente, mas após leitura do artigo deu para ter uma ideia clara do jogo.

    Saudações Leoninas diretamente dos Açores, e boa sorte para daqui a uma semana

    ResponderEliminar
  17. "13 minutos de competições europeias 2016-17 e o FC Porto já tem um lance para o Watts da Eurosport. Casillas tremeu (depois salvou várias vezes o FC Porto)"

    Não percebo este Blog e também metade da nação portista. Salvou o Porto várias vezes? O que se passou é grave! Aquilo é um erro infantil (um de muitos) para um jogador que repito ganha milhões! Não me venham com a venda de camisolas ou com a notoriedade pública para o justificar. Este é um dos piores guarda-redes que vi passar no nosso clube. Não é um par de remates à figura que o fazem "salvar" o FC Porto.

    Em relação ao jogo em si:
    - André Silva e Octávio com nota muito positiva (incrível como são dois miúdos a levar a equipa às costas).
    - Danilo muito lento (tem uma perda de bola na primeira parte que leva qualquer adepto no estádio ao desespero).
    - André André sem nível técnico para jogar este tipo de jogos (principalmente desde a lesão). Criticam muito Herrera mas voltem a ver este jogo e reparem principalmente nos primeiros 60mins aquilo que André André faz.
    - Roma demonstrou grande capacidade ofensiva nos primeiros minutos mas também muitas debilidades defensivas. Pergunto-me se um "Porto" dos anos 2004-2013 não ganharia a esta Roma por 3 ou 4 golos (principalmente contra 10).
    - Falta de preparação do plantel. 60 Minutos, o jogo empatado, a precisarmos de marcar 1 ou 2 golos para relançar a eliminatória e olhamos para o banco e temos apenas Corona.. JCT não entra sequer para o lugar de André André ou Octávio numa altura em que a Roma já nem ataca.


    Resumidamente, venha dai a Liga Europa que com este resultado será praticamente impossível ganhar em Roma.

    Cumprimentos,
    Filipe

    ResponderEliminar
  18. Deste jogo o que me deixou mais preocupado foi a gritante falta de soluções. Se Brahimi e Aboubakar não contam e Depoitre não pode jogar a Pré-elimininatória, então porque razão pelo menos não se salvaguardam com Hernâni e Gonçalo Paciência? Compreendo que os jogadores não sejam as melhores opções para o NES mas são melhor que... nada! Ontem, a jogar contra 10 e com a possibilidade de garantir a vitória num jogo em que iniciámos sem extremos, tínhamos apenas Corona e Varela (que pelos vistos já não serve sequer para extremo, pois se havia jogo para entrar um extremo era ontem..) e ponta-de-lança nem vê-lo. E depois aos 80 tirar Otávio para pôr Evandro (um minuto antes era Rúben Neves..) diz tudo das soluções. Numa equipa que supostamente joga em 4-3-3 e contar apenas com Corona e Varela como extremos é ridículo. Se Brahimi não conta então que vá à sua vida e que jogue outro, mas não se pense que com Rafa os problemas ficam resolvidos pois acho que continuam a faltar soluções. Por fim, espero que seja como o TdD falou num post anterior.. que não se estejam a jogar as fichas só em Rafa, porque se sai furado estamos muito mal

    ResponderEliminar
  19. Esta Sad é uma anedota que mesmo tendo três meses para preparar um plantel consegue chegar a este jogo que era um dos mais importantes da época e conseguir não ter um avançado no banco de suplentes. André Silva vai ser um bom jogador, ainda não é, é por isso não pode ser só nos seus ombros que esteja a obrigatoriedade de marcar golos. Ainda tem muito para aprender pois um ponta de lança a sério não pode falhar aqueles dois golos em que fez o mais difícil que foi falhar. A culpa é da Sad e deviam ser corridos dada a sua incompetência.

    ResponderEliminar
  20. Viva Portistas!

    Na minha opinião, o NES tem uma parte ( e grande! ) da responsabilidade deste jogo "menos" conseguido. A alteração táctica efectuada na Equipa não trouxe nada de bom, bem pelo contrário. Este "4-4-2" limitou completamente a Equipa e os Jogadores. Sem me alongar muito, o meio campo do FCP não deu segurança à defesa e jogo ao ataque e tudo porque foi evidente a alteração táctica do mesmo. Herrera "encostado" à direita? André André ao "lado" de Danilo?
    Não sou dos que critica tudo e todos e que acha que o NES não é o Treinador ideal e que já estamos no fundo do poço, etc etc. Mas sou dos que acredita que quando erramos temos de assumir a nossa responsabilidade para aprender com os nossos erros ( para nada assumir já nos chegou o Lopetegui ).
    Saudações Portistas!

    ResponderEliminar
  21. insistir no trio Danilo,AAndré e Herrera no meio campo é um crime. Um deles tem de sair para jogar Otávio ao centro.Eu arriscava-me a dizer que tanto Herrera e AAndré deviam ficar no banco.Para jogar em 4-4-2 com Danilo a trinco e Otávio a 10 e Corona e Brahimi a extremos e ASilva e ALopez na frente.

    quem tem medo passa mal e o FcPorto e os treinadores que o representam parecem mais preocupados com os aspectos defensivos e com os adversários.

    É pena mas NES cedo cedo vai-se lixar se não mudar.

    Saudações Portistas

    11DruL0Vic

    ResponderEliminar
  22. É um paradoxo terrivel:
    - para entrar na Champions, precisamos dos melhores no plantel
    - para ter os melhores no plantel, precisamos de entrar na champions
    - os que poderiam contribuir para melhorar o plantel nao podem jogar na champions, sob pena de nao serem vendidos a um clube que jogue champions
    ...
    enfim

    ResponderEliminar
  23. Sim e não. Sim, o banco... Que desespero, que deserto. Não, a injustiça... Não achei o resultado nada injusto, aliás, não levarmos 3 ou 4 na primeira metade da primeira parte foi uma sorte. Sim, Otávio... Que jogão. Não, André Silva... Um grande ponta de lança não pode falhar tantos golos nem tantos golos fáceis. Ok, tem 20 anos, mas se for só para correr e desmarcar-se contrate-se o Obikwelu. De resto, Alex Teles e Felipe, enormes, mesmo apesar do auto-golo do central. Herrera não faz sentido para mim, muito menos num futebol rápido de transições e passe. Ah, e agora marca livres, ao nível dos joelhos do adversário, mas marca este tecnicista! André André... Não vejo que possa acrescentar nada atualmente ao Porto. E ver João Teixeira no banco sem sequer ser opção, para mim é quase um crime lesa futebol, mas isto sou eu que gosto de jogadores de classe. E o penalti que marcaram a nosso favor, na minha opinião foi mal marcado, pena que não tenham marcado o que foi, que dava jeito marcar na primeira parte.
    Ah, e será que o Depoitre fez mesmo falta?!
    Foi assim que vi o jogo. Abraços.

    ResponderEliminar
  24. Nos processos defensivos a equipa tem que melhorar no meio campo, muitas vezes Danilo parece descoordenado com o resto, ou seja sozinho e encosta aos centrais, perde-se o bloco do meio campo.

    O 4-4-2 é uma excelente táctica tanto com equipas grande como pequenas, ficamos com 2 homens com possibilidades de finalizar, foi um terror para os centrais da Roma.

    Os processos ofensivos estão mal definidos, demoramos muito tempo a criar desmarcações, parece que temos medo de perder a bola e arriscar.

    Como é que ninguém menciona o barraco que foi para entrar no estádio!! Houve uma entrada cortada e uma desinformação total sobre por onde os adeptos deveriam entrar, muita gente teve que dar quase uma volta completa ao estádio para chegar ao seu lugar. Isto para não mencionar o rigor na forma como foram revistados os adeptos.

    A Roma é um adversário que está muito melhor que nós, mas com sorte e concentração é possível, eu acredito!

    ResponderEliminar
  25. Concordo q o NES não tem meios para demonstrar se é o tal treinador... Mas contra 10, em casa, a massacrar e dp de igualar o marcador (a Roma estava morta) para quê colocar um defesa esquerdo no meio campo? Nem vou discutir quem deveria entrar mas o sinal que devia ser transmitido para a equipa era pra cair em cima até virar o jogo, mas o q deu a entender foi vamos segurar o jogo é se der lá marcamos. A Roma tb percebeu e cresceu. A saída do Adrian, acabou com a profundidade porque o André ficou sozinho na frente. O NES teve medo contra 10. Espero estar enganado e que nos prove q as eliminatórias são ganhas em 180 min. Pq 90 já passaram e deixamos passar a vantagem casa e a vantagem numérica. Ou será que jogar contra 10 não é uma vantagem a aproveitar?
    Sábado lá estarei Pooorto

    ResponderEliminar
  26. Uma pequena nota apenas para a defesa dos cantos que continua escandalosa e unicamente a ser à zona! Como é possível retroceder-se tantos anos para voltar a defender assim? Sofremos 2 golos este ano e foram ambos de canto. Basta repetir os lances e percebe-se que os jogadores estão completamente perdidos ali no meio. Não conseguem acompanhar qualquer movimentação dos adversários e a bola ao mesmo tempo. Hoje em dia todas as equipas defendem ou homem a homem ou mista, mas nunca só à zona. Desposicionar uma defesa assim é básico. Alguma coisa tem que mudar..

    Francisco

    ResponderEliminar
  27. Concordo com tudo, menos com Adrian a continuar a titular. Para que? Não me lembro de fazer um remate (legal) à baliza, não fez nenhum passe para golo... Só para beneficiar André Silva? Então contratem alguém de jeito para essa posição. Comparando com Jonas (que joga na mesma posição) ... Bem ... Não vale a pena comparar...
    Uma jogador que foi o melhor para mim do início ao fim foi Alex Telles, temos finalmente lateral esquerdo, falta lateral direito...
    Simplesmente ridículo o melhor jogador Porto não contar para nada .... Brahimi

    ResponderEliminar
  28. Boa crónica, acho apenas que faltou uma nota relativamente ao Danilo que esteve muito sólido a varrer tudo o que vinha da Roma!
    Um abraço
    PM

    ResponderEliminar
  29. isto não tem ponta por onde se lhe pegue, que desnorte existe no dragão!

    as semelhanças com o slb dos anos 90 é gritante e assustadora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. E, não é de agora... benfiquizou- se o FCPORTO , de há uns anos para cá, mesmo tendo ganho os seus 3 ultimos campeonatos.

      Eliminar
  30. O problema é que nem Adrian nem Corona se dão bem do lado esquerdo do ataque.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.