quarta-feira, 13 de abril de 2016

Sempre se pagaram comissões

«Sempre se pagaram comissões». Esta frase ganhou espaço em todas as discussões sobre o pagamento de comissões feito pelo FC Porto, em particular por parte de quem defende inteiramente a política levada a cabo pela SAD neste aspeto.

À partida, nunca ninguém disse que o FC Porto nunca pagou comissões, o que retira desde logo toda a lógica e peso a essa argumentação. O que está em causa é que, provavelmente, muitos adeptos só se interessam com isto pois a equipa não está a conquistar títulos. Se o FC Porto estivesse já com festa à vista nos Aliados, possivelmente muitos não se importariam com quantos milhões e para quem iriam sair dos cofres da SAD.

Mas na verdade, isso é mais legítimo do que possa parecer. Para muitos adeptos, o problema não é o pagamento de comissões: é o pagamento de milhões que não têm retorno desportivo. É o pagamento de milhões ou comissões que não resultam num benefício para o FC Porto. A política de gestão da SAD do FC Porto é, há anos, estar sempre no risco financeiro para ter retorno desportivo; se o retorno desportivo não está a aparecer, é normal que o modelo seja criticado.

«Sempre se pagaram comissões», é verdade. Mas a questão que se deve colocar é: hoje pagam-se mais comissões do que antes? São essas as contas que O Tribunal do Dragão fez:

(*) 6 primeiros meses de 2015-16. Dados dos R&C anuais da SAD. As comissões incluem encargos e contratos
Nota prévia: a época 2015-16 inclui apenas as despesas dos primeiros seis meses da temporada; e todos estes valores dizem respeito a «encargos com serviços de intermediação nas aquisições de passes de jogadores», «bem como na negociação e renegociação dos contratos de trabalho com jogadores». Ou seja, não estão incluídas as comissões pagas pelo FC Porto nos momentos de vendas de jogadores, apenas na compra ou elaboração de contratos. Em relação a 2015-16, o valor ainda vai aumentar com os negócios feitos em janeiro pela SAD. Posto isto, algumas notas soltas sobre as comissões/encargos pagos pela SAD nas últimas 10 épocas:

- Em 2011-12, época seguinte à conquista da Liga Europa, a SAD atingiu o topo do pagamento de serviços de intermediação: mais de 11M€. Tal explica-se pelos elevados encargos envolvidos nas contratações de Danilo (4,839M€), Mangala (1,02M€) e Defour (1,85M€) - os dois primeiros deram grande retorno desportivo e financeiro. Nessa época, o FC Porto investiu um valor líquido de 56,517M€ em contratações (78,29% das receitas operacionais da SAD) e terminou com um prejuízo consolidado de 35,76M€ - o que marcou uma série de cinco épocas sempre a dar lucro.

- As comissões/serviços de intermediação têm aumentado sucessivamente desde 2012-13 - à imagem do que foi acontecendo entre 2005-06 e 2011-12.

- Só nos primeiros seis meses desta época, a SAD gastou mais 2,568M€ do que no conjunto das três primeiras épocas com Jesualdo Ferreira, na qual o FC Porto foi sempre campeão.

As mudanças desde 2010
- Nas quatro épocas em que a SAD mais pagou em comissões e encargos, o FC Porto só foi campeão numa, em 2011-12. Se é verdade que no futebol português a equipa que mais investe é, por norma, a campeã (2015-16 vai ser uma das exceções), investir mais em encargos/comissões não garante nada.

- Nos últimos dois anos e meio, o FC Porto pagou 18,97M€ - há a expetativa de ver se este valor atinge os 20M€ com os negócios do mercado de inverno. Assim sendo, em dois anos e meio em que o FC Porto não ganhou nada, os encargos são quase tantos como os das últimas cinco épocas em que o FC Porto foi sempre campeão (20,349M€).

- Na era Jesualdo Ferreira, o FC Porto foi sempre aos 1/8 da Liga dos Campeões e pagou apenas 7,217M€ de comissões - menos do que o valor total a ser pago na época 2015-16, em que o FC Porto só pode ganhar uma Taça de Portugal.

- Exceção feita a Jackson Martínez, as últimas grandes vendas do FC Porto foram feitas com jogadores contratados em 2011-12, a época em que houve mais encargos (Danilo, Alex Sandro e Mangala).

O resistente de 2013
- Entre 2006 e 2010, anos em que as comissões/encargos nunca foram além dos 3,045M€, o FC Porto contratou jogadores como Fernando, Hulk, Rodríguez, Sapunaru, Rolando, Guarín, Álvaro Pereira, Falcao ou Belluschi; ou seja, uma base de jogadores para ganhar campeonatos e Liga Europa com grande brilhantismo, e em que alguns geraram as mais-valias necessárias para que a SAD nunca desse prejuízo (entre 2006 e 2011 deu sempre lucro). Além disso, durante esse espaço de tempo fez vendas como Diego, Anderson, Pepe, Quaresma, Bosingwa, Lisandro, Lucho ou Cissokho.

- De todos os jogadores contratados pelo FC Porto desde 2013, que implicaram o pagamento de encargos de pelo menos 18,97M€, ainda nenhum proporcionou nenhuma venda significativa ao FC Porto (a mais-valia por Imbula é reduzida, por ter sido vendido quase a preço de compra e menos de meio ano depois de ter assinado pelo FC Porto), acima dos 10M€. Importa recordar que o FC Porto, pela voz de Antero Henrique, assumiu que a sua gestão implica ciclos de três anos para os jogadores do clube. Ou seja, a fornada contratada em 2013 deveria começar a dar lucro agora neste verão (de todos esses jogadores, só Herrera, que tecnicamente foi contratado no exercício de 2012-13, está no plantel). Quantos dos jogadores do atual plantel estão em condições de garantir as mais-valias necessárias?

- Tendo em conta a última década. Entre 2006 e 2011 o FC Porto pagou uma média de 2,353M€ por época; já entre 2011 e 2016 pagou, até ao momento, uma média de 6,52M€, ou seja, quase o triplo da primeira metade da década. Podemos considerar uma hipotética inflação no mercado do futebol, mas o triplo parece ser um pouco puxado. E há que lembrar que entre 2006 e 2011 o FC Porto ganhou quatro campeonatos e uma Liga Europa, enquanto entre 2011 e 2016 ganhou dois campeonatos.

ADENDA: face à pertinente sugestão de um leitor no Facebook, O Tribunal do Dragão acrescenta a relação entre comissões/encargos e o valor total das aquisições feitas pelo FC Porto por época (o que inclui contratações e compras de passes de jogadores que já eram do clube).
- O padrão de aumento desde 2011 é claro, e tem na época 2012-13 a grande exceção (curiosamente a última época em que o FC Porto foi campeão). De recordar que Pinto da Costa disse, na última entrevista, que o FC Porto paga «5 a 10%» por operação aos empresários. Neste caso, importa ter em conta que o valor dos encargos inclui variantes como prémios de assinatura e direitos de imagem, logo o dinheiro não se destina todo aos empresários. Daí que o facto de nas últimas 5 épocas o FC Porto ter ultrapassado, em 4 ocasiões, os 10% (e de já ter ultrapassado os 25%) não significa que os empresários estejam a receber acima das percentagens afirmadas pelo presidente do FC Porto.

É verdade. O FC Porto sempre pagou comissões/encargos, como todos os outros clubes. O problema é que nunca pagou tanto por tão pouco retorno desportivo.

PS: Foram considerados apenas os encargos com compras de jogadores e celebração de contratos, e não as percentagens de passes que se atribuem a agentes/fundos aquando da compra de jogadores e renovações de contratos. E uma vez mais, importa lembrar que não estão incluídas as comissões pagas nos momentos de vendas de jogadores (daí que Pinto da Costa tenha dito, por exemplo, que o FC Porto pagou 11M€ em três anos a um empresário, e que este valor pareça exagerado face aos números que estão aqui apresentados). 

37 comentários:

  1. Parabéns ao Tribunal do Dragão pelo brilhantismo na exposição dos factos do nosso grande clube, que passa por uma fase difícil, a lembrar noutros tempos, os clubes da 2ª circular.
    No entanto, neste caso das comissões que o clube paga (para mim exageradas, sem dúvida, para o resultado obtido), devia-se ter em conta a comparação com os outros clubes.
    É porque assim dava para perceber se foi o futebol que mudou e assim hoje, se paga comissões, por tudo e por nada, para ter jogadores, ou se foi só o nosso clube que entrou numa espiral do "saque" para favorecer certas pessoas do clube ou ligadas ao clube.
    Saudações portistas.

    ResponderEliminar
  2. Tribunal do Dragão mais uma vez assertivo. Cada vez mais dinheiro gasto e cada vez menos qualidade se vê no plantel. A juntar a isto as renovações com jovens da formação onde se perdem percentagens significativas do seu passe (hipotecando futuras receitas) sem justificação plausível, o favorecimento de familiares de administradores sem que aparentemente nada façam para o justificar e a contratação de jovens jogadores para a equipa B (que curiosamente também acabam por não justificar) por valores que davam para comprar bons reforços para a equipa principal, só pode gerar preocupação nos sócios. Pelo menos naqueles que querem o melhor para o seu clube e não admitem que certas coisas aconteçam.
    Algo de muito mau se passa e não o podemos permitir.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns TD pela clareza, objetividade e Portismo.
    O TD continua a ser um formador de massa critica e consciência Portista.
    Continuem a ser corajosos e destemidos, o FC Porto precisa de gente assim e não lambe botas.

    ResponderEliminar
  4. Deve ser o artigo mais fraco do Tribunal de Dragão! Muito incompleto! Um assunto desta natureza merece um tratamento muito mais aprofundado e sustentado, como de resto é habitual neste espaço...

    As compensações pelas compras e vendas de jogadores no nosso clube desenvolveram noutras espécies e ganharam vidas próprias! Deixaram de ser formas simples de comissões para empresários para partilhas de passes, serviços de scouting e outras serviços só explicáveis por dialetos da 5ª dimensão, incompreensíveis ao comum dos mortais mas de certeza muito justificáveis perante o superior interesse do nosso clube!

    E aí é que a coisa passa para o domínio da estratosfera...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, só se pode fazer uma análise em síntese com os elementos que se tem ao dispor. Nós não sabemos de forma estruturada dessas operações da 5ª dimensão...

      Eliminar
  5. Aprecio estas análises, mas o mercado é cada vez mais feroz e "qualquer" clube possui a mesma informação do FCP, logo a concorrência é bem diferente do que era à 10 anos atrás. Além disso poucos são os jogadores contratados por valores elevados sem decisão sustentada.

    Podemos ver o caso do Herrera.
    Com 22/23 anos era titular da seleção mexicana e tinha sido considerado o melhor jogador do Torneio de Toulon. Veio por um valor alto mas foi uma aposta sustentada no potencial que apresentava e cujo risco não é possivel calcular em termos exatos. Ainda hoje é um jogador que divide opiniões, no entanto ninguém pode duvidar que foi contratado acreditando que o valor dele + dinamica Porto iria fazer dele um jogador top.

    Tudo isto traduzido em valor de transferencia, salário, comissão não merece contestação por parte dos adeptos, pois só não erra quem não tem obrigação de tomar decisões. O futebol não é um negócio que de repente toda gente compreende.

    Apoio que devemos estar atentos mas também não aprovo tanta demagogia em cima de assuntos bem mais complexos do que numeros...

    ResponderEliminar
  6. «Quantos dos jogadores do atual plantel estão em condições de garantir as mais-valias necessárias?»

    Pois, é o que dá as aventuras Lopeteguianas: já estão a falar em vender o melhor jogador do Porto, Danilo. É isto que o Lopetegui nos deixou: despesa, despesa e mais despesa. Os jogadores que deram lucro até agora, foram os que já cá estavam, exceção feita ao Casemiro que não creio ter sido o Lopetegui a negociar o contrato de recompra. Enfim, continuemos saudosos dos tempos do Lopetegui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Interessante.

      As mais-valias geradas entre 1 de junho de 2014 e 31 de dezembro de 2015 já são superiores a todas as aquisições que foram feitas enquanto Lopetegui foi treinador do FC Porto (e isso inclui contratações para a equipa B, compras de percentagens de passes, renovações de contratos, serviços de intermediação).

      Em 18 meses, 113,511M€ de mais-valias.

      Se todas as «despesas» fossem assim, o FC Porto nadava em lucros todos os anos.

      Se a valorização de Danilo, Alex Sandro ou Jackson não conta, isso é o mesmo que considerar que o Octávio Machado teve mérito no trabalho de José Mourinho, visto que Mourinho herdou 7 dos seus titulares; ou que Villas-Boas quase não teve trabalho em 2010-11, visto que quase foi só acrescentar João Moutinho à equipa do Jesualdo.

      O Paulo fica à vontade de sustentar a «despesa, despesa e mais despesa» recorrendo a números e factos, claro.

      Eliminar
    2. Como se esses três jogadores valessem 0 e com Lopetegui passaram a valer 100M. Lopetegui não os valorizou por aí além, se o FC Porto tivesse vendido os três antes de começar a época do basco, provavelmente conseguiria o mesmo valor. Mas isso depende mais do estado do mercado do que do trabalho de Lopetgui.
      Jackson Martinez bem que o podemos agradecer a Vítor Pereira

      Eliminar
    3. Portanto o caro anónimo acredita que se o Fc Porto não tivesse atingido os quartos-de-final da liga dos campeões na época transata seria possível ter transferido Jackson, Danilo e Alex Sandro por aqueles montantes.

      Eliminar
    4. Por acaso, tenho de concordar que Lopetegui pouco contribuiu para a valorização de Jackson, Alex Sandro e (talvez) Danilo.
      Ora vejamos, se bem me recordo até ficamos a perder 5 milhões com Jackson, pois baixou a cláusula de rescisão para se manter no clube. Já antes de Lopetegui era um jogador valorizado e com mercado. Quanto a Alex Sandro, muitos adeptos e sócios escreveram que a época realizada (por Alex Sandro) antes da chegada de Lopetegui tinha sido melhor que a época com Lopetegui. Quanto a Danilo, apesar de ter muito mercado e ter-se valorizado enquanto jogou no FCP, aqui sim talvez dê o braço a torcer, fez a melhor época quando o FCP tinha Lopetegui ao comando, mas mesmo assim não teve uma profunda influência para o valor da venda visto que já era um jogador muito valorizado. Tanto Danilo como Alex Sandro já tinham o "pedigree" da seleção brasileira.

      Casemiro, Lopetegui deu-lhe confiança e hoje apresenta-se em bom plano no Real Madrid, assim como ao Oliver que foi uma pena não ter ficado no FCP para ir aquecer o banco no Atlético de Madrid. Aqui sim, Lopetegui foi fundamental.

      Já agora, com uma boa equipa, no 1º ano de Lopetegui contam-se com os dedos de uma mão os bons jogos que o FCP realizou para o campeonato. Isto também é importante referir.

      Sendo ainda mais importante salientar que não foi por Lopetegui que o FCP está como está.


      Quanto às comissões, há comissões e comissões e os administradores já esgotaram as desculpas todas.

      Eliminar
    5. O próprio Pinto da Costa não teve problemas em assumir publicamente que o empresário fica com 10% da venda. Isso valoriza muito mais o jogador do que trabalhar um ano com um treinador. Desde que o jogador tenha qualidade o empresário depois faz o resto. Depois há a vantagem dos jogadores em Portugal terem salários muito mais baixos do que nas outras principais ligas europeias, isso torna o jogador mais barato mesmo que o clube pague 30 ou 40 milhoes pelo passe.

      Eliminar
    6. «As mais-valias geradas entre 1 de junho de 2014 e 31 de dezembro de 2015 já são superiores a todas as aquisições que foram feitas enquanto Lopetegui foi treinador do FC Porto»

      Ótimo, Tribunal do Dragão! E o que aconteceria se não se tivesse deitado tanto dinheiro fora? Seriam ainda mais superiores!

      «Se a valorização de Danilo, Alex Sandro ou Jackson não conta, isso é o mesmo que considerar que o Octávio Machado teve mérito no trabalho de José Mourinho, visto que Mourinho herdou 7 dos seus titulares; ou que Villas-Boas quase não teve trabalho em 2010-11, visto que quase foi só acrescentar João Moutinho à equipa do Jesualdo.»

      Tribunal do Dragão, porque é que o Lopetegui não valorizou o Adrien Lopez? Esse é que dava um jeitaço ter sido valorizado - ao preço que veio! Ele pelos vistos é tão bom a valorizar jogadores, podia ter valorizado esse coxo. E outra coisa, porque é que o Jesualdo e o André Villas-Boas valorizaram tantos jogadores e nunca conseguiram valorizar o raio do Varela que ainda anda para aqui a arrastar-se? E já agora, quem é que valorizou o Danilo? Foi o Lopetegui, o Rui Barros, ou o Peseiro? Estou um bocado confuso...

      «O Paulo fica à vontade de sustentar a «despesa, despesa e mais despesa» recorrendo a números e factos, claro.»

      TdD, não ando a ler R&C como você, mas também se me picar a esse ponto, sou capaz de os ler todos e ficar a saber aquilo de trás para a frente, acredite! Para já, a mim basta-me só isto: o Porto está obrigado a vender. É mentira isto que estou a dizer? Não, não é. E porque é que está obrigado a vender? Porque gastou mais do que podia. E porque o fez? Porque tinha um treinador despesista! Vamos ficar sem o Danilo, portanto, ao que parece. Mas o maior problema não é o que o Lopetegui gastou, é o retorno que não vai haver com o que ele gastou - tudo flops! Volto a dizer, só fez dinheiro com os jogadores que já cá estavam.

      Eliminar
    7. Algumas notas:

      «E porque é que está obrigado a vender? Porque gastou mais do que podia. E porque o fez? Porque tinha um treinador despesista!»

      A gestão da SAD implica, há anos, obter mais-valias para subsistir. É uma política da SAD, não de Lopetegui. A SAD precisa de vender este ano como precisou nos tempos de Jesualdo, nos tempos de Mourinho, basicamente sempre desde 1997.

      Sobre o caso Adrián López, sem dúvida aquilo a que chamamos um «flop». Só nunca foi esclarecido por que é que apareceu o leak a dizer que o acordo para a transferência de Adrián López foi feito a 9/7/2013, ou seja, um ano antes de Lopetegui chegar. O FC Porto, tendo uma gestão de excelência, custa acreditar que dois responsáveis da SAD tenham assinado um texto que tinha logo um erro no cabeçalho, sobretudo sendo um negócio de 11M€; mas se era uma gralha, não custaria nada esclarecer. Mas pode crer, ser jogador de Jorge Mendes conta muito mais do que ser desejado por Lopetegui. Até porque não foi Lopetegui a prometer cobrir os 11M€ se a coisa corresse mal.

      Varela já teve um bom pico de valorização. Melhor marcador português do Estádio do Dragão, tricampeão, titular com todos os treinadores do FC Porto (curiosamente menos Lopetegui), internacional português que marcou no Europeu e no Mundial. Não é possível valorizar todos os jogadores a ponto de ter vendas milionárias.

      «Volto a dizer, só fez dinheiro com os jogadores que já cá estavam.»

      Nesse caso, quando/se Danilo Pereira, Corona ou Brahimi saírem por bom dinheiro (certamente o suficiente para cobrir todas as compras da era Lopetegui e ainda gerar lucro), que futuro treinador pode colher méritos? É que estes já cá estavam.

      Eliminar
    8. Paulo Monteiro, Chove em Braga, será culpa de Lopetegui?

      Cumps

      Eliminar
    9. Carrela, «O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto».

      Não queres ter espírito crítico e deixar a tua opinião e análise, em vez de simplesmente ironizares com as dos outros?

      Cumps

      Eliminar
    10. «A gestão da SAD implica, há anos, obter mais-valias para subsistir. É uma política da SAD, não de Lopetegui. A SAD precisa de vender este ano como precisou nos tempos de Jesualdo, nos tempos de Mourinho, basicamente sempre desde 1997.»

      TdD, creio que sabe melhor que eu que este ano trata-se de cumprir o fair-play financeiro. A obrigação em vender já ultrapassa o negócio, há obrigatoriedade de obter um certo valor e prazo para o obter.

      «Só nunca foi esclarecido por que é que apareceu o leak a dizer que o acordo para a transferência de Adrián López foi feito a 9/7/2013, ou seja, um ano antes de Lopetegui chegar.»

      Vamos raciocinar. O Porto comprou o Adrien Lopez por 11 milhões, na mesma altura que assina com o Paulo Fonseca e reforça a sua equipa com jogadores da 1ª liga Portuguesa. Deixa o Adrien Lopez de molho no Atlético de Madrid um ano e depois elabora todo um projeto de futebol, desde treinador a jogadores, à volta do Adrien Lopez, para ele se sentir em casa. Mesmo assim, ele não se adapta ao clube, sai emprestado, e por causa dele temos de levar mais um ano com o Lopetegui e a armada espanhola. Faz sentido...

      «Mas pode crer, ser jogador de Jorge Mendes conta muito mais do que ser desejado por Lopetegui. Até porque não foi Lopetegui a prometer cobrir os 11M€ se a coisa corresse mal.»

      Normalmente o Jorge Mendes conta para vender. O Porto quis-se agigantar com a contratação do Lopetegui e meteu-se em negócios que não devia.

      «Não é possível valorizar todos os jogadores a ponto de ter vendas milionárias.»

      Pois não, sabe porquê? Porque são os jogadores que se valorizam a si próprios. Quem é o responsável por eles se valorizarem nos torneios de selecções? O treinador dos clubes? Os selecionadores? São eles próprios! O TdD fez a relação Otávio/Mourinho para atribuir a valorização dos jogadores do Porto ao Mourinho. Sabe o que disse uma vez Otávio sobre o Deco? «O Deco é o nosso Zidane». Era mau treinador, mas de burro não tinha nada.

      «Nesse caso, quando/se Danilo Pereira, Corona ou Brahimi saírem por bom dinheiro (certamente o suficiente para cobrir todas as compras da era Lopetegui e ainda gerar lucro), que futuro treinador pode colher méritos? É que estes já cá estavam.»

      Nenhum treinador, é essa a questão. Para mim o mérito da valorização do Danilo Pereira vai todo para o próprio, que num ano de três treinadores continuou sempre o mesmo. Ou começou a jogar pior depois da saída do Lopetegui?

      Eliminar
    11. Convenhamos que valorizar jogadores como Danilo, Alex Sandro ou Jackson não é nada do outro mundo, principalmente se for tido em conta que valorizados já eles chegaram ao FC Porto...

      Eliminar
  7. Amigos. Obrigado pelos excelentes artigos que tem proporcionado aos Portistas. Bem hajam. Abraço
    José Lima blogue misticaazulebranca

    ResponderEliminar
  8. Os custos com renovações: por exemplo o caso André Silva, lembro que o André Silva esteve para não renovar, foi noticiado o interesse de clubes ingleses, e ele só renovou provavelmente para o seu empresário ficar com uma fatia do seu passe, o mesmo fez o Jackson Martinez e Falcão. Acredito também que alguns jogadores mais jovens tenho sido adquiridos como contrapartida de outros negócios. Em termos de retorno financeiro de alguns jogadores, que podemos abdicar:Aboubakar,Brahimi,Herrera,Indi,Marcano,Marega,Bueno. estamos a falar de valores entre 65M a 85M.

    ResponderEliminar
  9. Na minha ótica o que mais escandaliza nem sequer são as comissões, que acabam por ser normais naquilo que é o mercado de transferências atual. O que pode inquinar o sistema é a procura de determinados jogadores porque são agenciados por jogador X ou Y, alienação de passes ou de mais valias a esses mesmos empresários ou o simples pagamento de comissões por atividades que estes acabaram por não exercer no processo de intermediação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, são essas as perguntas que o Júlio Magalhães não soube, ou não quis, ou não pôde fazer ao Pinto da Costa.

      Eliminar
  10. Bom artigo, apesar de esses números ainda serem imensamente enganadores....
    Faltam aí % de passes "dados" em renovações, aquisições etc; e nesses dados também seria importante analisar os "dados" com logica (p.e. 5% do passe do Jackson "dados" ao empresário do Jackson)dos "dados" sem logica (p.e. os 5% do rubem e os 10 do andré silva dados aos amigalhaços).

    Domingos Ribeiro

    ResponderEliminar
  11. Mas alguém acha que um jogador não renova a não ser que o clube dê uma % do passe ao empresário!? Mas por alma de quem?

    Por muito agradecidos que alguns jogadores sejam, se o fizerem é por estupidez!

    Eu cá para mim tenho é a ideia que os jogadores como o Ruben Neves e o André Silva, foram foi OBRIGADOS, a assinar renovações com aquelas condições. Do género, "escolhe ficar parado ate ao fim do contrato, ou assinas como se o teu empresário seja o X, sendo que ele ganha Y se jogares N jogos, ganha Z se etc etc".

    Porque nenhum jogador ia assinar aquelas clausulas sabendo que elas jogam mais contra eles p´roprios que a favor!

    Aliás, por algum motivo o PC disse que o empresário do Ruben era o JM, mas quem ganha comissões é o irmão do Caldeira!! E o Juca nem sequer teve coragem de lhe perguntar isto na cara quando o PC deu-lhe um convite para o enterrar.

    ResponderEliminar
  12. O único jogador valorizado por Lopetegui foi Casemiro, os outros o Porto tinha conseguido excelentes negócios em qualquer altura que os vendesse, à excessão de talvez Danilo, que em 4 anos fez a ultima época a nível mediano, sempre foi um fracasso.

    ResponderEliminar
  13. O mais preocupante nem são as comissões pagas pelas jogadores, que constitui prática corrente em todos os clubes e no caso do porto, o valor da verba tem sido essencial para conseguir que alguns dos jogadores mais disputados do mercado estiveram por estas bandas. Repare-se não fossem essas comissões e jogadores como falcão, alvaro pereira, danilo, alex sandro e lisandro lopez teriam ido parar ao benfica. O que de facto me preocupa verdadeiramente são as comissões que membros da SAD do porto recebem com a compra, venda e utilização de determinados jogadores, o que para além de ser algo reprovável e pernicioso, restringe as opções do treinadores, obrigando à tomada de opções, que do ponto de vista técnico são questionáveis.

    ResponderEliminar
  14. Ninguém me obriga a lê-lo, no entanto faço-o sempre. Mas diga-me, pretende o quê quando, cada vez que posta, fala de comissionistas ou nos assuntos de finanças, normalmente maus, da Sad do FC Porto? Não existe nada de bom? Não acredito no seu desconhecimento de problemas de outras Sad's, porque não fala deles? Jamais farei julgamentos sobre pessoas desconhecidas, ainda por cima Portistas, mas sinceramente, se eu fosse anti-portista, jornalista/prostituto, faria do seus escritos leitura obrigatória e até daria a entender que a Sad Portista é gerida por bandoleiros.
    Como saberá, não fico nada ofendido se não publicar este comentario, desde que você o leia.
    Sócio 9317

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem está a dizer que isto é «mau» é o ega. Este texto limita-se a comparar os números das últimas 10 épocas, sem acrescentar juízos de valor, a não ser o remate do texto: «O FC Porto sempre pagou comissões/encargos, como todos os outros clubes. O problema é que nunca pagou tanto por tão pouco retorno desportivo.»

      Problemas de outras SAD? Pode sempre acompanhar o separador «Segunda Circular», que também fala sobre Benfica e Sporting, mas sem nunca esquecer que isto é um blogue sobre o FC Porto.

      É o FC Porto que interessa aqui, não é Benfica e Sporting.

      Se há leitores que interpretaram todos os números com uma conotação negativa, isso já é um problema de quem lê, não de quem escreve, pois os números são iguais para todos, seja para quem acha bem, seja para quem acha mal.

      Eliminar
    2. Caro Ega,

      Nem sempre concordo com o TDD especialmente em relação ao anterior treinador, mas não tenho a menor duvida de que o trabalho aqui feito é de excelência.

      Aqui fala-se sobre o FCP se quiser falar sobre as outras SAD força há sitios para isso.

      E digo mais é diagnosticando a doença para existir uma cura, obviamente se formos a tempo de a curar.

      E se ler com atenção o blogue irá verificar que existem elogios e criticas construtivas quando necessário.

      Lamento se o caro sócio seja mais um que aplauda de pé toda a actual situação do FCP provocada pela direcção.

      Eliminar
  15. A pergunta que se tem de colocar é simplesmente a seguinte:
    -Pagam-se comissões porque não se faria a venda ou a compra sem as pagar?
    -Ou, pagam-se comissões porque é uma boa ocasião para encher os bolsos dos amigos, genros e quejandos, a reboque de um qualquer negócio?

    ResponderEliminar
  16. É óbvio que 2011, não conta.. mas 2014 e 2015 não mentem nem enganam.

    Alguém se anda a safar bem com as comissões. Pai, filho e netos e, para calar as bocas, dá-se também umas migalhas aos amigos.

    ResponderEliminar
  17. Caros Portistas,

    Um pequeno off-topic:
    http://www.bbc.com/sport/football/36042805

    Em inglês, mas penso que todos perceberão.
    Atenção, não sou dos que acham que o futebol inglês é óptimo e tudo funciona bem, mas alguém concebe este tipo de medidas em Portugal, especialmente com o lampião pereira à frente dos árbitros?

    TdD, reitero o que várias vezes disse antes: muito obrigado por este magnífico blog, e por ter a coragem de divulgar factos e tecer considerações que muitos preferiam não ler.
    A merda dos outros clubes não me interessa, quero sentir que o meu FC Porto é, na medida em que tal é possível no futebol actual, digno e honesto. E já agora auto-sustentável...

    Honrar a nossa linda camisola não devia ser um favor que alguns mercenários fazem, mas sim uma honra ao alcance de muito poucos.

    Um abraço Portista,

    Ralph

    ResponderEliminar
  18. TdD,

    Eu nem era para responder mas com o ataque aos bloggers por parte da PdC e do Dragões Diário, parece que muitas pessoas já tem o cérebro lavado...

    Tens toda a razão naquilo que escreves e ainda seria mais interessante, somente uma análise ao "buraco negro" que é a equipa B...

    Nessa equipa fazem-se negócios todos em prejuízo do FCP, com muitos casos estranhos e muita gente seria seriamente surpreendida, se fosse confrontada com o numero despesis-ta das contratações/renovações de contrat0/comissões, que são largados na equipa B desde, principalmente o 2º ano da sua existência (e já sem referir alguns juniores que também já vem para cá com comissões assustadoras).

    Se numa equipa A podemos considerar aquisições falhadas o que é que podemos chamar às situações de Gudino (que assina 2 contratos praticamente numa época, com as comissões em ambos pois é claro), dos irmãos Djim, Fede Varela, Lichnovsky, Caballero, Kayémbé, do que custou Vitor Garcia e do que podia/deveria ter custado, entres outros investimentos que nem me estou a lembrar agora (Seri?).

    Aqui é que está o verdadeiro buraco negro das nossas contas... ou se preferirem... saco azul...

    ResponderEliminar
  19. Muito respeito pelo trabalho e pela forma como este Blog apresenta a informação!
    Não mastiga a informação para sustentar opiniões pessoais.
    Limita-se acima de tudo a apresentar factos, números, e tira conclusões simples, práticas e lógicas, deixando para cada um a sua interpretação dos factos.
    Querem melhor?
    Estar contra a tremenda qualidade deste Blog, é afirmar que preferem permanecer na ignorância... porquê?


    Cumps,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carrela vou tentar explicar. Cada pessoa tem uma camionete mas não são todas iguais. Para algumas é simplesmente demasiada areia.

      Eliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.