domingo, 24 de abril de 2016

A memória de um golo

Aqui está uma frase provavelmente nunca antes construída: Rúben Neves fez lembrar Pepe. Em 2006, em plena pré-época, o FC Porto defrontou o Manchester United. Provavelmente, poucos se lembrarão desse jogo, de quem jogou, do resultado, mas lembram-se do balázio que Pepe enfiou na baliza inglesa.

Um golo para recordar
O dia de ontem (curiosamente também um jogo de pré-época), daqui a 10 anos, não será muito diferente. Um passe para dentro da baliza, um passe de Rúben Neves para as redes. Que grande golo. Poucos se recordarão da exibição, da equipa, mas lembrarem-se-ão desta obra prima de Rúben Neves, o mais parecido que vimos desde aquele golo de Lucho González em Hamburgo

Pouco mais haverá a reter. O FC Porto garantiu matematicamente o 3º lugar e não há mais a fazer do que conquistar a Taça de Portugal. O clássico deve ser encarado como ponto de honra e é para ganhar, obviamente. A luta pelo título já não diz respeito ao FC Porto, não interessa se quem vai ser campeão é o Benfica ou o Sporting. O que se sabe é que, no dia 30 de Abril, 11 jogadores vão subir ao relvado com o símbolo do FC Porto e que do outro lado vai estar o Sporting. Qualquer sentimento de desvalorização por perder com o Sporting, alegando que assim podem tirar o título ao Benfica, seria o maior atestado de pequenez da história do clube - bem mais vergonhoso do que os que festejaram o golo de Kelvin na casinha

Uma nota antes da análise ao jogo. Subitamente já há críticas a José Peseiro por fazer exatamente o mesmo que fazia Lopetegui: dizer que todos os jogos são difíceis, que todos os adversários são bons. Mas depois dos elogios maioritariamente injustificados ao Nacional, vimos José Peseiro dizer isto sobre a Académica: «Jogámos contra uma equipa que sofre poucos golos». Uma coisa é valorizar o seu trabalho com recurso aos chavões do costume, como por vezes Lopetegui fazia, outra é dizer inverdades destas, pois a Académica tem a 2ª pior defesa da liga e é a equipa que sofre mais golos em casa. José Peseiro é um otimista, mas pede-se um pouco mais de rigor nestas questões, mister. Pelo menos até 22 de maio.






Maxi Pereira (+) - O que define um jogador à Porto não é a ausência de erros, pois todos erram: é a forma como se reage a esse erro. Maxi esteve na origem do golo da Académica, com uma má cobertura defensiva, mas depois tomou-se por um inconformismo que o levou a ser um poço de força no corredor direito. Atacou, tabelou, cruzou, entrou na grande área, procurou o remate e não descansou enquanto não se redimiu do erro. No final do jogo, o merecido descanso.



Danilo Pereira (+) - A Académica foi apenas mais uma equipa que, com apenas dois homens no contra-ataque, consegue logo intimidar a defesa do FC Porto. Mas Danilo chegou para (quase) tudo. Muito bem nas dobras, a impor a capacidade de física e a ser referência não só no início de construção como na grande área adversária. Tudo isto aliado a uma capacidade de liderança que se faz sentir cada vez mais - Corona e Sérgio ficaram com as orelhas a arder durante o jogo.

Outros destaques (+/-) - Finalmente, Rúben Neves a apostar mais na meia distância. É um capítulo que precisa de melhorar no seu jogo - e curiosamente, os seus 2 golos esta época nascem de remates de longe. Imaginem o que seria Pirlo sem a capacidade de rematar. José Ángel continua a ser o jogador que melhor cruza de primeira e de forma tensa - o problema é que os outros aspetos do seu jogo não se aproximam da sua capacidade de cruzar. André Silva esteve incansável na pressão ao início de construção da Académica e movimentou-se sempre bem na grande área, embora vá sendo tempo de materializar o seu empenho num golo, que vai aparecer. Corona precisa de melhorar imenso a recepção de bola, mas está a melhorar bastante no passe - 85% de acerto e fez cinco passes para zonas de finalização (mais do que os 3 médios), além do seu papel defensivo, com sete ações de recuperação/desarme; faltou-lhe mais objetividade na procura do remate e no um para um. 






Condição física (-) - Estamos em abril, pelo que é normal que alguns jogadores já não estejam no seu melhor fisicamente. Mas José Ángel é pouco utilizado, e o próprio André Silva só tinha feito 89 minutos nas últimas duas semanas e meio. Ainda assim, vários jogadores estavam rebentados, inclusive com Ángel e André a sentirem cãibras. Por um lado, é bom: mostra que os jogadores estavam a dar tudo. Por outro, a condição física dos jogadores tem vindo a cair nos últimos dois meses - bem diferente do que aconteceu em 2014-15, em que a equipa estava muito melhor fisicamente. Não querendo associar isso diretamente à troca de preparadores físicos, uma equipa que luta por várias frentes tem que ter a certeza que está o melhor servida possível neste aspeto. Estará?

Descompensação (-) - A Académica não precisou de meter muita gente na frente para criar perigo, o que vem sendo crónico nos adversários do FC Porto. Só marcaram numa bola parada, mas a cobertura defensiva do FC Porto deixou sempre a desejar, sendo também um reflexo da ausência de Danilo do meio-campo - Rúben Neves não tem a capacidade física e defensiva do compatriota, embora dê outra capacidade de circulação à equipa. A linha defensiva do FC Porto nem sempre esteve - passe a redundância - alinhada da melhor forma, tanto que apesar da Académica procurar muitas vezes o espaço nas costas da defesa nenhum dos seus jogadores caiu na armadilha do fora-de-jogo. Depois quando faltam pernas, como faltou a Maxi no lance do livre, pode sair caro.

Subrendimento (-) - Varela apoia sempre bem as subidas dos laterais e procura bem o espaço interior, mas objetivamente não criou nenhum lance de perigo - nem um cruzamento ou um remate na retina. Para um jogador que está a queimar as últimas oportunidades de ir ao Euro 2016, esperava-se mais. Herrera, desta vez, acusou a falta de espaço no meio-campo da Académica e não conseguiu dar tanto nas vistas no ataque - à imagem de Sérgio Oliveira, muitas vezes a ir atrás pegar no jogo, mas sem servir os avançados, abrir espaços ou até tentar a meia distância. André André fez mais em menos tempo, com menos ritmo. Está a ter a sequência de jogos que Lopetegui achava que não merecia, por isso só depende dele próprio.

Uma semana para preparar um clássico em que nada mais interessa do que a honra de vencer. Muita coisa pode ter mudado no FC Porto, mas repugna imaginar que algum portista possa encontrar conforto num empate ou numa derrota num clássico. Primeiro o FC Porto, depois o FC Porto, depois o FC Porto. Só depois dos rivais.

20 comentários:

  1. Danilo faz muita falta a trinco mas neste momento não temos melhor a central e Ruben Neves trás outras soluções à equipa, apesar de não ser o típico trinco e tem aproveitado para subir de rendimento. Varela por muito esforçado que seja, não terá lugar no próximo plantel. Penso que Hernâni daria outras soluções, não temos um extremo rápido em progressão depois da saída de Tello. Sérgio também me parece "curto" para titular.

    Neves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Julgo que o neves deveria ser mais ensaiado a 8 e nao tanto a 6. A 8 pode ensaiar mais a chegada a area e o remate de longe. Que saudades de ver especialistas em remates de longe. Tipo timofte, Rui Filipe ou Maniche.

      Eliminar
    2. tanto Tello como Hernani não deixam saudades nenhumas. vender o quanto antes

      Eliminar
  2. Não, não é igual quem ganha o campeonato. Todos o sabemos mas parece que fica mal dizer em voz alta. Mas pouco importa pois hoje o clube que se está a posicionar para dominar a próxima década do futebol em PT ( dai não ser igual quem é campeão, o zbording ate podia vencer dois campeonatos seguidos que só dominava o campeonato do croquete)vai vencer o Rio Ave, logo não temos que fazer jeito nenhum pois esse jeito não iria servir de nada. Se servisse, então acusem-me la de ser adepto de festas ou o que quiserem, mas eu bem que preferia que os calimeros fossem campeões.

    ResponderEliminar
  3. Rúben Neves, com excelente capacidade de passe, está a reaprender a jogar, com precisão, para a frente, porque para os lados e para trás, fê-lo bem com Lopetegui. Também estão a ensiná-lo a ser mais dinâmico e mais agressivo, como deve ser um jogador na sua posição e Peseiro vai ajudá-lo a crescer. Sérgio Oliveira, outro excelente passador e de remate potente, com boa tecnica, teria outra visibilidade se se jogasse no sistema preferido do treinador, o 4x4x2, assim a modos como Rui Jorge joga na selecção. No entanto creio ter qualidade suficiente para, no futuro, se impor na principal equipa. Xico Ramos, quando "lhe pegar" vai ser difícil tirá-lo de titular, é um dínamo. André Silva, tem tudo para ser um grandíssimo jogador, é preciso darem-lhe tempo, ter paciência, ensinarem-lhe alguns "truques" de avançado, porque não sei se viram, mas ele ontem, sozinho, rebentou, rebentando-se a seguir, a defesa da Académica. Por último e porque não sou anti-espanhol, José Angel há um mês atrás não jogava assim, centra como poucos neste campeonato, melhorou a defender e só necessita de trabalhar mais a agressividade. Acham que o Eliseu, neste momento, é melhor que o José Angel? Eu não acho e para o ano com o Rafa vamos melhorar bastante a ala esquerda. Layun? Tem 28 anos e será um desperdício investir mais de 2,5, máximo 3 milhões na aquisição do seu passe, por isso tenho dúvidas que permaneça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Layun tem 27 anos e no meu ponto de vista é só o melhor lateral do campeonato, portando vale bem os 6M. É também o melhor assistente do campeonato, faz as duas laterais e pode ser muito útil a médio ala em jogos mais difíceis.
      Se acha que devemos encarar a nova época com José Angel (muito fraco a defender) e rafa (inexperiente) e vamos melhorar bastante a ala esquerda...

      Eliminar
    2. Concordo com a sua análise e acrescento não entendo como o FCP pode pensar em comprar um lateral que não sabe defender? Se o quiserem por a médio ou ala ainda entendo agora a lateral podem devolver porque já vai fazer 28 anos e se não aprendeu a defender até agora não irá acontecer certamente nos próximos anos.

      Eliminar
    3. o campeonato tem 34 jornadas e em mais de 80% desses jogos o Porto pouco precisa de defender, precisa sim de atacar e bem para conseguir desmontar o autocarro do adversário. Ora Layun é excelente a atacar como provam os seus números de golos e principalmente de assistência, além de ser exímio nas bolas paradas, para não falar na sua atitude e carácter, um jogador à FC Porto que joga onde o treinador precisar dele e não faz má figura. Por tudo isto o Layún será uma excelente contratação.
      E estou mesmo a ver, se o FC Porto não o contratar o benfica vai logo tentar sacá-lo.

      Eliminar
  4. Boa noite,

    Gostava de perguntar ao TdD o que pensa do futebol da equipa B.
    Se repararmos bem:
    - é o 1º ano que a equipa faz (realmente) bons resultados
    - o treinador é o mesmo
    - o esquema de jogo faz lembrar o de Lopetegui, só que este é eficaz

    A pergunta que acrescento à que já foi feita, é o que pensa (se pensa) da importância de Lopetegui neste futebol, que, repito, à vista desarmada, não tem nada para ser eficáz.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  5. O jogo que eu (não) vi:
    1- Vi uma imprensa muito mais simpática, agora que o campeonato se foi. Até mete impressão! Estão a motivar o FCP para os lagartos?
    2- Vi uma equipa do Porto a defender MAL. O meio campo da académica parecia o barcelona. Pouca pressão dos médios do Porto (faltou Danilo). Cuidado com o Braga.
    3- Vi um André Silva muito esforçado mas fraquinho (cheguei a ter saudades do Aboubakar e de Paciência)
    4- Muitos passes errados do meio campo do Porto.
    5- Não vi o Maxi Pereira a defender. A partir dos 60 já não chegavam as pernas.
    6- Vi aos 77minutos uma perda de bola no meio campo da académica e a equipa toda desequilibrada; não levou golo porque foi à barra (o que fez Helton? Bateu palmas ao avançado e riu-se... Devia ter-se zangado com o Sérgio Oliveira que perdeu a bola) Com este capitão não vamos lá.
    7- Vi Helton fora de forma. Vi Ramos a entrar e a perder a bola de tão nervoso que estava (devia estrear-se em casa ou quando a vitória estivesse segura)
    8- Vi uma académica muito fraquinha e sem alma.
    9- Não vi nada que me crie alguma expectativa para a próxima época. Isso é que me aborrece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não podia concordar mais!
      talvez acrescentar que o golo de brahimi parecia de jogo de matraquilhos

      Eliminar
    2. o Ramos jogou na jornada anterior. não esteja à espera de ver nada em relação à próxima época, isso seria muito mau sinal

      Eliminar
    3. O Sérgio Oliveira saiu aos 65 minutos.

      Eliminar
    4. - Acho que nestes dois ultimos jogos viu-se uma equipa que finalmente soube o que fazer a bola no meio campo. É claro que com o Nacional tb soubemos o que fazer a bola quando chegamos ao ataque e contra a Academica nao. O Peseiro esta claramente a construir uma equipa da frente para tras.... nao é o desejavel mas pelo menos ve-se o esboco de um plano.

      - Confesso que estou mt menos deprimido com os ultimos dois jogos que com os anteriores. Finalmente a equipa corre a serio em campo e ha mais criterio a sair a jogar.... ja nao podia com 90 min a passar para o lado e ninguem a desmarcar-se.

      - O Andre Silva é um avancado que nao tem qualquer rotina a jogar em ataque apoiado como faz a equipa A. O FCP B joga ao ataque mas ve-se que tem jogos mt mais divididos e tem muitas vezes que recuar para defender. Com o passar dos jogos o Andre Silva continua sem o faro de um goleador, mas ja teve movimentos de rutura (como o do golo e passe para o Maxi) que deixam boas perspectivas.

      - No meio desta epoca desesperante para todos os portistas, dar estes jogos todos na equipa A ao Andre Silva, Sergio Oliveira e Ruben Neves pode valer muito na carreira deles e no que podem dar ao clube no futuro. Ao menos nisto o Peseiro e a SAD tem aproveitado a situacao em que nos encontramos.

      Eliminar
  6. Discordo sobre a condição física da equipa, este ano fomos várias vezes acusados de não ter pernas e estarmos no início do campeonato, logo, tentar desvalorizar o actual preparador físico não me parece lógico. Relembro tb que no ano passado, após o jogo em casa contra o Bayern, simplesmente estoirámos e não fomos mais capazes de apresentar uma boa condição física. Tb discordo da análise ao Maxi, para mim a principal função de um defesa é defender e dps atacar, Maxi neste momento só faz uma bem que é atacar, defender ainda tenta mas tentar não chega... se assim fosse Angel, que fez mais um bom jogo, seria um dos melhores laterais do mundo.

    ResponderEliminar
  7. Para mim a "memória de um golo" foi a do 1-1 do Ademir nas Antas contra o Benfica que decidiu um título!...E que golo!
    Eu estava a ver o jogo precisamente por detrás da baliza em que ele entrou.

    ResponderEliminar
  8. o facto de casillas não jogar, já é satisfatório.
    que siga para a América ou Índia, China ou Albacete

    contra uma académica miserável, custa ganhar um jogo... continuam a pensar que o peseiro não teve tempo.. e para o ano há mais do mesmo

    ResponderEliminar
  9. quanto é que o porto paga à equipa de ciclismo? é o cube ou a sad?

    ResponderEliminar
  10. ola sou portista já fui sócio pagante mas deixei de o ser, não me sinto nada contente com isso mas tambem nada arrependido..nos ultimos anos ganhei menos na vida do que alguns pela comissão mais baixa que recebem por sei lá o que..não consigo entender qual a vantagem para ou o porque da sociedade em geral sustentar certos tipos de parasitas que nada produzem.. mas já me habituei a isso tenho um liquido que funciona para esse tipo de gente como o frontline para carraças e pulgas!uma das pessoas que me ensinou a fazer esse liquido até foi o sr.Jorge Nuno, mas ele já não se deve lembrar disso.. por outro lado as exibições são tão lindas, principalmente desde que o espanhol foi embora, que eu até fico ofuscado com tanta luz parece quando o porto foi campeão na luz na parte dos festejos quando eles tiveram de apagar a luz do estádio que o clarão era tanto..acho que não foi só as lâmpadas do estádio que ficaram apagadas nessa noite, parece que desde ai houve gente cá no norte que também ficou com a lâmpada fundida, ou até com os fios colados.. é como diz o sr. Jorge Nuno agora, bastava não ter estragado e deixar andar! Bem mas a prioridade agora parece que esta mais virada para o ciclismo, pode ser que o marega ainda vista amarela no verão na altura em que no futebol deveremos estar a ser campeões no mercado de transferências! talvez fosse bom apostar na pesca desportiva já que a maioria dos treinadores de bancada do porto parece perceberem tanto de futebol como a minha cadela Sico mas aposto que sabem como apanhar uma truta.. força pesseiro que se não ganhares nada nos proximos anos a culpa vai ser do espanhol! Pois os tugas é que são bons olha para este País é que bomba.. perdão devo corrigir a parte do país, condado ou colônia, que ainda levamos uma sanção da UE ou uma multa do vaticano..
    não sei se o pessoal quer mas.. ACORDEM

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.