segunda-feira, 4 de abril de 2016

Um pequeno exercício

Hoje, algo diferente. Esta semana completam-se 900 dias desde que a seguinte entrevista foi dada. O desafio é este: quantas destas frases são possíveis encaixar no contexto do FC Porto atual? Por outras palavras, se Antero Henrique desse hoje uma entrevista, quantas destas frases poderia repetir e merecer total concordância? Fica o desafio a todos os portistas.






Algumas passagens a destacar da última grande entrevista de Antero Henrique, em outubro de 2013, dois meses depois do último troféu conquistado pelo FC Porto no futebol profissional:

Pinto da Costa disse, recentemente, que “quem vier a seguir só tem de não estragar”. Como é que o FC Porto pode ser estragado?
Não faço ideia nem quero fazer. O que sei é que o trabalho que o presidente tem realizado tem sido tão importante, tão significativo, tão marcante e tão de excelência que, se se conseguir manter e perpetuar, será a garantia de que o FC Porto terá sucesso durante muito e muito tempo. Se querem tocar, com esta pergunta, no tema da sucessão, dir-vos-ei que esse tema só interessa aos adversários. Não interessa a ninguém no FC Porto. Nenhum dos adeptos está preocupado com esse assunto, zero. Os nossos adeptos vivem felizes com o que têm e como não querem estragar, não querem sequer falar no tema sucessão.

Mas o sucesso do FC Porto também não tem a ver com o facto de muitos clubes, sobretudo lá fora, não estarem de olhos abertos? Algum dia os abrirão...      
Cada um tem o seu método. Nós temos sido capazes de chegar aos melhores e de chegar mais depressa.

O FC Porto tem optado pela estratégia do silêncio. Não há alternativa?
A nossa estratégia é fazer bem, investir energias nas nossas principais preocupações e nas preocupações dos nossos adeptos: vencer, ter uma imagem positiva, internacionalizar-se, crescer. Queremos que os adeptos tenham orgulho no FC Porto e isso nós sentimos cada vez mais no dia a dia. Portanto, eu acho que a estratégia está a ser muito bem feita. Tudo o resto são fait-divers, forças que tentam ser detratoras. A comunicação negativa do FC Porto, que se confunde com o centralismo, tem a ver com a defesa de determinados mercados e interesses. Se compararmos o que tem sido o FC Porto com o que têm sido os outros, vemos que estamos num nível completamente diferente, completamente superior.

Os números do Benfica não são reais?
O Benfica, nos últimos cinco anos, teve contas negativas. Tem acumulado prejuízos consecutivamente. Em termos desportivos, o Benfica teve na época passada um ano completamente em branco, que nós, no FC Porto, já nem nos lembramos de ter. Onde é que isto está dito? Está a ser maquilhado.

Mas o Benfica não está mais perto do FC Porto?    
Mas o que é estar mais perto? Ou se ganha, ou não se ganha. Somos o clube em Portugal com mais troféus conquistados, sete deles internacionais. Isto é uma constatação. Somos o clube com maior potencial de crescimento. Tudo o que se venda a partir daí não pertence ao mundo real, é virtual. Se outros promovem o virtual, o que é que nós temos a ver com isso?

A marca da melhor formação é acessória para o FC Porto?      
Não tem a ver com isso. Não vamos deixar de ter a melhor equipa por querermos ter a melhor formação. Queremos ser o mais competitivos e ter boa formação, porque o nosso lema também é formar campeões, até do ponto de vista cultural e sociológico. Não há campeões sem jogadores robustos, e aqui não falo em jogadores que correm muito e são pesados. Queremos jogadores com determinadas características para uma equipa de elite.

Como tema complementar a esta entrevista, e numa altura em que os contratos de scouting estão na ordem do dia, uma passagem importante de uma entrevista à France Football em 2012:


Considerando especificamente jogadores que chegaram ao FC Porto com ligação à Doyen Sports: Defour, internacional belga que chegou a estar perto do Manchester United; Mangala, que antes de assinar pelo FC Porto esteve quase no Benfica; José Ángel, titular na liga espanhola e italiana; Sérgio Oliveira, jogador formado no FC Porto; Brahimi, jogador da liga espanhola; Casemiro, jogador do Real Madrid que também esteve perto do Benfica. São os casos mais mediáticos. Uma nota: é um facto que neste momento Falcao é representado pela Doyen, mas não chegou ao FC Porto pela mão da Doyen, pois Falcao foi contratado em 2009 e a Doyen só foi fundada em 2011.

Portanto entre Casemiro, Sérgio Oliveira, Defour, Mangala, Brahimi ou José Ángel, estamos a falar de jogadores já conhecidos, quem um universo de 250 olheiros detetaria com toda a facilidade. Não estamos a falar de um jogador da liga japonesa ou de um talento escondido na América do Sul, mas sim de jogadores já conhecidos na nossa Europa do futebol. O que só desperta curiosidade sobre a necessidade de serviços de scouting ligados a fundos, para observar jogadores já relativamente conhecidos, quanto temos uma rede de 250 olheiros.

21 comentários:

  1. O Porto parece que parou no tempo, deixou-se ultrapassar.
    Ao recordar esta entrevista podemos verificar que agora se passa completamente o oposto. Os responsaveis sao os mesmos, o que mudou?

    ResponderEliminar
  2. De entre estes 250 olheiros muitos devem estar como o Saulo de Tarso, antes de passar pela "estrada para Damasco".
    Mas admitindo que muitos fazem o seu trabalho com eficácia, tudo isto caí por terra quando falta humildade, escolhe-se um mau treinador ou dá-se primazia às comissões em detrimento dos SUPERIORES INTERESSES DESPORTIVOS, DO MEU, DO TEU, DO NOSSO FCPORTO. Penso eu de que.

    Luís (O do José Peseiro)

    ResponderEliminar
  3. O olheiro que descobriu o Hulk vale bem esses 250.
    Já o que trouxe o José Angel valha-me Deus.

    ResponderEliminar
  4. "o Benfica teve na época passada um ano completamente em branco, que nós, no FC Porto, já nem nos lembramos de ter."

    Infelizmente, os adeptos do FCP lembram-se disto e a SAD teima em não deixar esquecer. De facto, e uma vez que tenho 31 anos, preferia viver na ignorância.

    ResponderEliminar
  5. Falcao nao é representado pela Gestifute ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Doyen: http://doyensports.com/players#/Falcao

      Eliminar
    2. Boa noite
      A Doyen financiou o pagamento em atraso do atlético de Madrid ao Futebol clube do Porto, para ajudar o nosso clube e obviamente ganhou dinheiro nessa operação.
      A Gestifute agência o jogador desde que o Falcao esteve no FCPorto.
      Saudações Portistas

      Eliminar
    3. O Falcão era TPI da DOYEN. Não é representado pela DOYEN. E no Link vê-se que terminou a TPI. Nos Jogadores representados não aparece o Falcão, porque ele é, efetivamente representado pelo Jorge Mendes.

      Eliminar
  6. Ao que chegou o meu Porto...com todo o respeito que merece o trajecto do Presidente penso que está na hora da reforma.

    ResponderEliminar
  7. a entrevista que "matou o porto" a partir daqui nunca mais ganhamos nada.

    ResponderEliminar
  8. Estou com tal azia, que só ler estas passagens já me enoja.

    ResponderEliminar
  9. Boa noite
    Para esclarecer o tribunal do Dragao que o José Angel nada tem a ver com a Doyen, tem de tentar ter mais cuidado na investigação que fazem, embora o vosso trabalho seja de realçar.
    Saudações Portistas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nice try: http://1.bp.blogspot.com/-Lry1pTU_Dgo/U9gQAdnaf5I/AAAAAAAAAPY/I6t5BnYaNbs/s1600/ScreenShot002.bmp

      Eliminar
  10. Esta época ainda não acabou, mas gostava de ver o tribunal do dragão a abordar um tema. Mais num registo de opinião do que de factos.

    José Peseiro? Fica ou não? E se sair, quem acha que era boa opção para vir?

    E do plantel? Quais os jogadores a manter e os jogadores a "despachar"? Como analisa a época individual deles?
    Os emprestados? Que futuro? Quais poderiam integrar a equipa? (ignorando que jogadores emprestados não costumam voltar para o clube, obviamente)

    ResponderEliminar
  11. Caro Td...o último LEAK...é Esclarecedor!
    https://openload.co/f/Euu0pAi6SU4/FC_Porto_%26_Danubio_Finanzierungsleistungen_und_Marketing_GmbH_-_Generoso.pdf

    A Sad tem de ser RESPONSABILIZADA CRIMINALMENTE!

    ResponderEliminar
  12. A arrogância exibicionista da SAD, bem patente nesta entrevista, é uma das causas para a queda do FCP. É desta arrogância que deriva o desleixo e a incompetência.

    Ventura.

    ResponderEliminar
  13. Aconselhava o tdd a não fazer este tipo de análises. Veja o que aconteceu a quem disse e diz a verdade? Processos a Miguel Sousa Tavares, Miguel Guedes, ao deputado e agora bem recentemente à cmtv. Conclusão o Porto actualmente está mais preocupado em processar do que em mudar ou ganhar. Faço com o dragões diário. Diga sempre bem do clube e da sad. Como nos antigos países do bloco comunista. Acabe com os machados e mantenha os bonés. Faça um apelo ao voto nas próximas eleições.

    ResponderEliminar
  14. Baseado no pedido do comentador anterior gostaria de saber o que o TdD, sendo um critico do trabalho do Rui Vitória no Guimarães, se o desempenho dele se deve ao desempenho (ou não desempenho) do FCP.
    Há possibilidade de o JJ representar o Porto para o ano? ou dependerá dos resultados desportivos no SCP?
    Excelente trabalho como de costume. Mantenha o espírito crítico, pois adeptos acéfalos não reconhecem a qualidade, e ganhar a todo o custo é diferente de ser um ganhador!

    ResponderEliminar
  15. Um Porto sem rumo e sem estrategia solida com resultados. E' urgente tracar caminhos para voltar ao sucesso, porque temo muito sinceramente que isto se prolongue por mais alguns anos ate' voltarmos a ser temidos, porque assim nao vamos la' tao cedo...

    ResponderEliminar
  16. TdD só lhe digo, se o Peseiro começar a época, pode escrever aí, de dezembro não passa..Claramente fraco. Espero sinceramente que esse grave erro seja corrigido.

    ResponderEliminar
  17. Este AH é de uma inutilidade a toda a prova.Nunca o vi defender o clube. É mais um a servir-se e não a servir.E o que irrita é que a sua incompetência ainda é premiada.Por isto se vê a decadência do presidente.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.