quarta-feira, 8 de junho de 2016

Análise 2015-16: os centrais

O FC Porto terminou esta época da mesma forma que terminou 2014-15: sob um grande clima de suspeita face à qualidade dos seus centrais. Normal, tendo em conta que os 30 golos sofridos foram a 3ª pior marca de sempre num campeonato a 34 jornadas.

Ironicamente, os centrais foram praticamente os mesmos de 2014-15, exceção feita à entrada de Chidozie a meio da época. E na época passada, mesmo entre muitas críticas, Maicon, Marcano e Indi acabaram por integrar a defesa menos batida da Europa.

Não era fácil. O FC Porto perdeu, no espaço de 6 meses, dois centrais de classe mundial (Otamendi, o melhor em muitos anos, e Mangala) e o melhor amigo de qualquer defesa, Fernando. Teve que se habituar a jogar com um novo guarda-redes, Fabiano, também ele tantas vezes contestado. E ainda assim, marcar ao FC Porto foi sempre difícil para qualquer clube. 

Mas este ano tudo mudou. O FC Porto contratou um novo guarda-redes, trocou os laterais e optou por não reforçar o centro da defesa. O resto é o que se sabe.

Apesar da troca de treinadores, e de José Peseiro ser um treinador que sempre preparou mal as suas equipas defensivamente, grande parte dos golos sofridos pelo FC Porto não se deviam a exposição na transição defensiva, mas sim por erros individuais dos centrais. Foram muitos, demasiados.

Embora o FC Porto não tenha tido um jogador a garantir golos como Jonas ou Slimani, a equipa deste ano fez mais golos do que o FC Porto de Co Adriaanse ou do que no bicampeonato de José Mourinho. Ofensivamente, não há desculpas para uma equipa que não marca ao Tondela ou ao Paços de Ferreira. Mas foi o mau desempenho defensivo que esteve na base da derrocada que foi esta época. 

É naturalmente um setor a precisar de ser reforçado e há dois nomes na minha da frente, ambos oriundos do mercado sul-americano, Felipe e Gustavo Gómez. Mas como sempre, antes de pensar em que vem, há que decidir quem deve ou não ficar. 

Contrato até 2018
Maicon - Capitão, iniciou a sua sétima época no FC Porto, começou em boa forma e a marcar golos importantes, até que chegou o momento que todos se recordam. Maicon foi riscado do plantel e emprestado ao São Paulo, depois de ter renovado contrato por mais um ano, até 2018. Pinto da Costa já disse que no FC Porto não há «pena de morte» e anunciou que Maicon vai regressar. Não sabemos ainda quais são os planos efetivos para Maicon, pois ou o regresso é mesmo possível, ou pode ser um sinal dado ao mercado de que o jogador não estará em saldos. 

O Tribunal do Dragão concorda com a reintegração do jogador no plantel, se houver predisposição de todas as parte para assumir e ultrapassar o erro que foi cometido por Maicon, jogador que ao longo de 6 anos sempre foi um bom profissional e que não raras vezes se sacrificou em campo pelo FC Porto. Tirando as charutadas às quais insiste em chamar passes longos e a mania de complicar o que deve ser simplificado, Maicon é um elemento de valia desportiva. Ser ou não titular sempre dependeu da qualidade dos seus parceiros de setor (Bruno Alves, Rolando, Otamendi ou Mangala eram superiores), mas é um elemento de qualidade para se ter no plantel.

Superou as expetativas no São Paulo, sendo um dos centrais do Brasileirão em melhor forma nos últimos meses. Vai fazer 28 anos, e não deixa de ser curioso que o melhor Maicon, no São Paulo, não deva muito - se é que deve algo - ao melhor Felipe do Corinthians. A diferença estará sempre na consistência exibicional, algo que faltou várias vezes a Maicon no FC Porto. 

É um caso em que qualquer decisão poderá ser compreendida. Ou a saída, mediante uma boa proposta, ou a permanência no plantel. É bom lembrar que, até à sua saída, era o central com mais duelos e bolas de cabeça ganhas no FC Porto. Além disso, entre todos os centrais da liga, era o central com melhor média de desarmes no 1x1 e o segundo melhor no jogo aéreo, só atrás de André Pinto, do Braga. Certo é que, com ou sem Maicon, o setor defensivo necessitará de ser reforçado. E o regresso de Maicon não será esse reforço, ainda que ajude à profundidade no plantel.

Contrato até 2018
Martins Indi - Quando o FC Porto comprou Martins Indi em 2014, num investimento de 7,7M€, muitos imaginariam que, passados dois anos, já seria o patrão da defesa do FC Porto, seguindo o exemplo da evolução de Mangala. Infelizmente, não foi o caso, e Indi não conseguiu evoluir como seria de desejar nestes dois anos. 

O problema de Indi está, acima de tudo, no jogo aéreo. Ganha poucas bolas de cabeça (na liga ganhou em média apenas 40% dos duelos aéreos) e não controla bem o espaço na grande área. Coisas que escapavam ao olho nu no Mundial 2014, ao serviço da Holanda. Indi jogava num esquema de três centrais, pelo lado esquerdo. Acontece que neste esquema o central que joga por fora é menos exposto ao jogo aéreo, o que fez com que as debilidades de Indi no jogo aéreo não se notassem tanto.

Jogar a defesa-esquerdo seria então solução? Não numa equipa como o FC Porto. Os laterais do FC Porto têm que jogar em profundidade, precisam de velocidade, saber cruzar, ter capacidade para ir à linha e ser fortes no movimento interior. Tudo caraterísticas que Indi nunca revelou. A grande valia de Martins Indi está no início de construção, na forma como faz o primeiro passe, mas isso não chega ser central de equipa grande.

Tem 24 anos, mais 2 anos de contrato, e está longe de ser um caso perdido. Pode e tem condições para evoluir. O FC Porto já acabou de pagar o seu passe ao Feyenoord, pelo que Nuno terá que decidir se Martins Indi tem capacidade para se assumir como titular no FC Porto. Certo é que não poderá acabar a época 2016/17, a um ano do final de contrato, ainda com dúvidas sobre se terá o estofo necessário para se afirmar no clube. Aliás, não é recomendável que um ativo de 7,7M€ fique a um ano do final de contrato, portanto a sua situação terá que ser resolvida a curto prazo. 

Contrato até 2018
Iván Marcano - Com a saída de Maicon, passou a ser o melhor central do plantel, com a maior percentagem de interseções, desarmes, duelos e duelos aéreos ganhos. É o central low-profile que nunca vai ser o líder de uma defesa, mas que é sempre um elemento útil para se ter no plantel. É o tipo de jogador que não vão ver a dar entrevistas, a violar a hora de recolher e a falhar nos deveres de profissional.

Infelizmente, acabou a época a errar no Jamor, num jogo de circunstâncias difíceis e em que mais 2 erros defensivos provocaram a perda de uma Taça. Era apenas a segunda vez que estava a jogar com Helton e Chidozie (nenhuma equipa que se preze vai a uma final da Taça com uma dupla de centrais + guarda-redes sem rotinas), mas não terá sido por isso que entregou o golo a Josué. 

Custou 2,65M€ por 100% do passe e vai fazer 29 anos. Com a chegada de dois novos centrais, é possível que Marcano, o central que não mostra os dentes, seja dado como negociável pelo FC Porto. Desportivamente é um elemento de valia. Não pode ser o patrão de uma defesa, mas pode ser sempre um bom parceiro de setor (e metam na cabeça que dois centrais canhotos podem jogar juntos, pela mesma razão que dois centrais destros o podem fazer). Uma vez mais, que a palavra de Nuno seja ouvida na composição da sua defesa.

Contrato até 2020
Chidozie - Sub-19, equipa B e equipa A na mesma época. Foi um carrossel de emoções para Chidozie, lançado às feras na Luz. O Tribunal do Dragão foi da opinião de que Diogo Verdasca, tendo o mesmo número de oportunidades que Chidozie, faria igual ou melhor. Opinião que se mantém, mas José Peseiro escolheu confiar em Chidozie, que acusou toda a sua inexperiência ao longo destas semanas.

A grande exibição de Casillas contra o Benfica disfarçou muita coisa. Chidozie comete os erros próprios da idade e da sua inexperiência. Bruno Alves, Jorge Costa ou Ricardo Carvalho não jogavam no FC Porto aos 19 anos por um motivo. O mesmo que penalizou Chidozie: inexperiência e falta de devida preparação. Repara-se que Chidozie nem sequer teve um parceiro consistente ao lado, o que não ajudou. Não houve jogo em que Chidozie não cometesse erros graves de posicionamento. Mais culpa das circunstâncias do que propriamente do jogador, que fez o que podia, sem a preparação devida.

E agora? Chidozie já fez meia época integrado na equipa A, por isso regressar à equipa B poderia ser encarado como um retrocesso. Empréstimo? É preciso cuidado, pois se Chidozie começar já a ser emprestado corre o risco de deixar de contar como jogador formado no FC Porto (tem época e meia feita). Apesar de a sua aposta, desportivamente e na prática, não ter dado os resultados desejados, continua a ser um jovem com muitas potencialidades e caraterísticas interessantes para o médio prazo. Há que apostar na sua evolução.

Por princípio, o 4º central de um plantel deve ser mais jovem, por isso Chidozie pode enquadrar-se nesse perfil. Treinar sempre com a equipa A, ir jogando ocasionalmente na equipa B. Mas Chidozie não tem 2 anos de FC Porto completos, por isso não pode ser inscrito na lista B da UEFA - e o FC Porto não pode voltar a cometer o erro de não ter 4º central para a Champions/Liga Europa (Verdasca, por exemplo, é elegível). Uma vez mais, tudo dependerá dos planos que o treinador possa ter a médio prazo para Chidozie.

Pergunta(s): Que futuro para Maicon, Chidozie, Indi e Marcano? Que centrais seriam mais-valias como reforços?

24 comentários:

  1. A questão de Chidozie poder ser considerado ou não formado no FCP é algo irrelevante neste contexto... é necessário é que jogue e de preferência numa equipa da 1ª liga, portanto por mim era emprestado.

    Maicon obviamente vendido, por mais que +peça desculpa e faça juras de amor aquilo que ele fez manchou e de que maneira, a sua imagem perante os adeptos e no próximo erro que cometesse era fuzilado..., para mais está farto de fazer juras de amor ao São Paulo o que degrada ainda mais a imagem que tem por aqui.

    Indi também seria para despachar pois não me parece que vá evoluir nos parâmetros do jogo que referiste TdD.

    De volta temos então Reyes, que reúne todas as condições para ser titular.

    Com Filipe, Reyes e Marcano mais Verdasca estaria a minha defesa completa.

    Ainda ontem vi o Gustavo Gómez e não fiquei completamente impressionado, contudo pode ser uma opção caso se decido rentabilizar Marcano com a sua saída, mas penso que uma dupla Reyes - Filipe com Marcano como opção, seria mesmo o ideal.

    Se o Paraguaio vier então Reyes tem de ser vendido para dar retorno do investimento... só assim se compreende ir gastar mais de 15M€ em 2 centrais, quando temos um central de volta, que fez um bom campeonato na liga espanhola e que custou quase 10M€.

    ResponderEliminar
  2. Eu só ficaria com o Indi, com um bom treinador ainda pode ser aproveitado, e quem sabe convocado para a seleção holandesa e valorizado. O Maicon é aproveitar e ganahr algum dinheiro, rapidamente se arranja um substituto ao nivel e mais barato. Marcano pode ser bom rapaz mas é um cepo.Um central nao pode ter tnatas falhas que originam em golo como ele teve. Chidozie deve rodar e utilizar Verdasca como 4º central e rodar na B.

    ResponderEliminar
  3. Só não concordo que o Marcano seja melhor que o Indi. Mesmo não sendo melhor no jogo aéreo, penso que é melhor em tudo o resto, nem que seja pelo facto de não errar descaradamente tantas vezes, e não estou só a falar da final da taça.
    Continuação de bom trabalho!

    ResponderEliminar
  4. Chidozie deve fazer a restante formação na equipa B. Visto não ser central de raiz - chegou rotulado como médio-defensivo - deve completar uma época fixo nessa posição, de modo a adquirir rotinas.
    Marcano deve sair, assim como Indi. O primeiro por ser um jogador que facilmente o clube tem na formação (Verdasca é muito melhor) tanto a nível físico, como táctico, além de que não é um jogador agressivo. Acho piada a quem o compare com o saudoso Aloísio - não tem o posicionamento nem a classe deste, nem nunca vai ter. Indi tem mercado, e portanto é aproveitar alguma boa proposta que chegue. É manifestamente insuficiente para jogar numa equipa de topo, não tem qualidade para tal - só a incapacidade que manifesta no jogo aéreo é suficiente para justificar a falta de qualidade que apresenta.

    Muito provavelmente este sector vai necessitar de uma verdadeira revolução: a entrada de Felipe, a chamada de Reyes e a possível entrada de Gomez serão suficientes para blindar a defesa (Gomez é bom, agressivo qb, feroz no jogo aéreo, uma verdadeira muralha! Veremos...).

    Para completar o ramalhete, apostar em Verdasca, tanto como 4º central, como por vezes a jogar na B. É mais do que tempo para apostar num central das escolas do FCP, e este tem muita qualidade!

    Para mim a incógnita será Maicon... manter o empréstimo será dificil, pois o clube quer vender. Tem mercado, está a fazer uma boa época no Brasil, mas não havendo dinheiro para o contratar, muito provavelmente vai regressar ao FCP. Veremos o que Nuno decide - espero que seja ele a decidir!

    ResponderEliminar
  5. "Acontece que neste esquema o central que joga por fora é menos exposto ao jogo aéreo, o que fez com que as debilidades de Indi no jogo aéreo não se notassem tanto".

    Eu de futebol percebo pouco mas no Mundial deu para ver que o Indi no jogo aéreo era muito fraco! E não creio que irá evoluir alguma coisa neste aspecto, não se viu melhoria nenhuma deste que chegou ao FCP.

    ResponderEliminar
  6. "Ironicamente, os centrais foram praticamente os mesmos de 2014-15, exceção feita à entrada de Chidozie a meio da época. E na época passada, mesmo entre muitas críticas, Maicon, Marcano e Indi acabaram por integrar a defesa menos batida da Europa."

    Porque sou rigoroso comigo próprio, pretendia fazer um comparativo entre a temporada 2014/15, e a 1ª parte de 2015/16, com o mesmo Treinador, modelo e processo de jogo :

    17 Jornadas (1ª volta), de 14/15 o FC Porto sofreu 9 golos (Fabiano)!

    17 Jornadas (1ª volta), em 15/16 o FC Porto sofreu 10 golos (Casillas).

    O que mudou na defesa titular? Fabiano/Casillas, Danilo/Maxi, Alex Sandro/Layun, curiosamente o meu rigor (ou os registos que são como o algodão), dizem-me que o FC Porto com o mesmo Treinador, registou o mesmo numero de golos sofridos!

    "Pergunta(s): Que futuro para Maicon, Chidozie, Indi e Marcano? Que centrais seriam mais-valias como reforços?"

    Bom, relativamente á vossa pergunta, o Transfermarket, avalia o trio Maicon, o Indy e o Marcano, em 27,5 M€ (não sei se pecam por defeito ou por excesso), opinião pessoal, devem gerar encaixes, recordo também que o Reyes que está na Copa América e provavelmente poderá também ser vendido, dependente ou não, da sua valorização naquele Torneio, acrescido do belo Campeonato que fez em Espanha, tem mercado!

    O Chidozie, pode e deve ser o 4º central (fará a sua primeira temporada como sénior, falámos num Juniur), tem uma enorme margem de progressao, sendo central, mas também é 6, e como referem e bem, se for emprestado deixa de ser um Atleta da Formação (erro Gudino). O FC Porto irá contratar provavelmente 3 centrais, o Felipe que está a caminho, o Aderlan Santos do Valencia (mera intuição), e um central com 22/23 anos do mercado Nacional e já com relativa experiencia, por exemplo, recordo-me do Josué do VSC, que foi no mercado de Dezembro cobiçado pelo Benfica!

    PT

    ResponderEliminar
  7. Se fosse viável, o ideal era Maicon , Marcano e Indi serem vendidos e virem 3 centrais com qualidade para o seu lugar . Chidozie podia perfeitamente assumir o papel de 4º central, embora defenda que o 4º central deva ser um jogador da formação, Verdasca, por exemplo. Como o FCP não deve conseguir vender os 3, o único que se devia manter, na minha opinião, é Martins indi, dado que motivou um investimento algo avultado para a sua qualidade demonstrada ou então emprestá-lo para um dos 5 principais campeonatos e tentar que valorize. Maicon está na altura de sair, não pela situação infeliz que teve, mas porque já expirou o seu prazo de validade no FCP. Nunca chegou a atingir o nível que os responsáveis e adeptos do FCP preconizaram, revelando uma inconsistência incompatível com um clube da dimensão do FCP e paragens cerebrais frequentes que já prejudicaram a equipa. Marcano: o central que passou do 80 ao 8, talvez a troca de laterais revelasse a falta de qualidade deste jogador. Foi o jogador com mais erros directos em golos sofridos do FCP, a par de Casillas. Forte na antecipação, mas isso não compensa todos os lances em que sai à queima, fraquíssimo no capítulo de saída de bola e , quando exposto 1 x 1, não consegue um desarme.
    Avizinha-se um mercado muito complicado para os lados do Dragão, onde é preciso vender para cumprir o fair-play financeiro e também para nos livrarmos da quantidade excessiva de jogadores que não têm nível para o FCP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não consigo concordar totalmente consigo, Martinszinho, mas concordo em parte.

      Por um lado subscrevo que o Porto devia tentar vender Marcano e Indi, o primeiro não tem nível para o FCP e o segundo é dos elementos que poderia gerar as mais valias necessárias ao cumprimento do fair-play financeiro.

      Maicon pode ser vendido se aparecer uma boa proposta, caso contrário pode ser integrado conforme salientou o TDD, é o central mais capacitado que pertence aos quadros do Porto.

      Chidozie tem qualidade mas é jovem. Ser o quarto central é o mais adequado para ir absorvendo ensinamentos de centrais mais experientes (Maicon funcionava bem neste papel) e para se ir adaptando ao nível sénior no Porto.

      Acrescento a esta discussão o Diego Reyes, que evoluiu bastante na liga espanhola, e penso que com essa rodagem poderá ser um valor a considerar. Com um ativo deste valor, que custou o que custou, investir em mais dois ou três centrais seria perigoso e difícil de rentabilizar o investimento.

      O Porto necessita de fazer um investimento num jogador sólido, que se afirme como patrão da defesa. Precisa ainda de um 2º central, mais jovem que possa potenciar, no sentido do que vinha a ser feito na gestão do clube nos anos anteriores de maior sucesso.

      Assim, o Porto precisa de comprar um patrão da defesa, ao qual juntar Diego Reyes e/ou Maicon (pessoalmente acho que um deles devia integrar o plantel, rentabilizando o outro, ou eventualmente ficar com os dois no caso de não se encontrar no mercado o tal central com potencial), ficando o Chidozie como 4º central.

      Eliminar
  8. despachar todos + Reyes = fazer caixa
    subir verdasca + contratar luis neto + ricardo do braga + Diego do Estoril + ricardo Carvalho
    estamos conversados de defesa por umas boas temporadas

    laterais, regresso do Rafa e ricardo

    baliza para Sa + gudino
    despachar casillas, Helton e todos os emprestados para fazer caixa

    e desde baliza a defesa construímos uma base sólida para alguns anos

    ResponderEliminar
  9. ate que enfim vejo alguem a opinar da mesma forma que eu que o maicon era o nosso melhor central e com a saida dele passou a ser o marcano, nao gosto do indi nem nunca gostei e acho que deveria ser vendido julgo que tenha mercado para inglaterra... por mim maicon regressava mas a minha intuiçao diz-me que isso nao irá acontecer... marcano por mim ficaria... chidozie acho que ele e verdasca poderiam ser os donos e senhores do centro da defesa da equipa b e de lá (consoante as exibiçoes de ambos sairia o 4 central sempre que necessario)
    quanto a reforços, filipe nao me entusiasma, gustavo entusiasma mais que filipe mas tambem fico com o pé atras, a cena é porque dar 6 ou 7 ou 8 ou la quantos milhoes forem por centrais vindos da america nao se sabendo o que irao render na europa, quando por esse dinheiro poderiamos ter bons centrais ja com habitos de jogar nao só na europa como em portugal e até formados no clube... pelos 6 milhoes de filipe e pelos 8 de gustavo nao conseguiriamos contratar andré pinto, ricardo ferreira ou hugo basto? sao maus estes 3?

    para aqueles que só gostam de reforços comprados a peso de ouro relembro que ainda nao a muitos anos o porto vendeu por 30 milhoes um central que tinha contrado ao maritimo e esse mesmo central foi para o real madrid ganhar alem de outros titulos duas ligas dos campeoes e foi durante alguns anos dos melhores centrais da europa (se é que ainda nao é, para mim é)

    ResponderEliminar
  10. Boas Sinceramente só ficaria com Indi. E para suplente devido a polivalência e quanto a contratações de centrais cometeria a loucura caso este desejasse voltar de contratar Pepe para patrão da defesa e iria buscar Ricardo Ferreira ao Braga. o 4º central seria Verdasca. Não consigo ver Chidozie como central.

    ResponderEliminar
  11. Willy Boly do Braga podia ser um bom central para o FCPORTO.

    ResponderEliminar
  12. TdD antes de mais os meus parabéns atrasados por estes 2 anos de blogue. Acho fantástico o seu trabalho de pesquisa e poder de análise...é o seu espaço e a sua opinião umas vezes subscrevo outras nem por isso mas este blogue serve para isso mesmo...pena nem todos entenderem isso.

    Quanto ao caso Maicon...concordo 200%.
    Acho que não epoca passado TODOS falharam.
    A direcção, equipa técnica, jogadores, e muitas vezes nós adeptos...a mística começa em nós, o Dragão ser o estádio mais temido da Europa também tinha a nossa assinatura e nós também falhamos...portanto o Maicon foi mais um que falhou...
    E Como disse por tudo que já deu ao Porto nestes anos se estiver com força e vontade de regressar deve ser desculpado e ter essa oportunidade.
    Nós devemos acarinha lo e esperar que ele retribua em campo como umas vezes melhor outras pior mas sempre retribuiu com amor à camisola

    Eu venderia Marcano...capaz do bom e do péssimo não me parece central para uma equipa como o Porto.

    Chidozie acho que deveria ser emprestado a uma das boas equipas da nossa liga (Gostava de o ver no Braga por exemplo)

    Indi... caso complicado , porque acho que tem potencial mas nunca será um jogador que vale o investimento que o Porto fez...acho que tem mercado Inglaterra portanto...com um bom negócio eu vendia

    Desconheco o reforço Filipe mas vou confiar no nosso Scouting

    Quanto a reforços, gosto particularmente do André Pinto que o TdD referiu à pouco e acho que tem qualidades para se afirmar como um dos melhores da nossa liga...a jogar no Porto quem sabe até mais que isso...
    Outro Central da nossa liga que me agrada muito é o Bolly do Braga!!

    Vi ontem na TVI que o José Fonte interessava ao Porto...acho um investimento que não trará retorno financeiro e desportivo...preferia o B. Alves.

    O 4o central para mim gostava sem dúvida que fosse o Vedrascá

    Centrais
    • Maicon
    • Filipe
    • Bolly / André Pinto
    • Vedrasca

    TdD continue pf com excelente trabalho...venho cá todos os Dias para puder apreciar as suas análises...

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. josé fonte nao traria retorno desportivo? preferia o josé fonte ao filipe, ao bruno alves e a qualquer central que o porto tem

      verdasca*

      Eliminar
  13. Eu dispensava Marcano e Indi e contratava o Sema Velázquez do Arouca.

    ResponderEliminar
  14. faltou falar pelo menos no Diego Reyes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os jogadores que estiveram emprestados serão avaliados à parte.

      Eliminar
  15. Concordo com a análise na sua maioria, só discordo na importância de manter o Chidozie no plantel para poder contar no futuro como formado no clube. Neste momento ele precisa acima de tudo é de jogar, seja onde for. Além de ter ainda 19 anos, nem sequer era central antes de ser adaptado à posição. Ele precisa de jogar e errar, errar muito. Só assim é que vai aprender o que tem de fazer para poder vir a ser um central numa equipa como o Porto. Infelizmente (ou felizmente), o Porto não está numa situação em que possa dar essa margem de manobra e aprendizagem, por isso seja por empréstimo ou na B, o mais importante é jogar.

    Quanto ao resto dos centrais... vendia-os. Todos. Pelos mais diversos motivos, mas não quero ver mais nenhum deles no clube. O único que sou capaz de aceitar que fique é o Marcano, mas como este é o "meu plantel", num cenário perfeito, que seja vendido para diminuir a necessidade de outras mais-valias.

    Portanto:

    Empréstimo/B: Chidozie
    Venda: Indi, Maicon, Marcano.

    Contratação: Ricardo Carvalho, Aderlan

    Isto quer dizer que de centrais no plantel ficávamos com Aderlan e Ricardo Carvalho para titulares, Reyes como terceiro central e Chidozie/Verdasca como quarto centrais. Isto permitiria também ao Leite e Queirós começarem a molhar os pés na equipa B e Youth League. É portanto uma melhoria não só em termos de qualidade e desportivos, mas também financeiramente em custos com o plantel e mais-valias.

    Plantel até ao momento:

    Casillas, Sá, Diogo Costa

    Maxi, Víctor Garcia
    Ricardo Pereira, Rafa

    Ricardo Carvalho, Aderlan, Reyes e Verdasca/Chidozie

    ResponderEliminar
  16. Vender maicon, e marcano (tenho imensa pena, gosto dele e parece me o melhor central mas os erros básicos queimaram a sua imagem)

    Comprar o gustavo ou o filipe, e fazer regressar o reyes.

    Ficávamos com:
    -gustavo ou filipe
    -reyes
    -indi
    -verdasca ou chidozie

    Um aparte tribunal, como consegue ter tantas estatísticas sobre pormenores curiosos e interessantes, mas que muitas vezes passam despercebidos aos jornais da especialidade?

    ResponderEliminar
  17. Maicon, Indi e Lichnovsky já era altura de vender...

    O Chidozie e o Verdasca deveriam ser emprestados a um clube de primeira liga.

    Subir os juniores Erik/Jorge.

    Ficamos então com Reyes, Marcano, Filipe e por favor um português com experiência na liga. O meu preferido era o Ricardo do SCBraga

    ResponderEliminar
  18. Relativamente aos centrais, penso que muita coisa depende de Maicon e da sua permanência/venda/prolongamento de empréstimo e pela confirmação da entrada de Felipe. Caso se confirme a venda de Maicon penso que a verba será usada para comprar Felipe, sendo que fica muito por resolver na defesa do Porto. Felipe é um central com quase 28 anos, na sua primeira experiência fora do Brasil e sem qualquer internacionalização pelo que não sei até que ponto poderá vir a ser um "patrão", contando ainda que terá que se adaptar a uma realidade completamente nova e sem contar com grande margem de pregressão. Penso que Marcano seria o melhor central para ficar, quando comparado com Indi ou Chidozie, mas para isso teria que existir o tal "patrão" e se Felipe não é esse, então pede-se nova ida ao mercado. Há que ter ainda em consideração a situação de Reyes que provavelmente merecia nova oportunidade mas que implicaria talvez mais mexidas.

    ResponderEliminar
  19. "o melhor Maicon, no São Paulo, não deva muito - se é que deve algo - ao melhor Felipe do Corinthians..."

    Relativamente a esta vossa afirmação, a mesma é sustentada em quê? Quem a escreveu vê habitualmente o "brasileirão"? Quem a digitou tem competencias e valencias para fazer essa avaliação? Bom, provavelmente quem o afirmou pertencerá a um qq departamente de scouting. Pessoalmente, como mero observador do jogo, afirmo não conheço o Felipe, nem me parece justo avaliar um Atleta através de meia duzia de imagens via youtube, e a avaliação de qq Atleta é abragente, ora as capacidades psicológicas, à semelhanca das capacidades fisicas e técnicas, provavelmente o Tribunal do Dragão tem essas avaliações do Felipe que o comum sócio/adepto não terá!

    "(e metam na cabeça que dois centrais canhotos podem jogar juntos, pela mesma razão que dois centrais destros o podem fazer). "

    Claro que podem jogar juntos, o Marcano e o Indi são exemplo disso, mas dois canhotos jogarem no eixo de uma defesa, será a mesma coisa que uma dupla de destros? Bom, recordo que um destro, joga habitualmente com o pé esquerdo, e inversamente, um canhoto não o faz com a perna direita. Porém, o que se preconiza num plantel com 4 centrais, é que um deles seja canhoto, justamente pela importancia que poderá ter na primeira fase de construção (como vocês e bem referem, quando avaliam o Indi)!

    PT

    ResponderEliminar
  20. Chido há um ano jogava em Africa... e Central para além do potencial pede alguma experiencia sobretudo num clube com as responsabiliddes do FCP.

    ResponderEliminar
  21. se o s. paulo quiser contratar definitavamente o maicon, é fechar o negócio. o maicon terá sido um bom profissional mas nunca foi um indescutível (não evoluiu, como se esperava, para ser um novo pepe) e não é insubstituível, pelo que se aceita a sua saída. eu enviava o marcano pelo mesmo caminho, que também não irá deixar saudades.

    não conheço o felipe mas vou dar o benefício da dúvida e espero que seja jogador para pegar de estaca no onze. acho que se deveria tentar contratar um dos defesas centrais do braga (de preferência ricardo ferreira (não pode contar como formado no fcporto?) mas o andré pinto ou, até, o boly seriam boas hipóteses) ou o aderlan santos. tampouco vi o reyes a jogar na real sociedad, mas se melhorou o seu nível (que já era bem razoável), eu ficaria com ele também.

    o chidozie não me convenceu e acho que a melhor solução seria vendê-lo mas manter uma clausula de recompra. já que o peseiro gostava tanto dele, talvez o queira em braga (ou talvez um guimarães, um rio ave ou um belém?). para quarto central eu ficava com o verdasca (que assim abriria espaço para os diogos na b). outra opção que talvez mereça ser utilizada em jogos de menor dificuldade em que a defesa estará mais subida e será mais utilizada na primeira fase de construção de jogo é baixar o danilo para central; assim abre espaço no meio-campo para um jogador mais criativo. (atenção, eu acho que o danilo é um grande jogador e acho-o uma excelente opção no meio mas assim a equipa ganharia uma opção extra para a fase de construção).

    e ficava com o indi, como opção para a lateral esquerda (principalmente para jogos mais complicados, em que os laterais tenham que passar mais tempo a defender que só a atacar). neste caso, ter o indi no banco seria sempre uma mais valia e cobriria, eventualmente, duas opções. (a não ser que algum clube inglês queira das 10/15 M€ por ele)

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.