domingo, 13 de março de 2016

«O estádio mais temido da Europa»

Depois da análise a este grande problema, tudo o que se possa dizer soa a repetição. E é. Um plantel desequilibrado + uma defesa de remendos, escassa em qualidade e quantidade + uma tentativa de troca de estilo de jogo a meio da época + um treinador que não é bom no processo defensivo = uma facilidade inacreditável em fazer golos ao FC Porto. Podemos entrar já nos «Machados».






Todo o processo defensivo (-) - É por demais lógico que tal aconteceria. O FC Porto conseguiu a proeza de enfraquecer as suas opções para a defesa, com a saída de Maicon. E se na apresentação de José Peseiro foi dito que «quem não conhece José Peseiro não conhece o futebol português», só quem não conhece José Peseiro pode estar surpreendido com esta avalanche de golos sofridos.

Não é mera crítica, é a realidade. Nunca uma equipa de José Peseiro defendeu bem. E se o treinador chegou a meio da época, com um setor defensivo debilitado, e tem sido forçado a mexer e remexer na defesa jogo após jogo, então não ia ser agora que o FC Porto ia começar a defender bem. Mas numa época de algumas expetativas defraudadas, esta não é uma delas: isto é tudo aquilo que se poderia esperar face à aposta que foi feita em janeiro. José Peseiro não pode estar a desiludir ninguém, pois está a ser igual a si próprio, em circunstâncias extremamente difíceis para qualquer treinador. É mais vítima e consequência do que réu, pois para ser réu teria que estar a falhar onde já mostrou resultados. Não é o caso. 

Individualidades (-) Maxi Pereira escapou à má noite de uma defesa de papel. Chidozie perde o lance em velocidade no 2x1 e no corpo a corpo com Cádiz no 2x2. Layún não esteve bem, mas não pode ser plenamente criticado: não é central. Reparem que muitas vezes, quando recebia a bola, queria arrancar e tinha sistematicamente que se proibir a si próprio de o fazer. Nos dois golos do União não fez bem as dobras, mas ter Layún no centro da defesa é sacrificar o muito que de bom pode dar à equipa. A exibição de Ángel resume-se por aqui: o União entra duas vezes pelo seu flanco para marcar dois golos. Rúben Neves um pouco macio à frente da defesa, e a Aboubakar e (sobretudo) Corona só valeram os golos marcados - decisivos, mas a exibição foi globalmente fraca.

Algumas curiosidades: com Maicon na defesa, o FC Porto sofreu uma média de 0,92 golos por jogo esta época. Desde a saída de Maicon, a média subiu para 1,5 golos por jogo. 

O FC Porto sofre golos há 7 jornadas consecutivas, coisa que não aconteceu nos últimos 10 anos, e sofreu 23 golos em 26 jornadas (o que não acontecia desde 2001-02). 

Além disso, nos últimos 7 jogos o FC Porto sofreu 12 golos; ou seja, sofreu neste curto espaço de tempo mais de metade dos golos que tinha sofrido nas primeiras 19 jornadas da liga. Isto sem aumentar a sua média de golos marcados, o aproveitamento de pontos, conseguir vitórias tranquilas (só frente ao Estoril o FC Porto venceu por mais de um golo) ou aproximar-se do topo da liga. Curiosidades, apenas.

Esta é a realidade dos números, que são intocáveis. Depois podem culpar o Maicon, o Marcano ou o Ángel. Podem culpar o azar e a falta de sorte. Podem o Lopetegui e o Peseiro. Podem culpar os árbitros. Podem culpar a administração que foi buscar Marega quando a defesa estava coxa e que, perante uma equipa que não dava garantias na defesa, foi buscar um treinador cujas equipas nunca defenderam bem. Também podem certamente culpar O Tribunal do Dragão - afinal de contas, desde que este blogue foi criado o FC Porto nunca mais ganhou títulos, pelo que há que assumir claramente as culpas neste cartório.

Podem culpar quem quiserem, pois nunca falta criatividade na hora de distribuir responsabilidades, mas a realidade é esta e a vítima é só uma: o FC Porto. Faltam oito finais no campeonato. E com a displicência de ontem, essas jornadas não nos levarão a nenhum lugar que agrade.






Héctor Herrera (+) - Um jogão. Encheu o campo e foi a referência em todos os momentos do jogo. Está muito bem no passe - acertou 90% dos passes, e além disso é sempre quem mais estica o jogo do FC Porto e colocou 4 bolas em zona de remate. Fez um bonito golo, poderia ter feito outro e esteve particularmente bem no jogo aéreo (ganhou 4 bolas de cabeça) e nas bolas divididas no meio-campo. Isto sempre com um pulmão muito acima de colegas e adversários. Noutros tempos e com maior consistência nas suas exibições (ou nas exibições da equipa), seria aquilo a que chamamos jogador à Porto.


Chegar à frente (+/-) - Uma melhoria em relação aos últimos jogos em casa: capacidade de ter mais bola (74%) e um acerto de passe ligeiramente melhor (87%). A equipa também rematou acima da média (28 tentativas) e conseguiu colocar mais bolas em zonas de perigo, com 23 passes para zonas de possível remate ou assistência. Esta é a melhoria possível de José Peseiro na equipa. Por outro lado, de pouco vale criar tanto volume de jogo, suficiente para construir um 3x0, se em dois ataques o adversário faz dois golos. Contra o Arouca seria azar. Contra o Moreirense, muito azar. Desta vez já não é azar, é padrão.

Outros destaques (+/-) - Maxi Pereira esteve novamente bem no ataque, com mais uma assistência, muito graças à visão de jogo de Sérgio Oliveira. Ainda assim, Sérgio Oliveira continua sem ter a intensidade necessária para um médio de transição do FC Porto. Sabe passar bem a bola, mas precisa de crescer em muitos aspetos do seu jogo. Além da resistência, a rapidez: tem que decidir mais rápido, e o primeiro golo do União nasce de uma perda sua. 

Segue-se a visita ao Bonfim, naquilo que é uma série de jogos que deveriam embalar o FC Porto para uma sequência de triunfos antes de receber o Sporting. Mas se o União, o Moreirense e o Arouca vão, no espaço de um mês, ao Dragão fazer 6 golos, continuaremos neste mundo ao contrário, onde qualquer equipa acredita que pode marcar e pontuar ao FC Porto.

A reter, as palavras de Norton de Matos no final. Basicamente, as mesmas de Jorge Simão ou Filipe Gouveia: qualquer treinador que vá ao Dragão diz que o FC Porto se enerva com facilidade a jogar em casa, perante os seus adeptos, e que os adversários podem sempre aproveitar. Quem vai ao Dragão já não teme o FC Porto, e os treinadores adversários já nem têm pudor em afirmá-lo. Até há bem pouco tempo era assim...

O Jogo, 08-01-2013


21 comentários:

  1. O Sérgio Oliveira tem visão de jogo, passe e remate de meia distância. Além disso ontem matou vários lances de contra-ataque. Marca ainda bem os livres. Perdeu a bola no lance do golo do União, como o Herrera também perdeu na 1ª parte e ninguém diz nada porque não deu golo. Herrera que continue assim e Sérgio Oliveira também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu pessoalmente gosto do futebol S.Oliveira e do que ele traz /pode trazer à equipa, mas concordo com o TTD, falta-lhe mais intensidade, principalmente sendo o Sérgio um médio de transição (n 8), mas acho também que será consequência de jogar pouco...
      Em análise ao plantel, o Porto parece-me bem servido de médios defensivos e de transição (Danilo, Ruben, André, Sérgio e Herrera), faltando um mais ofensivo (embora se contarmos com o Octávio no próximo ano e, juntando aos anteriores, poderá ser suficiente para fechar o meio campo, caso não saía ninguém no defeso).
      Agora, além de um eixo defensivo (centrais,em quantidade e qualidade, muito abaixo do exigido para uma equipa com as aspirações do Porto, do mais fraco que me lembro de ver e que normalmente era o esteio da equipa), o que falta mesmo a este Porto é desequilibradores. Temos o Brahimi e o Corona que estão a léguas do exigido e do que era usual no Porto, é isso faz toda a diferença, é o real diferenciador entre uma boa e uma grande equipa.
      Assim, nas extremas falta pelo menos um grande jogador.
      Mas laterais estamos bem servidos nas primeiras escolhas (Maxi e Layun), e no próximo ano poderemos juntar-lhes também o V. Garcia e o Rafa, fechando o sector.
      Avançados, eu pessoalmente gosto do Aboubakar,pelo que não me parece a posição mais deficitária (juntando-lhe o esforçado Suk), e no próximo ximo ano deixava os putos a rodar (Paciência Júnior e o Valente Silva).
      Assim, para o próximo ano são urgentes 2centrais e pelo menos 1extremo de grande qualidade.

      Eliminar
    2. faltam minutos de jogo ao Sérgio Oliveira.
      centrais, número 10, extremos e treinador para a próxima época.

      Eliminar
  2. sera que podias dar a tua opiniao a prestaçao do "brahimi" aquele jogador fantastico ..............para mim dos piores do F.C.PORTO .
    a equipa precisa mesmo da pre temporada porque este ano ja nao se pode esperar mt infelizmente

    ResponderEliminar
  3. Peseiro tem culpa numa coisa, insistência em meter Layún a central e não apostar em Verdasca. É apenas a minha opinião, mas considero Verdasca um bocado melhor que Chidozie, e se apostou num, porque não no outro? Será que o par Verdasca-Chidozie faz pior que Marcano-Indi. Será que Verdasca faz erros mais graves que os outros centrais têm cometido?
    Retirar o Layún da sua posição é um erro, pois para um equipa que tem sofrido muitos golos, a sua preocupação tem que ser marcar muitos e retirar da sua posição o jogador que mais assistências faz, é algo que ainda não percebi, mas Peseiro deve ter as suas razões, certas ou erradas, isso já varia de cada um.

    E neste momento de forma, em especial os nossos extremos, não seria bom para a equipa ter convocado o Ismael ou o Gleison para mexer um bocado com a atitude dos jogadores dessa posição?

    P.S: Um aparte para a votação do MVP, acho que Corona não merece estar nomeado, porque apesar do golo decisivo, foi uma autêntica nulidade dentro de campo. E se calhar, aquele golo não teria sido preciso se estivesse outro jogador no lugar dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MAS QUAL??? o marega? o varela? qual??

      Eliminar
    2. Nem que fosse um extremo da equipa B, fazer pior acho difícil. E existe mais tácticas além do 4-3-3. Quando não se tem alternativas e as que se tem não correspondem, tens que arranjar soluções dentro do que tens e a equipa B faz parte dessas soluções.
      Eu sei que é fácil criticar o péssimo momento do Corona, até porque eu não fazia melhor, mas não sou eu que chego ao fim do mês e tenho um ordenado pago pelo Porto para jogar futebol.

      Eliminar
    3. insistir com o layun a central é onde se nota que o peseiro não é treinador para um grande. não é o culpado deste desastre de época, mas já teve tempo suficiente para melhoras, e honestamente não se nota nada.
      despachar o lopetegui para substituir pelo peseiro não tem sentido.

      Eliminar
    4. O porquê de Verdasca não jogar? Possivelmente ninguém ganha dinheiro se ele jogar...já no caso Chidozie é diferente.
      Layun é o jogador mais importante do FCP...no ataque! Mas para isso tem de jogar a def. esquerdo. Com Layun no meio, o FCP sofre a maioria dos golos pelo lado esquerdo e no ataque o flanco esquerdo é zero.
      Só consigo entender a razão de Layun jogar a central por ordem da SAD. Se for por cabeça de Peseiro...enfim!

      Eliminar
  4. Penso que é unânime que temos um plantel fraco em qualidade e quantidade.

    Olhando para os últimos 11 iniciais, penso que teriamos um claro upgrade se tivéssemos no atual plantel alguns jogadores que emprestamos, tais como:

    -Quintero seria titular de caras neste sistema.

    -Diego reyes, Maicon e Abdulaye Ba apesar de não serem TOP, dariam mais garantias que a dupla chidozie/layun ou marcano e resolveriam esta crise de centrais em que nos encontramos,

    -Tello e Hernâni apesar de inconstantes, ofereciam muito mais que varela.

    -Adrian Lopez teria aqui uma oportunidade para mostrar o seu valor, alguém dúvida que é mto melhor que marega?

    -Rafa apesar de pouco experiente, não me parece que fizesse pior que Angel

    -Josué, Otávio, Ghilas e kelvin não seriam titulares mas certamente aumentavam o leque de opções.

    Cumprimentos,
    Neves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Quintero nem no Rennes é titular quanto mais aqui...

      Eliminar
    2. o quintero é como o novo messi, que agora anda nem sei aonde em inglaterra

      Eliminar
  5. realmente uma miseria franciscana, falta nos quase tudo. Chidozie impressiona como com uma estampa fisica que da ideia de rapidez e muito lento, tera de aprender muito para ser um defesa central a serio. MAS O MAIS IMPRESSIONANTE E QUE O PUBLICO DO DRAGAO SE TORNOU NO 12º JOGADOR DA EQUIPA ADVERSARIA, IMPRESSIONANTE.

    ResponderEliminar
  6. "Além disso, nos últimos 7 jogos o FC Porto sofreu 12 golos; ou seja, sofreu neste curto espaço de tempo mais de metade dos golos que tinha sofrido nas primeiras 19 jornadas da liga. Isto sem aumentar a sua média de golos marcados, o aproveitamento de pontos, conseguir vitórias tranquilas (só frente ao Estoril o FC Porto venceu por mais de um golo) ou aproximar-se do topo da liga. Curiosidades, apenas."

    Tudo verdade, como também é verdade, que apesar dos números desastrosos em termos defensivos, que apesar da diferença em termos de soluções no plantel para o inicio da época, que apesar de não puder fazer uma pré época e de começar o seu 1º mês a fazer jogos de 3 em 3 dias, Peseiro consegue exactamente os mesmos 18 pontos que Lope nos primeiros 8 jogos para o campeonato.

    ResponderEliminar
  7. Peseiro pode não ser o mestre na arte de defender, mas é preciso ver que defesa tem o Porto agora. É curioso notar que neste jogo, qualquer um dos centrais da União da Madeira teria sido titular no Porto. Aliás, nesta segunda metade de época, qualquer central que o Porto tivesse contratado, bom mediano ou mau, tinha a oportunidade de ouro de ser sempre titular. Se fosse um português (como se falou do Nelson Monte do Rio Ave), com um bocado de sorte ainda acabava a época nos 23 de Fernando Santos.

    É impossível e insustentável ter apenas 5 defesas no plantel, dos quais apenas 2 centrais, ao que se junta o azar de estarem sempre lesionados e/ou castigados. É insustentável.

    Ironicamente, das poucas coisas em que concordei com a direção esta época foi no afastamento de Maicon. É evidente que ficamos prejudicados desportivamente, Maicon tem qualidade e nesta fase seria importantíssimo para nós. Mas abria um precedente grave de indisciplina. Não podemos "castigar" os jogadores mediante o quão precisamos ou não deles. Não podemos dizer que se fosse o Sérgio Oliveira seria castigado pois temos muitos médios, mas o Maicon era melhor não o ser porque nos faltam centrais. Desportivamente, ficamos piores, mas pelo menos ainda existe autoridade num clube meio à deriva.

    ResponderEliminar
  8. e o casillas continua a encaixar a torto e a direito, como se nota que está acomodado e de férias até ao europeu.
    um guarda redes de topo, ajuda os companheiros no processo defensivo, trabalham em conjunto. não é o caso.
    na próxima época que haja coragem para dar a disputa da baliza ao gudiño e Sá, e despachar casillas, demasiado dinheiro para muito pouco rendimento.
    e layun a central? porquê? o peseiro sem ter culpa nenhuma da época desastrosa, não é treinador para um grande. está mais que visto e provado.

    ResponderEliminar
  9. Ao contrário do que dizem, na minha opinião os golos do união têm dedo do Maxi. No primeiro não acompanha o extremo esquerdo e no segundo nem se vê. Outra questão que me incomoda é que devo ser o único mamífero no mundo que anda há um ano e meio a tentar perceber quais são as qualidades do Rúben Neves para que jogue no Porto. Abraços.

    ResponderEliminar
  10. Apesar de na minha opinião a culpa da actual situação não ser Peseiro mas sim da administração do clube, espero que no final do ano a equipa apresente um novo projeto com um novo treinador. Peseiro vai, como tudo indica, chegar ao final da temporada com uma imagem já muito desgastada.

    Espero que a aposta seja feita num projeto de futuro (alguém com provas dadas) que coloque a equipa no rumo das vitórias.
    Eu apostaria sem medo em Marco Silva (por muito que o Sporting possa ter de receber um valor por esta contratação).

    Em relação ao plantel e com a obrigatoriedade de vender jogadores para equilibrar as finanças do clube, espero que as vendas passem por Herrera, Aboubakar, Brahimi, Indi e Maicon(Turquia?).

    Existem ainda alguns jogadores que no meu ponto de vista não trazem uma mais valia ao clube como Evandro, Varela, Marega, Angel, Marcano, Adrian Lopez (e a lista continua). Na existência de uma proposta estes jogadores deviam ser imediatamente vendidos.

    A nível de contratações para a nova época penso ser urgente a aposta em 2-3 centrais de qualidade. Com a aposta em Rafa e Victor Garcia para suplentes nas laterais, será também necessário a compra de um novo 8(de grande qualidade) e a entrada de dois 10 (Otávio e Quintero?).


    Na frente de ataque gostava que fosse feita uma aposta séria em André Silva mas considero que o risco seria muito elevado. Por isso acho essencial a compra de um bom avançado para disputar o lugar com Suk, Gonçalo/André e Bueno. A compra de 2 extremos com grande capacidade de desequilíbrio é essencial para o sucesso (não percebo como é que o Porto deixa escapar o negocio de Carrilo).

    ResponderEliminar
  11. Herrera tem de ser vendido, não podemos estar mais uma época a aturá-lo. A juntar a Danilo, Rúben, André André, Sérgio Oliveira e Otávio, terá de vir um médio de qualidade indiscutível para ser titular, um homem que jogue sobretudo mais ao ataque e com capacidade para organizar o jogo da equipa. Pode ser um Deco, Lucho Gonzalez ou Lucas Lima.

    ResponderEliminar
  12. Alguém sabe como foi a AG?

    ResponderEliminar
  13. Já ha uns tempos se falou aqui no banco de suplentes. Ora vejamos contra o União:
    Helton | Marega | Suk | Víctor García | Francisco Ramos | Graça | Diogo Verdasca

    Nem é preciso falar muito. Mais preocupante é saber que este ano é o plantel mais caro da história.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.