sábado, 28 de maio de 2016

Análise 2015-16: os laterais

No dia em que analisamos os laterais, o FC Porto deu a conhecer que «chegou a acordo com o Watford» para a contratação de Layún. Chegar a acordo pressupõe que o Watford esteve envolvido nas negociações, o que indicia que a cláusula de compra não foi batida - o que não significa que Layún não tenha custado 6M€, mas quiçá com um faseamento de pagamento diferente do que estaria previsto na opção de compra. Aliás, desconhecem-se publicamente todos os pormenores (quanto custa, duração de contrato, etc.)

Compra. Reforço?
Layún é uma boa compra do FC Porto, resta saber se será uma contratação para a próxima época. A possibilidade de renegociar o jogador até ao final de junho não é descartável, tendo em conta que Layún fez uma grande época e despertou a atenção de outros clubes e mercados.

Face à necessidade de apresentar resultados com passes de jogadores de 72,59M€ até 30 de junho, ou a SAD já estudou uma forma de fazer as mais-valias necessárias até ao fim do mês (na medida em que apresentar um prejuízo superior a 8,6M€ poderia trazer consequências no fair-play financeiro), ou este investimento em Layún já é feito a contar com uma futura venda. Até porque esta compra de Layún é o oposto da política da SAD nos últimos anos. Aliás, o acordo original com o Watford previa que o FC Porto tinha que pagar 3M€ até 15 dias depois de informar que iria comprar o jogador; se vendesse o jogador nas próximas duas semanas, poderia até pagar Layún com o dinheiro da venda a um terceiro clube. 

Desportivamente, Layún foi uma mais-valia para o FC Porto. Basta dizer que se não tivesse sido contratado no fecho do mercado, os laterais para esta época teriam sido José Ángel e Cissokho (tendo em conta que Rafa não estava integrado na equipa A). Esteve em 26 dos golos marcados pelo FC Porto esta época. Além disso, sempre personificou em campo aquilo a que os adeptos gostam de chamar um jogador à Porto.

É melhor a atacar do que a defender, certamente. Mas num contexto de campeonato português, os nossos laterais passam mais tempo a atacar do que a defender. Não era por causa de Layún que a equipa estava constantemente exposta contra Aroucas, Tondelas e afins. Cometeu alguns erros, como outros cometeram, mas Layún foi sempre mais vezes parte da solução do que do problema.

Neste momento é uma boa compra, pois se a SAD quiser já o vende com lucro e necessita de gerar mais-valias no próximo mês. Mas desportivamente, seria recomendável manter Layún no plantel, por ter tudo aquilo que o FC Porto necessita: qualidade, profissionalismo e dedicação. Se se concretizar a possibilidade de fazer o que o Hellas Verona fez com Iturbe, é necessário identificar outra solução de qualidade. E aí Rafa diz olá.

Contrato até 2018
Do outro lado, Maxi Pereira. Fez uma época bem razoável, embora nas últimas semanas tenha acusado claramente o desgaste (estamos a falar de um jogador de quase 32 anos que nunca sofreu uma lesão grave, e que é sempre titularíssimo por onde passa), com a sua condição física a deixar a desejar (não raras vezes víamos jogadores ganharem-lhe metros em pouco espaço). 

É também ele um jogador caro (podem dizer que não veio para o FC Porto pelo dinheiro, mas também não foi por lhe oferecem menos do que ganhava no Benfica), já sem grandes perspetivas de uma boa venda (só mesmo no Oriente ou nas Arábias), mas que foi influente na equipa. Maxi Pereira fez 13 assistências - em lances de bola corrida, fez mais assistências do que Layún, e foi sempre uma peça importante pela profundidade que dava ao corredor. Defensivamente, cometeu algumas falhas. 

Tem mais dois anos de contrato, por isso a continuidade no plantel parece um passo natural. Há uma boa alternativa na equipa B, chamada Víctor García, que já devia ter sido integrado num plano de rotação com Maxi esta época. Ricardo Pereira tem mais um ano de contrato com o Nice, por isso não entra nestas contas. 

Sobra José Ángel, um dos «patinhos feios» de que os adeptos nunca prescindem. Comete demasiados lapsos defensivamente, o que é uma pena, tendo em conta que é excelente a cruzar. A sua contratação, em 2014, foi boa e teve toda a lógica desportiva: era um lateral com escola, titular em bons campeonatos e boas equipas, jovem e que chegou ao FC Porto sem encargos imediatos (a Roma repartiu o passe com a SAD, que depois cedeu 5% à ARB Sport Asesores, de Alfredo Nora).

José Ángel, jogador que entretanto desapareceu do catálogo de jogadores que a Doyen Sports exibe no seu site, esteve sempre na sombra ora de Alex Sandro, ora de Miguel Layún. Quando era chamado, ora fazia um jogo consistente, ora estava diretamente ligado a um mau resultado no jogo seguinte. Não temos garantias de que Layún vá ficar no plantel, mas perante a promoção de Rafa é natural que José Ángel procure outra solução para o seu futuro. Tem contrato por mais dois anos e dificilmente partirá para uma 3ª época sendo suplente do FC Porto. Não dá garantias para o presente e o futuro não passa por ele. 

Não vale a pena falar de Cissokho, pois não?

Contrato até 2018
À partida, o FC Porto perdia qualidade nos laterais para esta época. Há uma diferença entre ter dois laterais de seleção brasileira vendidos ao Real Madrid e à Juventus, por mais de 55M€, e entre contratar um lateral que após 8 anos de Benfica só teve convite de um rival (Maxi) e outro que na época passada estava na segunda liga inglesa (Layún). Mas não foi, de todo, por Layún e Maxi que o FC Porto fez uma má época.

A primeira função de um lateral, logicamente, é defender bem. Mas os números no ataque são o que mais surpreende: Layún (26) e Maxi Pereira (14) tiveram intervenção direta em 40 golos do FC Porto. Danilo e Alex Sandro, há um ano, tiveram intervenção em 18. Ou seja, com Maxi e Layún, os laterais do FC Porto participaram em mais do dobro dos golos; mas na época passada o FC Porto teve a melhor defesa da Europa, enquanto este ano qualquer equipa, por maior ou menor vocação ofensiva que tivesse, conseguia marcar ao FC Porto com facilidade. Maxi e Layún tiveram as suas culpas no cartório defensivo, mas foram mais vezes solução do que problema.

Pergunta(s): Maxi e Layún devem manter o lugar para 2016-17? Quem deverão ser as alternativas nos corredores?

28 comentários:

  1. A conseguir-se uma proposta por Maxi (do oriente ou arábia) era aproveitar...

    Ficavam:
    Layun, Rafa, V. Garcia e Ricardo (se possível)

    Provavelmente o ordenado do Maxi dá para pagar aos 4!!! Não vejo necessidade de um investimento tão alto num lateral

    ResponderEliminar
  2. "Não vale a pena falar de Cissokho, pois não?"

    Infelizmente, parece que enganou toda a gente nos 6 meses que cá esteve...
    Se calhar eu não percebo nada disto por não ter visto assim tantos jogos, mas preferia que tivéssemos outro LE para o Layún jogar a ala, bem falta nos fez.

    ResponderEliminar
  3. Começando pelo Layun, espero sinceramente que seja para revender ainda neste semestre e dar algum lucro/mais-valias.

    Gostaria que se tivesse debruçado sobre o Ricardo Pereira ainda assim. De certeza que o Porto conseguiria chegar a acordo com o Nice para o libertar do empréstimo, com as devidas compensações é claro. Talvez até mais através do empréstimo de outros jogadores do que dinheiro, e jogadores para emprestar é coisa que não falta ao Porto.

    A minha visão sobre os laterais do Porto para a próxima época:

    Lateral direito: Maxi/Víctor Garcia
    Lateral esquerdo: Ricardo Pereira/Rafa

    ResponderEliminar
  4. A compra de Layun é uma excelente notícia. Mostrou algumas dificuldades a defender numa equipa que no geral defendia mal. Se a equipa melhorar, o que é obrigatório, as dificuldades de Layun serão compensadas e até abafadas.
    Quer ele fique no plantel, quer ele seja negociado o clube só tem a ganhar. Se sair, temos o Rafa. Esse miúdo não engana, deixem-no jogar que ele mostra todo o seu valor.

    ResponderEliminar
  5. Parece-me claro que o Layun não ficará pois se o Real Madrid realmente o quiser, não existe muito que possamos fazer (exceptuando receber uns 25M€).

    Para o ano que vem parece-me claro que Maxi ainda cá ficará e espero que o Vitor Garcia seja promovido de uma vez por todas.

    Rafa e mais alguém (se Layun sair), vão disputar o lado esquerdo da defesa, pois Ángel é demasiado irregular para estar numa equipa como o FCP.


    ResponderEliminar
  6. Para mim não havia dúvidas nos suplentes. Rafa à esquerda, Garcia à direita.

    Tendo em conta que o Ricardo ainda não pode vir que se mantenham os 2 titulares deste ano a não ser que haja alguma proposta das arábias ou chinesa fora do normal.

    Mas tendo em conta que o centro da defesa terá tantas alterações convém manter o resto da defesa, guarda redes incluído.

    ResponderEliminar
  7. Maxi e Victor Garcia.

    Layun e rafa.

    Preparar o futuro com Dois experientes e dois jovens promissores.

    ResponderEliminar
  8. Sobre Cissokho vale a pena falar um bocado. Comete um erro grave no jogo com o Marítimo que termina em empate e a partir desse jogo é encostado e passa a ser o 4º lateral esquerdo (Lopetegui até o Indi naquela posição preferiu).
    Cometeu um erro no início e não lhe deram possibilidade de se redimir, o que me leva a pensar, se todos os jogadores do Porto que este ano tivessem sido encostados ao primeiro erro grave, quantos jogadores não teriam ficado sem jogar? Mais vale contar aqueles que não erraram tal a quantidade de jogadores que cometeram erros graves e infantis durante a época.
    Não podemos ter no mesmo plantel dois pesos e duas medidas, ou se castiga todos os jogadores que erram ou então não se castiga. Aliás, vi erros bem mais infantis e grosseiros da parte de outros jogadores que não mereceram um reprimenda sequer do treinador, tanto do anterior como do ainda presente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto e ainda acrescento que nese jogo ele entrou sem qualquer ritmo competitivo. Na minha opinião foi mal aproveitado.

      Eliminar
  9. Ricardo não entrar nas contas é o pior que pode acontecer. Era titularissimo cá.

    ResponderEliminar
  10. layun compromete nos jogo a doer, não me agrada a sua continuidade, até porque os 6milhoes que apaga por el poderiam ser direcionado noutra direção.
    e pior, é mais um estrangeiro, de qualidade mediana que tira lugar a um bom e promissor jovem português!

    maxi, idem, aspas aspas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estrangeiro de qualidade duvidosa... minha nossa, os adeptos do meu porto estão cada vez mais malucos...
      Compromete nos jogos a doer? Fora em Braga quando comprometeu?

      Eliminar
    2. Paços de Ferreira por exemplo

      Eliminar
  11. A aparecer propostas vantajosas po clube por Maxi acho que é de se ouvir (ta avaliado by transfermakt em 7M pa um lateral com 32 anos é muita bom) e acho que so uma proposta bastante tentadora por Layun é que é dw considerar! Segundo o ojogo o fcp tem de dar 20% da mais valia numa transferencia de Layun ao Watford! Depois é recuperar Ricardo Pereira e temos Rafa e Victor Garcia, estes 2 só uma hecatombe é que faria que nao dessem jogadores de plantel A!

    Ps: Acho que no TdD nunca vi nenhum post a proposito de modalidades (se ja fez peco ja a partida desuculpa), mas o que foi conseguido por Moncho Lopez e pela equila do fcp acho que merece um post do melhor blog portista do "mercado" lol

    ResponderEliminar
  12. Muito honestamente não consigo concordar nesta questão dos laterais. Acho que a má época também está relacionada com eles. Além de fracos defensivamente são muito fracos na transição defensiva e se o primeiro ponto se disfarça no campeonato português, o segundo é vital para manter a equipa equilibrada. E mesmo no ataque dão pouca largura, jogando demasiadas vezes por dentro, afunilando o jogo, tirando lhe fluidez, apesar do número excepcional de assistências.

    Assim, acho que são dois laterais bons a atacar, que não comprometem no ataque, mas que falham demasiado no meio campo defensivo. O Porto não precisa de laterais que defendam muito bem, mas precisa que tenham uma boa e rápida recuperação defensiva.

    Daí que, na minha opinião, se houver oportunidade para rentabilizar os dois, que era uma boa altura pois estão bem votados, é de aproveitar, até porque temos nos quadros meninos com muito potencial e que não ficam a dever em qualidade aos titulares da época que passou. Rafa Soares e Ricardo Pereira a titulares em 2016/17 com o Victor Garcia como suplente da ala direita

    ResponderEliminar
  13. Layun e Maxi são dois bons laterais, mas ficou evidente que não tinham concorrência. Maxi já não caminha para novo e estava notoriamente cansado.

    ResponderEliminar
  14. Fui contra a contratação de Maxi desde o inicio, por ser um símbolo do rival e por ser um jogador em fim de carreira que veio para o Porto ganhar um salário exorbitante! O Presidente e a SAD mais uma vez não respeitaram os adeptos que tal como eu, não queriam ver Maxi no Porto. A época terminou, Maxi ganhou zero títulos, desportivamente não foi uma mais valia e acresce o facto de ser caro. Tapou Vitor Garcia e Ricardo teve de sair. Quanto a Layun, um bom lateral e boa aquisição, pois é do tipo de jogador que faz uma equipa campeã.

    ResponderEliminar
  15. boas a todos.

    como o sistema de jogo do FcPorto é o 4-3-3, eu diria que tanto Maxi e Layun não fazem sentido no futebol moderno.

    Diria eu que se aquilo que pretendemos é ter extremos rápidos que ataquem e vão à linha cruzar para a área, coisa que raramente vemos no Dragão, então precisamos de resguardar mais as costas deles e não sobrecarregar as linhas com subidas desnecessárias dos defesas laterais e deixando muitas vezes buracos lá atrás que são muito bem aproveitados pelos os avançados contrários.

    Quero isto dizer que o FcPorto na minha modesta opinião de quem é um leigo na matéria precisa de ter laterais acima de 180cm com rotina de central e dento daquilo que temos visto muitas vezes no Bayern Munique ou na Manschaft.

    Neste momento sou apreciador de jogadores para a lateral direita do tipo Marc Bartra, Cristian Zapata, Mário Fernandes, António Rudiger, Chancel Mbemba e para a lateral esquerda Ali Adnan, Marcos Rojo, Eder Balanta, Terence Kongolo, Jonas Hector ou até Eliaquim Mangala. Estes juntamente com mais dois centrais do tipo Felipe, Pepe, Bailly, Bruma, Brooks dariam para fazer uma defesa de betão e Casillas agradecia, tal como nós.

    se pudesse fazer a nossa defesa ela seria assim: Casillas, Rudiger, Pepe, Brooks e Mangala. Impossível? não sei.

    Pepe se quiser voltar basta accionar a Lei Webster.
    Rudiger custa 10M€ e o Roma não accionou a opção de compra.
    Brooks custa 12M€ mas podia-mos incluir Martins Indi
    Mangala depende do Euro 2016 e de Guardiola mas pode ser emprestado.

    Em Alternativa podia-mos ter esta defesa:

    Marca Bastra, custa 8M€ ultímo ano de contrato
    Felipe, que custará 6M€
    Brooks, tal como disse antes na outra alternativa
    Marcos Rojo, emprestado pelo o José Mourinho

    quem for o treinador, só espero que passe por aqui e leia este meu post

    Saudações Portistas

    11DruL0vic


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Graças a deus que o senhor nunca irá ser dirigente do Porto uma defesa sem laterais nao existe em nenhuma equipa do mundo.

      Fala no Bayern mas tem nas laterais Lahm,Rafinha, Bernat e Alaba.
      As outras 2 melhores equipas do Mundo tem laterais como Daniel Alves, Alba, Carvajal, Marcelo, Danilo.

      Eliminar
  16. Maxi e Layun são valores seguros, principalmente este último, logo é para manter. Como alternativas, Rafa e Victor Garcia são conta do recado. Numa préepoca que se prevê agitada e com bastantes mexidas principalmente no eixo da defesa, o facto de podermos já ter as laterais definidas e compostas com qualidade é um luxo e que devemos aproveitar. Não vale a pena ir buscar contratações mirambolantes e gastar milhões. Eles já cá estão e são bons.

    Layun depois da época que fez, dispensa apresentações.
    Maxi fez uma boa época no geral. Naturalmente está a perder fulgor físico mas estará lá Victor Garcia para calcar os calcanhares do Maxi e até ganhar o lugar.

    Angel é para despachar, assumindo que mantemos Layun e Rafa.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  17. Dizer que o Layun não serve para o Porto faz-me imaginar o que diriam se um clone do Roberto Carlos viesse para cá... Há e tal, defende mal, não serve. Enfim, só teve em quê, dois terços dos golos marcados? É meco.
    De resto, a defender normalmente na nossa táctica são mais os centrais e o trinco do que os laterais, mas quem sou eu...

    ResponderEliminar
  18. Maxi / Vitor Garcia
    Layun / Rafa
    Se Maxi ou Layun não ficarem, acciona-se a cláusula de regresso do Ricardo Pereira.
    Tanto Garcia como Rafa têm que alternar com regularidade com Maxi e Layun para evoluírem a para permitirem que não se verifique como este ano que Maxi chegue rebentado ao final da época.
    O tema dos laterais não é problema.

    ResponderEliminar
  19. O grande problema é que há uma gritante falta de rumo nas contratações. A SAD move se por interesses inconfessáveis, logo e tempo perdido estar a racionalizar seja o que for em relação ao plantel do Porto.

    ResponderEliminar
  20. Fosse o mal do FCP em todas as posições o mesmo que nas laterais e estava uma equipa com soluções e credíveis!
    Maxi/Garcia + Layun/Rafa.

    Se na China/Uruguai quiserem o Maxi, então é aproveitar para vender e fazer regressar o Ricardo já esta época. Caso contrário, sai Maxi para o ano e volta Ricardo, ficando com o Garcia.

    José Angel será para vender. Empréstimo não tem lógica, pois já se viu que não será solução no FCP. Emprestados sem futuro no FCP já são demasiados.

    ResponderEliminar
  21. Maxi e Layun...Victor Garcia e Rafa. Vender Jose Angel. Veremos se com um treinador competente se consegue colocar Maxi e Layun a defender melhor, neste momento ambos atacam MUITO bem mas ambos defendem MUITO mal, por razões diferentes, Maxi pq se desposiciona para atacar e depois ja não tem velocidade para recuperar perante alas muito velozes e Layyn pq não tem escola defensiva é um ala polivalente colocado a lateral...um treinador de alta competencia, corrige-os e tira-lhes maior rendimento e na B temos suplentes para eles q terao a chance de mostrar se valem ou nao, Victor Garcia e Rafa.
    Lembro q depois do próximo ano regressa Ricardo, já feito e q tem jogado em AMBAS as laterais.

    ResponderEliminar
  22. Tiro o meu chapéu a Moncho. Magnífico trabalho e grand carácter. O título de campeão é um orgulho para todos os portistas. Toda a secção está de parabéns! Que continuem assim por muitos anos.

    ResponderEliminar
  23. faça uma análise às épocas dos jogadores que temos emprestados. aqueles que podem fazer parte do plantel e aqueles que têm de ser vendidos

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.