segunda-feira, 3 de abril de 2017

Sobreviver ao jogo do título

Assim pensou o FC Porto na Luz. A equipa e o treinador sentiram que era melhor segurar o empate do que arriscar perder na procura pela vitória. Só os três pontos colocariam o FC Porto a depender de si próprio, mas no final a equipa sentiu mais confiança em esperar que outra equipa - porventura o Sporting - tire pontos ao Benfica, em vez de arriscar sair da Luz sem um ponto (dessa forma, o Benfica doravante teria que escorregar em duas jornadas, enquanto assim continua a bastar uma - que de nada valerá se o FC Porto não fizer o seu trabalho). Mais do que tentar ganhar, o FC Porto mostrou que o que importava era sair daquele jogo vivo. E saiu. 


Foi a primeira vez que o Benfica de Rui Vitória foi superior num clássico, algo que deve merecer claramente preocupação do FC Porto. Mas convém não esquecer este pormenor: o melhor Benfica dos clássicos não marca um golo de bola corrida. Só o consegue de penalty, ainda que para isso tenha voltado a valer San Iker. 

É um tricampeão de carne e osso que está do outro lado, que no clássico foi melhor do que o FC Porto, mas que não tem vindo a fazer um campeonato em nada superior. Mas merece a preocupação que o Benfica, a quem bastava o empate, tenha feito mais na procura pela vitória do que o FC Porto. Sem que lhe tenha valido de muito. 

Demos um passo atrás nas duas últimas jornadas (o FC Porto passa a ter menos um ponto, menos golos marcados e mais sofridos do que na última época em que esteve na luta pelo título até ao final), mas o Benfica também não deu nenhum em frente. Todos os portistas vão ter grandes expetativas de que o Sporting dê uma ajuda, mas para isso há que fazer a nossa parte - o V. Setúbal tem que servir de exemplo, e o resto do calendário vai oferecer jogos bem mais complicados. Sem margem para errar.




Iker Casillas (+) - Casillas é um dos raros históricos do Real Madrid que é relativamente respeitado pelos adeptos do Barcelona. Admirável, tamanha a rivalidade entre os dois clubes, até porque Casillas passou 16 anos no Real Madrid. No FC Porto, não está há sequer há dois anos... e já entende a rivalidade com o Benfica ao extremo. Não é elegante, mas é ilustrativo: aquele gesto mostrou bem o quão Casillas quer ganhar o Campeonato. Não só ganhar o Campeonato, mas também ganhar o Campeonato ao Benfica. E contribuiu tanto quanto pôde, com dois pares de defesas que aguentaram o pontinho. Quando se fala do bom balneário do FC Porto este ano, não é possível ignorar o papel de Casillas: um profissional que fala não pelo seu passado no Real Madrid, mas por entender aquilo que é o FC Porto. Ah, perdeu tempo? Perdeu. Certamente porque lhe disseram que tinha que segurar o empate. E segurou.


Maxi Pereira (+) - Não dá para disfarçar: os quase 33 anos de Maxi Pereira pesam cada vez mais nas pernas. É notório que lhe custa a recuperar cada vez mais no corredor, sobretudo num jogo em que Alex Telles, no flanco oposto, pouco conseguiu subir. Maxi Pereira não está no auge da sua frescura física, mas podem contar com uma coisa: vai continuar a lutar pelo FC Porto até cair para o lado. O que lhe faltou em pernas compensou com determinação, garra e inconformismo. Foi lá à frente, na raça, fazer o golo do empate e manter o FC Porto de pé na luta pelo título. E por ele, o FC Porto continuará de pé nessa luta. Pelo menos até que Maxi caia para o lado.

Yacine Brahimi (+) - Todos os defesas já sabem o que é que Brahimi vai fazer: vai rodar sobre a bola, tentar puxar para a linha de fundo, aproximar-se da pequena área e fazer o passe atrasado. E mesmo assim, caem sempre: poucos conseguem tirar a bola a Brahimi. Tem o dom de ser imprevisível sendo previsível. O ataque do FC Portos só existiu nos seus pés, na forma como arrastou e rasgou a defesa do Benfica, numa noite em que Corona, Soares e André Silva pouco conseguiram fazer em sentido prático. Falta uma coisa no seu futebol, que é a capacidade de rematar mais quando arranja espaço à entrada da grande área, mas nem isso desta vez o impediu de ser o mais rematador em campo. E uma vez mais vimos muito trabalho de Brahimi sem bola, com 16 duelos ganhos e 12 recuperações. Tem sido um símbolo de inconformismo neste plantel e um oásis numa equipa à qual falta rasgo individual. Com Brahimi, haverá sempre uma solução. Se dá para chegar ou não ao título, veremos. Mas com ele dá para acreditar. 

Uma palavra para um bom jogo de André André, o melhor do meio-campo.




Deixar o Benfica crescer (-) - A boa exibição do FC Porto frente ao Benfica, no Dragão, deveu-se sobretudo à forma como a equipa apertava logo o rival no início de construção. Não dava espaço, obrigava o Benfica a falhar na saída de bola, e depois sim apostava nas transições rápidas que NES tanto aprecia. Na primeira volta funcionou enquanto a equipa declarou essa estratégia. Na Luz, nada disso. O FC Porto entrou a medo, nervoso, com as linhas recuadas. Se é certo que ninguém pode entrar na Luz a oferecer espaço nas costas, o Benfica de Rui Vitória treme sobretudo quando se depara com um rival que assume o jogo e que é forte na pressão.

O FC Porto esteve perdido em campo durante os primeiros 20 minutos, altura em que Óliver fez o primeiro remate e a equipa começou a crescer e a ganhar confiança. Não foi o dia mais feliz para o muitos jogadores, desde Felipe a Corona, passando por Danilo, mas uma equipa que quer ser campeã não pode permitir que o Benfica assuma com tanta facilidade o jogo. Sobretudo quando ainda não o tinha conseguido fazer em clássicos com Rui Vitória.

Sozinh9s (-) - Percebe-se a intenção de NES em reforçar o meio-campo. E entre Soares e André Silva, a opção nunca seria totalmente consensual. Mas tanto um como outro passaram por enormes dificuldades frente ao Benfica: quase sempre longe da grande área, descaídos para o flanco sem sucesso (Brahimi, apesar da intenção de fazê-lo passar para a zona interior, acabava sempre por criar o desequilíbrio a partir do lado esquerdo), expostos a um trabalho que não devia ser o seu. O caso de Soares vem sendo discutido há algumas semanas: é sofrível a forma como é invariavelmente desarmado no 1x1. E não é culpa do jogador, pois não tem caraterísticas para aquela função. Soares faz a diferença na grande área, ou a atacar a profundidade (excelente a forma como sentou Nélson Semedo, porventura o único momento em que conseguiu tirar um defesa da jogada), não a servir de bengala do lado esquerdo para um ataque que, assim, fica sem referência no eixo e na grande área. André Silva também não entrou bem na partida, num clássico muito difícil para os pontas-de-lança do FC Porto, e que a dinâmica ofensiva da equipa não facilitou. Ou havia Brahimi, ou tinha que haver Yacine. Não houve outra solução para o FC Porto.

Meio-campo de rastos (-) - André André e Óliver lutaram, lutaram, lutaram tanto quanto puderam. Mas foi notório, sobretudo à entrada para os últimos 20 minutos, que o meio-campo do FC Porto estava completamente rebentado. Nuno tomou a opção de refrescar a linha da frente, sem mexer no trio do meio-campo, mas  o setor já mal dava resposta em campo. E se o FC Porto estava, declaradamente, à procura de segurar o resultado, ter bola era essencial. A opção passou por mudar as peças de um ataque que mal existia, ao invés de refrescar um meio-campo que não estava a conseguir segurar o Benfica. A exibição de Corona ia pedindo a saída, mas não ter reagido à perda do meio-campo podia ter custado muito caro - Pizzi jogou solto e fez 7 passes para zona de remate, mais do que toda a equipa do FC Porto junta. Deixar o playmaker do adversário com tanto espaço não é bom sinal em qualquer parte do mundo. 

Segue-se o regresso ao Dragão, frente a um Belenenses ao qual não fizemos golos nem na primeira volta nem na Taça da Liga. Serve de aviso. E até ao final da época, já sabemos que não há-de haver empate que nos valha. Pelo menos não no calendário do FC Porto.

21 comentários:

  1. O meio campo do F. C. do Porto é muito fraquinho. Pizzi, um jogador banal, consegue fazer 7 passes para a zona de finalização, Oliver e André André nem um único conseguiram.

    ResponderEliminar
  2. Ficou a faltar apenas uma referência ao trabalho do árbitro que condicionou e muito o trabalho do FCP ao ponto de mostrar ZERO amarelos para o Benfica! A agressividade no período inicial do Benfica juntamente com a permissividade permitida em toda a segunda parte condicionou claramente a prestação do FCP e isso não pode ser branqueado. De resto, concordo que falta experiência à equipa e estofo para lidar com certos ambientes, mas o papel do treinador também está em os preparar nessa vertente. Pensei que a presença de João Pinto junto dos jogadores tivesse um efeito positivo nessa parte, mas parece que não..

    ResponderEliminar
  3. e nada mudou! O porto safou se neste jogo. Nao temos nem treinador nem jogadores para mandarmos nestes jogos, faltam nos 3 jogadores a serio, basta uma quebra de danilo e o meio campo parece manteiga. Alias nas equipas de formaçao e o mesmo muito passe, muita posse, pouco fisico e pouca velocidade. O resultado na luz e bom , um empate na luz e sempre bom, aGORA E INADMISSIVEL E NAO GANHAR AO SETUBAL NO DRAGAO QUANDO ISSO VIRAVA O CAMPEONATO. O treinador e um manancial de equivocos e por vezes da ideia que nao sabe o que esta a fazer, estava euforico com o empate pudera sabia que se perdessemos provavelmente nem em terceiro ficariamos. Agora temos o belenenses e provavelmente sera mais do mesmo para marcar golos. Os mexicanos nao tem espirito guerreiro e devem sair todos. Corona e uma especie de fiasco com lampejos de genio, os outros sao uma desgraça. Falta nos agressividade, velocidade e fisico alias na formaçao e equipa B e exatamente o mesmo. SE QUISEREM FALTA NOS ESTOFO, GANHARMOS O CAMPEONATO COM ESTE TREINADOR E SO COM ESTES JOGADORES SERA UM MILAGRE, no entanto como se prova mais uma vez e contra os ditos pequenos que se ganham e perdem campeonatos. A proposito ja viram o arcaboiço fisico da equipa do maritimo??

    ResponderEliminar
  4. Habitual boa análise. Contudo, falta um Machado gigante para o Nuno Espírito Santo. Compreendo que seja o nosso treinador até ao final da época e, como tal, a única solução que temos é apoiá-lo.

    Apesar disso, temos de reconhecer o quão ridículo este treinador é. Deixar-se ser dominado desta forma por Rui Vitória é só triste. Depois, é agredido pelo Jonas Piscinas e não faz nada em relação a isso. Ser politicamente correto é que é bom. Discurso dos mais fracos que já ouvi - admitir o penalty, por exemplo, é surreal quando 2 dos 3 "juristas" d'O Jogo dizem não ser penalty.

    É ganhar este campeonato com base no coração/paixão/talento dos jogadores e ir buscar o Marco Silva ou o Pedro Martins.

    Que um eventual título não disfarce a incompetência da nossa equipa técnica. Das primeiras vezes nos últimos 15 anos que temos um treinador incapaz de por a nossa equipa a jogar em posse.

    (és o maior TDD, ainda não percebi se te deitas extremamente tarde ou se acordas extremamente cedo ehehehe)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A equipa que hoje temos em comparação com a que iniciámos o campeonato diz tudo sobre o mérito do NES. Não adoro, nunca seria a minha primeira opção... mas a união, a ambição e a qualidade que apresenta neste momento tem o dedo dele. Para alem disso outros meritos são obvios: temos hoje a defesa menos batida da europa quando todos achavamos que tinhamos neste zona um autencico passador; temos hoje sensivelmente 15/16 jogadores que podem em condições normais ser titulares, dando algumas garantias à equipa, quando no inicio esse numero não passava da meia dúzia. Hoje em dia podemos ter um banco com jota, herrera, layun, corona ou A.Silva e isso não veio do Céu. Não fizemos um grande jogo na luz, mas não foi de todo um problema tatico... antes um dia em que a equipa não esteve tão bem como em outras ocasiões. Não sei se é o caso, mas a facilidade de com que se critica um treinador do porto, tenha ele acabado de chegar, tenha ele bons resultados, tenha ele o mérito de nos colocar na luta por um titulo que (quase) nenhum de nós acreditava, não ajuda de todo a atingirmos os nossos objectivos. No mínimo, merece união em seu redor, pelo menos enquanto estivermos na luta.

      Eliminar
  5. Preferiu falar nos dois pares de defesas de Iker, apesar de só me lembrar ter visto três verdadeiras, daquelas de golo iminente e não quis destacar aquele que, no meu ponto de vista, foi o momento jogo, que a ser concretizado marcaria, provavelmente, o resultado do encontro: a espantosa saída de Ederson aos pés de Soares.
    Apesar de tudo, quem verdadeiramente falhou, porque fecharia o campeonato, não foi, desta vez, o FC Porto.

    P.S.
    Também não entendo porque não refere o comportamento jagunço de Jonas, próprio aliás, de quem frequenta assiduamente a 18.

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida q o Nuno tinha de ter refrescado o meio-campo. Quando o André André leva o amarelo, o meio começou se a desmoronar aos poucos. Nuno lá teve medo de meter o Herrera e deve ter achado q o Ruben Neves não ia acrescentar nada ao jogo...mas pedia a mexida no meio. O Óliver se tiver um gajo a pressionar com ele, consegue por a bola a rolar rápido e bem distribuída. Tenho pena q a ideia final q passou foi mesmo de acreditarmos mais em terceiros do q em nós

    ResponderEliminar
  7. Acho que Nuno devia ter metido Herrera no 2º tempo para refrescar o meio-campo e estou a dizer isto e não sou particular fá de Herrera, mas Herrera a única posição que é eficaz é quando joga num meio-campo a 3 e eventualmente poderia ter aproveitado os espaços que o Benfica dava no meio-campo.
    Mas de qualquer forma não foi apenas por mérito do Benfica que tomou conta do jogo nos ultimos 25 minutos, o arbitro com o seu caseirismo também contribui-o para isso. As entradas dos jogadores do Benfica sobre os jogadores do Porto foram totalmente ignoradas.
    Agora não tenho duvidas que o Benfica é o principal candidato e não é só pelo que joga, também é porque tem capacidade para ganhar os jogos que tem pela frente, mas além disso tem outras "armas" se é que me faço entender.

    ResponderEliminar
  8. Do jogo da Luz só dá para retirar duas notas positivas... continuarmos vivos na luta e a segunda grande exibição de Casillas a lembrar os seus melhores momentos em que jogava pelo Real de Madrid, desde que chegou ao Porto e novamente contra o Benfica. Na época passada foi ele o responsável pela vitória e esta pelo empate que nos mantém na luta.

    Como o Tribunal do Dragão refere e bem, está tudo na mesma e a nossa maior esperança, está no Sporting, que como se sabe, prefere ganhar um jogo aos lampiões que ser campeão nacional... para os lagartos, esse será o jogo da época, com tudo de bom que isso pode trazer para as nossas cores.

    Agora reconheçamos, este Porto e respectivo treinador, não têm ADN de Campeão; como o Tribunal do Dragão referiu e novamente bem; este Benfica de Rui Vitória, foi bem superior ao FC Porto de Nuno. E é bom esquecer que o pilar do meio campo dos Lampiões não jogou mais uma vez. Se eles já superiorizaram sem o sérvio Fejtsa, imagine-se o que seria se ele tivesse jogado... e desta vez nem temos a desculpa da arbitragem.

    João Santos



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...aí está um comentário de adepto pequeno.

      Eliminar
    2. Caro Joao,

      Efectivamente a fibra do clube de carnide esteve bem patente no jogo do dragao. Nesse jogo ficou para mim claro o grande nivel da equipe do clube de carnide e que nos estamos a milhas. Alias, na eliminatoria com o Dortmund, percebe-se que os benfequenses tem razao para estar descansados!

      Quanto ao Casilhas, enfim, eu tenho bem presente a qualidade do seu jogo em outros jogos.....nao sei se me entende!

      DB

      Eliminar
  9. Quando vi o 11 inicial do Porto até achei que fossemos controlar a partida com tanta presença e domínio no meio-campo, em oposição aos 2 jogadores do meio-campo do Benfica. Para meu espanto foi o contrário. Vá-se lá entender...

    ResponderEliminar
  10. Boas.

    este Tribunal do Dragão anda muito soft e já quase não o reconheço devido à falta de post´s denunciando a corja que aí anda nos bastidores do futebol para ver se o clube dos 6 milhões vença sempre.

    espero mais actividade neste blog.

    Saudações Portistas

    11DruL0vic

    ResponderEliminar
  11. Deste jogo fica a intervenção do presidente e do NES a compactuar com uma arbitragem sempre contra nós! Não se percebe! O NES já não é a 1ª vez que tem uma atitude lamentável neste campo!

    Quanto ao jogo, entramos mal, sem raça, até parece que com medo e os mouros entraram bem e chegaram há vantagem... depois disso tomamos conta do jogo e a entrada na 2ª parte valeu-nos o empate.

    A partir daí fomos empurrados para trás, vejam lances evidentes de falta não assinaladas... 2 delas criam perigo na nossa área, na outra área "só" ficaram 2 livres com 2 faltas flagrantes por marcar, uma sobre o Brahimi outra, esta escandalosa sobre o Corona!

    E o que dizemos disto???? NADA!!! Foi uma boa arbitragem... ah e não esquecer o fora de jogo do Jota... isolado!

    ResponderEliminar
  12. O F.C.Porto perdeu o norte. Como portista, senti-me ultrajado pelas declarações do caduco presidente e do passarinho treinador. O que pretenderam ambos? Favores de arbitragens futuras? Nunca, mas mesmo nunca, um dirigente(máximo) e muito menos o treinador poderia dar razão a uma arbitragem que prejudicou a sua equipa. Foi uma total falta de respeito por todos os sócios e simpatizantes do clube, principalmente por aqueles que se deslocaram a Lisboa. o Sr. Pinto da Costa, que se trate que bem precisa e deixe o seu cargo no clube que, ele próprio confessou despudoradamente ter batido no fundo. Já mamou coisa que chegue. Saia pelo seu pé, se ainda lhe resta um pingo de vergonha.Deixe os portistas em paz.

    ResponderEliminar
  13. A verdade é só uma: com este treinador só por milagre seremos campeões. Prefere não perder do que ganhar. Fomos roubados por um árbitro habilidoso que tudo marcou contra nós e que nos condicionou com os amarelos e no fim o senil presidente ainda vem dizer que foi uma boa arbitragem. É ridículo. Ridículo é também o pseudo treinador que vem dizer que é penalti!!!! Ao que chegamos. As declarações de um e de outro encheram-me de vergonha por estarmos tao mal representados. O cúmulo é ter de ser o Sporting a pedir a penalização dos artistas vermelhos quando tendo sido nós os prejudicados nos calamos. Se não querem ir à luta a porta da rua é serventia da casa. Cambada de acomodados que são a nossa vergonha.

    ResponderEliminar
  14. Estas últimas 7 jornadas vão ser de guerra aberta. Esta começou, logo no dia a seguir, com a alegação das supostas faltas do Maxi , no golo do Porto. Temo que, mais uma vez, o clube não saiba estar à altura. E o clube somos todos. A começar pelos dirigentes, que, ainda por cima, valorizaram o trabalho do Xistra e a acabar nas claques que, por estes dias, só dão mau nome ao clube. O seu suposto apoio não vai além do olé Porto olé, quando devia ser, isso sim, de marcação cerrada às arbitragens. Tb não é à joelhada, não, é um apoio de quem está a ver o jogo, que assobia tudo o que o árbitro marca contra nós e incentiva os restantes espetadores a chamar-lhe gatuno. Experimentem, já no sábado, esta estratégia e vão ver como o árbitro se sente incómodo se tiver 40 mil a chamar-lhe, concertadamente, gatuno. É que, ou eu me engano muito, ou vamos ter, nestes últimos jogos, muitos gatunos a apitar os nossos jogos.
    Carlos

    ResponderEliminar
  15. Uma equipa q precisa de ganhar, e contenta com empate. NES provou q não é treinador para FCP. Excelente artigo. Abraço de Cabo Verde

    ResponderEliminar
  16. Boas
    Acho que sobrevivemos ao jogo, mais propriamente às agressões e cacetadas dos do costume: Samaris, Jonas, Pizzi.
    Não me parece fácil jogar na luz com meia equipa amarelada e um apito muito tendencioso.
    Este campeonato até pode ser nosso, mas tem sido uma vergonha, e a vergonha deve continuar até ao fim.

    ResponderEliminar
  17. Essa história do benfica nunca ter sido superior em clássicos...A sério? Nem no jogo do ano passado na Luz? Não analisem o jogo com base no resultado, mas sim no que viram efetivamente.

    Se eles jogaram melhor? Sim, e também têm melhor equipa e muito melhor plantel. Nenhum dos nossos avançados dá meio mitroglu ou jonas por muito porco que este último seja. Não temos um médio que ligue o meio-campo ao ataque como pizzi. (Contra o Paços, eles tinham no ataque Salvio, Zivkovic, Jonas e Mitroglu. No banco, Jimenes, Rafa e Cervi. E na bancada Carrillo. Digam.me pelo amor de Deus um ano em que o FCP teve um ataque destes.)

    Tudo bem que a equipa entrou muito mal mas o treinador tem feito o que pode com o que tem. (Critico é quando eles põe só dois médios quando na verdade sempre que jogamos assim, jogamos mal)

    E desculpem, mas mesmo nem pegando nos lances principais de arbitragem porque esses influenciam o resultado e não a forma como jogamos, a nossa criação era sempre parada de forma injusta. Amarelos por dar, faltas óbvias que não foram marcadas. Isso, nas estatísticas retira posse ao Porto, retira entradas na área adversária e oportunidades. E isso influencia a opinião das pessoas que analisam o jogo pelo goalpoint...

    O Porto sai vivo e quem se lembra desta equipa quase levar 3 golos da AS Roma nos primeiros dez minutos de jogo no Dragão, tem que estar surpreendido com o que a equipa é hoje.

    Nuno é bom taticamente? Eu não acho, mas nenhum de vocês se lembra de um treinador nos ultimos dez anos que tenha melhorado tantos jogadores como ele fez.

    João Filipe, sócio.

    ResponderEliminar
  18. Sinceramente não penso que tenha sido uma má arbitragem. O fora de jogo do Jota foi o único lance pior ajuizado. Na minha opinião, o Jonas cavou bem o penalty e é virtualmente impossível recriminar um árbitro por o marcar. Se fosse ao contrário diriamos que era penalty. A equipa pecou por não ter atitude melhor ofensiva. O Soares parece cansado depois do arranque fenomenal no clube e além disso parece ser um jogador que joga melhor com outro avançado ao lado - André Silva. Espero assim que a dupla volte ao serviço no próximo jogo, o Corona tem de encostar. E uma palavra especial ao Iker, que fez mais uma vez o que podia para segurar o campeonato ao clube, nada a dizer do profissionalismo do jogador.
    Faltam 7 vitórias e tenho a certeza que se as conquistarmos, seremos campeões. O Benfica não passará em alvalade.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.