segunda-feira, 6 de março de 2017

Sete a zero

Não é todos os dias que se vence por 7-0 no Campeonato - e prova disso é que o FC Porto não o fazia desde 1999. Mas não só: ter o melhor ataque, a melhor defesa e depender de si próprio na luta pelo título a 10 jornadas do final é excelente, sobretudo para quem se recorda do aperto que se sentia aos 90 minutos do jogo frente ao SC Braga, onde o FC Porto parecia incapaz de marcar um golo que fosse.

Contra o Nacional, foi um festim. Ressaltos, bola a bater nos defesas, no guarda-redes e a entrar de qualquer maneira. Desde esse jogo frente ao SC Braga, o FC Porto fez 37 pontos em 39 possíveis. Só falhou mesmo na visita ao Paços de Ferreira (0x0). E é curioso precisamente lembrar o que foi o caudal ofensivo da equipa nesse jogo.

Em Paços de Ferreira, o FC Porto rematou 23 vezes, criou 14 ocasiões, ganhou 14 cantos e foi 59 vezes à grande área adversária. Contra o Nacional, rematou 25 vezes, criou 18 ocasiões, ganhou 4 cantos e foi 39 vezes à grande área. A diferença? Não só a eficácia, mas também maior ambição e objetividade na procura da baliza adversária.

O minuto 66 foi o mais marcante de todo o jogo: o momento em que NES, já com o resultado feito, retira Danilo, lança Diogo Jota e dá um sinal claro à equipa de ir para cima do adversário e marcar mais golos. Bem diferente do FC Porto que se resguardava à vantagem mínima, mesmo em casa, mesmo contra 10. Não é bater em mortos: é ter ambição, é querer mais golos, é querer jogar melhor, é querer favorecer o espetáculo quando o resultado já está feito. 

É deixar-nos a querer mais do mesmo já na sexta-feira, em Arouca.




Óliver Torres (+) - Um perfeito exemplo do que acontece quando Óliver tem a possibilidade de passar mais tempo no meio-campo adversário do que nos primeiros 40 metros. 90% de acerto no passe, três ocasiões de golo criadas, um golo, 16 ações defensivas e uma incrível capacidade de jogar em toda a largura do terreno. Jogou e fez jogar, e fez dois jogos completos seguidos pela primeira vez desde outubro. No que resta desta luta, será essencial que faça muitos mais.

Na grande área (+) - O que têm em comum os golos de André Silva e Soares? Estão ambos na grande área enquanto um deles está a marcar. Apesar de André Silva ter jogado muitas vezes pela faixa direita, a dinâmica da equipa permitiu que os dois pontas-de-lança, no momento do último passe ou do cruzamento, estivessem ambos posicionados na grande área para finalizar. Quando assim é, a bola acaba por entrar, e prova disso foi o festival de ressaltos e desvios que acabou sempre com a bola na baliza. Além disso, apesar do FC Porto ter criado diversas situações de finalização, tendo sempre colocado muita gente na grande área, a equipa raramente foi apanhada em contrapé. O Nacional fez apenas um remate, que mal aqueceu as mãos de Casillas. Impecável.

Brahimi (+) - É verdade que foi o jogador com mais perdas de bola, mas isso também está relacionado com a insistência em forçar o 1x1 - ou até o 1x2. E ainda bem que o fez, pois foi responsável por metade dos dribles eficazes da equipa (10), foi constante sinónimo de perigo no lado esquerdo, arrastou marcações, abriu espaços, contribuiu com um golo e aparenta estar mais forte fisicamente, pela forma como consegue segurar a bola e ser agressivo na pressão. Se esta não é a melhor versão de Brahimi que o FC Porto já teve, anda lá perto. E se é certo que fez muita falta na primeira metade da época, pode fazer a diferença no que resta da temporada.



8 comentários:

  1. realmente a nossa capacidade de fogo aumentou muito com soares, se ele estivessa ca desde o inicio iamos a frente com 10 pontos de avanço sem espinhas. Asilva esta aprender com ele porque e competitivo, esta atacar a bola, a posicionare se na area para faturar, na primeira hora mostrou aqui e ali algum desamino mas recuparava sempre. A primeira meia hora foi chata mas eles so defenderam, nao gosto de layun e muito certinho mas.... nao da profundidade so o faz quando tudo corre bem e as vezes. falta nos um medio que seja como andre silva mas mais rapido e forte, nao e facil achalo mas temos de procurar. Gostei temos 16 jogadores prontos e cheios de força vai ser muito dificil nao ganharmos mesmo na luz com esta dinamica.

    ResponderEliminar
  2. Resultado que acaba por disfarçar as dificuldades dos primeiros 30 minutos. Incrível como não temos uma alternativa a Corona. Tudo bem que o Hernani decide mal a maioria das vezes, mas podia ser integrado no plantel na próxima época, tal como o Mikel, mas já se sabe que vamos comprar jogadores a empresários de quem nunca ninguém ouviu falar...
    Off Topic: O Moretto Cassamá não tem jogado pelos juniores, alguém aqui sabe o que se passa ? É que é um dos bons valores da formação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. deixe la os empresarios e foque se nos jogadores que temos, ainda bem que fala no moreto que e um jogador que nunca vai passar da cepa torta porque tem a mania que e vedeta, dando uns toques este e dos tais que anda com os empresarios a ver se vai para a russia como o outro, ele , um marroquino que veio do barcelona ah ah ah , alias o problema das equipas de formaçao e B e a mesma meio campo de artista de praia com pouca força, altura e velociade tirando algumas poucas exceçoes. corona e o corona como o joaquim e o joaquim nunca exxiste uma copia agora alternativas existem e muitas bastava que tivessemos um def direito com força, velocidade e resistencia coisa que nao temos.

      Eliminar
    2. Foi expulso contra o Braga e está a cumprir castigo

      Eliminar
    3. vidente mor deixamos essa discussão para o fim da época, penso que o TDD faz sempre um balanço e uma previsão da próxima época, agora todos juntos a Arouca e com foco nos jogadores que temos que são esses que nos podem dar o título. Abraço a todos e obrigado ao user Paulo Ribeiro pela informação. Azul e Branco é o coração!

      Eliminar
  3. Acho que deve ser das primeiras vezes que vejo uma crónica sem Machados...
    Mas de facto, depois de um resultado destes não é fácil apontar o que quer que seja a equipa

    ResponderEliminar
  4. A renovação de Moreto Cassamá é algo que devia preocupar todos os Portistas.

    Bom jogo mas é absolutamente essencial o Porto esmagar todos os adversários e ir à Luz em vantagem. O Benfica vai tropeçar. É uma questão de tempo.

    ResponderEliminar
  5. Eu, que tantas vezes tenho sido crítico em relação ao Andrex2, deixo aqui uma palavra pela subida de rendimento do mesmo. Continuo a achar que não tem classe para um clube como o FCP nos habituou, mas nos últimos jogos não tem falhado tanto. Não acerta muito, mas também não falha como falhava há uns tempos atrás. De resto, espero não termos gasto os golos todos e, cheira-me, que se ganharmos ao Braga, temos o campeonato nas mãos! Algo impensável e, mesmo que não ganhemos, mesmo que não goste do Nuno tacticamente, ele fez muito, mas muito mais do que alguma vez pensei com o plantel que temos. Só acho que deve dar mais oportunidades, durante mais tempo, ao JCTeixeira. Talvez tenha a ver com a dedicação nos treinos. Bem haja!

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.