sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Como disse?

A imprensa é um eterno universo de preocupação para muitos adeptos. Não é surpresa para ninguém que determinados títulos têm maior proximidade com alguns clubes. Que existe compadrio - uma palavra provavelmente até elegante de mais para o caso - entre A Bola e o Benfica, não é novidade. E que o jornal O Jogo é, historicamente, o jornal que maior apreço recebe por parte do FC Porto, também não. Mas a notícia trazida hoje à capa é grave.

Cada adepto pode escolher o que lhe ocupa o topo das preocupações: ou o facto de Luís Filipe Vieira, o leitor, dar entrevistas à Bola que não o são; ou uma manchete d'O Jogo acusar basicamente a SAD de amadorismo. 

Em causa estão duas pequenas frases. 


«Última reunião foi na época passada» e «negociações com os jogadores em risco vão começar agora». É brincadeira, certo?

O FC Porto está em plena época 2017-18, em que para já tudo tem corrido bem. Teve dificuldades na venda e colocação de jogadores no último defeso, ficou com um caso bicudo por resolver (Bueno), e entre os excedentários/dispensáveis só Depoitre saiu por um valor acima do que seria expectável no mercado (quase 4M€). Ainda assim, há expectativa em ver se a folha salarial conseguirá descer um pouco (a previsão para a última época foi de 69,5M€ - um aumento de 28% em relação ao último campeonato conquistado).

E perante a ausência de reforços, transmitiu-se a ideia de que reforços eram os que ficavam. Mas então agora a SAD do FC Porto é acusada de ter iniciado a época sem antes ter assegurado a continuidade de ativos que estão em final de contrato?

Iván Marcano é um dos capitães do FC Porto e um jogador essencial no plantel. «Última reunião foi na época passada». A sério que o FC Porto começaria uma época sem assegurar, dentro do possível, que Iván Marcano era para continuar? Sem haver contactos diretos nesse sentido? E as negociações «com os jogadores em risco, vão começar agora»? Apenas agora, a menos de 4 meses de poderem assinar por outro clube a custo zero?

A SAD basicamente não comprou ninguém no último defeso. Houve muito menos trabalho para fazer a nível de mercado. E com isto, não houve tempo para encaminhar as renovações de contrato antes da época começar? 

É sabido que Iván Marcano quer ficar no FC Porto. E vai ficar, seguramente, porque estamos a falar de um capitão e de um profissional exemplar. Mas num mundo tão volátil como o futebol, em que as intenções e lealdade mudam ao ritmo do cifrão e de um dia para o outro, esta acusação de uma gestão de puro amadorismo é demasiado grave. 

Tomemos como exemplo a situação de Vincent Aboubakar. Fabrice Picot, o empresário do avançado, disse em julho que Aboubakar queria «jogar e ajudar» o FC Porto, mas que «a renovação não está nos planos». Por norma, um jogador que se recusa a renovar não volta a jogar. Neste caso, que alternativa poderá ter o FC Porto?

Não há alternativas no ataque. O FC Porto depende de Aboubakar pelo menos até janeiro. Tem que jogar, não há alternativa. E sabemos que o camaronês tem um empresário que não hesitou em afirmar que não havia planos para renovar. Quem garante que Aboubakar estará a ter o melhor tipo de aconselhamento nesta fase?

«Escuta, Vincent, já deu para ver que o FC Porto não pode prescindir de ti. O mercado está fechado e não podem jogar até janeiro só com Marega e Soares, por isso tens lugar quase sempre garantido. Fazemos assim: continua a jogar bem, a fazer golos, e depois em janeiro já podes assinar por outro clube a custo zero. E como não têm nada a pagar ao FC Porto, até pagam uma comissão e um prémio de assinatura bem mais altos». Claro, isto é meramente ficcional e extremamente pessimista. Mas estamos no futebol. 

O próprio Diego Reyes, único central suplente na equipa principal, está em final de contrato. Assim como Maxi Pereira, que dificilmente ficará para a próxima temporada. E na véspera, O Jogo trouxe-nos também à capa uma notícia de que Reyes mostrava serviço como alternativa a Danilo Pereira. 

Já não há uma alternativa de raiz a Danilo no plantel. Sugerem Reyes, que é então simultaneamente único central suplente e alternativa à posição 6. Está em final de contrato. 

Não passa pela cabeça de ninguém perder Iván Marcano e Aboubakar. Se tal acontecesse, Reyes entrava no 11, deixava de haver central suplente e a tal alternativa sugerida a Danilo; se Aboubakar deixasse de ser opção, Marega e Soares tinham que durar os 90 minutos semana após semana, ou então Sérgio Conceição teria que passar a jogar em 4x3x3. O pior que podia acontecer: o treinador ser forçado a mudar a sua tática por não ter opções suficientes no plantel. 

E já existem consequências disso. Perante a incerteza em torno de Corona, especula-se que Ricardo Pereira pode jogar a extremo. Tudo bem, tem qualidade para isso, e Maxi Pereira dá garantias de qualidade. Mas isso implica que, perante a ausência de um único jogador, Sérgio Conceição tem que mexer em dois setores; e mexe em dois setores apesar de ter Hernâni no plantel. Não é o maior atestado de confiança e de profundidade no plantel, diga-se.

Já que não foram capazes de dar um único reforço ao treinador, o mínimo que se pede é que Iván Marcano, Diego Reyes e Aboubakar tenham o seu futuro totalmente assegurado e comprometido com o FC Porto o quanto antes. Infelizmente, já temos variados exemplos de que no futebol a palavra não chega.

Ou então O Jogo está simplesmente mal informado e está tudo tratado, a tempo e horas. Isso. 

PS: Uma declaração de Petr Cech, guarda-redes do Arsenal, que vale a pena afixar. «Quando José Mourinho chegou ao Chelsea proveniente do FC Porto, ele trouxe com ele uma coisa essencial: veio de um clube onde não era aceitável para ele terminar o Campeonato em segundo lugar. Ele trouxe o mesmo espírito para o Chelsea». 

O Chelsea, um dos clubes mais poderosos do futebol atual, tomou como exemplo para crescer o FC Porto. Não é necessário acrescentar mais nada. 

9 comentários:

  1. A SAD a meu ver sò tem feito cagada.Não é novidade nenhuma os erros que tem cometido sistematicamente.Muitas vezes as culpas do insucesso recairam para o plantel e treinador, secalhar algumas delas injustamente.Com isto pretendo dizer que tal como num 11, não há nem devem haver lugares garantidos.Se alguem anda a "mamar" as custas do clube e ao mesmo tempo a prejudicar e a fazer má gestão de negócios,deve saltar borda fora ou ser empurrado.

    ResponderEliminar
  2. Boas a todos.

    De à uns tempos para cá tenho reparado em algumas mudanças relativamente ao nosso clube por parte do jornal que nos parece ser mais afecto.

    não sei o que se passa com a alguma da nossa comunicação social mas muita dela começa a deixar de ser imparcial e isenta.

    o TDD devia era fazer um artigo sobre alguns jornais e canais de TV, onde iria demonstrar quem está ao serviço de quem e falo de comentadores, jornalistas que são afectos a alguns clubes de futebol.

    Nesse artigo iria-mos ver a quantidade de pessoas ligadas ao clube do regime e que trabalham em prol desse clube. Assim tudo se torna mais fácil combater e influenciar...

    Saudações Portistas

    11DRuL0Vic

    ResponderEliminar
  3. A capa do ãJogo vem como "direito de resposta" as declarações de anteontem do agente do Marcano no jornal afeto ao Benfica reproduzidas no link:
    http://www.abola.pt/Nnh/Noticias/Ver/690987

    ResponderEliminar
  4. A última reunião foi na época passada. Claro. Atempadamente tentou-se renovar com o jogador. Quando queriam que se falasse com o jogador?

    ResponderEliminar
  5. Qual a fonte para o valor de venda do Depoitre?

    ResponderEliminar
  6. Toda a vossa noticia esta muito boa, mas tenho que realmente destacar as duas ultimas frases, espero sinceramente que o porto siga o exemplo do que é o verdadeiro porto

    ResponderEliminar
  7. O que está aqui escrito não é novidade. Fazer caixa de ressonância sobre o tema, quando ainda ontem assistimos a autentificas vergonhas na arbitragem, faz-me pensar se estamos todos a remar para o mesmo lado...
    Saudações Portistas!

    ResponderEliminar
  8. enquanto o mercado esteve aberto a SAD tinha mais com que se preocupar e poderia sempre surgir uma proposta para levar um desses jogadores. Agora têm tempo para lhes renovar os contratos, se eles quiserem claro. Acho o Aboubakar o caso mais difícil. Ele já deve ter tido propostas muito melhores a nível de salário e não sei se o FC Porto tem condições para oferecer o que ele quer.

    ResponderEliminar
  9. Eu gosto de ler os textos que aqui costumas escrever, mas acho que se começa a perder noção até que ponto um adepto ter espírito crítico ou simplesmente ser do contra.
    Em relação ao texto, há um enorme parêntesis: Um contrato não termina em Dezembro, um jogador não assina a custo zero em Dezembro. Pode ser comprometer com outro clube em Janeiro, mas a transferência só se pode consumar em Julho. Claro que espero que nenhum dos jogadores que se falam no texto saiam a custo zero, mas a saírem só sairão em Julho, e às vezes parece que as pessoas não se lembram disso, exemplo falarem do Aboubakar jogar até Dezembro.
    Não sei até que ponto a direcção terá deixado a renegociação dos contratos para esta fase para ter o menor impacto possível no relatório e contas do clube,porque inevitavelmente a renovação vai incorporar um aumento do ordenado, e como as contas estão sob escrutínio da UEFA todo o cuidado é pouco. Acredito que a direcção terá falado com os jogadores manifestando a sua intenção, e não acho honestamente que pelo menos Aboubakar nem Marcano saiam a custo zero.

    E num fim-de-semana onde o nosso adversário mais directo vê ser assinalado um penalti por um toque indelével quando a nós até sacarem podem que não acontece nada, mas a vossa atenção esta virada para duas frases de um jornal. Ainda tendo em conta que depois de uma vitória num estádio onde perdemos nos últimos 2 anos, onde até um pontapé na cara do Marega passa em claro, e vocês nem um texto fizeram.
    Como comecei a escrever, é importante espírito crítico, mas estar constantemente a bater nos erros já feitos pela direcção que neste momento tenta corrigir não vamos a lado nenhum. Temos tantos adversários lá fora, porquê insistir em carregar nas nossas feridas?

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.