terça-feira, 5 de setembro de 2017

A ausência de reforços (nunca) explicada

Começando por uma pequena nota de lamento pela ausência recente, que incluiu a apreciação sobre a bela vitória do FC Porto em Braga. O mercado fechou e, pela primeira vez em décadas de FC Porto, não houve nenhum reforço oriundo do mercado de transferências. Sobra a questão: não vieram reforços por SAD e/ou treinador acharem que não era necessário; ou porque não havia meios para os contratar? Tudo vai ao encontro da segunda opção.

Mas recuemos até ao dia da apresentação de Sérgio Conceição no FC Porto. Pinto da Costa deixou esta intervenção: «Os dois reforços que me pediu, não haverá possibilidade, porque me pediu o Messi e o Ronaldo. Não pode ser, embora lhe tenha custado a aceitar. Não estou preocupado com isso, porque foi por isso que escolhi o Sérgio, para poder, com os jogadores que tivermos, fazer uma equipa competitiva para ganhar».

Talvez nem o próprio Pinto da Costa imaginaria o quão sincero estava a ser. Sérgio Conceição teve que fazer precisamente isso: pegar no que tinha e fazer uma equipa competitiva. Soares lesionou-se e teve que pegar em Marega, um jogador que encabeçava qualquer lista de dispensas; passou o mês de agosto sem uma única alternativa ao eixo do ataque no banco; foi forçado a mexer na estrutura e tática da equipa quando não podia, simplesmente, mudar apenas um jogador. Sérgio Conceição fez o máximo que podia fazer com o que tinha. E fê-lo bem. 

Sérgio Conceição adora desafios, e este é o maior que pode ter. Certamente que não terá maior gozo do que se tornar no treinador a que menos investimento teve direito na história do FC Porto, mas ainda assim chegar ao título. Mas a revelação de Valentin Rongier, médio do Nantes que afirmou que Sérgio Conceição o convidou para ir para o FC Porto, levanta uma grande questão. Ou o jovem francês está a mentir, ou então de facto Sérgio Conceição queria uma adição ao seu plantel. Mas queria o quê? Especificamente Rongier? Ou queria um médio, e Rongier correspondia a esse perfil?

Ninguém acreditará que Sérgio Conceição não queria reforços. Não há treinador no mundo que não queira adições ao seu plantel, sobretudo numa equipa onde não há sequer o requisito mínimo de ter dois jogadores por posição. Sim, temos a equipa B, e há muito que os adeptos ansiavam em ver a equipa B complementar a equipa principal. Mas repare-se que, mesmo perante a ausência de avançados, Sérgio Conceição nem sequer considerou ir buscar alguém à equipa B para fazer número. O que deixa desde logo antever que, mesmo que falte alguém na equipa A, Sérgio Conceição não aparenta estar convencido de que haja alternativas à altura na equipa B. 

Enquanto a equipa ganha tudo está bem para as massas, é um clássico. Mas não há maior erro do que não aprender com os erros do passado. O FC Porto também abriu o pós-Vítor Pereira com chocolate, a ganhar uma Supertaça e a arrancar com seis vitórias consecutivas. Mas mais à frente, no decorrer da época, concluiu-se que se calhar Josué e Licá não eram os melhores substitutos para as saídas de Moutinho e James. Esperemos que, dentro de três meses, o otimismo não se deixe tomar por uma realidade em que André André, Hernâni ou Marega se calhar são curtos para recuperar de um mau resultado. 

Mas neste caso, o FC Porto não perdeu nenhum Moutinho ou James. Saiu André Silva, mas Aboubakar pode garantir sem problemas os mesmos números do agora jogador do AC Milan. Saiu Rúben Neves, que não era titular, logo também não se pode falar aqui de uma baixa no 11 base da época passada. Então, qual é o problema? Profundidade, alternativas de melhor qualidades aos elementos da equipa A, dar condições a Sérgio Conceição, dar algo mais do que uma lista de dispensas a um treinador que largou tudo para se vir meter no meio da fogueira. E há que considerar a mudança de sistema tático, que pede mais alternativas no ataque e um perfil mais específico no meio-campo. 

A SAD não prestou explicações depois da última época. Nenhuma palavra sobre a saída de Nuno Espírito Santo ou um balanço da última temporada. E depois do ponto mais baixo da história recente do FC Porto - não, bater no fundo não é perder com o Tondela, é ser o único clube a ser punido pela UEFA na última temporada por falhar o FPF -, seria importante explicar os constrangimentos que existiram no mercado esta época.

Por exemplo, para 2017-18, o FC Porto só pôde inscrever 22 jogadores na lista A da Liga dos Campeões, menos 3 do que o normal. Se é certo que o clube raramente preenche sequer uma das quatro vagas para jogadores da formação (o prolongamento do falhanço que já vem desde o V611), o plantel torna-se ainda mais curto. Por exemplo, para o primeiro jogo já está garantido de que não haverá ponta-de-lança suplente no banco, pois Aboubakar está castigado. Não há uma alternativa natural. Como arrisca não haver quando qualquer jogador do meio-campo para a frente não estiver disponível. 

Mas o que mais se destacou do comunicado da UEFA, e que não teve a atenção devida, foi este detalhe:


O FC Porto aceitou, segundo as restrições da UEFA, reduzir «significativamente» os seus gastos no mercado de transferências. Quão? Aparentemente, para valores bem próximos do zero. A SAD não investiu porque não podia, porque a gestão financeira falhou redondamente, uma vez mais, na última temporada. E agora? Agora esperam que Sérgio Conceição não se limite a fazer omeletes com os ovos que tem: ainda lhe vão pedir uns quantos bolos. 

Agora o clássico quando o ataque ao mercado parece curto: a história de que os reforços são os jogadores que se conseguiu segurar no plantel. Mas entre todos os ativos que estavam no clube, provavelmente só Danilo Pereira (Ricardo Pereira também, embora não estivesse no plantel na temporada passada) seria candidato a uma boa venda. E ainda assim, de todo o bolo numa eventual transferência, o FC Porto provavelmente só chegaria a gerar pouco mais de metade de mais-valia com a saída de Danilo. E o mesmo vale para Ricardo Pereira. 

Mas a concluir, um pormenor que também faz a diferença. Diz-se que «o FC Porto só gastou com Vaná». Não, o FC Porto não gastou só com Vaná. O FC Porto desperdiçou com Vaná. O que diz a compra de Vaná é que o FC Porto tinha um pouco de dinheiro para investir. Então e o que fez o FC Porto com o pouco que tinha? Comprou um jogador que não era necessário, nem sequer como suplente. Se é certo que era muito difícil encontrar um médio ou um avançado por um valor na casa do milhão de euros, no pouco que o FC Porto poderia gastar, gastou onde não era necessário. Que lógica tem isto?

E agora sobra a expetativa de ver que mérito poderá ter a SAD este ano que não tenha tido o ano passado, porque o plantel é quase o mesmo. Saídas? As únicas relevantes foram ambas tratadas por Jorge Mendes (Rúben Neves e André Silva). Reforços? Nada. A SAD praticamente não mexeu no plantel desta época, e ainda não renovou com 3 ativos em final de contrato (Reyes, Marcano e Aboubakar). Que mérito se poderá ter este ano que não se teve no ano passado? Provavelmente, dirão que «não se gastou dinheiro com Depoitres». A sério que o mérito que sobra é esse? O não errar? Pois, quem não tenta acertar, também não erra. 

A luta desta época é com Sérgio Conceição e com o grupo por si orientado. São eles que merecem o apoio dos adeptos nos meses que se seguem, e que não estarão dependentes do mês de maio para serem alvo de apreciação. Não se pode exigir nada a quem não teve nenhuma das suas exigências preenchidas. 

Sérgio Conceição não teve um único reforço por consequência da péssima gestão financeira que se apoderou da SAD nos últimos anos. E o que faz ele? Está a preparar a equipa para a 5ª vitória consecutiva e para se manter na liderança da Liga. Vontade de trabalhar e vencer nunca faltará. E esperemos que também não sobrem papas na língua no final da temporada. 

20 comentários:

  1. Relativamente a pouco dinheiro disponível para contratar. Posso até falar de um jogador...um tal de Sérgio Conceição. Lembram-se quanto custou e por quanto foi vendido? Deixem-me dizer: negócio à Porto! Era bom voltar a esses tempos.

    Uma preocupação: se por um acaso Marcano e Aboubakar não quiserem renovar (para já Reyes não tem importância) o que será da equipa? Vão continuar a jogar, sabendo que vão sair a custo zero? Vão sair da equipa? Sinceramente... Marcano parece-me um jogador sério e "portista", já Aboubakar tenho algumas reservas, embora tenha saído de uma forma demasiado estranha a época passada.

    ResponderEliminar
  2. A não renovação com estes 3 Reyes, Marcano e Aboubakar é muito preocupante !!!!

    ResponderEliminar
  3. Análise absolutamente MARAVILHOSA! Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Bom texto.

    mas esta parte era escusada: "E esperemos que também não sobrem papas na língua no final da temporada."

    Parece um desejo de insucesso da equipa...apenas para que a Sad seja responsabilizada.

    ResponderEliminar
  5. restrições financeiras, jogadores com capacidade de criar impacto e mercado inflacionado tornaram este defeso muito difícil para o porto. e sim, a cukpa é de anos de falhanços na gestão financeira do clube mas temos de lidar com a situação como ela está e eu ainda não vi ninguém a dizer que un nome de um médio ou avançado com capacidade de criar impacto a um preço acessível. a única coisa que não entendo é a dispensa do rui pedro quando nos falta avançados e não os há na equipa B também

    ResponderEliminar
  6. Não houve reforços, limpou-se (dentro do possível) a casa. Resulta de uma estratégia com riscos, e baseada no sucesso desportivo. Bastaram 4 anos para estarmos onde estamos e para sermos obrigados a mudar de rumo. O Sérgio Conceição PROVAVELMENTE OUVIU ESTA INTRODUÇÃO, e portanto, CONHECE O DESAFIO QUE ACEITOU, e como vocês muito bem recordam (poucos se lembram disso...) das palavras de PdC na apresentação do Sérgio. PdC já sabia que ia ser assim mesmo. A Administração já sabia. Os adeptos é que não sabiam nem estavam preparados para isto. Isso é outra história, que decorre de um clube que tem uma Cultura fechada e pouco dada a comunicação, SOBRETUDO quando em vez do sucesso, temos insucesso repetido. Mas se o sucesso chegar...faz sentido andar a dar o mérito todo ao Sérgio e nenhum à SAD? Não me parece. O Sérgio por conseguir fazer uma equipa competitiva "com o que há", e a SAD por ter alterado por completo a forma de atuar. NÃO ESQUECER UM PONTO IMPORTANTE: O FC PORTO SEMPRE FOI MELHOR A GERIR COM POUCO DINHEIRO.

    ResponderEliminar
  7. Profundidade:

    GR: Casillas, Sá, Vana
    LE: Alex Telles, Layun
    DC: Felipe, Marcano, Reyes
    LD: Ricardo Pereira, Maxi Pereira
    MD: Danilo Pereira, (André²/Herrera?)
    MC: Óliver, André², Herrera, Sérgio Oliveira
    EE: Brahimi, Octávio
    ED: Corona, Hernani, Marega(?)
    AV: Aboubakar, Soares, Marega

    23 jogadores de 25 possíveis.

    Lacunas bastante acentuadas no centro da defesa, onde não há substituto natural ao Danilo, embora Reyes possa se revelar um substituto à dulpa de centrais, deveríamos ter mantido o Boly ou Martins Indi. Porque se emprestou Mikel? Talvez Herrera/André² ofereçam mais estabilidade ao meio campo defensivo.

    Nas alas também é por demais evidente a falta de profundidade, onde Brahimi e Corona (2 jogadores de qualidade indiscutível) estão proibidos de se lesionar ou baixar o nível de ambição. Embora reconheça em Octávio qualidade para substituir qualquer um dos dois.

    Basicamente, temos um 11 bastante forte, mas prevejo que o nosso campeonato será "decidido" no início da segunda volta:
    • conforme as lesões / ritmo competitivo da equipa (creio que vão quebrar, considerando que estão a jogar com um ritmo elevado / pressão alta)
    • conforme a reabertura do mercado. Não para comprar jogadores, mas talvez para ir buscar emprestado jogadores de qualidade.
    • conforme a champions/taças internas ... Não temos definitivamente plantel para 4 competições.

    A ver vamos, definitivamente o plantel mais curto dos 3 grandes. Se o Sérgio conseguir ganhar o campeonato, será um feito de enaltecer! Se terminarmos em 2º ou 3º lugar, não é vergonha nenhuma para uma equipa tão curta como a nossa mas competições em que está envolvida.

    ResponderEliminar
  8. Acredito que a contratação do Vaná podería estar associada ou à renovação do Casillas ou à possivel saída de Sá para poder ir ao Mundial do ano que vem.

    ResponderEliminar
  9. isso ate pode ser tudo verdade mas onde estao os jogadores que o porto possa adquirir e entrem de caras no plantel tirando o lugar aos que estao?? nao estou a ver. A equipa precisa ha anos de 3 medios a serio, fortes, intensos, rapidos e tecnicamente razoaveis, onde encontra los por menos de 10 a 15 M cada um?? Que a gestao a todos os niveis da sad tem dido um desastre ha 5, 6 anos a esta parte e verdade, que o presidente deixou de estar efetivamente presente ha 5 ou 6 anos e verdade, estamos a tentar dar a volta a equipa que temos chega para as encomendas e preciso intensidade, a liga dos campeoes estamos la se passarmos otimo senao paciencia, esta epoca falhou so despachar MAXI que claramente ja deu o que tinha a dar sendo a sua aquisiçao uma coisa incompreensivel. AGORA TEMOS DE JOGAR COM O QUE TEMOS E SE NECESSARIO LANÇAR JOGADORES DA B onde me parece que luisao pode jogar na A ja e e um dos tais medios, temos o bibi e o fernandes def centraism o dalot, o varela , o galeno e o pereira que pode vir a ser um excelente plança se melhorar a finalizaçao problema de todos os nossos avançados da formaçao que jogam muito bem fora da area, tabelam bem, mas marcar...... REPITO PARA TER REFORÇOS DA TRETA PARA ENCHER ENTAO E MELHOR NAO METER NINGUEM, HOJE POR MENOS DE 10M NAO APARECE NINGUEM DE JEITO E MESMO ASSIM.....

    ResponderEliminar
  10. Em relaçao a equipa B nao sei se repararam o folha esta muito interventivo em termos de palavreado, ja se queixou do relvado, ja se queixou mais nao sei do que, esperemos que nao existe uma especie de ciumeira com folha que tem de mostrar este ano que nao e so andar nos juniores mas tem capacidade para voos mais altos. Aquilo que me parece e que SC nao aposta muito em jovens assim sem mais nem menos, ate agora houveram alguns testes na pre epoca mas pouco mais e ze pedro ate foi dispensado.

    ResponderEliminar
  11. A mim não me choca que o Porto não pudesse dar 8 / 10 milhões por um bom reforço. Já sabíamos que não podia.

    Mas que o Porto não tenha conseguido, sequer, trazer um ou dois jogadores por empréstimo, para dar maior profundidade ao plantel... wow. E haviam bons jogadores nas listas de empréstimo neste defeso.

    Isso sim é complicado de aceitar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claramente de acordo. No ano em que deviamos ter apostado em um ou dois empréstimos, é o ano que não o fizemos. Bem que podiamos ter ido buscar pelo menos um para o meio campo e outro para o ataque, já nem me queixava.
      Quanto ao 1M, a aposta no Vaná ou era porque o Sá ia para algum lado, ou foi como o Fabiano que foi comprado já na expectativa da saida do Helton... Veremos se nos saiu um helton ou um bracalli... Só sei é que esse 1M iria dar muito jeito para convencer o aboubakar ou o marcano...

      Eliminar
  12. Só espero que se no final de tudo, se conseguirmos ganhar os nossos gestores não tenham a lata de vir falar, e gabar-se desse sucesso. Se ganharmos alguma coisa, será apenas pelo treinador e pelos jogadores.

    ResponderEliminar
  13. Para mim o FCP acautelou a saída de Casillas sinalizou-lhe que já tinha alternativa.
    Só que Casillas não teve que lhe pagasse salário igual ao do FCP e não quis sair. Está no direito dele.
    Que defenda muito!

    ResponderEliminar
  14. Ao não mexer no plantel, não será que a SAD assumiu que o único erro da época passada foi NES?

    Cumprimentos com saudade!

    ResponderEliminar
  15. Tambem me parece que o acidente de Pinto da Costa pode ter encravado algumas das pastas.

    ResponderEliminar
  16. Nao temos dinheiro. Mesmo assim estamos com alas de luxo. Ficamos com Maxi (de quem nunca gostei porque sobe muito, mas nao sabe cruzar) e Layún como laterais suplentes a ganhar muito. Ao mesmo tempo mandamos o Diogo Dalot para a equipa B e o Rafa foi emprestado (com ou sem opcao de compra?). Se for verdade que o FCP recusou propostas de 5M pelo Layún foi estupidez. Ter 5M no banco a chegar aos 29 anos e sem jogar, mais vale vender.

    A equipa B campea da segunda liga foi um falhanco. Rescindiu quase tudo. O Victor Garcia, que nao foi barato, também rescindiu. Se Dalot nao tem experiencia, ficasse este em vez do Maxi.

    E nao me parece que nem Marcano, nem Aboubakar, nem Reyes fiquem tendo propostas de campeonatos bem mais endinheirados. Nao chega comecarmos o campeonato sem reforcos, Janeiro vai trazer provavelmente uma pequena revolucao no plantel o que nao ajuda nada à equipa.

    E cinco guarda-redes. Absurdo. O José Sá é uma pena. Um guarda-redes com potencial que em 3 anos vai jogar uma mao cheia de jogos. Benfica aposta em Bruno Varela e antes e Ederson. Sporting em tempos apostou em Patrício. O último redes jovem titular no FCP foi o Hilário...

    ResponderEliminar
  17. Afinal "coroné" também existe em Portugal, e não apenas nas telenovelas brasileiras onde "coronés" que fizeram história e ficaram na memória como Sinhozinho Malta (Roque Santeiro), Ramiro Bastos ( Gabriela) e Odorico Paraguaçú ( O Bem Amado ) mandavam e desmandavam quando, onde e como queriam.

    Claro que os "coroné" das telenovelas eram inspirados nos grandes fazendeiros de antigamente do café, das vacas, dos casarões e das imensas plantações, que para além da riqueza herdada do avô e do pai, da riqueza dos negócios de família, também queriam cargos políticos, onde seriam mais influentes, onde pudessem controlar tudo e onde adquiriam a absurda lei de imunidade parlamentar, que lhes dá direito a não irem pra cadeia de imediato quando cometem crimes.

    Até mandavam os jagunços matar quem se atrevesse a estar contra eles, e mesmo sabendo que toda a gente sabia que o "coroné" mandou matar, ninguém tinha coragem de colocar um "coroné" em tribunal, julgá-lo e condená-lo à prisão. Era e ainda é a impunidade total e absoluta.

    Ainda hoje em 2017 é assim no Brasil real. Basta ver que entre senadores e deputados federais, pelo menos 60% ou 70% são gente muito rica, proprietários de fazendas com terras a perder de vista nos estados natal, a ponto de alguns irem às suas fazendas de avião particular, tipo Texas, porque de carro demora um dia. E quase todos eles a cometeram roubos de bilhões de dólares aos cofres do Brasil, e ninguém vai preso.
    Lá como cá, só ladrão de galinha é que vai preso.

    Dito isto, não é difícil advinhar quem é o "coroné" em Portugal, certo?

    Mourinho é que tinha razão: "Em condições normais, somos melhores. Em condições anormais, temos que ser muito melhores".
    Como estamos no 2º caso, temos que ser muito muito muito melhores.

    Como já era esperado, fazem imenso barulho por causa de um bruxo de treta para tentar envolver o FCP na bruxaria, mas fazem um silêncio de prova final em colégio de padres (olha eles aí outra vez) acerca das denúncias semanais do UPB.

    Espero que haja gente decente na unidade de combate à corrupção da PJ que investiga o boificagate, mas pela ausência de notícias dos nomes de quem já foi depor, estou seriamente desconfiado que tudo o que Francisco J. Marques entregou foi parar às mãos daqueles agentes da PJ que foram apoiantes à candidatura do orelhas nas últimas eleições no boifica.

    ResponderEliminar
  18. Noutros anos gastamos rios de dinheiro e ficamos em segundo ou terceiro por isso se este ano ficarmos em segundo ou terceiro sem gastar dinheiro, sempre me parece melhor até porque acho que o Porto para voltar a ganhar e fazê-lo de forma regular precisa de recuperar o clube financeiramente.

    ResponderEliminar
  19. Para quando uma análise à gestão danosa levada a cabo pelo Dr.Fernando Gomes? Espero que o próximo presidente do FCP seja Rui Moreira, o único Portista que vejo capaz de mudar o rumo do nosso clube e que não precisa de se associar a pessoas sem credibilidade nem honra como as que compõem esta SAD.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.