sábado, 13 de dezembro de 2014

Danilo, uma excepção de sucesso, não uma regra

No espaço de uma semana, foram apontados dois laterais brasileiros ao FC Porto, Mayke e Marcos Rocha. Coincidência ou não, os dois melhores laterais que jogam no Brasil. E ambos foram apontados ao FC Porto justificando uma possível saída do Danilo.

Negociação para renovar
É verdade que o contrato de Danilo acaba em 2016, mas vai renovar pelo FC Porto. As negociações avançam, resta saber para que sentido: manter um lateral que é de top mundial ou fortalecer a posição negocial do FC Porto para uma eventual saída no fim da época?  O orçamento prevê que tenhamos que fazer mais 40 milhões de euros em transferências e Danilo é um dos mais valiosos jogadores e activos que a SAD tem (e a 100%). 

Por menos de 30 milhões de euros, Danilo seria mal vendido. Tem 23 anos, é de Seleção Brasileira, tem estofo de líder no balneário, é um profissional exemplar e tem muita, muita qualidade. Custou 13 milhões de euros, apesar de ser provavelmente o único jogador em Portugal que quando é para referir o preço alguns resolvem incluir tudo, prémio de assinatura e intermediação inclusive. É responsabilidade de cada portista desmistificar isso.

Independentemente da renovação avançar, o FC Porto um dia terá que substituir Danilo. E como vimos no último jogo com o Shakhtar, Ricardo é um projecto de sucessão de excelente qualidade. Opare ainda não pôde mostrar nada, mas o mês de Janeiro será uma oportunidade para isso. Na equipa B, David Bruno não tem estofo para jogar na equipa principal e a situação contratual de Victor Garcia é desconhecida, um pouco à imagem de Kayembé há um ano. Nos sub-19, um nome que merece atenção: Fernando Fonseca.

O FC Porto já tem nos seus quadros laterais de grande qualidade e que podem ser alternativas e sucessores de Danilo a médio prazo. Mas de rajada são apontados Mayke e Marcos Rocha, dois laterais caros, que jogam em clubes associados ao Banco BMG. O mesmo BMG também esteve associado ao negócio Danilo.

E daqui chegamos ao título do post: o negócio Danilo deve ser uma excepção, não uma regra. Mayke e Marcos Rocha são laterais cujo preço pode chegar aos dois dígitos. E o FC Porto não se pode dar ao luxo de voltar a investir com essa dimensão.

Felizmente, muitos adeptos defenderam Danilo nos últimos três anos e agora confirma-se que os 13 milhões de euros valeram cada cêntimo. E isso pode perfeitamente dar moral para contratar outro lateral por esse preço. «Mayke/Marcos Rocha/Seja quem for custa 10 milhões? E então, o Danilo também custou 13 e foi um craque!» Danilo não pode ser usado como um exemplo de um grande investimento que deu certo, porque o FC Porto não tem capacidade, neste momento, para fazer investimento igual, Não o deve fazer, sobretudo tendo já alternativas no plantel.

Desde 2011-12, época em que chegou Danilo (e Alex Sandro, Defour e Mangala, negócios que o FC Porto fez com um euro no bolso), o FC Porto apresentou prejuízo líquido de 56 milhões de euros e o passivo aumentou 46 milhões. E perguntam: não podem Alex Sandro, Mangala e Danilo cobrir esse prejuízo? É um facto que sim. Mas as mais-valias devem sustentar a actividade corrente e anual do FC Porto, não os buracos que vão sendo acumulados.

O FC Porto pode e deve continuar a procurar Danilos, mas em qualidade, não em preço. E sobretudo, tentar aproveitar os Danilos que já há no plantel.

PS: Tentaste, Bruno. Tentaste.

9 comentários:

  1. Apenas um reparo, na boa análise feita, e que se prende com o David Bruno.

    Faltou o "para já".

    "Na equipa B, David Bruno não tem, para já, estofo para jogar na equipa principal."

    Da forma que a coisa foi escrita, parece ser uma certeza. Mas não o é.
    O David, com trabalho, com rigor, pode vir a ter um papel a desempenhar no nosso clube.

    Até porque, há 6 meses atrás, também ninguém sabia quem era o Ruben Neves, e se ele tinha estofo para algo mais.

    Cumprimentos TdD.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faltaria o «para já» se se tratasse de um facto. Sendo uma opinião, não falta. E comparar um sub-17 a um lateral de 22 anos, que vai para a 3ª época na B e não agradou a Vítor Pereira, Paulo Fonseca, Luís Castro e agora, aparentemente, Lopetegui, não parece o melhor exemplo. A não ser que todos os treinadores estivessem errados.

      Eliminar
  2. Concordo que devemos ser racionais das contas... Mas a qualidade do Danilo tem um preço no mercado.

    Como é que é possível conseguir Danilos por preços substancialmente inferiores?

    Danilo é top mundial, é bom ter isso presente, quando chegou já tinha cartel (marcou um dos golos da vitória do Santos na Libertadores, salvo erro).

    Vou ser muito objectivo na ideia: TdD, não pagavas os 24M da clásula do Oliver Torres?

    (Eu nem pestanejava...!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes do Danilo, o FC Porto fez dois laterais portugueses de 20M€, com uma venda 10 vezes superior ao investimento. É possível voltar a ter o toque de midas. Mas a própria venda do Danilo, quando acontecer, dará para ver se rendeu assim tanto mais do que o Paulo Ferreira ou o Bosingwa.

      O FC Porto não tem capacidade para bater uma cláusula de 24M€, nem que fosse do Messi ou do Ronaldo. Nem de 12M€, quanto mais de 24.

      Eliminar
    2. O oliver é formidável mas nao pagava 24milhoes. Um grande da europa so não paga se nao estiver atento, agora o porto nem em sonhos. Esses milhões nao sao do nosso campeonato

      JP

      Eliminar
  3. Este ano terá de ser um ano de apertar o cinto, não a nível das contratações em si, mas do número delas.

    Lopetegui é para manter e isso trará estabilidade (assim o espero) às escolhas da próxima época e acima de tudo, maior equilibrio no numero de jogadores da A e B.

    Facilmente se vê que os 2 planties tem um excendente de mais de 10 jogadores, que estão a tapar os B para a A e os Sub-19 para os B's... esse excendente pesa na massa salarial.

    O caso dos emprestados também deve ser revisto e libertar/vender, uma boa parte dos jogadores que temos nessa situação, assegura-se urgente, isto é claro, tudo no âmbito de baixarmos os custos fixos.

    Mas não chega, pois como é público no RC, existem rubricas que precisam ser reduzidas, mesmo que os novos contratos publicitários possam ser mais vantajosos e mesmo que o naming do estádio venha a ser colocado sobre a mesa, continua a exixtir muitos custos que inexplicávelmente vem subido ou são elevados.

    Um gestão ideal seria a contratação de 3 ou 4 jogadores por época com a venda em excesso de 2 ou 3 dos nossos, mas como somos um clube de passagem e de promoção intermediária, está mais que visto que isso não irá acontecer, assim como est+á mais que visto que a nossa equipa B dificilmente irá ser devidamente aproveitada.

    ResponderEliminar
  4. Danilo só por 35/40M. Além de ser top, é uma referencia e não sei se o Ricardo esteja já preparado para assumir a titularidade, apesar do potencial, está em fase de adaptação à posiçao, ao contrário do José Angel..acho que seria preferível vender Alex Sandro, Carlos Eduardo e Jackson ( inevitável).

    Neves

    ResponderEliminar
  5. O pior disto tudo é que muito portista parece que está num estado natalício permanente. É sempre compras, precise-se ou não, só querem comprar.

    O Ricardo, foi o MVP contra o Shakhtar. Num jogo de champions. Ainda tem 21 anos. A cada exibição, parece melhorar na posição de DD. No entanto, o que vemos o FC Porto e muito portista a pensar é na próxima contratação. Eu também pensava, se não tivéssemos qualidade, já. O Danilo quando veio em 2011 não sei se seria capaz de uma exibição como a que o Ricardo teve. Ainda assim, o pensamento divaga nos Maykes e Marcos...

    Antes de comprar, temos de olhar para o que temos. E temos muita qualidade ainda. Ghilas, Carlos Eduardo, Tozé, Ricardo, Victor García, Pité, etc... O FC Porto precisa de apertar o cinto, mas não devido à condição financeira de agora, precisa, porque nunca o fez antes. Sempre teve a mesma mentalidade, comprar, comprar e comprar.

    Outra coisa, é triste saber que num clássico português, o FC Porto, dificilmente, terá um português na suas contas. Assim, claro, perde-se identidade.

    ResponderEliminar
  6. Ficou a dormir no primeiro golo.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.