terça-feira, 20 de setembro de 2016

Era o Tondela, parte II

Quem ainda não estava vacinado para passar vergonhas frente ao Tondela ontem teve a sua terceira injeção. No primeiro Tondela x FC Porto, um lance único de inspiração de Brahimi e um penalty detido por Casillas deram uma vitória muito suada. Na primeira visita do Tondela ao Dragão, uma derrota histórica, apesar das muitas ocasiões de golo criadas nesse jogo (18 remates dentro da grande área adversária). E ontem, o pior jogo que o FC Porto alguma vez fez contra o Tondela. 

Foi-se, aos olhos de muitos, o estado de graça de Nuno Espírito Santo e de uma pré-época que estava a ser preparada desde Abril (e que dá a impressão de necessitar de mais uns meses até se descobrir uma equipa). Muda-se novamente a tática de um jogo para o outro, troca-se meia equipa, tudo isto quando ainda nem sequer há uma base criada, um sistema de jogo que assegure a luta pelo título e sem que o FC Porto ainda tenha feito um único jogo esta época que tenha vencido de forma autoritária e consistente (a vitória contra o V. Guimarães foi elogiada, mas não é em todos os jogos que há um golo de canto, um remate desviado e um auto-golo). 

A seca de títulos está a custar tanto que já há quem ache que 20 minutos de bom futebol contra o V. Guimarães e uma vitória contra 9 em Roma são atestados de crescimento e garantia. Não são. O FC Porto de Nuno Espírito Santo evoluiu  pouquíssimo desde a pré-época e continua a jogar como equipa pequena - à imagem daquilo que foram os trabalhos anteriores de Nuno, por isso não é por aí que podem criticar o treinador. 

Possivelmente, sentir-nos-íamos defraudados se Guardiola chegasse e deixasse de usar o tiki-taka. Ou que Diego Simeone deixasse de ter um grupo de jogadores capazes de comer a relva, digeri-la, cuspi-la na cara do adversário e voltar a engoli-la. Ou que José Mourinho deixasse de ganhar jogos a partir do momento em que abre a boca. 

Agora, estarmos desiludidos por o futebol de Nuno Espírito Santo não estar a convencer ninguém? Isso não. Quem acompanhou o seu Rio Ave e o seu Valência não pode estar. Nuno Espírito Santo não era a primeira escolha de quase nenhum adepto do FC Porto para este cargo. Foi o escolhido de Pinto da Costa e, como portistas dedicados que são, muitos apressaram-se a tentar descobrir mil e uma qualidades no treinador, a pensar que um copinho de água suprime a sede de uma multidão. No final, Nuno está sujeito ao mesmo que Paulo Fonseca, Lopetegui ou Peseiro: três maus resultados e está o funeral feito. Com a diferença que consegue, até ao momento, apresentar pior futebol do que os seus antecessores.

Responsabilidades? Poucas ou nenhumas. Não é pessimismo, nem ideias pré-concebidas inflexíveis, é analisar com os olhos e a cabeça em que vez de analisar com o coração. Com o futebol idealizado por Nuno Espírito Santo, em condições normais, o FC Porto não será campeão. Essa história de ser o treinador «da mística, da casa, com garra, que conhece o clube» é uma baboseira se, antes de tudo, não houver competência tática. 

Nuno tem a sua estratégia, está a tentar segui-la, mas se não mudar o FC Porto não vai cumprir os seus objetivos - não estamos a falar em ser campeão, pois a época não foi preparada para terminar com um FC Porto campeão, mas pelo menos estar na luta e dar a ideia clara de que o FC Porto tentou ganhar todos os jogos e lutou até ao último segundo por isso. 

Estamos na 5ª jornada e o FC Porto depende de si próprio. Por isso, a assumi-lo é agora. Nuno Espírito Santo tem que mudar. Lá isso tem. Se quiser ter hipóteses na luta pelo título, tem que ser o treinador que nunca foi. Por outras palavras, contratámos um treinador com uma ideia de jogo que não levará o FC Porto a cumprir os seus objetivos. Faz sentido? Claro que não. Mas a escolha foi feita e agora há que lidar com ela. É preciso mudar e assumir o desejo de jogar como equipa grande, dominadora, objetiva. Pode ser útil alternar entre esquemas táticos, mas para isso é preciso que funcionem. 

Não será a Nuno Espírito Santo que serão cobradas responsabilidades se o FC Porto não cumprir os seus objetivos, pois quem queria determinadamente chegar ao título, numa época de sim ou sopas, não teria contratado Nuno no último defeso. Agora que já cá está, deve pelo menos aos adeptos a tentativa de mudar e tentar crescer. Não essa história de achar que uma equipa que só aos 83 minutos remata pela primeira vez à baliza do Tondela fez o suficiente para ganhar o jogo. Não fez.




Positivo (+) - Casillas fez o máximo que se pode pedir a um guarda-redes: não sofrer golos. Um par de boas intervenções seguraram o 0-0. Alex Telles teve boa disponibilidade ofensiva, bem melhor do que no jogo anterior, e Rúben Neves esteve impecável no passe longo, além de ter sido o jogador que mais bolas recuperou. Brahimi, ao seu estilo e no primeiro jogo a titular esta época, estava a ser o único a desequilibrar e a arrastar a equipa do Tondela quando Nuno o decidiu substituir - será que podemos condenar o individualismo de um jogador se coletivamente a equipa falha? Por outro lado, jogando Brahimi à direita, não é uma posição a que esteja habituado no FC Porto e que favoreça as suas diagonais. Otávio voltou a ser o melhor, particularmente na primeira parte. Óliver acrescentou algo na segunda parte, em particular nos passes para André Silva. Ainda assim, pouco.




Avançados sem preparação (-) - Minuto 42, um exemplo da falta de sintonia absoluta num esquema de dois avançados: Depoitre e André Silva vão os dois pressionar o guarda-redes, ao invés de ir um e outro ficar na cobertura à linha de passe para o defesa mais próximo. Não sabemos quanto tempo esperou Nuno por Depoitre, mas algo está claro: o FC Porto não está minimamente rotinado ou preparado para jogar com dois avançados.

A necessidade de um avançado complementar a André Silva e Depoitre já era clara. Jogando em 4x4x2, ainda mais (que bem encaixaria Bueno neste esquema...). Começando por Depoitre. É tão questionável os adeptos que julgam a contratação sem conhecer o jogador (ainda que a maioria das críticas não se prendam com o jogador, mas sim com o custo) como aqueles que acham que a exibição contra o V. Guimarães já era um atestado de qualidade garantida e de valia de 6M€. Não vale a pena tentar descobrir caraterísticas que não existem. A valia de Depoitre assenta em dois pontos: presença na grande área e capacidade de segurar a bola. Ontem, neste segundo aspeto, Depoitre esteve muito mal. Lento, sem capacidade de movimentação e desmarcação, só apareceu uma vez para um cabeceamento. Depoitre implica uma forma de jogar que o FC Porto dificilmente seguirá - estão mesmo a imaginar o FC Porto a canalizar o seu jogo para Depoitre como em tempos fez para Jardel? Certamente que não. Depoitre tem deficiências técnicas próprias para quem só chegou a profissional aos 24 anos. Pode ajudar a desbloquear alguns jogos pela sua presença na grande área, mas se lá enfiarem qualquer avançado do FC Porto isso também pode acontecer. Certo é que o peso da sua contratação já foi sacudido para as costas de Nuno Espírito Santo - Pinto da Costa disse que não conhecia Campaña, mas esse chegou por empréstimo e não custou mais de 6M€, e chegou para ser alternativa, não para reforçar um setor carenciado. 

Quanto a André Silva, sente-se o peso de ter que depender do avançado para impor velocidade no ataque do FC Porto e dar amplitude à equipa. André Silva está a ser vítima da inconsistência tática de Nuno Espírito Santo, que lhe pede para estar em todo o lado. André Silva tem que cair para os flancos, vir atrás, aparecer na grande área, pressionar, tudo isto enquanto Depoitre tinha dificuldades em se arrastar. Não é fácil.

Por outro lado, tem sido sofrível ver André Silva tentar o 1x1. Raramente acerta uma finta. Isto advém do problema de colocar André Silva mais longe da grande área (e com isso forçá-lo a receber e progredir no terreno, em vez de receber e procurar logo o remate, como típico ponta-de-lança). Mas a verdade é que André Silva não está a conseguir ultrapassar os defesas. Vai invariavelmente contra o opositor e perde a bola. Falhou duas ocasiões de golo, algo obviamente também revisto pela negativa. 

Nuno Espírito Santo tem que decidir o que fazer com André Silva. Neste momento, estamos a pedir muito ao jogador. André Silva não pode ser o salvador da pátria. E parece que enraizou esse pensamento, na forma como tenta sempre puxar o 1x1 numa equipa sem ideias. André Silva tinha capacidade para ser o 9 do FC Porto esta época? Tinha, tem. Mas podemos esperar que resolva todos os jogos? Certamente que não. José Mourinho teve Postiga ou Derlei, McCarthy ou Jankausas. Quando falhava um, acertava o outro. Quando falha André Silva - que está a falhar -, quem sobra a este FC Porto? Vai-te preparando, Rui Pedro - ou então Areias, cuja cláusula de opção de compra torna o preço de Depoitre absolutamente compreensível. Enfim.

Falta de criatividade (-) - Jogar com dois avançados pode ser uma solução, se a equipa souber como os servir. André Silva teve duas excelentes ocasiões, mas foram 80 minutos em que o FC Porto foi uma nulidade absoluta em termos ofensivos, muito por causa da incapacidade de criar desequilíbrios no último terço. O Tondela controlou sempre bem a profundidade e o FC Porto não está a ter o fator match-winner num dos seus extremos para resolver jogos. Brahimi não está habituado a jogar à direita e acusou essa pressão. Brahimi e Otávio procuraram explorar o espaço interior, mas o Tondela fechou-se sempre bem. 

Por outro lado, André André, por mais disponibilidade que possa ter, nunca vai ser aquele jogador capaz de fazer uma época inteira a titular no FC Porto. É útil, uma formiguinha de trabalho, que luta sempre pelo FC Porto, mas com dificuldades em encontrar espaço, em fazer passes de ruptura e em acrescentar uma capacidade de meia distância que o FC Porto não tem. Com Brahimi e Otávio no espaço interior, isto devia dispensar André André de funções mais criativas, mas a estratégia não funcionou. Herrera também não está bem e foi para o banco, Evandro não é opção, Sérgio Oliveira nem devia ter começado a época e João Carlos Teixeira desapareceu inexplicavelmente das opções de Nuno Espírito Santo (podem anotar: se lhe derem uma oportunidade, vão questionar por que é que não a teve mais cedo). No meio de tantos médios, vai ter que ser Óliver e mais 10, caso contrário o FC Porto não vai ter capacidade de ter um médio a desequilibrar em zonas mais adiantadas (tendo em conta que Otávio está a ser opção na ala). 

Muito mais se poderia discutir, como a decisão de desfazer a dupla de centrais, tirando Marcano (que está num bom momento) para colocar Boly (o mais inseguro do quarteto defensivo), mas não foi por aí que o FC Porto deixou dois pontos em Tondela. Jogando em 4x4x2, o único avançado disponível como alternativa estava dispensado na equipa B na pré-época. Isto é um plantel preparado? 

E agora? Agora o FC Porto vai ter que mudar, pois assim não vai ser campeão. Não faz sentido falar em trocas de treinadores, pois os treinadores são para se levar até ao final da época - sobretudo depois do disparate histórico que foi dispensar Lopetegui para ir buscar Peseiro. Nuno vai ter que mudar de estratégia, e a assumi-lo tem que ser agora, ainda à 5ª jornada, em vez de deixarmos que vitórias suadas ou conseguidas em detalhes libertem a ilusão de que os títulos vão inquestionavelmente regressar este ano. Assim não vão, de certeza. O plantel não é suficiente bom? O plantel tem lacunas, claramente, e não foi construído de forma a não deixar dúvidas que o FC Porto tem condições para chegar ao título. Mas para ganhar ao Tondela, tem que servir. E já lá vão 242 minutos, mais descontos, em que não fazemos um golo a uma equipa cujo orçamento não pagava um ano de salários do nosso atleta mais bem pago. Isto também deveria não só motivar críticas aos treinadores, mas envergonhar quem está em campo e quem está sentado, a assistir bem no alto, e só parece ter interesse em falar depois de vitórias. 

E sim, o FC Porto voltou a ser prejudicado pela arbitragem. Com exibições destas, é normal que os portistas não aceitem que se encontre desculpas na arbitragem. Mas não são desculpas, são factos e circunstâncias do jogo: o FC Porto voltou a ser prejudicado. Mas se os seus dirigentes não se revoltam, vão ser o adeptos a fazê-lo? Ah, agora fazemos álbuns no Facebook. Mas se Pinto da Costa diz que não liga a blogues e a redes sociais, podemos assumir que na SAD não se estão a preocupar minimamente com as sucessivas arbitragens que estão a prejudicar o FC Porto? 

A 8 de Abril, depois de perder com o Tondela, Pinto da Costa anunciou que o FC Porto bateu no fundo. Agora é caso para perguntar: quando é que decidem parar de escavar ainda mais?


Pergunta(s): O que falta a este FC Porto?

41 comentários:

  1. É certo que o plantel tem lacunas e que foi mal preparado, principalmente para a frente de ataque. É igualmente certo que os principais responsáveis são os da direcção.

    Todavia, como refere e bem, o Nuno também tem responsabilidades. Se era para tentar o 4-4-2, que quanto a mim faz sentido, porque dispensar o Bueno? Percebo a inevitabilidade de recuperar o Adrian, mas será que o Evandro, o Oliveira e o Varela vão ter minutos de jogo até Janeiro?

    Temos o seguinte meio campo: Danilo + Neves, Oliver + Herrera, Andréx2 + Teixeira.

    Para extremos: Octávio + Jota, Brahimi + Corona.

    Estão aqui 10 jogadores para 5 posições. Alguém é capaz de dizer que é um plantel fraco? As dúvidas estão, quanto a mim, principalmente no ponta-de-lança, centrais (até agora bem) e nas saídas do Casillas.

    De resto, apesar de todos os contratempos da pré-época e épocas anteriores, o que nos falta mesmo é um timoneiro como deve ser. O Nuno não tem unhas. Esconde-se no banco e é pouco interventivo. Parece que está cheio de medo.

    É esperar para ver. Pode ser, como diz, que ele mude. Esperemos que sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente de acordo, tirando os avançados nao me parece que o planTel seja mais fraco que os rivais, plo contrário temos um meio campo mais forte e melhores soluções que o SLB (estes com excelentes opçoes atacantes mas do meio para trás são todos medianos), o SCP bem mais equilibrado mas que laterais são aqueles?? Muito inferiores ao nossos e aqui a Grande diferença para nós está no Banco, JJ tem muitos defeitos mas é de longe o melhor.
      Oliver, Brahimi, Otávio, corona sao dos jogadores mais criativos em Portugal como é possível o volume ofensivo ser tão fraco??
      Não concordo que se deva atribuir culpas ao árbitro quando aos 8min parece existir pênalti contra nós, apesar dos cartões não atribuídos ao Tondela. Com um futebol tão pobre contra o ultimo, não podemos olhar ao árbitro.
      Preocupante...

      Cumprimentos
      Neves

      Eliminar
  2. Totalmente de acordo sem tirar nem pôr. Finalmente vejo alguém que concorda comigo em vários pontos:
    -não temos equipa para jogar em 4-4-2, podemos esporadicamente jogar em com 2 PL em casa na segunda parte quando necessitamos de + presença na área, pois Depoitre só nos dará isso, combatividade e físico.
    -para este 4-4-2 não daria mt + jeito Bueno um típico 2º PL que viria buscar jogo atrás e tanto libertava o André Silva como suprimia a falta de ligação do meio campo ao ataque?;
    -no meio campo Oliver tem lugar cativo, Herrera só poderá jogar em jogos em que joguemos em contra ataque pois só é realmente bom no transporte de bola, André André é esforçado, mas não chega e João Carlos Teixeira pelo que vi na pré época merece uma oportunidade pois tem pezinhos ao contrário do Sérgio Oliveira ou do Evandro.
    -Colocar Boly, que para mim em nada é superior aos outros centrais e tirar Marcano que não é nada de extraordinário mas estava num dos seus melhores momentos não me parece nada correcto.
    - Por fim não percebo o porquê do Nuno Espírito Santo estar a mudar sempre a equipa, quer os jogadores quer o sistema táctico, as experiências seriam na pré época, mas até nem o condeno pois uma pré época que começou em Abril mas que foi em tudo mal planeada não é culpa do dele...

    ResponderEliminar
  3. A este porto falta um Paulinho Santos no banco em que mal se veja um jogador a falhar tanto no jogo como os nossos que o chame e lhe dê duas brodoadas nas trombas para acordar, temos equipa? Temos, o André 2x cansa-se rapidamente mas evita perder um lance, outros com melhor resistência física, ao mínimo cagam no lance,o desaparecimento do Teixeira nao se percebe, mas era excelente ele entrar ou jogar como titular na posição do Andrezinho, no entanto, não compreendo o porquê de insistirmos num PL móvel, nao somos os outros que têm meia dúzia de cepos dopados que correm como tudo e cruzam e no meio de 590 ressaltos a bola entra, simplesmente nao funciona assim para nós, mas temos equipa para chegar la e encosta-los atras e massacrar, mas nos treinos tem de começar a ser um jogador no meio de 20 e este apanha a bola e marca
    Fomos prejudicados? Fomos e bastante mas ja é assimn desde os tempos do Vítor Pereira, eles fazem o que querem de nós, mas é fazer como antes, correr atras do arbitro e intimida-lo, no dragão é criar uma presença em que uma criança de 5 anos do outro clube fica com medo e o pai dela quase que molha a cuequinha, é puxar ainda mais por estes morcões e quando eles nao cumprirem, ir "falar" com eles, mostrar que representam o colosso mundial FCPORTO e não uma equipa qualquer que ninguém conhece, é fazer a terapia do filme laranja mecânica, um cinema, todos obrigados a ver um filme do que é uma equipa à porto ate eles começarem a saber!
    Acho que me esqueci de dizer.muita coisa mas ta aqui a base

    ResponderEliminar
  4. TdT,

    O que falta a este Porto é simples... fio de jogo...

    A equipa não é equipa quando está no meio-campo adversário, é apenas um conjunto de jogadores que anda para ali. Até entrar Oliver, nem uma tentativa de passe de rotura tivemos... muito mau mesmo.

    Assim mais vale despedir e rapidamente... a SAD toda! Para quem trabalhou tantos meses para chegarmos a isto é revelador de um mar de incompetência!

    E sim... o Porto não mudou nada desde o seu primeiro jogo oficial com a agravante que agora os adversários já sabem quem parar para acabar com o jogo ofensivo.

    E João Carlos Teixeira para mim é a maior incógnita de todas... por aquilo que vi na Pré-Temporada, era um candidato claro à luta naquele meio-campo pela titularidade e sabemos nós o quanto estamos necessitados de jogadores com pezinhos, criatividade e inteligência...

    ResponderEliminar
  5. acho estranho um treinador tão jovem ser escolhido para dar a volta numa situação destas. É certo que o Mourinho e o Vilas Boas resultaram mas tiveram muitos anos de estágio com os melhores e foi grande risco na mesma.
    Concordo contudo que a escolha está feita e é para ficar até ao fim.
    Confesso que lhe vejo potencial e inteligência mas precisa realmente de evoluir o estilo de jogo.

    ResponderEliminar
  6. Excelente análise. Concordo com tudo... especialmente com esta frase: "A 8 de Abril, depois de perder com o Tondela, Pinto da Costa anunciou que o FC Porto bateu no fundo. Agora é caso para perguntar: quando é que decidem parar de escavar ainda mais?"

    ResponderEliminar
  7. Ora.

    Ainda não foi possível identificar A ideia de jogo que NES pretende para a equipa, e isso responde à pergunta que fecha o post.
    Num momento a ideia é pressionar alto para apanhar o adversário no contrapé, mas sem que a linha mais recuada ajuste o seu posicionamento. Noutro momento estamos a jogar em posse, com os centrais no círculo central, para no espaço de momentos se recuar e jogar com 10 atrás da linha da bola. Noutros a ideia é jogar na bola longa e so aí subir.
    E isto tudo ao longo de 90minutos.

    ResponderEliminar
  8. O que falta a este porto? Organização em campo e na direcao, alguém que não treinador ou jogadores que de a cara e acima de tudo falta vergonha na cara de dirigentes, treinadores e jogadores

    ResponderEliminar
  9. e as probabilidades do NES mudar agora? ele tem adjuntos capazes de contribuir para esta mudança? sinceramente é tarde para recuperar uma época deitada desnecessariamente ao lixo... o plantel não é assim tão fraco (a conversa do Lopetegui que tinha caviar enquanto o fonseca vivia a pão e água não cola aqui), mas o futebol apresentado é confrangedor. e a forma como o treinador depois dum jogo como este atira as culpas para cima dos avançados é altamente preocupante.
    --tom

    ResponderEliminar
  10. A grande diferença entre os planteis do 3 grandes está no ataque. A quantidade e qualidade de soluçoes ofensivas quer do sporting quer do benfica sao muito superiores às do Porto, e isto já é assim desde 2011 ( mais em comparação com o benfica). Desde esse ano tivemos 1!! PL eficaz - o Jackson. Em 5 anos!!! e desde essa altura que nos deparamos com o mesmo problema - uma incapacidade gritante de decisao no ultimo terço.
    O ano passado o Porto marcou menos 21 golos que o benfica e média de golos foi inferior a 2/jogo.
    Em 14/15, estivemos melhor, mas mesmo assim, menos 14 golos que o rival.
    Ano anterior, apesar de termos n golos muito proximo dos rivais, novamente média inferior a 2/jogo.

    Custa dizer isto, mas neste momento, à excepçao de GGuedes, qualquer avançado do benfica era titular no nosso Porto. Não me lembro de alguma vez isto ter acontecido.
    Podem dizer que se as bolas não chegam à area se nao as meterem lá, e isso é muito culpa do meio campo. Então eu digo duas coisas:

    3 dos 4 melhores Nº10 da Liga sao o FCP: Otavio, Brahimi e Quintero. Nenhum joga lá. Os outros - Oliver é o melhor MC da Liga. Danilo é um excelente MDC.
    É justo pedirmos a um box-to-box como Herrera que faça 1 assistência por jogo?
    Não é por acaso que Layun, um lateral, foi o melhor assistente do ultimo campeonato..ah, e o que se faz na epoca seguinte? - Banco e quando o Maxi sair passa para a direita. ( ou entao ainda faz uma perninha a ME, a DE é que não que torramos mais uns milhoes numa posiçao que não precisavamos)

    E já agora, a bola até chegou lá, aos avançados..mas a diferença é que depois é preciso meter a bola lá dentro. Ontem um Grego ( suplente!!)) em 3 remates fez 2 golos.


    Quer nos queiramos quer não, goste-se ou não, o futebol portugues mudou quando JJ foi para o Benfica - porquê? Porque mostrou a maneira mais lógica de um grande ganhar quase sempre em portugal - Qualidade e quantidade de soluçoes ofensivas - porque os campeonatos ganham-se aos Tondelas e Aroucas e não necessariamente na Luz e em Alvalade. O Porto não aprende. Insiste em manter planteis com 2 avançados, de jogar com extremos inventados. Não adianta criticar os treinadores e os jogadores - eles fazem o que podem..nos ultimos anos temos assistido a um acumular de erros no mercado de transferencia ( ja nem vou falar do €) inaceitavel. PdC deu a sua ultima cartada com Luis Gonçalves. Se falha outrra vez, está na hora de sair..doe a quem doer

    Desde AVB que isto tem sido a mesma historia de sempre: Futebol sofrível, incapacidade ofensiva, sempre muita dificuldade contra equipas pequenas que se fecham.

    Ass: PSG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 100% de acordo
      Armando Monteiro
      www.dragaoatentoiii.wordpress.com

      Eliminar
  11. Baseado no que temos hoje.... Meio campo Danilo,Oliver e Otavio a trabalhar para Corona brahimi e andré è uma equipa equilibrada e estavel para o nosso futuro ou demasiada fantasia sem luta?

    ResponderEliminar
  12. E entretanto Vítor Pereira livre no mercado...
    Pior do que dispensar lopetegui foi o tiro no pé que foi enxotá-lo do clube.

    Alguém faça um Tag ao NES neste post no facebook para ver se ele lê isto. Post acertadissimo. Sem tirar nem pôr.

    CS

    ResponderEliminar
  13. O que falta a este Porto?Competência e uma figura de Liderança. O problema vem desde de cima, a Sad já nao funciona da mesma maneira do que ha uns anos atras. A mentalidade dos jogadores ja nao é estimulada para pensarem há Porto. O futebol por nós praticado é horrivelmente monótono e evidente. Parece que não existe qualidade e como é aqui referido a gestâo do plantel de jogo para jogo deixa muito a desejar. É uma tristeza que até dá vontade de chorar. Não sei mesmo como sairemos deste Lodo

    ResponderEliminar
  14. A filosofia de jogo do Porto sempre foi o 4x3x3, não percebo o porquê da mudança, vê-se perfeitamente que há uma grande confusão dentro de campo e os jogadores parecem que andam perdidos, bastava a equipa ter entrado com Brahimi e Corona como extremos e André Silva no meio, o meio campo com Danilo (enche mais o campo), Oliver e Otávio, na defesa não tinha mexido, pois é importante que a defesa se torne bem sólida e isso só acontece com as rotinas de vários jogos.
    Neste jogo era preciso jogadores que furassem uma muralha defensiva do Tondela.
    Outro problema que temos é que não há jogadores que arrisquem o remate de longa distância (parece que isso não é treinado). e quando o jogo está a terminar parece que não há uma indicação para o campo para fazerem chuveirinho de bolas para a área, isto só acontece quando a placa dos descontos é levantada.
    Claro que tudo isto somos nós a falar de fora porque não sabemos o que se passa dentro...

    ResponderEliminar
  15. A melhor análise que li sobre o FC Porto actual.

    Não é mudar o Nuno que se resolvem os problemas.
    O Nuno é que tem que mudar, se queremos ter os nossos problemas resolvidos. Ou pelo menos suavizados.

    O grande problema, comum a tantas áreas da psicologia, é o da consciência.

    Será que Nuno sabe que tem que mudar? Será que ele sabe mesmo o que é SER PORTO?

    Pelas conferências pós-jogos, diria que ainda está muito entranhado o espírito "Sou Rio Ave" ou "Sou Valência". Equipas que lutam pela Europa, às quais a tão sublinhada eficácia é essencial. Equipas que ter 11 jogadores atrás da linha da bola é normal.

    Se o problema for apenas psicológico, nada que uma boa descompustura não resolva. Temos um Presidente que era mestre nisso. (Vítor Pereira que o diga)
    Se for mesmo competência, também se aprende. É preciso é ter vontade.

    ResponderEliminar
  16. "Pinto da Costa disse que não conhecia Campaña, mas esse chegou por empréstimo e não custou mais de 6M€, e chegou para ser alternativa, não para reforçar um setor carenciado. "

    Sabem o que é que o Pinto da Costa também disse nessa mesma entrevista em que fala do Campaña? Que nunca mais contrataria nenhum jogador que não conhecesse.... Depoitre!

    ResponderEliminar
  17. Continuamos a explorar o jogo interior, o que na minha opinião é um grande erro tático . Raramente vejo os laterais efetuarem bons cruzamentos . As defesas adversárias jogam subidas e não vejo nenhum jogador ganhar as costas em velocidade ,a bola é sempre no pé nunca no espaço e por ultimo ,um aspecto que poderia melhorar são as bolas paradas, não gosto nada de ver cantos á Layund,balões para a area ,faz-me confusão ver jogos após jogo e cantos e livres mal marcados . Vejo muito futebol e maior parte dos golos são de bola parada ou cruzamentos tensos coisa em que somos fracos.

    ResponderEliminar
  18. Concordo com grande parte das observações. O Nuno não seria a minha opčao também. Mas nesta altura que escolha seria acertada? Gosto do Marco Silva mas neste momento seria mais um a ser queimado. Neste momento, sem o apoio da direcção, com esta nova forma de comunicar, a perda de agressividade, nao contestar a arbitragem, nao me recordo de nenhum treinador que o Porto pudesse pagar e que pudesse fazer a diferença.
    Agora o que nao concordo no post:
    - entao o jogo com o Roma nao o satisfez mesmo quando estava 11 contra 11? Creio que aqui a sua avaliaçao é resultado ou de nao perceber de futebol ou entao de querer passar uma msg com qq tipo de interesse e utilizando argumentos incorrectos?
    - gostou do braihimi no jogo com o Tondela? Nao entendo como...
    - repito que o Nuno nao seria a minha opção. Mas sendo honesto responda-me à seguinte questão: quantos jogos viu do Rio Ave e do Valência enquanto o Nuno era treinador? Gostava mesmo de saber e que fosse honesto a responder. Se foram assim tantos, fico surpreendido com tanta paixão pelo futebol... Se nao foram assim tantos, considerando que só viu os jogos destas equipas com os ditos grandes, seria normal ver o Rio ave ou o Valência a dominar os jogos contra equipas superiores, a ter posse de bola e a criar um numero sem fim de oportunidades?
    Já agora parabéns pelos posts sobre a situação financeira do clube e a explicação sobre as transferencias. Estes sim, bem avaliados e fundamentados. De futebol, parece-me nao perceber muito.
    André Oliveira

    ResponderEliminar
  19. Já escrevi no fórum porto.ws: o problema do Nuno está no seu modelo de jogo. Colocar os extremos e/ou os médios-ala, constantemente a procurar o jogo interior e entregar a largura e profundidade aos laterais fazem previsível a nossa forma de jogar. Funciona ao início mas agora toda a gente sabe como o Porto joga. E não é por mudar o sistema ou os jogadores que o factor surpresa passa a existir.

    O Porto tem o problema de não conseguir construir porque afunila o seu jogo. E como não tem espaços insiste na profundidade e no pontapé para a frente como se fosse uma equipa pequena.

    Ter um extremo a fazer diagonais interiores... aceito. Ter 2 a fazer a mesma coisa é um desperdício para não chamar outra coisa.

    Acho que Óliver veio melhorar muito o jogo do Porto. Assistiu André Silva (duas vezes) e Adrián para golo. Nenhum dos avançados marcou. Depoitre foi demasiado medíocre para ser verdade.

    ResponderEliminar
  20. Pedro Tavaco Perosinho20 de setembro de 2016 às 14:55

    Acho que a malta está a exagerar um bocado.

    Não estamos assim tão mal. Ao menos não perdemos em Vila do Conde.

    Temos bom futebol e um grande treinador que tem mística e que sabe o que faz.

    E só dependendemos de nós próprios.

    Acredito piamente que vamos dar a volta e vencer facilmente o campeonato.

    Quanto à Europa, não podemos dar mais abébias. Temos de vencer os próximos cinco encontros e depois... é sonhar.

    Há que apoiar e lamentar menos.

    #SOMOSPORTO

    ResponderEliminar
  21. Pelos vistos continua o amor pelo espanhol.. Mil vezes o jogo de equipa pequena como chamou ao futebol do Nuno do que o tiki taka inconsequente de Lopetegui.

    ResponderEliminar
  22. Não vale a pena chatearmo-nos com esta equipa pois ela não o merece.Temos um presidente que parece a rainha de Inglaterra e uma sad amorfa e incompetente como se prova na formação deste plantel cheio de lacunas e desequilibrado assim como na escolha de um aprendiz de treinador. Por muito que nos custe temos de reconhecer que este ano só podemos aspirar ao terceiro lugar. Na LC tirando o factor económico melhor seria sermos já despachados pois se encontramos uma equipa a sério corremos o risco de sermos humilhados. Triste miséria a nossa em que quem devia ser a solução é agora o principal problema.

    ResponderEliminar
  23. Só uma questão simples.
    No que concerne a custos salariais com os jogadores, não é verdade que somos o clube com os maiores custos?
    E não é assim há vários anos?

    ResponderEliminar
  24. Por motivos de trabalho não pude ver este jogo, só gostaria de deixar aqui uma pergunta. Alguém sabe de como se pode comprar bilhetes para o jogo fora com o Leicester de modo a assegurar ficar na bancada visitante sem ter de ir a Portugal? É que moro no UK e quero ir acompanhar o Porto, mas preferia como é óbvio ficar com os nossos adeptos.

    ResponderEliminar
  25. Muito de acordo, meu caro.

    Chega de experimentalismos e de dar tiros nos pés. É (ainda) tempo de arrepiar caminho. E, como muito bem disse o BB, é preciso começar a devolver em dobro aquilo que nos dão. Já chega de sermos vítimas indefesas, é preciso ser agressivo e pôr os adversários em sentido. Dão uma, levam duas. Somos muito meigos...

    Abraço Portista,

    LAeB : Do Porto com Amor


    ResponderEliminar
  26. o texto e claramente exagerado, declarando praticamente defunto o clube e o treinador e a equipa. Em tondela jogamos o habitual e levamos a porrada habitual. A equipa e macia e pouco agressiva e fisicamente fragil, da do ver andre2 e asilva nao ganharem uma dividida. Mesmo assim tinhamos ganho se andre silva fizesse o que devia...concretizar ou nao ser individualista, aquelas ate abou marcava ou passava diria o outro. Normalmente contra este tipo de equipas os ultimos 20 minutos sao terriveis para elas como por exemplo o sporting em madrid, falta lhes o fisico para se aguentarem, bastam os 15 minutos finais com intensidade para ganhar se...... Maxi faz muita falta por razoes de agressividade mais do que outras. NES taticamente nao e muito clarividente como demonstrou em alvalade, este jogo era para o jota que marcaria. O porto tem de meter mais intensidade no jogo e depois de estar a ganhar dosear o esforço para nao estoirar como o sporting no rio ave. Estamos na luta os outros nao estao assim tao melhor se estao.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha exagerado? O que é preciso ver mais do que este suplicio em que andamos nos ultimos anos?

      Administraçao Mansa
      Trainador Manso
      Equipa Mansa

      Mais parece o Futebol clube dos mansos!

      Pelo amor de deus!

      DB

      Eliminar
  27. Na minha opinião, a questão não é tão tática, ou técnica.
    Quem não concordar que me perdoe, mas NES tem um perfil... Manso. É um estilo de liderança pouco competitivo, pouco combativo.
    A forma como comunica para fora é um tédio. É uma cassete gasta. Para o balneário não pode ser muito diferente.
    Não sei se queria ser um gentleman mas, aquele elogio ao arbitro, perante a anulação de um golo limpo contra o Guimarães, foi paradigmático.
    Era justo que tivesse criticado a arbitragem e era o momento certo porque, tendo ganho, não podiam alegar que eram desculpas.
    NES é uma espécie de José Couceiro cujo momento de transcendência foi aquele murro no banco.
    Para agravar o problema, também não há adjuntos como Otávio (dos tempos do Porto) ou Vítor Pereira. A estrutura era liderada por alguém nunca abriu a boca e nunca teve o respeito e cumplicidade dos jogadores. Agora ficam três velhotes e o Acácio Valentim. No campo há anos que não há um capitão. Alguém que à primeira entrada aos calcanhares dos jogadores do Tondela lhes encoste a testa. Alguém que acorde a equipa e não deixe o tempo correr.
    Como resultado temos uma equipa mansa. É a imagem dos líderes e não há tática que valha.

    ResponderEliminar
  28. Caro amigo,
    Estou quase totalmente de acordo com o “post” e 100 % de acordo com este parágrafo:
    …Com o futebol idealizado por Nuno Espírito Santo, em condições normais, o FC Porto não será campeão. Essa história de ser o treinador «da mística, da casa, com garra, que conhece o clube» é uma baboseira se, antes de tudo, não houver competência táctica.

    Na minha opinião o FC Porto tem um plantel, pelo menos, tão bom ou melhor do que o do Sporting. Só que Jorge Jesus, apesar de ser um bronco, é muito melhor treinador de campo [mais experiente e conhecedor do jogo sujo (arbitragem) do futebol português] do que o NES “somos Porto”.

    Quanto à ideia de que pelo facto de ter sido escolhido por Pinto da Costa os portistas têm de apoiar, não contem comigo. As últimas escolhas de Pinto da Costa têm sido um fracasso total: Paulo Fonseca, Lopetegui, Peseiro e agora NES “somos porto”. Custa-me dizer isto, mas começo a suspeitar que Pinto da Costa é capaz de estar em declínio…
    Para eu apoiar, a equipa técnica tem de provar ser competente. E a mim parece-me que NES “somos Porto” é um treinador de nível médio e por conseguinte, não é o treinador ideal para o FC Porto. O FC Porto para ganhar precisa dum técnico vencedor, que seja um misto de líder e psicólogo, como foi, por exemplo: Béla Guttmann (mind games). Que saiba motivar a equipa e que consiga mobilizar os seus jogadores para darem o máximo rendimento. A seguir vêm os aspectos técnicos da competência do treinador de campo, como: processos e métodos de treinamento a exigência e excelência da preparação física e técnica; por fim o estudo dos adversários e a adopção das estratégias certas, ou seja, os antídotos certos para opor e superar às tácticas dos contrários.
    Sintomático
    O NES “somos Porto” após todo este tempo ainda não conseguiu formar uma equipa, um conjunto afinado, com os automatismos a funcionar…etc…etc…
    Armando Monteiro
    https://dragaoatentoiii.wordpress.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lopetegui e so o selecionador de espanha ex campea mundial e europeia e uma das favoritas a ganhar outra vez.

      Eliminar
    2. o mais engraçado e dizerem por aqui que o treinador e de equipa pequena, ou entao que nao tem experiencia. Mas afinal quem treinou vilas boas, mourinho, vpoereira e outros antes do porto, quem treinou a serio o rvitoria do benfica ou ate o jesus antes de chegar ao benfica?? nao percebo a argumentaçao MAS AFINAL NAO SAO OU FORAM TODOS TREINADORES DE EQUIPAS PEQUENAS??

      Eliminar
    3. Mas Villas-Boas, Mourinho e até VPereira deram logo provas de competência, portanto, não tem nada a ver

      Armando Monteiro
      Sócio nr 2770 do FC Porto

      Eliminar
  29. Temos de mudar o paradigma, estes ciclos de autocomiseração já me começam a enojar um pouco. Gostava de saber se alguém se lembra do início de época do Mourinho quando ganhou a Taça UEFA. Gostava de saber também se alguém se lembra de como o Slb começou o campeonato no ano passado.

    Já estabelecemos vários princípios. Esta direção já não é tão interventiva como foi antes, mas está cá por mais uns anos, por isso mais vale continuar com a esperança que as coisas mudem mas com a ideia de que provavelmente isso não vai acontecer, não vale a pena continuar a bater no Ceguinho. Também já percebemos que o Nuno vai ficar cá até ao fim do ano, por isso temos de assumir que não é um incompetente absoluto (não é assim tão difícil de imaginar) e que as coisas vão melhorar. Mas é aqui que falta assumir o princípio mais importante, se a direção é muda e o treinador já no início do campeonato nem para os adeptos se pode virar isto vai correr mal de certeza. Resta apoiar e fazer número contra os outros e nunca contra nós. Se a direção não tem tomates para defender o treinador pelos maus resultados e se não tem competência para mudar a arbitragem, mais vale que nós sejamos uma força positiva. Tendo eu a certeza absoluta que as coisas só podem correr pior se isso não acontecer. Não importa se é justo ou não, se o clube é ou não é o que era. Não há outra maneira. Se querem criar esperança têm de ter o mínimo de confiança.

    ResponderEliminar
  30. Muito se pode criticar é certo, mais um jogo fraco e uma não vitória. Não consigo entender como é que o FCP ainda está em pré-época. Torna-se simplesmente incompreensível que não haja uma definição do jogo do FCP, fosse ele mau ou bom, mas já era tempo de existir essa tal definição.

    O post mais uma vez retrata a realidade, embora não concorde muito na referência que faz ao Sérgio Oliveira. Os capitães do FCP quase nunca foram os jogadores chave da equipa (tirando o Hulk, Moutinho...digamos a "era pré-moderna do FCP"), mas a sua liderança era imagem de marca: Jorge Costa, Couto, etc.

    Apenas um exemplo para o que refiro: no lance em que se anula um ataque do FCP onde Adrian Lopez ficava isolado, o árbitro marca falta (diz-se que estava em fora de jogo e por isso apitou a falta...duvidoso, muito duvidoso). O que se viu? Adrian Lopez riu-se por achar a situação ridícula, Rúben Neves (capitão) e outro jogador ao seu lado estavam preocupados em ajeitar a bola para marcar a falta. Quem foi pedir justificação ao árbitro? Sérgio Oliveira aposto que iria pedir justificação ao árbitro por aquela decisão. Muitas vezes discute em excesso é certo, mas isso é trabalhado. Não é um fraco jogador, precisa melhorar vários aspectos, mas é garantia para os adeptos que têm alguém dentro de campo que dará tudo pelo seu clube.

    Este foi apenas um exemplo de equipa "mansa" que somos. 90min a levar porrada (Octávio começa a ser um mártir) e não há ninguém a pressionar o árbitro. Não quero com isto dizer que se deve andar a correr atrás do árbitro como já aconteceu, mas qualquer jogador pode estar "em cima" do árbitro a pressionar. Veja-se como o Barcelona, Bayern, Espanha, entre outros, fazem isso.
    Não vamos a lado nenhum com NES a mandar murros no banco. A lado nenhum!

    PS - Já questionei aqui várias vezes a presença de João Teixeira. Não sei que se passa, mas acredito que aquele meio campo iria melhorar.

    ResponderEliminar
  31. avançados que não marcam golos, meio campo macio, defesa que assusta e um guarda-redes de férias no porto, é o nosso presente.
    não há um capitão no plantel.
    direção incompetente e manipuladora.

    ResponderEliminar
  32. tb é preciso dizer que bastava o andré ter passado a bola ao adrian das duas vezes que se isolou e estes comentários seriam bastante suavizados

    ResponderEliminar
  33. Boas!

    Parabéns pelo Blog!

    Apenas uma "critica" aqui ao timoneiro - Escreve quase (quase) tao bem como o NES ;)

    O rapaz nao percebe que se esta a enterrar (capa O Jogo de 22/09)!

    Deacon Blue

    ResponderEliminar
  34. O que acham diste artigo?
    http://www.lateralesquerdo.com/pt_PT/2016/09/22/fc-porto-a-beira-de-um-ataque-de-nervos-em-tondela/

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.