quinta-feira, 1 de setembro de 2016

«Os reforços estão identificados»

Citação de Nuno Espírito Santo, 21.07.2016


Mais de cinco semanas depois desta frase de Nuno Espírito Santo, o FC Porto recebeu 4 jogadores para o plantel principal. Depoitre, contratação em contrarrelógio pela mão de Luciano D'Onofrio e que chegou sem aparentar encaixar muito bem no que estava a ser preparado até então por Nuno Espírito Santo; Óliver Torres (que estava de facto há muito tempo identificado e, este sim, tinha que ser um jogo de paciência) e Diogo Jota (a hipótese possível para ter mais um extremo, mais rápido e vertical, sem implicar grandes custos imediatos), ambos por Jorge Mendes; e a fechar o mercado, Boly, que não a era prioridade do FC Porto, tanto que o clube preferiu esperar até ao limite pela possibilidade de ter Mangala por empréstimo, em vez de fechar logo um jogador que chegou a estar com tudo feito para rumar ao FC Porto antes de Rafa.

O plantel está fechado e o FC Porto pode ter conseguido ontem o melhor reforço da época. Chama-se Yacine Brahimi. O plantel, comparativamente há um ano, pode não ser estar necessariamente mais fraco (entre os jogadores que terminaram a época, entre os que podiam ter um papel importante só saiu Aboubakar), pelo contrário, resta saber se será suficiente para lutar pelos objetivos propostos. Estamos melhores do que há uma semana, estamos melhores do que há um mês. Mas estamos a falar da necessidade de recuperar mais de uma dúzia de pontos em relação a Benfica e Sporting (tomando por referência a classificação da última época). São três fortes candidatos ao título, e ninguém no FC Porto pode assumir a dianteira do favoritismo, por reconhecer o quão difícil será lutar por este título. O mercado de transferências não foi tão bom como o de Mark Zuckerberg, isso não. Mas o plantel não piorou, que é algo que não pôde ser dito na pré-época de 2015-16.

Começando pela questão financeira. A SAD só vai apresentar o seu orçamento para 2016-17 na segunda quinzena de outubro, mas esperam-se tempos muito difíceis. A SAD está sistematicamente a falhar nas suas metas financeiras, sobretudo de há dois anos e meio para cá. O FC Porto precisava mais de 70M€ de mais-valias no último exercício, e não as fez. Alex Sandro foi a última boa venda do FC Porto. E apesar de o FC Porto ainda ter conseguido recuperar nas receitas da UEFA que estavam previstas, ao apurar-se para a Champions (dar por garantido o apuramento para 2017-18 seria novamente um risco enorme), é claro que não vai chegar. Se terá que haver vendas em janeiro, o futuro o dirá.

Já neste mês de Setembro há um reembolso/renegociação de 17M€ ao Novo Banco, que tinha como garantias Herrera ou Brahimi. Nenhum deles saiu. O orçamento para 2016-17 já terá um buraco que em tudo se espera superior a 40M€ (vai ser o maior da história do futebol português), a avaliar pelas receitas que não entraram na última época; e se o FC Porto voltar a apresentar um orçamento suicida, muito distante da autos-sustentabilidade, assusta imaginar a quantidade de jogadores que tenha que ser vendida no final da época. E se Jorge Mendes (uma vez mais, um exemplo de que sem propostas de Jorge Mendes é bem mais difícil para o FC Porto vender jogadores) não tiver propostas boas, mais difícil será. (IN)felizmente, já tem mão sobre as nossas duas maiores pérolas da formação, Rúben Neves e André Silva. É certamente um tema mais apropriado para o final da época 2016-17, mas que quando chegar não pode deixar ninguém surpreendido.

Desportivamente falando, vamos começar por Brahimi. É de um amadorismo histórico a gestão do FC Porto do seu caso. Todos davam como adquirido que Brahimi iria sair. Não saiu, também porque a Doyen Sports é incapaz de fazer uma boa venda para o FC Porto. O FC Porto já deu muito dinheiro a este fundo, que tem sido incapaz de arranjar boas propostas para jogadores do FC Porto (ou pelo menos que se tenham concretizado em saídas). Repare-se que o maior negócio com intervenção da Doyen, Mangala, só foi possível porque foi Jorge Mendes a conduzir as negociações com o City. E agora a Doyen não arranja sequer uma boa saída para Brahimi? Façam lá uma coisa: quando arranjarem uma boa proposta por Sérgio Oliveira, visto que compraram 25% do passe já depois da FIFA ter proibido a partilha de passes por terceiros, o FC Porto volta a negociar com vocês. Boa? O Sporting já fez mais dinheiro sem Doyen do que o FC Porto com Doyen. A refletir. 

Reforço entre o caos
Quem decidiu que Brahimi não ia mais a jogo pelo FC Porto? A SAD, porque tinha toda a convicção que o ia vender? Nuno Espírito Santo, por não querer usar/criar dependência de um jogador que tinha os dias contados? O próprio Brahimi, por já não estar com a cabeça no FC Porto? Felizmente, Brahimi não fez falta no playoff da Champions, mas fez muita falta em Alvalade. 

E do lado contrário podemos ver exemplos que envergonham o FC Porto - aliás, não envergonham o FC Porto, envergonham sim quem tomou estas decisões para o clube. Slimani estava vendido ao Leicester, mas jogou contra o FC Porto e marcou; e há bem pouco tempo, Matic também já estava vendido ao Chelsea, ainda fez birra numa manhã de clássico, mas foi a jogo e ajudou a derrotar o FC Porto.

Pobre do portista que aceitar que Benfica e Sporting façam mais para ganhar os seus jogos do que o FC Porto. Isso é inaceitável! O FC Porto tinha um ativo valioso nos seus quadros que não estava a utilizar. Quem inibiu a sua utilização deve assumir responsabilidades. Podia haver a hipótese/necessidade de sair, mas que estivesse integrado e a jogar até então. Compreender-se-ia a sua ausência se o FC Porto já tivesse um sucessor/alternativa, mas não tinha. Ou tinha Adrián López, que chegou a estar dispensado na equipa B. Uma explicação sobre este caso, é o mínimo que se pode pedir, sobretudo com a imprensa inglesa a afirmar que o FC Porto recusou 40M€ por Brahimi. Depois de termos testemunhado, na novela Rafa-Braga-Benfica-Araújo (só para não dar um exemplo do FC Porto), que um simples empresário pode deitar um negócio que estava feito a perder por causa de uma comissão, seria bom o FC Porto explicar por que é que Brahimi acabou por não sair. Não finjam que não se passa nada. Estamos em 2016, na era da comunicação. 

E agora tem que começar a reabilitação de Brahimi, percebendo que pode ser o maior reforço para o FC Porto esta época. Vai ser um grande desafio para Nuno Espírito Santo, recuperar o jogador. Tem todas as caraterísticas que podem interessar a NES, mas em janeiro vai para a CAN, e não está com ritmo competitivo. Se estiver bem, se estiver comprometido com o FC Porto (não é fácil, pois é um jogador que estava convencido de que ia sair - não estamos a falar de um jogador que estava a jogar e que mantinha a mera expetativa de sair), Brahimi pode ser um grande reforço. Até lá, que se explique a sua ausência. E não deixem Nuno Espírito Santo em fogo cruzado, a responder por decisões que não tenham sido tomadas por ele.

E agora vamos ao último negócio do defeso - tirando Areias, mais um entre muitos negócios difíceis de compreender que o FC Porto tem vindo a fazer com o V. Guimarães nos últimos anos, tendo o único de facto pertinente sido a contratação de Ricardo Pereira. Seria, sem dúvida, interessante o FC Porto revelar a cláusula de compra que tem de Areias. Interessante ou chocante. Mas ei, pode dar sorte: a última vez que o FC Porto teve um Areias em campo ganhou ao Chelsea. E era Nuno o guarda-redes. Pronto, está explicado. 

Qualidade =/= preço
Boly não é o perneta que muitos querem fazer parecer. Pelo contrário, Boly tem qualidade. É certo que não é Mangala, mas o FC Porto sabia perfeitamente que, se o City recebesse uma proposta melhor, Mangala deixaria de ser hipótese. Esperar para 31 de agosto para reforçar a defesa - estamos a reforçar a defesa ou a mudar a dupla de centrais? -, isso sim, é de uma enorme preocupação. Sobretudo depois das irrisórias justificações publicadas para que o negócio de Boly tenha sido congelado/abortado no início do mês: de que o jogador tinha feito demasiadas exigências. Sim, sim. Porque um tipo que há um ano estava no Braga B ia roer a corda com os dentes todos. Claro, claro. 

Mas Boly vale, à data de hoje, uma avaliação de 8M€? Não, não vale. Não só porque isso torná-lo-ia o defesa-central mais caro da história do FC Porto e uma das maiores vendas da história do Braga. Depois de quase mais uma comidela, que seria o negócio Rafa (em boa hora o FC Porto não o fez), António Salvador volta a rir-se na hora de negociar com o FC Porto. Faz uma boa venda e fica com uma dupla de centrais bastante boa de jogadores dispensados pelo FC Porto (Ricardo Ferreira, que infelizmente está lesionado e era/é o melhor defesa do Braga, e André Pinto). 

Todos os jogadores comprados pelo FC Porto nesta janela de transferências chegaram com uma avaliação entre 6 e 8M€. Foi assim com Boly, Depoitre, Layún, Felipe e Alex Telles. O resto dividiu-se entre empréstimos e jogadores em free-agent (considerem mudar esta expressão para expensive-agent). Como se explica então que o FC Porto, tendo dificuldades financeiras, só tenha comprado jogadores na casa dos 6M€?

Aqui já se reflete o quão mal a SAD está a lidar com o fim da partilha de passes imposto pela FIFA. Há três épocas, o FC Porto dificilmente absorveria a totalidade dos passes de todos estes jogadores. Neste caso, é logo obrigado a comprar os 100%, pelo que todas as compras estão a ser inflacionadas nesse sentido. Além disso, são contratações cujo maior impacto (no que toca ao pagamento a outros clubes) não é imediato. O que explica que se prefira o caro, a pagar mais tarde, em detrimento do mais barato, mas a pagar mais agora. É perceber, mas não é concordar.

É de recordar que os centrais mais caros da história do FC Porto (Indi e Reyes) foram emprestados. Felipe, o 3º mais caro, está a adaptar-se. Marcano está a fazer um grande início de época, mas não é difícil adivinhar que, ao primeiro erro, metem-lhe a cabeça na guilhotina. À partida, pensando em Boly, Marcano e Felipe, é natural que se mantenha a dupla de centrais atualmente titular. Mas quando chega um central de 8M€, por norma tem que jogar. Não faz muito sentido NES encostar Marcano na sua melhor fase, tal como não fará sentido um central de 8M€ não jogar. Certo é que passamos a ter, pelo menos, 3 centrais para o totobola, pois Reyes e Chidozie (que continua no clube) não contavam para Nuno. 

É bom não esquecer que Boly, há um ano, estava na lista de dispensáveis do Braga. Depois de ter mostrado algumas coisas boas no Auxerre (ainda que não esquecendo que, mesmo após duas épocas na Ligue 2, nenhum clube francês lhe quis pegar - atenção à condição física!), saiu e foi para a equipa B. Só teve a oportunidade de fazer um jogo na equipa A. No arranque da época 2015-16, Paulo Fonseca deu-lhe uma oportunidade e Boly agarrou-a. Fez uma boa época, mas apenas isso: uma boa época. E de repente já merece ser o defesa mais caro da história do FC Porto, do Braga e de todo o futebol português?

A história de que os jogadores valem o que os clubes pagam por eles é muito gira, mas é para clubes que respiram saúde financeira, não para o FC Porto, que vem acumulando prejuízos colossais. Os clubes que não dependem de mais-valias para subsistir, esses sim, podem pagar o que quiserem; mas para quem, além de depender de mais-valias, nem sequer fez essas mesmas mais-valias, não.

Dito isto, enunciemos as qualidades de Boly. Sim, porque Boly tem qualidade. O que está em causa é o preço aplicado ao contexto. Boly é um central que joga muito bem na dobra. Antecipa-se muito bem, corta muitos lances em antecipação, chega facilmente primeiro aos cruzamentos, ganha quase tudo pelo ar. Além disso, Boly mostrou, em Braga, ser bastante competente no primeiro passe. Não inventa. É o típico central que limpa tudo. 

Mas há o lado contrário. Boly joga muito melhor na dobra do que na marcação, e tem muitas dificuldades quando é forçado a manter posição. No 1x1, Boly (ainda) treme muito, chega a ser duro de rins. Tudo o que seja para limpar, contem com Boly. Mas se um avançado vai para cima dele, a coisa complica-se. Aí Boly já não é um especialista no desarme. 

No Braga, Boly preocupava-se sobretudo em limpar e afastar as bolas da grande área. Para o lado que estivesse virado, fazia o corte. E faz isso muito bem. Mas no FC Porto não vai poder ser assim. O FC Porto não mete simplesmente a bola para fora. Bolas cortadas pela linha lateral, ou pela linha de fundo, só em caso de extrema necessidade. Aqui, Boly tem que transformar um desarme num início de construção. Recuperar e sair a jogar. Vai ser uma nova realidade para ele. Por isso, sim, Boly tem qualidade; mas não tem qualidade que valha o que custa, e há muitos aspetos no seu jogo que vão necessitar de maturação. 

Como o FC Porto teve boas referências de Boly enquanto profissional - soube esperar pela sua oportunidade em Braga -, oxalá chegue com toda a disponibilidade para aprender e evoluir. O fardo do que custou não estará sobre ele. 

Alternativa
Quanto à composição do plantel do FC Porto, há uma limitação no ataque: André Silva não tem suplente. Porque Depoitre não é suplente de André Silva: é uma alternativa a André Silva. São coisas diferentes. Porque o FC Porto não pode jogar da mesma forma tendo André ou Depoitre em campo. Tendo André Silva em campo, o FC Porto tem um avançado com grande amplitude de jogo, que sabe cair nos flancos, vem buscar jogo atrás e consegue acelerar no último terço. Depoitre não corresponde a esse perfil. Depoitre é um homem para segurar a bola mais próximo da grande área e impor a sua capacidade física. O FC Porto, em função do avançado que estiver em campo, vai jogar de diferentes formas. 

Com a chegada de Óliver Torres e a possível recuperação de Brahimi, o FC Porto fica com outros argumentos para lutar pelos seus objetivos. Mas isso não invalida que uma pré-época assumidamente iniciada em Abril deste ano não podia espelhar tamanha desorganização e má gestão. Não tivesse o FC Porto conseguido o apuramento para a Champions e as coisas podiam estar bem mais feias. E não era preciso muito para isso acontecer: bastava apanhar um Tiago Martins em Roma. 

Tendo em conta que o FC Porto ainda cedeu vários jogadores (uma vez mais, o FC Porto não comunicada nada aos adeptos, que só vão sabendo das saídas de jogadores através da imprensa), vamos deixar essa análise para um próximo post, até porque com a pausa para os jogos internacionais será tempo de deixar Nuno Espírito Santo e o plantel trabalharem. Mas alguém se lembra de Helton?

Muitos adeptos esquecem que Helton ainda é um profissional assalariado do FC Porto. Helton não terminou a carreira, nem rescindiu contrato. A única coisa que a SAD e Helton informaram, num comunicado conjunto, foi que Helton não integraria o plantel de 2016-17. À data de hoje, não havendo ainda confirmação contrária, Helton é um futebolista do FC Porto que não tem colocação. Como o é Quintero, por exemplo. Se não fosse pedir muito, resolver as coisas com o ex-capitão do FC Porto calhava bem.

Dispensemos o clichê do vamos à luta com os que temos. Havíamos de ir com quem? Com os que não temos? Tem que ser dessa forma, não poderia ser de outra. 1/8 da Liga dos Campeões, tentar lutar pelo título até ao final e entrar na Liga dos Campeões, fazer os possíveis para regressar ao Jamor. Em cada jogo, deixar claro que o FC Porto esgotou todas as armas à sua disposição para ganhar. É o mínimo que se pode pedir. E o máximo também. Força, equipa.

26 comentários:

  1. Falta uma análise aos 34 jogadores que o FCP tem emprestados...

    ResponderEliminar
  2. porque dizem que o Boly custou 8M?
    O FC Porto já comprou defesas mais caros como Danilo ou Alex Sandro.

    e as outras contratações referem que foram por valores entre 6M e 8M. A SAD não está obrigada a comunicar compras superiores a 5M? É que alguns dos valores em causa não foram revelados por fonte do clube, daí assumir-se que foram menos de 5M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não está obrigada a comunicar nenhum valor específico, mas apenas "matéria considerada relevante", o que é um amplo critério. Portanto, nada há a assumir.

      Eliminar
  3. Grande análise. Há muita coisa mal explicada neste momento, e sim, é preocupante. Por outro lado, e esta - lá está - é a minha esperança, acho que as lacunas que o porto tem na defesa e no ataque serão fechadas com jogadores da equipa B. Pena que tenham emprestado o rafa, o vitor garcia, podiam ser boas alternativas, da casa. Temos alguns outros jogadoresda equipa B que poderiam ser lançados para a equipa principal ocasionalmente. Acho que tem que haver um plano de reestruturacao e se for preciso apostarmos em peças da casa que seja. O que não entendo é gastar-se milhões desnecessários em jogadores de fora. Sei que metade dos comentarios fala-se em jogadores de todo o mundo, mas não sei.. agrada-me a ideia de ver o Porto a montar criar nova mistica do zero. A preparar camadas jovens para a equipa principal, e claro a não entrar em negocios obscuros.

    ResponderEliminar
  4. pois, nuno nao sera um mourinho mas pode ser um bom treinador, tem de formar uma equipa e ter um grupo que eu acho ja formou, tem de colocar os melhores na altura e nao dar lugares cativos aos do yes man tipo herreras e deixar se de arranjar jogadores para castigar ( aqui paciencis, rneves e rafa o nosso )como fez em espanha com os resultados desastrosos que teve. Quanto aos reforços a ver vamos, jota era o maior agora ja e so uma oportunidade, o avançado belga e do tipo do holandes e do outro do esporting e de mitrolgu do benfica, o joao mario ate era do porto, ficamos com evandros, brahimis, herreras agora a que rentabiliza los. O mangala quando por ca andou era naif cometia erros de principiante que nos tiraram pontos, melhorou algo mas nao se impos no mcity portanto... tera as duas dificiencias, vamos ver boly. O abou ninguem o quis no final de contas, o indi idem, o reys idem, portanto... lembro me que havia muito artista portista que criticava o alex sandro e ate o danilo portanto... Rafa e inferior a jota em todos os aspetos. silas tirandom a experiencia nao e melhor que oliver. O sporting ficou mais fragil nao me venham com tretas. O benfica tambem. Portanto.... AGORA NAO SE PODE E ESQUECER DE TIAGOS E OUTROS ESSES SIM GRANDES PONTA DE LANÇAS AO SERVIÇO DOS IMINIGOS DE LISBOA. Perdemos em alvalade pelo arbitro, pela maciesa dos nossos jogadores e pelas opçoes erradas de nuno que levou uma banhada tatica de JJ por muito que isso possa custar ou entao estava distraido. TEMOS EQUIPA, TEMOS GRUPO PORTANTO TEMOS TODAS AS HIPOTESES.

    ResponderEliminar
  5. Nao acompanhei,tirando jogos contra o fcp, o Boly a jogar e fiquei com uma ideia contraria de Boly! No que toca a dificuldade no 1x1 100% de acordo mas o aspecto que Boly tem de evoluir é no arriscar demais a sair a jogar, inclusive acho que vi o "expert" Freitas Lobo a referir isso, e as vezes nao jogar tao facil e simples pode ser bastante perigoso! Comparando com Mangala o tempo ajudara na comparacao!
    Quanto a este defeso foi muito anormal! Fcp nao teve vendas significativas, inclusive o scb fez mais €, e até o scp teve valores fantasticos nas vendas! Mas foi o possivel, acho eu, nao houve propostas que agradassem ao fcp mas fizemos negocios proveitosos em termos de emprestimos, pelo menos os que sairam para fora pagam os ordenados!

    ResponderEliminar
  6. Parabéns pela análise às trapalhadas da SAD, um bocado disfarçadas pelo Óliver e parabéns pelo grafismo final com os dados dos jogadores para esta época. Obrigado

    ResponderEliminar
  7. Gostava de perceber onde anda a tal equipa sombra que tanto de falava. Que se passa com o mercado sul americano? Vemos Felipe ok, mas que é do scouting que se via? Falcão, Lisandro, Lucho, James, Anderson... Sabe explicar-me o que mudou ?
    Mais uma boa análise. Cpts.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enumerar o que de melhor saiu da America do Sul e facil, mais dificil e recordar que por esta altura os portistas estariam a queixar-se dos "contentores de argentinos" que viriam por esta altura. A maioria nao sendo grande espingarda.

      Eliminar
  8. Qual foi a fonte para chegar ao valor de 8 milhões pelo Boly? E se realmente foi isso, porque diz que foi o central kais caro do porto? "Diego Reyes custou nove milhões e FC Porto já alienou metade do passe

    Internacional mexicano é reforço do FC Porto para a próxima época" fonte: sapodesporto.
    Porque é que maioria dos portistas partem do princípio que Brahimi não jogou só porque ia ser transferido? Será que João Carlos Teixeira também ia ser transferido só porque não foi opção para Nuno? Ou será que foram ambas simples opções tecnicas? Será que existem castigos internos?
    Sou fan do blog, mas por vezes tenho que discordar.

    ResponderEliminar
  9. Concordo com tudo o que dizes sobre Boly, discordo em tudo o mais, além de que te esqueceste de que Imbula foi vendido por 24 Milhões. Mas diz-me lá, que aparentas estar bem informado sobre tudo e saber de finanças mais do que os especialistas, o negócio Rafa não tem de ser comunicado à CMVM ? Obrigado

    ResponderEliminar
  10. E Gudino? Mudou-se o plano é agora vai fazer sombra ao J. Costa na B? Acho que merecia um pouco mais confiança, mesmo depois da época difícil no U.Madeira.

    A gestão dos activos pela SAD é de facto estranha, há aversão a declarar um activo como perdido e deixar ou contractos esgotarem ou rescindir, quando se sabe de antemão que qualquer retorno (financeiro desportivo) é dificil. Vide casos como Quintero, Tiago Ferreira. Mais valia fazer como com o Tozé...

    Bom, nada disto importa se os de Azul e Braço nos deixarem orgulhosos com o trabalho em campo, né?
    Saudações Portistas!

    ResponderEliminar
  11. Boly e Felipe custaram praticamente o mesmo? Qual a diferença de um é outro? Provavelmente tirando o positivo de um e os defeitos de outro valem mais ao menos. Por isso o valor de mercado deve ser mais ao menos esse.

    Só uma nota de quem viu muitos jogos Boly, ele é muito bom a sair com bola e tem preocupação de o fazer, mas também era isso que Fonseca queria.

    ResponderEliminar
  12. O problema do F C do Porto e bem mais profundo e conjuga duas realidades distintas:Elevados custos operacionais, especialmente de pessoal não afecto ao core business do clube e uma gestão em muito equiparada a das empresas públicas( cabide de empregos e onde tudo o que se compra e caro).Quantos jornalistas tem o Porto na sua estrutura? Quantos assessores e assalariados?. Pouca apetência da gestão para o bem do clube. Preocupação evidente em entregar o clube só sucessor o pior possível.Seria interessante que, já que falamos de una sociedade cotada em bolsa, o regulador colocasse algumas questões. Qual a lógica de renovar contratos e depois emprestar os jogadores ( comissões para agentes?). Política de total opacidade nos negócios? Está na hora de um grupo de acionista( estou incluso) pedir uma auditoria as contas. Não adianta contar com os grandes acccionistas, pois estes ou são de outros clubes( Ilídio Pinto) ou covardes a espera que alguém assuma a seguir a Pinto da Costa, para depois aparecer( Antônio Oliveira).De quantas empresas e agentes o Alexandre Costa recebe indirectamente comissões. Quantos diretores são remunerados? Quem decide a remuneração dos membros da SAD?

    ResponderEliminar
  13. Este ano não há Paulo Fonseca, Lopetegui ou Peseiro para contestar. Os adeptos sabem que o Nuno é um dos nossos, só não faz mais porque não pode. Este ano a contestação vai diretamente aos que estão no trono. E a continuar assim, não faltará muito...

    ResponderEliminar
  14. Faça lá um esforço e post sobre o que está a acontecer...."aquilo" está a cair de podre, certo?

    ResponderEliminar
  15. E também falar da re-vinda do Chico Ramos.
    Como é que se irá tratar deste jogador, sendo que a sua utilização na equipa B poderá a desmotiva-lo ainda mais do que já está com a lesão.

    ResponderEliminar
  16. Gosto que o meu clube respeite os jogadores que deram sempre tudo pelo FCP. E no que diz respeito ao Helton, penso que o FCP portou-se muito mal, se ele não fazia parte dos planos do Nuno E. S., acho que deveria sair de outra forma, e não pela porta dos fundos, sem nenhuma palavra, nem agradecimento!!!

    Não me lembro do FC Porto, acabar uma época sem fazer uma grande venda. Algo vai mal no reino do Dragão. Não conseguimos vender os jogadores que queríamos, e somos obrigados a emprestar uma quantidade de jogadores medianos, que todos sabemos que nunca vão voltar a vestir a nossa camisola. Porque não vendê-los de vez? Andamos atrás de jogadores emprestados?? Essa nunca foi a nossa filosofia, não foi assim que ganhamos titulos. Qual a razão de alterar a estratégia de aquisições? ...falta de dinheiro? ...fair-play financeiro? E então as grandes vendas, elogiadas por toda a gente? ...onde anda esses milhões?

    ResponderEliminar
  17. 3 anos sem qualquer título,
    desnorte financeiro e desportivo,
    saque sem rei nem roque,
    submissos ao poder de lisboa,
    administração que não exerce de forma minimamente competente as suas funções,
    embalados em direcção ao abismo,
    sem crítica nem oposição,

    Hoje uma data marcante,
    saída de Antero,

    o embalo para o abismo acelera.

    Mas só o clube sofrerá e aqueles que já previram tudo isto e já sofrem à muito tempo.


    Limpeza Já.
    Reset.

    quem importa discutir o Boly, o Herrera ou o Nuno.

    A casa está a arde e não há ponta de esperança no caos e na desorganização e incompetência total.

    ResponderEliminar
  18. Excelente análise e de uma forma geral óptimas observações nos diversos comentários. Eu percebo a não aquisição de 1 defesa direito, quando temos o Ricardo que só regressa no próximo ano, mas não percebo o empréstimo do Vitor Garcia ao Nacional. Ficávamos mais desequilibrados? No meio campo, creio que temos gente a mais, Evandro para mim não tem lugar no plantel e é mais um assalariado. Quanto á frente de ataque, precisávamos de uma alternativa ao André, que não me parece que seja Adrian. Dou o beneficio da dúvida ao NES, mas não dou á SAD. Já agora, se Casillas custa 5.5M€ por ano, não temos dinheiro para ir buscar o Cáceres para a defesa que está sem clube? É pelo ordenado????

    ResponderEliminar
  19. #anoZERO #anoZERO #SOMOSPORTO

    Pelo que parece o Porto teve uma proposta de 40 milhoes, pelo Brahimi e não aceitou, pode muito bem ser uma noticia falsa, como muitas que andam por ai, mas também pode não ser, pode ser também uma jogada de Risco por parte do Clube..

    Pelo lado otimista das coisas, posso ver um cenário favorável, que passa por ter o Brahimi motivado, com uma promessa de saída para um clube com maior nome, no proximo ano, motivando assim o jogador como já fizemos com bastantes. O mercado está a mudar, PDC sabe disso e não
    é obrigado, por enquanto, a vender ao desbarato jogadores com a capacidade e potencial de Brahimi.

    Os olheiros do Porto trabalharam para ter os jogadores que cá estão hoje, ninguem pode não reconhecer o valor de jogadores como Otávio, Corona e Brahimi. São ativos valiosos com tendencia a se valorizarem, caso esta equipa carbure na mesma porporção do trabalho e esforço feito por todos.


    Ponto assente pelo menos para mim:
    Se Slimani e Joao Mário sairam pelos valores que sairam, sabendo a idade de Slimani, tendo em conta todos os factores que determinem o valor de mercado, como qualidade, idade, tecnica, tatica, margem de progressao, estilo de jogo etcetcetc
    Vejo então André Silva, Corona, Otávio, Brahimi, Herrera, Danilo, Layun, Alex Telles, Felipe, Ruben Neves, a sairem por valores similares, ou até maiores no caso de alguns deles.

    Para além disso temos um miudo chamado Oliver para comprar o passe para o ano, porque este pode ser também um ativo muito valioso no futuro, e na equipa B continuamos a ter bons jogadores, além dos emprestados, que fazem parte dos clubes, saem para crescer, saem para se valorizarem, saem porque os clubes sao obrigados a fazer escolhas.. E Apesar de concordar ou nao com algumas, a verdade é que existe sempre o risco de sucesso, quando estamos a falar de um clube como o Futebol Clube do Porto..

    Não se esqueçam disso, #anoZERO #SOMOSPORTO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o FCP conseguir vender o inconsequente Brahimi por mais de 40M, serei o primeiro a dar a mão à palmatória.
      O Brahimi por 40M era mais do que bem vendido.
      O jogador é inconstante, tem-se tornado cada vez mais individualista, vai a caminho dos 27 anos e vai voltar este ano para brincar às CANs.
      Por todas estas razoes, vender o Brahimi por 40M é um negócio bem melhor do que vender Falcao ou o Hulk por valores semelhantes, por muito que custe à SAD apenas ficar com metade desse valor.
      Outro que por valores acima de 20M devia ser vendido é o Herrera. Hipotecar vendas em troca de valores futuros e do crescimento de outras opções do plantel, em troca de uns trocos (O FCP lucra mais a rescindir o contrato com o Casillas do que a forçar negócios por mais 3/4M), é apenas mais um acto de má gestão do clube.

      Eliminar
    2. sobre casillas aplica-se o mesmo que a balotelli, de borla ainda é caro!
      um fiasco, frangueiro que vai ser um problema esta época, tal como o foi na época passada.

      Eliminar
  20. o brahimi vai embora para o can em janeiro, portanto vai andar ali a fazer corpo presente. suspeito que não entrou nos planos do nuno pela sua atitude, o que não me espanta.
    também é certo, que em 80 jogos marcou 20 golos, portanto não ser uma opção desde o início da época é estupidamente amador por parte do clube, tenha sido a sad ou o treinador a tomar a decisão, ou ambos. quem perde é o FCP
    recuperar o jogador é importante, e espero para o interesse dos resultados, que tenha o rendimento que esperamos dele.

    o resto já se sabe, uma vergonha a preparação desta época, que começou em abril!

    ResponderEliminar
  21. Análise bastante interessante. É sempre muito produtivo ler os seus posts, nomeadamente quando existe uma análise "às contas" do clube. Confesso que nesse departamento, aprendo sempre algo consigo.
    Em relação ao Brahimi, esse dossier foi realmente muito mal trabalhado. Acabamos por ficar no plantel com aquele que era (e é) um dos maiores ativos (financeiramente falando) e que esteve afastado da competição durante o mês de Agosto onde tanto se decidiu, mês esse que permitiu que outros jogadores se impusessem. Vamos agora tirar o lugar a Otávio ou Corona que tão bem têm estado para apostar num jogador que (lá está) esteve afastado e dentro de pouco tempo irá sair para a CAN? Ou pelo contrário, vamos fazer o que desportivamente interessa mais à equipa em detrimento do aspeto financeiro (deixando Brahimi no banco e desvalorizando-o para uma futura transferência)?
    Fizemos uma análise à construção deste plantel e gostávamos de a partilhar convosco: https://peemrisco.wordpress.com/2016/08/31/plantel-20162017-fc-porto/

    Saudações Portista,
    Pinto Não da Costa
    https://peemrisco.wordpress.com/author/rpinto89/

    ResponderEliminar
  22. TdD

    Acho que a potencial "embirração" com a contratação do Depoitre pode estar a ser exagerada. E explico: nenhuma equipa sobrevive a uma época de 50 jogos utilizando sempre o mesmo sistema. Ok, podíamos contra-argumentar com o Barcelona do Guardiola, mas todos nós sabemos que a matéria prima era de calibre superior.

    A contratação de um avançado com aquelas características tem um propósito: dar flexibilidade táctica à equipa para três cenários:
    1 - jogos onde o inverno não permita jogar no sistema base de transição rápida pela chão. Estou aqui a lembrar-me do belo relvado do Arouca, da irregularidade da Choupana, do batatal em que se transforma o D. Afonso Henriques sempre que chove durante 2 dias seguidos, da incógnita de Chaves, ou, imagina tu, de um Porto-Boavista ali em Outubro depois de um dilúvio descomunal que torne o jogo impraticável (semelhanças com a realidade passada podem ser coincidência). Nesses jogos é meter a bola na área dezenas de vezes e esperar que o Sli... perdão, o Mitr... não, o Depoitre resolva.
    2 - jogos onde até é possível jogar o futebol normal mas que por azar está a correr mal e já falta pouco tempo. Aqueles em que é preciso meter gente na área.
    3 - jogos onde estamos a ganhar mas a ser encostados pelo adversário (acontece, até mesmo ao Barcelona!), e precisamos de uma referência no ataque para podermos despachar a bola e respirar enquanto ele domina, protege, e depois tabela ou ganha falta. Ganham-se metros preciosos.

    A beleza do futebol é que o seu sucesso nem sempre depende da beleza (parece um contra senso, eu sei).

    André Silva será titular na maior parte dos jogos. Adrian Lopez fará dupla algumas vezes. Depoitre será o jogador útil, o novo Marc Janko.

    Dizer que o Nuno nunca preparou a equipa nesse sentido pode ser injusto. Imagino que para preparar a equipa naqueles três cenários seja necessário ter um jogador com essas características. Treinar no vazio (para um pino?) não terá o mesmo efeito.

    É-me irrelevante que se chame Depoitre ou João Tomás. Percebo o teu ponto quanto às intervenções empresariais na contratação, mas não tenho capacidade para analisar isso até sair o R&C do 1º trimestre 16/17 onde isso estará eventualmente descriminado.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.