quinta-feira, 17 de setembro de 2015

As (in)verdades do FC Porto em Kiev

Quando há um ano o FC Porto empatou 2x2 contra o Shakhtar, foi um mau resultado? Não, por fruto das circunstâncias: aos 89 minutos o jogo estava perdido. Este ano provámos o sabor inverso. Em 2008, contra este mesmo Dynamo, foi com um golo de Lucho já para lá dos 90 minutos que ganhámos e reabrimos a luta pelo apuramento. Já em 2015-16, foi aos 89 minutos que o FC Porto deixou fugir a vitória. Há amargura pela forma como aconteceu, mas ainda não sabemos o quão mau ou bom foi este resultado. 

Estes foram apenas 90 de 540 minutos da fase de grupos. Diria que o apuramento se vai decidir na dupla jornada contra o Maccabi e na receção ao Dynamo. Antes disso há uma receção ao Chelsea em que o FC Porto, se vencer, ficará mais perto do objetivo, mas só à 5ª jornada é que poderemos calcular se este 2x2 em Kiev foi assim tão mau. Teoricamente, foi bom. As circunstâncias em que cedemos o 2x2 é que foram más.

Preparação =/- gestão
O jogo teve também a circunstância atípica de ter sido marcado pela ausência de Lopetegui e por ter ficado ao comando da equipa a dupla Rui Barros-Juan Calero. A única coisa que podemos discutir em relação a Lopetegui é o risco de ter apostado numa dinâmica de jogo completamente diferente na Champions. Aqui pagámos o preço de ainda não ter uma base e uma dinâmica consolidadas. Ainda estamos em setembro, mas foi um grande risco. Das substituições não vale a pena falar, por não se saber se partiram de indicações prévias para cada circunstância do jogo ou se foram iniciativa de Calero e Rui Barros. Mas é algo que tem que ser discutido em tons de Machado. 

Ainda assim, é simplesmente ridículo culpar Lopetegui por qualquer alteração no decorrer do jogo, pois ele não comunicou nenhuma vez com o banco. Já que muito se tem falado do DN, Manuel Queiroz, por exemplo, na sua crónica consegue culpar Lopetegui pelo segundo golo do Dynamo Kiev, dizendo que ele devia ter tirado o Danilo (que fez a falta) em vez de depois trocar Aboubakar por Osvaldo. É para rir? Assim se separam os que fazem legítima e sustentada crítica a Lopetegui daqueles que têm uma declarada campanha anti-Lopetegui. E aqui não é nenhum erro de corretor ou gralha, é mesmo um ataque declarado, onde até se bate onde não se tem intervenção. A isto, Dragões Diário, não importa reagir?





Aboubakar (+) - Começamos a olhar para ele com o aperto de quem sabe que Aboubakar, assim, não ficará muito tempo no FC Porto. Dois remates, dois golos. Cinco golos em cinco jogos na Champions. Está confiante, sente que é capaz de fazer tudo e resolver qualquer jogo, mas nunca perde o altruísmo e o sentido coletivo. O lugar é dele. E por este andar não continuará a sê-lo por muito tempo.

Dois remates, dois golos
André André (+/-) - Continua a ser, por vezes, muito lento a decidir e a soltar a bola, como foi exemplo um passe que recebe de Aboubakar, na grande área, em que tinha que rematar de primeira - e até mesmo na demora ao subir no golo que deu o 2x2. Mas voltou a distinguir-se no preenchimento do meio-campo, na pressão ao portador da bola, na condução e ao ganhar faltas em zona perigosas no meio-campo adversário. É ingrato pedir-lhe para ser o médio mais criativo do meio-campo (pode ser o 3º médio, mas apenas com dois extremos criativos nas alas), mas a sua simplicidade de processos, empenho e condução de bola voltam a fazer dele um dos melhores do FC Porto. 

Maicon (+) - Belo passe longo na origem do 1x1. Mas mais do que isso, Maicon secou Júnior Moraes, limpou vários lances de perigo, só fez uma falta em todo o jogo e em compensação sofreu cinco. Comandou a defesa e esteve sempre seguro, mesmo com o cartão amarelo visto precocemente. Está em boa forma.

Segurança (+/-) - Há quem diga que o FC Porto foi demasiado defensivo em Kiev. Vão ter que explicar isso muito bem, pois o FC Porto teve 36 ataques e o Dynamo apenas 26. As duas equipas tiveram 50% de posse de bola. Em remates o FC Porto ficou atrás, com 13-8, mas em remates à baliza a diferença foi mínima (4-3). O Dynamo é que jogava em casa e estava pressionado a ganhar, pois a seguir vai a Israel e terá a dupla jornada com o Chelsea, mas não fez mais por isso do que o FC Porto. Exceção ao lance do 1x0, em que toda a equipa foi varrida, o FC Porto trocou bem a bola em espaços curtos e o meio-campo poucas vezes falhou passes - Herrera teve 97% de eficácia de passe, André André 94% e Rúben Neves 93%. Mas...





... Segurança a mais (-) - O FC Porto preencheu o meio-campo com quatro médios. Sobrou Brahimi. O mais lógico seria um dos médios fazer chegar a bola a Brahimi e deixar que o argelino, em zonas mais próximas da grande área, rasgasse e fosse ele a maior fonte de perigo do FC Porto. Não foi isso que aconteceu. Os médios chegaram poucas vezes a zonas adiantadas (só André André o fez a espaços). E Brahimi, embora tenha segurado muito bem a bola, veio sempre recebê-la a zonas demasiado recuadas, tanto que rodopiava sobre um ou dos adversários, mas nunca ganha mais do que 5 ou 6 metros de terreno. Brahimi esteve mais perto de ser o 5º médio do que o extremo match-winner. Por isso, foi sem surpresa que o FC Porto criou poucos lances de perigo enquanto jogou nestes moldes.

Segurança a mais
Falta de rotina (-/+) - Lopetegui não é responsável pelas alterações nem pela resposta do FC Porto ao desenrolar do jogo. Mas foi um risco demasiado grande apostar neste esquema não podendo estar no banco. Notou-se claramente a falta de rotinas, e o lance do 1x0 é prova disso. Rúben e Danilo, no papel de médios de cobertura, atrapalharam-se mutuamente. Do meio-campo, sobretudo na primeira parte, nunca apareceu ninguém a acrescentar algo no ataque. Herrera esteve excelente no passe, mas quase todos os passes foram feitos num raio de ação curto. Face a todos os riscos e à conjuntura, o 2x2 torna-se um resultado agradável, mas sobretudo graças à dupla pontaria de Aboubakar. É que pelo meio-campo e por Brahimi, que esteve sempre preso e longe da grande área, não teríamos chegado ao golo. Por outro lado, seria intenção de Lopetegui libertar mais os dois laterais. E os dois golos nascem de cruzamentos de Layún e Maxi Pereira...

Os golos (-) - No lance do 1x0, André André, que partia do corredor esquerdo, e Layún estão separados por três metros e os dois no meio-campo do Dynamo. Como Indi vai fazer a dobra a Layún, Maicon fica completamente sozinho a cobrir a zona central. Rúben e Danilo foram meter-se no mesmo raio de ação de Indi, mas foram todos ultrapassados com uma facilidade assustadora (e depois chegaram tarde à grande área). Depois, vai ter que ser Maicon, o único que sobrava ao centro, a fazer a dobra à esquerda. A bola vai para a grande área e sobra Maxi Pereira no meio de dois do Dynamo. Não havia nada a fazer. Tudo esteve errado neste golo. O posicionamento, a abordagem, a resposta. No lance do 2x2, Rúben e André André foram lentos a reagir, demoraram demasiado a subir a linha e Casillas ficou estático, sem reação (podemos discutir o posicionamento de Kravets, mas os auxiliares poucas vezes anulam este tipo de lances - ironicamente, anularam assim um golo ao FC Porto em Basileia...). Foi uma carambola que acontece uma vez em 50 jogos. Mas essa vez em que acontece pode custar 2 pontos e 1 milhão de euros na Liga dos Campeões.

E agora vamos à 17ª vitória consecutiva no Estádio do Dragão, domingo, contra o Benfica.


22 comentários:

  1. Bom dia,
    O resultado acaba se por ajustar, ainda é cedo fazer contas mas não é assim tão negativo levar 1 ponto da Ucrânia, apesar do sabor amargo. Não sei se Lopetegui teve mão nas substituições ou não, por isso não o podemos culpar. Gostei muito do André, Maicon, Layun e Aboubakar, pela negativa penso que Indi não dá a mesma segurança que Marcano e acho que fomos demasiado lestos no 2o golo sofrido, esperemos bem que não nos prejudique no final das contas.
    Agora só uma pergunta, que 11 devíamos apresentar contra o slb? Eu apostava em Iker, Maxi, Maicon, Marcano, Layun, Danilo, Imbula, André, Corona, Aboubakar e Brahimi.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  2. Por falar em DN (e benfica):

    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache%3ACrGfqyeuBBYJ%3Awww.dn.pt%2Fdesporto%2Finterior.aspx%3Fcontent_id%3D4779311+&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk&gl=pt

    Parece que existe mais um jornal satírico em Portugal...

    Já agora, parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar
  3. Desde o segundo golo do Porto que comecei a gritar para a televisão com a esperança que o Loeptegui me ouvisse a pedir o Imbula para guardar o resutlado que tanto jeito nos dava... Nitidamente o Porto precisava de garantir aquele resultado e os médios estavam completamente de rastsos.. Guardar a substituição para depois dar 2minutos e meio ao Osvaldo não foi decerteza uma boa decisão. Fomos ingénuos e pagamos caros. Mais uma vez não ganhamos um jogo que estavamos a perder e acabamos o resumo do jogo com um "que nos sirva de lição". Já me parecem vezes a mais..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lopetegui até podia ouvir, não podia era fazer nada. Nos castigos da UEFA não é permitido nenhum tipo de comunicação. Nem por telemóvel.

      Eliminar
    2. Tens a certeza que o Rui Cerqueira não o possa ter feito? Eu nada sei e acho muito bem que se levantem todas as questões e se saibam discutir. Mas tu sabes? Se sim, por favor está à vontade para o dizer, que dessa forma dissipam-se logo as minhas dúvidas.
      Todavia, confesso que pouco ou nada acredito que um Treinador Principal de uma Equipa não consiga fazer chegar as suas Mensagens durante o Jogo ao Banco de Suplentes. É que não acredito que seja única aquela história do Olímpico de Roma, numa Meia Final da Taça UEFA. Nem a história, nem a personagem.
      Por fim, o meu comentário é mesmo para eu esclarecer está dúvida. Das Substituições, honestamente nada digo, especialmente depois dos Jogos. Durante os mesmos, aí julgo que todos temos a mania de ser Treinadores de Bancada e acho piada a isto: se fôssemos donos de um comando para fazer substituições, cálculo que 90% de nós fazia mais que as 3 permitidas por Jogo, tanta vez que vejo as Pessoas mudar de opinião durante 90 minutos!

      Eliminar
  4. Se Lopetegui estivesse no banco, penso que os jogadores nao sofreriam aquele segundo golo da forma como sofreram, uma vez que já não tinham perdido a bola (assim como em outras jogadas) em zonas proibitivas, com Lopetegui os banco os jogadores conseguiriam ir buscar mais forças e teriam outra atitude ainda mais combativa. Agora está feito, há que focar o jogo seguinte: o clássico. Deste jogo gostava só de evidenciar um aspeto: este FCP está cada vez mais perto de marcar golo de canto...... este Layun, por exemplo, tem uma capacidade de centro muito acima da média. Agora é esperar que a estrelinha do campeão esteja lá a brilhar como sempr nos habituou....

    ResponderEliminar
  5. Desta vez não concordo com o Tribunal!eu não me acredito que o lopetegui não tivesse influência nas substituições... Hoje em dia ha muitas maneiras de fazer chegar a informação lá em baixo...a entrada do imbula para o meio-campo para o lugar ou do Danilo ou do ruben era fundamental e já se pedia ha mais de 10 minutos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dormiste na forma ? não leste que um funcionário da uefa fica ao lado dos treinadores para assegurar que estes não comunicam ?
      - ninguém gosta é de ter de admitir que o Rui Barros emperrou...

      Eliminar
  6. Estes empates para mim tem sabor a derrota. Mal Danilo na falta. A fazer tinha que ser mais atrás e na lateral, não na posição frontal à baliza e tão junto à grande área. Ainda por cima com mais colegas seus a seu lado. Mal a defesa no primeiro golo. 6 jogadores do Porto contra apenas 3 e mesmo assim conseguem marcar. Mal a transição de bola e de posicionamento. Muito lento. Muitos erros no primeiro passe. Esperemos que estes dois pontos não nos façam falta para as contas finais. Muito sinceramente não estou a ver o Porto a ter vida fácil contra o Chelsea mas tudo é possível. Contra o Bayern também foi. Para finalizar o que no ano passado foi fora de jogo passado 1 minuto este ano foi golo. Dualidades.

    ResponderEliminar
  7. Problema do jogo.. A mesma mentalidade fraca do basco que ainda não percebeu a grandeza do Dragão. O FCP não pode mudar de táctica, não devemos nos vergar perante estes clubes. Acima de nós só clubes como Barcelona, bayern, real, etc...

    ResponderEliminar
  8. Resultado: Tudo o que fosse não perder era bom.
    Exibição: aceitável
    Melhores: André (vai ser um senhor se pensar mais depressa), Maicon, Abboubakar (claro)
    Piores: Brahimi (vai ter de ir ao banco. Ano passado era a CAN, este ano o que vai ser?)
    Notas: Danilo devia ter sido substituído - estava "roto"; Osvaldo para quê naquela altura?; A reação dos media é sintomática : "Porto deixa fugir dois pontos" Lopetegui isto e aquilo? Pois ...já sabemos... Alguém disse que o golo foi um clarofora de jogo (estava no raio de ação da jogada e teve intervenção clara no lance) Mesmo que não seja assim, a regra do fora de jogo como está é ridícula.
    Benfica? Prá frente e em força. Nada de medo.

    ResponderEliminar
  9. Jogamos para empatar e empatamos. Como diz, só no fim dos 540 minutos é que poderemos dizer se foi bom ou mau. Até lá, temos que nos mentalizar que a retranca não garante nada e que teremos de ser mais objectivos para alcançar a qualificação.

    ResponderEliminar
  10. TdD boa análise ao jogo.
    Esta época a rotatividade é bem menor, mas tarda em termos um esquema forte, coeso e vencedor. Não sei se foi com instruções de Lopetegui, de Rui Barros ou de outro, mas tomando todos pelo mesmo (Equipa técnica) questiono o seguinte:
    Trocar o Aboubakar pelo Osvaldo que sentido faz?
    - Poupar Aboubakar para o jogo do SLB? 2min fazem diferença?
    - Atacar a vitória/manter o empate, retirando um avançado e colocando outro sem alteração de táctica??
    - Porque razão não há jogo táctico a partir do banco? Entram 11 com um esquema e nunca se muda consoante as necessidades...é sempre a rezar para que dê certo. Esta época na Madeira já foi igual.

    É um filme já visto a época passada e que muito me preocupa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando entra Tello para o lugar de Herrera, não há uma clara mudança?
      É é dizer claramente, quero ganhar?

      Eliminar
    2. Para o pressing final foi avançado por avançado. Mas a entrada de Tello foi para o 433 com extremos e corrigir o erro que foi o meio campo. É a minha opinião, não há ideias. A entrada do Osvaldo não tem explicação possível.

      Eliminar
  11. A tactica imposta por Lopetegui tinha 3 tempos:1ºacautelar o domínio do jogo refletindo a importância de não perder no1º jogo o que foi conseguido no 1ºtempo;2ºtomar conta do mesmo e começar a tentar a vitória o que também foi conseguido e finalmente em 3ºlugar gerir uma vitória preciosa ou não sendo possível assegurar o empate.Neste último ponto não fomos tão felizes (apesar do empate!) pois em circunstancias normais já não se pensava em empatar (exactamente o contrário do jogo da época passada em Donetsk!).Quanto às incidências do jogo cujo resultado aos 81´ refletia um plano perfeito em termos de objectivos só me parece que a tirar algum jogador para assegurar a vitória nos minutos finais, teria que ser Tello (que tinha pouco tempo em campo,daí não tenha sido feita!) já que os 2 pivots defensivos estavam bem dentro do ritmo alto do jogo e André André ainda estava muito bem na ligação com os mais avançados.Se tivesse abdicado de Aboubakar por Imbula convidaria os ucranianos subiriam as torres (centrais!).Assim restariam os extremos recém-entrados com opção e Corona segura melhor a bola!Apesar de não ser um mau resultado pareceu-me que esta equipa não esteve assim tão segura a defender apesar de tantos elementos alistados para esse efeito.Marcano é melhor que Indi e Casillas não me parece tão confiante como apregoa!Estamos na luta que se decidirá no Dragão contra este D.Kiev que espero entre nesse jogo a precisar de ganhar!

    ResponderEliminar
  12. Concordo com quase tudo, mas se perdermos contra o Chelsea começa a soar o alarme..
    Começamos a entrar em confronto directo com o Dínamo pelo 2º Lugar e o nervosismo já sabemos que não é o ponto forte de Lopetegui...
    Aliás vamos ver que consequências terá já este resultado da forma como foi no rendimento da equipa no Domingo...
    Perdemos claramente qualidade nas Laterais e o miolo cheio de soluções, são tantas que até Lopetegui se perde no meio delas!

    ResponderEliminar
  13. Na minha opinião o maior responsável pelo 1.º golo sofrido é do Maicon. Tomou uma má decisão quando foi dobrar os colegas, sabendo que o adversário estava pressionado por dois jogadores do porto e progredia pela lateral. A sua movimentação foi desastrosa, pois deveria ter defendido a zona (ao centro), onde a bola veio a entrar. Qt ao segundo golo do Kiev, recordo que no ano passado em Basileia nos anularam um golo por fora de jogo posicional, segundo interpretação da equipa de arbitragem, um lance semelhante ao de ontem. Ass. Ricardo Gomes

    ResponderEliminar
  14. Peço desculpa mas o que vi não foi tão mau quanto o que escreve e no lance do 2x2, o que vi, foi um pontapé falhado, uma canelada que projectou a bola para a frente, num espaço aonde havia 9 jogadores do FCP, se isto não é um lance fortuito então não sei o que é o acaso.

    ResponderEliminar
  15. Só vi a primeira parte do jogo e detestei a exibição. Os jogadores não tem objectividade, equipa muito quebrada entre sectores, lentos. Tem sido assim desde a última época, uma equipa estagnada, que não entusiasma. Ainda "desculpei" Lopetegui por ser a 1ª época em Portugal, talvez não conhecesse bem o campeonato português, um treinador ainda em aprendizagem. Contudo, dá a sensação que o treinador não aprende com os erros, que não sabe mais e que mentalidade é esta, sem ambição!!. Por último, analisando todos os jogos que um FCP realizou, só no jogo contra o Arouca é que fez uma exibição aceitável, na minha óptica todas as outras exibições são paupérrimas.

    Os adeptos têm que ser exigentes!!

    Sei que é um comentário inclinado para o negativismo, mas esperava muito mais...

    Abraço caros portistas e continue com o bom trabalho TdD.

    ResponderEliminar
  16. Pouco interessa quem teve a última palavra nas substituições porque a equipa técnica deve estar coordenada e responder a uma só voz. Mas não ponho as mãos no fogo sobre isso de não ter havido contacto. Há tantas formas de fazer passar uma mensagem. Algumas são conhecidas e estão escritas em livros pelos treinadores que as fizeram. Outras talvez venham a ser escritas no futuro.

    ResponderEliminar
  17. ora bem, o resultado nao foi mau mas poderia ter sido melhor, a equipa vai crescendo mas esta a permitir golos em demasia. Depois tambem nao somos o madrid ou o barça. Continuemos a crescer e a ganhar ou obter bons resultados.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.