segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A remuneração do Conselho de Administração

Foi uma das questões mais debatidas desde a saída do R&C de 2013-14: os salários do Conselho de Administração da SAD, numa época em que só foi conquistado um título (a Supertaça) e que terminou com o maior prejuízo da história da FC Porto SAD.

O salário fixo de Pinto da Costa:
oito vezes menos que Jorge Jesu
s
Recordando: em 2012-13, o FC Porto foi tricampeão, sem qualquer derrota na época em questão; foi aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões; venceu mais uma Supertaça (o terceiro mais importante troféu do calendário nacional, na medida em que só chega a disputar a Supertaça quem ganha um dos outros dois mais importantes - Campeonato ou Taça de Portugal); terminou a época com um lucro de 20,3M€ na SAD. Em 2012-13, houve uma remuneração fixa de 1,12M€, além de 896 mil euros em gratificações.

Já em 2013-14, época com apenas uma Supertaça conquistada, um desolador 3º lugar no Campeonato, uma campanha europeia para esquecer (tanto na Champions como na Liga Europa) e derrotas com o Benfica na Taça da Liga e na Taça de Portugal, além do maior prejuízo da história da SAD (40M,7€). O Conselho de Administração da SAD recebeu, por esta época, 1,401.5M€ de remuneração fixa, além de 896 mil euros em gratificações.

Que Pinto da Costa, o presidente mais titulado da história do futebol mundial, tenha uma remuneração fixa bruta anual que é um oitavo do que recebe Jorge Jesus, não choca. Aliás, choca: devia receber bem mais. O questionável é um aumento do salário fixo de 30% quando comparado com as épocas desportivas anteriores (e financeiras - estamos a falar de uma diferença de 60M€ entre um exercício e outro, independentemente de 2013-14 não incluir as mais-valias necessárias), ainda que em 2013-14 tenha reforçado a sua posição de acionista. 

Reinaldo Teles, Adelino Caldeira e Angelino Ferreira também tiveram um aumento base de 19,5%, sendo que no caso do ex-responsável pela pasta financeira a remuneração ficou-se pelos 225,5 mil euros, pois foi substituído por Fernando Gomes, que recebeu 82 mil euros por 4 meses de trabalho. A remuneração de Antero Henrique não é revelada, por não pertencer ao CA.

Recuando a 2011-12, época de campeonato e Supertaça, a remuneração fixa foi a mesma de 2012-13: 1,12M€. Em 2010-11, o mesmo: 1,12M€. O que reforça a questão: porquê o aumento da remuneração fixa naquela que foi a pior época financeira da história da SAD e uma das piores a nível desportivo?

De realçar que em 2013-14, entre remuneração fixa e variável, a administração recebeu 2,297.5M€. Em 2010-11, época de Campeonato sem derrotas, Supertaça, Taça de Portugal e Liga Europa, o pagamento foi de 3,08M€, a grande parte em variáveis (e bem merecidas). Uma diferença que se explica pelo sistema na altura aplicável.

Ser campeão nacional dava direito a 75% de prémio sobre o salário bruto. Ser 2º ou 3º classificado valia 50% de bónus (se o objectivo assumido é ser campeão, e se se prepara uma época para isso, não faria sentido o 2º ou 3º lugar dar direito a remuneração variável - daí que o CA tenha renunciado a este direito desde 2008). Ganhar a Liga Europa dava direito a 100% de variável e a Champions a 120%. Estas variáveis deixaram de ser aplicáveis e a SAD informou que já não prevê prémios anuais predefinidos.

Sobra a questão: quais os benefícios de se renunciar aos prémios anuais predefinidos se numa época de 40,7M€ de prejuízo, sem objectivos desportivos cumpridos, consegue haver aumentos salariais entre 19,5% e 30% na remuneração fixa e as gratificações não sofrem alterações?

Que todo o Conselho de Administração do FC Porto - e se for preciso também Lopetegui - não chegue a ganhar tanto como Jorge Jesus, até justifica o aumento. Mas se houve um aumento em 2013-14 quando nada o justificava - nem o contexto financeiro, nem o desportivo -, que os juros sejam aplicados em 2014-15. Em títulos e na recuperação financeira e do prestígio europeu, claro.

8 comentários:

  1. Ainda que me faltem conhecimentos para tal, procurei abordar esse e outros temas aqui: http://portistasanonimos.blogspot.pt/2014/10/como-continuar-vencer-sem-gastar-tanto.html

    Certo é que temos de repensar muita coisa.

    ResponderEliminar
  2. Ao início também me estranhou muito ver os dirigentes receberem mais e receberem bónus depois de uma época miserável.
    Mas depois lembrei-me: Não é habitual ver a direcção apoiar treinadores e jogadores em momentos complicados, por vezes renovando nessas alturas, na esperança de os motivar? Pode ser que se tenha procurado o mesmo aqui. Aumentar para motivar a malta a ter novamente sede de vitória.
    Como dizem e bem no final, será cobrado esta temporada.

    ResponderEliminar
  3. Fui lendo o texto todo na esperança que conseguisse encontrar uma razão para isto, mas afinal, tal como eu também não conseguiu descortinar nenhuma razão para este aumento.

    Será que alguma vez teremos uma justificação? Ou melhor uma explicação? Caiu-me muito mal esta situação, principalmente por ninguém dar cavaco sobre isto.

    Continue com o bom trabalho e obrigado.

    João Reis

    ResponderEliminar
  4. Pessoalmente acho incrivel, dada as finanças do clube, este aumento salarial. Claro que ninguem acredita que o nosso presidente ganha só isso, como ninguem acredita que o LFV não tem ordenado para exercer as suas funções por exemplo...temos de ser realistas.

    As finanças é um assunto muito delicado, assunto esse que me parece que estámos cada vez a nos desleixar mais...é preocupante!

    ResponderEliminar
  5. Contrapor e argumentar, tudo bem. Esperar que fosse feito um post num tom mais crítico, que não vai além de factos, perguntas e retóricas, para atacar o blog (pois, não convém fazê-lo quando se fazem sucessivos posts de defesa ao clube, há que esperar pelos momentos certos), não têm sorte. A quem servir a carapuça, podem sempre criar um blog, e escrevam o que vos apraz dizer. Mas não percam tempo aqui, a sério. Já basta os de outros clubes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será assim tão difícil aceitar um post que diz apenas que a razão foi explicada na última assembleia?

      Eliminar
    2. Caro TdD, coloco apenas uma consideração sobre o texto. Ainda que sejam discutíveis aumentos salariais nos tempos concorrentes, tenho outra perspetiva sobre o aumento da remuneração fixa da SAD na época anterior. Como sabemos, a remuneração e as gratificações são estabelecidas pela comissão de vencimentos à priori. Ou seja, o aumento de 30% foi acordado no início da época 13-14, quando ainda festejávamos a vitória do minuto 92. Está de acordo?

      Eliminar
  6. Olá
    Tão estranho como estes aumentos é ver e ler adeptos a defendê-los...

    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.