quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Nem na UEFA nem na FPF: prática do Benfica não tem defesa

Serve isto como informação complementar ao último post. A Federação Portuguesa de Futebol já terá entregue o caso das ofertas do Benfica a árbitros ao Ministério Público, que agora se deverá encarregar da investigação. Para começar, mais um dado que dá razão ao FC Porto (e a grande parte dos clubes) na vontade e legitimidade de afastar Vítor Pereira do Conselho de Arbitragem: o presidente do CA, que pertence à FPF, sabia das prendas do Benfica. E nada disse.

Ora se a FPF, após a denúncia de Bruno de Carvalho, decidiu comunicar o sucedido ao Ministério Público, como pode Vítor Pereira manter-se em funções se ele pertence, por inerência, aos quadros da Federação? Vítor Pereira sabia das informações que a FPF considerou merecedoras de investigação. Como é possível manter no controlo da arbitragem um cúmplice silencioso do Benfica nesta prática potencialmente ilícita?

Mais, José Gomes, da APAF, também sabia das práticas. E este terá dito a Pedro Henriques, segundo é escrito hoje n'O Jogo, que nenhum árbitro optou por usufruir das ofertas do Benfica, apesar de as ter recebido. Mau: então se está tudo dentro dos limites, dentro da legalidade, porque é que ninguém quer ir jantar à pala?

Entretanto, continuam a insistir nos regulamentos da UEFA que preveem a possibilidade de lembranças até 200 francos. E convenientemente, omitem a parte em que os regulamentos da FPF reprovam as ofertas do Benfica. Passando a citar:



Ora, o Benfica só pode oferecer presentes sem «valor comercial». Mas verifica-se o contrário: a oferta do Benfica tem valor comercial, e prova disso é que está à venda na loja online do clube a camisola de Eusébio.



Mais. Partindo do princípio de que a camisola de Eusébio custa 59,9€ e que um conjunto de 4 bilhetes para o Armazém de Taças Cosme Damião custa 40€, boa sorte para tentar conseguir uma refeição completa no Museu da Cerveja, para quatro pessoas (Bruno de Carvalho até falava em muitos mais jantares), por 80€, conforme podem avaliar pelos preços no menu. O preço unitário, por refeição completa, nunca é menos de 30/35 euros. Logo os supostos 200 francos de limite, ou valor equivalente em euros, são mais do que ultrapassados.

Por outro lado, as próprias diretrizes da UEFA chegam a uma discórdia semântica. Reparem que a UEFA, no ponto 6 do artigo 4 dos Termos Gerais e Condições para a Arbitragem, definidos em 2003, dizem que os árbitros podem aceitar «recordações do jogo como bandeiras ou réplicas das camisolas das equipas».

Pode ser uma mera discórdia semântica, mas a camisola de Eusébio não é uma recordação do jogo que o árbitro arbitrou. É uma recordação de Eusébio, da história do Benfica. Não é uma camisola que tenha sido usada no jogo (ou uma réplica) que o árbitro arbitrou. Por exemplo, o Nacional da Madeira admitiu que às vezes dá camisolas aos árbitros, tal como o Marítimo. Mas dá camisolas do dia do jogo, de modo a que os árbitros possam recordar aquele dia, aquele jogo, onde foi utilizada aquela camisola. Não oferece uma réplica de uma camisola com 50 anos, que ainda por cima está à venda pelo clube por quase 60 euros.

O Ministério Público só tem a fazer uma coisa: encontrar provas de que o Benfica oferece, de facto, este kit aos árbitros. Como já várias personalidades ligadas ao clube, ou com conhecimento de causa, admitem que sim, então caso encerrado, pois nem os Termos Gerais e Condições para a Arbitragem da UEFA, nem as Normas e Instruções para Árbitros da FPF defendem a prática do Benfica. Pelo contrário, é ilegal.

PS: Conforme era previsto aqui, o Benfica vai ficar caladinho, à espera que a chuva passe, pois sabe que não tem como se defender e a única esperança é ver Bruno de Carvalho dar mais um tiro no pé. Mas a versão oficial passada ao jornal A Bola é simplesmente hilariante e capaz de fazer corar qualquer benfiquista: «Demasiado baixo para ter resposta». Diria, isso sim, «demasiado apertado para se atrever a abrir a boca».

PS2: Notem o pânico da TVI/PRISA/Media Capital a tentar apagar todos os vídeos do Youtube do último programa. Tem piada, as palhaçadas virais de Manuel Serrão, inclusive críticas com tom algo inapropriado a Lopetegui, continuam todas online e nunca ninguém se importou de reclamar direitos de autoria. Com as denúncias de Bruno de Carvalho ao Benfica, por incrível coincidência, os vídeos não duraram muito tempo online. 

15 comentários:

  1. http://www.reflexaoportista.pt/2015/10/por-falar-em-ofertas-aos-arbitros.html

    Convem dar a conhecer ou nao esquecer ?

    ResponderEliminar
  2. Se forem dois jantares até 35 euros cada não me choca minimamente, a oferta do kit parece-me mais uma forma de escoar o stock do que outra coisa qualquer... Agora se forem os 4 vouchers de 125 euros, como o BdC referiu, já entramos noutro campo, já estamos a falar de 500 euros para uma jantarada para 4 pessoas. Solução: nenhuma oferta poderá ser dada aos árbitros (nem comida, nem bebida, nada...), apenas poderá levar no final do jogo uma lembrança, nomeadamente um galhardete ou uma réplica da camisola (conforme refere a UEFA).

    ResponderEliminar
  3. Agora se percebe o pânico da lampionagem com a ida do Jesus para o Sporting. E isto é só o começo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achas mesmo que foi o JJ que disse isso?
      Se o Benfica dava a todos os Árbitros era algo que toda a gente sabia, incluído o agora Presidente da Liga, Pedro Proença, grande amigo de Bruno de Carvalho...

      Eliminar
    2. Claro que o JJ sabia tudo que se passava no Benfica, não é por acaso que apareceu agora este caso, o caso da porta 18, e ainda deverão vir mais podres à tona..

      Eliminar
  4. Na mouche relativamente ao Vitor Pereira. Presumo que defenda o mesmo relativamente ao Pedro Proença.

    ResponderEliminar
  5. esperemos que o MP faça a sua parte, por menos abriram o processo apito dourado com os gastos de milhoes do erario publico que se sabe. Os dois campeonatos anteriores devem ser impugnados.

    ResponderEliminar
  6. Podias escrever sobre o mais recente patrocinio do nosso clube: BuzzTrade, e explicar de que se trata e do facto do campeonato e da Liga dos Campeões já terem ambos começado há algum tempo.

    ResponderEliminar
  7. E pode também ajudar a perceber um pouco a descida de divisão do árbitro da última final da Taça de Portugal, depois de alguns jogos que ele arbitrou do Benfica que não correram bem para estes, e não houve alguma ajuda do árbitro. Os observadores dos jogos devem ter pensado, então mas este gajo anda-me a morder a mão que nos dá de comer? Tem que ir ao castigo... lol

    ResponderEliminar


  8. @ Tribunal

    eu, tu, nós, eles - todos! - sabemos bem as respostas: eles prevaricam como todos os clubes prevaricam. há "telhados de vidro" em todos os clubes, sem excepção. só os que se consideram «impolutos» é que teimam numa persistência que a Psicologia explica como «negação».
    o que acontece é que, neste rectângulo, só alguns, daqueles que prevaricam - que são todos os clubes - é que são julgados; os outros, os que se consideram «impolutos», continuam impunemente a "jantar" à nossa custa. para esses, ainda vai havendo "jantares grátis". até um dia, o qual já esteve mais longe.

    ps:
    nem sabes como "isto" me corrói por dentro. é que não me esqueço dos processos do 'pito dourado e do 'pito final - os quais, comparados com o do #Cardinalcircus, #colinho, #porta18 e agora #jantaresnomuseu, são mesmo «'pianers'», brincadeirinhas de criança. e com a agravante de o que se acusou, naqueles mesmos processos, não ter sido provado em Tribunal. em mais do que uma comarca. e por mais do que um juiz... isso é que lhes dói, pá. pior do que o momento Kelvin, ou o apagão na Luz, ou os cinco que levaram na marmita.

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  9. Énorme Post como sempre...

    FCP777

    ResponderEliminar
  10. Caro TdD,
    Ás vezes é bom recordar estas coisas.. passado um ano até o Marco Ferreira ficou baralhado nas declarações!
    Mas isto não diz respeito ao FCPorto, assim vamos falindo como armadores.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.