segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Goleada sob controlo

O melhor Brahimi
A forma como o FC Porto se apresentou e jogou frente ao Belenenses deixou uma ideia muito clara: Lopetegui e os jogadores sabiam que iam ganhar o jogo, e sabiam que o desequilíbrio iria sair dos pés de Brahimi ou Corona. Assim foi. 19 vitórias consecutivas no Dragão e sem sofrer golos em casa, na liga, desde dezembro de 2014. Nenhuma outra equipa profissional a nível mundial tem este registo. O que interessa é o título, claro, mas quanto mais tempo mantivermos esta sequência mais próximos estaremos do objetivo.

Será sempre discutível apostar num meio-campo mais de controlo do que de ruptura (que deveria ser dada pelo tal 3.º médio que André André, por mais disponível e empenhado que seja, não o é) nestes jogos, pois isso é confiar em demasia que Brahimi e Corona são capazes de arrombar quase sozinhos, ou com mero apoio dos laterais, os autocarros que jogam no Dragão. Ontem correu bem, mas sobretudo na primeira parte sentiu-se o tal défice de criatividade, a meias com um pouco de dependência de Brahimi.

Por outro lado, Lopetegui parece querer espremer ao máximo o rendimento dos jogadores que estão em boa forma e aprendeu definitivamente com os riscos de rotação em 2014-15. André André é o maior caso disso mesmo: está em excelente forma, fez dois golos decisivos, e mesmo não sendo o 3.º médio idealizado para jogar em casa contra equipas pequenas - funcionava melhor como 2.ª unidade, mas aí Imbula teria que juntar-se a Herrera e seriam dois jogadores avaliados em 30M€ fora da equipa -, Lopetegui não prescindiu dele. Não se pode nunca criticar o treinador por meter a jogar quem está melhor, sobretudo após a excelente segunda parte de ontem, desde que o que um jogador dá a menos o outro possa dar a mais.





Brahimi (+) - Às vezes parecia que nem ele sabia o que ia fazer perante João Amorim, o que o levou a errar alguns cruzamentos e falhar diversas vezes o timing para o melhor passe (há que soltar melhor e mais vezes a bola). Mas tanto insistiu que lá conseguiu resolver. Uma assistência, um excelente golo (e o festejo desmente quem acha que ele só está interessado na Champions), defesa do Belenenses completamente descomposta e uma excelente exibição. Foi o match-winner de que o FC Porto precisa - e ontem bem precisou -, mas precisa de aprender a definir melhor. No primeiro lance em que decidiu cruzar em vez de enrolar-se, hesitar ou tentar rematar... Corona marcou.

Maxi regressa na Madeira
Laterais (+) - Com pouco a fazer defensivamente, Maxi e Layún fartam-se de apoiar o ataque, sempre com subidas pertinentes e inteligentes, e contribuíram com duas assistências. Uma nota: ainda bem que Maxi Pereira não viu o cartão amarelo. Porquê? Porque provocar a expulsão para poder jogar contra o Sp. Braga, além de ser contra os regulamentos, seria dizer à sua alternativa «tu não serves e sem o Maxi estamos tramados». Além disso, depois de receber o Braga o FC Porto vai à Madeira, e aí Maxi também dará bastante jeito. Infelizmente, Maxi é logo suspenso à 7ª jornada. Não discutindo se é justo ou não, é curioso que tenha sido a suspensão mais precoce da sua carreira em Portugal e que, no Benfica, tenha visto em média o 5º cartão entre a 17ª e a 18ª jornada. Quase arriscamos a prever que por essa altura já estará a cumprir a segunda suspensão no FC Porto.

Comandante (+) - Marcano já merecia o seu primeiro golo do FC Porto. Mas mais do que isso, teve que assumir a voz de comando da defesa depois da infeliz lesão de Maicon e entender-se com Danilo Pereira (entrada bastante pertinente para soltar mais Rúben Neves). Não perdeu um lance, soube ser uma referência para a circulação mais atrás e deu-nos o segundo golo de canto em dois jogos - entre janeiro e setembro de 2015 não tinha havido nenhum.

Outros destaques (+) - Casillas defendeu o que houve para defender, Corona teve o mérito de voltar a ser eficaz e oportuno mesmo estando ainda um pouco à margem dos processos da equipa, Tello voltou à Fórmula 1 para fazer uma boa assistência e dar a Osvaldo a oportunidade de se estrear a marcar. Bonito festejo com o sr. Fernando. Moreno para os amigos, que já vai para 45 anos de casa e é possivelmente a primeira vez que vemos um jogador, ainda por cima estrangeiro e recém-contratado, festejar de forma tão colorosa com ele após marcar na estreia. Bonito de se ver.





Desligados (-) - Indo ao encontro do segundo parágrafo. Na primeira parte, só nos lembramos de ver Ventura fazer uma defesa (remate de André André). A melhor defesa da primeira parte nem foi dele, mas sim de Casillas. Duas bolas nos ferros, uma para cada equipa, e de resto muito pouco no ataque. O FC Porto acusou o défice de criatividade no meio-campo. Imbula esteve perro na progressão, Rúben Neves esteve uns furos abaixo na primeira parte (melhorou muito na segunda parte) e André André é muito melhor a aparecer nos espaços do que a criá-los. Pedimos demasiado a Brahimi e Corona que resolvessem. Mas dois lances ficaram na retina: um em que Maxi Pereira, junto à linha, pára de correr e estende os braços para Corona, que não estava a fazer o movimento certo; e Imbula, a abrir pelo lado esquerdo, encontra Brahimi e Layún colados à linha, separados por um metro, sem nenhum fazer o apoio interior. Há que afinar as rotinas.


5 comentários:

  1. gostei da equipa, meio campo algo cansado, NAO ENTENDO PORQUE SERGIO OLIVEIRA NAO ENTRA NESTE JOGO, mas genericamente um bom jogo. Corona tem sempre criterio no remate, layun esta a mostrar a sua utilidade, osvaldo é um sr, ponta de lança. Parece que herrera emperrava mesmo o esquema de jogo tambem nao era preciso ser muito esperto para perceber isso. Acho que estamos no bom caminho desde que nao haja invensoes. Gostei dos alas muito abertos para rebentar com o autocarro

    ResponderEliminar
  2. Cada vez se nota mais entrosamento entre os jogadores. Notei numa das subidas de Layun, so como exemplo, em que ele ia ultrapassar Brahimi, como costumam fazer os laterais perante os extremos, e não o fez porque já sabia que Brahimi iria tentar a finta (fintou para a linha de fundo, como muitas vezes costuma fazer). Estes pormenores só aparecem com a experiência e tomara que a equipa esteja sempre capaz de aprender a este ritmo, é bom sinal. E que estejam todos os jogadores bem preparados para jogar já no jogo seguinte, este campeonato vai ser muito longo........

    ResponderEliminar
  3. Sei que aqui não é o local mais indicado para comentar isto. Mas caramba é preciso que a gente da direção veja o que o BdC fez. Luta contra o sistema vermelho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luta tanto que quando foi chamado a depor em instâncias oficiais saiu com o rabinho entre as pernas. http://otribunaldodragao.blogspot.com/2015/09/a-armadilha-chamada-gomes-da-silva-e.html

      Populismo barato.

      Eliminar
  4. Acredito que, e dando o benefício da dúvida, o treinador tenha encontrado um onze com uma tática que há muito venho defendendo. 4-2-3-1. Falta só mesmo um verdadeiro 10. Acredito que em janeiro o mesmo surga.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.