sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Patrocinador e empréstimos: novidades

A questão do patrocinador nas camisolas do FC Porto já foi muito debatida, mas eis uma novidade que ainda não foi devidamente realçada: a previsão da receita com patrocínios para 2015-16. O que o orçamento prevê é que, na primeira época já sem o patrocínio da PT, as receitas com patrocínios vão... aumentar.

Não há patrocinador, mas há aumento
Para o FC Porto, o valor normal na rúbrica de patrocínios está situado entre 13 a 14 milhões de euros. Desde 2007 que a SAD está sempre situada nestes valores. Com a saída da PT, que garantia um encaixe anual a rondar os 3,7 milhões de euros, temia-se que o FC Porto deixasse as receitas com patrocínios caírem para o valor mais baixo desde 2007, mas afinal as perspetivas são de um aumento.

O orçamento para 2015-16 aponta para 13,626 milhões de euros com receitas com publicidade, valor ligeiramente acima do das duas últimas épocas (13,56M€ em 2014-15 e 13,59M€ em 2013-14). Aliás, este é mesmo o terceiro valor mais alto registado pela SAD, só superado pelas épocas 2009-10 e 2010-11, as únicas em que a barreira dos 14M€ foi superada.

Face ao fenómeno Casillas, claro que havia expetativas de que a SAD atingisse, pela primeira vez, os 15 milhões de euros. Basta dizer que se ainda houvesse PT, provavelmente essa barreira teria sido agora transposta. Mas o importante era que as receitas com patrocínios não caíssem. Só não se percebe como é que Fernando Gomes, na sua quase surreal apresentação do R&C de 2014-15, não achou relevante mencionar este aspeto, tendo em conta a sua importância. Não sabemos como é que o valor da PT vai ser compensado, tendo em conta que não houve entrada de 3º main sponsor, mas como o orçamento não pode ser construído com wishful thinkings só podemos esperar que os valores propostos sejam atingidos e ficar tranquilos quanto ao tema dos patrocínios.

Em relação à última tranche da PT, o valor foi para o Internationales Bankhaus Bodensee AG, com quem o FC Porto mantinha uma dívida de 2,244M€. De realçar que o FC Porto também tinha uma dívida de 5,5M€ por um empréstimo aberto em novembro de 2014 com a mesma entidade, mas que já foi abatida: a SAD apresentou como garantia o dinheiro do apuramento para os oitavos-de-final da Champions e das receitas de market pool da UEFA de 2014-15.

Novos «parceiros» da SAD
Na gestão do FC Porto, e na generalidade do futebol português, o dinheiro dos patrocínios raramente chega a entrar nos cofres dos clubes, uma vez que estas receitas normalmente são utilizadas como garantias e pagamento a diversas entidades. Na SAD, o dinheiro da Unicer vai para o BIC, a quem o FC Porto terá que pagar 3M€ em fevereiro de 2016. E o dinheiro da Warrior, a substituta da Nike, vai precisamente para o Internationales Bankhaus Bodensee AG: 1,5M€ esta época e pouco mais de 400 mil euros na próxima.

Os portistas bem podem habituar-se a ver o Internationales Bankhaus Bodensee AG ser constantemente referido. Afinal, é neste momento a entidade a quem o FC Porto mais recorre para garantir liquidez financeira. O R&C de 2014-15 dá novidades nesse sentido. Além de todas as operações já referidas, o FC Porto abriu dois empréstimos de 12 milhões de euros cada com este banco: um em abril, outro em maio.

O primeiro, a uma taxa de 5%, vence em julho de 2016. E a garantia é, na íntegra, os 12 milhões de euros que o Real Madrid tem a pagar da 3.ª tranche de Danilo. Por outras palavras, face à necessidade da SAD de receber já o valor, encontrou uma alternativa, arranjando forma de receber já os 12M€... mas com recurso a uma taxa de juro que não se pagaria se houvesse capacidade de aguardar pela tranche do Real Madrid.

O outro empréstimo de 12M€ vence precisamente este mês, a uma taxa de 4%. Neste caso, foi mais uma operação da SAD para contrariar problemas de liquidez imediata, pois a garantia apresentada foi a receita do apuramento da fase de grupos da Champions, que também é de 12 milhões de euros. O Internationales Bankhaus Bodensee AG substituiu o Novo Banco como entidade a quem o FC Porto mais vezes recorre para financiar as suas atividades correntes. 

Por fim, e de volta ao tema inicial. Uma das afirmação de Fernando Gomes, na apresentação do R&C, foi esta: «O merchandising do FC Porto tem aumentado bastante, nomeadamente a procura de camisolas do Iker Casillas. Esgotámos em poucas semanas o stock que tínhamos previsto para um ano. Em novembro chegará uma nova encomenda. Foi uma loucura o que aconteceu com a procura. Esperávamos um aumento de vendas de 3 por cento e o número disparou.»

Ora, em 2014-15 o FC Porto fechou a época com 3,828 milhões de euros de receita de Merchandising/Vendas. Para 2015-16, na qual Fernando Gomes diz haver um grande aumento, o FC Porto apresentou à CMVM uma previsão de receita de... 3,828 milhões de euros. Exatamente o mesmo valor de 2014-15.  Tendo em conta Fernando Gomes fez a referida afirmação a 9 de outubro e a proposta de orçamento foi enviada a 22 de outubro, ficamos à espera que as vendas de merchandising «aumentem bastante».  

9 comentários:

  1. Uma dúvida, em offtopic, se me permitires. Consegues-me explicar as diferenças do market pool de país para país? Mais concretamente, como é que o Anderlecht, o Malmo ou o Olympiakos recebem o que recebem, e nós nos limitamos a 4M? É devido aos países? Ao que cada TV paga pelos direitos? Ainda não consegui entender.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Questão pertinente e que também gostava de compreender. Ficou-me atravessada no outro post mas depois passou-me completamente.

      Eliminar
    2. Same here.
      O market pool n tinha baixado?

      Tino

      Eliminar
  2. eles fazem a gestão que querem. Se não quisessem esta gestão bastava não gastar 20M num só jogador, compravam outro por 5 e já ficavam mais desafogados

    ResponderEliminar
  3. Está a escapar-me algo relativamente aos valor dos patrocínios.

    15/16 13.626 (orçamento)
    14/15 13.565 (real)

    Onde é que a SAD foi buscar mais de 3.7M€ para suprir a falta de patrocinador? Parece-me é que estão a contar com um novo patrocinador, que ainda não existe.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  4. Um aparte... Casillas acaba de fazer publicidade a um carro da Hyundai... Nao me digam que nao ha uma Dacia que seja que nos faca publicidade?! Acredito que o fcp nao queira aceitar valor e acho muito bem... Por outro lado a NB tem que nos pagar mais!! Alem de uma venda estrondosa das camisolas por causa do Iker, a camisola principal goi considerada a mais bonita da chamions, isto de nao ter publicidade na frente ajuda!

    ResponderEliminar
  5. se nós fomos buscar o Casillas e lhe pagamos um avultado salário para que queremos um misero patrocinador? a ter alguma marca a manchar as nossas camisolas tem de ser alguém que pague muito bem. ou acham que devemos pedir ao angrense a sua parte da receita no jogo da taça porque nós, coitados, não conseguimos arranjar quem nos patrocine as camisolas?

    ResponderEliminar
  6. Fugindo um pouco ao assunto. Está na hora de alguém ouvir o que o senhor Marco Ferreira tem para dizer. E já. É imperativo.

    ResponderEliminar
  7. Um Porto crivado em dívidas nunca há-de conseguir segurar uma equipa para lutar pela Champions. É triste o futebol Português. Só negociatas de lesa a pátria.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.