domingo, 11 de janeiro de 2015

A crescer ao ritmo dos golos

Desde o empate no Estoril, o FC Porto venceu cinco de seis jornadas por três ou mais golos. O que estraga a pintura, como todos sabemos, é a derrota com o Benfica. É a diferença entre estar a 6 pontos do primeiro lugar e ser líder. Mas tirando esse jogo de má memória e atípico, há evolução. Há vitórias confortáveis. Há provas de valor da equipa. Há uma equipa que está a cumprir a sua obrigação e a fazê-lo de forma competente.

E no final ouvimos a promessa do pirralho Óliver Torres: «Ainda não viram o melhor FC Porto». Todos sabemos que nem o melhor FC Porto depende de si próprio para ser campeão, mas a vida e o projecto de um clube não se esgota numa época. Muito menos numa época que ainda nem a meio vai. Resta continuar a fazer a nossa parte, com qualidade e competência, e deixar que o Benfica perceba a mensagem: a pressão está do vosso lado, pois quando escorregarem vamos cair em cima de vocês. O mesmo grito de revolta que teríamos dado há 30 anos, portanto, e tentar encontrar o difícil equilíbrio entre determinação, confiança, arrogância e conformismo. Há igrejas. Há catedrais. E há ainda quem ajoelhe. Maio, esse mês religioso, ainda vai distante.





Herrera (+) - Continua a correr tanto como há um ano. Mas corre melhor. Cada vez mais inteligente na ocupação e criação do espaço, entende-se cada vez melhor com Óliver. Tem que aprender a finalizar melhor para se tornar num médio ainda mais completo, mas também já sabe tirar assistências da cartola. Excelente primeira parte, um pouco mais apagado na segunda. Imprescindível.

Óliver (+) - Obviamente, Óliver. Operário e maestro, equilibrador e desequilibrador em comunhão perfeitas. A visão de jogo no primeiro golo é de génio e a ratice no segundo idem. Há mil formas de festejar um golo, mas Óliver prefere apontar sempre para os adeptos. Consulta lá os teus ancestrais, porque de certeza que encontras antepassados com sangue azul.

Efeito Ádrian (+) - Quaresma saiu com cara feia e Quintero entrou com a mesma feição. O resultado estava feito, pouco mais havia a contar. Ádrian entra para os últimos minutos. Pega na bola, encara rapidamente a defesa, deixa um, dois para trás. Aplausos. Volta a pegar na bola, deixa um, dois para trás. Aplausos. Tenta um toque bonito com o calcanhar, perde a bola. Aplausos. É assim que se ganha um jogador: com determinação do atleta e apoio dos adeptos. Bonito de se ver.

Outras notas (+/-) - Laterais competentes, equilibrados, mas com algum desacerto na hora de cruzar e alguns passes errados. Centrais sem sobressaltos, tirando um toque de calcanhar de Maicon, mas devidamente compensado com aquele grande corte nos descontos. Quaresma tentou sempre ser interventivo e não lhe faltou atitude, mas nem sempre decidiu bem e não dá para mais que 65/70 minutos (mais ridículo do que a feição ao ser substituído é assobiar a substituição). Evandro teve um momento que já merecia. Um suplente de luxo.





Tello (-) - Não é que Tello tenha jogado mal. Foi perigoso nas diagonais, tentou combinar com o lateral, teve dois remates com perigo e tem um papel importante no segundo golo. Mas mantém-se o problema: sem a velocidade sobra-lhe muito pouco. Tem que aprender a fintar em espaço curto. Tem que saber como ultrapassar um defesa sem que isso implique dar-lhe 5 metros de avanço. Tem que procurar jogar mais ao primeiro toque. Ainda é um produto inacabado, mas com Brahimi na CAN é preciso o melhor Tello. Mas se calhar, até no banco havia quem com o mesmo tempo de jogo teria feito tanto ou mais. Terça-feira será uma oportunidade para o mostrar.


8 comentários:

  1. Creio que se esqueceu dum machado chamado Fabiano.

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente com a analise. Começa a ser um espaço que faz parte dos meus planos de visita após os jogos do Porto. Excelente trabalho.

    ResponderEliminar
  3. "Ainda é um produto inacabado, mas com Brahimi na CAN é preciso o melhor Tello. Mas se calhar, até no banco havia quem com o mesmo tempo de jogo teria feito tanto ou mais. Terça-feira será uma oportunidade para o mostrar."
    adrian e ricardo pereira... fim

    e ricardo pereira que podera ser o nosso futuro lateral nao sera 1 ou 2 ou 3 ou 4 jogos neste mes a extremo que o irao desformatar de lateral ate porque tem 21 anos

    ResponderEliminar
  4. Tello tem 23 anos, já não é propriamente um jogador muito jovem. É um jogador jovem, com margem de progressão, mas penso que dificilmente irá melhorar muito mais do que o que já é. Decide mal, tem grave défice de receção de bolas e é como o TdD diz, tirando-lhe a velocidade falta-lhe muita coisa. Não me parece que seja jogador para o FCP, nem jogador para custar 8\10 milhoes de euros. Não é mau jogador, mas não tem nivel para ser titular no FCP. É um jogador muito útil por causa da sua velocidade e capacidade de agitar o jogo através da mesma, mas não chega.

    ResponderEliminar
  5. Onde andas Quaresma??!! Penso que o Quaresma não está a render o esperado, talvez se surgir um golo lhe dê mais confiança...
    O Tello ainda pior. Estas últimas exibições foram piores do qualquer exibição que Kelvin ou Ricardo alguma vez fizeram no Porto! Dá que pensar... Até agora rendeu sempre mais sempre que partiu do banco de suplentes..
    Isto para chegar a uma simples conclusão: Brahimi volta rápido.
    É por aqui que o Porto terá que melhorar, pelos extremos.
    Vai nos valendo a dupla Oliver/Herrera e o poderoso Jackson.
    Na defesa também estamos bem: Danilo sempre a dar o máximo e Indi cada vez mais confortável e solto.

    ResponderEliminar
  6. Tello com a quantidade de jogos a titular que tem já devia estar a jogar muito melhor. Até à data não mostrou nada de mais sendo a maior parte um jogador banalissimo que só sabe correr, nem um 1x1 com sucesso consegue. Pergunto o que o Ricardo Pereira é inferior ao Tello? Eu digo... em nada. Se o Ricardo Pereira tivesse as mesmas oportunidades de jogar que o Tello de certeza que fazia melhor figura. Não consigo entender como o Ricardo Pereira não tem mais oportunidades. O Tello ainda está com a cabeça longe do Porto, deve estar preocupado em voltar ao Barcelona. Outro caso o Adian Lopez aqui já se nota de jogo para jogo uma evolução embora ténua mas já se nota, parece que entra com mais garra aos lances agora e ontem até consegui fintar vários jogadores em 2 jogadas no final do jogo, que continue assim e que faça um bom jogo 3ª feira com o U. Madeira para a Taça da Liga e de preferência com golos para começar a afirmar-se de vez na equipa titular ou como 1ª opção válida a suplente. Finalmente o Casemiro, aguardo com expectativa que o Rubén Neves volte a ser o nosso "6", na minha opinião Casemiro é lento a reagir, faltoso e não sabe construir jogo. Rubén Neves e até o Campanhã são melhores que o Casemiro. De resto já se nota maior entrosamento na equipa e já não se perde tanto tempo com passes atrás na defesa e chegamos mais rápido à frente de ataque, só é pena que os médios não se cheguem mais próximo do Jackson, pois a maior parte das jogadas para o Jackson vêm das laterais. Falta-nos ainda muito jogo interior para alimentar melhor o Jackson que tem de vir imensas vezes cá atrás buscar bola e passá-la para os extremos. Com mais e melhor jogo interior ficamos praticamente imbatíveis.

    ResponderEliminar
  7. Ai Óliver!! Se eu fosse gaja apaixonava-me por ele. Que todos os jornais e afins continuem a falar do Brahimi e do PSG que assim o Óliver vai passando mais "despercebido" da imprensa internacional e, quem sabe, fica mesmo connosco...

    Jogo muito bem conseguido no geral, grande solidez do nosso quarteto defensivo que conseguiu manter a bola longe de um novamente inseguro Fabiano e não sofrer golos.

    Como o Tello "precisa de descansar", gostaria que Lopetegui voltasse a testar Quaresma e Adrián em simultâneo, fazendo Quaresma o papel de extremo mais puro (como Tello) e Adrián o de avançado interior (como Brahimi).

    ResponderEliminar
  8. O Tello tem o grave handicap de falta de inteligência. É um jogador com uma capacidade de decisão fraquíssima capaz de não ver o óbvio que todo o estádio está a ver. Mas as suas capacidades técnicas têm valido alguns golos e assistências. Está longe de ser um jogador inútil, é um upgrade em relação à época passada. Um upgrade que não vale 10 milhões de euros na minha opinião, mas isso certamente serão decisões a tomar mais lá para a frente.


    Tive a oportunidade, pela primeira vez esta época, de ver a equipa B ao vivo. Tenho que elogiar, e de que forma, o Chico e o Kayembe. O pêndulo e o desiquilibrador. O belga cresceu a olhos vistos desde a última vez que o vi, a nova posição faz-lhe bem.

    Arbitragem muito habilidosa, penalty por marcar, meia dúzia de cartões poupados aos vermelhos. Ontem, na equipa A, mais 2 penalties por marcar.
    Os adeptos já reagiram. E a SAD?


    AA

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.