quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Obviamente, Óliver

Do «não comento» chega-se com facilidade ao «não desminto». E se não desminto, «admito». É o suficiente para criar uma história ou alimentá-la. Neste caso uma história por muitos ansiada: a permanência de Óliver Torres no FC Porto.

Muita especulação...
Enrique Cerezo diz a O Jogo a frase mais básica e natural de todas. «É natural que o FC Porto queira ficar com Óliver». A notícia estaria em dizer o contrário. Qual é o objectivo do FC Porto? Ganhar títulos. Como é que se consegue isso? Tendo uma equipa forte. Com Óliver Torres, o FC Porto é mais ou menos forte? Dispensa-se a resposta.

Infelizmente, o pensamento SADista de ver no futebol unicamente um negócio está cada vez mais enraizado em alguns adeptos. A ponto de ainda hoje criticarem o FC Porto por estar a valorizar Óliver Torres para o Atlético. Como se não estivesse a acontecer o contrário - Óliver é que está a valorizar o FC Porto, pois há um FC Porto com e sem Óliver. Com Óliver é muito mais forte. 

Claro que não é possível dissociar a vertente económica-financeira da desportiva. No FC Porto estão interligadas, Mas o objectivo principal é sempre o sucesso desportivo. Ter Óliver Torres, mesmo por empréstimo, deixa o FC Porto mais perto desse sucesso desportivo. Submissão? Parvoíce. Qualquer jogador titular do FC Porto iria para o Atlético, vice-campeão europeu e campeão espanhol. E nenhum titular do Atlético iria para o FC Porto. É a realidade, não necessariamente pela dimensão do clube, mas pelo contexto desportivo e financeiro em que está envolvido.

Nos últimos 10 anos o FC Porto só teve 6 emprestados. Uma média das mais baixas que hão-de encontrar no futebol europeu. Ter jogadores emprestados é uma operação natural. No FC Porto criou-se um preconceito em redor disso, unicamente pela obsessão (e necessidade) de comprar-valorizar-vender. Mau é investir milhões em jogadores que nem sequer entram para melhorar o 11 titular. Ólivers? Mais, por favor.

... e uma certeza: craque
Dito isto, o plano para manter Óliver em 2015-16. Um plano que não é mais que especulação e uma sopa de possibilidades. Claro que o FC Porto gostaria de manter Óliver. Claro que Óliver gostaria de ficar no FC Porto de Lopetegui se não entrar nos planos de Simeone. Mas certezas não há absolutamente nenhuma.

É normal que Óliver não tenha feito parte do plantel do Atlético de Madrid. Afinal trava-se de um suplente do Villarreal. Mas há uma grande diferença entre ser um suplente do Villarreal e o maestro do FC Porto. Óliver é hoje muito mais jogador do que era há seis meses. Diz-se que não se enquadra no estilo que Simeone prefere. Um dia hei-de descobrir que tipo de estilo prescinde de um jogador combativo, tecnicista, tacticamente inteligente, que joga e faz jogar, se adapta a várias posições e momentos do jogo e nunca se esconde de nada. Hoje não é o dia.

Pagar a cláusula de rescisão de Óliver é impossível. Uma contratação a título definitivo teria que envolver várias partes, nomeadamente clubes, Gil Marin, Jorge Mendes e o próprio Óliver. Renovar o empréstimo, quiçá. Muitas possibilidades e especulações, nenhuma certeza. Aliás, há uma certeza: este Óliver tem lugar em qualquer FC Porto, seja à luz de que contrato for. E se se conjugar alguma possibilidade de permanência, será sempre uma excelente notícia para a principal ambição do FC Porto: o sucesso desportivo.

12 comentários:

  1. Um mero palpite: ou fica emprestado ou pelo menos 11 milhões já estão pagos...

    Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há um grupo de clubes (Porto, Atlético, Benfica, Valência, Cordoba, Mónaco, etc) que fazem uns negócios estranhos. Espero que no caso Adrian ele ainda mostre o que vale, mas tenho um feeling que no final da época irá estar envolvido noutro negócio desses, envolvendo ou não Oliver.

      Num cenário meramente hipotético, consigo imaginar a compra do passe do Oliver com a parte que temos do Adrian, vendida pelo preço de compra ao Atlético (ou outros desses clubes...) mais um valor "simbólico".

      Façam um esforço pelo míudo. Admito que ao início estava muito céptico em relação a ele e ao negócio, mas que o gajo tem qualidade e garra tem, um jogador à Porto!

      Abraço

      Eliminar
  2. nada a haver com o post mas fica a minha opiniao e que podera ser comentada e criticada por quem assim o entender... eu no jogo com o belem colocaria este 11:
    fabiano, danilo, maicon, indi, angel, campana, herrera, oliver, quaresma, ricardo pereira e jackson

    jogo contra o uniao da madeira a meio da semana e dado ser um adversario mais facil do grupo e um jogo em que os jogadores nao veem de ferias como aconteceu antes do jogo com o rio ave colocaria este 11:
    helton, ricardo pereira, reyes, marcano, rafa, ruben neves(caso ja esteja a 100%), evandro, quintero, ivo, kelvin e gonçalo

    ResponderEliminar
  3. Cordova quer Ghilas em definitivo.

    o Presidente diz que Ghilas é a estrela da equipa, é jogador de equipa grande e estão muito contentes com ele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que volte, sempre o achei um bom jogador e apesar de jogar pouco não me lembro de amuos... Jackson sai no final da época, Ghilas e Aboubakar parecem-me dar bastante qualidade àquela posição e ainda temos os míudos na B.

      Eliminar
    2. Eu por acaso não vejo grande futuro do Ghilas no Porto. Mesmo com a saída de Jackson fica bastante atrás de Aboubakar e ainda é preciso ter em conta 3 excelentes avançados que temos na B, pelo menos um deles tem de dar em alguma coisa.

      Além disso, a aparente recusa do Ghilas em se sentar num banco de suplentes (que lhe valeu a exclusão da convocatória para a CAN) não abona muito a seu favor, já que no Porto o banco seria o seu destino.

      Eliminar
  4. Se tiveres tempo, gostava de aqui ver um artigo sobre o mestre Pedroto. Principalmente para quem como eu não viveu na década de oitenta, é importante conhecer melhor o homem q ajudou a construir um porto vencedor.

    FP

    ResponderEliminar
  5. O rafa não calça na b, ia ser titular na A? Quanto ao ricardo pereira, um jogo a extremo outro a defesa? Era bom definir o jogador. O Gonçalo é outro que juntamente com o Andre deviam ser emprestado a um penafiel/gil vicente para poderem jogar e mostrar se realmente vão ser uteis sequer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epá, não sei se emprestar avançados a equipas que passam 90 minutos a defender seja uma boa ideia. O que é que um avançado aprende nessas equipas, a fazer contra-ataques? Quantas vezes por jogo têm a bola jogável em frente ao GR adversário, uma, duas?

      Mas concordo com a ideia dos empréstimos atenção.

      Eliminar
  6. Ou muito me engano ou o Fernando Torres vai ser um grande flop neste regresso ao Atlético, e se isso acontecer com certeza que irão à procura de um bom PL para a próxima temporada, e o mais certo é o alvo ser o Jackson... nesse caso, acho que um negócio de 23/25 milhões + Óliver seria uma negócio estrondoso!!! Poderíamos também fazer regressar o Josué na próxima época, e ficaríamos com Óliver, Quintero e Josué para a posição... lembrando do "minino" Otávio, que poderia ser emprestado a uma equipa onde pudesse ser titular na 1ª liga....

    ResponderEliminar
  7. Carlos, quase todas as equipas em Portugal fora os grandes jogam em contra ataque. E eles precisam de rodar na primeira divisão, porque na segunda nao aprendem nada.~


    Quanto ao comentario do Anonimo, já deu para perceber que o Josue não tem qualidade para ser titular no Porto e não quer estar no banco, Por isso é deixar lo ir

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.