terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Reestruturar com a prata da casa

A redução de custos é uma necessidade no FC Porto. A SAD apostou num orçamento reforçado para esta época, depois de uma temporada em que não conseguimos competir com o Benfica, mas que vai ter os seus custos. Custos esses que implicam, como já foi dito, mais 40 milhões de euros em mais-valias até ao final de Junho - se não for feito, o exercício vai voltar a transitar com prejuízo, à imagem do que já foi feito na temporada anterior.

Angelino Ferreira era o dirigente que mais alertava para a necessidade de apertar o cinto, tanto que acabou por implicar o fim de uma ligação de 23 anos de um dos mais competentes, íntegros, versáteis e importantes dirigentes que o FC Porto já teve. A entrevista que deu ao JN vale a leitura.

O seu sucessor, Fernando Gomes, também admitiu ao Porto Canal que vai ser necessário reduzir os custos. Como, ainda não se sabe. Angelino Ferreira apresentou um bom e sustentado projecto de 5 anos para redução de custos, do downsizing ao ajustamento das despesas para números equiparados às receitas, mas saiu ao fim de um ano.

Não se sabe ainda de que forma o cinto irá apertar. Mas é obrigatório que a partir desta temporada a redução passe a ser progressiva, sobretudo depois da operação Euroantas. A Euroantas que Angelino Ferreira ajudou a erguer, uma sociedade irrepreensível no cumprimento das suas responsabilidades. Um mero apontamento, e exemplo.

Uma das vias para essa redução de custos terá que ser forçosamente recuperar o toque de midas. Muitos defendem que é melhor comprar um jogador caro do que três razoáveis, e por essa perspectiva sou obrigado a concordar. Se a questão é comprar Danilo ou um pacote com Tomás Costa+Prediger+Stepanov, a resposta é simples. Mas a equação nem tanto. Devemos, cada vez mais, olhar para o plantel, identificar lacunas e então preenche-las.

Uma dessas lacunas é o jogador português. Temos 4 inscritos na UEFA: Ricardo Nunes, Quaresma, Ricardo Pereira e Rúben Neves. E nenhum deles é formado no clube (Rúben Neves ainda não tem idade para ser considerado formado no clube), o que nos leva a perder 4 vagas na Champions. Uma situação que o projecto V611 visava resolver, mas que ficou perdida na gaveta. 

Mas não vale a pena contratar por contratar, inscrever por inscrever. É preciso qualidade. E agora olhemos para a posição de médio-defensivo. Temos o projecto de futuro chamado Rúben Neves, da responsabilidade de Lopetegui. Tem perfeitas condições para ser o nosso 6 de presente e futuro. Depois há duas alternativas. Ambas por empréstimo: Casemiro e Campaña.

Não vamos discutir a valia dos jogadores. Discutamos o preço. Casemiro custa 10 milhões de euros e recebe, no contrato com o Real Madrid, 2,5 milhões de euros brutos/ano. É internacional brasileiro, tem potencial, mas ainda não rendeu perto desse valor. Salvo negociação com o Real Madrid, é impossível accionar essa cláusula de compra. Sobretudo quando anda por aí um pirralho a obrigar-nos a imaginar todo o tipo de ginástica financeira.

Sobre Campaña, nunca nenhuma das partes disse que há cláusula de compra. O Record diz que sim, de 3 milhões de euros. Ainda não teve grande tempo de jogo e se por acaso ficar no FC Porto será mais pela crença de Lopetegui nele do que pelo que há-de mostrar dentro de campo (tendo em conta que não haverá muitas oportunidades). 3 milhões não são trocos, não para uma sociedade em falência técnica (mesmo que seja corrigida no próximo semestre).

Temos que encontrar o equilíbrio entre preço, qualidade, potencial e preenchimento de lacunas. E com isto chegamos a um nome: Sérgio Oliveira, o menino dos 30 milhões. Era assim que o conheciam, antes de quem tomava as rédeas da formação lhe dar duas opções de carreira péssimas (empréstimo ao Beira-Mar quando ainda era sub-19, e depois uma curta passagem pela Bélgica). 

Fez mais uma época no FC Porto B e seguiu-se o Paços de Ferreira. Cresceu, sobretudo agora com Paulo Fonseca. Tornou-se um 6 completo, que equilibra a equipa, constrói, sabe ser agressivo (à imagem de Casemiro, por vezes até demasiado), já é jogador de 90 minutos... E é português. Formado no clube. Familiarizado com o campeonato português, e com esta casa.

Sérgio Oliveira custa 1 milhão de euros e de uma assentada preenche uma série de lacunas. Não se trata de promover de imediato Mikel ou Podstawski, jogadores que não têm rodagem de primeira liga. Sérgio Oliveira já tem cerca de 50 jogos do alto escalão, inclusive na Europa, Já foi o melhor jogador jovem do mês, já foi pré-convocado por Fernando Santos e tem algo também importante: vontade intrínseca de representar o FC Porto (é sócio desde que nasceu).

Muitos adeptos temem que o FC Porto regresse, com todo o respeito, ao tempo dos Licás. Contratar em Portugal não significa contratar mal. Há que avaliar as características dos jogadores em questão. Licá jogava numa equipa de contra-ataque, de transições rápidas, antes de chegar ao FC Porto. Não tinha características para vingar aqui. Sérgio Oliveira tem um perfil diferente e o Paços de Fonseca joga futebol, não joga apenas para o ponto. É um médio com características para vingar por cá. O cinto das calças agradece.

22 comentários:

  1. André André e o S. Oliveira parecem-me boas opções para o meio campo. Se não para titulares, para comporem o banco. Tozé seria outra boa opção para as alas, assim como o Kleber para PL suplente. Hernani também é muito interessante e não o vejo a fazer pior que o Tello.

    Bom, bom, era o Danilo do Braga, mas parece-me quase impossivel. O Mateus também é um grande GR de futuro e bem precisamos de um. GR e um central de grande qualidade são as nossas maiores lacunas, a par talvez de um bom extremo face à ausencia do Brahimi, pois nem Quaresma nem Tello tem estado à altura do que se quer.

    Joel

    ResponderEliminar
  2. Aparentemente é um caso muito semelhante ao Josué, veremos.
    Ainda assim, dentro desses parâmetros, parece me que Castro seria o jogador mais útil.
    Se Kadu ficar no plantel no lugar de Andrés, é mais 1 jogador formado no clube.

    Depois acho que deveríamos assumir algumas contratações como pouco úteis e tentar vende los pois nenhum me parece titular e para o que têm jogado, já tínhamos no clube jogadores capazes de ser uma boa alternativa.

    Ricardo (GR), Andres Fernandez- temos Helton
    Opare temos Ricardo
    Marcano temos reyes
    campana temos Ruben
    Adrian Lopez temos Ricardo e Ivo.


    Cumprimentos
    Daniel

    ResponderEliminar
  3. Concordo com a necessidade de apertar o cinto o que vai obrigar a uma maior racionalidade nos reforços da equipa. Ou seja e dito de outra forma baixando os custos dos mesmos. Mas o critério financeiro deve ser acompanhado de um critério técnico que deve ir além da da qualidade individual do jogador. olhando nomeadamente para o sistema táctico em que esse jogador se tem evidenciado. A ideia que tenho é que o Paços joga com um duplo pivot à frente da defesa, bem diferente do único trinco utilizado no Porto. Não me parece que o jogador possa ser utilizado como trinco no Porto. Eu não o contrataria.
    Joe

    ResponderEliminar
  4. Caro TDD, que comentário tem a fazer à declaração do "portista" Miguel Sousa Tavares no jornal A Bola, quando refere que "Não percebi o que Pedroto tinha de excepcional" ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não li o texto, mas é a opinião dele. O facto de estar a viver em Lisboa na altura deve contribuir para essa opinião, pois acompanhou a revolução à distância. De qualquer forma, ainda que portista, MST também é conhecido por não perceber absolutamente nada de futebol.

      Ainda assim, é justo compreender que após ter sido processado injustamente por causa de questionar a transferência do Ghilas não fique particularmente solidário com qualquer causa da Direcção, neste caso o reconhecimento de Pedroto.

      Eliminar
  5. Boa tarde, e com enorme prazer que leio este blog é bom ler qualidade e realidade noticiosa sobre o meu clube hoje por "acaso" foi noticiado o regresso do Sérgio Oliveira, concordo que podemos comprar em Portugal ou Portugeses com qualidade e a preços bem mais em conta com a nossa realidade, penso que temos mais alguns exemplos como o Toze que tem demostrado a sua qualidade no Estoril ou até mesmo o central das nossas escolas a atuar na Bélgica no Zulte Waregem, Tiago Ferreira um jogador que pessoalmente sempre achei com qualidade. O Porto sempre fez isso meter os jogadores a rodar em equipas que tivessem algo a ensinar basta recordar o nosso passado, temos a meu ver na nossa equipa B jogadores que já teem a ganhar com essa transição ou seja serem emprestados para uma equipa de primeira divisão onde tenham realmente hipóteses de jogar, ou então podendo jogar na Europa. Será que voltar com mais intensidade a esse modelo não seria benéfico para nós? A meu ver jogadores que poderiam já para o ano fazer a transição,
    David Bruno, Leandro Silva, Ivo Rodrigues e o Gonçalo Paciência.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou apologista da formação mas isto de mandar nomes para o ar...

      Já viu algum jogo do Zulte? Aliás já viu algum jogo do Tiago Ferreira em que mostrasse o mínimo de talento para actuar no Porto?

      Vou fingir que não li o nome de David Bruno como possível reforço do plantel.

      Caríssimos isto não é o Sporting. O reforço da equipas tem de ser feito com critério e qualidade. Ela existe mas nem tudo o que pisa o relvado do olival é ouro, é uma lei fundamental da natureza que cada fornada tem os seus prodígios e o Porto até tem alguns... Mas Tiago Ferreira e David Bruno estão longe desse desígnio.

      Sergio Oliveira tem aquilo que ninguém na B tem neste momento e que para mim é absolutamente essencial para um atleta integrar o plantel do Porto: experiência ao mais alto nível (salvo raras excepções onde o gênio ou a necessidade permite queimar etapas, estou a falar para ti Ruben)

      É por isso que o empréstimo a equipas em ligas competitivas são cruciais para o amadurecer dos jogadores. Um clube ganhador como o nosso tem poucas vagas para jogadores em processo de crescimento, quando um erro custa um campeonato elas têm de ir para os melhores. Os outros... Que sigam o exemplo do Sérgio e vejam a recompensa do seu trabalho.

      Eliminar
  6. E do central não há novidades?

    Está descartada essa hipótese?

    Pedro Tavares

    ResponderEliminar
  7. Tudo é pior quando não existe treinador de qualidade. Nunca precisamos de 11 magos da bola. Ganhamos uma taça europeia com um Marco Ferreira a lançar-se de joelhos para a frente do Douglas...

    Se tivermos de ter um plantel com Ruben Neves, Sergio Oliveira e André André não há-de vir mal ao mundo...aliás temos um plantel com emprestados/compras de Real Madrid e Barcelonas e ficamos com o campeonato perdido em Novembro, portanto...

    PS - ainda alguém me há-de explicar qual o acréscimo que Tello traz à equipa que o Ricardo Pereira não possa trazer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por Tello se ter protegido de dois ou três lances perigosos num campo impraticável e numa altura em que o jogo estava mais que decidido que o crucifica agora?

      É que num jogador que se lesiona com facilidade isso revela aquilo que eu até acho que mais falta a tello: inteligência.

      Eliminar
  8. Nem mais, concordo com tudo. Há uma necessidade extrema de reduzir custos, e no meio dum plano com esse objectivo despede-se um muito competente director financeiro.

    Tendo perspicácia ao nível de contratações, podem-se evitar certos erros de casting e preencher lacunas com prata da casa. Por mim, o Podstawski para o ano estava a fazer o mesmo caminho que o Josué e o Sérgio Oliveira. Ia ao Paços, para depois voltar. E com isto quero incluir a contratação do Sérgio Oliveira este ano, claro. Casemiro será impossível ficar, ao preço que é e ao que demonstra, não vale a pena. Para o ano há Rúben ainda melhor!

    De resto, jogadores como André André (provavelmente também portista) e como o Danilo do Braga seriam também excelentes recrutamentos para o plantel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário porreiro até mencionar o Danilo do Braga... Se Casemiro já seria uma loucura quanto mais esse.

      Eliminar
  9. Só não percebo a incoerência entre o "impossibilidade de accionar a cláusula do Casemiro por causa de um pirralho (???)" com o facto óbvio, e por si reforçado, da necessidade de apertar o cinto.
    Para além de ser um jogador pouco mais que banal, o facto de haver (ou não, como se afigura inevitável) um fundo a patrocinar a compra, não faria da operação um bom negócio financeira ou desportivamente.

    ResponderEliminar
  10. Preferia o André André, que além de ser formado no FCP vai mais de encontro ao que precisamos, boa alternativa ao Herrera

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. André André não é formado no FC Porto, aliás, nunca nos pertenceu.

      Eliminar
    2. Boa tarde TDD é um enorme prazer ler os seus posts mas gostaria que me tira-se uma duvida se poder ser, André André tem possibilidades de vir para o Dragão.
      Alguma hipotese de vir até ao fim de janeiro ou em agosto.
      André André não esteve pelo menos uma época nas camadas jovens do FCPorto?
      Abraço.
      Dragoniano

      Eliminar
    3. Esteve uma época, emprestado pelo Varzim, no segundo ano de sub-19.

      Eliminar
  11. Obrigado, é sempre um privilégio ler os teus comentários e ideias para o nosso grandioso clube.

    ResponderEliminar
  12. Contratar em Portugal não tem de ser mau, depende é de quem se contrata. Seguramente está bem viva na nossa memória (e na história do clube) uma equipa campeã europeia composta por jogadores contratados cá dentro.

    Maniche (Benfica B), Pedro Emanuel (Boavista), Pedro Mendes (Guimarães), Paulo Ferreira (Setúbal), Nuno Valente e Derlei (Leiria) e vários outros. Até mesmo jogadores como César Peixoto, Marco Ferreira, Maciel ou Tiago tiveram bons momentos no Porto, foram úteis e nenhum deles era melhor do que o Licá ou que o Josué. Claro que ter Mourinho ajuda.

    É certo que nem todos os anos se encontram Derleis e Nunos Valentes num tal de Leiria (agora nem o clube se encontra), mas jogadores como André André saltam facilmente à vista...

    ResponderEliminar
  13. Boa noite TdD gostaria de saber se quanto ao tema de apertar o cinto a Sad vender os seguintes excedentarios:Josué, Djalma,Sami,Ghilas,Bolat,Opare,Maicon,Ricardo Nunes,C.Eduardo,Varela,Kelvin(no fim do emprestimo),Quinones,Stefanovic,Kleber,Lord Lica,Caballero,Izmailov,Walter e por fim o maior desperdicio Adrain Lopez.
    Creio que apostar em S.Oliveira sera um valor seguro,na equipa B tb ha bons jogadores aprecio muito o V.Garcia,Goncalo,Ivo rodrigues,kayembe. Acho que o Pedro Moreira era um bom suplente po meio campo.(Nota acho que a contratacao de A.Fernandez desnecessaria, a meu ver Fabiano e muito bom e Helton pode ficar no banco porque tem aquilo que mta falta faz a mistica.

    ResponderEliminar
  14. Concordo quanto ao apostar no nosso mercado, temos cá vários jogadores que podem muito estar nos ditos "grandes", contudo também é preciso um treinador que conheça o nosso campeonato, saiba pôr uma equipa a jogar um futebol eficáz, e de preferência que seja portista, gostava que fosse Sérgio Conceição, o único "probelema" dele é que é um pouco probelemático nas suas atitudes, senão poderia ser também Rui Vitória, creio que não é portista, mas é ótimo em apostar na formação e em jovens jogadores portugueses (e estrangeiros tb)...

    Quanto ao plantel, poderia ser algo do gênero:

    GR: Fabiano, Hélton, Ederson (Rio Ave)
    DD: Ricardo Pereira, Opare ou Víctor García
    DC: Indi, Bruno Alves (Fenerbahçe), Maicon, Reyes ou Lichnovski
    DE: Alex Sandro, José Ángel
    6: Rúben Neves, Sérgio Oliveira (P.Ferreira), Mikel
    8: Herrera, André André (Guimarães)
    10: Quintero, Josué ou Óliver, Otávio
    Ext: Brahimi, Tello ou Hernâni (Guimarães), Quaresma, Ivo Rodrigues
    PL: Aboubakar, Ghilas ou Gonçalo Paciência ou Maazou (Marítimo)

    ResponderEliminar
  15. Parece.me que S.Oliviera e Andre Andre estão certos, um preenche a vaga dos 4 elementos made in FCP, o outro é formado em Portugal, nada mau..
    Espero que seja para os lugares de Casemiro e Campana..
    Assim como espero um esforço financeiro para manter Oliver ja que J.Martinez e talvez Quintero devem ser vendidos por 35 e 30 milhoes respectivamente.
    Para central contrataria o internacional Alemão Rudiguer(Estugarda) ainda jovem...
    Faltam 2 extremos(para mim Quaresma devia sair) fica Tello e Brahimi...
    A.Lopez tem que ser despachado se possivel para o At.Madrid...
    Falta tambem contratar um grande P.Lança e o plantel fica fechado...

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.