quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Presente e futuro

As opções de Lopetegui, sobretudo a maneira como recorreu ao banco no Rio Ave x FC Porto, mostraram desde o primeiro jogo que a Taça da Liga era para ganhar. Mas mesmo tendo feito uma fase de grupos quase irrepreensível e conseguido o apuramento para as meias-finais, mostrou sobretudo como se gere um plantel: geriu o esforço dos jogadores nucleares, deu espaço às segundas linhas para se mostrarem e ainda mostrou um pouco daquilo que a formação tem para oferecer. Uma boa gestão na Taça da Liga, que nos vai levar a um campo onde temos que corrigir a imagem deixada há bem poucos dias.

A Académica é uma equipa frágil, e não havia outro remédio que não vencer tranquilamente, mas a primeira e última meia hora mostraram a profundidade, potencial e qualidade que há no plantel. Um meio-campo forte na circulação, um ataque nem sempre eficaz mas constantemente perigoso, e um banco a oferecer soluções e dores de cabeça a Lopetegui.

Afinal, a Taça da Liga não é assim tão inútil. Já tínhamos concordado com isto em Braga, mas não capitalizámos essa revolta na Madeira. Mas vale a pena insistir, não é assim tão inútil: ver os golos do Jackson e do Gonçalo já valeu bem a pena.





O mestre e o aprendiz (+) - É o melhor marcador da história do Dragão, e conseguiu esse feito em apenas 2 anos e meio. Comecem a contar os anos, pois há-de faltar muito tempo até que alguém o supere. No primeiro golo é oportunista e eficaz, no segundo marca um golo à Ibrahimovic. Qual Ibra, marca é um golo à Jackson! Ponta-de-lança de eleição, que há-de deixar muitas saudades, com 23 golos em 27 jogos esta época.

E depois de Jackson Martínez, Gonçalo Paciência. Quando O Tribunal do Dragão foi criado descrevia-o como o melhor avançado português sub-21 e o futuro titular da selecção A. E ele não precisou de muito tempo para mostrar porquê. Questionam como é que um miúdo tem a ousadia de fazer uma finta daquelas na estreia no Dragão. Ele explicou no final: «Estou cá há 14 anos». Não são 14 dias, são 14 anos. Está cá desde os 6 anos e não conhece outro clube que não o FC Porto, nunca teve outra vida que não a de um portista. É um avançado completo a todos os níveis, que se estivesse no estrangeiro já era considerado o novo Ibrahimovic. Tem tudo para ser o nosso 9. Ou quase tudo, pois falta-lhe uma coisa importante: oportunidade. Lopetegui já começou a inverter o rumo, para alegria nossa. Já agora: um golo de canto!!!!!!!!

Meio-campo (+) - O nosso espaço interior vinha servindo como um meio (distribuir para os corredores) e não como um fim (construir na zona central). Hoje inverteu-se essa tendência. Rúben Neves continua a ter uma evolução impressionante e percebe-se o porquê de Lopetegui também querer soltá-lo para 8 - é um médio completo em todos os momentos do jogo, com presença física, orientação e passe exímios. E hoje fez a melhor exibição ao lado de Campaña, que vive uma intranquilidade maior que os colegas - não só tem que lutar para ganhar o lugar no 11 como tem que lutar para ganhar um contrato no FC Porto; uma coisa é um emprestado jogar sabendo que tem uma «almofada» chamada Real Madrid ou Barcelona, outra é ter a Sampdoria. Do pouco que vimos, vai surpreendendo. E Evandro, mais uma vez a mostrar que é um grande complemento ao meio-campo e com veia goleadora: 4 golos nos últimos 5 jogos. 3 golos de penalty, é certo, mas cá no burgo isto quase que soa a proeza.

Cabeça levantada (+) - Há uma lacuna no modelo de Lopetegui, que é a dificuldade em encontrar um gajo que pegue na bola entre os médios e a linha defensiva adversária, encare a grande área e decida para onde vai sair o último passe. É por isso que dizem tanto que falta jogo interior ao FC Porto e que estamos tão dependentes das investidas pelos flancos - como os médios não assumem esse espaço entre-linhas, quase que são meros intermediários para mandar as bolas para os flancos Hoje Quintero entrou. E consegue uma, duas, três, quatro e cinco vezes receber a bola, virar-se para a grande área e meter os colegas na cara do golo. Uma jogatana do miúdo, finalmente com oportunidade para jogar como 3º médio - faz sentido no Dragão, sobretudo contra as Académicas que jogam para o ponto. Uma solução que merece mais tempo em campo, mas Quintero também tem que fazer por o merecer. Hoje fê-lo, e bem.

Outros destaques (+) - Marcano. É o nosso central mais forte no passe longo, consegue acelerar o jogo em 3 ou 4 metros e não sendo muito rápido tem grande sentido posicional e impulsão. Dizem que não pode jogar sempre com Indi, por haver 2 centrais canhotos. Continuo sem perceber como é que 2 destros podem jogar juntos, mas quando há 2 canhotos já é um problema. Rotinas, meus caros, tudo depende de rotinas e de tanto Indi como Marcano saberem como se devem posicionar para receber e para onde distribuir. Somou pontos para a titularidade, mesmo que no próximo jogo Indi não vá jogar.

Ricardo, desta vez a extremo. Raçudo, rápido, com alguma dificuldade em chutar ou cruzar de primeira mas com enorme disponibilidade. Mais prático que Tello e Quaresma a decidir, apesar de ser claro que lhe falta tempo de jogo na posição e maior imprevisibilidade no 1 para 1. José Ángel ia borrando a pintura em 2 lances (baixou muito o rendimento na segunda parte), mas na primeira parte superou o que temos visto de Alex Sandro em velocidade, profundidade, passe interior e cruzamentos. Temos dois bons laterais esquerdos. Um que tem mais potencial, estatuto e valor do que outro; e outro que apesar de ser underdog tem rendido mais e mostrado mais vontade. Não é preciso dizer quem. Reyes fez um jogo competente, resta saber nos próximos dias se o último.





Um ataque, um golo (-) - Quinto jogo consecutivo a sofrer golos. E não é nenhum acidente. Pode acontecer uma ou duas vezes e dizer que é azar. Agora, jogo após jogo ver adversários que só precisam de ir uma ou duas vezes à nossa baliza para fazer golo já não é azar, é desconcentração e displicência defensiva. Pior ainda, estamos habituados a sofrer pelo menos um golo contra equipas que passam o jogo todo à defesa. Então imagine-se quando será quando apanharmos uma equipa que queira jogar no nosso meio-campo. Nem todos os dias serão dias de São Helton...

Dois meses a seco (-) - No período em que precisávamos do melhor Tello, pela ausência de Brahimi, torna-se cada vez mais difícil perceber quem é este rapaz que veio de La Masia e que no início da época esperávamos ser o extremo match-winner que Paulo Fonseca nunca teve. Uma, duas, três, quatro vezes na cara do colo e mostra imaturidade, precipitação e displicência a finalizar. Tello é um avançado interior, que procura a baliza em vez da linha. Isso devia implicar que tivesse um mínimo de eficácia, mas isso não tem acontecido. Tello e até Quaresma, sendo os extremos titulares do FC Porto, fazem muito poucos golos. Isso acresce a responsabilidade de Jackson e força o meio-campo a ser produtivo (e daqui até se chega à crítica habitual a Herrera, excelente a aparecer no espaço mas pouco eficaz a finalizar). Comparem quantos golos marcam os extremos de Benfica e Sporting ao número de golos marcados pelos do FC Porto. Está há 2 meses sem fazer uma grande exibição pelo FC Porto. Só o estatuto e a crença de que possa vale algo mais é que lhe têm dado a titularidade.


9 comentários:

  1. E as mudanças que iam acontecer neste mercado TdD ?
    O mercado está a fechar e parece-me tudo muito parado...

    ResponderEliminar
  2. Para mim o mais impressionante deste jogo:
    O porto marca um golo como consequencia de um erro do Capela
    Seguramente é algo que não vai acontecer muitas vezes....

    ResponderEliminar
  3. eu gosto do campana... para o ano um meio campo com campana, ruben, sergio oliveira e outros...
    quanto ao tello tenho uma opiniao que ja foi muito criticada por colegas meus mas eu para ter um gajo ali a jogar que nem "nosso" é so por estatuto e por ser rapido preferia que o sami que esta emprestado ao braga tivesse ficado no plantel, é rapido tambem, é mais agressivo, tem mais capacidade de finalizaçao... eh pah chamem-me estupido... ok ele nao joga no braga mas isso é porque la tambem tem outros extremos muito rapidos e tem o rafa, acho é que no porto sami ofereceria uma soluçao que o porto nao tem

    ResponderEliminar
  4. Destaques:
    Quintero, Ruben Neves, Jackson e G.Paciência.

    Quintero mudou completamente o jogo, tem exactamente aquilo que nos falta quando defrontamos equipas fechadas... Hoje fez uma série de assistências para golo!
    (Com algumas excepções, no Dragão apostaria num meio campo com Ruben-Oliver-Quintero.)

    Ruben Neves..dá gosto vê lo jogar, alguém diria que tem apenas 17anos?? Muita maturidade e que qualidade de passe!

    G.Paciencia, tem tudo para ser um grande jogador. Está a fazer por merecer minutos.

    Jackson... Já faltam elogios, que classe!

    PS: alguém concorda que deveríamos tentar aproveitar a situação do Bernard (Shakhtar)? Deve ter um salário alto e o valor do passe também mas ele e o clube estão insatisfeitos, aproveitando uma parceria talvez se conseguisse negociar por um valor aceitável.
    Tello não tem convencido, quaresma não caminha para novo e resta nos Brahimi que até poderá sair no final da época.

    Neves




    ResponderEliminar
  5. Já agora um golo de canto..simples..o Quaresma não o marcou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, porque o canto foi muito bem marcado, não haja dúvida. Essa até teve piada caro Ricardo. O golo foi todo do Jackson que fez um golo quase impossivel, face à fraca qualidade do cruzamento.

      Joel

      Eliminar
  6. Este Tiago Martins é mais um "artista" da arbitragem e internacional ?!

    Lucílio batista faz parte do conselho de arbitragem ???!!!

    ResponderEliminar
  7. Algumas notas ao jogo e ao FC Porto em geral:

    (i) Precisamos de um central top para fazer dupla com Indi; Marcano e Maicon são "apenas" razoáveis e Reyes precisa de jogar com regularidade num clube qualquer que não o FC Porto;

    (ii) Campana e Ruben Neves estão num nível muito muito superior ao de Casemiro; não se justifica que este último seja titular tão cedo;

    (iii) Quintero a 10 é mágico. Se e quando voltar a jogar, espero que Lopetegui tenha percebido que a extremo é totalmente impossível e que o seu rendimento diminui drasticamente quando parte da linha;

    (iv) Tello tem de começar a ficar horas extras nos treinos a treinar a finalização …. Incrível a quantidade de golos que tem desperdiçado desde o início da época. Contudo é de elogiar a capacidade que tem em se isolar e aparecer em zonas de finalização;

    ResponderEliminar
  8. Tribunal do Dragão, o problema na minha opinião é que o Porto só procurou explorar o jogo interior através de ações individuais de Quintero. O modelo de.jogo de Lopetegui tem como objetivo na transição ofensiva e momento ofensivo o explorar dos flancos e isto condiciona a forma de atacar pois não consegue desiquilibrar as defesas com vloco mais baixo. Tem que se atrair o adversario pelos flancos e puxar o jogo para o interior ficando os jogadores entre o meio campo e a defesa adversária, de frente para a baliza e, sendo assim, com melhores condições para criar situações de golo. É uma das lacunas de Lopetegui, na minha opinião.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.