quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Renovar, uma questão de (im)paciência

Hoje já todos percebem, ou vão começando a perceber, porque é que quem acompanha a formação do FC Porto elogia e espera tanto de Gonçalo Paciência. Entendo que fosse difícil de compreender. Pelas lesões, por pertencer à formação do FC Porto (o que na última década não foi propriamente ter vida facilitada para chegar à equipa A) e por não fazer capas de jornais como um tal de Nélson Oliveira, que nunca foi melhor do que Gonçalo, mesmo sendo 3 anos mais velho.

Tem 20 anos e um potencial tremendo, mas já com qualidade a acrescentar no presente. Mas não é um miúdo que caiu cá de pára-quedas. Está cada desde os 6 anos e ser filho de Domingos Paciência, por incrível que possa parecer, foi um fardo maior do que um atalho para a equipa principal. Numa das poucas entrevistas que deu, diz até que por ser filho do Domingos «tenho que mostrar mais do que os outros». E nunca se coibiu disso. 

E agora se disséssemos que, há exactamente um ano, Gonçalo Paciência podia ter ido à sua vidinha e assinado por qualquer outro clube a custo zero? Foi assim entre Janeiro e Abril, até finalmente ter recebido proposta de renovação por... mais 2 anos. Um contrato de 2 anos para o mais promissor avançado português. Quase que nem é mau, tendo em conta que Gonçalo Paciência acaba 2012-13 não em final de contrato, mas sim sem contrato. 

Um mini-Gonçalo com um ano de idade
Só o amor ao clube levou Gonçalo Paciência a andar assim, na corda bamba contratual, época após época. Tem contrato por mais ano e meio. A renovação devia ser para ontem. Nada justifica que um dos maiores talentos da formação do FC Porto seja alimentado com contratos de curta duração. Sobretudo quando o tratamento não é padrão para todos no clube, tendo em conta que miúdos desconhecidos que chegam de África, e até jogadores seniores contratados que todos sabem que nunca vão ser titulares no FC Porto, conseguem ter contratos de 4 a 5 épocas de duração, mesmo sem que cheguem à equipa A. Não vale a pena citar nomes, pois os jogadores não têm culpa de terem contratos mais vantajosos que os colegas e não os ajuda em nada a criação de um estigma. Culpa, ou responsabilidade, tem quem distribui os contratos não em função da qualidade do jogador, mas de outros factores.

Se compilarmos um vídeo dos melhores lances do Gonçalo Paciência e colocarmos no Youtube com o título «Gonzalo Pazienzia - El Nuevo Ibrahimovic», haveria muita gente a perder a cabeça e já muitos começavam a fazer contas. Neste caso não há contas a fazer. Este é nosso. Tem sangue azul. Provas dadas de amor ao clube, nem sempre retribuído em termos contratuais. Como é que um estrangeiro sem escola chega ao FC Porto e tem contratos de 4 anos à sua espera e um talento puro, português, portista e já nosso tem apenas de 2?

Gonçalo a festejar um golo na bancada, no meio dos adeptos
O que está em causa não é a nacionalidade. É o jogador em questão, a sua história, o seu potencial, a sua qualidade. Há uma tendência extraordinária para valorizarmos excessivamente o mercado e desvalorizarmos o que já é nosso. Estamos tão habituados, sobretudo nos últimos 8/9 anos, a valorizar o mercado e quem vem de fora que nos esquecemos de valorizar quem já cá está dentro. Investir no mercado é importante, mas investir em quem já cá está, sobretudo com provas dadas, é igualmente - ou ainda mais - importante.

Outro pormenor importante: os próprios jogadores do FC Porto, nos últimos anos, sabiam que dificilmente chegariam ao plantel principal. Por isso renovar por poucos anos era até um mecanismo de defesa para os jogadores. Mas para quem sabe que não chegará à equipa A, não há mecanismo melhor do que ir à sua vida. Aconteceu com André Gomes, por exemplo, um jogador hoje em dia numa das melhores ligas do mundo e que um dia até poderá contar numa auto-biografia que tipo de proposta de renovação teve no FC Porto. É normal que se cometam erros e se dispensem alguns jogadores que mais tarde se afirmam, porque não podemos acertar nos jogadores todos e muitas vezes são os próprios atletas a ter culpa pela sua não afirmação. Mas no caso de Gonçalo Paciência, há muito que podia ter ido para outro lado, ganhar muito mais e chegar mais rapidamente à equipa A, mas não quis. E dentro do FC Porto todos sabiam que era um talento muito acima da média - perguntem a qualquer treinador que tenha trabalhado com ele. Felizmente, Lopetegui abriu-lhe as portas, tal como fez a Rúben Neves e a Ivo Rodrigues. Já fez mais pela formação do que muitos projectos de três dígitos.

Passado... e presente/futuro
Não vale a pena esconder que é imperativo, para a saúde financeira da SAD, vender Jackson Martínez no fim da época. Aboubakar foi contratado com vista a um processo de sucessão. Para já custou 3 milhões por 30% do passe. A cada 20 jogos que ele fizer, podemos comprar mais 10 a 20% por 1 a 2 milhões de euros. O investimento pode chegar aos 12M,2€, que era o valor inicialmente acordado por 92,5%.

Além do investimento caro em Aboubakar (que pode vir a justificar na perfeição, sobretudo tendo em conta que na próxima época não há CAN - e não deve haver Jackson), há 16M€ investidos em Walter (para esquecer), Caballero (tem que evoluir muito para sequer ser considerado solução), Kléber (a ter uma segunda vida no Estoril, mas no mercado) e ainda Ghilas (pouco para número 1, inconformado para ser número 2).

Investimos muito em pontas-de-lança nos últimos anos, No próximo ano, mesmo saindo Jackson, não há motivos para investir em mais para o plantel principal. Aliás, há um nome no qual vale a pena investir: Gonçalo Paciência. Renovar, para ontem, meus senhores. Renovar e blindá-lo como se se tratasse de um talento sul-americano. Pelo que é e pelo que pode vir a ser. De certeza que as suas exigências, se é que existem, não serão mais irrazoáveis do que qualquer novato que chega com idade de júnior ou quase destinado a saltar de empréstimo em empréstimo.

PS: Já falámos de Gonçalo Paciência, que com o regresso de Aboubakar da CAN leva à discussão, em comunhão com Lopetegui, sobre que futuro para a segunda metade da época. Há André Silva, que com a promoção de Gonçalo pode ganhar mais espaço na equipa B. Já falámos também de Rui Pedro, juvenil mas já a trabalhar com os Sub-19 e até já se estreou pela B, aos 16 anos (é assim que deve ser, os melhores devem jogar nos escalões acima). Então anotem lá mais um nome: Vasco, dos Sub-15. O nome não diz nada? Então vejam e memorizem o apelido do miúdo. Vai valer a pena.

34 comentários:

  1. É por isto que há o TD e há o resto. Excelente post que subscrevo na íntegra

    ResponderEliminar
  2. Com a resposta de Lopetegui sobre o Gonçalo no jogo de ontem, não me parece que com a chegada de Aboubakar tenha mais oportunidades. Para mim, seria o 2º Avançado da equipa, já o digo desde a pré-época. André Silva assim devia ser titular na B para crescer mais. Mas na B, temos um senhor no banco que nada deu à formação do FCP em tantos anos que lá está.
    Rúben Neves, o nosso menino, apenas não se assume como titular devido a um empréstimo que deverá ter clausulas obrigatórias para o jogador visado jogar.

    ResponderEliminar
  3. Acho o Leandro Campos melhor que o Vasco Paciencia

    ResponderEliminar
  4. Só um questão:O investimento do Walter não foi 8 milhoes(passe + custos de intermediação)?
    Já recuperamos parte boa desse valor(faltam apenas vender 25%).
    Apenas dizer que o Vasco não é titular indiscutivel dos sub 15(normalmente é suplente do Leandro Campos).
    Existe também nos sub 15 um moço chamado Afonso Sousa que pode ter um belo futuro É neto do Antonio Sousa e filho do Ricardo Sousa

    ResponderEliminar
  5. Aquela capa do jogo não se confirma? (sobre a contratação de um novo avançado)

    esperemos que não!

    Cumprimentos CD

    ResponderEliminar
  6. O Vasco tem estado um bocado na sombra do Leandro mas concordo que tem muito potencial, é tudo uma questão de ter mais oportunidades, mas o melhor na minha opinião é o neto do Sousa.

    Em relação ao Gonçalo por mim não saía mais da equipa A

    ResponderEliminar
  7. Como é o primeiro comentário que faço neste blog queria desde já enaltecer o excelente trabalho que aqui é apresentado, que de forma eximia, bem estrutura e com conteúdo de valor dá a conhecer tudo o que um adepto portista gosta de saber sobre o clube do seu coração.

    Hoje fiz um exercício que adoro fazer...prever como será o nosso porto b, que gosto de acompanhar com tanto interesse como a nossa equipa principal. Em seguida estão as minhas escolhas pessoais daquilo que gostava que fosse a nossa formação(com algumas lacunas porque foi feito um pouco em cima do joelho):


    GR - Raul Gudino, Joao Costa
    DE - Davis Sualehe +1
    DD - Fernando Fonseca , Braima Candé
    DC - Igor (e fazia 4º na A); Siemann; Diogo Verdasca ; Malthe Johansen

    MC/MDF - Mikel, Pavloski, Francisco Ramos , Joao Graça, Clever França, Rui Moreira
    Chidozie Awaziem

    MO - Pité; Elvis Carvalho ; Moreto Cassamá

    AD/AE - Frederic Maciel ; Tony Djim; Sergio Ribeiro, Fede Varela; Ruben Macedo

    AC: Andre Silva, Rui Pedro

    Emprestados: Kadu, Tomas Podstawski , Rafa, Leandro Silva, Roniel Costa , Andre Caio

    Eu sou um pouco suspeito nas minhas escolhas e ainda é muito cedo para falar disto, mas pode ser sempre actualizado. No meu próximo comentário irei fazer as minhas escolhas para a equipa principal.

    Continuem o bom trabalho TdD

    Pedro Antunes

    ResponderEliminar
  8. Como o prometido é devido , aqui vão as minhas escolhas para a equipa principal do Fc Porto 2015/2016 (relembrar que são escolhas pessoais):

    GR: Helton, Fabiano , Andres Fernandez

    DD: Ricardo, Vitor Garcia +1(se necessário mas para ser titular)

    DE: Alex Sandro , José Angel

    DC:Indi, Maicon, Marcano (+1 titular)

    MDF: Sergio Oliveira, Ruben Neves

    MC: Herrera, Campana, Andre Andre

    MO:Oliver, Quintero, Otávio (roda na B)

    AE/AD: Brahimi, Douglas Coutinho , Quaresma, Hernâni, Ivo Rodrigues (roda na B) (+ ou nao; Lucas Lima)

    AC: Aboubakar , Gonçalo, Andre(+B que A)

    Compras: DD, DC, Hernani, Douglas Coutinho , Loucas Lima e Oliver(Pleasee)

    Vendas: Jackson (40M), Danilo(25-30M)

    Empréstimos: Reyes, Opare, Joris Kayembe, Sami, Tiago Rodrigues, Toze, Ghillas
    Dispensas/Empréstimos: Ricardo Nunes, Casemiro, josie, Carlos Eduardo, Kelvin, Adrian Lopez, Tello

    Continuem o bom trabalho, este blog é ideal para todos os que gostam tudo o que há dentro e fora das quatro linhas.

    Pedro Antunes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu até acho que o Herrera também saia por 20-25 milhões e regressava para o seu lugar Carlos Eduardo.

      Eliminar
    2. Concordo com a venda de Herrera.

      Eliminar
    3. Não descartava Campana. É um jogador muito interessante para MDF.

      Alguém me sabe dizer se o Sergio Oliveira tem jogado a 6 no Paços?

      Eliminar
    4. Eu acho que deveríamos apostar no mercado Português como fizemos quando ganhamos a champions em 2004 com o Mourinho, precisamos de jogadores que sintam o clube e conheçam a sua grandeza...

      GR: Fabiano, Hélton
      DD: Ricardo Pereira, Víctor García
      DC: Neto (Zenit), Martins Indi, Maicon, Marcano
      DE: Alex Sandro, José Ángel
      MDf: Rúben Neves, Danilo Pereira (Marítimo), Mikel
      MC: André André (Guimarães), Sérgio Oliveira (Paços de Ferreira), Evandro
      MO: Óliver (Atl. Madrid), Josué, Otávio
      Ext: Brahimi, Rafa (Braga), Hêrnani (Guimarães), Tello, Quaresma
      PL: Aboubakar, Gonçalo, André Silva

      Vendas: Jackson, Danilo, Herrera. Ádrian, Andrés Fernández, Carlos Eduardo, Ghilas, Kléber, Opare, etc...

      Compras: Neto, Danilo Pereira, André André, Sérgio Oliveira, Óliver, Rafa, Hêrnani

      Empréstimos: Reyes, Kayembé, Tozé, Tiago Rodrigues, Ivo Rodrigues, Kelvin

      Depois pode ser um treinador que saiba pôr uma equipa a jogar um futebol (não bonito, mas) eficas, como Sérgio Conceição, um treinador que saiba potenciar jovens e pôr a equipa a jogar bom futebol como Rui Vitória, ou até, embora esse mais difícil, um treinador que já nos deu muitas alegrias anteriormente, como Villas Boas.

      Eliminar
    5. Só uma correção em relação ao meu comentário das "21:29", no plantel em vez de Josué ponho o Quintero (só caso não consigamos comprar o Óliver é que ficam ambos no plantel)

      PS: Já agora, o quê que o Tribunal do Dragão acha do "meu" plantel?

      Eliminar
  9. Bom post! Bateu nos pontos fundamentais todos! Há grande aposta nos pontas de lança na nossa formação, há que aproveitar! E lembrem-se, que os pontas de lança de qualidade são escassos e muito caros!
    Espero no futuro ver mais jogadores da formação na A, a ter oportunidades reais e a serem integrados de forma sustentada. Não gosto do Lopetegui, mas ninguem pode negar que já fez mais pelos putos que qualquer outro nos últimos anos! Ai tiro-lhe o chapéu.

    ResponderEliminar
  10. Subscrevo na integra este artigo. Já agora um aparte, conhece este Fede Varela que vem em principio para equipa B, e se conhece poderia adiantar as suas principais caracteristicas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conhecendo o jogador, foi indicado por Lopetegui, que é o mais importante.

      Eliminar
  11. Bendito blog que fala de futebol, fala do clube, e sobretudo para cotas como eu, fala da... juventude!

    ResponderEliminar
  12. Eu parece-me que a "historia" do Andre Gomes não anda lá muito bem contada.

    ResponderEliminar
  13. TdD, nao quero perguntar o que se passa no burgo dos outros, por mais estranho que possam as ocorrencias ser.
    Assim sendo, pergunto relativamente ao Porto, o que estaremos nós a fazer mal para nao estarmos a conseguir vender estes talentos que nunca ou quase nunca jogam na nossa equipa principal por 15 milhoes cada um? seria uma otima forma da darmos cabo do nosso passivo.
    Esse Vasco é bom? entao porque nao o vendemos a um fundo qq por 10 ou 15 milhoes?

    Abraço
    Bruno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que o comentario tem algum tom de comedia mas é uma questao valida. E na optica não é não conseguir. É não querer.

      Ao contrario do clube que menciona ainda não temos a corda de tal maneira apertada no pescoço que não dê para deixar despontar o talento a seu tempo.

      Para alem disso que eu saiba os talentos equivalentes aos dois que venderam por lá também comandariam um preço semelhante se houvesse abertura para a sua venda.

      Se emprestasse o Gonçalo ao Mónaco com opção de compra de 15M acha que o devolviam? E o Rúben? E o André?

      Eliminar
  14. Pessoalmente dá-me gosto ver miudos da formação com oportunidades na equipa principal, espero que evoluam e que comecem a efectivamente a manter-se na equipa A. Acredito que seja perfeitamente possivel intercalar o modelo actual do Porto com a formação até porque temos de começar a poupar mas para termos sucesso neste aspecto penso que temos de mudar o Luis Castro de posto, por vezes aquela equipa B é o desnorte...

    ResponderEliminar
  15. Gostei muito do artigo e concordo quase na integra, mas parece-me uma injustiça dar destaque ao Vasco Paciência quando o grande talento dos sub-15 se chama Miguel Magalhães, que até já jogou no sub17 (não faço ideia se é tão portista como os Paciência mas é um talento que merece realce).

    ResponderEliminar
  16. Não percam o artigo de opinião do Jorge Coroado hoje no OJOGO.
    Merece DIVULGAÇÃO.

    ResponderEliminar
  17. Excelente post, concordo com quase tudo.
    Uma questão importante é que para $AD interessa é que jogue por exemplo um Aboubakar porque custou 3M por 30%, porque provavelmente deu direito a umas comissões à $AD ou aos amigos, ou vai ainda dar, etc. E um Gonçalo não dá direito a nada disso para o bolso deles. É uma vergonha. Ha 15 anos sofri muito com este assunto. Depois entretanto atravessamos uma fase sem que tivessem aparecido jovens com potencial para a equipa A, (à excepção do Castro). E por isso conformei-me.
    Mas acho que agora vou sofrer de novo com este assunto, porque temos 5 ou 6 miúdos que acompanho já desde os 16, 17 anos, e que considero com muito muito potencial para chegarem à equipa A. Depende deles claro, de trabalharem muito, depende também muito da sorte. Mas depende muito também das oportunidades que lhes dêem.
    A resposta de Lopetegui sobre o Gonçalo no fim do jogo, pode por um lado ser entendida como gestão de expectativas do jovem jogador que acabara de marcar 1 golo na sua estreia no Dragao. Mas pode também ser entendida como o preparar de terreno para o encostar na sombra da equipa B de novo.
    Para mim devia ter ficado desde sempre no plantel da equipa A, e a jogar na B. Fiquei profundamente desiludido quando Lopetegui no fim do estágio de pré-época o despachou para a equipa B. Por isso duvido que vá ter muitas oportunidades esta época ainda. Pelo menos que fique no plantel da equipa A como 9 suplente na próxima época. Isso considero o mínimo!
    Já agora, uma nota apenas para a questão de se considerar que Lopetegui fez muito pelas camadas jovens do Porto. Discordo totalmente. Ele teve sim a sorte de chegar ao clube numa fase em que temos os tais 5 ou 6 miúdos com muito potencial para chegar à equipa A. Algo que nos últimos 15 anos nenhum treinador teve. Seria pura incompetência ou crime de lesa pátria não lhes dar uma oportunidade que fosse. Fez por isso o mínimo aceitável, que foi dar-lhes alguns minutos na Taça da Liga (e 30 minutos num jogo da Liga no desespero na Madeira). Fazer muito seria ter o Gonçalo na equipa A e ter desejado trabalhado directamente com o miúdo a época toda, acreditando na sua evolução.
    Mas mesmo agora com Gonçalo vamos poder perceber se de facto Lopetegui gosta de dar essas oportunidades ou não. Vamos poder perceber se ele quer mesmo aproveitar estes 5 ou 6 miúdos com muito potencial.
    Aguardemos. Pelo nosso Porto, pela necessidade de sentirmos mais Porto no plantel, pela necessidade de gestão eficaz das nossas contas, é bom que o faça. Ah e já agora, os senhores da $AD que tenham vergonha na cara e renovem o contrato do Gonçalo imediatamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que estás a ver a coisa ao contrário. Nós é que estamos mais atentos ás camadas jovens porque finalmente temos um treinador sem medo de apostar em miúdos de 17 anos que "ninguém" conhece. Leste o que o Fernando disse do Rúben Neves? O Fernando nem o conhecia e esteve 6 anos no Porto, ali "ao lado" do miúdo! Quando o viu pensava que o Rúben era um jogador novo que o Porto tinha contratado para esta época...

      Mas ele estava lá. Como muitos dos jovens que hoje falamos (Gonçalo, André Silva, etc), já andam no clube há muito tempo. Nenhum treinador quis foi saber deles. Nem sequer o Luís Castro quando teve a chance de virar a página (na equipa e na sua própria carreira).

      Eliminar
  18. Ghilas e Kleber são boas opções.

    Gonçalo, André Silva e outros ainda irão brincar muito nas selecções jovens.

    ResponderEliminar
  19. @ identidade porto

    por favor, refere um treinador da equipa principal, num Passado recente, que tenha concedido uma oportunidade tão consistente como Lopetegui tem feito com o Ruben Neves.
    recordo a entrevista recente do Fernando a dar conta de que não o conhecia.

    obrigado.

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Nando não estava num dia bom quando deu essa entrevista, pois treinou mais do que uma vez com o Rúben Neves há um ano.

      Ou isto diz tudo sobre o entrosamento e união que tínhamos no balneário há um ano...

      Eliminar
  20. Era BOM que se desse divulgação ao teor do jornal o Jogo sobre o nosso futebol juvenil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trabalho sobre o nosso futebol juvenil ou sobre as filosofias do Pepjin?

      Será certamente um tema para mais tarde.

      Eliminar
    2. Trabalho sobre o nosso futebol Juvenil.

      Esse "trabalho" continua. E "alguém" o contratou...E apesar de merecer algumas criticas há muita coisa positiva.

      Basta ver a qualidade do "material humano" que por lá anda....

      Eliminar
    3. Curiosamente era o que vinha aqui comentar ao TdD. Essa reportagem d'O jogo', que ultimamente tem falhado mais quando o tema é o FCP e de forma evidente. Há pouco tempo com a capa onde Lopetegui insurgia a pedir alternativas e na realidade estamos a um dia do fecho do mercado e nem especulações surgiram.

      Relativamente a essa reportagem do trabalho de desenvolvimento individual faz referência a diversos nomes da nossa academia com o Pepjin a salientar que já indicou alguns nomes ao Liverpool, até que ponto não temos a nossa formação em risco, quando perdemos técnicos para outros clubes? É que os técnicos arrastam os jogadores e ele até salienta a boa relação que tem com o Ruben e o Ruben já surgiu, mais que uma vez, como possível reforço do Liverpool.

      Eliminar
  21. Subscrevo por inteiro. Realmente ás vezes parece que anda alguém a dormir na formação do Porto. Pode-se ter Cristianos Ronaldos de graça. O Sporting teve o seu. O original. No Porto tinha sido muito mais bem espremido e dado mais ao clube antes de sair pelo dobro ou pelo triplo do que saiu do Sporting. O André Gomes é daquelas casos que até faz aflição. Vê-lo acabar no Benfas a marcar contra o Porto, depois ser vendido a um fundo e afirmar-se num dos melhores campeonatos sem nunca ter quase jogado em Portugal ao mais alto nível quando podia estar agora a lutar com o Rúben Neves por um lugar... Mas se calhar ele não é sequer Portista. Estava destinado a sair.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.