segunda-feira, 22 de setembro de 2014

A goleada ao BATE não é a única coisa pré-histórica

Tudo o que podia correr mal, correu. Coisas que não se podem evitar (o dilúvio e a pressão da equipa pequena e dos delegados da liga para que houvesse jogo), coisas que se podiam evitar (a entrada de Maicon é imprudente e pôs-se a jeito), coisas que deviam ter sido mais bem feitas (a exibição e gestão dos momentos do jogo).

Começando pela escolha do 11, a rotatividade do plantel que já dá que falar. Mister, isto das rotações, como já deve ter percebido, vai ser assim: enquanto a equipa ganhar, o mister vai ser o maior, aplaudido, elogiado, porque dá oportunidades a todos, por não haver titulares obriga todos os jogadores a trabalharem no limite e não há conformismos; se correr mal, como hoje, à primeira oportunidade vão cair-lhe em cima, porque não deixa a equipa ganhar uma base, rotinas e não há continuidade. A coisa vai ser mais ou menos assim.

Rotatividade: uma
falsa questão
O Andrés não teve trabalho nenhum na baliza e o Marcano foi o melhor do FC Porto. Se houve problema foi nas substituições, não na equipa titular, por isso falar num problema de rotatividade hoje não faz o menor sentido . Mas não conte com o bom senso de todos, mister. E não só da opinião pública. Rúben ou Casemiro? Tello ou Quaresma? Evandro ou Quintero? Isto já não é um problema da rotatividade, é uma discussão que vai existir sempre, seja qual for o 11. Não importa se é A ou B. Quando o FC Porto ganhar, Lopetegui vai ser aplaudido pelo que optou; quando não ganhar, vai ser criticado por aquilo que não escolheu. A coerência é uma coisa maravilhosa.

As substituições sim, já podem dar que falar. Percebo as alterações de Lopetegui. Não concordo, mas percebo. A entrada de Casemiro visava ter um jogador capaz de baixar para central enquanto servia de primeiro construtor, coisa que Marcano não consegue e num dia em que Rúben Neves, pela primeira vez, pareceu ter mesmo 17 anos. A entrada de Quaresma, a única das 3 que subscrevo, visava dar largura a uma equipa que estava a afunilar, e fê-lo bem, pois mesmo só estando 20 minutos em campo foi o jogador que mais cruzamentos fez (não havia, infelizmente, ninguém para os finalizar - Jackson não dá para tudo). E por fim a entrada de Ádrian, um jogador para dar largura na ala enquanto garantia um finalizador no segundo poste (ou pelo menos era essa intenção, pois nada disso aconteceu). Percebo, mas não concordo. 

O relvado ameaçava ser o problema, mas no decorrer do jogo parou de chover e a terra absorveu bem a chuva. O problema passou a ser a) a inferioridade numérica, b) a incrível dificuldade do FC Porto no início de construção (novamente, chegamos a perder 45 segundos só numa jogada a trocar a bola entre os defesas), c) não há uma mínima capacidade de meia-distância e só 25% dos remates foram à baliza (3 de Jackson e 2 de Brahimi, mais nenhum jogador rematou à baliza).

Por isso, quando amanhã abrirmos os jornais e lermos os destaques de que o FC Porto bateu o recorde de posse de bola (82%), o que vou ler não é algo positivo, mas negativo: uma equipa que tem tanta bola tinha obrigação de criar mais situações de finalização, de rematar mais à baliza. Claro tivemos oportunidades para marcar, mas como disse no início da época, «não vamos poder contar sempre com a pontaria de Jackson». Alguém tinha que aparecer e não apareceu. Podia ter sido Aboubakar? Podia... Mas Lopetegui terá entendido que fazer chuveirinhos contra uma equipa que estava enfiada na grande área não iria funcionar. A tal história: podemos perceber, mas não necessariamente concordar. E há uma linha ténue a separar a convicção da teimosia. 

Jackson não dá
para tudo
Ao fim de 20 minutos, comentava com um amigo que o FC Porto estava a jogar com um a menos. Isto porque o Boavista estava completamente resguardado e o FC Porto mantinha 2 centrais. Um não era necessário na saída de bola e o jogador que «sobrava» podia aproximar-se de Jackson, permitindo assim que o ponta-de-lança não tivesse que baixar tanto (Evandro hoje não conseguiu fazer a ligação). Ironicamente, veio a expulsão de Maicon, que obrigou a que baixasse o tal jogador para junto de Marcano na transição defensiva e que fosse depois o primeiro construtor.

Na expulsão de Maicon, o problema da discórdia não está na entrada. Foi imprudente e efectivamente atingiu o adversário, e se eu visse um jogador do FC Porto sofrer uma entrada daquelas era o primeiro a levantar-me (quem disser o contrário é pura hipocrisia). O problema está sempre na questão «e se fosse outro jogador a ter aquela entrada?», «E aquela entrada que foi igual e não deu cartão»?, etc. etc. Maicon estava a ser, a par de Brahimi e Jackson, um jogador de top 3 do FC Porto no início de época. A expulsão veio na pior altura.

O FC Porto teve as suas oportunidades, e Lopetegui fez questão de o dizer. Como foi dito, percebo, mas não concordo. O FC Porto não teve oportunidades suficientes. Se tivesse tido, teria ganho. Porque mesmo a jogar com 10, o Boavista é a pior equipa a nível técnico da liga, tão má que nem contra-atacar sabe. Tão má e tão pouco ambiciosa quem nem explorar o contra-ataque ou as bolas paradas quis. Não foi bom, e em 2 jornadas são 4 pontos perdidos.

Digo-o desde o início da época: vai ser uma corrida a 3 até ao fim e não há campeões em Abril, nem há passeio para ninguém. Continuo a achar o Benfica o mais forte rival na luta pelo título (o único jogador nuclear que perderam foi Garay, e quem quiser que coma a história de que estão enfraquecidos), mas as deslocações a Alvalade são sempre complicadas. Tanto que nem ao Sporting de Godinho Lopes ganhámos em Lisboa, e eles estavam bem pior do que são hoje. Nem com Vítor Pereira e Villas-Boas lá vencemos. Na sexta-feira, é necessário inverter a história. Lopetegui tem armas para isso, e mister, não é só a goleada ao BATE que já é pré-história.





Iván Marcano (+) - Uma bela surpresa. É certo que o Boavista pouco atacou, mas Marcano teve uma missão ingrata. Teve que lidar com a expulsão de Maicon, improvisar uma dupla de centrais com o médio-defensivo, e cometeu apenas uma falta no seu jogo de estreia no FC Porto. Raramente falhou um passe ou um corte. Está apto para fazer dupla com Indi em Alvalade - se jogarem dois centrais destros é perfeitamente normal, não sei em que universo pode ser um problema a dupla ser canhota.

Jackson Martínez (+) - Sim, hoje não teve a pontaria afinada. E não é obrigado a tê-lo em todos os jogos, pois nenhum ponta-de-lança o tem. Mas hoje viu-se um Jackson a fazer o trabalho sujo com nunca. Vimos Jackson fazer um sprint de 70 metros só para tentar apanhar um extremo do Boavista. Andou pelo chão, usou o corpo, gritou, meteu o pé, deu tudo em campo. No meio de tanto trabalho, merecia que hoje alguém resolvesse por ele. Uma nota elogiosa para Danilo e Ángel, que fizeram quilómetros para dar ao ataque aquilo que o meio-campo nunca conseguiu.





Falta definir (-) - Tello é um jogador veloz, com grande capacidade de drible curto. Mas aqui como em Barcelona, peca por não saber definir os lances da melhor maneira. Quando aborda o 1 para 1, Tello ainda não sabe o que vai fazer. Por norma isto é bom, pois diz muito da imprevisibilidade de um jogador, mas no caso de Tello é tão imprevisível que muitas vezes não sai passe nem remate. Tem que definir melhor, Tello. Nota para Brahimi, que apesar de ter tentado remar contra a maré, tem que aprender a soltar mais a bola, sobretudo quando já está cansado. Tem a ânsia dos craques, de querer resolver, mas de certeza que aos 80 minutos não tem a mesma capacidade física que aos 10. Não é uma crítica negativa, mas sim uma indicação para que aprenda a gerir a sua própria qualidade.

Brahimi: aprender
a jogar cansado
Dinâmica (-) - Quando as equipas jogam com 10 unidades, há tendência para afunilar muito o jogo. Os jogadores sentem-se assim mais próximos, com mais linhas de passe e apoio, e menos distantes na baliza. Mas contra uma equipa que defende como o Boavista, é preciso sobretudo manter as linhas abertas, nos dois flancos. Infelizmente, jogando com 10 o FC Porto não soube contrariar isso, algo que Lopetegui deveria ter explorado melhor. Quaresma, mesmo não sendo decisivo, conseguiu dar largura ao flanco. Resultado? Foi o jogador que mais cruzamentos fez. Infelizmente, a grande área é grande demais quando só há Jackson. Lopetegui quis que Ádrian aparecesse, mas não resultou.

Outros aspectos (-) - Dois livres directos de Rúben Neves, dois lances em que a bola foi para o segundo poste, dois lances em que todos os jogadores atacaram ao primeiro poste. Alguma coisa correu mal. Ou Rúben Neves bateu mal os dois livres, ou os jogadores não se movimentaram da melhor forma. Mister, sabe o que fazia o Costinha há uns anos no FC Porto? Deixava que toda a gente fosse para onde quisesse. Mas o segundo poste era sempre dele. Mister, tem que descobrir o seu Costinha. Porque mesmo que queira que batam as bolas para o primeiro poste, às vezes há-de sobrar uma para o segundo. E assim se ganha um jogo. E por favor, meta o Herrera e companhia a chutar à baliza, à entrada da grande área. O FC Porto quase não tem proveito na meia-distância. E há que colocar o meio-campo a oferecer mais ao ataque, pois caso contrário os laterais vão sempre acabar os jogos rebentados, ao tentar dar ao ataque aquilo que os médios não oferecem. Aquele 4-2-4 diante do BATE não merecia tornar-se pré-histórico e em jogos como hoje daria jeito.

Por fim, o óbvio: não há melhor maneira de curar uma desilusão num derby do que com uma alegria num clássico. Trabalhem, em quantidade e qualidade, para isso, pois o campeonato pode ser longo, mas a margem de erro nem por isso. É que 4 pontos já são pré-históricos.

38 comentários:

  1. Como terreno pesado e escorregadio o lance de Maicon era amarelo e é assim normalmente no campeonato português.

    Se o Maicon foi algo imprudente e este:

    https://www.facebook.com/video.php?v=812501658799866

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O vermelho desse cartão já o tem nas cores do equipamento, na Luz, sempre valeu tudo.

      Eliminar
  2. Concordo plenamente!

    É completamente estúpido ridiculo e idiota referir que houve rotação de equipa.

    Apenas Marcao e Fernandez se estrearam e já foi bem apreciado.

    Onde reside o pecado, a meu ver, foi não ter entrado com a dupla Jackson-Aboubakar ou Jackson-Adrian para empurrar o Boavista mais para trás e reeditar o BATE (este Boavista é bem pior que os Bielorussos).

    As substituições concordo ctg... Casimiro não era necessário, pois Rúben estava a cumprir aquela função hibrica muito bem.

    Quaresma sim, pois Tello já não se mexia e o jogo não lhe correu nada bem.

    E Ádrian uma desgraça... naquele momento era o momento de refrescar o meio-campo... era de entrar Quintero pois jogadomos 75m com 10 jogadores e os dois jogadores que acabaram no meio campo, tiveram 90m nas pernas num terreno pesado e ali é que se tinha que pensar o jogo. Quanto à saída do Herrera tinha de ser, pois estava competamente rebentado.

    ResponderEliminar
  3. Boas.

    Na ultima 4ª feira vi o Porto jogar como há muito não via... 3 dias depois muda-se metade do 11... até o sistema táctico. Lamento, mas não tem lógica nenhuma.

    A brincadeira saiu cara. Isto não é FM.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem no FM isto resulta! e já não jogo FM há anos :)

      Eliminar
  4. Infelizmente não pude ver o jogo, e como tal não vou comentar o que não sei.
    O meu único comentário vai para o Lopetegui. Temos de ter a noção que ele está também a passar uma fase de adaptação à realidade do campeonato Português. Parece-me que ele sobrevaloriza a maioria das equipas do nosso campeonato, e com isso utiliza um estilo mais defensivo (ou menos atacante) do que o que seria mais indicado.
    Ainda está em aprendizagem, a realidade onde ele cresceu é muito diferente pois em Espanha até as equipas mais pequenas se batem (ou tentam) com as equipas mais fortes, o que aqui não acontece.
    Concordo plenamente com a observação do TdD, nestes encontros, principalmente em casa, uma táctica como a que foi utilizada contra o BATE seria mais apropriada. Eu ainda iria mais longe, pois eu era fã da táctica do Adrianse que, salvo a grande diferença na filosofia do jogo e falando apenas na defesa em si (três defesas com um M.Def. que apoia o centro da defesa no momento defensivo) para a grande parte dos jogos da 1ª liga seria a indicada (contra as equipas do "autocarro").
    De qualquer maneira, esta equipa ainda está numa fase embrionária e eu continuo com muita confiança no trabalho deste treinador. Tanto ele como a equipa ainda vão crescer muito ao longo da época e com esse crescimento começaremos também a ver ou futebol mais incisivo no ataque.
    Aguardo o jogo de alvalade com espectativa pois acho que equipas mais abertas são mais favoráveis ao nosso futebol.
    Um bem haja a todos os Portistas, com um apelo a que continuem a apoiar incondicionalmente a equipa,
    Filipe da Costa

    ResponderEliminar
  5. Não podemos perder pontos assim, ate porque vamos jogar a alvalade e se nao ganharmos, provavelmente já ficamos a uma distancia consideravel do benfica que não deve perder muitos pontos na liga...
    Sinceramente, vejo um benfica que não é extraordinario mas é muito consistente e ganha, que isso é que interessa.
    Vai ser um campeonato muito complicado para nós que temos muita qualidade e já o mostramos em algumas ocasiões, mas vamos ter um rival muito dificil.
    So espero que estas arbitragens dos jogos de benfica mudem, se não podem entregar as taças.

    AF

    ResponderEliminar
  6. Obviamente que quando se "aplaude" o treinador quando as opções que toma correm bem, também se tem o direito de o "assobiar" quando estas correm mal. Isto é ser coerente. Incoerente seria dizer que quando corre bem é porque o treinador é óptimo e quando dá para o torto foi o árbitro, os jogadores, a relva, a estrutura ou o alinhamento dos astros.

    Seja como for, como em qualquer tarefa colectiva, quando as coisas correm mal muito dificilmente a culpa é de uma só pessoa. Lopeteguei tem avaliado mal algumas situações e, como tal, tem uma boa dose de culpa. No entanto, ele não está sozinho e nem entra dentro do campo para jogar. Na minha opinião, a rotatividade tem sido de facto excessiva, mas não é por aí que se justifica não ter vencido o Boavista. A expulsão do Maicon também ajudou à festa, mas mesmo isso é apenas mais um dos motivos que levou ao 0-0. Mesmo a jogar com 10 o jogo manteve-se igual, com domínio absoluto do Porto, o facto de ter menos um em campo só pesou verdadeiramente por volta dos 75/80 minutos, altura em que seria normal tirar um defesa para lançar um atacante. Em inferioridade numérica isso não foi possível e Lopetegui acabou por abdicar de usar o Aboubakar depois de na semana passada o ter usado apenas a partir do minuto 89. Isto leva-me à seguinte questão: porque raio é que o Porto tem dois pontas-de-lança no plantel (mais o Adrián) se nem com a possibilidade de perder pontos existe coragem para jogar com os dois em simultâneo?

    Depois há a questão do discurso não bater certo com as atitudes. Aceito que as conferências de imprensa de antevisão sejam uma mera formalidade onde são ditas aquelas frases feitas que encaixam em todos os adversários, mas não entendo como é possível dizer que será um jogo dificílimo e depois trocar seis jogadores no onze, sendo um deles o guarda-redes, quase passando a mensagem que "contra estes dá para tudo".

    http://portistasanonimos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. A questão da rotatividade e das alterações taticas é mesmo assim, umas vezes corre bem outras não e perdem-se pontos. Não vamos saber se seria diferente se tivesse repetido o 11 de 4 feira. parece que vai ser sempre assim, não será dada continuidade a boas exibições coletivas ou individuas, é para rodar então roda. O Adrian podia ter ganho moral com o golo que marcou vai para o banco, o quaresma também não esteve mal vai para o banco, o meio campo tinha jogado bem também se muda. Deixo uma pergunta, qual será o onze de 6 feira em alvalade?
    Mirp

    ResponderEliminar
  8. Dois pontos perdidos inacreditavelmente. Se perdermos em Alvalade e a distância ficar nos 5 pontos, podemos começar a pensar na próxima época. O Benfica não perde 5 pontos no campeonato português...atiram-se para a frente e viram qualquer jogo em 10 minutos...

    Do jogo de ontem...o nosso mister esteve muito mal nas substituições. Casemiro nada trouxe...e Aboubakar devia ter entrado aos 60'. Ainda sou do tempo em que aqueles fracos treinadores que nos garantiram um pentacampeonato metiam todos os avançados que tinham...e em desespero ainda ia um central lá para o meio tentar marcar golo...pelos vistos o futebol mudou...

    pior que a distância...foi o ressuscitar do fantasma "Fonseca"...vamos ver como dar a volta...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que não perde, foi por isso que foram campeões em 2011-12.

      Se a memória não me trai, vamos jogar 2 vezes contra o Benfica, jogos que valem 6 pontos. Mas se ficarmos a 5 pontos à 6ª jornada de um campeonato de 34 rondas, está o título perdido.

      Lê-se com cada coisa!! Grande espírito antes de um clássico. Assim vão longe, não haja dúvida.

      Eliminar
    2. Você ainda se dá ao trabalho de responder a benfiquistas disfarçados de Portistas?

      Eliminar
    3. o campeonato nao esta perdido obvio, obvio tambem que quer empatemos quer perca-mos em alvalade nao estará perdido mas... estara dificil mais dificil e eu sei que o porto fez um grande jogo frente ao BATE e nos dois jogos frente ao lille mas no campeonato e isto é so a minha opiniao ainda nao fez nenhum grande jogo e ainda nao me convenceu, espero que sexta a noite quando me deitar ter uma opiniao diferente mas... estou menos confiante
      e temo que lopetegui nao saiba como por a equipa a ganhar a equipas pequenas portuguesas e isso sera crucial no campeonato

      Eliminar
  9. No meu ponto de vista mais que questionar a rotatividade do plantel (que para mim é uma coisa positiva, seja qual for o resultado final) é discutir o modelo de jogo do treinador.
    No futebol português com este tipo de equipas bastantes fechadas atrás esta táctica simplesmente não funciona,
    Se formos a olhar para as estatísticas e temos 80% de posse de bola sem resultados práticos, a jogar contra um autocarro e para sairmos a jogar temos de fazer 3/4 passes na nossa defesa o que não faz sentido, temos de apostar num futebol mais directo mais prático.
    Como disse lopetegui, fomos mais que 20 vezes à baliza adversária é um facto, mas quantos destes ataque deram oportunidade efectivas de golo? Muito poucas.

    Continuo a ter fé no treinador, porque acho efectivamente competente, mas nada é perfeito e há muita coisa a corrigir efectivamente principalmente para a realidade do nosso campeonato onde mais de metade joga com o autocarro contra os grandes.

    ResponderEliminar
  10. Caro TdD,

    Já acompanho este óptimo blog há algum tempo, e queria aproveitar este resultado menos bom para escrever o meu primeiro post.
    Em primeiro lugar, os meus parabéns pela qualidade do blog. Admiro muito a objectividade, a coerência e a honestidade intelectual apresentadas. Estas têm de ser as nossas armas na luta desigual que travamos contra as influências (essencialmente) vermelhas que dominam os media nacionais.
    No que ao jogo de ontem diz respeito, concordo com a análise feita. O jogo não foi ganho porque também o Lopetegui está em fase de adaptação ao campeonato Português, o que o leva a sobrestimar os nossos adversários. Mas não nos podemos esquecer que também a equipa merece um periodo de adaptação. É uma equipa com um grande potencial mas muito jovem. E este facto (a juventude da equipa) é frequentemente ignorado por quem critica. Aos críticos do Lopetegui ficaria bem também lembrar-se do seguinte: se não fosse o nosso treinador, este potencial todo (que aparentemente ele não sabe aproveitar) nem sequer existiria, pois nunca teríamos Ólivers, Tellos e afins.
    Este começo de época tem sido, na minha opinião, globalmente positivo. Estamos na Liga dos Campeões após termos ultrapassado sem espinhas um adversário potencialmente difícil, e começámos a nossa participação da melhor maneira. Perdemos pontos no campeonato, é verdade, mas criámos volume de jogo suficiente para que tal não acontecesse (o contrário seria preocupante). Não vale a pena pensarmos nos árbitros; se é verdade que temos tido razões de queixa, objectivamente não houve erros escandalosos. Foram erros normais, infelizmente contra nós. Também acontecerão a nosso favor. Não quero com isto dizer que as arbitragens não têm tendências vermelhuscas, mas a isso estamos habituados, e não nos tem impedido de ganhar. Muito.
    Vamos confiar na competência do Lopetegui e dos nossos jogadores, acho que eles merecem a nossa confiança. Penso que se tem visto nas últimas semanas um melhor aproveitamento da equipa B, a meu ver essencial para rodar os menos utilizados e mantê-los competitivos. Seria bom que a B jogasse sempre como a equipa principal, talvez isso esteja a ser trabalhado.
    Despeço-me com um obrigado ao TdD por ter criado esta plataforma (muito) informativa e que permite uma boa troca de ideias.

    Um grande abraço para o TdD e para todos os leitores deste blog.

    Ralph

    ResponderEliminar
  11. A ideia de rodar plantel era boa e tinha tudo para dar certo, se não fosse a chuvada que tornou o relvado num lago antes de começar o jogo. Percebeu-se claramente que o Lopetegui não queria jogar ontem porque não tinha carregadores do piano no 11. Felizmente o relvado la absorveu a maior parte da água e deu para jogar "normalmente". Digo "normalmente" porque esse mesmo relvado tirou-nos uma clara oportunidade de golo fazendo o corte que os jogadores do Boavista não conseguiram fazer.

    No meu ponto de vista o erro do Lopetegui prende-se acima de tudo com as más substituições que fez. O Casemiro entrou manifestamente mal e falhou passes de arrepiar numa zona onde não o podia fazer. A entrada do Quaresma foi boa mas tardia e é incompreensivel como só mete mais alguém para a frente aos 80 min e esse alguém não é um panzer (Aboubakar) mas sim mais alguém para as alas.
    Não queria chuveirinho ? Ok, não precisava. Bastava meter mais alguém a apoiar o Jackson directamente para arranjar mais espaços.

    A equipa de arbitragem a meu ver exagerou no vermelho ao Maicon e tiraram 2 foras de jogo na 1ª parte que não existem. Um deles deixava o Tello isolado.

    E conforme o TdD mencionou, tem que haver mais remates de meia distancia. Estamos a Barcelonizar o jogo em demasia.Queremos entrar com a bola pela baliza dentro em vez de de vez em quando rematar para surpreender.

    4 pontos mt mal perdidos e que com o clássico para a semana podem resultar em mais e um fosso consideravel para os vermelhos que mesmo tremendo que nem varas verdes vão cumprindo internamente e ganhando confiança.

    ResponderEliminar
  12. Estamos a 2 pontos do líder e começam a chover criticas por tudo o que é lado, depressa se esquecem das 34 jornadas que o campeonato tem.
    Na minha opinião apenas duas coisas faltaram, a primeira, a mais ovia, o apoio e aplausos dos adeptos para encenar uma fachada teatral à semelhança do que apresentou recentemente o rival boifica, elegíamos o Maicon homem do jogo e teríamos os jornais a fazerem capa, os comentadores desportivos a fazerem vista grossa ao resultado e lá para quarta-feira, o nosso FCP, publicaria um vídeo agradecer este feito notável no nosso futebol mais a norte, se tudo isto fosse pensado o tal plano B em acção, não existiria, aqui e hoje, duvidas no trabalho do mister Lopetegui.
    A segunda, a mais insensata, foi a escolha do lado do campo a atacar, isso é que de facto não entendi, adivinhando-se um único sentido de jogo durante os 90min, o porquê de termos começado a jogar para o lado onde o campo oferecia piores condições?

    Para terminar, eu segui o jogo pela rádio, passado os 30min que são regra, os 45min do arbitro, que exerceu uma arbitragem tão vertical, deixa serias duvidas sobre o porquê de ter deixado invadir os 2 autocarros do Boavista que o Petit implorava a entrar.
    Era ouvir os comentadores das Antena1 a elogiarem o jogo apresentado pelo Boavista, dizendo que a equipa apresentava caracter e solidez. A bradarem elogios à arbitragem dizendo que o Maicon tinha sido bem expulso e que a arbitragem não tinha de se nivelar pelas caracteristicas do campo naquele momento, foi de rir e se eu pudesse apertava pescoços durante os 90min.
    A arbitragem, mais uma vez, influenciou e beneficiou o topo da tabela, ao Boavista, apesar
    dos 7 cartões amarelos, nem um único vermelho, eu como adepto do FCP, chego ao final do jogo e retiro minhas ilações, o FCP este ano vai ter pano para mangas e não vai ser pouco! ...lembrem-se, os comentadores avermelhados e esverdeados impõem estas duras sanções ao FCP, o tal nivelar da competição, porque no fundo sabem que se não houvesse este jogo de trocas e manhas o campeonato seria um passeio para este FCP.

    ResponderEliminar
  13. sinceramente não concordo minimamente com o comentário ao jogo do Ruben Neves, que começou à medio-defensivo, baixou para central depois da expulsão, passou a jogar a 10 na melhor fase do Porto a seguir ao intervalo, e voltou a médio-defensivo quando entrou o Adrian, e foi dos jogadores mais clarividentes. em contrapartida o Herrera foi a catástrofe habitual e demorou muito tempo a mais a ser substituido, acho que sozinho conseguiu perder mais bolas que todos os outros juntos. o gajo simplesmente não sabe jogar a bola, e ninguém sabe o que anda lá a fazer.

    ResponderEliminar
  14. Já viram os lances mais quentes em termos disciplinares do jogo da luz??

    E as declarações do dirigente do União da Madeira??

    ResponderEliminar
  15. 1º o vermelho é ridículo! Em parte nenhuma era vermelho. Maicon apenas chegou ligeiramente tarde a bola e atingiu o adversário, nem foi por trás nem foi violento! Desta vez sim, ao contrário da semana passada houve um erro grosseiro do árbitro. A jogar com menos 1 gostei muito da atitude dos jogadores, e a equipa jogou bem, e não fosse um jogador completamente desinspirado (Tello) teríamos ganho o jogo! Deveria ter saído muito mais cedo! Fora isso grande jogo do Porto! Quando estávamos com 11 estávamos a esmagar completamente o Boavista! De lembrar que o Benfica contra este fraquinho Boavista só ganhou com uma bomba de longe, com um golo mal anulado do Boavista e a jogar com 11, contar 10 penso eu..

    ResponderEliminar
  16. http://www.gfycat.com/CornyFixedAgouti

    Esta imagem como outras do mesmo jogo andam pela net e pergunto eu, este lance deu o quê, penalty?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o Porto fica calado?? Como é que ninguém fala disto? Estamos a ser roubados desde a temporada passada sem dó nem piedade

      Eliminar
  17. Não sei se concordo. O que eu vi foi jogadores empenhados e com uma frescura física como não se viu o ano passado todo.

    Correram que se fartaram, e foram tentando.

    Concordo que acabaram por ser criadas poucas oportunidades flagrantes de golo, mas a jogar com 10, contra um boavista todo fechado na defesa, não é fácil para qualquer equipa.

    Quando ao Maicon, parece-me correcta a decisão do vermelho. É muito provável que não tenha sido intencional, mas o Maicon não pode entrar por trás com os pitons à mostra, que se falha a bola dá no que se viu.

    De resto, o Adrian continua muito apagado em relação ao resto da equipa, e o Marcano fez um jogo espectacular.

    Resumindo, perdemos 2 pontos, mas não acho que seja muito grave porque a equipa demonstrou ter garra e vontade de vencer. E o treinador pela 1ª vez demonstrou alguma coragem ao deixar 3 defesas + o Ruben neves a descer quando era necessário ajuda, mesmo a jogar com 10.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perna encostada ao chão, numa entrada lateral e não por trás.

      Agora pergunto eu: Qual a diferença entre a entrada do Maicon e o pontapé que o Tello levou nem 5 minutos depois? 2 jogadas semelhantes: o defesa chega tarde à bola, já só apanha a perna do adversário. A diferença é que o Maicon fez um carrinho, muito mais impressionável à vista e jogador que decidiu que o gémeo do Tello dava uma boa bola não vê nem amarelo.

      A impressionabilidade do lance do Maicon define o vermelho, estivesse ele de pé e acertasse à mesma no jogador, por ventura nem amarelo teria visto.
      É mais que notório, nestas últimas 2 jornadas, que as arbitragens estão longe de serem imparciais, tanto pelo que aconteceu em Guimarães e no Dragão, mas também pelo que vimos em Setúbal e na Luz.

      Apesar disso, em Guimarães fizemos um jogo bem conseguido e criámos oportunidades. Neste, não conseguimos criar jogadas flagrantes de golo e é isso que me preocupa. O relvado estava mal, jogámos com 10. Compreendo as dificuldades. Mas compreendo também que andámos a pisar ovos durante muito tempo e acabámos por nos arrepender disso. É um erro que se repetiu em todos os jogos, excepto contra o BATE. Porque nesse já ganhávamos aos 4 minutos, o que permitiu muito mais espaço à equipa. É isso que diferenciou as equipas de AVB e VP. Uma entrava a matar e decidia na primeira parte, a outra ia pacientemente oferecendo as primeiras partes ao (anti)jogo do adversário.

      De resto, estou ficando um pouco farto do Magalhães. Por muito respeito que me mereça como grande jogador que foi no nosso clube, os seus comentários incendiários sempre que a equipa não ganha, em exclusivo para a Cofina, começam a meter-me um nojo descomunal.


      AA

      Eliminar
  18. O Jaime Magalhães é outro que calado era poeta.
    Se procurasse mas era melhorar a qualidade dos seus comentários no programa em que participa.

    ResponderEliminar
  19. Olá
    Li na blogosfera que O treinador do FCPorto, no final do jogo, «seguiu o exemplo» de Quaresma e abandonou o campo sem ir aplaudir os adeptos?
    Verdade?...ou mentira?

    ______________

    Quanto ao jogo e ao resultado...ainda muita água irá correr sob as pontes; unam-se e apoiem a equipa, guardando as «pedradas» para os adversários.

    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
  20. A equipa jogou bem. As condições eram adversas e digamos foi um teste a equipa, ja vimos um Porto a ganhar até um título internacional em condições mais adversas, em que a neve nem deixava a bola rolar, por isso este jogo com o Boavista que sirva como "abre olhos".
    O Marcano jogou bem o que me deixa mais confiante para o jogo de alvalade, so ha uns pormenores como o de fazer passes longos que a mim nao me agrada e espero que reveja.
    De resto o pior que pode acontecer é perdermos em alvalade. Porém acho que temos equipa para sair de la com uma vitória e ha que meter nesse jogo "a carne toda no assador", é um jogo muito importante, é para marcar o mais cedo possivel o 2 a 0.
    Força JL, contamos contigo e com todos os jogadores na melhor forma.

    ResponderEliminar
  21. Eu aceitaria o vermelho exibido ao Maicon, se fosse normal em Portugal expulsar por esse tipo de entrada. Depois no jogo, houve um jogador que também entrou por trás e fez uma tesourada; seria então também para vermelho?!?!?! Em futuros jogos da liga portuguesa, estou para ver como irão avaliar idênticas entradas. (Amarelo, pois claro! Vai uma aposta?)

    ResponderEliminar
  22. É dificil acreditar que podemos lutar pelo titulo quando ainda nao percebemos que estes jogos sao para ganhar ponto final. Continuamos apenas preocupados em dominar os jogos e nao em ganha-los. Nao é por acaso que em 5 jogos temos 7 golos, até o Sporting tem mais 1 marcado. Eu sei que estamos no inicio, mas ou Lopetegui rapidamente percebe que em vários jogos o resultado vai ser o mais importante ou quando acordar já estaremos muito longe de sequer podermos discutir alguma coisa.

    ResponderEliminar
  23. O arbitro tinha reprovado nos testes escritos?

    E só pode arbitrar na quarta/feira um jogo secundario e vai logo arbitrar um derby???!!!

    ResponderEliminar
  24. Cada um que tire as conclusões que quiser sobre o aproposito da nomeação de JF(único jogo que arbitro tinha apitado antes do derby):

    quinta-feira, 18 de setembro de 2014

    Freamunde-Leixões, 2-0: Vitória dá liderança isolada

    JOGO MARCADO POR 15 AMARELOS E TRÊS VERMELHOS

    O Freamunde recebeu e venceu o Leixões por 2-0, com um golo em cada parte, ascendendo isolado à liderança da 2.ª Liga , num jogo da sétima jornada marcado por 15 cartões amarelos e três vermelhos.

    A estatística negra do jogo, que inclui também a expulsão do técnico Freamunde, Filó, desvirtua o que se passou em campo e só se entende por sede de protagonismo de um árbitro que não teve critério.../...(in recor on line)

    ResponderEliminar
  25. Não li todos os comentários, por isso não sei se já falaram deste ponto. Mas para mim logo a primeira falha grave da equipa técnica., foi na escolha de campo não se entende como naquelas condições escolhem o lado do campo para atacar que em pior estado estava. Podia haver a desculpa que o FCP troca muito a bola na defesa mas só tinham de subir a linha... que aproveitou foi o Boavista. Espero que tenham aprendido...

    ResponderEliminar
  26. Quem viu hoje o programa "90 minutos à Porto" no Porto Canal viu lances da parte dos jogadores do Boavista que segundo o critério do arbitro JFerreira, eram perfeitamente merecedores de expulsão.

    ResponderEliminar
  27. O porto mesmo com 10 fez o suficiente para ganhar..
    Nao ganhou mas nada esta perdido..
    O campeonato ainda agora comecou e quem ve o benfica jogar sabe que pode perder pontos em QUALQUER estadio e viu se isso no besso nao fosse aqele fora de jogo escandaloso que invalidou o golo do boavista, ou o fora de jogo ao setubal que empatava o jogo, ou a expulsao perdoada ao enzo contra o moreirense quando o benfica ja perdia.. Tenho mais 'medo' de jogar em casa contra o boavista, do que em alvalade.. Sexta sera um jogo aberto, e o porto tem tudo para ganhar..
    Nao critico a rotatividade, os jogadores que entraram tiveram bem.
    Entrou marcano e este otimo, jose angel tambem, ruben neves entrou e os mesmo que criticam a rotatividade sao os mesmo que defendiam que ruben e superior a casimiro, entrou evandro e os mesmos que criticam sao aqueles que diziam que ja merecia ser titular pela maneira que muda os jogos quando entra. E entrou tello, que é um possivel titual em todos os jogos..
    O boavista a jogar na segunda liga era um candidato a descida!! Que vergonha de equipa e o jornal Record faz capa a dizer ' Boavistao voltou'
    Ve se mesmo o pais em que vivemos.. Em Inglaterra eram criticados por terem abdiado d ataque a jogar com mai um homem!

    ResponderEliminar
  28. Eu posso saber pq é que vocês não aceitam os meus comentários? Já comentei 2 ou 3 vezes e eles nunca aparece. Nunca disse nada de errado e muito menos fui mal educado, normalmente até escrevo a concordar convosco. O meu e-mail é: goncalo.sa.ribeiro@gmail.com. Se tiverem oportunidade expliquem-me..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho memória de ter rejeitado nenhum comentário de nenhum «Gonçalo». Se foram rejeitados, ou houve algum engano, ou foi violado o princípio básico de não confundir liberdade de expressão com o direito à injúria, ao insulto e à difamação.

      Eliminar
  29. Por norma não gosto de falar de arbitragem, contudo vou fazer uma excepção. O vermelho seria correcto, se este tipo de decisão fosse habitual no campeonato português.
    Depois,o campo encharcado também não ajudou nada.

    Um dos grandes problemas na minha óptica, está no meio campo. O FCP não consegue "fazer jogo na zona central do adversário" ficando muito dependente das individualidades (Brahimi) e procurando jogar sempre pelas alas. Outra coisa que acho que está a faltar são mais "cruzamentos atrasados", de modo a proporcionar o surgimento de jogadores vindos de trás.

    Como já comentado por alguns "users" também me parece que a equipa ainda está em fase de adaptação, há semelhança da época de André Vilas Boas.
    Também gostei do empenho dos jogadores e da condição física apresentada.

    Para finalizar, tenho muita confiança no trabalho de Lopetegui e seus adjuntos para o que falta desta época.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.