quarta-feira, 3 de setembro de 2014

A lista para a Champions

Qualquer que fosse a lista seria difícil de agradar a todos e de garantir consenso. Lopetegui fê-lo dentro dos possíveis. A lista de inscritos para a Champions não inclui Helton, Reyes, Opare, Ángel, Campaña e Otávio, pois como ontem aqui tinha sido referido dos 23 estrangeiros só podiam ir 17.

Os três Ricardos, Nunes, Pereira e Quaresma, tinham que ser inscritos. Tiago Rodrigues podia ficar com a quarta vaga (era o único candidato), mas a possibilidade de sair continua em aberto até ao final da semana, apesar da equipa B já ter reservada a camisola 90 para ele. Rúben Neves acabou por ser inscrito como jogador de lista A, o que não era necessário, e David Bruno mantém-se na lista que já tinha ido ao play-off. Vamos à análise, sector por sector.

Guarda-redes:
5 jogos, 0 golos sofridos

Ricardo tinha que ser inscrito de qualquer maneira, o que podia implicar que Fabiano ou Andrés fossem excluídos. Era uma das decisões mais complicadas para Lopetegui. Andrés foi contratado pois o treinador entendia que não havia qualidade suficiente para a baliza, mas manteve a confiança em Fabiano. Ao fim de 5 jogos, nenhum golo sofrido. Não é o protótipo de guarda-redes que faça a equipa respirar confiança, mas tem cumprido bem. Riscá-lo já da Champions seria perigoso, pois acabaria com a confiança que aos poucos está a construir. 

Além disso, a política de rotação de guarda-redes, um para a Champions e outro para UEFA, seria um erro colossal, pois isso diria que tanto um como outro, independentemente do trabalho desenvolvido ao longo da semana, já saberiam se iam ou não jogar. Felizmente Lopetegui decidiu bem. Fabiano é o dono do lugar e Andrés tem que lutar por ele. Seja para que competição for.

Além dos 3 guarda-redes do plantel principal, o FC Porto inscreveu mais 3: Andorinha, Kadu e André Caio. Naturalmente, só para prevenir uma onda de lesões na baliza.

Defesas:

Ainda sem espaço
Escolhas difíceis. Reyes, Opare e Ángel foram sacrificados neste sector. O caso de Reyes é o mais delicado. Isto confirma que é o 4º central da hierarquia, o que na sua condição será complicado, pois precisa de jogar com regularidade para evoluir.

Perto do fecho do mercado colocou-se a hipótese de ser emprestado, mas isso era contra-natura: assim o FC Porto tinha que contratar outro central, o que não faria sentido - emprestar o central de 7 milhões para ir buscar mais um? Reyes ficou no plantel e será difícil ter oportunidades, mas foi a solução tomada e terá que trabalhar para evoluir neste contexto.

Opare não é surpresa. Chegou como candidato a ser o substituto de Danilo e Alex Sandro, mas confirmam-se as suspeitas já trazidas do Standard: é muito susceptível a lesões. Quanto ao lado direito da defesa, Ricardo é uma boa alternativa. Do lado esquerdo, tanto Indi como Marcano podem fazer a posição. Depois claro que surge o problema: se um deles for desviado para a lateral, não sobra nenhum central suplente... Ou será que sim?

Diogo Verdasca será o quarto central para as competições europeias. Júnior de segundo ano, internacional sub-18, é uma das promessas da formação do FC Porto. O contexto de equipa B será benéfico para preparar o jogador para a eventualidade de ter que ser chamado.

Além das alternativas já referidas para os flancos há David Bruno, inscrito por ser o único formado no clube, e para a esquerda temos Rafa e Tomás Mota. Rui Silva pode fazer o lado direito, mas qualquer destes jogadores só será ponderado se as restantes alternativas a Danilo e Alex Sandro (Ricardo, Indi, Márcano) não estiverem disponíveis.

Médios:

Ser inscrito antes de
treinar? Não.
Lopetegui disse que precisava de reforços para o meio-campo e Óliver Torres pode falhar os primeiros jogos contra BATE e Shakhtar. Isto podia significar a oportunidade para Campaña ser já inscrito (sobre Otávio já ontem tinha sido referido que dificilmente será aposta a curto prazo), mas Lopetegui obedeceu ao bom senso.

Que sentido faria inscrever Campaña (e quem diz Campaña diz Otávio) sem que antes tivesse feito um único treino pelo FC Porto? Lopetegui premiou, e bem, quem já levava semanas de trabalho a tentar chegar à Champions.

Casemiro e Rúben Neves são as soluções para a posição mais recuada, mas Lopetegui também já os utilizou mais adiantados. É difícil rotular os jogadores do meio-campo do FC Porto como sendo 6, 8 ou 10, pois Lopetegui usa-os com muita versatilidade. Assim, para o miolo há 6 soluções, contando com Brahimi, Evandro, Herrera e Óliver, podendo Quintero ser a 7ª.

Na lista B, temos uma série de soluções para o caso de haver uma vaga de lesões no meio-campo: Mikel, Chico, João Graça, Tomás, Rui Moreira, Belinha, Cléver e Leandro Silva

Avançados:

Mesmo sem contar com Ricardo, Quintero, Óliver e Brahimi, o FC Porto tem variadas e boas soluções para o ataque. Quaresma, Tello e Adrián para as alas, Aboubakar e Jackson para a posição 9. Há ainda Kelvin, da lista B. Não havia grandes dúvidas em relação a este sector.

Na lista B temos também Ivo Rodrigues, Gonçalo Paciência e André Silva, além de Macedo, Fred, Mata, Sérgio Ribeiro e Bruno Costa.

Uma lista que não dá garantias de nada (nenhuma dá), mas que oferece todas as condições para lutar por qualquer objectivo. O primeiro está marcado para 17 de Setembro: vencer o BATE.


9 comentários:

  1. Gostei de ver especialmente Quintero ser convocado. Ele que no último jogo demostrou vontade de se afirmar o que muitas vezes é prejudicial. Desta feita, se JL o meteu na lista para a champions entao esta a demostrar a confiança que ele precisa. Quanto a Reyes, acho que poderá bem ser titular em rotatividade em alguns jogos (nomeadamente a "Taça da cerveja") para se afirmar já para um proximo ano, ele que cresceu muito este ano e sabemos que terá que crescer ainda mais para mostrar todo o seu potencial (a imagem de Ricardo Carvalho, que era conhecido como um central rápido....).

    E que o primeiro jogo da champions comece com mais uma vitoria, proncipalmente a seguir à vitoria contra o vitoria ^^

    ResponderEliminar
  2. Pois o problema é mesmo na defesa. David Bruno e outros defesas da lista B não contam na prática. e sendo assim só temos 5 defesas. uma lesão e um castigo e depois como é?

    Análise à blogoesfera portista com críticas e elogios sempre que se justifique aqui neste blog:

    http://maisumblogdofcp.blogspot.pt/

    Obrigado pela publicidade

    ResponderEliminar
  3. O Reyes pode ir jogando os jogos da prova internacional da equipa B, E Mikel faz bem de defesa central.

    ResponderEliminar
  4. Depois da 1ª falha publica do Julen, inicialmente disse que não havia titulares mas as suas declarações após o moreirense sobre a lesão do oliver torres deram-me a sensação de ter entrado em contradição, ao dar grande importancia ao miudo.
    Nesta questão penso que atuou bem, 2 reforços acabados de chegar, se fossem inscritos seria injusto para quem está cá desde o inicio da epoca, a nao ser que fosse alguem com grande estatuto (como aconteceu com o nani no sporting).
    Otavio vai demorar a ter espaço, ja o campagna pode jogar nas competiçoes internas, so espero que nao retire espaço ao ruben neves.

    ResponderEliminar
  5. E o Francisco Ramos também poderá ser opção?

    ResponderEliminar
  6. O Zé Antonio pode ser inscrito para a LC???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto podia, mas é uma hipótese nem sequer ponderada.

      Eliminar
  7. Confio no mister mas ter apenas 6 defesas da equipa principal pode ser arriscado. Jogou com a versatilidade dos jogadores porém o problema é se por exemplo se lesiona 1 central e o outro está castigado. Lançar um central sub-19 num jogo de Champions pode ser arriscado, mas esperemos que isso não aconteça. Quanto ao resto era o esperado.

    Agora é aproveitar a paragem para as seleções para observar com mais atenção os jogadores da equipa B e da sub-19. Quem sabe não haja mais jogadores capazes de merecer a confiança do mister a curto prazo.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.