domingo, 26 de julho de 2015

Não há imodium que pare isto

A diarreia continua. E vai continuar pelo menos até 2016, ano em que termina o mandato de Vítor Pereira. Até lá, continuaremos a ter um presidente do CA que passa mais tempo no Seixal do que a prezar pela transparência e competência no futebol português.

Imune a ataques
O sorteio dos árbitros não era bom para a classe de arbitragem, mas era essencial para o futebol português. Sobretudo porque era a única forma de retirar a Vítor Pereira a capacidade de gerir nomeações que só agradam à minoria, que não têm lógica, coerência ou princípio de critério para todos os clubes. Só um clube sai beneficiado disto acima de todos os outros: o Benfica. Precisamente o clube que mais fez força contra o sorteio. 

O poder da liga, infelizmente além de ser redutor (tem apenas 20 delegados de um universo de 88 - e houve 17 que se calhar também tiveram problemas intestinais, por isso faltaram à votação), tem o sentido de voto comprometido. Na AG da Liga, houve 28 votos a favor e 16 contra. Tudo isto porque a maioria dos clubes já não consegue ignorar o que se passa no CA. Apenas um clube descansa com tudo isto, pois se a coisa no mercado não está a correr da melhor forma há que manter o cavalo de tróia que se chama nomeações: vai soltando um grego (leia-se, árbitro) de cada vez, conforme a vontade de Vítor Pereira.

Na época passada, o FC Porto assobiou para o lado. A reação à AG da Liga, para já, resume-se a um «cartão amarelo alaranjado da maioria dos clubes a Vítor Pereira» no Dragões Diário. E pronto, é isto. 2014-15 já mostrou que Lopetegui e um grande plantel pode não chegar para o título se o manto estiver bem estendido. O FC Porto vai perder pontos ao longo da época, como é natural. Depois façam-se as contas de quantos pontos o FC Porto perdeu por culpa própria e de quantos o rival ganhou por mérito de outrem. E no final culpa-se Lopetegui e uns quantos jogadores, certamente.

Chega de passividade. Não se ganham campeonatos em piloto automático, não se ganham campeonatos seja quem for o treinador. A última época foi a fatura do que se começou a desenhar há quatro anos. Nas eleições de 2011, o FC Porto não ficou com nenhum dos 20 delegados da Liga à AG da FPF (seria apenas um voto, mas marcaria posição). Nem sequer marcou presença na reunião que decidiu, na altura, a lista, nem votou. Porque chegou-se a um ponto de crença de que o FC Porto ganharia de qualquer forma, sob qualquer circunstância. Enquanto o FC Porto ficou à margem deste processo, eram eleitos, entre delegados e suplentes, ilustres como...

1. Pragal Colaço, advogado de Jacinto Paixão no processo Apito Dourado e colaborador da Benfica TV.

2. Mário Figueiredo, não outro que não o próprio ex-presidente da liga.

3. Carlos Deus Pereira, não outro que não o ex-jogador do Benfica e antigo escudeiro de Mário Figueiredo na presidência da Liga.

4. Herve Santos, ex-membro do Conselho Fiscal da Liga, cuja lista tinha no ex-dirigente do Benfica Adriano Afonso o presidente da Mesa da AG. Lista essa que tinha o Benfica como representante da primeira liga, ao contrário de FC Porto e clubes como Sporting, Braga ou Guimarães.

5. Horário Bastos, eleito pela Oliveirense mas benfiquista assumido no seu perfil no Facebook.

6. João Martins, que fez parte do departamento jurídico do Vitória SC que tentou afastar o FC Porto da Champions em 2008.

7. Bernardo Vasconcelos, secretário da ANJE, que teve no candidato à presidência do Benfica Bruno Carvalho um dos vices e é liderada por João Koehler.

8. Ricardo Lopes, que também não se coíbe de mostrar a preferência pelo Benfica nas redes sociais.

9. Lércio Pinto, rendido aos slogans «34» e «ninguém para o Benfica» nas redes sociais.

10. Manuel Barbosa, que aparenta não estar muito satisfeito com as saídas de Jorge Jesus e Maxi Pereira, mais uma vez com base num perfil social e em comentários pouco elegantes.

De notar que pela liga são eleitos apenas 20 delegados. Isto é um cheirinho de quem tem a palavra no futebol português. Vítor Pereira controla as nomeações a bel-prazer, promove e despromove árbitros sem critério. E tudo que o FC Porto tem para responder a isto é um cartão amarelo alaranjado?

Sócio não, já adepto...
Uma ideia: lembram-se de ver Jacinto Paixão na Benfica TV? Que tal convidar Marco Ferreira para falar no Porto Canal? Está há semanas a escrever textos gravíssimos no Facebook. Tirando a RTP Informação, que fez o serviço público que lhe competia após a despromoção, Marco Ferreira não falou a nenhum órgão de comunicação social. É ele que não quer dar entrevistas ou não querem que o entrevistado seja ouvido?

Fun fact, Marco Ferreira cresceu como simpatizante do... Benfica. Quando lhe perguntaram, numa entrevista antes de um Sporting-Benfica, se era adepto do Benfica, ele disse que não era... sócio. Ou seja, não disse que não era adepto, disse que não era sócio. De qualquer forma, era um dos bons árbitros do futebol português. Errava, como todos erram, mas sem insistente parcialidade.

Marco Ferreira em 2014
Além disso, era uma pessoa com genuína paixão pela arbitragem. Marco Ferreira tinha uma carreira como bancário que lhe daria segurança e dinheiro até ao fim dos seus dias. Mas deixou a carreira de bancário para se dedicar à arbitragem. Por paixão, dizia ele. E é possível acreditar que sim. O resultado foi uma CA que lhe cuspiu na cara.

E o problema não são só as nomeações de árbitros. São também as dos observadores, como tão bem critica Marco Ferreira. Em 2013, Vítor Pereira recusou passar a tornar públicas as notas dos observadores. Agora queixa-se que é necessária transparência. Curioso, então por que escondeu as notas dos observadores? E os critérios para nomear os observadores, podemos conhecê-los? Não são avaliados, não têm classificação. Os observadores surgem a convite de Vítor Pereira, que se perdesse o controlo das nomeações, perderia tudo. E um determinado clube também.

Deixem, pelo menos, falar Marco Ferreira, porque já deu para ver que não há imodium suficiente no mundo que pare isto.

PS: Pedro Proença é uma boa solução para a Liga. Infelizmente, parece ser uma pessoa demasiado íntegra, coerente e competente para ser bem aceite no futebol português. Por cá, merece apreço suficiente para ser a melhor solução associada à Liga em muitos anos. 

17 comentários:

  1. Se é você que mostra esta preocupação então nós, os que nada sabemos mas que sabemos que você sabe o que toda gente pressente, então, mesmo com o esforço da SAD, temos razões para fortes preocupações. Da minha parte, além de não me calar com o Março Ferreira, vou partilhar.

    ResponderEliminar
  2. Pedro proença reunirá votos e apoio de clubes suficientes para vencer as eleiçoes?

    ResponderEliminar
  3. Então está na hora dos torcedores FCP começarem a agir.
    Vitor Pereira e seus pares precisam de uns apertões que deixem marcas.
    Com diplomacia não vai haver mudanças.
    Por mim fica o aviso, quando encontrar alguns desses na via pública deixo minha marca e não vou esquecer também alguns da CS, o de Paredes então esse não alhevio.

    Jorge

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falas muito mas nao dizes nada...pancadaria para a frente e siga para bingo!!!!
      Depois la vem a comunicacao social dizer que no Norte se resolvem as coisas ao soco e coisas do genero!!!

      O unico caminho passa por voltar a ganhar o controlo do futebol portugues, ou pelo menos nao deixar que outros o controlem!

      luis

      Eliminar
  4. Tantas verdades juntas TDD. Parabéns por como sempre estares na vanguarda da defesa do nosso clube. Oxalá a tua voz chegasse mais longe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CHEGUE mais longe. Não duvido que um dia vá mesmo chegar mais longe. Parabéns TDD pela opinião coerente e credível, sempre apoiada por FACTOS reais.

      Eliminar
  5. Record apresenta-lhe todos os passos da metodologia que a partir de agora estará em vigor para tentar reduzir a margem de erros na classificação dos árbitros.

    1. Até 45’ após o final do jogo – a gravação do jogo em suporte digital é entregue ao observador, que tira dúvidas sobre eventuais erros graves (ex: grandes penalidades, cartões vermelhos mostrados ou por mostrar, lances dentro ou fora das áreas, segundo cartão amarelo, etc.). O vídeo não serve para avaliar decisões relativas a lances sem gravidade (ex: faltas sem sanção disciplinar ou primeiros cartões amarelos);

    2. Até 60’ após o jogo – o observador dá a nota ao árbitro;

    3. Até cinco dias após o jogo – o árbitro recebe o relatório do observador;

    4. Nos cinco dias úteis após a receção do relatório – o árbitro pode reclamar para a CAR da avaliação feita pelo observador.

    5. Haja ou não recurso por parte do árbitro – um visionador da CAR vê o jogo, dá uma nota ao árbitro e faz um relatório. Envia para a Secção de Classificações do CA;

    6. Secção de Classificações do CA – compara as notas atribuídas pelo observador e pelo visionador da CAR e verifica se há divergências (para além de um determinado intervalo, a decidir);

    7. Se houver divergências de nota – é aberto um processo de reclamação, que segue os trâmites normais na CAR e é avaliado pelos outros seis elementos da comissão (o visionador do jogo não participa no processo). A CAR faz um parecer de proposta de decisão à Secção de Classificações, a qual depois toma a decisão em plenário (quatro membros), com voto de qualidade do vice-presidente do CA Ferreira Nunes, que preside à secção;

    8. Se não houver divergências de nota – a nota é homologada;

    9. Não há qualquer ponderação superior da avaliação feita pelo visionador da CAR relativamente à feita pelo observador – ou a nota é homologada, por não haver divergências, ou é aberto um processo de reclamação e a Secção de Classificações decide a nota, após parecer da CAR.


    Será interessante verificar se depois de todas estas medidas alguém, seja quem for, tem a distinta lata de se queixar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todas essas medidas surgem três anos após o CA ter rejeitado as gravações de jogos por vídeo.

      Agora, essa é a solução da FPF para resolver a crise na arbitragem. A mesma solução que custou milhares à Liga em testes em 2012, que contribuiu para o buraco de 6M€ na Liga e que foi descartada.

      Subitamente, 3 anos depois esse projeto sai da gaveta e agora é visto como uma solução milagrosa. Foi uma solução rejeitada pelos árbitros. E agora é vista como a salvação para as avaliações aos árbitros.

      Curioso, curioso. Mas não inocente.

      Eliminar
    2. A mulher de César não precisa de parecer apenas séria.....tem de o Ser!
      Um pequeno comentário seu....acha que Pedro Proença se por milagre ganhasse na Liga....teria capacidade para alterar o panorama?

      Eliminar
    3. Se foi rejeitada e se é inocente ou não pouco interessa. O que importa é se vai resolver os problemas. Eu acho que sim. Vale mais tarde...

      Eliminar
    4. Meu caro ?anónimo?, ninguém se queixa de medidas, sejam elas plenas ou apenas meias, nem tão pouco tem a ver se se apresentam simples ou, como as enumerou, elaboradas. As queixas vêm da forma repetida, e sistemática como elas são pervertidas e a forma impune e descarada com que o são. E os aliados do seu branqueamento, alguns media, e instituições que deviam zelar pela justiça no país, independentemente dos protagonistas. Pena é que haja cargos que tornam alguns incumpridores intocáveis.

      Eliminar
  6. Vi agora no zerozero Braima Cande emprestado ao mirandela? ah?
    se vai para o mirandela depois de na epoca passada ter estado no freamunde é porque nao tem valor nao fazia muito mais sentido ir em defenitivo e livertar o clube de encargos salariais?
    ja para nao falar em anderson dim, celestin djim, david bruno, fidelis... andamos agora a abastecer equipas da segunda liga? é para o proença ganhar apoiantes?
    espero que rolando, quinones, djalma e outros que tal vao em definitivo, ja temos perto de 20 emprestados e ainda quase outros 20 por colocar
    kadu alguem sabe dele?

    ResponderEliminar
  7. Muito bem!.. Excelente post. Junto a minha indignação pela farsa em que se converteu o futebol português. Os Portistas devem fazer ouvir a nossa voz para que as coisas mudem pois no estado em que estão não vamos lá.

    ResponderEliminar
  8. Só tenho pena de ler isto aqui e não no site do clube ou num comunicado...

    Obrigado TdD por ajudar a defender o nosso clube.

    João Reis

    ResponderEliminar
  9. Para evitar esta enorme palhaçada chamada de liga e conselho de arbitragem o melhor que o Porto poderia fazer era passar a disputar a liga espanhola ou então criar juntamente com os outros clubes do norte uma liga só do norte. Deixar os frustrados sozinhos assim é que eles estão bem

    ResponderEliminar
  10. Repare que isto é dito por um dos integrante da estrutura!

    Não perdemos Luís. Eu acho que o Benfica ganhou. Aliás acho que só perde alguma coisa devido ao voluntarismo e lealdade do seu presidente. A meu ver o Benfica, depois do resultado da votação na assembleia geral da fpf devia ter estado acima desta votação. A verdade é que a liga, naquilo que é a relação de forças do futebol, é o Portugal dos Pequeninos. E o Benfica devia ter ficado de fora porque Vieira onde está a sede do poder. E essa sede está muito longe da Liga.

    ResponderEliminar
  11. em relaçao a marco ferreira quem tem de intervir é o MP. Se existem suspeitas pois que seja o MP a intervir como fez em outras ocasioes contra o porto. Sera preciso algo mais do que o tal ex arbitro diz?

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.