quarta-feira, 15 de julho de 2015

Lutar por nós sem (ainda) ser um de nós

Maxi Pereira já é jogador do FC Porto. E agora, que fazer? Rasgar o cartão de sócio, fazer boicote aos jogos e passar a assobiar quem veste a nossa camisola? Claro que não. A opinião já foi aprofundada aqui. Agora, Maxi Pereira é mais um a lutar a nosso lado pelo regresso aos títulos. Não é, ainda, dos nossos. Mas vai lutar por nós, que para já é o que basta e se exige. 

Oportunidade
Se estiver em campo com a mesma postura com que representou o Benfica (o tal espírito de sacrífico de que gostamos), tudo estará bem. Dificilmente gozará da mesma impunidade, mas os nossos camisola 2 estão habituados a isso. 

Agora, cabe aos adeptos darem a Maxi Pereira a oportunidade que devem dar a todos os jogadores: a oportunidade de conquistarem os adeptos pelo seu empenho e trabalho dentro de campo. Não temos que subscrever a contratação, mas devemos compreendê-la. Contrato de 3 anos, o que defende um pouquinho melhor o clube, e pouco mais há a acrescentar. De destacar a importância de Pinto da Costa ter dado a cara pela contratação e explicado tudo, embora o negócio tenha sido conduzido por Antero Henrique, como o próprio confirmou.

Não deixa de ser curioso constatar a vulnerabilidade de um Benfica bicampeão. Na sua melhor fase em três décadas, não conseguiu evitar perder o treinador para um rival e um jogador nuclear para outro. Acaba por ser uma consequência da sua frágil situação financeira, mas também que mostra que os seus profissionais nem num Benfica bicampeão sentiram confiança e segurança para continuar. Não deixará de ser uma corrida a 3, mas fica a interessante nota. Ah, e o Sporting só irá buscar quem o FC Porto não quiser, como este mercado já o comprovou. Logo, na hora de escolher, o FC Porto, mesmo não ganhando nada há dois anos, ainda é o mais desejado. Não podemos ignorar o fator financeiro, mas o estatuto também tem dólar.

Não precisamos que Maxi Pereira faça juras de amor ao FC Porto, que comece a renegar publicamente o Benfica e que desate a apregoar portismo. Não, basta que se defenda esta camisola até ao limite, até à última gota de suor, com profissionalismo, e perceber o risco que o FC Porto assumiu ao contratá-lo, não só financeiro como até mesmo na relação adepto-clube. Desportivamente, há muito a ganhar e para ganhar. E o trabalho para alcançar esse objetivo já começou.

Época de afirmação como 9 futuro
Os resultados não merecem grande importância nesta altura, mas é sempre bom abrir a pré-época a ganhar e a fazer golos. Neste caso, com André Silva a marcar pontos. Teve uma época prejudicada em 2014-15 pelo impasse na renovação (que não foi culpa do jogador) e pelo 4x3x3 da B que só dava lugar a Gonçalo Paciência a 9, além de continuarmos sem ter um treinador com mínimo perfil para orientar os bês (isto sim, preocupante, tendo em conta que da B podem sair talentos que valham mais do que meia dúzia de patrocínios - quando houver novidades neste aspeto, serão tema, certamente).

Gonçalo Paciência, já se sabe, vai sair por empréstimo. Percebe-se e aceita-se a decisão, pois vai para o 3º ano de sénior e praticamente ainda não teve futebol de primeira liga. Só se torna incompreensível a decisão de o ter mantido no plantel na segunda metade de 2014-15, tendo em conta que agora sairá para um clube que não terá as rotinas do FC Porto, de futebol de posse que usa o 9 como um apoio e não como uma referência para o pontapé para a frente. Que Gonçalo renove e volte, é o que se deseja e exige. Até lá, André Silva e Leonardo Ruiz (que assinou um novo contrato de empréstimo, decisão lamentável - a cláusula de compra era de exercer logo, pois assim a futura compra arrisca-se a uma inflação e a mais concorrência), com Rui Pedro aos poucos, são os nomes que merecem toda a atenção e dedicação na B. André Silva já está uns degraus acima, o que ainda assim não lhe dá lugar no plantel, mas certamente Lopetegui terá minutos para ele ao longo da época, quando as circunstâncias se conjugarem para tal. 

Falando ainda da formação. David Bruno volta a fazer uma pré-época, novamente por circunstância de carência na posição, mas já vai para o 5º ano de senior sem nunca ter jogado na primeira liga. Tem forçosamente que fazê-lo este ano, para bem da carreira do jogador, que é o miúdo com mais anos de FC Porto na formação. Uma palavra para Chico Ramos, que segundo O Jogo pode ser o novo Rúben Neves e vai ficar no plantel. Provavelmente não será assim, pois o meio-campo ainda vai ter que emagrecer e ainda nem acabou de engordar, mas de destacar que fez um bom primeiro ano de senior na equipa B e é titular no FC Porto e nas seleções desde os iniciados. Tem futuro, mesmo que não seja imediato.

Para terminar, uma palavra a dois jogadores que deixam o FC Porto rumo ao novo brinquedo de Pini Zahavi. Frédéric sai a título definitivo, ficando o FC Porto com parte do passe (tecnicamente de futura venda), e é pena que não tenha renovado e sido meramente emprestado. Não voltou ao Sporting porque não quis e é um nome ao qual não convém perder o rasto. E Pavlovski sai após um segundo ano de empréstimo. Sempre que esteve em campo, vimos qualidade. Por que é que não passou mais tempo em campo, é um mistério. O futuro esclarecerá se foi mal aproveitado, o que parece ter sido. Melhor sorte aos dois miúdos.

15 comentários:

  1. Não concordo com a análise ao Fréderic e Pavlovski. Quem viu os jogos do Porto B, percebe-se que eles têm muitas dificuldades no 1 para 1. Ok, o Fréderic marcou alguns golos mas não me parece que seja isso que mostre a sua qualidade. Tem muito para crescer e muito sinceramente acho que a alguns faz bem sair da casa mãe para se tornarem mais maduros. Para mim os destaques da equipa B foram Chico Ramos e Rafa. O André joga muito bem mas estava a espera de mais golos da parte dele. Espero que seja uma agradável surpresa.
    E se alguns não gostam do treinador, numa coisa temos de ser consensuais. Ele percebe de jogadores de formação. Vamos confiar e esperar que os que subiram à Equipa Principal consigam vingar para dar alento aos jovens talentos.

    Cumprimentos,

    João Filipe

    ResponderEliminar
  2. Caro TD,

    Para mim, simples mas fervoroso adepto do FC Porto há mais de meio século e nesta qualidade, avesso a contribuir para o que quer que seja que prejudique o FC Porto, o Maxi Pereira a partir do momento que ingressou no FC Porto já é um dos nossos. E porque gosto muito do meu Clube terá o meu respeito e total apoio, assim seja um profissional íntegro e dignifique camisola do nosso Clube e já agora que nos ajude a conquistar Títulos.

    Sendo a primeira vez que comento neste Blogue, aproveito a oportunidade para manifestar o meu apreço por este espaço de Portismo , que, se me permite, a par do Dragão Até à Morte, do Portista Universal e do Tomo III, são os meus Blogues preferidos.
    Abraço Azul e Branco.

    ResponderEliminar
  3. Marcar golos mesmo sendo o 1°jogo, mesmo contra equipas da " 20 divisão ", para um menino acabado de chegar aos " AA " é muito importante, mas desta vez não acrescento mais que é para não dar azar. Fartei-me de elogiar e tecer loas, perspectivando um futuro glorioso a Gonçalo, para ser emprestado a um clube que, provavelmente, vai lutar para não descer. Enfim. Quanto aos outros meninos, a melhor sorte, porque quanto ao treinador da " B " já cheguei á conclusão que temos de aguentar, é um António Oliveira's boy. Maxi, não o da Olá, é agora jogador do FCP e como tal, para mim, mesmo depois de engolir o que dele disse, é o melhor do mundo. E arredores. Mais nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia.
      Acho que o Fortuna é uma equipa da 2.ª divisão holandesa. Creio, até, que na sua história relativamente recente jogou na 1.ª divisão. É um adversário débil, mas não será um adversário inferior, qualititativamente falando, quando comparado com as equipas que jogam contra o FCPorto B.
      Um abraço.

      Eliminar
  4. Sou Portista e já não é a primeira vez que comento neste blog que sigo diariamente (todos os dias procuro novas actualizações) sei da falta de tempo que tem tido, mas mesmo assim gostaria de lhe pedir um pequeno resumo das condições financeiras dos três grandes, visto que digamos que sou um verdadeiro nabo a olhar para r&cs, gostaria que me explica se como se estivesse q explicar a uma criança de 12 anos, porque pelas paginas da internet encontro varios sportinguistas a dizerem que sao os que estao melhor financeiramente, outros benfuquistas a dizerem que sao eles que estao melhor financeiramente, e alguns Portistas também, eu gostava de perceber mais um pouco para nao ficar na ignorância, sei que aqui se diz que a politica do Porto é arriscar e percebo, mas vejo grandes investimentos da nossa parte nos ultimos 6 anos, no Benfica tenho visto comecarem a abrandar, e neste texto quando falou na fragilidade financeira deles deixou me curioso, e no caso do Sporting não consigo acreditar que em dois anos o BDC tenha passado o clube da banca routa para o melhor dos três grandes, agradecia lhe imenso se me podesse responder com um pequeno resumo, visto que de todos os espaços da internet este é o unico em que confio a 100% no material que leio, se nao for possível compreendendo e agradeco lhe na mesma!
    Cumprimentos
    Jozef

    ResponderEliminar
  5. Os jogadores preferem o FCP porque é o clube que está disposto a pagar qq valor que seja por um jogador. E tal como o TdD diz, não há amor à camisola, há ao dinheiro...

    ResponderEliminar
  6. Falando de Maxi: é uma solução para render no imediato, sem dúvida. Conhece o futebol português e com a saída do Danilo torna-se o melhor def. direito em Portugal. Vai ter de aprender a jogar sem tanto recurso ao contacto físico. Certamente que a seu tempo será feita a análise aos cartões vistos esta época e nas últimas 8. É urgente contratar um def.direito para o futuro, porque o Maxi não vai render como o FCP precisa nos próximos anos.

    Equipa B: não gosto do treinador. Trabalho para a equipa principal é quase nulo. Ruben Neves foi nos últimos tempos o único produto de formação....que nem passou pela B. Sérgio Oliveira melhorou imenso...fora da B, no Paços de Ferreira, e felizmente voltou. Espero que tenha oportunidades este ano.

    Gonçalo Paciência: empréstimo à Académica não é o melhor de facto. Braga ou Guimarães seriam melhores soluções, mas talvez na Académica seja garantida a titularidade.

    André Silva: deveria treinar sempre com a equipa principal e ter minutos. É diferente do Gonçalo, mais novo, temos de aproveitar para o fazer evoluir e evitar que o jogador estagne na B.

    Aproveito para falar de Gudiño: deveria ser opção na Taça da Liga ou CTT. Com Casillas e Helton tem 2 professores catedráticos só para ele. Tem qualidade para ser um guarda redes de topo.

    Questão: quando questiona sobre o emagrecimento do plantel no meio campo, quem poderá sair? Ou melhor, quem poderá ainda entrar? Não acredito na vinda do Moutinho, pelo menos agora. Sinceramente, gosto do nosso meio campo, tem mão de obra para fazerem um trabalho muito bom. Será que o Herrera não pode render uma boa transferência agora? No FCP tarda em render o que rende no México, apesar de lutar do 1º ao último minuto.

    Curiosidade: será que o FCP foi injusto com Otamendi? Depois do que o Valência esperou por ele...agora diz-se que vai fazer greve. Se calhar eu próprio fui injusto com o clube, quando achei "estranha" a saída dele.

    ResponderEliminar
  7. Qual é o problema do Victor Garcia ??? Alguem me explica ??? Sempre que o vi jogar na B demonstrou bastante potencial.

    Pelo menos mais potencial que o David Bruno……

    ResponderEliminar
  8. Francisco Ramos e Victor Garcia ficam na equipa B.

    David Bruno é o melhor lateral direito do Porto, muito melhor que Maxi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um cone de trânsito é melhor que o David Bruno.

      Incrível como em todos os jogos falha passes quando sai a jogar e a forma como é comido várias vezes por estar mal posicionado.

      Vitor Mendes

      Eliminar
  9. Jozef,

    Vou fazer uma tentativa de resumo da situação.

    Quando se discuta a vertente financeira dos 3 grandes, geralmente colocam-se 2 perguntas:

    1ª) Qual o valor do passivo?
    2ª) Qual a sustentabilidade dos respectivos modelos de negócio?

    1ª pergunta: Valor do passivo das SAD’s
    FCP:285 M
    SLB:409 M
    SCP:217 M (sem VMOCS) ou 340 M (com VMOC’s)

    O valor do passivo do SCP conheceu nos últimos anos um grande decréscimo fruto de uma reestrurução negociada por Bruno de Carvalho junto do sistema financeiro. Essa renegociação da dívida trouxe 2 benefícios e 1 ameaça.
    Beneficios:
    Grande redução dos encargos financeiros (o Porto em 2014/15 vai pagar 16M /ano, o SLB 17 e o SCP 1.5 M) e do valor de dívida geradora de encargos financeiros, fruto do recurso a um instrumento financeiro denominado VMOC’s no montante de 80 M. Estas VMOCs só originam juros (à taxa de 4%) no caso do SCP obter lucros. Na ausencia destes lucros não há juros.
    Ameaça: quando estes VMOCs chegaram ao fim são convertidas em capital (com o risco inerente da diluição da posição do clube).

    2ª pergunta: Sustentabilidade dos respectivos modelos de negócio

    Os clubes auferem receitas e suportam custos.

    Existem 3 principais fontes de receitas: As receitas da UEFA, as mais valias na venda de jogadores e um outro conjunto de receitas (menos sensível ao (in)sucesso desportivo) onde se incluem as receitas de televisão, de merchandising, os contratos de patrocínio, as quotizações, as receitas de bilheteira.

    Do lado de custos temos: os custos operacionais (principalmente despesas com pessoal e fornecimentos e serviços externos), as amortizações, custos financeiros, outros custos (IRC e resultados extraordinários).

    Receitas UEFA, mais valias venda jogadores e outras receitas
    FCP : 24+84+79= 187 M
    SLB: 13+55+86= 154 M
    SCP: 11+22+44= 077 M

    Custos operacionais, amortizações, custos financeiros, Outros Custos

    FCP : 118+32+16+1= 167 M
    SLB : 101+30+17+6= 154 M
    SCP : 47+7+3+0= 57 M

    Ou seja:
    FCP=187-167= +20 M
    SLB=154-154 M = 0 M
    SCP=77-57=+20 M

    Na minha opinião não é neste nível que se deve tentar aferir a sustentabilidade dos modelos de negócios. Com efeitos enquanto os custos são valores quase fixos, no lado dos proveitos a conversa é diferente. Das rubricas de acima elencadas as únicas que apresentem grande estabilidade são as que eu denominei “Outras receitas”. As restantes dependem por um lado em grande medida do desempenho desportivos dos clubes e por outro lado de decisões que escapam aos clubes (estou a referir-me às mais valias nas vendas de jogadores).
    É por estas razões que a minha baliza para a aferição da sustentabilidade é a seguinte:

    Outras-receitas-Totalidade dos custos.

    FCP: 79-167=-88 M
    SLB: 86-154=-68 M
    SCP: 44-57= - 13 M

    A cobertura deste valor tem de assegurada pelas receitas da UEFA e pelas mais valias de venda jogadores.

    Parece claro que o FCP e o SLB vivem no fio da navalha, enquanto que o SCP estará mais próximo da referida sustentabilidade (embora diga-se de passagem que estes números do SCP estão positivamente influenciados pelo “efeito Rojo”). Entre o Porto e o SLB o Porto tem a vantagem de ter um passivo substancialmente inferior (menos 124M).

    Uma nota final para referenciar que ao nível do passivo haverá ainda a considerar o passivo dos clubes. Eles não são públicos. Do que se sabe pelos jornais o do Porto será de cerca de 40M, o do Benfica 70 M e o do SCP na ordem dos 100 M.

    Espero ter ajudado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado Joe, foi uma enorme ajuda.

      Jozef

      Eliminar
    2. Jozef,

      Tem aqui uma visao muito obtusa do que é as financas dos clubes, no entanto e impossivel explicar tudo num simples comentario(por exemplo sabe o que é VMOCs?) Aconselho-o a ler tudo o que houver na internet.

      Além do mais há numeros que o Joe colocou que sao totalmente errados. Basta que o senhor vá ao relatorio e contas de cada clube confirmar os valores. Nao se fie pelo que se escreve num blogue Da internet. Olhe e verifique com os seus proprios olhos ou entao peça ao autor do comentario que lhe diga tintim por tintim de onde vêm os numeros,pedindo inclusive a pagina do R&C onde ele retirou os numeros que aponta. Alem do mais quando se fala em passivo, pergunte o que engloba o passivo, pois é do dominio publico que os passivos das 3sad englobam empresas diferentes e por isso mesmo nao sabermos bem o passivo dos clubes, pois nao pertencem as Sad's. Exemplo sabia que o passivo da PSAD aumentou porque 47% da euroantas passou para a PortoSAD este ano?

      se quiser saber mais pergunte, duvide, esclareça, analise, investigue E comfira sempre os numeros.

      Eliminar
    3. Meu caro anónimo,

      Os números que publiquei são (relativamente à questão da sustentabilidade dos modelos de negócios) projecções dos números para os resultados das 3 sad’s para 30/6/15 (feitas a partir dos resultados apurados a 31/3/15). Como tal são evidentemente subjectivos e nesta fase não há como saber se estão correctos ou errados. Termeos que esperar pela divulgação dos dados relativos a 30/6/15 para ver o seu afastamento relativamente às minhas projecções.

      O meu comentário anterior teve como único objectivo responder a uma solicitação do Jozef. Pelos vistos (e face ao comentário do Jozef) o meu objectivo foi atingido.

      Relativamente ao passivo são dados relativamente a 31/3/15. Publicados pelas respectivas SAD’s no site da CMVM. No caso do Porto, pagina 14. No caso do SLB pagina 13; no caso do SCP pagina 4.

      http://web3.cmvm.pt/sdi/emitentes/docs/PCT55933.pdf
      http://web3.cmvm.pt/sdi/emitentes/docs/PCT55890.pdf
      http://web3.cmvm.pt/sdi/emitentes/docs/PCT55955.pdf

      Quanto à pergunta sobre o que é engloba o passivo confesso que não entendo a questão. O perímetro de consolidação é público e encontra-se evidenciado nos respectivos relatórios e contas

      Eliminar
  10. Apesar do FC PORTO B ter um "sacristão" na missa em vez de um padre (Luís Castro), o que vou dizer será heresia mas é a minha percepção de ver futebol há muitos anos; Gonçalo Paciência jamais será o futuro do FC PORTO! A não ser que expluda no empréstimo, vive sob o estigma de ser filho de quem é! E isso pesa muito, pois Gonçalo não tem um terço da técnica de Domingos.
    Já com André Silva outro galo canta; é uma espécie de Jardel, mas com os pés! Ou seja tem aquele "killer instinct" que Sir Bobby Robson tanto gostava... Se o "sacristão" não o perder - como já fez perder muitos, André Silva será o nosso 9 por muitos anos...

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.