sábado, 4 de julho de 2015

Mais depressa se apanha uma Fénix do que um Vieira

No futebol como na política e em qualquer outro sector da nossa sociedade: quem comete práticas ilícitas e tira, desta forma, benefícios pessoais deve ser sujeito a explicações e, se comprovadas irregularidades, a punição. Serve para o Zé, para o Manel, para o Toni e para o Antero. 

CM 02-07-2015
A Operação Fénix deteve 15 pessoas suspeitas de extorsão, associação criminosa, tráfico de droga e ofensas à integridade física. Mas a notícia já não é isso. A notícia é que Antero Henrique, vice do FC Porto (e não vice de Pinto da Costa), e a SPDE, responsável pela segurança nos recintos do clube, foram alvo de investigação. E foi um saltinho até chegar à principal claque do FC Porto. A partir daqui, temos novela para o defeso.

Capas de jornais, aberturas de noticiários, até nos espaços que deviam ser destinados a comentadores desportivos mas que de repente tornam-se sociólogos e criminologistas de bancada. Porque o que está em causa já não é Fénix, nem Antero, nem uma investigação a empresas de segurança: é o tornar o FC Porto no centro de suspeitas. Começou em Antero, puxou-se Pinto da Costa, chegou-se à claque e já se fala em espionagem.

Curioso o conceito. Por espionagem deveria entender-se o que Daniel Sampaio denunciou no Sporting, que incluía o controlo de telemóveis e vida íntima dos jogadores. Agora, assegurar que ninguém viola o horário de recolha e que nenhum jogador (que como quaisquer jovens cheios de dinheiro gostam de festas) anda na borga em horas impróprias? Isso não é espionagem, é prática habitual em qualquer clube, é assegurar que o jogador e o ativo seguem as condutas de ética e bom comportamento que lhes são exigidas. 

Mas não é este o foco, mas sim a forma como este assunto está a ser amplamente noticiado. Vamos fazer uma comparação: lembram-se de quando Luís Filipe Vieira foi alvo de buscas por parte da PJ e foi acusado de proteger suspeitos dos mesmos crimes que visam a Operação Fénix? Não? Normal, pois na altura não mereceu um décimo da atenção que está a merecer o caso atual.


Ok, Vieira foi alvo de buscas por burla a um banco no qual o Governo torrou centenas de milhões de euros e que lesou os contribuintes. Reparem que até um jornal cotado como o Expresso não conseguiu mais do que citar a revista que avançou com a notícia, a Sábado. O resultado foi este:

Não vale a pena repetir a legítima indignação à qual muitos chamam populismo. Mas eis o resultado: contribuintes a pagar milhares de milhões em lixo tóxico para o presidente do Benfica usufruir disto. Alguma imprensa falou disto na altura, como é lógico. Mas falou-se sempre em Luís Filipe Vieira, não no «presidente do Benfica». Neste caso, não falam em Antero Henrique. Falam do «vice do FC Porto», do «vice de Pinto da Costa». Nem fala da SPDE, falam da «empresa responsável pela segurança no Dragão».

O FC Porto fez o que lhe competia: disse que ia colaborar com a investigação. Que fez o Benfica quando foram efetuadas buscas a Vieira? «O Benfica não comenta, referindo tratar-se de uma questão pessoal de Filipe Vieira.» Eis a diferença.

Continuando, e insistindo que se comprovadas quaisquer irregularidades Antero Henrique deve prestar explicações e ser julgado dentro dos parâmetros da lei. A Operação Félix visa, como já se disse, apurar práticas de extorsão, associação criminosa, tráfico de droga e ofensas à integridade física. Vamos recordar no que andava metido Luís Filipe Vieira há um tempito.

Ora, de acordo com um jornal com grande proximidade com o Benfica, tanto que até colabora e troca conteúdos com a televisão do clube, Vieira protegeu sujeitos suspeitos das práticas ilícitas que incluem «droga, armas, roubos, incêndios e espancamentos a adeptos rivais». O presidente que se queixou que lhe incendiaram o Estádio da Luz, mas que deixa adeptos entrar com tochas, segundo o relatório da PSP.

Ah, e agora que se discute a proximidade de Eduardo Silva com Antero Henrique, é interessante ler aqui que Vieira «despede o chefe de segurança do clube por ajudar a PSP a identificar os criminosos – e almoça com o comandante da polícia para lhe pedir que "facilite" na presença policial junto dos No Name Boys». E enquanto os Super Dragões são um grupo organizado, eis o relatório da PSP que diz que «os No Name Boys nunca se quiseram legalizar como associação para não serem identificados». E Vieira apoia.

E continuando a citar o relatório da PSP e este jornal parceiro do Benfica: «Mas a direcção do Benfica 'não cumpre a lei e cede bilhetes a preço reduzido e instalações' a um grupo que, nas últimas épocas, intensificou 'a violência sobre a polícia e adeptos rivais'. Além de deflagrarem as 'tochas, petardos, very-lights e potes de fumo nos estádios', 'incitam à violência com o lançamento de tochas, isqueiros e cadeiras' e 'vendem droga no decorrer dos jogos'. No final, seguem, espancam e roubam as pessoas».

Eis mais um exemplo flagrante de dois pesos e duas medidas envolvendo Benfica e FC Porto. Concluindo, mais depressa se apanha uma Fénix do que um Vieira.

A melhor aposta do defeso

Uma excelente aposta
Conforme foi explicado há semanas, o tempo para atualizar o blogue deixou de ser o maior. Ainda há vários temas pendentes, que vão desde Helton a Quaresma, do mercado ao plantel, mas há uma novidade a saudar.

Há vários pontos para definir a pertinência e boa decisão numa contratação (isto é, o momento da contratação, não o seu balanço). Idade do jogador, qualidade imediata e margem de progressão; Preencher uma carência no plantel, estar familiarizado com clube e campeonato, falar o idioma, ter escola; O preço da contratação, o salário e a projeção de uma futura venda; o caráter do jogador, a sua postura durante um processo negocial e a aprovação da equipa técnica.

Posto isto, a contratação de Danilo Pereira é, para já, a melhor da época para o FC Porto. Um jogador em que deposito grandes esperanças e que é, sem tirar nem pôr, o nome que mais desejava ver no lugar de Casemiro. A SAD ainda não tornou públicos os detalhes do negócio, que se soube complexo, mas não sendo declarado já à CMVM indica que a operação foi considerada «irrelevante para o mercado».

PS: A sobrelotação de médios tem sido muito discutida entre adeptos. É cedo para afirmar isso, pois ainda há dois meses de mercado pela frente, uma pré-época para fazer, saídas para tratar e um esquema alternativo assente em 4x4x2. Isso, como é óbvio, tira um pouco de força à lógica da continuidade com Lopetegui. Mas se até José Mourinho precisou de variar (e bem) para a segunda época completa no FC Porto, venham os treinos, os jogos de preparação e logo se verá se há, ou não, médios a mais. À data de hoje, 4 de julho, o FC Porto não fez nenhuma contratação impertinente. De recordar que há um ano Lopetegui só tinha Evandro e Óliver como reforços quando começou a pré-época. Paciência, que a procissão ainda nem ao adro chegou.

21 comentários:

  1. Não vai haver mudança do sistema tático para 4-4-2. Simplesmente vai haver readaptação de alguns conceitos.

    ResponderEliminar
  2. certo, em relaçao a "fenix" para ser noticia relevante teria de ter alguem relevante a dar a cara , encontraram o antero que gosta de ser caladinho e fugidio, ja deve estar em pulgas coitado. Claro que lisboa esta assustada com as movimentaçoes do porto, esta com medo e ve nisto um pretexto para tentar minar. Vamo a ver.

    ResponderEliminar
  3. em relaçao aos medios era essencial contratar medios que sao a base do futebol tipo lopetegui, assim como os laterais. Falta despachar herrera que nao cabe no jogo e quaresma que nao joga e chateia toda gente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro amigo, para ver o que nos diz no 2º parágrafo nem é preciso ser vidente.
      Parabéns

      Eliminar
  4. Excelente artigo uma vez mais e Danilo Pereira tem tudo para pegar de estaca, penso que asseguramos um reforço que será de nuclear importância para os próximos anos.

    Fico na expetativa de ler o que tem para dizer sobre Helton, assim que a disponibilidade lho permitir.

    ResponderEliminar
  5. A minha boca tem um zip e os meus dedos cheios de arteroses....a ver se dá para postar no face, se me permite..

    ResponderEliminar
  6. Excelente artigo! Aguardo a sua visão das entrevistas de Helton e Quaresma. Algo vai mal quando jogadores que deveriam ser referências mostram este enfado com a actual liderança da equipa. Mais o Helton até. Lamentável! E quanto a Maxi Pereira, há alguma esperança que possamos ser felizes e vê-lo ir para outro campeonato?

    ResponderEliminar
  7. Aguardo pelo tema Helton e Quaresma!!

    ResponderEliminar
  8. TdD sempre se confirma o sorteio dos árbitros, depois da FPF o chumbar?

    ResponderEliminar
  9. Quando se falou no famigerado apito dourado, o tal de LFV foi confrontado numa escuta em que escolhia um certo árbitro, foi a um canal de televisão e pura e simplesmente disse: " Eu sei que não está bem, mas como é prática corrente, eu faço o mesmo, escolho quem nos apita..." Tudo bem o HOMEM disse que era normal, é normal, quem foi acusado de escolher? Quem foi penalizado? O SLB? ... Não, nem nunca será, é o único club sem claques! Continuam a deturpar suas contas, mas são 6 milhões... E são de Lisboa, a CAPITAL do, da própria Lisboa!

    ResponderEliminar
  10. Nao entendo, neste caso, o artigo preocupar-se mais em "atacar" o nosso rival do que propriamente condenar (se assim tiver provas) o que se passa ou passou, ou entao, nem dar azo a nada. Esta direccao continuamente nos mete o nome do nosso clube nestas cenas de backstage, nao é a primeira nem será a última, nomeadamente o senhor Antero Henrique.

    Nao se sirvam do clube para estas artimanhas, é o que eu peço, quanto aos outros nao estou nem ai, preocupem-se é com o que se passa em nossa casa.

    ResponderEliminar
  11. Hélton, Quaresma e agora também o Maicon quer diz «O FC Porto entra em qualquer competição para vencer. Todos começam com zero pontos, o treinador não ganha jogos. São os jogadores quem joga, no campo são onze contra onze. Por isso, vai depender do plantel». Alguma coisa vai mal no reino do dragão, a velha guarda do plantel não parece estar do lado do treinador, ou pelo menos recusam valorizá-lo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual o mal nas declaraçoes do maicon? dos 3 que falaram foi do que falou melhor alias alem de tal como ele disse nunca em 6 anos ter pedido para sair nem ter amuado por nao jogar ou ir jogar a b nunca houve uma declaraçao dele em 6 ano mal ou contra o clube que representa
      eu apoio como capitao do porto

      Eliminar
    2. Se há jogador que tem comportamento corretíssimo é o Maicon. O que ele disse é o que faz sentido, quando uma equipa perde a culpa é só do treinador porquê? Não é o treinador que falha golos ou os deixa entrar na baliza. São os jogadores quem jogam.

      Eliminar
  12. Como sempre a comunicação social descontextualiza as declarações das pessoas, reparei agora que "o treinador não ganha jogos" vem no sentido das mudanças na 2ª circular.

    ResponderEliminar
  13. Eu não percebo mt de direito, mas alguem pode explicar como é que o antero é constituido arguido sem ser ouvido? Eu tb acho que se for culpado tem de ser punido, mas que eu saiba isto não tem nada a haver com o clube.

    Miguel

    ResponderEliminar
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  15. http://www.reflexaoportista.pt/2015/07/a-chamada-que-ninguem-quis-gravar.html


    Grande ESCANDALO???? E a Liga Aliança ?

    ResponderEliminar
  16. IKER CASILLAS?!?!?!
    Não sei se precisamos de mais um guarda-redes, mas só mesmo o Real Madrid para dispensar um jogador que ganhou tudo o que há para ganhar e sempre a titular.
    Espero que venha preparado para levantar troféus!!!

    ResponderEliminar
  17. Casillas
    Maxi
    Meio campo do FC Porto
    Varela
    Rafa
    Mitrovic
    Helton
    Quaresma
    Carlos eduardo
    Dispensados
    Maicon
    Kadu (que segundo as listas que circularam ai de jogadores que se apresentaram para a equipa B ele nao está incluido)
    malthe o central dinamarques que se falava que iria agora para a b que parece que voltou ao brondby, lumor que parece tambem nao estar na equipa b, zé antonio

    bons temas para um artigo

    ResponderEliminar
  18. Fugindo um pouco sobre o assunto relatado no artigo venho perguntar ao tdd como é possível um projecto de ser humano pseudo-inteligente vem afirmar numa entrevista dada a um diário da associação recreativa e cultural do Alto dos Moinhos que o sorteio dos árbitros põe em causa a verdade desportiva? Pergunto eu: O que lhe chamará o que aconteceu esta época? O campeonato limpinho limpinho? A liga imaculada?haja paciência para esta gentalha e uma tentativa de vergonha por parte desta.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.