domingo, 16 de agosto de 2015

Aboubakar dançou o chá-chá-chá

Ganhar ao Vitória de Guimarães no Dragão não é um atestado de qualidade para ninguém. Mas a forma como o 3x0 foi obtido é uma soma de boas notícias: reforços que acrescentam algo ao plantel, intenção em corrigir muitas das limitações do futebol praticado na última época, alguma evolução e belos sinais na substituição de Danilo, Casemiro, Óliver, Jackson e Quaresma. E nos últimos 450 minutos, inclusive jogos de pré-época contra equipas da Bundesliga, La Liga e Premier League, nenhum golo sofrido.

Na 2.ª jornada já teremos um verdadeiro teste na luta pelo título, na ilha maldita, onde o FC Porto não vence há cinco jogos e deixou lá, em 2014-15, pontos que teriam sido suficientes para ganhar o último campeonato. Se a equipa repetir muito do que fez na estreia no campeonato, a maldição não terá como resistir.





Exibição completa
Jackson Martínez (+) - Belo jogo de Jackson Martínez, não só pelo bis como em toda a envolvência no jogo coletivo. Continuou a jogar em zonas recuadas, mas com um plus em relação à época passada: é mais rápido e incisivo a sair no um para um, parte melhor a partir do flanco, é mais veloz a desmarcar-se e sacou duas assistências que Herrera e Imbula não podiam desperdiçar. Jackson fez com que tudo se passasse à sua volta, surgiu galvanizado, empolgou os adeptos e não conseguiu tocar uma única vez na bola sem que se esperasse algo de bom. Foi o goleador e referência ao qual o FC Porto se habituou. Nem parece que saiu para o Atlético. Ah, troquem "Jackson" por "Aboubakar". Só mudou o nome. E esta é a última vez em que Jackson é o termo de comparação para Aboubakar, pois o camaronês começou ontem a escrever a sua própria história. Jackson é um dos pontas-de-lança mais completos do mundo. E Aboubakar fez uma das exibições mais completas que um ponta-de-lança pode fazer.

Laterais (+) - Alex Sandro dá o primeiro golo, Maxi Pereira o segundo e terceiros. Três assistências dos dois laterais num só jogo. Começando por Alex Sandro: está mais leve, mais ágil, mais agressivo, e quando um lateral joga com um extremo inteligente como Varela no seu flanco só tem a ganhar. Quanto a Maxi Pereira, foi aqui analisado, aquando da contratação do jogador, que em termos de assistências/golos não ia oferecer menos do que Danilo. Começou muito bem, com grande disponibilidade e empenho. É difícil não gostar de um jogador com esta postura.

Muito para dar
Varela (+) - O melhor marcador português da história do Estádio do Dragão voltou com tudo. Combina com os laterais como nenhum outro extremo do FC Porto o consegue fazer, cruza com precisão e surgiu com maior objetividade e prontidão. Oferece mais ao plantel do que oferecia Quaresma, por mais polémica que possa parecer esta afirmação, e entre golos e assistências não vai oferecer menos do que o seu antecessor. Brahimi e Tello podem contar com vida difícil. Ah, e Varela, no lance de 3x0, teve a calma e cabeça que Tello não teve quando viu a baliza praticamente aberta. Para espanhol ver.

Evolução (+) - Primeiro: trabalho de casa nas bolas paradas. Jogadores a posicionarem-se bem, a ganharem lances de cabeça, a movimentarem-se de forma estudada e Varela a bater bem a maioria dos lances. Lopetegui tem que mostrar evolução neste capítulo esta época, e para já começou bem. O meio-campo está mais combativo, mais forte e a verticalidade que Imbula e Herrera oferecem ao meio-campo, conjugada com a enorme projeção ofensiva de Alex Sandro e Maxi Pereira, disfarçou a ausência do tal 3º médio criativo (Danilo Pereira, candidato à melhor contratação da época, segurou muito bem as pontas e foi prático no início de construção). Além disso, tanto Imbula como Herrera apareceram muito bem em zonas de finalização (falta afinar a pontaria - Imbula tem que aprender a chutar com o pé direito, o seu ponto fraco). Viu-se evolução em todas as limitações do FC Porto de Lopetegui na época passada, inclusive a maior agressividade na reação à perda da bola, em zonas mais adiantadas.





Nem só Héctor esteve mal
Começa bem/mal (-) - Herrera, apesar da importância na verticalidade que dava ao jogo e do bom entendimento com Imbula, sabe que não esteve bem. Nervoso, com desacerto no passe, pressionado por as coisas não lhe estarem a correr bem. Estamos no primeiro jogo da época, início da segunda parte, então como se motiva um jogador a quem as coisas estão a correr mal? Toma lá uma assobiadela. Enfim, é sempre preciso um patinho feio, e como não dava para implicar com Maicon ou Varela sobrou para Herrera. Esteve mal, para a próxima estará melhor. Tem que estar melhor, até porque André André e Evandro estiveram à altura e Rúben Neves (Lopetegui saberá melhor do que ninguém como fazer a sua gestão, mas ninguém compreenderia que não ficasse no plantel) tem pezinhos para mais do que fazer jus ao número que está na camisola.

À altura (-) - Não se pode pedir muito a um árbitro que apitou pela primeira vez uma equipa grande. Ou então metam lá um internacional a explicar como é que consegue assinalar 23 faltas contra o FC Porto, que teve 65% de posse de bola, e apenas 10 para o adversário, que andou sempre a correr atrás dela. E Maxi Pereira lá viu o seu cartão. Bem ou mal, não surpreende ninguém. Atenção à nomeação para a Madeira. Uma boa arbitragem não justificará nunca uma má nomeação. Mas com a segunda, dificilmente chegaremos à primeira.



20 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Meu caro, é com enorme satisfação que leio os teus comentários e opiniões sobre o nosso FCP, e ainda nem acabei de ler este artigo e já te escrevo para não chamares ilha maldita ao território da Madeira. Ainda esta semana o nosso presidente teve aqui e, aparentemente, gostou de Porto Santo. Se quiserem tratar mal, tratem os clubes não a região, porque felizmente, ainda existem muitos e bons portistas por aqui. Um abraço e continuação de um bom trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que a referência prende-se à malapata de não termos bons resultados no território insular e não um qualquer ataque ao mesmo...

      Eliminar
  3. Excelente leitura do Tribunal. Como sempre.

    Apenas dois pontos de discórdia:

    1 | Creio que Tello até teve bastante calma no lance que mencionou, fazendo o que lhe competia: recebeu bem, tirou uma floresta de jogadores da frente, GR incluído, e atirou para uma baliza com 5% de cobertura. O problema é que Tello acertou nesses 5%. Talvez um certo excesso de confiança de quem aparentemente já fez tudo bem. Mas acontece. De qualquer forma, também considero que, nesta altura, Varela é o extremo mais cerebral e completo deste plantel.

    2 | As quantidade de falta assinaladas por Veríssimo ao FC Porto deveu-se mais ao próprio... FC Porto. E ainda bem. Passo a explicar: a equipa está mais inteligente na forma como mata as jogadas de contra-ataque do adversário. No ano passado, a maioria dos golos que sofremos deveram-se precisamente a uma certa ingenuidade da equipa (fruto da sua juventude) na abordagem a este tipo de lances. Ontem vimos Maxi, Danilo, André André e até Varela a fazerem as chamadas faltas inteligentes. Cinco ou seis lances mortos à nascença que, caso tivessem sido permitidos, poderiam ter tido consequências para o FC Porto. Gosto disto, de um FC Porto mais faltoso, mas também mais experiente, quando utiliza a falta de forma estratégica, para travar o principal recurso de 90% dos adversários que jogam contra nós: o contra-ataque.

    De resto, o principal problema de Veríssimo foi não ter convicção nas suas próprias decisões: ou dá a lei da vantagem ou apita. Fazer as duas coisas ao mesmo tempo é que é absurdo.

    De resto, subscrevo na íntegra a análise.

    Abraço, TdD

    Aqui fica a minha, se quiser ler:

    http://calcanhartrivela.blogspot.pt/2015/08/fc-porto-3-x-0-vsc-o-regresso-da-chama.html

    ResponderEliminar
  4. Estava a ver o jogo e pensei exactamente o mesmo.

    - Aboubakar fortíssimo no "toca e foge" e melhor que Jackson no drible de um-para-um. Falta-lhe apenas poder de choque e altura para ombrear com os centrais no jogo aéreo, características em que Jackson era especialista.

    - Gostei de ver os médios a aparecer em zona de finalização, coisa que pouco se via a época passada. Com Imbula e Danilo ganhamos força no meio-campo, um meio campo robusto que poderia ser reforçado com André em vez de Herrera.

    - Varela mais inteligente que Quaresma. Melhor tanto a abrir espaços para os laterais como no momento de soltar a bola. Fez-nos muita falta a época passada.

    - Maxi Pereira: uma chapada de luva azul e branca naqueles que o assobiaram no dia da apresentação.

    - Bolas paradas: não deram golo mas já é um bom começo ver que isso está a ser trabalhado.

    Resumindo, foi um bom jogo, uma entrada forte na primeira parte onde podíamos ter feito mais um ou dois golos. Não gostei do início da segunda parte, muitos passes falhados e algum nervosismo que só acalmou com a entrada do André e com o segundo golo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estive na apresentação e não vi/ouvi ninguém a assobiar ao maxi até pelo contrário

      Eliminar
  5. Muito boa análise. Concordo a 100%.
    Também eu analisei o jogo no meu cantinho.

    Agora, que venha a Madeira. Há que começar já a contrariar o que no passado foi menos bom.

    Cumprimentos azuis e brancos,
    Muralha Azul

    ResponderEliminar
  6. Excelente Título, excelente trocadilho Aboubakar /Jackson, é por isso o o TdD é o melhor blog portista.
    Nos Machados também colocava Tello. Muito pouco inteligente este jogador.
    http://onzedodragao.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Imbicto TdD,

    Estou de acordo com grande parte daquilo que analisa. No entando, estou em desacordo em relação a Herrera.
    Em primeiro lugar, as falhas não são de agora. São três anos com um semestre de excelente qualidade, onde tudo o resto foi, ou cansaço (não é culpa do jogador), ou falha de passe, marcação, ou gesto técnico básico, inventando.
    O público esteve bem ao assobiar. Não existe comparação entre um assobio gratuito e desestabilizador quando a equipa está fraca psicologicamente (o exemplo do início do ano passado e fim do ano anterior são sintomáticos) e uma chamada de atenção veemente, especialmente quando o público do Dragão perdoou as primeiras falhas de ontem - até com aplausos, em jeito de incentivo.
    Foi erro atrás de erro. E não vejo mal em observar isso. Nem tudo pode ser "psicologia positiva".

    Tudo o resto, estou de acordo com a análise.

    Imbicto abraço!

    http://imbictopoema.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro consócio. Pela opinião expandida, depreendo que entende que é assobiando o jogador que ele irá melhorar. Está bem.....são pontos de vista!

      Eliminar
  8. Só nao concordo com a apreciação ao árbitro. Quanto a mim esteve bem, como foi referido o Porto este jogo reagiu bem á perda de bola e foi fazendo invariavelmente faltas pequenas nessa reação sobre o homem adversário que a recuperou. As faltas fazem parte do jogo, o Porto deixou de ser ingénuo ao que parece e acho que o arbitro apitou bem a maior parte delas.
    Quanto ao amarelo ao Maxi acho que podia ou não ter sido mostrado, se fosse um jogador adversário a fazer essa falta e recebesse o cartão amarelo e não achava que tivesse ficado mal, como tal também não acho ao Maxi.

    ResponderEliminar
  9. Ainda em relação a Abou: não foi apanhado uma única vez em fora de jogo o que atesta outra variante do seu jogo, a da inteligencia.

    ResponderEliminar
  10. concordo praticamente com tudo.
    Nota positiva para a praticamente toda a equipa, excepção para Herrera, foi um nulidade, assim como Evandro, que não acrescentou nada.
    Falta claramente um médio mais criativo para juntar ao eixo Danilo/Ímbola, a chamada de Quintero pode ser uma boa soluçao.
    Aboubakar esteve bem mas precisa definir melhor, falhou alguns golos fáceis e perdeu outros lances quando tinha colegas em melhor posição.
    Uma palavra para lopetegui, para primeiro jogo, a equipa apresentou um futebol positivo, pressão constante e melhor saída de bola.

    Neves

    ResponderEliminar
  11. jogo conseguido, mas ainda muita inoperancia, quando o vitoria apertou andaram a nora durante 15 minutos ( um mau sintoma contra equipas mais agressivas). Quanto ao maritimo é esta a melhor altura para os defrontar fora, basta jogar e querer, o cartao ao maxi foi justo. herrera nao cabe neste tipo de jogo. tello continua com o mesmo problema na ultima decisao.

    ResponderEliminar
  12. Bom início de época, que certamente irá ter continuidade no jogo da Madeira. A melhorar: Imbula na transição ofensiva ; Tello a finalizar ; falta do nr 10. Abc

    ResponderEliminar
  13. Fantástica exibição!
    Digo isto por diferentes motivos: classe da defesa, poderio e nobreza do meio campo e irreverencia do ataque.
    O porto foi uma equipa com grande largura, intensa e.........prática.

    Destacar: Abou, Danilo, imbula, Varela, maxi, Maicon e....andre.
    O andre, alem das muitas qualidades q tem, tem algo raro e q e muito parecido com o Moutinho: inteligência clara a jogar junto a grande área, alem da raça, atitude, maturidade.....muito bem mesmo.

    Offtopic: ouvi que lamela esta muito próximo. Sabe de algo?
    Quem me disse costuma estar bem informado.
    Abraco

    ResponderEliminar
  14. O FCP e o JMendes estao de relacoes arrefecidas?
    Adrian é cada vez mais problema?

    Faltavam 15m para terminar o encontro, zerozero e que AZAR, o Tiago internacional ao que parece sem se saber muito bem como, nao viu um lance determinante......
    Advinhem quem foi favorecido...

    ResponderEliminar
  15. Mais um bom um artigo como é habitual. Só um "pequeno" reparo: Vitória Sport Clube, por favor!!!

    ResponderEliminar
  16. As vergonhosas nomeações continuam. A mim não me assusta a associação recreativa e cultural do Alto dos Moinhos nem tão pouco o circo do Lumiar. Assusta me sim os homens de preto e algumas remodelações feitas em alguns balneários. Assusta me também o tal manto protector que agora existe nos dois lados. Relativamente ao amarelo mostrado ao maxi Pereira a culpa é da estrutura do Porto que aquando da aquisição do jogador não comprou a imunidade que o mesmo tinha quando era jogador da associação.

    ResponderEliminar
  17. Boa análise mas novamente discordamos do ponto Herrera, os problemas de jogabilidade do Herrera não são de agora como é possivel ao fim de algum tempo a jogar na Europa ainda falhar passes faceis? Ou ter um posicionamento irregular? Melhor por vezes pergunto-me onde está Herrera? O problema do FCP no meio-campo passa por Herrera e assim que ele perder a titularidade ou for vendido ( assim espero e rezo) vamos ver um fcp muito melhor.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.