quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Mercado e as peças para Lopetegui

Faltam duas semanas para o fecho do mercado. E uma das frases mais interessantes de Lopetegui enquanto técnico do FC Porto foi que só olha para o mercado «para melhorar a equipa», nunca para a deixar mais frágil. Num clube assumidamente vendedor como o FC Porto, é curioso o treinador assumir esta postura.

O plantel ainda vai forçosamente emagrecer, pois não haverá lugar para todos, mas a questão das entradas ainda não está sentenciada. Há quem peça um central, há quem deseje um extremo, mas o pedido que tem recolhido maior unanimidade é o do tal médio criativo para fechar o meio-campo, o jogador capaz de driblar em zona interior, distribuir jogo, fazer o último passe, ele próprio aparecer em zonas de finalização e sem nunca comprometer no processo defensivo.

9,5M€ por colocar
A lógica diria que esse médio está nos quadros do clube: Quintero. Estão quase 10M€ investidos num jogador que está a dois anos de terminar contrato e que ainda nem tem clube para jogar em 2015-16. O FC Porto nunca se enganou quanto ao seu talento. Quintero tem um excelente pé esquerdo, faz bem o último passe, tem bom remate, bate bem as bolas paradas, tem capacidade de drible curto acima da média... Só lhe falta uma coisa: saber jogar futebol. Ou duas: aprender a ser futebolista. O talento está lá, mas as componentes físicas e psicológicas estão abaixo dos exigível. Lopetegui deu-lhe alguma continuidade de jogos em 2014-15, e Quintero chegou a parecer que ia engatar, mas não aguentou.

Entende-se que Lopetegui não veja em Quintero o tal médio que falta ao plantel, mas importa não esquecer uma coisa: Quintero não é mercadoria que já podemos dar como descartável. Primeiro, porque estão 10M€ investidos num jogador que foi contratado em 2013-14, sem intervenção de Paulo Fonseca na altura, numa época negra a nível financeiro. Segundo, porque sabemos que tem talento. Não é um caso perdido. É um caso que a SAD não pode nunca dar como perdido, seja desportiva, seja financeiramente. Por diversos motivos Quintero pouco ou nada evoluiu em dois anos, e grande parte desse motivos são de responsabilidades imputadas ao jogador, mas o FC Porto não pode desistir dele, pois foi uma grande aposta do clube. E mesmo que não seja aposta no clube, exige-se máximo empenho na reabilitação e evolução do jogador. Ao clube e ao atleta.

De volta ao ponto inicial. Lopetegui, logo na 1ª jornada, já deu uma excelente resposta à carência no plantel. Ao envolver tanto os laterais no processo ofensivo, permitir aos extremos explorar o espaço interior e ganhar através de Herrera e Imbula grande verticalidade no meio-campo e capacidade em aparecer em zonas de finalização, o FC Porto disfarçou muito bem a falta do tal médio. Mas há uma pergunta que se impõe, e que deve ser feita ao treinador: o plantel está preparado para jogar sempre assim e não receber o tal médio? Lopetegui dirá, certamente, que não, pois um treinador que fala do mercado como Lopetegui o fez é um treinador que sente que ainda falta algo.

E com isto recuamos até 2013, a lembrar o caso Bernard. Há quem recorde que o FC Porto errou ao deitar todas as fichas em Bernard, dando o jogador por garantido, e depois já não teve capacidade para encontrar uma alternativa quando apareceu o Shakhtar. Nada mais falso, pois Bernard assinou pelo Shakhtar na primeira semana de agosto. Havia tempo de sobra para contratar uma alternativa. Não havia era outra coisa.

Plano B, precisa-se
O prejuízo apresentado no final da época justificou tudo: o FC Porto não teve condições financeiras para contratar mais ninguém. Acreditou-se em Licá e os resultados ficaram à vista. Bernard era um jogador com preço de mercado de 20M€, mas isso não significa que o FC Porto tinha capacidade para contratar um jogador desse preço. Era simplesmente o que a Doyen tinha para oferecer.

Dois anos depois, situação idêntica com Lucas Lima. Os grandes investimentos em Casillas e Maxi Pereira, já para não falar em Imbula, alimentaram a crença de que o FC Porto quase podia chegar a qualquer jogador no mercado. Mas o efeito está mais próximo do contrário: depois dum esforço tão grande em trazer 3 ou 4 jogadores mais experientes para a equipa titular, não restou grande margem para mais investimentos.

Porque é que não se vislumbra, para já, alternativa a Lucas Lima? Porque Lucas Lima é o que a Doyen tem para oferecer. O FC Porto só teve um grande investimento esta época, Imbula, e também envolveu a Doyen. Caso contrário, todas as contratações do FC Porto estariam feitas ou a custo zero (que implica normalmente maiores comissões, prémios e salários), ou no mercado nacional. O FC Porto está a investir (e muito bem) com extrema disciplina. Sobretudo se tivermos em conta a situação de alguns ativos.

É um balanço que poderá ser aprofundado depois, mas entre os emprestados do FC Porto estão investidos mais de 25M€. Ora isto é quase tanto como o valor contabilizado para compras de passes em 2015-16. Isto significa que houve uma série de investimentos que ou foram maus, ou precisam de mais tempo, ou simplesmente falharam. Depois, há um jogador de 9,5M€ para colocar (Quintero), um central de 7,7M€ que ainda não é titular (Indi) e dois ativos caros (Alex Sandro e Herrera), de mais de 17M€, que estão entre a renovação e a lei do mercado. Isto para não falar em Adrián López, que já se sabe que vai sair mas não em que moldes, e jogadores caros ainda sem o futuro resolvido, como Quiñones ou Rolando.

Investimento para 2015-16
Além disso, o FC Porto já tem uma lista de potenciais compras para 2015-16. Como por exemplo Aboubakar, de quem a SAD só tem 30% e cada parcela de 10% custa entre 1 a 2 milhões; Brahimi, de quem a SAD ainda pode resgatar mais 25% (até ver pagou 5,3M€ por 50%); Tello, emprestado pelo Barcelona, que tem opção de compra que só poderá ser exercida com grande ginástica financeira. Estes 3 ativos são candidatos às tais grandes vendas que permitem à SAD (sobre)viver acima das suas possibilidades operacionais todos os anos. Mas ainda vão custar mais do que já custaram. E tendo em conta que é cada vez mais raro ver um jogador com 100% do passe nas mãos do FC Porto, a percentagem de receita tem tendência a diminuir. Além disso, ainda em 2015-16, há a contar uma folha salarial que possivelmente será a maior da história da SAD e a própria liquidação de reforços já contratados, como Imbula e qualquer outra possibilidade que a Doyen possa ter. Uma venda, é certo, poderia dar mais alguma liquidez para o curto prazo e reduzir a necessidade de mais-valias para o 2º semestre. Mas apenas Alex Sandro tem mercado para isso neste momento. Portanto, ou a Juventus abre de facto os cordões à bolsa, ou Pinto da Costa terá que explicar como é que recusou 30M€; e se quiser explicar que os 30M€ não eram cash, então talvez tenha que explicar como se prescindiu da oportunidade de ter Óliver Torres pelo menos mais um ano. Como o presidente que todos conhecemos não é homem de ficar de mãos atadas na hora de negociar jogadores, aguardemos.

Tendo em conta que é quase impossível fugir a um défice operacional sempre acima dos 30 milhões de euros, aliado a todos os gastos previstos/possíveis para 2015-16, entende-se que a margem para investir ainda mais no plantel está reduzida. Daí tanta espera por Lucas Lima e pela Doyen, como há dois anos houve esperança e crença em Bernard e na Doyen. E em 2013-14, Licá e o bom início de época disfarçaram muita coisa. Daí a importância de agora avaliar a situação com o máximo pragmatismo: o plantel que Lopetegui tem em mãos dá mesmo as garantias necessárias para cumprir os objetivos do FC Porto?

Se sim, força, vamos para a guerra com o que temos, e quem achar que é suficiente no final estará sempre sujeito à eventualidade de explicar por que é que afinal não era suficiente. Se não, então mais que nunca o FC Porto terá que recuperar o toque de midas e procurar soluções baratas, com um euro no bolso - e esse euro não precisa de ser de um fundo. Lopetegui, enquanto treinador do FC Porto, também tem que ter a capacidade de sugerir nomes low cost para reforçar o plantel, como o fez tão bem com Óliver, Marcano e até Varela ou Rúben Neves, em diferentes circunstâncias e moldes negociais, e não tão bem com Campaña ou Andrés Fernández.

Largos dias têm duas semanas. É o tempo de acabar de compôr o plantel e de aprender com os erros cometidos em 2013-14.

19 comentários:

  1. Não contando com Quintero podíamos ter apostado noutra prata da casa que faz a mesma posição, com características diferentes, mas que oferecem igualmente soluções ofensivas que a equipa não tem: Josué e Tozé.

    ResponderEliminar
  2. Excelente análise, muito lúcida e realista, gostei bastante. Acho que a ideia neste momento passa por "vender" Herrera e tentar até ao limite máximo Lucas Lima (se não for agora pelo menos em janeiro). Pelo exposto o FCPorto não pode recusar uma proposta de 30 milhões por Alex Sandro, só deve ter recusado a do Atlético de Madrid porque deviam querer pagar em "suaves prestações" como aconteceu com Falcão. O Nosso Grande Presidente fez bem em recusar esse negócio senão ía para lá o Jackson e nunca mais recebíamos... mas deve estar a aguardar que a Juventus chegue lá próximo e nesse caso é bem vendido, tem que ser.
    Saudações Portistas,
    PA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *correção "...ía para lá com o Jackson..."
      PA

      Eliminar
  3. TdD 3 questões,

    1) Os 90M€+++ em vendas que o Porto realizou este ano não dá esse desafogo financeiro, para atacar o mercado? Sei claramente que o Porto não recebeu estes 90M€++ líquidos e que ainda tem que se tirar as comissões e fasear os pagamentos mas mesmo assim, certamente mais de 50M€ líquidos entraram (a confiar que o At. Madrid pagou o Jackson mesmo a pronto).

    2) Falas-te de um aumento da massa salarial com as entradas de Cassilas, Maxi, Osvaldo e possivelmente Imbula... Mas as saídas de Jackson Martinez, Danilo, Casemiro, Óliver, Quaresma e Adrian Lopez não cobrem as massas salariais dos que entraram? Que eu saiba, esta gente não estava cá de graça...

    3) O atleta com mercado é Alex Sandro correcto... mas e Herrera? Não te parece que deveria ser vendido nesta janela a aproveitar o valor actual que poderá ser sempre a descer? E não te parece que o clube estará mesmo a tentar transferir o atleta?

    O clube tem sempre estes problemas de ultima hora para colocar... depois de um defeso que correu mais ou menos bem neste particular, com alguns excedentários vendidos e outros muitos emprestados a clubes estrangeiros com o ordenado pago e ainda o empréstimo a render algum dinheiro (assim se espera), o defeso acaba sempre da mesma maneira... com estas coisas em cima da hora.

    É algo que não gosto mas já estou habituado...

    Em relação a Quintero o ideal é meterem-no numa equipa que tenha um espaço 10 para ele jogar (talvez na Alemanha como o nosso ex.FCP Diego?). Parece-me que ali poderá se exibir a preceito... e emprestar renovando o contrato e metendo um preço pelo empréstimo + uma clausula de compra de +- 20M€.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1) As receitas com vendas do FC Porto remetem para as contas de 2014-15, não para as da época que já está em curso (exceção feita a parte da transferência do Jackson, que permitiu gerar uma mais-valia acima do expectado, isto partindo do princípio que o dinheiro do Atlético foi contabilizado ainda em junho). Se transitou um prejuízo líquido de 38M€ da época anterior e se havia um défice operacional de 25M€ no orçamento de 2014-15, facilmente se percebe que do dinheiro feito na última época pouco sobra. Está tudo dentro do orçamentado há um ano, nenhum adepto pode ficar surpreendido.

      2) Nada como esperar para ver, mas tudo leva a crer que a folha salarial aumenta. Até porque as contratações a custo zero implicam pagamentos elevados de prémios de assinatura.

      3) E propostas? Até ver, nem uma. É um jogador importante para Lopetegui.

      Eliminar
    2. Pelos vistos o Alex Sandro esta ja com um pé fora...
      Em relaçao ao Lucas Lima sinceramente eu acho que é muita guerrilha ou muita indecisão para um jogador que não tem provas reais dadas. A unica coisa que sustenta o continuo interesse no jogador é a ajuda da Doyen.
      Temos jogadores que sobrem para o meio campo (ao ponto de o Ruben Neves nem sentar no banco como no ultimo jogo. Estará também a ser abordado?)
      Lucas Lima é uma incerteza, é um jogador que apenas jogou no Brasil e sabe ele defender? ao nivel europeu? Bernard foi para o Shaktar e soube-se alguma coisa dele? Tem lugar na seleçao brasileira numa altura em que se espera que qualquer pode ser chamado na tentativa de recuperar alguma coisa?
      Por isso eu vejo que Lucas Lima é mais uma aposta do que um investimento.
      Fc Porto tem plantel para aquilo que se exige que é ser campeao nacional. Ganhar a liga dos campeos todos queremos mas nao exigimos.
      Se no final das contas nao conseguirmos ser campeoes (2 anos seguidos) com 2 dos planteis mais fortes do Porto dos ultimos anos acho no meu entender que não foi pela falta do Lucas Lima, ou de outro qualquer.

      Eliminar
    3. 1) Mas esse défice operacional não foi quase todo comprido com a venda "apressada" de Danilo? Com a venda de Jackson, acreditando que entrou no período contabilístico anterior, não ficamos imediatamente com um saldo positivo considerável no período(20M€+-)?

      É que se assim for, em teoria teríamos apenas que vender mais um jogador bem vendido neste período que se estende até Julho de 2016, para termos o défice orçamental coberto, isto claro não considerando mais nenhum gasto exponencial extraordinário.

      2) Não lhe parece que os prémios de assinatura tenha sido "financiados" pelos empréstimos certamente pagos, a clube estrangeiros e que essa é uma estratégia que a nossa SAD (e não só) tem usado para equilibrar as contas, ou seja, empréstimo custa X (200m€, 300m€, 500m€) e os salários são por vossa conta?

      3) Pois... aí só se fala do Zenit (ou foi criado esse mito), mas o certo é que temos demasiados médios e dá jeito "aliviar" a folha de jogadores que joguem menos.

      Eliminar
  4. um dos grandes problemas do porto desde que o presidente deixou de ser ativo na comunicaçao, é exatamente a comunicaçao para o exterior, o porto nao consegue atualmente fazer valer as suas queixas ou as suas glorias, o modelo de tudo centralizado numa pessoa esta ultrapassado. As contrataçoes tem a ver com a politica do clube em nao dar aos treinadores a liberdade de escolher os jogadores, depois falha sempre nesta ou naquela posiçao para o modelo de jogo deste ou daquele treinador. No caso do basco nota se mais pela sua falta de perspicacia para escolher os jogadores necessarios ( ele experimenta, ainda pensa que esta nos sub 21 ), numa primeira analise vieram espanhois para se sentir confortavel independente da sua valia ou do que a equipa precisaria. Espero que o basco perceba que esta na altura de se afirmar nos seniores. Precisamos tanto de um 10 ou parecido entao porque o osvaldo e nao o aquilani com toda a sua experiencia por exemplo? Concluindo sao demasiados quinteros, adrians, reyes, herreras, rolandos, iturbes, caballeros , kayembes e outros. Esta epoca começou e parece haver mais intensidade, velocidade e querer, a equipa existente é boa, agora à que demonstrar dentro do campo e querer faze lo.

    ResponderEliminar
  5. Na minha opinião de "manager de bancada", era vender Herrera enquanto está bem avaliado e tentar utilizar parte do valor recebido para contratar um médio para a posição mais ofensiva.

    Herrera deverá valer pelo menos uns 20M (havendo interessados, claro) e com a chegada de Imbula, a meu ver, perdeu espaço na equipa e a equipa também perde com os dois juntos. Aliás eu creio mesmo que se não fosse o risco de desvalorizar Herrera, já o Evandro tinha saltado para o onze.

    A não ser contratado ninguém, penso ainda assim que existem alternativas dentro do plantel para a posição de médio mais ofensivo. Uma delas o Evandro, que referi em cima. Outra o nosso "avançado disfarçado de médio", como diz Lopetegui, Alberto Bueno. A maioria dos jogos vão ser feitos contra autocarros, por isso ter "4 avançados" é capaz de não ser má ideia. Na Champions, claro, terá de ser diferente (talvez o único contexto em que Imbula + Herrera faça sentido).

    ResponderEliminar
  6. Caríssimo(s),

    Depreendo que pela tua (vossa, não sei quem são, não sei quantos são) análise, o plantel deve ser visto do mais caro para o mais barato, pondo-se a jogar aqueles cujo investimento da SAD é maior. Nessa lógica Adrián López, Quintero, Indi, e por aí fora tinham lugar garantido no onze.

    Não me interepretem mal. No ano passado estive desde Outubro - sim, não foste só tu (vocês) - a insistir no potencial do Adrián, a defendê-lo quando fez coisas bem, a pedir-lhe tempo. Este ano desistiu, pura e simplesmente. E, seja lá quanto ganha, é sempre muito para estar aqui. Que se perca, pede-se que se perca pouco. Quanto a Indi, é evidente que é um central para o plantel, mas a defesa menos batida da Europa não deve ser partida por decreto. Se Indi quer ser titular trabalhe melhor de cabeça, faça cortes sem amarelo e tenha cuidado na pressão na área. É injusto para com Marcano pensar-se assim. Marcano, para mim, por exemplo, foi um excelente negócio. Ter dois centrais de futuro - sim, eu gosto do Maicon, muito mais do que vi no sábado, e mais ainda da solidariedade entre os dois - de futuro, que muito dificilmente vão para outro lado, sem ser com ganhos consideráveis para o clube, é muito bom.

    Por último Quintero. Aí concordo, em parte, convosco. A vossa análise futebolística dele é, creio, transversal a todos nós. Agora e quê, joga-se por decreto? Custou 9M, tem de jogar. Não, não tem. Tem de pôr-se a jogar num lado onde haja o modelo de 10 de Quintero - cada vez mais escasso mas existente - a ver se ele não voa. Eu acho que sim. Vide Carlos Eduardo.

    Depois, a velha e gasta questão do 10. Para quê, porquê, como? Eu vi muita criatividade no sábado! Queremos mesmo um jogador por onde passe todo o jogo? É esse o modelo? Porque não dois bons oitos posicionados mais à frente, tipo André André, ou um segundo ponta de lança tipo Bueno, que se desmarca maravilhosamente? Lucas Lima que vá passear, há mais do que uma maneira de se assar um frango!

    A questão dos salários é gira. Eu sei que tu (vamos partir do princípio, vá) costumas estar bem informado, mas, que massa salarial elevada mais? A de Casillas? A do Maxi? A do Imbula? E essas não compensam Sandro, Danilo, Jackson, Casemiro, Óliver, Adrián, Quintero, Quaresma, Fabiano e por aí fora? Mal estaríamos! Emagrecemos, sem dúvida, pois não acredito que Danilo, André André, Bueno, Sérgio Oliveira, etc ganhem isso. Ou alguém estaria pirulas. Mas nada como o R&C, tudo o resto são especulações. A não ser que tenhas fonte na contabilidade que te dê um step-by-step das coisas.

    E finalmente, quanto a Alex Sandro, duas notas. 1 - a vontade do jogador. Melhor ganhar 25+ objectivos por um jogador que quer sair do que nada, certo? E ele poderia querer ficar à altura da proposta do Atlético, ou não? 2 - Óliver estava em cima da mesa mesmo? É que sempre li que o Simeone não abria mão dele. E se viesse no negócio, quanto entraria nos cofres da SAD? E em que moldes? Não esquecer de quem estamos a falar! Não fosse o NGP ser uma velha raposa e o negócio do Jackson teria sido um filme de colecção! Queriam outro? Massa a pronto, sff!

    Mas vá, concordo com os dois últimos parágrafos. No entanto, não creio que iremos perder dinheiro com Brahimi ou Imbula, por exemplo. E não se esqueçam de uma coisa - precisávamos de prata da casa. Como de pão para a boca. E Casillas tem de pagar-se a si próprio, em receitas, em projecção, etc etc. E, por último, se forem verdade os valores oferecidos pelo Rúben, poderá vir aí um negócio recorde. Fora a formação que vamos criando, a médio prazo. E sim, Lopetegui descobriu e potenciou já dois laterais e muitos outros valores. Estamos a jogar melhor que os outros. Acredito, mais do que nunca, que seremos campeões.

    Abraço Azul e Branco,

    Jorge Vassalo | Porto Universal

    ResponderEliminar
  7. Se a noticia de hoje da saída do A.Sandro vamos ficar sem os 7 jogadores que mais minutos tiveram na época passada! Não será isto algo preocupante para quem não ganha nada á 2 anos e ao invés de fazer um esforço para reforçar o plantel, desmantela mais uma vez uma equipa quase completa?

    ResponderEliminar
  8. "Daí a importância de agora avaliar a situação com o máximo pragmatismo: o plantel que Lopetegui tem em mãos dá mesmo as garantias necessárias para cumprir os objetivos do FC Porto?"

    Se Lopetegui não tem condições para os objetivos do FCP, qual o treinador que teve? O treinador já começou a colocar desculpas, de perder vários jogadores, que falta o tal médio criativo, etc, etc. Chega de desculpas! O Lopetegui tem um plantel para fazer um bom 11 e ter boas soluções para uma rotatividade necessárias e não exagerada como o ano passado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perdemos no ano passado por causa do andor, não foi por rotações do lopetegui. ...

      Convençam se disso

      Tudo resto é conversa de antiportismo lisboeta

      Eliminar
  9. Halilovic do Barcelona…. #fácil #barato #bom

    ResponderEliminar
  10. Vou aguardar ansiosamente pelo relatório de contas do fim deste ano e da vossa análise! Mas afiguram-se tempos negros para o nosso clube, cada vez mais os jogadores que vendemos e permitem ter orçamentos acima da nossa realidade são mais caros (ver exemplo de Imbula) e geram mais valias abaixo dos 50%! Neste plantel, com a saída de Alex, só Indi poderá ser uma dessas vendas e também não foi barato. No meio campo, temos Herrera e a médio prazo talvez o Imbula e Danilo P. No ataque os jogadores que podem trazer receitas ainda vão trazer grandes custos como referem no texto. Torna-se cada vez mais peremptório apostar na formação, que nos últimos anos o aproveitamento tem sido quase nulo, neste plantel temos 2. Até os grandes clubes têm vários jogadores da formação (p.e. Barcelona, Bayern, até o Real tem vários nem que seja para fazer número). O nosso modelo de gestão está a esgotar-se! É preciso visão para o futuro e começar a mudar sem que isso traga implicações na performance desportiva, porque se se esperar pela altura em que seremos obrigados a mudar as coisas vão ser mais complicadas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com todo o respeito, comentários como esse venho lendo de há nove/dez anos a esta parte.

      Eliminar
  11. Boa tarde, a venda de Alex Sandro ja era esperada mas o clube precaveu-se com a contratacao de Cisoko mas quanto a Herrera ele este jogo foi uma nodoa e na epoca passada so lhe via uma coisa boa: corria como um cavalo o jogo todo mas correr nao chega. Quanto a Quintero e craque verdade tem talento?valente mas so quer noite vida loca da ideia que e amuado e nao leva a serio a carreira de futebolista e jogar no Porto nao e a mesma coisa que na colombia. Quintero e um caso claro de jovens que nao tem juizo e acho que o clube alem de avaliar o perfil futebolistico de cada jogador para contratar tb deveria analisar o perfil mental e psicologico porque embora Kelvin,C.Alberto,Ghilas,Iturbe,Quintero,Rq7 etc fossem e sejam craques juizo e coisa k lhes falta.

    ResponderEliminar
  12. Olá
    Dei comigo a pensar no seguinte:
    Se hoje o Futebol é acima de tudo uma Industria, obviamente que tem que ser rentável!
    Ora o FCPorto acaba de ter um enorme sucesso financeiro com o montante que consegui fazer nas vendas que efetuou e que acaba de completar(?) com AS. A ser assim, eventualmente o paradigma no Futebol estará a mudar e mais do que títulos bastarão «boas presenças» nas competições em que um clube participa para que daí advenham boas vendas/negócios que façam entrar divisas nos cofres da SAD....e do País.
    Tudo isto para dizer que, por este prisma, Lopetegui é já um vencedor....
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
  13. Tribunal Acha que mesmo com a saida dos 4 jogadores mais bem pagos do plantel a folha salarial ainda vai aumentar ? Se for esse o caso temos um problema bicudo

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.