quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Contas para a Champions

O FC Porto já passou em grupos difíceis e já foi eliminado em grupos mais fáceis. Na Champions, prognósticos só mesmo no fim do jogo. Para já, o desafio vai ser o de sempre: lutar pelo apuramento para os 1/8.

A SAD estrutura as suas épocas a pensar sempre na qualificação para os oitavos-de-final (ou seja, independentemente do grau de dificuldade no grupo, assume-se sempre que é para passar). Isso é sempre uma pressão para treinador e jogadores, que têm que se concentrar não só nos objetivos desportivos como em conseguir, através dos prémios da UEFA, dar à SAD dinheiro que ajude a equilibrar o insustentável balanço entre gastos e receitas operacionais. 
Quanto vale a Champions
para o FC Porto

Mas no FC Porto não há outra coisa que não pressão, e há que conviver com ela. Em 2014-15, a frio, o FC Porto teve que passar pelo play-off e fez 11 jogos invicto, sempre jogando bem acima da média, até ser eliminado por um adversário francamente superior, com quem aos 75 minutos da segunda mão o FC Porto ainda estava a discutir a eliminatória. 

Ainda é cedo para estar a projetar os jogos, mas fica já a nota de que o FC Porto estreia-se em Kiev a 16 de setembro, quatro dias antes de defrontar o Benfica no Dragão. O Chelsea é obviamente uma equipa num patamar superior, treinada por José Mourinho, o treinador que mais dinheiro gastou em contratações em todo o mundo no séc. XXI. Se o FC Porto pudesse aplicar em investimento no plantel um décimo do que José Mourinho já gastou, o favoritismo do Chelsea talvez não passasse da teoria. Assim, sejamos francos: o Chelsea é um adversário, mas não é «o» adversário.

O apuramento possivelmente irá decidir-se entre a 3ª e 5ª jornadas. Sendo cedo para fazer contas, uma dupla vitória diante do Maccabi é quase essencial, bem como procurar fazer pelo menos 4 pontos contra o Dínamo Kiev, sendo absolutamente imprescindível ganhar o jogo em casa. É óbvio que o FC Porto apresenta-se em campo para discutir sempre o resultado, contra qualquer adversário, mas não será muito recomendável entrar em campo na 6º jornada, em Stamford Bridge, para discutir o apuramento.

Assumimos a luta por um lugar nos 1/8 - a SAD assume-a antes dos jogadores e do próprio treinador, logo torna-se lógico que é esse o objetivo -, com o máximo respeito pelos adversários. Porque independentemente das circunstâncias, a única equipa do grupo que não é campeã é o FC Porto. E o Dínamo Kiev superou o Shakhtar Donetsk (com quem o FC Porto sofreu muito para empatar duas vezes há um ano). Contra o Maccabi, podemos e devemos dedicar todas as palavras de respeito, mas é para fazer 6 pontos... e três milhões de euros.

Sobre a questão financeira. Para começar, a eliminação do Sporting foi uma boa notícia, pois assim o FC Porto vai receber mais dinheiro de market pool. Não sabemos onde o MaisFutebol foi buscar que o market pool em Portugal tem um bolo de cerca de 20 milhões de euros (que dizem ser de 9M para o FC Porto e 9M para o Benfica - absurdo e sem lógica), mas que era bom, era.

O market pool (essencialmente receitas televisivas) deu 3,163M€ ao FC Porto em 2013 e 3,618M€ em 2014. Apenas com o Benfica como outra equipa portuguesa em prova e chegando aos 1/8, a receita superará os 4M€. Transmissões televisivas para Ucrânia e Israel não são as mais valiosas, mas a UEFA aumentou a percentagem.

Pela entrada direta, o FC Porto já recebeu 12M€, sendo que já tinha orçamentada a entrada direta em 2014-15. Por cada vitória na fase de grupos, a SAD recebe 1,5 milhões de euros. Apontando aos 10 pontos na fase de grupos, isso significaria um encaixe de 5M€. E chegando aos oitavos-de-final, são mais 5,5M€. Se contarmos com as receitas de bilheteira, a participação na Champions esta época dará uma receita de cerca de 30M€ se o FC Porto cumprir o objetivo de chegar aos oitavos-de-final.

Platini tem muitos defeitos (oh, se tem!), mas a aposta no futebol jovem potenciada pela UEFA, as diretrizes do fair-play financeiro e o aumento dos prémios da UEFA foram excelentes medidas nos últimos anos. Não contando com dinheiro que entra na época anterior, entre apuramento direto, 10 pontos na fase de grupos e qualificação para os 1/8 desta época, o FC Porto ganharia por si só 22,5M€. Se fosse em 2014/15, o mesmo desempenho renderia apenas 15,6M€. Ou seja, a UEFA passa a oferecer tanto dinheiro como... duas PTs. Seria uma boa via para ganhar alguma folga e reduzir a necessidade de mais-valias, mas neste caso tudo vai direto ao ciclo já aqui muitas vezes descrito. Assim sendo, vamos à luta. Seis jogos, 18 pontos, muitos milhões e um objetivo: voltar aos oitavos de final da Liga dos Campeões e continuar a ser o clube português de maior prestígio e desempenho desportivo da UEFA.



PS: Para já, não será dito mais nada. Mas por favor, comparem o impacto nos media que está a ter a Operação Porta 18 com o que teve a Operação Fénix, bem como a forma como o tema está a ser tratado. Voltaremos a este tema mais tarde.

5 comentários:

  1. Na verdade, a questão do market pool vai sofrer grandes alterações a partir de 2015.
    Em primeiro lugar porque os contratos foram renovados e devidos à lutas internas RTP/TVI e SportTV/BTV, espera-se que o valor dos novos contratos seja significativamente superior.
    Este valor serve como indexante para o valor pago pela UEFA aos país de um determinado país, pois revela o valor de mercado do país.
    Em segundo lugar e mais importante, a partir de este ano a UEFA vai distribuir 60% do market pool igualmente por todas as federações (sim, federações e não clubes...) e apenas 40% de acrodo com o valor de mercado. Até 2015, eram 100% baseados no valor do mercado da federação/país.
    Isto é tb interessante porque no fundo trata-se da UEFA a render-se também ela à "centralização dos direitos"... Muito interessante. Aproveito para deixar a dica, falta Portugal... Para quando?

    ResponderEliminar
  2. Justamente sobre esse folhetim criminal da Porta 18 referi o mesmo com os meus amigos. O único que me bafejou com um silêncio nada habitual quando o tema é o seu clube: um benfiquista... a conivência da sociedade é que permite esta miséria de estórias...

    ResponderEliminar
  3. Tdd já não existe oitavos de final da Champions sem o Porto. É presença obrigatória. Como disse num passado recente não existe tubarões. O Porto só tem que entrar em campo e olhar os adversários nos olhos sem medo e ganhar. E dizer em campo que isto é o Porto. O resto é conversa. Quanto à notícia é preciso não esquecer que o manto protector não se aplica apenas ao futebol

    ResponderEliminar
  4. A grandeza de um clube não se mede pelos milhões que gasta nem tão pouco pelo treinador que tem. Já o Porto andava e conquistava competições europeias e ninguém sabia quem era o Chelsea. É esse respeito que o Porto tem de impôr.

    ResponderEliminar
  5. Acredito que possamos passar em primeiro lugar. A época passada na Champions o FCP esteve bem até ao penúltimo jogo, por isso acredito que possamos repetir uma boa campanha. Espero que Lopetegui tenha aprendido a "Lição nº6 - Munique"...invenções é na 2ª circular, no FCP é olhar sempre olhos nos olhos as equipas.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.