sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Um direito que vale peaners

As notícias ainda são contraditórias (na Bélgica desmentem o direito de preferência, mas por cá já se ouviram ecos do Dragão que confirmam a veracidade - entretanto O Jogo já confirma), mas foram suficientes para gerar algum entusiasmo entre os adeptos. Sem se perceber muito bem porquê. A distância entre um direito de preferência e uma possibilidade de compra é tão grande que não dá para muito mais do que sonhar com Tielemans e Praet, que dizem ser the next big thing na talentosa Selecção Belga.

Um direito de preferência é muito simples: quando o Anderlecht receber uma proposta por Tielemans e Praet, é obrigado a informar o FC Porto dos valores. Depois, se o FC Porto igualar os valores das propostas, o Anderlecht é obrigado a aceitar. O resto é com os jogadores, que decidem para onde querem ir.

Dennis Praet
Não é uma opção de compra, nem nada que faça com que o Anderlecht priorize uma venda para o FC Porto. Fazendo fé no que vai circulando na imprensa italiana, tanto Praet e Tielemans já têm um valor de mercado acima dos 10 milhões de euros. O Anderlecht não é um clube dos que mais caro vende e contratar na Bélgica, com as parcerias certas, pode tornar-se fácil (o FC Porto foi buscar Mangala e Defour com um euro no bolso), mas neste momento é uma utopia pensar nisso.

O Jogo acabou de noticiar que Hernâni e Sérgio Oliveira faziam parte de uma estratégia de portuguesização do FC Porto a partir de 2015-16. Por norma, em Portugal não se aposta no jogador nacional por convicção mas sim por necessidade. É mais barato, para contratar e para manter, e tem igualmente potencial de venda. Admita-se ou não, há uma necessidade de redução de custos e o caminho passa por aí.

Ora neste momento pensar em 2 pérolas belgas que custam 10 milhões de euros cada é ignorar essa necessidade de apertar o cinto. O FC Porto prevê pagar 71M€ em salários em 2014-15 e as despesas com passes chegam aos 29,3M€ (ainda sem contar com Hernâni). São 100 milhões de euros num clube que vai gerar uma receita de 90M€ em 2014-15, um pouco mais se for aos 1/4 da Liga dos Campeões.

A isto, somem o fornecimento e serviços externos na ordem dos 40M€ e outras rúbricas de menor impacto. As despesas para 2014-15, contando com passes de jogadores, vão andar a morder os calcanhares dos 150M€. É o maior orçamento da história da SAD e precisa de mais 40M€ em mais-valias com jogadores até 30 de Junho. Não são 40M€ brutos, mas sim limpinhos e após deduzidas comissões, prémios de fidelidade, percentagens de terceiros e o valor contabilístico dos passes. É quase impossível que Jackson e um lateral cheguem para aguentar o barco. Fazer uma boa Champions podia reduzir essa necessidade, mas a SAD parece mais disposta a aumentar o poder de compra do que de reduzir a necessidade de venda.

Youri Tielemans
Feitas estas contas, há também que pensar em 2015-16. Os custos com pessoal, que tiveram uma subida de quase 50% na última época, dificilmente baixarão da fasquia dos 50M€, apesar da provável saída de 2 ou 3 titulares dos mais bem pagos no plantel. Depois, há as receitas operacionais, que vão baixar consideravelmente, pois a Liga dos Campeões já não terá o impacto de 2014-15 e pensar em receitas superiores a 80M€ parece difícil. É quase obrigatório pensar novamente em pelo menos 40M€ em mais-valias. E isto é muito optimista, pois se para 2013-14 só temos que fazer mais 40M€ é graças ao fabuloso negócio Mangala. A Euroantas resolve o problema do Fair-Play Financeiro, mas é virtual, pois não resolve nada em termos de liquidez e pagamento dos compromissos (o acesso ao crédito volta a ser essencial).

E para avivar a memória, em Maio vence um empréstimo obrigacionista de 30M€, além de um de 2,1M€ em Abril, que vai ter que ser renovado. Não há outra hipótese.

No meio de todas estas contas de subtrair, num plantel que tem cada vez menos activos a 100% e que vai voltar a necessitar de investimento em 2015-16 (seja por recurso ao mercado, seja na compra de percentagens de passes), como pensar em competir com grandes clubes por Tielemans e Praet? O direito de preferência é algo que perdeu o seu valor no futebol moderno. Não serve absolutamente para nada, e por muito que queiram vender a ideia de que é bom, não é isto que ajuda a perceber a saída de Rolando para a Bélgica.

Hoje em dia, quaisquer empresários fazem leilão dos seus jogadores e informam quaisquer potenciais interessados quando os seus clientes estão a negociar com outros clubes. O FC Porto não teve direitos de preferência por Álvaro Pereira, James, Danilo, Alex Sandro, Falcao e tantos outros, mas vieram todos cá parar depois de negociar com o Benfica. Porquê? Porque os seus empresários sabiam que o FC Porto pagava melhor e valorizava tanto ou mais os jogadores para futura venda. Era um leilão fácil.

Outro exemplo foi Ghilas. O Sporting tinha direito de preferência, mas não pôde fazer nada para competir com os números do FC Porto. Um direito de preferência é insignificante, sobretudo quando se vê Juventus e Inter como potenciais concorrentes por Tielemans e Praet. Para pensar nestes nomes, só num financiamento semelhante ao de Brahimi, que seria ainda mais caro no reembolso a médio prazo. Mas como Jorge Mendes disse, em Dezembro a FIFA estragou a festa a muita gente, que não está interessada num financiamento com reembolso pré-definido, mas sim em ficar com direitos económicos na sua mão para depois negociar a venda a seu bel-prazer (um bom tema para depois).

A alternativa: descobrir os nossos Praets e os nossos Tielemans. Sobre esses sim, há direitos de preferência que o FC Porto pode exercer.

PS: No caso do (hipotético) negócio com o Anderlecht, o direito de preferência só é válido para 1 jogador. O Anderlecht é obrigado a informar sobre as propostas dos 2 jogadores mas só é obrigado a aceitar 1 que o FC Porto iguale. A boa notícia é que nos sub-19 e na equipa B o FC Porto pode exercer os direitos de preferência que quiser. Tão fácil.

25 comentários:

  1. E não é possível de forma direta ou indireta fazer negocio (ceder) com esses "direitos" ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ? Os direitos na prática não servem para nada. Não fortalecem a posição negocial do FC Porto nem reduzem a do Anderlecht. A única coisa que o Anderlecht deve fazer é informar o FC Porto das propostas que receber e aceitar as do FC Porto se igualar a proposta mais alta. Se uma Juventus bate 10M€, au revoir.

      Se o FC Porto está mesmo interessado numa negociação a partir da estaca zero e se tem parcerias para tal, só os dirigentes saberão.

      Eliminar
    2. Nao sou tao pessimista.
      O direito de preferencia fortalece sim a posição do porto, excepto no caso em que o valor dos jogadores "rebente a escala".
      A historia recente do futebol esta recheada de grandes jogadores que por uma ou outra razao sao vendidos abaixo do seu real valor (otamenti, guarin, garay, etc..)
      Ora, assim sendo e se por acaso algum destes jogadores tiver a hipotese de ser negociado abaixo dos 10M€ que poes como limite, o direito de preferencia tem um valor importante.
      Primeiro porque afasta os interessados no jogador. O sporting, benfica, fiorentina, lyon, e outros da classe media do futebol europeu, vao realmente negociar um jogador sabendo que o porto pode ficar com ele sem se dar ao trabalho? PElo menos certamente benfica e sporting nao quereriam passar por essa vergonha... :)
      Perdendo estes interessados, o Anderlecht perde tambem uma boa feramente de "leilao" para subir a cotaçao...
      Isso tudo junto contribui para facilitar que possamos ser nos a ficar com o jogador...


      agora... olhando pelo outro prisma... todo esse valor acrescentado do direito de preferencia... nao é assim tanto que justifique um negocio ruinoso no caso do Rolando... isso de facto ha que ver se foi mesmo assim...
      abraço

      Eliminar
  2. «A alternativa: descobrir os nossos Praets e os nossos Tielemans. Sobre esses sim, há direitos de preferência que o FC Porto pode exercer.»

    Atirem pedras e escrevam que os outros são adeptos de sofá. Ou então arranjem forma de parar a bola de neve financeira. Mesmo ganhando tudo - não chega! mesmo sendo muito bons na champions (4ºs de final), já não chega!

    Patrocinadores para substituir os que sairam e pagavam bem, não há!

    Será que não conseguem perceber a camisa de 11 varas em que nos estamos a meter?

    ResponderEliminar
  3. Que contratem mas é o andre andre que é umgrande jogador e bem mais barato que esses belgas .... isso sim

    ResponderEliminar
  4. TD uma pergunta no post anterior o TD desmente o direito de preferência mas agora diz que já há direito, alguma novidade ou confusão?

    Se vendermos Herrera por 20 milhões dá perfeitamente para os 2, são 2 craques que vão ser dos melhores do mundo, não podemos desperdiçar esta oportunidade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi desmentido nem confirmado nenhum direito de preferência no post anterior, basta ler o que está escrito. Foram publicados excertos de duas notícias de Portugal e duas da imprensa belga, contraditórias, e a simples questão: em que ficamos? E agora temos a resposta n'O Jogo, que confirma o direito de preferência.

      Eliminar
    2. Se alguém der 20M pelo Herrera eu até o levo ao aeroporto. Às costas. Descalço. E ainda dou 1€ para fazer 20M e 1 euro!

      Eliminar
    3. posso ser um anonimo e um anonimo chato porque comento varias vezes aqui (criar conta so para poder comentar da-me preguiça) quase nunca o blog ou o seu dono me responde e compreendo afinal sou anonimo mas adiante... entao vendemos o herrera 20 milhoes e da para os dois... ok, essa historia é tao bonita como aqueles contos de fadas para miudas pequenas... em primeiro que eu saiba e acho que ate ja foi dito neste proprio blog num post antigo (posso dizer que li os artigos todos deste blog) que o porto nem a totalidade do passe do herrera tem julgo que so tem 80% logo de 20 milhoes perdiamos logo 4 milhoes mais alguns "trocos" por intermediaçoes e dava para os dois que estao avaliados em 10 milhoes e tem outros grandes europeus sem ser o porto atras deles o que os faz valorizar ainda mais...
      quanto a jogadores para o meio campo acho que o grande problema do porto esta epoca sao casemiro e herrera, nao sao maus mas nao se enquandram bem a jogar juntos e herrera nao é um box-to-box que o porto presisaria para o estilo de jogo que tem, é a minha opiniao dai sim eu vendio no fim da epoca aproveitando a valorizaçao dos jogos na champions e ainda o que fez no mundial passado, e para o meio campo ja o disse noutro comentario para o ano teremo, ruben neves, sergio oliveira, eu compraria campana (gosto dele, tem garra, sabe ser agressivo é melhor medio defensivo que casemiro, e alem disso nos jogos que fez com ruben adorei ve-los jogarem juntos) depois ha jovens na B que um ou outro ja podia ter sido emprestado para rodar e ganhar mais estaleca, evoluir, (tomas, francisco, leandro, joao graça, mikel...) e sabe-se la se no negocio hernani nao houve nada ja acordado para andre andre, temos tiago rodrigues no nacional que sei o que o TdD aqui disse dele no balanço do mercado de inverno mas é um jogador que aprecio, teve o azar de o ano passado nao se impor de novo em guimaraes mas tem 22 anos ainda pode evoluir e quiça ter uma hipotese, ha evandro, ha carlos eduardo embora creio que este sera vendido... acho que nao presisamos dos belgas, digo eu...
      ja agora o ideal ideal era ver se o atletico nao cria ficar com quintero e nos ficavamos com oliver :) (e ate podiamos incluir um ou dois emprestado que nao vao dar ja nada ao porto tipo djalma, sami, bolat, varela, abdou, lica, ofereçam... menos salarios mais oliver)

      para finalizar entao no inicio da epoca renovaram com o mikel, melhoraram bastante o salario pelo menos foi o que disseram depois lesionou-se e nunca mais ninguem o viu... onde anda? e ja agora joao graça? fez parte da pre-epoca ou mesmo toda na equipa A e agora é raro jogar e ser convocado para a B?

      Eliminar
  5. E se em vez eventualmente em vez dos 2 e ir buscar só o Tielemans? 17 aninhos, com o Ruben Neves no meio-campo era um sonho... Se por acaso conseguissemos Óliver no próximo ano ficávamos com meio-campo de top!! O Jogo já fala dos 2 hoje, há esperança!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O direito de preferência só é válido para 1 jogador (o Anderlecht informa sobre os 2 mas só é obrigado a aceitar 1 das ofertas que o FC Porto iguale). Tielemans é mais promissor mas também mais caro. Tudo o que se possa dizer neste momento é especulação e não passará disso, não vale a pena comentar mais o assunto.

      Abraço

      Eliminar
    2. E se em vez de um direito de preferência houver um pré-acordo?

      Eliminar
  6. td qual foi a última vez que tivemos um direito de opção???

    ResponderEliminar
  7. Depois de ler este post, fico confundido com o que raio pretendia o TdD , "o direito de preferência seria interessante". Afinal, como o TdD se enganou e afinal até há direito de preferência, já não tem interesse nenhum. E ao contrário do que erroneamente se sugere neste post, nem todas as claúsulas de preferência são iguais - algumas são estruturadas para maior benefício do comprador. Por exemplo, eu aposto que pelo menos um destes jovens belgas está cá para o ano (e também aposto que o TdD vai criticar o negócio). Mas enfim, acho que estas constantes contradições já não surpreendem ninguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que já não surpreende ninguém é quem por cá passa.... Se o td escreve algo que agrade é o maior, se estraga os sonhos dos jogadores de FM é o caos. Só me lembro de criticarem 3 negócios, kayembe, Hernani e Rolando. O que já não surpreende são os mokievs e os magicos aziados desta vida, que não passam um dia sem vir cá cheirar e depois fazem de tudo pra esconder a azia... e a pensar que Rennie tinha uma caixa vermelha por acaso mas afinal também dá para azuis.

      Abç td e continuem com o melhor blog portista.

      Eliminar
  8. Apenas um detalhe:

    Uma venda de Jackson por 35ME resultaria numa mais-valia contabilística na ordem dos 25/26ME (já considerando os 5% do passe que não são nossos; uns expectáveis 10% na intermediação; cerca de 2,4ME da amortização contabilística do 1º contrato e uns estimados 2ME, também contabilísticos, da renovação).

    Uma venda de Danilo por 30ME, resultariam em cerca de 21/22ME de mais-valia contabilística. Já considerando uns 10% da intermediação; cerca de 3,6ME da amortização contabilística do contrato actual; e uns eventuais 2ME, também contabilísticos, pela expectável futura renovação).

    As duas vendas resultariam em valores bem acima dos 40ME de mais-valia contabilística necessária.

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. O direito de preferencia é de facto uma prioridade que se atribui ao preferente, neste caso ao FCP. A prioridade de venda em casos de oferta. O FCP tem que igualar a oferta do clube em questão, mas isso é completamente vazio de conteudo. Porque? Porque falamos de pessoas com liberdade contratual que têm legitimidade de escolher aonde vão jogar, logo, tudo depende deles, independentemente de direitos de preferencia ou não. O mesmo se passa nas opções de compra. De nada adianta termos uma opção de compra do CR7 por 5 milhoes se ele depois disser que não quer vir para o FCP. A opção pode estar lá, mas se o jogador não quiser vir nada feito. A decisão dele é sempre a última a contar e a mais importante. Por isso é que deve haver contratos promessa com condições especificas nos jogadores que tem clausulas de de compra após empréstimos e etc, de outra forma é completamente ineficiente o contrato.

    Quanto á compra de mais jogadores nacionais, parece-me óbvio e realista. A realidade é que vamos ter que vender ativos valiosos no fim da época. A meu ver deverão ser o Jackson, o Danilo e o Herrera ( até porque é muito inconstante e tem um valor de mercado exagerado para o seu rendimento ). Com estes 3 jogadores perspetivo pelo menos 70 milhoes de euros, por baixo. Isto sem contar com os josués, Rolandos, Ghillas e etc que também deverão render sempre uns milhoezitos.
    Aliadas a estas saídas temos também que contar com as saídas de Casemiro, Tello e Campana ( espero que o Oliver fique ). Jogadores que são pagos principiscamente. Com estas 4 saidas temos logo uma diminuição brutal na massa salarial. Há ainda a ver se conseguimos impingir o Adrian a alguem...

    Dito isto, há muita qualidade espalhada nas nossas camadas jovens, na equipa B e no campeonato portugues. Há que aproveitar. Para o ano é imperativo termos 8\9 portugueses . Não me parece dificil ou impossivel. Depois, há que contratar 3 ou 4 estrangeiros, mas de qualidade indiscutivel e de futuro. Talvez esses 2 jovens não fossem descabidos e certamente que não ganhariam nem perto o que ganham o Tello ou o Casemiro. Ás vezes 10 milhões é mais barato que 5 jogadores por 2 milhoes, que acabam invariavelmente por andar de emprestimo em emprestimo até ao contrato acabar.

    Para o ano, a meu ver, estão os seguintes jogadores no plantel:

    Helton, Fabiano e Gudinho
    Ricardo, A. Sandro, Indi, Reyes, Maicon ( devia sair/*contratar outro ), Lich, José Angel e Victor Garcia
    R. Neves, S. Oliveira, Evandro, Quintero , esperança por Oliver e André André. * Contratar 1 ou 2 médios de qualidade
    Hernani, Quaresma, Aboubakar, Paciencia, Brahimi, André Silva (3º opção/B), Ivo

    Joel

    ResponderEliminar
  10. A gestão do activo Rolando é tão vergonhosa e danosa que se tounou num passivo.
    A SAD do Porto tem agido de forma esquizofrénica e vamos pagar isso bem caro.
    Este blog bem avisa mas os excitados do FM não ligam.

    ResponderEliminar
  11. TdD,

    Como todos sabemos, estes direitos equivalem a zero e na prática é só mesmo para o Porto estar atento às abordagens sobre os atletas.

    Agora o que me parece relevante desta notícia é que estão sinalizados dois jogadores, que poderão ser reforços ou não perante as contingências do mercado.

    Como bem disses-te, os nossos custos andam estremamente elevados e para a próxima época, será essencial, uma redução de custos efectivos.

    Terá de passar, essencialmente, pela redução de atletas com ligações e a ser pagos por nós.

    A redução do numero de emprestados, pelo Porto, acima dos 23 anos, tem de ser reduzida segnificativamente.

    Josué, Rolando, Licá, Ghilas, Opare, Djalma, Carlos Eduardo, entre outros, tem de ter um destino fixo e rápido.

    A equipa B já tem, neste momento, um conjunto de jogadores da formação sufeciente para a manter a funcionar com qualidade, e não ter de recorrer a jogadores externos.

    Jogadores como Kadu, Siemann, David Bruno, Caio, Diego Carlos, Pius, Roniel, etc... tem de se terminar com estas ligações e ordenados desnecessários.

    Em relação aos 2 belgas, e voltando ao racciocionio acima descrito, parece-me claramente que é para a prevenção se um Herrera sair ou se não conseguirmos ficar com o Oliver ou se o Brahimi sair por numeros astronómicos que possibilite a aquisição de ambos ou de 1 pelo menos.

    Isto já a assumir as perdas efectivas de Danilo ou Alex Sandro + Jackson.

    Como sempre o mercado de verão vai ser difícil e a continuar assim, além dos laterais e Jackson, Herrera, Indi e Brahimi, vão ter uma mão cheia de pretendentes e a SAD está-se a por alerta para os do meio-campo/alas.

    Em relação à "porteguisação", eu não vejo como uma necessidade absoluta ou mesmo relativa... eu vejo uma necessidade sim de utilizarmos os nossos talentos e recorrermos à prata da casa, mas quando se trata de ir comprar aos outros, tanto me faz que seja português ou estrangeiro, desde que seja bom e ultimamente portugueses bons tem escasseado e não é por não os termos comprado...

    ResponderEliminar
  12. Digo o mesmo que disse sobre o Hernani :"E não duvido que se este rapaz(HERNANI) tivesse ido para um clube da 2ª circular estava tudo a maldizer os dirigentes por terem deixado fugir mais uma promessa"... He pá,agora o nosso clube não pode ter direitos de preferência? Tanbém vem mal ao mundo por isso? Repito,levantem o cu do sofá(assim se diz na minha terra) e vamos a Moreira ...Abraço

    ResponderEliminar
  13. No final, a única coisa que conta é o poder de compra. Se o Porto não tiver poder de compra para dar 10M por um jogador, não interessam os direitos de preferência sobre ninguém. Mas já que falamos de preferências, preferia ver o clube a contratar o Óliver do que esses dois miúdos juntos (com o devido respeito por eles).

    ResponderEliminar
  14. A questão fundamental é que o modelo de negócios do Porto (défices cobertos por mais valias de venda de jogadores) está esgotado. Sempre foi um modelo de negócios de risco (cobrir custos certos com proveitos incertos): O caminho trilhado nos últimos anos (crescimento acelerado de custos por um lado e menores mais valias para SAD na venda de jogadores) abreviou claramente o seu fim.

    Resultados antes de mais valias de jogadores:

    2007/2008: -27 M
    2008/2009: -31 M
    2009/2010: -35 M
    2010/2011: -46 M
    2011/2012: -65 M
    2012/2013: -55 M
    2013/2014: 63 M

    Em 6 anos o Porto passou de realizar mais-valias na ordem dos 27 M para mais-valias de 63 M (mais do dobro). E repare que estou a falar de mais valias e não valores de venda. Este é um caminho insustentável

    O caminho tem de ser rapidamente invertido e passa decréscimo acentuado da estrutura de custos. Em 2007/2008 o Porto gastou de FSE 17 M. Em 2013/2014 42 M. Mais 25 M. Em Despesas com Pessoal gastou em 2007/2008 39 M. Em 2013/20014 49 M. Mais 10 milhões. Em 2007/208 o valor registado nas Amortizações foi de 20 milhões. Em 2013/14 foi de 27 M. Mais 7 M.

    Repara que só nestas 3 rubricas (FSE, DP, Amortizações) em 6 anos o acréscimo foi de 25+10+7=42 M

    Qual a solução? Fazer o que o Sporting tem vindo a fazer. Downsizing. E que o Benfica mais tarde ou mais cedo também terá que fazer (porque tem um modelo degócios semelhent ao do Prto (até na dimensão dos défices que tem que cobrir com a venda de jogadores).

    Apostar num scouting que assegure que cheguem ao clubes jogadores a um custo mais baixo e que quando vendidos libertem mais valias superiores. Aproveitar de uma outra forma os jogadores vindos de formação.

    Estes 2 vertentes permitirão baixar os FSE (vide menores comissões de interemediação), menores DP (redução dos salários menos pagos) e menores amortizações.

    A implementação de uma estratégia deste tipo vai reduzir o sucesso desportivo? Embora não seja certo que tal aconteça, provavelmente isso vai acontecer. Mas não há volta a dar.

    Ter que realizar todos os anos mais-valias superiores a 50 M de euros é que não é solução.

    Cumprimentos

    Joe

    ResponderEliminar
  15. Hmm... Não sei. Fazendo fé nas notícias, que o Porto tinha uma proposta melhor pelo Rolando para ir para a Juventus, este empréstimo ao Anderlecht cheira a esturro. Já toda a gente percebeu que o Rolando vai sair a custo zero, não já? Para onde, no entanto, não é possível saber. Portanto o Porto abdica de muita coisa aqui.

    Com a proibição dos fundos, os fair-plays financeiros de fachada e etc, o futebol está a mudar e cada vez mais vão começar a surgir maroscas destas que nem nós nem a imprensa consegue entender. Foi dito neste artigo e bem, que o Anderlecht não é dos clubes que mais caro vende, tal como o resto dos clubes Belgas. Mas o Porto é. Desse ponto de vista, não lucrará mais o Anderlecht em estabelecer uma parceria com o Porto cedendo os seus jogadores em apenas metade do passe por exemplo ao Porto, que os valoriza e os potencia muito mais do que o próprio Anderlecht e os vende a um preço superior e no final o próprio Anderlecht acaba por lucrar muito mais com uma venda feita pelo Porto do que uma venda sua à Juventus ou a outro tubarão Europeu? Se o Porto comprar apenas metade do passe, o Anderlecht recebe o valor da outra metade. É um bom negócio para todos, até para o jogador que vai ganhar mais no Porto e crescer e dar mais nas vistas. E o Porto por sua vez tem ao seu serviço um jogador de topo que noutra circunstancia nunca teria. Quem é que não gostava de ter visto jogadores Europeus (não sul-americanos que desses tivemos aos montes) que hoje são estrelas de topo a jogar no Porto com 19, 20 anos, mesmo que o Porto só detivesse 50% do passe deles? Pois, qualquer um de nós.

    Eu penso que o que se passa é qualquer coisa do género disto, mas como disse, nem nós nem a imprensa pode saber.

    ResponderEliminar
  16. Ou então esqueçam tudo o que eu disse e esta notícia sobre estes dois jogadores visa só valorizar ainda mais o passe deles (na América do Sul isso acontece, na Europa não é tão costume e é ainda mais estranho quando estes jogadores têm maiores clubes atrás deles). Coisa que eu acreditaria ainda mais se não estivesse o empréstimo do Rolando no meio disto tudo. O empréstimo do Rolando é que me deixa com a pulga atrás da orelha. E essa pulga afinal de contas pode trazer outra resposta: o Porto conduziu todo este processo do Rolando muito mal, e está a tentar dar publicamente a ideia através dos jornais a possibilidade de um bom desfecho. Mas então não havia uma saída melhor para o Rolando? Muitas perguntas, nenhuma resposta.

    ResponderEliminar
  17. Para a próxima época:
    Fabiano, Hélton, Gudiño(b)
    Ricardo Pereira, Víctor García/Opare
    Bruno Alves, Indi, Schar, Lichnovski/Reyes
    Alex Sandro, José Ángel
    Rúben Neves, Danilo Pereira/Aly Ghazal, Mikel(b)
    André André, Sérgio Oliveira, Evandro
    Quintero, Carlos Eduardo/Josué, Otávio(b)
    Brahimi, Tello, Hêrnani, Kayembé, Ivo Rodrigues(b)
    Aboubakar, Gonçalo Paciência, André Silva(b)

    Vender: Jackson, Danilo , Herrera, Ádrian, Marcano, Maicon, e mais alguns dos que estão emprestados

    Compras: Bruno Alves (se não me engano está em fim de contrato), Schar(está em fim de contrato), Danilo Pereira/Aly Ghazal (tentar negociar o Danilo Pereira com o Marítimo, se não der ir buscar o Aly Ghazal), André André (1,5 milhões é uma pechincha por ele), Sérgio Oliveira (1 milhão também é uma pechincha), Tello (num negócio de Danilo para o Barça)

    As vendas superam claramente os gastos, e se fizermos uma boa campanha na champions (chegarmos aos 4ºs, meias ou até quem sabe à final), dava para pagar as despesas da temporada e ainda ficava um uns quantos milhões de sobra...

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.