domingo, 6 de dezembro de 2015

A primeira reviravolta

Depois da primeira vitória na Madeira, a primeira reviravolta com Lopetegui. Duas barreiras psicológicas que foram superadas em dois jogos, em cinco dias, embora dificilmente pudesse haver justificações para não ganhar ao União e ao Paços. Não fosse a muita inspiração de Marafona e a ainda maior ineficácia do FC Porto e a vitória teria sido mais gordinha e tranquila.

Pela primeira vez desde dezembro de 2014, o FC Porto sofreu um golo no Dragão no campeonato. É caso para recorrer ao maior dos clichês: algum dia tinha que acontecer. E vai ter que ser esse clichê a motivar o FC Porto para o tudo ou nada na Liga dos Campeões, frente ao Chelsea.

O FC Porto nunca ganhou em Inglaterra, é verdade. Já teve melhores equipas, melhores treinadores, defrontou adversários muito mais frágeis do que o Chelsea, e nunca ganhou. Não é perspetiva derrotista, é história. Para ir aos 1/8 da Champions, convém ter o triplo da eficácia em Londres, até porque dificilmente teremos um terço das ocasiões de golo que tivemos ontem.





Herrera (+/-) - Certo dia, os mexicanos celebrizaram o #todoesculpadelayun. É uma surpresa que haja portistas que ainda não lançaram o #todoesculpadeherrera. A verdade é que Herrera jamais terá a inteligência de um Pirlo, um Xavi ou um Iniesta, o que o leva a falhar por vezes o mais primário dos passes. É consequência de meter um médio de transição e contra-ataque num modelo de posse, mas claro que não há desculpa para se falhar um passe quando nem está a ser pressionado.

Por outro lado, quem joga bem tem que ser reconhecido como tal. Herrera foi quem mais bolas recuperou no meio-campo do FC Porto (foi o melhor médio de ontem, de longe), fartou-se de pressionar, estancou muitas subidas do Paços e vai ganhar o penalty da vitória num lance de raça. Por vezes (muitas vezes, aliás), tanto quer fazer as coisas rápido que faz mal. Os adeptos do FC Porto podem ter mil e uma deficiências técnicas para lhe apontar, mas apontar o que quer seja em termos de profissionalismo, empenho e tentativa de afirmação a Herrera é simplesmente injustificável. Quando os adeptos escolhem um ódio de estimação, já se sabe, só dão o braço a torcer se marcarem um pontapé de bicleta numa final da Champions. Foi anunciado em junho que Herrera ia ser Dragão de Ouro, mas só se lembraram agora de o contestar. Se tivesse sido Herrera a perder a bola que André André perdeu antes do 1x0, batiam o recorde de decibéis num estádio. #todoesculpadeherrera.
Mexicanos em destaque

Corona (+) - Melhor jogo pelo FC Porto, frente a um dos melhores defesas-esquerdos do nosso campeonato (Hélder Lopes, muito subvalorizado). Soltou-se bem da marcação, ganhou metros, foi forte nos movimentos interiores e fez um belo golo. Tem que melhorar nos cruzamentos, sem dúvida, mas dá às alas do FC Porto o recorte individual que na época passada só existia em Brahimi. 

Layún (+) - Atacar é com ele, já se sabe. Por vezes arranca com tanta determinação que ultrapassa facilmente a linha média do FC Porto e depois não tem a quem passar a bola. Há muito que não tínhamos um jogador que cruzasse tão bem. Bate bem as bolas paradas (foi impressão ou ia escorregando no penalty?) e só a ineficácia dos colegas o impediram de somar mais assistências ao currículo pessoal. Defensivamente, a nível de Champions, pode merecer muitas cautelas. A jogar no Dragão no campeonato vai ser sempre o protótipo de lateral perfeito.

Outros destaques (+) - Maicon muito bem na defesa e forte na grande área adversária - uma vez mais evolução nas bolas paradas, com os centrais do FC Porto a ganharem 3 lances nas alturas na primeira parte. Desta vez, o FC Porto conseguiu criar ocasiões de golo de sobra: não só soube servir Aboubakar na grande área como fez com que o 3º médio (Herrera) surgisse mais vezes em zona de finalização. É essencial ter esta dinâmica nos jogos em casa.





Crise de confiança (-) - Aboubakar é uma espécie de John Coffey. Pode parece intimidador, mas não consegue fazer mal a uma mosca. E isso também se reflete na forma como se está a deixar abater pela falta de golos. O Aboubakar dos primeiros jogos da época era o primeiro a levantar os adeptos do estádio. Sentia-se capaz de fazer tudo. Agora, consegue falhar o mais fácil dos golos. Não é falta de qualidade, é falta de confiança. Se Lopetegui tem que ir gerindo a questão Aboubakar-Osvaldo, também tem que motivar Aboubakar para o regresso às boas exibições. Mas o 9 do FC Porto não se pode dar ao luxo de falhar golos cantados como o de ontem. E isto também se aplica a Tello. O FC Porto confia muito em Aboubakar. É altura de Aboubakar também confiar nele próprio.

A rever (-/+) - Falando sobre as substituições de Lopetegui. Depois de semanas a ser dos mais regulares, André André teria que ter um dia menos bom. E assim o foi. André André estava a ser o menos bom da equipa. A sua substituição é perfeitamente compreensível e justificável. Não choca, foi uma boa decisão de Lopetegui. O que choca foi a forma como o FC Porto, quase automaticamente, sentiu que devia recuar com a entrada de Danilo. Nada mais errado. Não é por formar o duplo pivô que o FC Porto tem automaticamente que defender mais. Mas Herrera já estava desgastado, e já não havia assim tanta força para pressionar o Paços no início de construção, sobretudo com Aboubakar de rastos. O FC Porto deu espaço ao Paços para subir, e isso podia ter custado caro. O Paços foi a única equipa a ir buscar pontos a Alvalade. O respeito é bom, mas o receio não. Novamente a rever por Lopetegui. Por outro lado, desde a entrada de Danilo, o Paços não voltou a criar perigo e o FC Porto ainda teve 3 ocasiões flagrantes para marcar. Não são os peões a ditar a estratégia: é o plano de jogo. Mas os peões têm que perceber em que tabuleiro estão a jogar.



17 comentários:

  1. ganhamos , otimo. layun excelente a atacar, maicon faz nos falta os seus kgs temos uma equipa macia e lenta, corona repito sempre grande criterio a volta da area e la dentro, abou com paciencia o paciencia ou o silva faziam melhor, falta lhe escola como faltava a jackson que aprendeu muito mas esta no banco do atletico, bolas paradas começam a ser perigosas finalmente. O MAIOR ESTUPIDO DO JOGO O TREINADOR DO PAÇOS QUE DEMONSTROU COM PALAVRAS OFENSIVAS O COMO ESTAMOS MAL EM TERMOS DE PODERIO, antes tremiam antes de chegar ao dragao incluindo os lampioes hoje um pseudo treinador goza.

    ResponderEliminar
  2. Herrera não está nas hipóteses para melhor em campo?

    ResponderEliminar
  3. O FC Porto nunca ganhou em Inglaterra, já é tempo de acabar com isso, há que ganhar. O Maicon esteve muito bem no jogo áereo mas continua muito intranquilo, não transmite a confiança que um capitão tem de transmitir. Não acho que ele tenha condições para ser capitão da nossa equipa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um jogador que em sete anos nunca pediu para sair, nunca se armou em vedeta, não amua quando senta no banco, não me recordo de uma única entrevista idiota dele (como até o Helton deu recentemente). Se não tem condições para ser o capitão, quem tem?

      Eliminar
    2. Já que estamos em maré de queimar recordes, era bom que queimasse-mos esse.... :)

      Eliminar
  4. Duas situações: A primeira, são as declarações do treinador do Paços: "Qualquer equipa que vem jogar ao dragão põe o Porto em sentido". Será preciso comentar? A segunda, a vitória em si e nomeadamente como ela surgiu. A meu ver o penalti surge no seguimento de uma jogada em que o Herrera faz falta sobre o guarda-redes. Ora se assim não fosse o penalti não surgia bem como o segundo golo. Sendo assim qual seria o resultado final? Mais um mau empate em casa. Não me parece que haja motivos para festejar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. amigo mao es mas pareces um lampiao disfarçado ( olha pareces o jesus ), nao houve falta nenhuma my friend. Se nao houvesse penalti o abou e os outros tinham nas metido la dentro e dava 5 ou 6 a 1 , poderas entao dizer que o esclarecido treinador do paços teve sorte afinal de contas, MUITOS SES PERCEBES?

      Eliminar
    2. Essa informação de falta do Herrera sobre o GR é típica de leitor dos pasquins da 2ª circular, que não pensa...
      Não existe qualquer falta na disputa da bola, o GR fora da pequena área é um jogador como outro qualquer e como se isso não bastasse, Herrera joga únicamente a bola e ganha na disputa!
      Xistra estava a deixar jogar (como vemos em Inglaterra e nos países onde se joga futebol a sério e não teatral, como é hábito nos nossos estádios) e vê-se perfeitamente que não há qualquer tipo de falta. Admito que no estádio se ficasse com essa impressão, embora logo na altura eu - como um dos felizardos que, por ficar encostado aos camarotes, tem a possibilidade de ver a jogada do tipo de espectador de sofá( na TV) - verificasse que a jogada foi limpa.
      Como não sou fanático, gosto de ganhar limpo!
      E contráriamente ao que parece ser o caro Luis Claro, sou um optimista!
      Não passo a vida a denegrir as exibições do meu Clube porque sei, por um saber de experiência de vida feito (19 anos a chuchar no dedo, passei eu) que jogar bem nem sempre é sinónimo de vitória e sou testemunha ocular e vivida de muitas derrotas a jogar extraordináriamente bem.
      Mas a nova vaga de adeptos parece pensar que a equipa do FC Porto, joga contra bidões e, como se isso não bastasse, tem memória curta!!!
      Se assim não fosse, lembrar-se-ia das épocas "horríveis" de Vitor Pereira, que a maioria recorda agora com saudade, esquecendo que diziam do treinador e da equipa, exactamente o mesmo que dizem agora......
      PORTO SEMPRE!!!!!
      Nos bons e nos maus momentos......

      Eliminar
    3. O tdd é um espaço de opinião. Podemos não concordar,mas devemos respeitar. Ou pelo menos sabê-lo fazer. Pessoalmente discordo muitas vezes da análise feita pelo tdd. Contudo respeito-a. Muito. Sou apologista que estes artigos deveriam ser do conhecimento geral e não apenas só entre nós mundo portista. Relativamente ao lance do Herrera continuo certo que para mim é falta sobre o guarda redes. Seja ela conetida dentro da pequena área ou fora dela. Falta é falta. Na grande área ou no meio campo. Agora se o árbitro deixou jogar entendendo que não houve nenhuma infração isso já é outra história. Contudo uma pergunta tem que ser feita. Se fosse um jogador do Paços a fazer da mesma maneira a disputa de bola com o Casillas, o entendimento dos meus caros colegas adeptos do Porto seria tão benevolentemente para com a decisão do árbitro? Não me parece. Eu como guarda redes que fui e continuo a ser representando a equipa de veteranos da minha terra,pautei sempre e pauto por ser um jogador honesto e "limpo". Agora jogador que me fizesse uma disputa de bola idêntica só fazia a primeira vez. Aí deixo de ser um "helton" e passo a ser um "Paulinho Santos". Adiante. Quanto ao ver futebol sentado no sofá, enganam-se quem pensa assim. Por motivos profissionais tive e tenho o prazer de assistir a muitos jogos de futebol em vários estádios e de várias competições. A título de exemplo,europeu 2004, final da Taça UEFA 2003 e 2005, final da Liga dos campeões 2014. Para não falar da liga portuguesa, finais de taças de Portugal, supertaça, competições europeias e por aí fora. E uma coisa que aprendi foi ser adepto e não fanático. Sou adepto do Porto e ao contrário de alguns que o são quando nasceram eu já o era antes de nascer. Por isso admito que sejam tão adeptos quanto eu, mais está fora de questão. Quanto ao ser pessimista, enquanto este pseudo projecto de treinador estiver à frente do nosso Porto garantidamente que o continuarei a ser. Contudo se no final da época o mesmo contrariar o meu pessimismo serei o primeiro a fazer o mea culpa. Já agora só mais duas breves coisas para finalizar: Dos 19 anos e não tive todos mas estive alguns. Compararem-me com o director artístico do circo do Lumiar não é uma ofensa à minha pessoa mas sim à minha inteligência.

      Eliminar
  5. Duas barreiras psicológicas a necessitarem de serem quebradas: os assobios estúpidos dos comedores de palha e o provincianismo de treinadores como o do PF, o bacoco Joaquim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De quando em quando vou ao Dragão, pq sou de longe. E neste Sábado fui. Se os assobios estúpidos dos comedores de palha a q te referes são os dos adeptos descontentes...então eu sou um deles. Mas não pq o tu o dizes dessa forma pouco ética e mal educada, mas sim pq quem viu o Porto de outros tempos e quem o vê agora...é desesperante. Felizmente não sou só eu que vejo isso, mas um estádio quase na totalidade. Do lugar onde estava, arquibancada MEO, é desconcertante ver a falta de organização do meio campo. É grotesco ver 2 jogadores ocuparem praticamente a mesma posição e disputarem entre eles a receção de um passe. É decepcionante ver um jogador receber a bola e não saber muito bem o que fazer com ela. É agoniante ver um Porto marcar o 2-1 e o treinador tirar o André André e meter o Danilo, claramente à procura de defender o resultado. Este não é o meu Porto que apoio desde que me lembro que sou gente.
      Assobiei sim, pq estou farto disto, pq fui de longe apoiar a minha equipa que proporcionou um péssimo jgo de futebol. Equipa essa...cheia de craques!
      Antes ser um come palha assobiador que um adepto inerte que baixa a cabeça apenas pq a equipa lá se safou e ganhou o jogo.
      Se o interpretei mal, peço desde já desculpas.
      Saudações Dragoninas desde Anadia

      Eliminar
    2. Costelas meu caro, também eu ando 110Km para ver o Nosso Clube do qual sou sócio - com lugar anual - há 40 anos, sabes, briguei, sofri, chorei com as Nossas derrotas mas também com as vitorias, aprendi na vida a respeitar todos,embora não deixando de criticar ( nem o meu pai...), mas tentando faze-lo de forma construtiva que, no caso concreto, jamais será através de assobios, porque, acredita Costelas, a pior coisa que pode acontecer a um jogador de futebol é ser assobiado quando as coisas correm mal, nós ( porque joguei a nivel amador ) queremos fazer bem e " aquilo " não anda, sai mal e então sendo sublinhado com assobios pior. Ainda por cima, no nosso caso, quando estamos a ser vitimas de uma colossal campanha de intoxicação a nível dos media. É só estar atento. Vistes alguma coisa sobre a forma como, os corruptos que vão na frente, ganharam os últimos 3 jogos? Não achas que, mesmo jogando mal e de forma suja, mas ganhando não dá moral e confiança? Achas que os corruptos verdes ou vermelhos estão melhores que nós? Ou, tal como eu, pensas que a diferença está no que o jornalixo quer que se seja. Daí os comedores de palha. Não acho Lopetegui o melhor do mundo, mas podes ter a certeza que se estivesse a treinar, na época passada, os corruptos vermelhos seria campeão, basta olhar para o que sempre se soube. Por ultimo só mais uma coisa: todos nós somos diferentes, mas se há bons exemplos de como sermos verdadeiros adeptos no Dragão, então olha para os Super e os Colectivo. Abraço.

      Eliminar
  6. Só uma correcção: O André André não falhou o passe que deu o lance do canto, foi desarmado ao tentar driblar um jogador no meio campo

    ResponderEliminar
  7. Pois, o problema do Herrera é mesmo os pés desafinados. Ainda por cima complica, talvez para provar a si próprio ou aos outros que consegue, e em vez de fazer um passe curto e simples para deixar serem os outros a fazer aquilo que ele não sabe, opta por um passe mais comprido e forte que se perde pela linha lateral. O Imbula é o mesmo tipo de jogador que ele, tem a bola nos pés e cavalga com ela. Esse tipo de jogador dá-se bem com espaço: ou contra equipas do mesmo nível que também assumam o jogo, ou depois da equipa estar em vantagem que o adversário vai em busca do prejuízo. Porque o meio campo inicial do Porto nestes jogos de cerco á grande área do adversário deve ser Ruben Neves, André André e Danilo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o problema do Herrera é ainda não ter apanhado um treinador em condições que o ponha a jogar como deve ser.

      Eliminar
  8. Ora leiam com atençao sobretudo os "casos de policia":

    http://www.sabado.pt/ultima_hora/detalhe/carlos_xavier_o_futebol_desiludiu_me.html

    ResponderEliminar
  9. leva a taça entao. nao precisas de tanta prosa para justificar o injustificavel, alem de portista teimoso es de certeza. O fato de se ser portista nao é obrigatoriamente sinonimo de inteligencia ou clarividencia ou de bom senso ou coisas assim, nem todos os portistas sao o supra sumo da batata ha de tudo ate quem veja coisas onde elas nao existem so porque sim.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.