sábado, 27 de fevereiro de 2016

Cuidem da dieta dos delegados

Todo o cuidado é pouco. É tempo de supervisionar e controlar a dieta de todos os delegados que vão votar nas eleições para o novo presidente do Conselho de Arbitragem, após o anúncio da saída de Vítor Pereira. Não há-de algum deles sofrer de uma grande indisposição no dia das votações.

Isto para recordar a forma como Vítor Pereira foi eleito presidente do CA, há quatro anos. Vítor Pereira venceu contra Luís Guilherme por 42-41. Houve um voto nulo e um dos delegados faltou à votação. Tratava-se de José Albano Domingues, delegado de Viana do Castelo, que não ia votar em Vítor Pereira, mas que a meio da viagem para a sede da FPF sofreu um ataque de diarreia e faltou à reunião.

Faça-se a devida homenagem a Bocage: foi graças à merda que Vítor Pereira conseguiu fazer um trabalho de merda nos últimos quatro anos. É quase poético. Mas não há motivos para festejar a saída de Vítor Pereira, sobretudo face aos dois nomes que estão a ser lançados à sucessão: o ex-árbitro Duarte Gomes e o presidente da APAF, José Fontelas Gomes. Começando por avaliar Duarte Gomes.


Duarte Gomes é um assumido benfiquista, ainda que a competência não tenha clube. Foi, por exemplo, o único árbitro dos últimos anos a admitir ter errado num jogo contra o FC Porto (e já lá vão mais de 4 anos desde que o fez, por causa de um penalty por marcar contra o Marítimo). Na altura, causou enorme celeuma no CA, com Vítor Pereira a ficar chocado e revoltado por um dos seus árbitros vir a público admitir que errou contra o FC Porto. Desde então, mais nenhum árbitro se atreveu a fazê-lo.

Duarte Gomes esteve também em destaque na última grande aparição pública de Antero Henrique em defesa do FC Porto: quando, juntamente com Rui Cerqueira, o FC Porto apresentou 15 erros cometidos por Duarte Gomes no clássico frente ao Benfica. É de realçar que, nesse jogo, o FC Porto foi campeão na Luz, mas não deixou de se insurgir contra a má arbitragem; nos últimos tempos, em que não ganha títulos mas tem tantas ou mais queixas face à arbitragem, o FC Porto quase não reage. As pessoas são as mesmas, o clube é diferente.


O historial de Duarte Gomes, o árbitro que assinalou três penaltys em 10 minutos a favor do Benfica em 2011 (e dos quais só um não deixou quaisquer dúvidas), não fica por aqui...





Mas a última entrevista de Pinto da Costa, há um mês, abriu novas perspetivas sobre Duarte Gomes, que decidiu abandonar a arbitragem há um mês. «Duarte Gomes vai abandonar a arbitragem provavelmente a pretexto de uma lesão, mas eu creio que o Duarte Gomes, um indivíduo de grande formação, licenciado em Direito, percebeu como as coisas funcionam, e para não ser amanhã um novo Marco Ferreira decidiu abandonar a arbitragem». Desconhecíamos, no universo FC Porto, tamanha consideração por Duarte Gomes.

Curioso que Duarte Gomes tenha terminado a carreira em janeiro e que já esteja a ser associado à presidência do Conselho de Arbitragem. Faz lembrar Pedro Proença, que também saiu da arbitragem mais cedo para, meio ano depois, ser eleito presidente da Liga. Duarte Gomes já deu uma entrevista ao Expresso este mês, na qual garante que não ambiciona, para já, ser presidente do CA. Mas depois lá diz que está disponível para ceder os seus conhecimentos à arbitragem no futuro.

Curiosamente, Duarte Gomes até já fez as pazes com o... Sporting. Em fevereiro de 2014 o Jornal do Sporting escrevia que recusava este árbitro, por ser um «reconhecido benfiquista que prejudica sistematicamente os seus rivais» (a APAF estava a nanar quando um dos seus árbitros - na verdade, quatro deles - foi difamado desta maneira?). O Sporting foi sempre um clube que protestava perante Duarte Gomes, que nos últimos anos só agradava ao Benfica e a Jorge Jesus.





Mas nada é eterno: curiosamente as pazes, aparentemente, foram feitas na semana passada: 


Mais curioso ainda é que Fontelas Gomes e Duarte Gomes, apontados como os dois nomes candidatos ao CA, tenham estado juntos na mesma visita ao Sporting. Mas é de esperar que o futuro da arbitragem passe por ambos. Em 2011, Luís Guilherme e Lucílio Baptista estavam na lista concorrente contra Vítor Pereira, que foi o eleito. Então, Lucílio Baptista e Luís Guilherme acabaram por passar para a comissão de nomeações, sobre a qual nunca se pronunciam - logo, os supostos rivais de Vítor Pereira foram eleitos para um cargo no qual se abstêm de tudo o que Vítor Pereira possa decidir. Será curioso ver se Bruno de Carvalho também vai falar desta vez em «aliança».

Sobre Fontelas Gomes, foi eleito para a APAF em 2013, em lista única. Foi um árbitro da terceira categoria, mas trabalhou durante vários anos na TAP e tem negócios na restauração (está na moda, portanto). No início de novembro foi protagonista da Palhaçada Fresquinha, na qual, como tantos outros, invocou regulamentos que não se aplicavam ao caso para justificar as ofertas ilegais do Benfica aos árbitros. E José Fontelas Gomes sempre se insurgiu contra o sorteio dos árbitros: ou seja, com ele tudo continuará igual, árbitros escolhidos a dedo. 

De recordar o seu papel na época 2014-15. Quando Lopetegui, o único elemento do FC Porto a contestar as arbitragens, se atreveu a dizer que não podiam ser o árbitros a decidir o campeonato, José Fontelas Gomes ficou ofendido. Curiosamente, a APAF nunca ficou ofendida com nenhuma das afirmações de Jorge Jesus ao longo dos últimos anos, nem quando João Gabriel falou de um campeonato que era «um tributo aos árbitros».

Nos últimos anos nenhum treinador do FC Porto acusou diretamente um árbitro de errar deliberadamente, de querer prejudicar o FC Porto ou beneficiar o Benfica. Jorge Jesus, não raras vezes, proferiu declarações bem mais graves em torno das arbitragens. Mas nunca mereceu nenhum reparo. Limpinho. Descubra as diferenças:



É este o cartão de visita de Fontelas Gomes, que segundo O Jogo e o DN tem apoio do FC Porto para o cargo. É uma piada? Todas as intervenções de José Fontelas Gomes enquanto presidente da APAF foram para atacar o FC Porto, sempre que havia críticas à arbitragem, e defender sempre o Benfica. E se há um ano o FC Porto lutava pelo regresso do sorteio dos árbitros, agora vai apoiar um sujeito que é contra o sorteio!? De realçar que Vítor Pereira disse isto: «Colinho e manto protetor? Estamos habituados a ser bode expiatório dos insucessos». Fontelas Gomes está na mesma linha de discurso: quando o Benfica critica as arbitragens, não reage; quando o FC Porto o faz, tenta logo silenciar o clube e culpa ou o seu treinador ou os seus jogadores.

Duarte Gomes ou José Fontelas Gomes. Um é um ex-árbitro que durante anos não mereceu nada mais do que críticas por parte do FC Porto; outro, enquanto líder da APAF nos últimos dois anos (antes tinha estado no cargo interinamente), legitimou tudo o que aconteceu no passado recente e condenou sempre toda e qualquer crítica do FC Porto.

Se o FC Porto não se demarca destas duas hipóteses, o futuro não trará nada de bom. E quem se conformar com uma destas escolhas não terá moral para contestar qualquer tipo de nomeação nas arbitragens nos próximos anos.

PS: Vários leitores discordaram por completo de que para o FC Porto fosse mais fácil ganhar em casa ao Dortmund do que ao Chelsea em Londres. No seu direito, claro, mas a história do FC Porto diz isso mesmo: em casa contra equipas alemãs, o FC Porto ganhou 10 jogos, empatou 3 e perdeu 4. Em Inglaterra, perdeu 16 e empatou 2. Claramente podem alegar que o plantel do FC Porto estava desfalcado. Mas repare-se que o Dragões Diário diz que o FC Porto jogou com «muitos remendos por causa das lesões». Não, não foi, pois o único titular lesionado era Martins Indi. O problema não eram as lesões, era sim a falta de opções num plantel mal construído e que não foi reforçado em janeiro. E José Peseiro não tem culpa da falta de peças que tem - só pode ser responsabilizado pela forma como estrutura as peças que tem, mas nunca pela falta de qualidade das mesmas. Mas tal como Paulo Fonseca em 2013-14, não tem o melhor plantel à disposição, mas podia ter tentado fazer melhor com o que tinha, pois pouco tinha a perder. 

Ninguém está em condições de exigir títulos a José Peseiro: só se exige que faça o melhor possível. Ninguém pode acreditar que contra o Dortmund tenha sido feito o melhor possível para ganhar pelo menos esse jogo, já que virar a eliminatória era uma utopia. De qualquer forma, o patamar de exigência não pode recuar ao ponto de acharmos que é pedir muito que o FC Porto tente fazer - pelo menos tentar - o que o PAOK e o Krasnodar fizeram este ano: ganharam ao Dortmund na Liga Europa. Esperemos que também não seja pedir muito ganhar ao Belenenses, que também trocou de treinador e apostou numa nova filosofia, e não repetir a vergonhosa exibição da época passada no Restelo.

14 comentários:

  1. Acabei de ler que o FC Porto garantiu um excelente reforço para o que resta da época: Alberto Bueno, recuperado finalmente da lesão. Posso estar muito errado, e seguramente não resolve os problemas da defesa, mas temos aqui craque, saiba Peseiro aproveitar as suas características. Já podem deixar o Marega em casa sossegado...

    ResponderEliminar
  2. Pena que o TdD se alargue demasiado no acessório e secundário -as nomeações- e se esqueça do essencial e principal: o controlo das classificações, dos observadores e dos árbitros que sobem e descem.
    Porque a verdadeira questão é esta: que interessa as nomeações se o possível campo de escolha já está minado à partida? Que interessa a nomeação se as alternativas são entre reconhecidos lampiões?
    Explique, por favor, qual a diferença entre nomear os fanáticos vermelhuscos Jorge Ferreira (o lampião de Fafe), ou o talhante de Vila Verde (Manuel Mota), ou o benfiquista do Algarve (Nuno Almeida), ou o João Capela, ou o Bruno Esteves, ou o Bruno Paixão, etc..
    O problema é muito mais grave e profundo do que o nome do presidente do CA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas alguns desses árbitros estão na categoria em que estão porque alguém os meteu lá, não pelo seu mérito.

      Eliminar
    2. Duas questões sobre o comentário acima. 1) Se o campo está minado, é porque os árbitros não são profissionais. Tal como um jornalista pode ser adepto de um clube e escrever de forma isenta, o mesmo pode - e deve - fazer um árbitro. A profissionalização não resolveu problemas nenhuns na arbitragem e há que encontrar soluções.
      2 - Embora a saída de alguém como Vítor Pereira seja sempre uma boa notícia - na pior das hipóteses nunca mais temos de ver a sua cara -, há que recordar que essas tais questões como o controlo das classificações, dos observadores e dos árbitros que sobem e descem passa tudo pela mão do presidente do CA. Portanto, parece-me pertinente que se foque precisamente na figura do presidente, para nos começarmos a preparar para quem vier.
      E concordo com o TdD. A saída de Vítor Pereira, repito, é uma boa notícia, mas não há razões para celebrar.

      Eliminar
  3. Ora nem mais anónimo, o presidente o e numerador pode até ser um adepto de um clube qualquer, seja dos grandes ou de outro clube qualquer, mas a realidade é mesmo essa, os árbitros a nomear/sortear são 80% conotados ao clube de Magrebe, portanto,tanto faz que sejam nomeados ou sorteados, só sobe da 2 categoria para a 1 categoria quem tiver (cartão de sócio do slb).
    Estou a prever uma longa etapa de jejum para o meu grande clube.. E ninguém se manifesta na direcção..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É só jogar muito melhor que os adversários. Qual a novidade? Não foi sempre assim? O problema agora é que a equipa não está à altura da fasquia mínima exigida.

      Eliminar
  4. A Sad do Porto não está preocupada com nada disto, está sim preocupada em dinheiro, recebeu 25 milhões quando assinou com a Altice e na quinta feira antes do jogo com o Dortmund reuniram novamente e pediram mais 25 milhões, isto sim é a preocupação deles e agora quem quiser que tire as conclusões. Não sei de que é que o Baía está á espera, qualquer pessoa é melhor do que os que lá estão presentemente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Baía??? O que atira a pedra e foge??? Se agora não estamos bem, também não é com ele que iríamos melhorar. Há que mudar, mas tem de ser para melhor e nunca mudar só por mudar.

      Abraços

      Eliminar
  5. Caro Td...o Fcp porque não DENUNCIA, os INCENTIVOS dados pelo Carnide?

    ResponderEliminar
  6. A saida de Vitor Pereira é fogo de vista...

    Se entrar um destes dois para o lugar dele, vai continuar tudo na mesma merda, ou seja, com os vermelhos a poderem continuar a ter os arbitros que querem nos jogos deles e nos jogos dos adversaries.

    Uma possivel solução seria um Presidente do FCP mais activo.
    Ele falou do Capela no Restelo e o arbitro já não se atreveu a roubar descaradamente, ums falta ou outra, mas nada de anormal...

    Mas para isso é preciso falar quase todas as semanas, pois agora são uns 10 arbitros dominados e corrumpidos pelos vermelhos...

    E como dominam tambem as classificações, podem continuar a roubar...

    É preciso algo mais e virar a mesa, senão isto vai continuar, ...

    Mas desde o Ricardo Costa na liga que a merda está lá no poder...

    Gil Lopes

    ResponderEliminar
  7. Quanto ao Sporting. Essa do evento na Academia para fazer as pazes é irrelevante. O evento é para ser rodado, a Academia foi escolhida em primeiro lugar. Até pode dizer-se que o fizeram para apaziguar o clube que mais fala sobre as arbitragens. Mas BdC não irá apoiar esses para sucessor do Vitó.

    ResponderEliminar
  8. pequena nota à nota: Paok e Krasnodar fizeram o jogo da época contra o Dortmund. O Porto optou por deixar a liga europa o quanto antes porque a prioridade é assegurar a Champions para o ano que vem. Tudo o resto é vento, infelizmente. A ideia que todos os jogos são para ganhar deixou de fazer setido no FC Porto actual.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.