terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

O pós-Maicon na defesa

Não é uma situação comparável à de Jorge Costa, mas que acaba com um desfecho idêntico: empréstimo a outro clube. Não concordo com a saída de Maicon, mas entendo, desejando apenas que a palavra de José Peseiro tenha sido essencial na resolução deste processo.

Renovar, sair e... voltar?
É um processo que já é habitual na SAD: renovar com jogadores antes de eles serem emprestados, mesmo sem que isso implique que há planos futuros para os atletas em causa. Izmailov, Kelvin ou Walter são alguns exemplos recentes de jogadores que renovaram antes de serem emprestados. 

Maicon renovou por mais um ano, e desconhece-se se o São Paulo vai assumir a totalidade dos salários do jogador. Sendo um empréstimo válido por apenas quatro meses, Maicon vai basicamente fazer alguns jogos no campeonato paulista, onde só vai ter possibilidades de fazer dois ou três jogos a sério, e deverá participar em alguns jogos na fase de grupos da Libertadores. Basicamente, vai ocupar-se até se decidir, no final da época, o que fazer com o jogador.

Até lá, o FC Porto fica com apenas dois centrais dos que começaram a época, Marcano e Indi. Se em janeiro já todos realçavam que havia carências no eixo defensivo, agora pior ainda. Oxalá não se caia no erro de achar que Chidozie vai ser a solução para todos os problemas. Ainda se trata de um jogador inexperiente, e não é um (bom) jogo que muda isso. Todos são inexperientes antes de começar, mas há uns contextos mais favoráveis do que outros para integrar jovens.

É também um desafio para José Peseiro, que nunca trabalhou com nenhum grande central nem fez evoluir um grande defesa. Os melhores defesas com que trabalhou foram Beto e Polga, o que não é um grande atestado. Além disso, no FC Porto havia a tradição de os centrais habitualmente titulares fazerem um acompanhamento aos jovens que vão sendo lançados. Indi e Marcano dificilmente assumirão esse papel perante Chidozie ou Verdasca.

Verdasca à espreita
Falando em Verdasca, trata-se de um dos poucos sobreviventes do projeto Visão 611. Da equipa de sub-14 que em 2009 foi apresentada, restam também Andorinha, Rui Moreira e Rúben Macedo. Mas Verdasca ainda passou pelo Boavista, antes de regressar para os juvenis. É um central de grande valor e potencial, mas há que compreender os riscos de fazer a estreia frente a um tal de Aubameyang, que passa por qualquer defesa antes que este consiga pronunciar o seu nome.

Chidozie também se estreou a frio na Luz e teve nota bastante positiva. Falhou no lance do golo do Benfica, mas a partir daí não voltou a errar, o que não era fácil. Mas o adversário não deixou de ter oportunidades para complicar a vida ao FC Porto. Há a expetativa de Marcano recuperar a tempo, mas se tiver que jogar Verdasca há que haver tolerância e compreensão para as circunstâncias da sua estreia. O problema não é o miúdo que entra cometer erros: é não ter vindo nenhum reforço para o setor. Felizmente, José Peseiro está a trabalhar com o que tem em vez de lamentar o que não tem - e estaria no seu direito fazê-lo.

Na Alemanha, há que lutar por um resultado que dê perspetivas de apuramento na segunda mão, no Dragão, reconhecendo que o favoritismo está do outro lado - como esteve na maioria das grandes conquistas europeias do FC Porto.

PS: A inútil Comissão de Instrução e Inquérito da Liga, que legitimou quem infringiu os regulamentos, instaurou um processo contra o FC Porto pelo que se escreveu no Dragões Diário após o jogo com o Arouca. De um organismo inútil, não se pode esperar outra coisa senão parvoíces destas. Por outro lado, possivelmente seria evitável se o Dragões Diário, em vez de andar a fazer um joguinho de parentescos e coincidências face ao árbitro, se limitasse a factos. Mas nem isso conseguiram fazer, pois nem sequer foram capazes de reconhecer que o golo anulado a Brahimi era responsabilidade do árbitro auxiliar (que continua sem nome), não de Rui Costa. O Dragões Diário queixa-se que «a Liga de Clubes quer silenciar a livre expressão de opinião», mas o que o Dragões Diário fez também não foi dar opinião, foi enumerar uma série de coincidências familiares em relação a Rui Costa, insinuações sem concretização, quando a única coisa que tinha que fazer era identificar o erro gravíssimo do auxiliar de Rui Costa. Mas nem isso conseguiram fazer, fazendo lembrar a ridícula campanha do Benfica contra Pedro Proença por um erro de Ricardo Santos. Por fim o Dragões Diário diz hoje, pela primeira vez, que é uma espécie de «provedor do sócio». Se é, deixa ainda mais a desejar, pois raramente aborda os temas que realmente inquietam a massa adepta do FC Porto - basta passar os olhos pela bluegosfera. Quando o FC Porto apresentou o Dragões Diário, era descrito como um jornal diário para informar os adeptos do clube. Mas hoje diz-se que afinal é algo para «dar eco ao sentimento dos milhares de adeptos subscritores». Em que ficamos?

PS2: O blogue continua temporariamente sem sondagens para os prémios MVP.

17 comentários:

  1. Tribunal sou um leitor assiduio e gostava de perceber esta guerra com o Dragões Diário. A mim enquanto portista parece-me uma optima noticia esta reacão da comissão de arbitragem. Mostra que estamos vivos, a tocar na ferida e está visto há algum tempo a esta parte que compensa pressionar a arbitragem. Outra questão que gostava de abordar é a vossa renitência relativamente a jogadores jovens. Os nosso meninos não precisam de oportunidades? Não estamos já todos fartos das oportunidades dadas a estrangeiros ou a jogadores formados noutros clubes enquanto aos nossos nada?
    Saudações Portistas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro Pedrosa, o problema é que se critica tudo. Eu tenho críticas a esta direcção, mas são sempre as mesmas, não são hoje umas e amanhã outras conforme o sentido do vento. Achei absurdo estrear o André Silva frente ao Sporting a perder 1-0, como achei absurdo não o estrear frente à Académica a ganhar 3-0. Mas quando não há jogadores, por lesão, castigo, etc, tem de se estrear jogadores a frio como foi o caso do Chidozie. Claro que é precisamente para eles não se estrearem a frio nos grandes jogos que se deve dar oportunidades à formação nos pequenos jogos quando o resultado está feito. Tenho apregoado a formação e desejado que muitos deles se estabeleçam na equipa principal mas não é porque é giro. É porque aqueles jogadores têm potencial como têm demonstrado na 2ª liga. Há dois ou três anos atrás o Sporting liderava a 2ª liga e o que é que resultou daí? William Carvalho para a equipa principal, Bruma que se não fosse outro Carrillo também tinha pegado de estaca na equipa principal do Sporting, Eric Dier, João Mário, Iuri Medeiros, Rúben Semedo, Tobias Figueiredo, Matheus Pereira...e hoje o Sporting luta pelo título com francas hipóteses de o ganhar. Mas o adepto critica a falta de aposta na formação mas depois está sempre a desejar jogadores feitos que vêm tapar a formação porque não concebe perder hoje para ganhar amanhã (como se os jogadores feitos não cometessem erros de «iniciados» como foi o caso do Maicon). Eu estou-me marimbando do ponto de vista do resultado para este jogo com o Dortmund. Quero é que se ganhe novos jogadores para a equipa porque sei que eles (Dortmund) estão muito mais bem preparados e apetrechados do que nós, e muito certamente pelo menos um jogador da B vai a jogo meio da segunda parte.

      Quanto ao Dragões Diário acho que foi uma óptima solução para estar em constante contacto com a imprensa sob o pretexto de estar em contacto com os adeptos, sem desgastar a imagem de ninguém como estão desgastadas a imagem de Bruno de Carvalho, João Gabriel ou Otávio Machado, que são os palhaços de serviço da praça.

      Para mim o grande problema da direcção do Porto prende-se com as contratações e negócios duvidosos e obscuros, comissões obscenas, excedente de jogadores e massa salarial, e falta de aposta na formação que deixou o clube demasiado refém dos fundos. Estar a falar de outras coisas é desviar o foco do verdadeiro problema do Porto neste momento.

      Eliminar
  2. Os 3 centrais no plantel do Porto eram fracos e continuam a ser. Maicon fez a sua missão, o seu tempo acabou e foi emprestado, a meu ver bem. Pena não podermos fazer JÁ o mesmo a Marcano e Indi pois não dão garantias de segurança nenhumas. Que seja corrigida a situação na próxima época, a meu ver com 1 quarteto novo (com ou sem Chidozie, Peseiro lá saberá).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim...isto de mudar 20 jogadores por época dá resultado...

      Eliminar
  3. «Felizmente, José Peseiro está a trabalhar com o que tem em vez de lamentar o que não tem...»

    E que feliz que isso me faz! Já estava cansado de um treinador calimero que só sabia desculpar os seus fracassos com os benefícios ao adversário e com a falta de jogadores.

    ResponderEliminar
  4. O Chidozie pode não ser a solução para todos os problemas mas , na minha opinião, é uma solução, sem dúvida. Isto porque o acho um jogador com um potencial enorme...já o tinha demonstrado na B, não apenas no jogo da Luz.

    Se o benfica pensasse assim o Renato Sanches ainda andava pela B...para "não queimar etapas".

    Se é para apostar na formação, então...que se aposte. E correr alguns riscos faz parte do processo.

    ResponderEliminar
  5. Apesar de toda a ineficacia do Dragoes Diario, é preciso realcar que afinal reparam em nós e nas nossas queixas e é preciso aproveitar o balanco e forcar mais o pressing!
    Quanto ao processo é um absurdo! Nao ha mais nada a dizer! Temos atrasados mentais na btv a pedir morte de dirigentes e pedro gordos a dizer o que lhes apetece e ninguem se queixa enfim!
    Saibamos aproveitar esta situacao que ainda tiramos dividendos...

    ResponderEliminar
  6. A situação de Maicon foi bem resolvida à falta de melhor (uma venda definitiva), porque era insustentável que ele continuasse no plantel. Muita coisa vai mal no FC Porto, mas o Maicon voltar a jogar aqui era bater no fundo dos fundos. Ainda não batemos.

    Siga para Dortmund!

    ResponderEliminar
  7. Discordo em absoluto que possam ser atribuídas culpas ao Chidozie no golo do Benfica. O meio-campo falhou a recuperação de bola e já não havia ninguém para pressionar e evitar o remate do portador da bola, ficando os centrais com esse papel. Mal estiveram os laterais, ao não acompanharem Chidozie e Indi para formar uma linha de fora-de-jogo, e os jogadores do meio-campo que deixaram o adversário passar com muita facilidade.

    ResponderEliminar
  8. No futebol, sempre se disse, só fazem falta os que cá estão. Não vale a pena chorar sobre leite derramado. Temos é que apoiar e dar força à equipa.

    Sobre a CII, "começando por aqui: o caso das prendas ilegais do Benfica às equipas de arbitragem. Este caso foi descaradamente arquivado pela Liga, mesmo quando os regulamentos estão chapados e aos olhos de qualquer pessoa. Mas a lavagem pública que foi feita levou muita gente, inclusive portistas, a aceitar este desfecho com naturalidade."

    Basta ver que para eles é normal, aceitável que um clube ofereça 4 jantares por cabeça a árbitros, delegados, observadores.. e está tudo dito neste País de faz de conta.

    ResponderEliminar
  9. preferível apostar nos jovens da casa a contratar mexicanos como reyes ou herrera e etc, ou jogadores de qualidade duvidosa como marcano, angel, indi, corona, etc (apenas os mais recentes exemplos)

    também não entendo o conceito de "não queimar etapas" que tanto se fala em portugal, quando noutras ligas (a sério) como Alemanha ou França não há problemas em apostar em miúdos de 18 ou 19 anos.

    o clube precisa de uma visão desportiva acente no lançamento de jovens da formação e apostar no mercado interno, como a contratação do Sá ao marítimo, que será o futuro da baliza do porto e da seleção.

    ps - o maicon não faz falta nenhuma! nem o indi, marcano, angel, casillas, herrera, varela, marega, corona. jogam pouco, desportivamente acrescentam pouco ou nada e a folha salarial não é nada pequena.

    ResponderEliminar
  10. Caro Tribunal,

    O pós-Maicon passará sempre pelo mercado. Ora para ele, ora para nós. Primeiro porque, em junho, espero que seja transferido em definitivo. Depois porque Futebol Clube do Porto não poderá continuar com os centrais que tem. Creio que o único que ficará será o Indi que sempre me pareceu o "melhor". Tentámos de forma incessante o Rudiger no verão passado, que, quando foi para outras paragens, congelámos e não contratámos ninguém... Em janeiro, apenas fumo sobre o possível regresso de Bruno Alves. Certamente isso não foi culpa de Lopetegui!

    Para Dortmund, confio em José Peseiro para tomar a melhor decisão, tendo em conta o que tem à disposição.

    Um abraço.

    Porta 26, em blogporta26.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. Incompreensível este empréstimo do Maicon.Então temos poucos centrais e emprestamos um, que embora com defeitos, é experiente, conhecedor, capaz dentro do que cabe, e simplesmente dentro do melhor que há na equipa? Que gestão de recursos humanos que necessitando de recursos numa área especifica resolve descartar um elemento (que sempre se portou magnificamente perante o clube, diga-se!) em lugar de trabalhar para o recuperar. Luís F.

    ResponderEliminar
  12. Layun a defesa central e Varela a defesa direito ? o nosso clube chegou mesmo a isto ????

    ResponderEliminar
  13. Pah, vejo por muito lado contestarem a postura do jogo da equipa, mas acho que omitem um detalhe: a equipa entrou em espírito de contenção, e isso ninguém critica, mas se essa era a estratégia que fazer quando se sofre um golo aos 5 minutos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A estrategia nem podia ser outra tendo em conta os meiso disponiveis e o facto de estarmos em pre epoca.

      Por muito competente que seja Peseiro não há milagres. É preciso tempo e alguns reforços (adequados) e outro aproveitamento do futebol juvenil.

      Eliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.