terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Reviravolta anormal

Virar um jogo de 0x2 para 3x2 é raro e difícil. Basta dizer que desde 1999 que não acontecia - na altura o FC Porto eliminou o Famalicão da Taça, por 4x2, com o bis de Quinzinho aos 118 minutos e um golo de Féher aos 119. Se nos restringirmos apenas ao campeonato, não acontecia desde os 3x2 ao Benfica, na Luz, em 1976, graças a um golo de Ademir e a um bis de Júlio Carlos nos minutos finais.

Aliás, em toda a história do campeonato, esta foi apenas a 4ª vez que o FC Porto venceu um jogo depois de estar a perder por 2x0. Mas isto quer acima de tudo dizer uma coisa: é extremamente difícil uma equipa abrir com uma vantagem de 2x0 frente ao FC Porto. E o Moreirense fê-lo com uma naturalidade assustadora.

Fazer 3 golos ao Moreirense deveria ser normal. Anormal foi estar a perder por 2x0 com o Moreirense à meia hora de jogo. Pela sexta vez em sete jogos, o FC Porto entra a perder, e quase sempre com golos apontados nos primeiros 10 minutos.

Nos últimos 2 jogos no Dragão, o FC Porto sofreu quatro golos. Durante a era Lopetegui, o FC Porto, é bom lembrar, esteve um ano inteiro sem sofrer golos no Dragão no campeonato, além de ter vencido 20 jogos consecutivos em casa ao longo de 2015. É normal que a equipa piore defensivamente, não só pela mudança de treinador (o modelo de Peseiro é isto - uma equipa constantemente exposta defensivamente; não é defeito, é feitio, o FC Porto saberia disso quando o contratou) como pelo desinvestimento em termos de qualidade no setor. 

Por muito que uma reviravolta assim seja saborosa, o FC Porto foi forçado a fazer o que só tinha feito 3 vezes em toda a sua história para vencer o Moreirense no Dragão. Uma vitória que deveria ter sido natural apareceu de forma muito suada. É bom ver que a equipa nunca se rendeu apesar das adversidades, mas em 2015 o FC Porto sofreu apenas 6 golos em 26 jogos no Dragão. Nos últimos 2 jogos, foram logo 4. É mera estatística, claro. Mas não é boa.






Layún (+) - Impressionante. Bateu com sangue frio o penalty, assistiu Suk (será que o problema das bolas paradas do FC Porto em 2014-15 seria resolvido com um batedor assim?) e lançou a jogada do 3x2. Mas mais do que isso, foi o dínamo de todo o corredor esquerdo do FC Porto ao longo de 90 minutos. Cruzou 18 vezes (10 deles tiveram resposta dos colegas na grande área!), criou nove situações de finalização e personificou toda a alma da equipa. 

Maxi Pereira (+) - Sempre incisivo na aproximação à grande área, apareceu várias vezes em zonas de finalização, esteve forte nos movimentos interiores e muito da reviravolta passou por ele. Claro, há o lance do penalty. André Micael corta a bola limpinho com o pé direito, facto. O problema é depois: chegar primeiro à bola não dá o direito de logo a seguir varrer o adversário. E é isto que separa Jonas de Maxi: Jonas saltou deliberadamente para o chão para provocar uma simulação; Maxi não. Maxi vai ao chão porque André Micael, com o seu pé esquerdo, atingiu Maxi no pé de apoio. Maxi não se lançou para a piscina, foi derrubado quando tinha o pé de apoio fixo no chão. Mas contacto era inevitável, o que daria ao árbitro justificação para não marcar penalty. Agora, simulação, não, de todo, pois Maxi só vai ao chão porque o atingem no pé de apoio. Não que não fosse capaz de simular, pois em oito anos aprende-se muita coisa. 

Aposta em Evandro (+) - Foi uma alteração extremamente curiosa. Com o Moreirense fechado, de que precisava o FC Porto? De largura pelos flancos. Mas José Peseiro não quis aquilo que tantas vezes era exigido ao FC Porto de Lopetegui: mais velocidade e largura. Preferiu colocar Evandro para reforçar a capacidade de circulação no meio-campo, pois Maxi e Layún estavam praticamente a jogar como extremos e garantiam a tal largura pelos corredores. Foi um risco. E correu bem.

Bola na grande área (+) - O que tantas vezes faltou ao FC Porto nos últimos meses aconteceu ontem em fartura: meter gente na grande área e lá criar situações de finalização. E daqui saiu um recorde no campeonato: 20 remates dentro da grande área. No meio de tantas bolas, alguma havia de entrar. Entraram as suficientes para a reviravolta, mas em lances de jogo algo periféricos (penalty, canto e um inesperado golpe de ninja). Se o FC Porto tiver 20 remates dentro da grande área, não há jogo no campeonato que não ganhe.


Outros destaques (+) - Grande jogo de Suk, que se destacou sobretudo no jogo aéreo: ganhou 6 bolas de cabeça na grande área adversária. Sempre aplicado, ainda está a aprender a jogar tendo uma linha defensiva completa à sua frente, mas vontade não lhe falta. Aproveitou a oportunidade. Grande destaque também para Casillas, que livrou o FC Porto várias vezes do 3º golo. E Herrera chega de forma quase impossível ao lance do 3x2 (se fosse o Ronaldo já estavam a fazer cálculos para descobrir quanto é que ele saltou), embora tenha manchado a sua exibição pela constante hesitação à frente da grande área. Bem a equipa na avalanche ofensiva para chegar à reviravolta.






Factor Chidozie (-) - Para quem tenha memória curta, Chidozie jogava como médio-defensivo nos sub-19 há um ano. E revelou-se um jogador normalíssimo nessa posição, sem nada que recomendasse particularmente a sua contratação. Na equipa B, adaptado a central, evoluiu muito. Mas continua a ser tudo aquilo que era antes e depois do jogo na Luz: um jogador totalmente inexperiente. Chidozie tem falhas de posicionamento graves e gritantes - são 3 em 2 jogos, provocando 3 golos para os adversários. Não é o único culpado, claro que não. E nem sequer o primeiro: está a cometer as falhas esperadas e próprias de um jogador com esta inexperiência. Não é um produto das escolas de centrais do FC Porto, pois só chegou em 2014 e para jogar como médio-defensivo. Já agora, para quem realça a grande escola de centrais do FC Porto: que têm em comum Lima Pereira, Fernando Couto, Jorge Costa ou Ricardo Carvalho? Nenhum deles era titular na defesa do FC Porto aos 19 anos e todos tiveram que ter experiência sénior antes de serem titulares no clube. Se já temos um treinador que nunca teve equipas fortes na transição defensiva, tendo um setor defensivo limitado torna tudo mais complicado.

Subrendimento (-) - A equipa do FC Porto parece esgotada fisicamente, com particular incidência em alguns jogadores. A equipa mudou de preparador físico e, embora não se possa estabelecer uma relação-causa, há jogadores que estão rebentados. André André já vem desde os últimos tempos com Lopetegui: perdeu a influência que teve em outubro/novembro. Não acelerou o jogo, foi quase sempre lento a reagir e foi uma sorte (?) ter feito os 90 minutos. Num jogador como André André, a condição física faz toda a diferença. Herrera, apesar de nunca parar de correr e da forma como inventou o 3x2, foi muitas vezes lento a soltar a bola, e hesitou demasiado quando aparecia à entrada da grande área. Corona não existiu: 45 minutos sem que se revelasse em nenhum lance. Parece ter sido um dos jogadores que acusou mais a troca de treinadores. Tempo, paciência e trabalho, é o que se pede. 


PS: Os factos e o rigor são essenciais para qualquer defesa. Sem eles, perde-se a razão. Isto a propósito do que escreveu o Dragões Diário: «São já muitos os penaltis que (Jorge Ferreira) assinala mal a favor do Benfica em situações decisivas». Não é por nada, mas o penalty em Paços de Ferreira foi o primeiro assinalado por Jorge Ferreira a favor do Benfica na sua carreira. Podiam ter sido evocadas 10 razões para criticar as suas arbitragens, mas o Dragões Diário escolheu logo uma que não é verdade. Assim perde-se a razão. E já não é a primeira vez que a newsletter oficial do clube falha num dos pilares de Pinto da Costa: o rigor.

PS2: As votações MVP dos jogos em atraso foram repostas. 

23 comentários:

  1. o texto parece me demasiado critico em relaçao ao clube. Parece ate que o basco era bom treinador porque sofria poucos golos, parece me um texto em varias vertentes infeliz, acontece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "O basco" é bom treinador.
      Acreditar em seres humanos animicamente intocáveis com a sua dose de teimosia e orgulho próprio e ainda por cima querer vitórias e títulos com a roubalheira do ano passado é que é pura imaginação.
      Queimado sozinho é que ele estava bem, "o basco"... E ainda bem que se foi, nem que seja pelo facto de haver tanta gente pura.
      Esqueça lá o homem. O peditório já lá vai e já deu para o gasto...

      Imbicto Abraço!

      http://imbictopoema.wordpress.com

      Eliminar
    2. Partilho exactamente da mesma opinião.
      Ganhámos, suado mas ganhámos. Tivémos a humildade e capacidade de não baixar os braços e demos a volta por cima. Xiça, o que se pode pedir mais a um FCP debilitado como o de agora?

      Eliminar
  2. Sinceramente, o contacto com o Maxi acontece, quando muito, ao mesmo tempo que a bola é cortada.
    Penalty claro.
    Como penalty claro é o sobre o Brahimi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aleluia, alguém que viu o mesmo que eu vi!

      Eliminar
    2. pela primeira vez vejo alguém que concorda comigo. pôr-se o penalty do Maxi e o de Jonas no mesmo saco é uma aberração. Como o TdD diz e muito bem: "chegar primeiro (aqui discordamos) à bola não dá direito a varrer o adversário" o contacto dá-se no máximo ao mesmo tempo que o defesa do Moreirense toca na bola, havendo claramente um contacto que faz o Maxi desiquilibrar-se. Todos sabemos que provavelmente Maxi tentaria "sacar" o penalty de qualquer forma mesmo sem toque, mas aqui acho que não foi o caso.

      Eliminar
    3. Não são os únicos.
      Há vários blogues portistas que o têm defendido. Porém, não me escandalizaria nem rogaria aos santos se nada tivesse sido assinalado. A partir do momento em que é necessário ver um número infindável de repetições para ajuizar o lance, então é porque não há verdades absolutas.

      Imbicto abraço!

      Eliminar
  3. Há erro de posicionamento de Chidozie mas também de Marcano, que não fecha o centro e deixou o colega em situação de 1x2 nos dois golos.

    ResponderEliminar
  4. Prefiro sofrer golos no Dragão e ver futebol de ataque, fio de jogo, garra e uniao do que um ano sem sofrer golos e ver um futebol sofrível, sem qualquer fio de jogo, zero aproveitamento de bolas paradas, enfim... Lopetegui não me deixou saudades nenhumas.

    ResponderEliminar
  5. Sem querer defender o DD, entendo que os penaltys a favor do SLB são também os que ele marca ou deixa de marcar, mal, a favor ou contra, certas equipas, favorecendo indiretamente os vermelhos.

    ResponderEliminar
  6. Chidozie vai evoluir, porem tem de ser evoluir a forca porque nao ha mais ninguem! Andre Andre foi o pior em campo, Corona no final da 1a parte ainda conseguiu desequilibrar uns instantes, este Evandro para o final da epoca é das melhores noticias que o fcp podia ter, a ver se Bueno recupera a tempo de poder ser util! Quanto a Suk bem... Surpreendeu me e ja demonstra uma evolucao significativa, tendo em conta que jogou muito pouco! Suk é mais rapido, melhor tecnicamente, cabeceia melhor, mais resistente (os coreanos se calhar tenhem 3 pulmoes e este homem tem 1,90m) e descai melhor na ala que Aboubakar, posto isto Abou cuida-te! Apesar que eu acho que podem jogar os 2 e mandar Corona pa 10, nao é explosivo q.b. para extremo e tecnicamente tem o que a posiçao precisa, trabalhando a parte defensiva necessaria (na ala defende mais que Brahimi ao menos) acho que tem mais para set 10 do que para extremo!

    Outros assuntos, fez-se um escandalo (como era de esperar) com o penalti de Maxi, mas tirando que acho que vi algo do BdC, ninguem falou na suspensao (post anterior do TdD) para Jonas na CS! Ao menos que se conseguiu dar importancia ao arbitro jorge ferreira ser frequentador da casa lampionica de fafe!

    ResponderEliminar
  7. Concordo com quase tudo o que foi dito , ressalvando dois pontos de discordância :
    - com Lopetegui sofríamos menos golos porque atacávamos no máximo com 4 jogadores o que nos permite defender com 6 jogadores de campo , logo , torna se menos provável sofrer golos assim , tal como se tornava muito improvável 1 reviravolta , apenas 1 num ano e meio ;
    - Não sei se vou o jogo no estádio , mas o Maxi fez um jogo péssimo : ele é defesa direito e como tal a sua principal tarefa é defender é só depois atacar . É ele que perde a bola em momento de transição ofensiva para o 1o golo do Moreirense e no 2o golo nem o vislumbrei perto da grande área do Porto para acompanhar um dos 2 jogadores que Chidozie tinha a sua volta . Portanto , fez um jogo miserável .

    ResponderEliminar
  8. O texto é bom mas dá a sensação de que Lopetegui era um grande treinador e isso não é verdade. A equipa sofria poucos golos pois passava mais de meia-hora a trocar bola entre o meio-campo e a defesa e quando se via a perder por 1-0 era como se fosse impossível marcar golos e virar o resultado.
    O problema de termos tão poucos centrais é só da SAD? Não, Lopetegui tinha liberdade para escolher os jogadores que queria mas como só queria jogadores caros não olhou para mais baratos para colmatar os buracos no plantel ( veja-se o SCP vai buscar jogadores normais a preços baixos que rendem bastante).
    Alguma vez os jogadores do FCP com Flopetegui davam a volta a este resultado? Simples: nunca! Alguma vez mostrariam a raça e garra desde que Peseiro chegou: nunca! Alguma vez teriamos tanta gente na área com Flopetegui: nunca! Os jogadores estariam motivados para jogar com Flopetegui: nunca! Os jogadores teriam liberdade para explorar o seu próprio futebol com Flopetegui: nunca!

    Em relação ao jogo o problema de entrar "devagar" já vem de Flopetegui e mudar isto com mês e meio com novo treinador não é pêra doce.

    Não posso nem devo pedir mais a Peseiro e aos jogadores que vêm erradamente formatados por ano e meio com o antigo treinador. Os jogadores mostraram raça, garra e vontade para ganhar o jogo e nesta altura de pré-época para mim é mais do que suficiente e isto tudo devido a uma pessoa: Peseiro.

    ResponderEliminar
  9. Caro Tribunal,
    Gostava de saber como obtêm essas estatisticas do primeiro parágrafo, nomeadamente a última vez que o Porto fez uma reviravolta de dois golos na Liga.

    Agorava saber isso, dava uma reviravolta nas minhas pesquisas, hehe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Playmaker do Zerozero, Goalpoint, WTVision e Wyscout, são bons sites para estatísticas.

      Eliminar
  10. Naturalmente que as equipas do Peseiro atacam mais (se bem ou não depende dos resultados) e defendem mal. Naturalmente que ao chegar ao Porto com a equipa em descrédito quis dar um bust de confiança aos jogadores e adeptos e para tal quis começar logo a atacar em força, o problema é mesmo esse, o foco foi todo para o ataque e a vertente defensiva "esquecida".
    Com a qualidade de jogadores que temos na linha defensiva os problemas estão à vista. E mesmo os melhores jogadores da defesa, a meu ver, são bem mais assertivos no ataque (Maxi e Layún).
    Claro que ganha quem marca mais, mas como dizem e bem, a começar a perder em quase todos os jogos não vai faltar muito para escorregarmos outra vez.

    Quanto à vertente física totalmente de acordo, é preciso "sentar" alguns jogadores que não estão bem e investir noutros cheios de vontade (veja-se o caso de Suk).

    Para quinta gostava de ver um Suk e Aboubakar na frente, num 4-4-2. Sem Brahimi de inicio de preferência.

    ResponderEliminar
  11. Acho que nesta altura estando a defesa constantemente a mudar não se deveria de escamutiar tanto. À é que dar apoio a quem lá está, e assim todos irão melhorar defensivamente.

    ResponderEliminar
  12. Árbitros adeptos e jornalistas e opinadores subservientes. É isso que eles estão a implementar sem qualquer vergonha ou pudor.
    Quem não consordar sai fora. Vide Marco Ferreira..
    Não há dúvida que os vermelhos transformaram o futebol nacional numa pocilga onde só eles chafurdam à vontade e à força toda.

    ResponderEliminar
  13. Com uma defesa de papelão e dois extremos??inoperantes casos de Brahimi e Corona já muito fazemos nós nesta altura. Para o não é pegar na vassoura e fazer limpeza.É a Sad podia ir de brinde.Este campeonato está viciado e não tem valor tantos os escândalos e roubos sempre a favor dos mesmos e com o branqueamento da CS vendida e jornalistas sem espinha que são uns autênticos vendidos.

    ResponderEliminar
  14. É incrível como a CS conseguiu disfarçar um mergulho escandaloso do Jonas com aquele penalti no mínimo duvidoso sobre o Maxi (é daqueles lances que depende muito da interpretação do árbitro, tanto podem ser marcados como podem não ser), o que eu não vi foi ninguém a falar sobre o penalti que fica por marcar sobre o Brahimi na jogada que antecede o 2º golo do Mareirense. Enfim, a comunicação portuguesa portuguesa no seu melhor!!!

    Agora sobre o texto, já o vi escrever melhores tenxtos sinceramente. Não é por na era Lopetegui sofrermos menos golos que estavamos melhor, pelo contrário, era porque raramente arriscávamos a pôr a equipa ofensiva e andávamos a trocar a bola na defesa, agora temos um futebol muito mais dinâmico e ofensivo, eu prefiro ver um grande jogo de futebol onde sofremos 3 golos e marcamos 4 do que um jogo podre e lento onde não sofremos nenhum golo e marcamos 1 ou 2...

    Sobre Suk, não compreendo a embirração que o TDD tem com ele, foi claramente o homem do jogo e mesmo assim é posto nos "outros destaques", além de insistirem que não sabe jogar sem muito espaço à frente e que "está a aprender" quando desde que chegou que tem feito boas exibições (mesmo quando jogou com os suplentes), pra mim é claramente um jogador de equipa grande, pressiona muito os defesas contrários, é rápido, alto, tecnicista e um bom finalizador tanto pelo chão como pelo ar, e não esquecer que ele foi formado numa das melhores escolas do mundo (no Ajax)

    Saudações TDD

    ResponderEliminar
  15. Virar um 2:0 não pode querer dizer, "acima de tudo" que é difícil uma equipa apanhar-se a ganhar 2:0 no Dragão. Porque se fosse assim tão difícil o Belenenses não o teria conseguido em 02/03, o Leixões em 08/09, o Olhanense em 09/10, o Carnide em 10/11 para a Taça e em 14/15 para a Liga. Virar, pela primeira vez em 40 anos, um 2:0 frente a uma equipa do mesmo escalão quer dizer muito da atitude da equipa e é algo que é mérito do treinador e dos jogadores. Querer transformar isso numa ode à eficácia defensiva de um treinador que já foi despedido há quase dois meses é ser tão rigoroso como os Dragões Diário.

    Um abraço e continuação do bom trabalho.

    ResponderEliminar
  16. Agora a analise do jogo é feita num template, em todos os jogos tem de se fazer referencia a transição defensiva do Peseiro. Acho que há muito a trabalhar na transição defensiva, que é muito mais exposta que era a de Lopetegui, mas não nos podemos esquecer que não houve o mínimo de tempo para fazer esse trabalho, e não podemos estar a exigir um trabalho excelente se não houve tempo para o fazer. Quando houver aí sim podemos cobrar se a transição/organização defensiva é boa ou não é. Neste momento esses erros deveriam ser minimizados com qualidade individual e o que está a acontecer é precisamente o contrário, nenhum dos nossos defesas é excelente no momento defensivo, os dois laterais são extremamente bons em processo ofensivo, mas com grandes limitações no processo defensivo, os centrais estão longe de ser de topo, e os erros individuais aparecem assim mais frequentemente. Não podemos negar que Chidozie está ligado pela negativa aos dois primeiros golos do Porto, e ao primeiro de forma ridícula para um profissional. Claro que a transição ajuda aos erros, mas com outros jogadores mais capazes esses erros eram menos notórios.

    O que me parece importante é que agora se ganhem os dois jogos fora (Belenenses e Braga) e se formos eliminados da Liga Europa ficamos apenas com o campeonato até à final da taça, e aí sim com mais tempo para treinar e para ainda cimentar processos e tentar lutar pelo melhor lugar até ao final, mas isso só interessa mesmo ganhando os jogos que me referi.

    ResponderEliminar
  17. Bom dia,

    Chidozie comete erros, mas como já foi dito por alguns leitores, Maxi, Marcano não ficam isentos de culpa. No primeiro golo Maxi falha um passe numa transição ofensiva, depois Chidozie tem um erro de posicionamento e até Layún devia ter sido mais rápido a pressionar Iuri Medeiros. No segundo golo Marcano está muito aberto e deixa Chidozie numa situação de dois para um. Isto só para dizer que a defesa esteve muito mal, mas a culpa não foi só de Chidozie. Peseiro vai ter muito trabalho neste aspecto até porque actualmente nenhum defesa está a fazer a diferença, o que poderia disfarçar algumas lacunas no sector defensivo. Para além do problema defensivo a equipa também se coloca a jeito pois entrou a dormir, em contraste com a atitude depois de sofrerem o segundo golo (mais rápida, maior dinâmica e com um objectivo em mente).
    Herrera é lento a executar e até na leitura do jogo, falha muitas "tabelinhas" e alguns passes quando a equipa sai para o ataque quando este tem todo o espaço para uma melhor execução, valeu pelo esforço. Acho que é um 8 na linha de André André, Sérgio Oliveira, Evandro e quiçá Rúben Neves. Corona mais uma vez fez um jogo paupérrimo dando seguimento ao que tem feito há vários jogos. Faz sempre a mesma finta, no 1vs1 não ganha um lance e muitas vezes linha toma más decisōes. O melhor jogo de Corona pelo FCP, foi frente ao Moreirense em Moreira de Cónegos, quando num dado momento do jogo passou a jogar a 10. Se não há um 10 na equipa, acho que essa oportunidade poderia ser dada a Corona que a extremo não tem convencido. Se é para jogar a extremo, acho que seria mais vantajoso tê-lo no lado esquerdo para fazer movimentos interiores, acção que executa com maior qualidade quando joga nessa posição, mas aí choca com Brahimi... que também pouco tem acrescentado.
    André André parece realmente mal fisicamente. Se for este o caso, acho que não deveria jogar até recuperar.

    Grande jogo do Suk e como sempre muito batalhador. Casilas idem. Os adeptos também estiveram com a equipa excepto num pequeno período com Herrera. A equipa nunca desistiu e conseguiu a reviravolta, um claro "upgrade" em relação ao FCP de Lopetegui. Evandro entrou muito bem e concerteza terá mais oportunidades para se mostrar.

    Quanto ao p.s. realmente é uma grande falha, até parece que foi de propósito.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.