quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Lugar à disposição

A Wikipédia diz isto sobre a Lei de Murphy: «Lei de Murphy é um adágio ou epigrama da cultura ocidental que normalmente é citada como: 'Qualquer coisa que possa correr mal, ocorrerá mal, no pior momento possível.'» Por outras palavras, a Lei de Murphy está a tornar-se numa espécie de Lei do FC Porto 2015-16. 

Vão cada vez mais longe os tempos em que o FC Porto de Lopetegui não dava hipóteses a jogar no Dragão. Foram 20 vitórias consecutivas, sofrendo pouquíssimos golos. Mas seguiram-se empates com Braga e o Rio Ave, derrotas com Dynamo Kiev e Marítimo, resultados altamente penalizadores para três competições diferentes: no campeonato foram 4 pontos, com o Dynamo o adeus à Champions e o Marítimo também o adeus à Taça da Liga.

Podemos queixar-nos de muita coisa. Bola no poste, penalty por marcar, grande exibição do Cássio, o golo fortuito do Rio Ave (se bem que também só marcámos num lance que sofre um desvio)... Mas isto não são só os azares de um jogo: são os azares de já muitos jogos esta época. O FC Porto não deixou de atacar até ao último minuto, tentou, mas não foi suficiente. Continua a não ser suficiente.

Lopetegui já deixou ser o principal foco de contestação. Porquê? Porque as suas declarações foram altamente sugestivas: lugar à disposição. «Sou o máximo responsável por tudo o que de mal acontece.» «Todos temos que melhorar e o primeiro sou eu.» «O presidente sabe que não sou um problema.»

Lopetegui assumiu, nestas frases, responsabilidades pelo mau momento (e diz, e bem, que no FC Porto as derrotas são sempre culpa dos treinadores, mas as vitórias raramente são seu mérito). E se diz que Pinto da Costa sabe que ele não será um problema, é porque já manifestou junto do presidente que aceitará a saída se for essa a sua vontade.

Faz lembrar o caso de Paulo Fonseca. Quando o FC Porto perdeu em Coimbra, Paulo Fonseca não colocou, tecnicamente, o lugar à disposição, mas disse a Pinto da Costa que se fosse ele o problema saíria sem problemas. O presidente do FC Porto disse que nem iria ter aquela conversa. Só três meses depois, depois da derrota em casa com o Estoril, é que Paulo Fonseca formalizou a colocação do lugar à disposição. E nem assim Pinto da Costa deixou-o sair: só o fez ao terceiro pedido.

Lopetegui não está a aproveitar ao máximo o que tem, mas o que tem é um plantel inferior ao do ano passado, e nem de perto um dos melhores que o FC Porto já teve. Que se desfaça esse mito. Na época passada Lopetegui esteve associado à valorização de muitos jogadores (lançou Rúben, Danilo, Jackson e Alex Sandro saíram por 92,5M€, Casemiro e Óliver evoluíram imenso, Brahimi, Herrera e Tello fizeram a sua melhor época de seniores), mas também porque a matéria-prima era bem melhor.

Lopetegui não pode simplesmente dizer «demito-me» porque Pinto da Costa confiou nele. Isso seria trair a confiança do presidente do FC Porto, que se mantém Lopetegui no cargo é porque quer. Lopetegui passou para o mapa dos treinadores europeus graças à aposta de Pinto da Costa. Tem contrato, tem treino para dar hoje. Não pode desistir. Mas pode e deve (e fê-lo) colocar Pinto da Costa à vontade para mudar de decisão se assim o desejar.

Que Pinto da Costa assuma rapidamente o que pretende fazer. Aliás, pagar 3 anos de contrato de Lopetegui custa menos do que falhar o acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões 2016-17... Foi Pinto da Costa quem disse «quando tenho Hulk, Falcao e James na equipa o técnico é-me indiferente». Pois, mas não temos um Hulk, nem um Falcao, nem um James. O treinador não pode ser indiferente. 

Se é para manter, que se mantenha, até porque contam-se pelos dedos as mudanças de treinador a meio da época que deram títulos a algum clube. Mas chega de se esconderem e enviarem recados através de massa adepta ou meios de comunicação. Pinto da Costa, Antero Henrique e restante Conselho de Administração: deem a cara, pois Lopetegui, mais do que a cara, já está é com o corpo todo baleado na praça pública. Falar na hora das vitórias, dos títulos e das transferências milionárias é muito bonito, mas ninguém além do treinador surge na hora das derrotas. Não esperem enquanto os adeptos desesperam.





Com boa vontade (+/-) - O FC Porto tentou. 55 ataques, 24 remates, 18 cantos. Uma bola no poste, um penalty por marcar sobre Brahimi (já alguém se insurgiu contra a arbitragem?), e Cássio esteve num daqueles dias. Houve quem tentasse, embora aquela célebre expressão de fazer a cama/folha ao treinador vá-se encaixando cada vez melhor por aqui e por ali. Maxi lutou ao último suspiro. André André batalhou e tentou empurrar a equipa como pôde. Herrera marcou e tentou dar ao meio-campo a velocidade que não tem. Pouco mais. Muito pouco.

Adeptos (+) - Assim sim. Equipa sob enorme pressão e contestação a ser recebida com apoio. Durante o jogo, 90 minutos de constante apoio e cânticos a puxar pela equipa, inclusive a abafar os assobios daqueles que foram ao estádio para protestar e ajudar o Rio Ave a enervar o FC Porto. No final do jogo, não havia motivos para estarem satisfeitos. E aí assim, assobios e manifestações de insatisfação. Assim é que deve ser: apoiar durante, criticar ou não depois.







Desnorte total (-) - Uma coisa é tentar - o FC Porto tentou. Outra é jogar sob desnorte total e sem qualquer fio de jogo que fizesse sentido: foi o que o FC Porto fez. Bola no flanco, bola para a área. Bola no flanco, bola para a área. Nenhum jogador do FC Porto conseguiu ganhar uma única bola de cabeça aos jogadores do Rio Ave. Porquê? Porque o Rio Ave tinha jogadores muito mais fortes no jogo aéreo! E o FC Porto insistiu, insistiu, insistiu, à espera de um milagre. Era Aboubakar quem ia ganhar uma bola de cabeça a Marcelo? Era Herrera que ia ganhar a Roderick? O Rio Ave tinha jogadores mais altos e fortes no jogo áereo, e tinha sempre a grande área povoada; o FC Porto não tinha nenhum jogador na grande área que fosse forte na disputa de bolas no jogo aéreo. E ainda assim, a equipa cruzou, cruzou e cruzou à espera de um milagre. Absurdo.

Sem ideias (-) - Há um lance de construção do FC Porto que fica na retina. Danilo começa a construção à frente dos centrais. A bola não entra no meio-campo do Rio Ave, então recua André André. A bola não entrou, então vai Herrera à frente dos centrais. No espaço de meio minuto, o FC Porto mete os seus três médios no início de construção, pois não sabia como é que havia de ultrapassar a primeira linha do Rio Ave. Não se vê disto em nenhuma equipa grande: uma equipa que não sabe o que fazer, ou que simplesmente não quer fazer nada do que Lopetegui pede. A limitação do futebol praticado também não conhece evolução: Herrera fazia variações arriscadas, de 30 a 40 metros, para meter a bola no corredor aposto. Quem a recebia, em vez de atacar, fazia recuar e circular a bola até que ela voltasse a Herrera. Brahimi, Corona e Aboubakar estiveram sempre escondidos do jogo, porque o jogo do FC Porto não manifesta ninguém.

Anjinhos! (-) - Não dá para acreditar: a primeira falta do Rio Ave acontece apenas ao minuto 32. E o primeiro cartão visto pelo Rio Ave aconteceu aos 90 minutos. Não quer dizer que a equipa de Pedro Martins (o melhor treinador português sem experiência de grande) seja impecável no desarme. Não, o FC Porto é que atacava com tanta força como um bater de asas de uma borboleta. Lentos, passivos, incapazes de um rasgo em velocidade. O Rio Ave nem teve que defender com uma pinta de agressividade porque o FC Porto não obrigava a isso. O Rio Ave só tinha que manter posição, com duas linhas, e esperar. Os jogadores do FC Porto não assustavam minimamente os do Rio Ave. Pior, Lopetegui sempre pareceu mais preocupado com a marcação a Ukra do que Pedro Martins com a marcação a Brahimi e Corona. Hoje em dia qualquer equipa que vá ao Dragão sabe que pode pontuar. Os adversários já não temem o FC Porto. Lopetegui grita, esbraceja e acaba sempre da mesma maneira: sentado no banco, com as mãos na cabeça. Das duas, uma: ou a mensagem não passa, ou os jogadores já se estão a cagar para a mensagem do treinador.

Por isso, que se faça ouvir a mensagem do presidente e da SAD.


PS: No espaço de duas semanas, o DN consegue proclamar dois campeões de inverno. É obra.

22 comentários:

  1. Além do treinador, o Porto do meio campo para a frente precisa de um médio ofensivo que ilumine o jogo, que traga criatividade, a nivel de extremos precisa de alguem que ganhe a linha e faça cruzamentos venenosos, para mim o futebol de Brahimi já não é eficaz, os adversarios já estão prevenidos para os seus movimentos e ele não consegue jogar a nivel colectivo. Corona também tem dificuldades em ganhar a linha, parece-me mais de movimentos curtos e de boa finalização. Depois na frente Aboubakar não é matador, quem me dera um ponta de lança como Slimani.
    Em suma para o ano pode vir o melhor treinador do mundo que com um plantel deste nivel os melhoramentos serão reduzidos e insuficientes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sporting tem algum criativo?

      A "amostra de treinador" ainda não percebeu que tem de se adaptar ao plantel e potenciar as individualidades em prol da equipa.

      Eliminar
    2. Jogadores não nos faltam.. Quintero, Otávio, Hernâni, ou até mesmo o Ricardo a meu ver melhor que Tello a extremo!

      Eliminar
  2. Quando o FCP ficou em primeiro, veio Pinto da Costa falar todo empolgado e falar mal dos adeptos que assobiam. De repente, 2 jogos depois, a liderança já está a 4 pontos. Onde anda Pinto da Costa? Afinal também há ratos na SAD.
    A partir do jogo de ontem, não critico nem jogadores nem treinador. Aplaudo a equipa, apoio a equipa e quando o resultado for fraco calo-me e sigo a minha vida. A SAD não merece nada!

    ResponderEliminar
  3. Um presidente que já acabou! Enquanto não nos mentalizar-mos disto vamos continuar a bater no ceguinho! O clube é hoje uma empresa de compra e venda de jogadores para alguns meterem so bolso chorudas comissões! Depois não á uma continuidade, entram 10, saem 10, como ainda este ano aconteceu mais mais de meia equipa e queremos o quê?? Não abram os olhos não... quando quisermos abrir estamos no buraco!

    ResponderEliminar
  4. Durante anos o que dominava o futebol era a ironia do nosso presidente, seguro de si e com sábias palavras, mindgame puro e duro onde colocava todos a tremer, esse presidente acabou, hoje em dia é Jorge Jesus que faz esse papel e domina. A culpa não é só treinador mas sim da estrutura que já comeu a carne e agora vai roendo os ossos, o nosso grande Porto morreu, somos uma equipa banal que luta para o 2o ou 3o lugar e quando os treinadores adversários defendem o nosso treinador..está tudo dito! Uma palavra para os jogadores. Herrera não pode ser o nosso capitão e varela nem na B tem lugar, o que precisamos é de uma limpeza profunda, coisa que não vai acontecer até bater mesmo no fundo!

    ResponderEliminar
  5. Confesso que não vi o jogo. Perdi por completo o interesse. A continuidade do estagiário já roça o ridículo desde a época passada. O gozo, o silêncio por parte da sad (mais preocupada em limpar o bom nome perante a justiça, mais uma vez) é humilhante para nós comum dos adeptos.muito sinceramente não me lembro de uma situação idêntica. Agora percebo a existência do slogan "sem igual". Sem igual a humilhação das derrotas. Sem igual o paupérrimo futebol praticado pela equipa. Sem igual a passividade da sad nomeadamente de Pinto da Costa. Sem igual este projeto de treinador. Tdd a certa altura diz que se contam as vezes que uma equipa foi campeã com mudança de treinador a meio da época. Certo. Mas deu resultado. Veja o caso do mourinho. Entrou se a memória não me falha em Fevereiro, tendo assim tempo para preparar a época seguinte, tendo inclusive assumido que e passo a citar "para o ano o Porto é campeão em situação normal e anormal". Por isso para haver mudanças e melhorias tem que ser já no imediato, já deveria ter sido logo a seguir ao jogo contra o dinamo de Kiev. Já chega. O Porto não é apenas dis adeptos que vivem no Porto. É um clube universal que tem adeptos espalhados pelo país, pela Europa e pelo mundo fora. Uma coisa é digirir os falhanços do Porto no seio de portistas. Outra coisa é fazê-lo entre lampiões e lagartos como é o meu caso. E como eu muitos por motivos profissionais. Mais uma vez, já chega de termos o estagiário sentado na cadeira de sonho para muitos. Tdd não esquecer que este suposto treinador foi contratado pelo rayo vallacano e ao fim de três meses foi despedido pela direcção fruto do maus resultados. Não esquecer que há cerca de 20 anos Bobby Robson no Barcelona o tinha como suplente de Vítor Baía. Bem sei que uma coisa não leva à outra mas neste caso descreve bem o exemplo. Fraco guarda redes fraco treinador.

    ResponderEliminar
  6. Caro Td...o filme é o mesmo da época passada!
    O Fcp é LENTO...PREVISÍVEL e com um estilo de jogo desadequado aos jogadores que possui!
    As bolas paradas são uma pobreza....
    Rasgos individuais. ..e um coletivo fraco!
    Culpa do treinador....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente. Uma tristeza ver o Porto jogar. Já ninguém aguenta. Pc tem q mudar este treinador. Parabéns pelo excelente blog. Leitor assíduo a partir de Cabo Verde

      Eliminar
  7. Sim, sim lugar à disposição mas de todos, desde ao Presidente ao treinador passando pelos ceo e vices inuteis.
    Todos andam a falhar e todos mostram INCOMPETÊNCIA.
    Antigamente os mandatos eram de 2 anos e poucos vices e diretores queriam renovar porque metiam muito dinheiro no clube e prejudicavam a familia, agora mandatos parecem eternos ninguém se demite nem um Diretor nem um vice e não é por causa da familia nem é por meterem muito dinheiro no clube e prejudicarem a sua carreira empresarial.

    Demitam-se, tenham vergonha.

    ResponderEliminar

  8. Eu insisto, avaliações fazem-se no final de cada época. Ou de cada mandato. Havendo eleições antes do final desta época, temos um meio-problema, que é avaliar o mandato sem esse desfecho. Mas esse resolve-se.

    O pior problema resulta daquela que sempre foi a nossa maior força dos últimos 30 anos: o seguidismo quase incondicional (e amplamente justificado, dirão muitos) do presidente Pinto da Costa. É que daqui resultou um contentor de glórias e títulos, mas que à sua volta criou um imenso deserto.

    Eu quero outros candidatos, outras propostas, para poder escolher. Mas onde estão eles? À espera que o presidente se retire? "Cobardes", assim também eu...

    Abraço portista,

    LAeB : Do Porto com Amor

    ResponderEliminar
  9. pois o problema e tudo ha 5 anos a esta parte salvos pelo momento kelvin tao glorificado. O presidente perdeu as mais valias que o tornaram no maior, a sad nao funciona, o clube nunca soube comunicar para o exterior, aquisiçoes nao para o treinador mas para fazer negocio, a beira do descalabro que se pressentia ja uns anos atras. O porto nao tem jogadores para este tipo de futebol, os jogadores sao passivos na sua maioria ( vale mais um sergio oliveira em campo mesmo com os defeitos como jogador que tenha do que coronas, herreras, layuns, brahimis, varelas etc etc, PALA RAÇA) . A equipa e lenta e como a qualidade de passe e fraca qualquer equipa pode empatar no dragao. O treinador nao soube escolher os espanhois que ele quis ( marcano, tello,angel,e os outros tirando casillas e bueno )nao sao jogadores para o porto. Jogador mexicano é como o seu povo pouco raçudo e acomodado. A equipa esta cheia de equivocos e a direçao tambem, o modelo esta esgotado e se pinto da costa se quer manter a ganhar tem de mudar algo la dentro, ora isso parece me impossivel e ele proprio percebera que tem de sair pois a dinamica em lisboa ja o ultrapassou. AINDA PODEMOS GANHAR A TAÇA E O CAMPEONATO MAS NAO A JOGAR ASSIM E COM A PASSIVIDADE E LENTIDAO COM QUE JOGAM.AS DECISOES NESTA ALTURA NAO SAO FACEIS DE TOMAR MAS OU APARECE UM ABANAO OU SERA MAIS UMA EPOCA EM NADA GANHAR.

    ResponderEliminar
  10. apesar a equipa ser mais fraca a nível individual do que a do ano passado, lopetegui segue as mesma ideias do ano passado, mudança longa do lado da bola para o extremo jogar no um para um e aproximação dos médios à área, mas no ano passado Oliver disfarçava isto pois oferecia mais jogo interior,este ano não temos Oliver, jogo sempre igual,fraco, jogadores muito aquém do que podem render,não acreditam nas ideias do treinador. a administração já sabia isto do ano passado, quero acreditar que têm lá pessoas competentes para perceberem isso,ou então andam mais preocupados com outras coisas (justiça, comissoes).. lopetegui defende o porto mais até do que lhe compete,mas isso não chega, ele sair é uma questão de tempo,não que isso vá nos fazer ganhar alguma coisa mas assim é que não podemos continuar,pois assim a mudar não é só o treinador..

    ResponderEliminar
  11. a jogada de mestre

    contra o Boavista coloquem a equipa B a jogar e no final do jogo veremos o resultado.

    uma versão do filme os "substitutos" com Keanu Reeves

    pode ser que os actuais jogadores do plantel tomem tino e comecem a jogar à bola como equipa

    ResponderEliminar
  12. como o inverno ainda agora começou, conto com um terceiro campeão de inverno, lá para Março

    ResponderEliminar
  13. Não concordo nada com a avaliação do plantel. Fomos buscar um guarda redes top ten mundial, temos na defesa um defesa titular no mundial pela seleção holandesa, o melhor lateral direito da liga. O meio campo está bastante apetrechado (temos um jogador de 20 milhões de euros, que tinha as coisas encaminhadas para ir para o inter este verão) e no ataque... Bem no ataque, temos o segundo melhor marcador da liga francesa em 2014, o melhor marcador espanhol da liga espanhola em 2015, o melhor jogador africano para a bbc em 2014, um extremo de 10 milhões de euros, etc. que dizer então da situação de Jesualdo ferreira em 2008, quando saem bosingwa, Quaresma (a estrela da equipa) e Paulo assunção, e lhe dão prediger, rodriguez e na altura um projecto de jogador chamado hulk. Jesualdo com paciência fez EVOLUIR os jogadores, algo que não se vê minimamente nesta equipa. Os jogadores regridem, não jogam ao alcance das suas capacidades, são encostados à menor falha (enquanto brahimi joga continuamente os noventa minutos, mau jogo após mau jogo). Avb fez a época que fez em 2010/11 porque os jogadores fizeram também as suas melhores épocas (ver belushi, Álvaro Pereira, seitaridis, rolando, entre outros) caso contrário também poder se ia queixar do plantel. este treinador não tem continuidade porque o seu sistema não funciona, pura e simplesmente. os jogadores são bons, e este é um dos melhores planteis de que me recordo no Porto (tal como em 2004/05, época em que não ganhamos nada com um plantel fantástico), porque o sistema de jogo e mau, a equipa não tem objectividade, nem mentalidade nos momentos difíceis, e infelizmente (porque o defendi muito inicialmente) a solução é trocar o treinador. Por quem? Isso já não sei, mas chega de experiências ! É altura de a sad deixar de brincar com o fogo e com os portistas. Saudações e parabéns pelo excelente blog

    ResponderEliminar
  14. Muita ilusão com este plantel,gastamos 20 milhões com um jogador somos os melhores do mundo e arredores, insisto temos ótimos executantes, não temos equilíbrio, pois falta quem desiquilibre no meio campo e alguém mais certeiro no ataque, já referi várias vezes esta opinião,que infelizmente a cada jornada se confirma.

    Não sou de opinião que se deva trocar o treinador, nunca resulta uma troca a meio da época, por outro lado, no seguimento da ideia do parágrafo anterior, dêem-lhe melhores condições agora em janeiro, centro atacante e atacante sff. A aquisição de Layun foi acertada, a de Osvaldo um desastre, às pressas (não dá para perceber como não foram acauteladas estas posições atempadamente) nem sempre sai bem.

    Não estamos bem, mas PF não pactuem com a imprensa lisboeta que todos os dias nos tentam pisar mais um pouco.

    ResponderEliminar
  15. Então e o Jesus? Tem um grande plantel? E o Benfica? Não nos esqueçamos que o Porto dos 3 grandes é o que está a realizar a pior época. É o único que já vai dizer bye-bye à Taça da Liga. Continua na Taça de Portugal sem nunca ter encontrado um adversário à altura, coisa que não aconteceu com os rivais. A Champions já era, enquanto o Benfica ainda lá está. O Sporting não se apurou, mas como ainda estava tudo no início do projecto tem uma benesse. O Benfica já nos ultrapassou no campeonato. Enfim, fazer a defesa do Lopetegui começa a ser quase impossível. As ideias dele são boas mas os jogadores não lhe ligam? Então como é que dá para saber se as ideias dele são boas? E porque é que os jogadores não o ouvem? Não é essa a função do treinador? Fazer-se ouvir? Quando não há resultados, há SEMPRE qualquer coisa que o treinador está a fazer mal. Não me venham agora dizer que o plantel não presta! Nunca vi um treinador que tivesse direito a tantos paninhos quentes no Porto! Na minha opinião o Lopetegui é um treinador freio: está constantemente a travar todo o entusiasmo e inspiração dos jogadores até os secar completamente e os deixar acabar naquele futebol triste e arrastado com que temos sido brindados. E depois em desespero de causa vira a agulheta completamente e dá liberdade total ao Brahimi e ao Corona para tentarem resolver tudo sozinhos. Os adeptos não acreditam no treinador, os jogadores não acreditam no treinador e acho que nem o próprio treinador acredita em si próprio já. Agora só há duas hipóteses: ou muda o treinador ou o treinador muda. Mas alguém acredita que o Lopetegui consegue mudar? Ao fim de ano e meio, chegar ao treino e dizer aos jogadores para esquecerem tudo o que foi dito para trás porque a partir daquele dia vão trilhar outro caminho? E as relações que já foram criadas até aí?

    ResponderEliminar
  16. Já não entendo nada deste Porto, os jogadores têm qualidade para muito mais. Provavelmente já não estão identificados com o treinador e este jogo com o Rio Ave mostrou exatamente isso. Aquilo que vemos é Lopetegui a esbracejar no banco e ser aparentemente ignorado.

    O plantel não é perfeito, mas tem qualidade mais do que suficiente para ganhar em Portugal. Agora, claro, se pegas no melhor marcador espanhol e só o colocas contra equipas da segunda divisão (eu sei que ele agora está lesionado, mas não esteve durante meio ano), se pegas no melhor médio criativo do plantel e o transformas num extremo apenas razoável, se pegas no "médio que todo o mundo queria" e o atiras para a bancada... fica mais difícil.

    Volto a dizer, precisamos de um treinador que simplifique. Lopetegui parece cada vez mais um Rafa Benitez: tanta teoria e tanto conhecimento que perde o contacto com os jogadores e com a própria realidade.

    ResponderEliminar
  17. TD,

    O problema não é a mensagem não passar.. 18 meses de futebol de merda nesta equipa do Lopetegui, o problema é ele. como o TD disse e bem com a equipa da época passada que era fantástica, tinha de ser campeão. A mania da rotatividade já foi esquecida? há algum 11 que tenha repetido? O problema é o treinador, não os jogadores!

    Rui Amaral

    ResponderEliminar
  18. Será que é hoje? Deus queira que sim

    ResponderEliminar
  19. pelos vistos a sad e o presidente estão reunidos para discutir o futuro do lopetegui....penso que ainda hoje teremos o lopetegui fora da nossa equipa, mas e substituto!?...cheira-me que vamos ter o Nuno a frente da equipa até ao final desta época com possibilidade de continuar no final....

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.