quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Limpeza, precisa-se

Não é assim tão consensual que o momento mais importante do título do FC Porto em 2011-12 tenha sido o golo de Maicon na Luz. Antes disso, houve um momento absolutamente decisivo: a limpeza do balneário em janeiro. A SAD resistiu à tentação de despedir Vítor Pereira e, ao invés disso, segurou o treinador e afastou jogadores que, numa expressão muito bem conhecida, queriam «fazer-lhe a folha».

Que aconteceu depois disso? O FC Porto não perdeu mais nenhum jogo no campeonato com Vítor Pereira e arrancou para o bicampeonato. Neste momento, o FC Porto volta a necessitar dessa limpeza.

O que se passa no dia a dia nos treinos, no Olival, não está à vista do comum adepto, mas o que se passa dentro de campo sim. Não há empenho, não há inconformismo, não há esforço, não há sentimento da responsabilidade de envergar o símbolo do FC Porto, mesmo numa competição de importância reduzida e que à partida já estava perdida.

Mas seja na final da Liga dos Campeões ou a cumprir calendário na Taça da Liga, o símbolo do FC Porto é sempre o mesmo. Os jogadores são pagos todos os meses para defenderem esse símbolo, joguem bem ou mal. E parece não haver consciência disso em vários dos jogadores do atual plantel.

José Peseiro estava na bancada a ver o seu futuro plantel. Não se viu, dentro de campo, grandes manifestações de vontade em mostrar serviço perante o novo treinador e começar já a tentar agarrar o lugar. Nem sequer se viram manifestações de orgulho pessoal de vários jogadores, depois de a equipa B ter passado em Famalicão e vencido por 4-2.

Tempos houve em que quando Pinto da Costa entrava no balneário os jogadores borravam-se todos. Segundo o que contou o jornal O Jogo, a última visita de Pinto da Costa ao balneário foi para dizer que despediu Lopetegui porque «acredita nos jogadores e que ainda é possível ser campeão». Muito bem, mas falta dizer duas coisas: também é culpa de vários jogadores que Lopetegui tenha sido demitido e que o FC Porto esteja, neste momento, fora da Taça da Liga, da Champions e no 3º lugar do campeonato, sem depender de si próprio para ser campeão.

Quem não quer cá estar, rua. E quem quer cá estar, tem que provar a cada dia que merece a honra de ser futebolista do FC Porto.





Positivo (+/-) - Víctor García foi o melhor do FC Porto. Sempre disponível a atacar, acutilante a defender, cruza bastante bem e acabou por ser dos mais perigosos da equipa. Foi o único que já estava no plantel a mostrar a Peseiro que está aqui. Suk fez a estreia e mostrou-se empenhado em ganhar o lugar rapidamente. Não esteve bem na finalização, mas mostra prontidão e versatilidade a rematar, que é algo que tem faltado ao ataque do FC Porto.





Demasiado mau (-) - A solidariedade de Helton para com Casillas foi longe de mais, com o capitão a ter responsabilidades no lance do golo. Mas uma vez mais, uma equipa que em 90 minutos não mete uma bola na baliza não se pode queixar de nada. José Ángel fez o seu pior jogo da época. Rúben Neves esteve uma sombra de si próprio, a insistir sempre no futebol lateralizado e sem arriscar tanto no passe longo (poderão dizer que ainda são as réstias do modelo de Lopetegui, mas a verdade é que nunca se viu Rúben Neves jogar com outro treinador ou em outro modelo...). André Silva está demasiado ansioso, precisa de ter calma, o golo vai aparecer. Mas com ele em campo o FC Porto ainda não fez um único bom jogo, e em 6 jogos só ganhou 1. Aqui entrariam as críticas ao treinador, mas como foi dito, não se vai criticar Rui Barros, por não ser treinador principal - até o treinador mais calmo teria perdido a cabeça e mandado três berros lá para dentro face ao que se estava a passar.

A postura de Imbula em campo - e fosse só em campo - continua a ser vergonhosa. Não mete o pé, não pressiona, não arraca, é extremamente lento e os seus passes são sempre inconsequentes. Aqui não há volta a dar: é culpa do jogador, que não se está a empenhar o suficiente. De nada vale pensar num treinador que possa aproveitar as suas caraterísticas se o próprio Imbula não se dá ao trabalho de oferecer o princípio básico do empenho e vontade de aprender.

Sérgio Oliveira é outro exemplo em que era fácil atacar Lopetegui por não o meter a jogar, mas se trabalhasse mais se calhar jogava mais. Ontem esteve mal nas bolas paradas e não conseguiu oferecer nada ao meio-campo. Varela também esteve sofrível no ataque, praticamente sem lances dignos de registo. Para quem ganha mais num mês do que o plantel todo do Famalicão, não é admissível.  Do banco, em dia de estreia de Chico e Ismael, nada se acrescentou. Os jogadores podiam ter mostrado, nos últimos jogos, que a culpa era de Lopetegui. Já sabíamos que não era na sua totalidade, mas os últimos três jogos só dão provas que há uma quota-parte bem significativa de responsabilidade dos jogadores. 

Não é a Taça da Liga que belisca os portistas: é ver jogadores envergar esta camisola sem terem o mínimo de consideração pela SAD que lhes paga o ordenado todos os meses e para os adeptos que, mesmo numa Taça de pouco valor, não deixam de acompanhar a equipa e sofrer por ela. Falta pouco mais de uma semana para o fecho do mercado. Ou se limpa agora ou lida-se com a sujidade, e respetivas consequências, até ao fim da época. Um peso demasiado grande para ser José Peseiro a suportá-lo sozinho. 

16 comentários:

  1. Mas desde quando esse jogo-treino em Famalicão era importante?! Se o FCP já tinha sido eliminado na 1ª jornada pelo Marítimo. E desde quando o FCP mostrou interesse algum em poder ganhar o Caneco da Cerveja Lucília?!

    Hoje, dia 21 de Janeiro começa um Novo ciclo.. O ontem já foi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como diz em cima nao é a taça da liga ( até porque essa competição sempre foi secundaria ) mas sim ver os jogadores envergar a camisola sem minimo esforço,respeito e consideração pelo clube e adeptos...

      Eliminar
  2. Está muito bem mas isto nao pode ser só o problema dos jogadores e dos treinadores. Tem seguramente a haver com o desgoverno k é a sad e pelo presidente que temos.no futebol moderno super competitivo e dos milhoes estes gestores/comisionistas nao têm cabimento.

    ResponderEliminar
  3. Imbula nunca devia ter vindo. Angel devia ter saído no fim da época passada. Varela não devia ter voltado. De Maicon, já chega. Relativamente ao Sérgio Oliveira, talvez concorde, talvez não. Os zumbidos que se ouvem sempre apontam para que não seja dos mais empenhados ou trabalhadores. Mas é fácil desmotivar quando se é o único criativo do plantel - uma lacuna que nem Lopetegui nem a SAD conseguiram resolver em tempo útil - e não se joga, mesmo naqueles jogos em que há necessidade de melhorar o jogo ofensivo pelo corredor central. Diria que, possivelmente, há uma quota parte de responsabilidade do treinador e também do jogador.
    Herrera também andou a engonhar, mas quando o treinador viu que estava em subida de forma, pô-lo a jogar. Mérito do treinador aí. Ruben é indispensável e devia jogar sempre. Se eu sei disso, ele também deve saber. O facto de não jogar, numa cabeça de 18 anos, pode desmotivar também.
    De resto, não se pode fazer "limpeza" de um balneário sem confiança. Primeiro recupera-se essa confiança e só depois se identificam as maçãs podres, como diria o outro. Para mim, são Angel, Imbula, Varela e Brahimi (tem melhorado nos últimos tempos, como Herrera, mas simular lesões musculares contra Moreirenses para estar a jogar contra o Chelsea cinco dias depois mostra o carácter que tem e o peso que (não) tem para ele envergar esta camisola).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o Sérgio Oliveira é um criativo? ok

      Eliminar
  4. Talvez pudéssemos, aqui no TDD fazer uma equipa e defrontar o nosso FCP, naquela de os motivar. Acredito que actualmente seja equilibrado, mas com cuidado não ganhamos.

    ResponderEliminar
  5. OS piores foram o Varela, Maicon,Angel e Imbula.
    O Sergio e o Ruben não tiveram assim tão mal(foram os unicos a arriscar passes de rotura na primeira parte)

    O melhor foi de facto o Victor Garcia

    ResponderEliminar
  6. tambem concordo em parte, mas quem sao os jogadores que nao querem? com o basco nao eram os jogadores era o sistema claramente e o falhanço rotundo na contrataçao de um aranhiço com o nome imbula causador da eliminaçao da champions e nao so. Se conhecem jogadores que nao querem avisem quem sao eu vejo os incapazes como imbula, o marcano, o bueno, o tello, o layun a defender. O porto para ganhar a maioria das equipas portuguesas so tem de ser rigoroso a defender e marcar um golito, nada mais. Ivic era assim ninguem podia passar da linha de meio campo salvo rui barros e mais 1 ou 2, fgomes estava finito. O sistema do basco tinha triunfado se a estrutura tivesse contratado o iniesta, o xavi, o busquets e o messi, agora sem jogadores que acertem em 95% dos passes que fazem era impossivel. Agora vira o 442 losango a mourinho e por acaso temos jogadores para isso com mais 1 ou 2 para reforçar, no entanto a falta de confiança que neste momento existe sera o pior adversario, contra o maritimo temos de ganhar por 3 ou 4, eles tem uma equipa alta. O clube tem de dar aos treinadores o que eles querem e nao contratar quem os fundos ou empresarios oferecem, Imbula e a imagem dos inexitos desta epoca nao se pode contratar um jogador que seria decisivo e que se tornou num fracasso porque realmente nao joga nada e nao vebham com a treta que em frança isto e aquilo porque em rança ate eu se calhar jogava muito bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nao o bueno nao o def esq espanhol que esqueci ja o nome

      Eliminar
  7. Para mim vendiam se os jogadores todos da equipa A e promovia os da B mais os juniores. Esses teem amor ao emblema e jogam com raça todos os dias .
    Jogadores como o Varela ou o imbula teem de pedir licença para ir a bola e correr 2m ..
    Oh meu Porto , o que te aconteceu..

    ResponderEliminar
  8. Limpeza foi a 1ª palavra que me veio à mente quando via a tristeza do jogo de ontem...
    No entanto Peseiro terá que avaliar os jogadores em treino e já falta pouco para o mês acabar, por isso é provável que tal não aconteça. Sergio, Varela, Angel mostraram não ter qualidade para o FC Porto enquanto Imbula, Maicon e Helton apesar da sua qualidade notasse que não estão com a cabeça no lugar.
    Penso que também seria importante uma contratação de qualidade. A equipa precisa de sangue novo e de alguém que faça os adeptos acreditar e os próprios companheiros também. Resumindo um craque, tipo Lucas Lima.
    Espero mesmo que José Peseiro venha sem medo de mudar, sem medo de arriscar, a conferencia de imprensa de hoje, pareceu mostrar isso.
    Nota: Chega de culpar Lopetegui pelos maus resultados, ele já não está cá. Como o TdD disse e muito bem os jogadores tem grande responsabilidade nisto. Lembro que em 2015 Lopetegui teve maior percentagem de vitórias em relação ao próprio Jorge J... Nem tudo estava mal. A mudança de treinador era necessária mas agora deixem Lopetegui em paz..

    Mais um excelente post do TdD ;)

    ResponderEliminar
  9. Mansos, aburguesados e sem ambição. De futebol jogado falando, o nosso jogo roça o ridículo. Até à alguns tempos atrás pensava haver três tipos de velocidade de construção de jogo: Rápida, Lenta e Mista, mas depois há a velocidade Porto 2015-2016 que consiste em "jogar ao meinho" no próprio meio campo enquanto damos tempo ao adversário de se posicionar com 11 jogadores atrás da linha da bola. Os adversários não são parvos e sabem que podem atacar com 5, 6 homens pois caso não tenham sucesso sabem que o Porto, sem aparente razão lógica, só ataca assim que estes tenham recuado e reposicionado defensivamente. Efeito surpresa, contra-Ataque, aproveitar do desposicionamento do adversário e objetividade na troca de bola nem vê-la. É muito fácil bater no Maicon por segurar muito a bola mas não havendo desmarcações dos colegas a alternativa não pode ser outra. Exige-se mais movimentação. Outra coisa que me faz extrema confusão é a quantidade de jogos, já desde o tempo do Jackson, em que temos como objectivo durante 90 minutos cruzar bolas de forma aleatória para uma área onde se encontra 1 homem do Porto contra 6 adversários. Alguém consegue ver efeito prático nesta abordagem? Eu não, e creio que nem que tivéssemos o Ibrahimovic sozinho na área os resultados seriam diferentes. O nível de aproveitamento nas bolas paradas também deveria ser estudado e questionado. Maus executantes, más cobranças e más movimentações, coisa que não se admite em simultâneo numa equipa de topo. O futebol de constante ataque esteja o resultado em 1-0 ou 5-0 desapareceu. Já à algumas épocas, generalmente falando, que jogamos pra margem mínima. Atacar com tudo até nos colocarmos em vantagem para depois nos prepararmos para sofrer e tremer que nem varas verdes. Este aspeto juntamente com a falta de agressividade e de pressa em fazer o golo em situações de desvantagem e igualdade, não fazem parte da identidade do nosso clube.

    ResponderEliminar
  10. Bom texto...!
    Aqui estão abordados os problemas de que padece a nossa equipa...!
    Se a "B" que tem um entrosamento mais eficaz e por via disso, ganhou lá 2-4, porque não se optou por ir lá jogar com a "B" reforçada de alguns/poucos elementos...!
    Por falar na "B", tenho para mim uma incógnita: que se terá passado para na época passada ter tido uma prestação medíocre e esta época estar em grande nível...?! Eis aqui um exemplo a que eu gostaria de obter resposta.
    Relativamente aos jogadores e ao seu comportamento em campo, tem tudo a ver com os métodos de treino, o modo como o treinador lidera o plantel, e a responsabilidade que os dirigentes conseguem incutir aos profissionais que contratam...
    O facto das coisas terem corrido mal foi que motivou a substituição da equipa técnica. Neste momento acredito que é preciso dar o benefício da dúvida e ter esperança de que a situação melhore com a entrada do novo líder José Peseiro.
    Proponho portanto que com calma se aguarde pelos resultados que as alterações em curso vão provocar e que entretanto se apoie a equipa a fim de ver se os resultados melhoram e se todos juntos conseguimos atingir os objectivos que é ganhar as competições em que o FC Porto ainda está envolvido.
    Tenhamos esperança que melhores dias virão...

    Armando Monteiro
    www.dragaoatentoiii.wordpress.com

    ResponderEliminar
  11. Bem já aprendeu que afinal o Adrian custou 11M€...de resto muita palha...pouca uva!

    ResponderEliminar
  12. o presidente disse que se vai recandidatar logo tem o meu apoio.

    ResponderEliminar
  13. Varrer não sei, mas pelo que tenho visto seria complicado, por mim só na defesa iam logo 3 mas faltam já jogadores, no meio campo 2 e no ataque 1. Mas a equipa necessita paz e estabilidade, os acertos no plantel fazem-se no final da época

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.