segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Pré-época em fins de janeiro

Mudar de treinador não é uma solução milagrosa para passar a jogar bem. Não é por acaso que são raras as equipas que ganham alguma coisa quando mudam de treinador a meio da época. Porquê? Porque se há uma mudança de treinador, é porque o modelo de jogo não está a funcionar; assim sendo, há que mudar. Mas quando se pega numa equipa a meio da época, quase sem tempo para treinar, é extremamente difícil apresentar mudanças. 

Ao fim de três treinos, José Peseiro já quis introduzir coisas novas na equipa. Manteve as peças, mas tentou mudar a matriz e a dinâmica. Mas esta tentativa de aproximar a equipa do 4x2x3x1 correu mal e resultou numa má exibição do FC Porto. Felizmente, a nossa bola na trave bateu nas costas de Salin e entrou, ao contrário do remate à trave por parte do Marítimo.

Sem dúvida que o importante era ganhar. E assim será em cada jogo até ao fim da época. Para já, a primeira conclusão: José Peseiro precisa de um médio-ofensivo até ao fim do mês. Tentou colocar André André nessa posição, mais perto de Aboubakar, mas André André não pode jogar com 3.º médio neste esquema. Ficou claro que a SAD precisa de dar um médio criativo a Peseiro até ao fim do mercado. 

Notou-se alguma intenção de acelerar a transição da equipa. O problema é que isso resultou numa avalanche de erros. Passes falhados, muita precipitação no início de construção, passes absurdos de 40 metros quando tinham linhas de apoio por perto. Além disso, o FC Porto tentou atacar mais pela zona central e menos pelos corredores: a antítese do que fazia Lopetegui. Era simplesmente impossível, ao fim de três treinos, mudar processos que foram trabalhados durante ano e meio.

O FC Porto estava tão ocupado com a tentativa de assimilar os novos processos que não aproveitou a forma como o Marítimo jogou: foi a equipa que jogou com a linha defensiva mais subida no Dragão nos últimos tempos. Mas a equipa quase nunca foi capaz de meter bolas nas costas da defesa. Por outro lado, a arbitragem foi simplesmente escandalosa, desde os bandeirinhas ao árbitro Jorge Ferreira.

Benfica x Arouca, 23-01-2016
Jorge Ferreira já o conhecem: é o árbitro sobre o qual Jorge Jesus sabe «muita coisa do ano passado». Um dos lances com Maxi Pereira é simulação. Old habits die hard, não é Maxi? Nos dois outros lances o defesa atira Maxi ao chão, sem jogar a bola. Isto surge no dia seguinte a mais uma vassalagem de Vítor Pereira ao Benfica. Sorte bem diferente teve o Benfica no seu jogo frente ao Arouca.

Os árbitros assistentes também foram uma nódoa, em particular Inácio Pereira. Quem é Inácio Pereira? Um árbitro que em 2013 foi de internacional às... distritais. Acabou por se manter na categoria AAC1, após a controvérsia sobre o sistema de classificações. O outro auxiliar era Paulo Vieira. Um árbitro tão bom que, em 2014/15, acabou a época a apitar no  campeonato distrital da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Viana do Castelo. E acabou o jogo a levar no nariz, pois aos 90'+3 minutos ele, enquanto árbitro auxiliar, decidiu assinalar um penalty que mais ninguém em todo o estádio viu. Ontem também via foras de jogo que mais ninguém via.

O FC Porto jogou mal, muito mal, mas voltaram a estar servidos todos os ingredientes para o FC Porto tropeçar na estreia de José Peseiro. Que faz o FC Porto e a sua SAD? Nada. Silêncio total. Não há portista que se identifique com isto, mas esta parece ser a postura oficial do FC Porto para este tema. Voltámos a ser bons rapazes, um clube adorado por tudo e por todos, até mesmo por Carlos Pereira, o presidente do Marítimo (análise às mais recentes contratações fica para depois).





Maxi Pereira (+) - O mais consistente em toda a partida. Ia a cada lance na raça, sofreu duas faltas merecedoras de penalty, cruzou, esteve sempre no apoio ao ataque e não perdeu nenhum lance pelo seu flanco.

Meio extremo (+/-) - Na primeira parte, só Brahimi criou lances de perigo por parte do FC Porto. Na segunda, foi a vez de Corona ser o único a dar algum virtuosismo ao ataque. Quando o coletivo não funciona, pouco mais resta que esperar que as individualidades se destaquem. Corona e Brahimi fizeram o que puderam, quando puderam. Pouco, mas grande parte do que o FC Porto fez.





É permitido rematar? (-) - Nos primeiros parágrafos já foram enumeradas as dificuldades do FC Porto, próprias de quem muda de treinador e dinâmica. Por outro lado, ver o FC Porto fazer apenas cinco rematas em casa é algo inédito, pela negativa. Equipa muito débil a atacar, e para isso muito contribuiu o facto de Aboubakar ter passado todo o jogo escondido, sem sequer um remate para amostra. Está difícil, Aboubakar. Nenhum ponta-de-lança aguenta muito tempo assim como titular do FC Porto, a não ser que as alternativas também não estejam em melhor momento.

Displicência (-) - A tentativa de acelerar o jogo do FC Porto só resultou em precipitação, passes falhados, bolas perdidas. Herrera foi o jogador do FC Porto que mais bolas recuperou, mas nunca percebeu que espaços ocupar no meio-campo e como levar a bola ao ataque. Danilo também esteve bem defensivamente, mas errou várias vezes na saída de bola. Os primeiros 20 minutos, com muita gente a passo, sem meter o pé e sem pressionar, mostram mais do mesmo da era Lopetegui: jogadores com muitas responsabilidades pelos maus resultados, essencialmente por falta de atitude. E uma vez mais, cumpre-se o paradoxo de o FC Porto ter a melhor defesa do campeonato, mesmo sem ter uma dupla de centrais que dê grande segurança.

José Peseiro prometeu que a equipa vai jogar muito mais do que isto. Todos acreditamos, pois não é possível jogar pior do que isto. O treinador agora terá mais tempo para trabalhar as suas ideias - e ficou claro que as suas ideias necessitam de jogadores que o plantel do FC Porto não tem. Quem decidiu trocar de treinador em janeiro, mantendo os mesmos objetivos do início da época, tem agora que assegurar que Peseiro tem o necessário para continuar na luta pelo título.

23 comentários:

  1. Vi algumas coisas interessantes apesar de ter sido um mau jogo do FCP, vi a equipa jogar mais pelo meio, vi mais verticalidade, mais pressão de alguns jogadores ( obviamente longe dos niveis minimamente aceitaveis).

    Herrera continua a fazer mais do mesmo recupera bolas mas falha passes infantis e não sabe como distribui-la mais à frente. Aboubakar completamente ausente acho que ele não sabe onde e quando deve aparecer ( aqui tambem Lopetegui tem culpa...). Os nossos centrais são uma desgraça. Layun a defender é muito fraco. Danilo continua a evoluir bem mas tem de ser mais matreiro e melhorar ainda mais no passe. Brahimi continua individualista mas zonas onde tem de ser e não no meio-campo.

    Penso que ha que dar tempo ao treinador pois a partir de agora vamos ter uma ideia de jogo diferente mais ofensiva e objectiva e não iremos certamente continuar a jogar para tras e para os lados.

    ResponderEliminar
  2. Não vem nenhum médio criativo...nem nenhum central...ponho as minhas fichas nisso.

    ResponderEliminar
  3. Olá!
    Bom "post"! Gostei sobretudo da análise à arbitragem: a avantesma do Jorge Ferreira fez muitas vezes vista grossa às quedas dos azuis e brancos e em contra partida sempre que um madeirense caía era falta...!
    Claro está que os portistas têm de melhorar o seu entrosamento, mas acima de tudo aumentar a sua capacidade de choque, porque já se viu que os juizes do apito só marcam quando é demasiado evidente...!

    Saudações portistas
    Armando Monteiro
    www.dragaoatentoiii.wordpress.com

    ResponderEliminar
  4. Não há dúvida que precisámos de um médio criativo. Mas, afinal o Bueno joga onde? Não serviria? Um médio experiente, um médio que no ano passado tem 17 golos na Liga Espanhola, e na época anterior tem 12 golos! Um tipo de remate fácil e espontâneo! Sei que agora está entregue ao departamento médico, mas gostava de ver o JP apostar nele.
    Ah, Bruno Alves vinha mesmo a calhar nesta fase do FCP! Vou fazer figas...

    ResponderEliminar
  5. Aboubakar, Suk, Marega, André Silva. Vamos vender Aboubakar ou emprestar André Silva?
    Maicon, Indi, Marcano. Vem mais alguém ou ficamos só com 3 centrais?
    Brahimi, Corona, Varela. Recorreremos aos extremos da B que até agora não tiveram hipóteses ou vamos ao mercado?
    Herrera, Imbula, André André, Evandro, Sérgio e um 10? Para 2 posições?

    Não é uma pré-época de Janeiro. É uma utopia. Se num Verão inteiro a SAD não foi capaz de resolver tudo, não será na última s
    semana de Janeiro que irão conseguir.


    AA

    ResponderEliminar
  6. Saudações! Faltou a análise do varela a jogar a 10!! que sonho...

    ResponderEliminar
  7. Td ...Rafa do Braga...que me diz?
    Central é que não faço a miníma....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já se ouve falar disso há algum tempo... duvido! muito caro!

      Eliminar
    2. Hugo, caro foi o Adrian Lopez. O Rafa se custasse 11 milhões por 60% do passe mesmo assim continuava a valer a pena.

      Eliminar
  8. Precisamos é de centrais; e concordo que nao temos jogadores para jogar em 4-3-3;para mim temos um dos melhores 10 do mundo, que está encostado a linha; Brahimi tem que jogar no meio, no jogo de Guimaraes na segunda parte com Brahimi ao meio viu-se a diferença e aprendendo a soltar abola no momento exato vai partir tudo; e temos outro numero 10 com excelente visao de jogo e passe emprestado...O porto tem de começar a construir a equipa de tras para a frente e nao o contrario.

    ResponderEliminar
  9. Nota-se que se tinha aqui mais paciencia com o Lopetegui, coisa que não há com o Peseiro.

    O campeonato já foi, não se qual é a dificuldade em assimilar isso, ia-mos agora ganhar uma liga a 5 pontos e mudança de treinador? Pois sim.

    A SAD anda calada, roubados em vários jogos e mesmo assim não dizem nada.

    Andamos com um treinador aqui que pelos vistos segundo a entrevista do Pinto da Costa ninguem gostava dele, ridiculo.

    Este ano já foi, se continuarmos com esta gestão não iremos ter um futuro risonho.

    ResponderEliminar
  10. Não achei que o Porto tivesse jogado assim tão mal como descrito.
    Para uma equipa que tem um treinador tão recente não poderíamos esperar uma exibição perfeita. Não.
    O Porto mostrou uma nova dinâmica de jogo, como disse o Paulo Rodrigues, mostrou pressão e alguma verticalidade.
    É certo que muitos jogadores não deviam estar neste plantel, mas outros simplesmente não rendem pois não tiveram até aqui a tal matriz de jogo, que pode ser agora despoletada com novas táticas.
    Não perdemos...agora é aguardarmos pelo próximo jogo. Tenho fé!

    Saudações Dragoninas.

    ResponderEliminar
  11. Concordo com tudo o que dizem, menos na parte dos bonés para os extremos do Porto. Apesar do mau momento de Aboubakar, imagino que deve ser desesperante ser avançado com dois extremos como Corona e Brahimi, principalmente o último, em que não fazem um cruzamento nem um passe na altura certa, sempre com fintas desnecessárias e tentar resolver individualmente. Apesar de não ser nada se especial, o Central Maurício da equipa B não estará num melhor momento de forma que qualquer um da equipa A?

    ResponderEliminar
  12. Do jogo, valem os três pontos. Era o mais importante. Agora é dar tempo a Peseiro, confio nele, não sei se vai dar para recuperar 5 pontos ao Sporting, mas se não der, a responsabilidade será de quem demorou duas semanas a trazê-lo.

    Sobre o plantel: médio ofensivo creio que poderia ser Brahimi, o próprio já disse que não é extremo e não é, de facto. Com a recuperação de Bueno (que TEM de jogar, é craque) e a chegada de Marega, creio que há espaço para tirar Brahimi e da ala e o meter no sítio certo.

    Quanto a centrais, não podemos ficar só com 3 claro, mas tanto o Indi como o Marcano já mostraram que estão à altura, o que se passa é que atravessam uma enorme crise de confiança, tal como a equipa toda de resto. Espero que venha um central, mas não creio que tenha de ser necessariamente um titular.

    ResponderEliminar
  13. Para médio ofensivo sugiro chamar o Otávio de volta, sem custos e pelo jogo que fez ontem contra o Belenenses em que esteve nos 3 golos do Vitória e foi o patrão do meio campo demonstrou ter mais que qualidade para jogar no Porto e seria facilmente titular nas competições internas.

    ResponderEliminar
  14. E há mais uma coisa que acho absurdo, os cantos.
    Com Lopetegui os cantos eram todos curtos, mesmo com o jogo empatado aos 90+3 e com 10 segundos para jogar. Com Rui Barros isso acabou e no Bessa criamos mais perigo de canto do que nos últimos meses de Lopetegui.
    Ontem, voltaram os cantos curtos. Mas porquê???

    ResponderEliminar
  15. Admito que o terceiro lance sobre o Maxi não fosse penalty, mas ainda houve outro sobre Brahimi ou Corona em que mais uma vez prenderam o pé.

    ResponderEliminar
  16. Ainda se fala muito de Lopetegui quando devemos deixar o homem estar onde está..
    Logicamente que a equipa ainda está amarrada ao que estava habituada e o jogo de ontem foi miserável, mas também se tivéssemos uma arbitragem justa estaríamos aqui a festejar um 4-0 ou algo de género..
    Defesas centrais e médios ofensivos não faltam nos quadros! Mas preferimos emprestar o Lichnovsky e não fazemos regressar o Otávio, ou até mesmo apostar no Omar Govea da B..
    Já para não falar de Reyes ou Quintero.
    Uma palavra para as contratações de Marega e José Sá.
    Será que agora só se compra aquilo em que o Sporting está alegadamente "interessado"?
    Não questiono o valor até ver o que fazem com a nossa camisola e nisso só desejo que sejam os melhores do mundo.
    E ter paciência e confiança com Peseiro como tivemos outrora com defuntos da história do nosso Grande Porto.

    Saudações

    ResponderEliminar
  17. gostei dos jogadores , mais raçudos, mais lutadores, alguma confusao na mistura de dois conceitos de jogo. Estes jogadores estao habituados a ritmos baixos, o ritmo de jogo aumentou mas alguns jogadores nao tem mesmo capacidade de passe, o problema de couceiro sera o de lopetegui, falta de jogadores com alguma classe, layun, marcano, herrera, aboubakar, evandro, e outros nao tem classe para jogos rapidos onde o 1º passe tem e entrar sempre e de 1ª. Temos avançados com muita potencia fisica agora. Neste momento andre e 60% da equipa quando baixa de intensidade ou sai adeus.

    ResponderEliminar
  18. ....dos coisas são precisas em campo: começar a "bater" mais, principalmente quando estamos a ganhar e sermos grunhos com os arbitros, eles ficam impressionados e temerosos quando vêem Homens pela frente...

    ResponderEliminar
  19. Temos um corredor central horrível, em que a bola queima no pé de todos eles. Assim tenho a certeza que não vamos lá. Os centrais são fraquissimos com a bola no pé. O Herrera recuso-me a classificá-lo enquanto jogador...Essa do TD dizer que ele joga porque trabalha muito no treinos fazme lembrar o que diziam do Licá! O Danilo é lentíssimo a pensar o jogo com bola, o Peseiro tem que tentar evoluir o Rúben pois o nosso futuro é ele.

    ResponderEliminar
  20. O primeiro lance do Maxi na área não é "velhos hábitos" é penalty, o braço esquerdo do Maxi é preso entre o braço e o corpo do defesa. Quanto à postura da SAD concordo, apesar do Dragoes Diario hoje já mostrar um pouco de indignação.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  21. Assino aí em baixo do seu post, mais um vez. Obrigado

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.