segunda-feira, 2 de março de 2015

Tello e outro «calcanhar vagabundo»

Uma noite que a equipa e Lopetegui mereciam e precisavam. O Sporting, parecendo que não, era a equipa com menos derrotas no Campeonato. Não perdeu nenhum dos clássicos anteriores. Hoje foi reduzido a pó, não criou uma única ocasião de perigo e o 3x0 acabou por ser um resultado simpático para o rival. O Sporting nunca foi candidato ao título, mas pode sempre baralhar estas contas, tanto que até aqui tinha tirado pontos em todos os jogos com os rivais. Hoje era essencial vencer, para continuar na luta, mas de pouco valerá se não ganharmos em Braga já na sexta-feira. Cada jornada é uma final e há mais 11 para disputar. 

Red3nção
Planeamento perfeito de Lopetegui (no pós-jogo é sempre engraçado ver o drama que é saber que vai jogar Marcano em vez de Indi, Casemiro em vez de Rúben Neves ou Tello em vez de Quaresma - mas só um tem que tomar decisões e viver com as consequências, sejam boas ou más, e esse alguém é o treinador), atitude e empenho máximo dos jogadores, capacidade para corrigir os erros dentro do próprio jogo, evolução, espectáculo e Tello em dose tripla, como já não se via desde os tempos de António Oliveira. 

Em Braga haverá máxima dificuldade, pois estamos a falar de uma equipa que ganhou 2 vezes ao Benfica e que já só está a um ponto do 3º lugar, por isso também vai encarar o jogo como uma final, na medida em que vão lutar pela Champions. Tem o plantel praticamente na máxima força, pois de quatro titulares que tinha em risco para esta jornada não perdeu nenhum. Sorte diferente teve o Arouca, que ficou de uma só vez com 4 jogadores suspensos, todos por acumulação de cartões, para a recepção ao Benfica. Há sorte e há azar, já o dizia Lopetegui. Mas a pedido de alguns portistas, na próxima semana voltaremos com maior profundidade a esta questão.





Tello (+) - Incontornável. Três vezes perfeito na desmarcação, na frieza e na eficácia. Objectivo, rápido, dinâmico, com bom entendimento com Herrera e Danilo e com a vontade que não tínhamos visto muitas vezes. Os últimos 5 golos do FC Porto, que valeram 6 pontos que nos mantiveram na luta, passaram todos por ele. Quando se faz 3 golos num clássico, todo o louvor nunca é de mais. Este Tello, em Braga, na Luz e na Champions, será um ás de trunfo.
O único leão que rugiu

Óliver Evandro (+) - Colocar Brahimi no meio-campo, de início, era um suicídio e não havia a menor justificação para isso. O FC Porto precisava de disciplina, consistência, critério e capacidade de manter a bola no meio-campo, e ganha tudo isso com Evandro. Brahimi a 10 só contra autocarros ou em situações de emergência. Evandro é um médio completo, no verdadeiro sentido da palavra, que acrescenta na mesma medida visão de jogo e capacidade na transição defensiva. Sem Óliver, é o substituto ideal e liberta Herrera para aparecer no ataque. Evandro sabe jogar ao primeiro toque, Brahimi enrola-se demasiado à bola, o que é um risco para um médio na zona central.

Jackson (+) - O facto de Jackson jogar distante na grande área é, muitas vezes, um problema para o FC Porto. Isto porque Brahimi e Quaresma não são extremos que consigam ganhar a bola em velocidade nas costas da defesa. Quando Jackson baixa e tenta fazer o último passe, poucas vezes o FC Porto aproveita esses lances. A solução era Tello, que consegue ganhar esse espaço, mas não raras vezes definia mal. Hoje saiu tudo bem a Tello a finalizar, por isso Jackson conseguiu fazer duas excelentes assistências (aquele calcanhar é mágico) e tirar o melhor proveito possível do seu afastamento da grande área. Contra equipas que jogam com a linha defensiva subida, é algo que faz todo o sentido. Na maioria dos jogos da primeira liga, Jackson tem que estar mais próximo da grande área. Em Braga, na Luz ou na Champions, é uma fórmula para explorar.

Alguém viu Montero
e Slimani?
Muralha (+/-) - Desde que Martins Indi passou para o banco, Maicon e Marcano fizeram 5 jogos na primeira liga. E o FC Porto não sofreu nenhum golo. Para isso também muito contribuiu... Casemiro. Maicon e Marcano revelam grande entendimento, jogam bem com a linha defensiva subida e complementam-se nas dobras. Casemiro foi absolutamente essencial na segunda parte. É sofrível no início de construção e falha o mais simples dos passes, mas na marcação, na recuperação (é o jogador com mais recuperações de bola no campeonato), na agressividade que é necessária em jogos desta categoria e na dimensão física que Rúben Neves ainda não consegue dar foi essencial. Infelizmente, sobra um problema: Casemiro não funciona na saída de bola, Maicon só sabe recorrer ao pontapé longo e hoje Marcano, sobretudo nos primeiros 20/25 minutos, quando era pressionado cometia falhas. Não havendo Óliver para pegar no jogo mais atrás, há que melhorar o entendimento entre Evandro e Herrera nesta dinâmica, sobretudo porque contra equipas que jogam recuadas não podemos ter os 2 centrais e mais 2 médios recuados na saída de bola. Mas defensivamente, Casemiro tornou-se importante no FC Porto.

Outros destaques (+) - Tivemos o melhor Alex Sandro. Contra Nani ou Carrillo, esteve sempre impecável a defender e apoiou sempre bem o ataque, criando também desequilíbrios (mesmo tendo Brahimi apagado no flanco). Danilo com maiores preocupações defensivas, mas seguro. Herrera acompanhou o mau início da equipa, mas na segunda parte foi um monstro. Encheu o meio-campo e foi essencial para que o FC Porto fizesse 45 minutos de alta rotação e intensidade. E mais uma vez, a capacidade que o FC Porto de Lopetegui tem para recuperar a bola no momento de início de transição do adversário, criando desde logo um lance de perigo nos últimos 30 metros, é do melhor que vemos no futebol europeu. Jogão.





20/25 minutos (-) - Um pouco ao encontro da crítica que foi feita no início de construção. Casemiro é essencial defensivamente, mas na saída de bola, nos primeiros 20/25 minutos, o FC Porto chegou a ter momentos de amadorismo. Não havia soluções. O FC Porto tinha 3 jogadores para sair (Marcano, Maicon, Casemiro) e nenhum o conseguia fazer. Passes à queima para os laterais, dificuldades em fazer chegar a bola ao meio-campo e com isso Evandro e Herrera tinham que recuar, até ao momento em que o FC Porto jogava num espaço de 40/50 metros, e quando a bola chegava finalmente a um dos médios interiores já só havia Jackson para dar apoio na zona central; a alternativa era o balão à procura de Tello. A rever, pois nem sempre haverá um calcanhar mágico a desatar o que está a ser difícil. Uma nota para Brahimi, que mais uma vez tem que aprender a conjugar o seu virtuosismo com o sentido colectivo da equipa. Sobretudo quando as coisas individualmente não estão a correr bem.

Julgo que todos os portistas saem deliciados com este excelente triunfo. Mas como muita gente tem expectativas ainda mais altas, esperamos ter correspondido a todos os apelos.



11 comentários:

  1. Caro Td...análise ao R&C?
    O Fcp terá mesmo de realizar 60 M em mais valias?
    Começa a ser perigoso...este caminho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está tudo no orçamento, aqui apresentado em Outubro.

      Eliminar
    2. O clube não pode continuar neste caminho...
      Nem sempre poderá vender atletas para gerar mais valias desse valor...
      Este ano dificilmente será campeão...a Apaf não deixa...
      Pedro Proença aposta de Pc para o ano?
      Alguma explicação para esta surdina...da Sad?

      Eliminar
  2. Idos de vela,
    No rabelo que de deles fez cela.

    http://imbictopoema.wordpress.com

    ResponderEliminar
  3. Grande jogo do nosso Porto!!!
    Finalmente, ao 3º clássico com o sporting, vi o Porto fazer aquilo que me parecia óbvio para contornar a pressão alta deles. Bola longa no Jackson que toca de cabeça, ou de CALCANHAR (!!!!!), para alguém que entra de trás! Bastou fazê-lo uma vez e correr bem, para NUNCA MAIS sair bem a pressão do sporting! Era óbvio! Finalmente vimos o Tello explorar com a sua incrível velocidade as costas da defesa do sporting muito subida para compensar a distância do bloco do meio campo/ataque que pressionava a nossa saída de bola! É esta a solução! Tem de ser! Em vez de insistir SEMPRE no mesmo, temos de variar e usar da melhor maneira o monstro Jackson no jogo directo! E a beleza da coisa, é que basta fazer uma vez bem isto, e acabou a pressão alta do adversário que começa a ficar com dúvidas sobre o que fazer!
    Nota negativa para Brahimi, que apesar de alguns fogachos em alguns jogos, anda desaparecido desde Dezembro. Como diz o TdD, Brahimi tem de aprender a soltar a bola, a jogar com a equipa. Ontem foi sofrível, e como dizia eu aqui há 1 semana atrás, nao justificou de todo a invenção de ser ele o titular e nao Quaresma. Com Quaresma tinhamos capacidade de cruzar bolas para Jackson que ia jogar entre 2 centrais como tenrinhos. Com Quaresma tínhamos mais nervo, mais garra, mais identidade Porto em campo. Com Brahimi nem uma coisa nem outra. Vale que Lopetegui percebeu-o e corrigiu o erro no início da 2ª parte.
    Não concordo com o destaque positivo ao AlexSandro...Verdade que fez coisas boas, mas também aliviou uma bola com uma cabeçada para a marca de penalti (!!!), e fez vários passes errados.
    Grande Jackson, fantástico Evandro, gigante Tello!
    E tudo isto num jogo onde de novo fomos prejudicados pela arbitragem! Penaltis por marcar, expulsões perdoadas, critério de faltas surreal! Contra tudo e contra todos, sempre Porto!
    Vamos grande Porto! Podem continuar a roubar, que nós vamos continuar a lutar!

    ResponderEliminar
  4. Grande jogo do FCP. Na 1a parte foi um pouco tremido, mas na segunda não demos a minima hipotese. Esta movimentação é a maior qualidade do Tello. É muito rápido e quando lhe dão as costas dos laterais ele facilmente fica na cara do golo. Problema é que falha quase sempre, como nos veio habituando, no entanto ontem não deu hipoteses e este impecavel no aspeto da finalização. Continua com muitas lacunas a nivel de passe e receção de bola, mas se marcar uns golinhos assim por jogo ninguem leva a mal.

    Casemiro e Herrera estiveram muito mal na primeira parte a nivel de construção de jogo e decisão de jogadas. Herrera sempre que está à entrada da área parece que fica exacerbado com a situação e atrapalha-se. É pena. Subiram muito na segunda parte e acabaram por fazer um bom jogo.

    Jackson esteve excelente, mais uma vez. Jogador de trabalho e de qualidade tecnica muito acima da média. Aquele calcanhar vai-nos render 35 milhoes, não tenho dúvidas.

    Brahimi desiludiu. Parece em má forma fisica. Não tem a stamina que tinha no inicio e sem isso perde muita qualidade. Enrola-se muito com a bola e tem que rever isso. Se as pernas e o tronco falham, tem que começar a jogar com a cabeça.

    Evandro esteve excelente, mas não gosto quando ele se esconde do jogo. Passa a bola em zonas laterais e encosta-se à linha de lançamento atrás do jogador que tem a bola. Esconde-se e acaba por nem puxar nenhum jogador nem dar linha de passe para o colega. Tem que rever essa situação, mas talvez seja normal devido à sua falta de ritmo.

    Maicon esteve bem a defender, mas vacilou imenso no capitulo do passe. Parecia nervoso e desconcentrado, não pode ser! Estava sempre a ver quando é que ele ia fazer a borrada do costume. Marcano por outro lado esteve muito bem em todos os niveis.

    Danilo e o Alex Sandro estiveram 5*. Deste Alex Sandro já gosto. E MUITO. TOP.

    Quaresma entrou bem, defendeu muito. É estranho ve-lo quase a lateral em muitas partes do jogo. R. Neves tem uma qualidade excepcional aliada a uma quase arrogancia inocencia dos grandes jogadores. Daqui a 3 ou 4 anos será um dos melhores do mundo naquela posição, se continuar a evoluir e jogar no FCP.

    O Lopetegui também esteve muito bem, mexeu quando tinha que mexer e ajustou a equipa. Não olha a nomes nem a nada estatutos. Melhorou muito em relação ao jogo da 1a volta. Uma das criticas que lhe fiz nessa altura foi que não explorava o espaço nas costas dos fracos laterais do SCP. Que não explorava o espaço entre os centrais e as costas dos laterais. Bem, isso aconteceu hoje e vimos o resultado! Assim como a equipa, o treinador também está a melhorar muito. Esperemos que seja para continuar!

    Por mim, o árbitro. Ninguem fala dele porque ganhamos 3 0, mas foi uma arbitragem muito fraca. Pelo menos 1 penalti que nos foi roubado, um vermelho por acumulação para o Cedric e uma dualidade de critérios gritante, tanto em termos de faltas como em termos de cartões.

    Sexta feira há outra batalha. É pra ganhar e este não vai ser tão facil, embora tenha a certeza que iremos sair com a vitória. PORTO!

    Joel

    ResponderEliminar
  5. continuam a esticar o Jackson ao máximo... podia ter descansado ontem depois do 2-0.

    ResponderEliminar
  6. Mau jogo nos primeiros 30 minutos, a parecer claramente que havia instruções para não sair com bola pelo Herrera e muito menos pelo Evandro, tantas foram as vezes que pediu bola, nomeadamente a Maicon e Danilo e...nada!!

    Enorme 2ª parte, do melhor que se viu!!

    Excelente nota de rodapé!!!

    P.S.1 - algo parece mal com Brahimi, não parece só forma física. Não se vê alegria no jogo.

    P.S.2 - Evandro foi enorme, mas nota-se que são dez e mais ele! Tens de assumir, és tu e mais dez! A discrição é má para algumas carreiras. A bolinha dentro da área que não rematou, tentando encontrar desesperadamente alguém para chutar é o espelho das minhas palavras. Mais uma vez, és tu e mais dez!!

    Vamos FCP!!

    ResponderEliminar
  7. Continuamos com os mesmos problemas de transição. O meio-campo consegue ser inexistente em certas alturas do jogo no que toca à saída de bola, e ontem até no posicionamento defensivo falhou por várias vezes. Os primeiros 20 minutos foram claríssimos, mas no início da 2a parte tivemos também várias desconcentrações que deixaram um buraco à frente da defesa.

    O Herrera continua sem conseguir demonstrar todo o seu valor nestes jogos, e isso prende-se com o estilo de jogo da equipa. Enquanto há pouco espaço e procura-se jogar curto, ele simplesmente não consegue aparecer. Quando a equipa consegue algum espaço, o que no Porto acontece maioritariamente na 2a parte seja por estar em vantagem ou pelo desgaste natural, Herrera é peixe na água e torna-se um jogador importante. Mas as primeiras partes têm sido recorrentemente abaixo do expectável.

    O Tello neste jogo demonstrou que tipo de jogador é e como é necessário jogar para que ele seja eficaz. Obviamente que o espaço nas costas da defesa do Sporting é algo raríssimo em Portugal, mas vem aí um Braga de linhas subidas também.

    O Sporting só esboçou alguma coisa depois do 2-0, altura em que já podíamos ter dilatado muito mais o resultado: aquelas falhas de Jackson e Herrera são dignas de arrancar algum cabelo. Gostei bastante da dinâmica e pressão entre os 20 e os 40 minutos, depois baixámos de intensidade e só a recuperámos quando já estava 3-0. Penso que qualquer portista sentiu que o resultado poderia ter sido muito mais alargado se a concentração e o critério se tivessem mantido altos. Não havendo jogo a meio da semana, desgostei da queda de intensidade, especialmente quando ainda estava 1-0.

    Gostava que ASD explicasse o critério de poupar o cartão ao Cédric quando está 3-0 possivelmente por achar que o jogo estava decidido, mas sem problemas para mostrá-lo ao Alex 2 minutos depois.


    AA

    ResponderEliminar
  8. Quantos jogadores do Arouca estão impedidos por cartões de jogar com o Arouca?

    E quantos tem o Braga á bica para o jogo com o benfica ?

    ResponderEliminar
  9. o tareão habitual num jogo em crescendo, onde o colectivo foi a arma principal com, para mim, destaques a Jackson, o unico fora-de-série a actuar em Portugal, Tello, um miúdo que Lopetegui pode transformá-lo num jogador único - ontem foi uma espécie de Juary, Herrera, parece, finalmente, estar a transformar-se num jogador decisivo, de verdadeira importância e por ultimo Evandro, um jogador dos pés á cabeça, completo, jogou e fez jogar, marcou ritmos, acalmou a equipa, um verdadeiro craque que, pelo menos em jogos " pra machos ", devia jogar sempre. Este árbitro só não entregou a encomenda porque o Porto não a aceitou. Uma vergonha. Sexta-feira outra final que só a ganharemos se formos o que fomos ontem: honestos com muita vontade de ganhar!

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.