quinta-feira, 5 de março de 2015

Danilo e uma questão de semântica


Quando Mangala saiu para o Manchester City, num dos maiores negócios da história do futebol português, ouviu-se e leu-se por todo o lado coisas «Mangala era do BES» ou «Mangala serviu para pagar ao BES». Assunto já aqui aprofundado e criticado pelo absurdo de terem ignorado a possibilidade de uma renegociação, sobretudo porque nunca um clube português recebeu 30M€ a pronto numa transferência.

Agora vamos começar a ouvir algo idêntico com Danilo e Jackson Martínez. O MaisFutebol escreve que «Danilo e Jackson servem de garantia em empréstimo de 25 milhões». Algo que já se sabia. O jornal em questão recorre ao R&C do 1º semestre para dar conta de que o empréstimo vence em 2015. E depois faz intelectualmente questionável. Citemos.

«Em relação ao empréstimo de 30.000.000 Euros, foi acordada a extensão do prazo de reembolso, sendo agora de 3.000.000 Euros a 15 de Setembro de 2014, 2.000.000 Euros a 31 de Outubro de 2014 e 25.000.000 Euros a 15 de Setembro de 2015 (Nota 14). De acordo com esta renegociação, caso a FC Porto SAD venha a alienar, ceder ou transferir, deixando de deter, directa ou indirectamente, a propriedade de (i) 100% dos direitos económicos do futebolista Danilo Luiz da Silva, ou (ii) 100% dos direitos económicos do futebolista Jackson Martinez, os montantes resultantes dessas alienações, líquidas de comissões, serão utilizados no reembolso, parcial ou total, do montante no âmbito do contrato», pode ler-se no Relatório & Contas da SAD do FC Porto

Pode ler-se no Relatório e Contas da SAD do FC Porto, diz o MaisFutebol. Faltou foi dizer que num texto em que o ponto de partida noticioso era o R&C semestral de 2014-15, resolveram citar uma parte do R&C anual de 2013-14. Um pequeno pormenor que faz toda a diferença e algo falacioso.

Atentos à parte «caso a FC Porto SAD venha a alienar, ceder ou transferir, deixando de deter, directa ou indirectamente, a propriedade de (i) 100% dos direitos económicos do futebolista Danilo Luiz da Silva, ou (ii) 100% dos direitos económicos do futebolista Jackson Martinez, os montantes resultantes dessas alienações, líquidas de comissões, serão utilizados no reembolso, parcial ou total, do montante no âmbito do contrato».

Pode ser um problema semântico. Mas tecnicamente, o FC Porto já não tem a propriedade de 100% dos direitos económicos de Jackson Martínez. Tem 95%. E não foi por isso que teve que proceder ao reembolso total ou parcial em relação ao Novo Banco. Tudo isto para dizer que a possibilidade de uma renegociação não deve ser ignorada, tendo em conta o quão raro é abater o passivo de forma tão bruta.

No relatório e contas de 2013-14, o tal citado pelo MaisFutebol, é dito que a SAD tem que proceder ao reembolso no momento em que o FC Porto deixe de ter a totalidade dos direitos económicos de Danilo e Jackson. Tecnicamente, como já foi dito, já não tem 100% dos direitos de Jackson. Mas não se trata apenas de uma questão semântica, pois no R&C semestral já não há qualquer referência à necessidade de um reembolso imediato assim que Danilo ou Jackson sejam transferidos, nem fazem referência à cláusula que existia quando estavam Mangala e Jackson na colateral.

Podemos também finalmente confirmar que o FC Porto, ao contrário do que chegou a ser dito, continua a ter 100% do passe de Danilo. Vai ter, isso sim, que ceder 10% da transferência ou da mais-valia (não foi oficialmente esclarecido) ao Santos.

Sabendo-se que é praticamente inevitável vender dois titulares até ao final do exercício 2014-15, num cenário optimista Danilo e Jackson Martínez podem gerar mais-valias de 18,5M€ e 21M€, além dos 22,8M€ de Mangala. Tudo que for acima disto já irá para além de um excelente negócio. O valor em falta pode e deve ser coberto com a receita extra da UEFA ou a rentabilização de excedentários.

O défice operacional previsto para 2014-15 era de cerca de 25M€, além do prejuízo que transitou da última época. Com Jackson e Danilo transferidos dentro do exercício de 2014-15, o FC Porto cobre todo o valor, sem antecipar a liquidação, seja ela total ou parcial, do empréstimo do Novo Banco que vence em Setembro. Se a cláusula já não é aplicável, tal implicará que seja algo para resolver em 2015-16, sem agravar a necessidade de mais-valias em 2014-15 - e outra coisa não faria sentido, pois a renegociação do empréstimo com o Novo Banco foi feita antes de definir o orçamento para esta temporada.

8 comentários:

  1. Deixei de consultar este site, porque de maisfutebol tem pouco, é sobretudo maisbenfica....

    ResponderEliminar
  2. Espanhóis falam na venda do Danilo por 20M (o que me parece improvável) e depois falam nas dividas que o Porto tem, para sustentarem a baixa do preço, juntamente com o contrato terminar em 2016. Incrível (dizem eles) como uma equipa que vende tantos jogadores por tão altos preços, ainda tem de vender para pagar dívidas....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os espanhóis que comparem o que os clubes deles recebem em direitos televisivos com o que os nossos recebem. Já para não falar na liga inglesa onde as equipas que lutam para não descer recebem mais do que os primeiros classificados em Portugal.

      Eliminar
  3. O meu maior medo é que o contrato do Danilo condicionar o valor da venda, ainda mais quando ele está em fim de contrato.

    ResponderEliminar
  4. Se exceptuarmos o Ojogo, não há imprensa desportiva. Temos, isso sim, propaganda. Propaganda de bajulação lampiónica e de diabolizacao tripeira. Abraço

    ResponderEliminar
  5. Não tenham pressa em fazer o balanço de um negócio que não se conhece e que nem sequer está feito. Apenas um conselho.

    ResponderEliminar
  6. Quero acreditar que Baía ainda se vai retratar depois de ver o impacto das suas palavras na boca de um miserável. Logo, acredito muito na nossa vitória!

    ResponderEliminar
  7. Off-Toppic

    Soube há pouco. Além do Bruno Trindade, como assistente, hoje em Braga o observador do árbitro pertence à associação futebol de braga.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.