sexta-feira, 13 de março de 2015

O craque que trabalha na sombra

Ser um adjunto numa equipa técnica é sempre uma tarefa algo ingrata. Como é natural, o treinador principal é sempre o protagonista, seja para o bem, seja para o mal. E às vezes quando os números 2 saem da sombra então se revelam e mostram o quão contribuíram para o sucesso do treinador principal. É o caso de Vítor Pereira, que já ganhou muitas coisas sem Villas-Boas; já Villas-Boas continua sem ganhar nada sem Vítor Pereira.

Isto para falar de um nome que tem passado despercebido e que já merece reconhecimento: Juan Carlos Martínez, o preparador físico da equipa técnica de Lopetegui. O adjunto até é Julián Calero, mas Lopetegui trabalha com Juan Carlos Martínez há mais tempo e é por isso que o preparador físico vai para o banco durante os jogos, troca opiniões directamente com Julen e é olhos e ouvidos ao longo da semana.

Um trabalho com nota positiva
Mas o que mais importa destacar é a excelente preparação física do plantel do FC Porto, a pouco mais de 2 meses do fim da época. Já houve algumas lesões musculares e mazelas, mas abaixo do que costuma ser frequente nas equipas ao longo da temporada. O FC Porto, exceptuando castigos, nunca ficou com mais que um titular indisponível de uma só vez (Óliver luxou duas vezes o ombro, ou seja, não é uma lesão que indicie má preparação física, mas sim um infortuito do jogo - à imagem do que aconteceu com Danilo). São poucos os treinadores que trabalham com tão poucas condicionantes. Além disso, ainda não se ouviram queixas do FC Porto face ao desgaste do calendário e também à enorme pressão psicológica que é ter que andar a correr atrás do prejuízo no campeonato. Não dá para secundar a importância deste factor. Mens sana in corpore sano.

Outro pormenor importante é a capacidade de jogadores pouco utilizados no FC Porto entrarem na equipa sem que se note falta de rotinas ou preparação física A primeira parte deve-se ao trabalho táctico desenvolvido por Lopetegui nos treinos, a segunda ao trabalho de preparação física. Se já existiram problemas de falta de rodagem, foram de ordem táctica, não física. Jogadores como José Ángel, Campaña, Ricardo e até Evandro conseguiram entrar na equipa sem que esta se ressentisse. 

Outro dado que comprova o bom trabalho de Juan Carlos Martínez é... Alex Sandro. Sobretudo na última época, era muitas vezes criticado por ser molengão e aparentar estar cansado. A verdade é que Alex Sandro está numa forma física impressionante e é neste momento o defesa com mais quilómetros percorridos na Champions: 88,78. São mais de 11 quilómetros por jogo.

Defesas com mais quilómetros na Champions
Já elogiámos Julen Lopetegui pela construção e evolução do plantel, agora é hora de reconhecer que a equipa técnica também foi bem composta com vista à preparação física dos jogadores. Aguenta, coração, pois à entrada para a fase decisiva da época pulmão não falta.

9 comentários:

  1. Um post a preceito pois a tendencia é falarmos do chefe, mas é obvio para mim que os chefes só conseguem o sucesso se os subordinados forem capazes de serem chefes nas suas funções. Muito bem.

    ResponderEliminar
  2. Muito bom. Os meus parabéns pelos fabulosos textos. Sempre lógicos coerentes e de grande qualidade. Bom trabalho amigo

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o post em relação ao Juan Carlos Martinez, muito bem observado, quanto à relação de ganhos e percas entre André Vilas Boas e Vitor Pereira completamente em desacordo, em minha opinião que vale o que vale, o AVB é claramente superior ao VP, o mesmo se passa entre JULIEN LOPETEGUI, para mim talvez o melhor treinador a seguir ao Mestre PEDROTO, em relação ao seu adjunto, mas isto são só opiniões o que interessa são as vitórias do MELHOR CLUBE DO MUNDO

    VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

    ResponderEliminar
  4. Não sei se foi engano ou erro, mas onde se escreve "luxaçou" deve escrever-se "luxou", já que vem de "luxar", neste caso, o ombro.

    ResponderEliminar
  5. mente sã em corpo sã... ok filosofo grego...

    so uma duvida a parte disto em cima disse em cima que o entao preparador fisico é que vai para o banco...
    eu sou um diretor jovem de um clube distrital e sei que na ficha de jogo pelo menos nas distritais é assim pode ir para o banco um treinador principal, um como adjunto, um delegado ao jogo, e um massagista (o massagista pode e grande parte das vezes faz parte da direçao mas na ficha de jogo nao pode ser indentificado como diretor mas sim como massgista) por exemplo o ano passado na equipa tinhamos uma equipa tecnica constituida por 4 pessoas, para o banco costumavam ir o treinador principal e o treinador de gr, o preparador fisico e o treinadro adj. que era uma especia e rui barros no porto (treinador ligado ao clube) iam para a bancada tirar notas e fazer estatisticas ao jogo...
    a minha pergunta é como é que isto funciona na primeira liga?

    ResponderEliminar
  6. Sinceramente, acho que o outro treinador que nao está no banco tem muita responsabilidade no que se passa durante o jogo. Aliás o intercomunicador que Juan Carlos Martinez usa, esta ligado com ele. E não raras vezes vemos o adjunto a transmitir indicações a Lopetegui, que vem de cima...

    Abraço
    Taqui

    ResponderEliminar
  7. “Esta polémica não interessa ao futebol. Já é tempo de as equipas se habituarem a ganhar dentro das quatros linhas e não jogarem com comentários que visam apenas pressionar. Sabemos que o Benfica, no seu historial, é perito neste tipo de jogadas de bastidores.”

    Mesquita Machado, O JOGO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quem é mesquita machado para ter moral para falar?tudo a mesma panela

      Eliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.